Relato com a esposa

Minha esposa todo dia me cobra:
Saulo, me leva pra voar!
Quando sair do corpo me puxa.
Etc… etc…

Já que ela pediu tanto, levei para um lugar bem romântico…
Um cemitério, haha.
Coloquei ela nas minhas costas e fomos juntos até um lugar bem alto, voava alto com ela e passamos em cima de um cemitério.
De cima senti um magnetismo forte, não sei se puxava normalmente ou por eu ter visto e me conectado, sei que cai lá e perdi a consciência.

Ela acordou se lembrando que tinha ido pro umbral num lugar cheio de gente com cara de defunto.
Eu contei para ela antes dela me falar.

Marido bom é assim…
Mas parceiro de verdade segue a frase:
Ainda que eu ande pelo vale das sombras…

Quem quiser dar uma passeada aí, é só falar, levo e largo lá inconsciente!
Amigão! rs

Só não levo nas costas…:D

Aviso de contato interno…

Aviso de contato interno…

Recife 05 de Abril de 2013

Aviso de contato consigo

respirar

 

Vou dividir o que considero mais um sonho do que projeção, um grande aviso e ajuda.
Talvez seja útil para alguém.

hoje de manhã, sábado levantei e fui no banheiro molhar a porcelana e voltei pra cama.

Ao deitar senti aquele sono forte(chamo de sono da morte), e algumas puxadas energéticas na cabeça. É como um deslocamento, parece mesmo que a cabeça está caindo do corpo, é algo curioso e considero um sintoma projetivo, poderia até chamar de oscilação astral.

Perdi a consciência e entrei em sonho não sei quanto tempo depois.
Estava voando por um lugar infernal.
O ar estava sujo, todos pareciam morrer sufocado, haviam pessoas sem respirar direito.
Todos nem andavam bem.
Eu não estava lúcido de projeção, achava que era real em princípio, que o mundo estava daquele jeito, era tipo um armaggedon.
O ar tinha uma energia avermelhada, como se uma gelatina estivesse deixando todos lentos.
Levantei vôo (mas ainda continuava sem entender direito e processar a lucidez).
tentei achar um lugar no céu e não havia um só lugar limpo.
Tentei entrar numa casa para correr daquilo.
Então vi um rio com correntezas fortes e também imundo, com a mesma gosma que tirava o ar.
Pensei que mergulhando nele melhoraria e veria um lugar mais limpo, pois estava horrível e sabia que se ficasse muito tempo ali iria “morrer”.
Então fui mais fundo e ainda estava sujo.
Até que uma voz falou dentro de mim e foi aí que comecei a melhorar a consciência:
“Vá mais fundo…”
Desci mais ainda no rio e comentei com aquela voz:
- Mas eu vou me afogar

E ela repetia sussurrando:
- Vá mais fundo…

Desci, desci e desci…
Até que consegui sair da gosma e a água ficou limpíssima, clara e consegui respirar dentro dela o ar mais puro que me lembro ter sentido em meus pulmões…

Olhei para cima e vi a gosma avermelhada, ela não conseguia chegar ali onde estava.

Até que abri a lucidez de vez e percebi o que alguma coisa tentou me mostrar.
Mas não deu muito tempo, abri os olhos no corpo físico e me lembrando de tudo fiquei refletindo por um tempo…

Para respirar,
para sermos o que somos,
para sairmos do peso que vivemos,
da falta de ar da consciência,
do mundo frio e lento,
da tristeza que nos rodeia,
do lugar onde todos estão desesperados,
é preciso ir fundo, muito fundo…
E esse lugar, amigo, não está em parte alguma…
Ele só pode ser encontrado dentro de nós.
E é preciso andar muito para entender…
Não é fácil chegar nesse lugar é preciso ter coragem para aprender a RESPIRAR DENTRO DE SI MESMO!

E foi assim que interpretei, foi o que senti…

Nana neném… E mamãe quer que eu durma?

E assim fomos criados e essa é a cultura enraizada em nosso subconsciente e por isso somos tão cagões…

Pra dar uma pausa da correria…

S

Novo Curso de Viagem Astral – Capítulo 3 – Sintomas Projetivos

A