RELATO: Bate-papo inteligente com um amigo espiritual

Saulo CalderonDiário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon0 Comments

 
 
Recife 06 de Fevereiro de 2018
Olá, amigos.
Vou dividir essa experiência devido ela trazer uma forte mensagem e ter mexido muito comigo, até agora estou aqui pensativo.
Tenho passado boa parte do meu tempo editando o novo curso de viagem astral e isso tem sido positivo, pois estou praticamente tendo experiências todo dia, provavelmente devido a sintonia espiritual que fico, o que é raro essa regularidade em mim.
 
Fui deitar sem fazer técnica e com o Mel, minha cachorrinha colada no meu corpo e deitado no mesmo travesseiro que eu, já tentei tirar, mas ela só quer dormir ali…
 
Despertei de madrugada para ir ao banheiro, por volta das 2:15 da manhã.
Voltei e aí começou essa experiência.
Como não fiz técnica, provavelmente isso me dificultou a rememoração da saída e também estava perto a esposa e Mel, bem como o retorno ao corpo também foi prejudicado, pois não me lembro de pensar em voltar ao corpo.
 
Despertei a consciência numa sala grande e ao lado de um espírito que já conversava comigo há um tempo.
O bate-papo que vou transcrever aqui não foi exatamente nessas palavras, mas é a forma como me lembro da mensagem.
Ele estava com o violão na mão e um tipo de computador ao lado, onde me mostrava músicas e conversávamos sobre riqueza espiritual.
Ele tocou e cantou uma música de melodia e letra linda, onde falava de despertar, do mundo adormecido, do retornar ao mundo espiritual… Era a história de um espírito que havia encarnado diversas vezes e após muito penar, só agora estava começando a despertar. A letra era tão linda que eu chorei enquanto ouvia, era IMPOSSÍVEL segurar os sentimentos, o corpo astral é algo que só vendo pra crer a força dos sentimentos. Ali, eu não ouvia somente as canções, mas eu via como num filme VIVO partes da vida da pessoa que a canção falava.
E então ele parou de tocar e começou a conversar comigo mais ou menos assim:
Saulo, aqui as pessoas não carregam mais riquezas da forma como na Terra todos dão valor. Na verdade, o valor das pessoas aqui é a magia e a bagagem interessante que eles carregam, e a maioria volta da encarnação sem nada interessante, no geral sofrimento, reclamação, erros por cima de erros e arrependimentos…
A maioria se perde no caminho na crosta. É preciso andar muito para começar a trazer algo que a faça feliz e interessante. A maioria é pobre aqui por causa da falta de riqueza interior. O que tem a oferecer?
Também existem aqueles que trazem consigo a bagagem espiritual do aprendizado e dedicação.
Nessa hora ele colocou uma outra música LINDA pra tocar no computador, era só melodia, e eu de novo chorei ao ouvir e falei:
Mas amigo, olha essa melodia, olha isso! Como a gente ainda lá na Terra não dá valor a essas coisas? Lá? As músicas atualmente estão péssimas, são tão ruins que é preciso usar de lavagem cerebral, pagando rádios para tocar repetidas vezes para que entre na mente e todos passam a cantar sem pensar.
Ele continuou:
Aqui também existem seres extremamente interessantes, que usaram de sua jornada e já vem fazendo isso há muito tempo, eles carregam uma verdadeira magia interna, você se aproxima e se encanta e tem vontade de ficar pra sempre ao lado deles. São os espíritos que já aprenderam a arte de não viverem pra si mesmo somente. Já não reclamam tanto, carregam séculos de dedicação e criação positivas. São os “RICOS” daqui e isso eles levam para todo lugar, você se aproxima e já começa a se sentir feliz, em paz. É impossível não sorrir perto deles, tal é o esbanjar da sua alma, que derrama por todo lado um fluido delicioso. E isso é a riqueza não só aqui, mas em todo lugar. Na crosta a ilusão ainda é forte, o adormecer é algo que pega quase todos. É importante levar boas informações, músicas e inspirações para lá. Muitos estão ainda adormecidos em si mesmos, quando voltarem sentirão a tristeza que ainda os cerca e acabaram pedindo novamente para tentar fazer algo.
O amigo falou tanto, foi uma verdadeira aula de riqueza interior.
Eu falei:
Mesmo fazendo o projeto que estou, mesmo me dedicando de forma sincera, eu me sento pequeno e fazendo quase nada e isso me deixa envergonhado. Amigo, eu tento fazer algo, não quero reclamar, mas a maioria lá só vive pra si mesmo. É difícil conseguir isso, é difícil se desprender, não pensar em dinheiro, é difícil viver pensando nessa dimensão aqui somente ou, conectado. Parece que algo vai nos pegando, sugando e sei lá, quando vemos a vida já passou…
Ele me olhou com um carinho enorme e falou:
Continue, só isso. O despertar vem na hora certa e só após muito caminhar…
A jornada é longa, mas aos poucos tudo vai ficar claro pra você.
Não deixe de viver pra si mesmo também, só não se esqueça que as almas mais felizes vivem muito pra si mesmos, só que elas já descobriram que quanto mais feliz se está, mais a gente doa e continua a distribuir, pois isso passa ser o motivo principal da iluminação. Então o viver para si mesmo para elas é doar-se o tempo todo. Então quando parecer que não está pensando em si mesmo é justamente quando mais terá felicidade.
E essa é a riqueza que todos aqui querem ter e que todos dão valor, pois ela não termina numa dimensão. Essa é a riqueza que o tempo não tira de você e você leva para onde for, dentro de si mesmo.
 
Eu continuei conversando com ele muito tempo, até perder a lucidez e despertar em algum momento. Provavelmente eu perdi a noção de tempo. Quando abri os olhos eu lembrava de tudo e tive que ficar um bom tempo pensativo. Coloquei uma música linda (estou ouvindo agora enquanto escrevo, Terceira Sinfonia em Fá maior de Brahms e estou absolutamente conectado com tudo que ouvi.
Vim pro trabalho olhando o mundo, olhando as pessoas, tentando imaginá-las após essa vida e perguntava a mim mesmo cada vez que as olhava:
Como esse vai chegar lá? Vai feliz?
Vai completo?
Qual riqueza ele vai levar?
O que ele tem a oferecer ?
 
E você?
 
Excelente jornada e retorno a você.
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *