A busca pelo Paraíso não é aqui…

Saulo Calderon Informações, Mensagens 12 Comments

Essa canção chama-se SONA, do Secret Garden. É linda e escrevi esse texto ouvindo-a. Vai ajudar na sintonia do mesmo, se possível clique em play logo abaixo:

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][audio:https://www.viagemastral.com/iva/sona.mp3] A BUSCA PELO PARAÍSO NÃO É AQUI..

A falta de fé e conhecimento na vida futura nos coloca em constante confusão e numa busca desesperada pela possível felicidade a qualquer custo.

Tentamos, erramos, vamos para lá, para cá, e nessas idas e vindas acabamos é por sofrer ainda mais.

Nisso vem os sonhos, alguns deles concretos, mas muitos são ilusões.
A visão de uma possível completude, de uma felicidade plena ainda aqui e nas coisas ou nas pessoas.

Não se engane irmão, a felicidade não é desse mundo e nem está ligada a ninguém nem alugar algum…
Aqui é uma passagem e é bem rápida!
Aqui não é o lugar para se buscar a plenitude exterior.
A interior até lá vai, mas não se acha ela nem especificamente num lugar e nem perto de determinada pessoa.
No sentido interior, a paz também não estará em lugar algum.
Não a acharemos no Himalaia, nem nas dimensões astrais superiores, nem em outros planetas, nem mesmo nos aproximando de consciências elevadas…
A verdade é que a paz interna não é de lugar algum, mas pode estar em todos, contanto que achemos essa busca dentro de nós mesmos, e é verdade que o nível do homem ainda é como o de um bebê em relação a um adulto, mas a natureza não dá saltos e equilibradamente estamos caminhando para o progresso.

O que quero dizer é que não dianta trocar de relacionamento.
Não adianta mudar de emprego.
Não adianta procurar saídas mais fáceis, ou explicações mais parecidas com as nossas convicções, isso só nos tiraria do foco do que tanto estamos procurando, a nós mesmos.
Portanto, cancele todas as viagens, guarde seu bilhete de ida, pois aqui é tudo que temos e tudo que podemos fazer.

Claro que algumas mudanças são necessárias, e não leve ao pé da letra, há mais profundidade nas palavras do que somente uma ligação específica.

Mas quando digo que o paraíso não é aqui, conforme mostrou o título do post, é que não encontraremos nas coisas e nem nas pessoas, mas dentro de nós.

Só que estamos numa cultura que todos correm para lá e para cá tentando encontrar a tão sonhada felicidade. E nessa onda estamos mergulhados até a alma e é difícil parar e tentar olhar dentro de si mesmo e ver o quão sem paz estamos.
Como estamos carentes.
Tristonhos.
Sem força.
Sem fé nos outros, sem fé na gente, sem segurança…
Vivemos na dependência das coisas darem certo, e se não dão (e constantemente isso acontece), a tristeza volta a nos rondar.
É como se a gente assinasse um contrato de tristeza, pois é garantido o sofrimento quando colocamos lá fora a nossa possível alegria, o nosso foco de felicidade e completude.
A ilusão é linda e saborosa, mas ela é rua sem saída. No final vai ter que dar a volta e se organizar para pegar novamente a estrada da vida.
Até lá, vamos entrando em vários becos sem retorno, que vão nos dando ensinamentos e maturidade em como trilhar no GPS da vida.
E a programação desse GPS só vem com vivências.

Ao colocarmos lá fora o nosso sonho encantado de ser feliz (é lindo isso até certo ponto), derrubamos a nossa capacidade de nos auto-completar. Um Bebê brincando é a coisa mais pura e fofa que existe, e assim somos nós. Fofos seres querendo ser feliz lá fora de todo jeito…
E como não estamos seguros, cremos que acharemos segurança lá fora.
Morremos de medo de morrer.
Morremos de medo de ficar só.
E vamos nos relacionar por aí, desse jeito…
O que acontece?
O barco fica à deriva, na dependência de âncora. E as ondas bravas da vida chegam, inevitavelmente.
E não sabemos lidar com elas.
E aí vem Ciúmes, inveja, tristezas, depressões. E vamos fazendo o caminho inverso, o de buscar lá fora.
Mas é preciso mesmo caminhar muito tempo nas garras do Maya(ilusão), lá fora, para descobrir o curioso cantinho que morava a nossa paz tão buscada…

Comece a tentar conhecer mais a si mesmo…
Comece a tentar entender o por quê de tanta insegurança.
Comece a tentar compreender que não há lugar e nem ninguém pra conhecer, se não acharmos primeiro a única personalidade que faz toda a diferença: Nós mesmos!

Comece a entender por quê a respiração fica forte.
Por quê o coração bate em desalinho.
Mas não tenha pressa nessa jornada, ela é longa…
Apresente-se a si mesmo e esteja pronto para se apaixonar, aos poucos.
Nós somos interessantes, torne-se interessante a si mesmo!
Comece limpando a solidão, a solidão é a falta de contato consigo mesmo, ela só é ruim pois abandonou seu amorzinho à deriva, cuide mais e verá como ficar só completa e MUITO, é o paraíso que tanto buscamos!
As primeiras tentativas são terríveis, dolorosas e frustradas, mas não desista desse amor!
Conquiste-o!
Trate-o com paciência e carinho.
Entenda que foi uma vida inteira de abandono, (isso sem falar em vidas passadas…).
Normalmente estamos abandonados por nós mesmos, não nos achamos legais, não nos achamos aquela companhia tão boa, quando paramos algo parece nos incomodar, mas é preciso começar!

Você pode até continuar tentando olhar nos outros e lá fora, mas isso tiraria a concentração novamente da única coisa que pode mudar tudo ao redor, VOCÊ!

Com o tempo  seu magnetismo mudará e você começará a AMAR a sua presença!
Será gostoso para você mesmo ficar pertinho, e cuidará tanto disso! Não deixará qualquer pessoa pisar nesse templo lindo que tanto está cuidando, pois dá trabalho mesmo, mas é compensador!
E como conseqüência da lei, será aproximado para lugares e pessoas parecidas contigo, mas isso é somente repercussão natural.

Encontre o amor da sua vida e encontrará o paraíso ainda na Terra e em qualquer lugar.
E ao sair do planeta namorando desse jeito consigo mesmo, irá sentir a paz que os espíritos mais livres sentem.

Dê o primeiro passo, os outros virão com calma.

Como sempre falo brincando:

Já levou teu corpinho pra passear hoje?
Já se perguntou hoje se tá tudo bem com você?
Cuide do seu jardim interno!

É preciso arrumar a casinha!
É preciso achar o melhor lugar e a melhor pessoa que existe para a nossa paz:
NÓS MESMOS!

Eu já to começando a paquera comigo há um tempo, ainda não cheguei lá, mas to começando a perceber que estou perto de me conquistar, em algumas vidas chego lá! rs.

AME-SE!

Muita paz e altos namoros, querido irmão!

Saulo[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Comments 12

  1. verdade Saulo! Continue assim… intua, sinta a conexão e exteriorize a nós, assim como nós a todos nós…rsrs

    então meu caro, serenidade e luz à vc desejo nesta nossa caminhada tão linda…se vista de perspectiva consciente, sim… é linda

    😀

  2. Saulo, muito prazer!
    Realmente, estou de acordo que amar a si mesmo é uma “BENÇÃO” de DEUS para todos nós, através disso, é que virão as maiores mudanças, primeiro nós, depois aqueles que estão em nossa volta e por consequência, o mundo em que vivemos. Mudança…
    …”Amarás o Senhor teu Deus e ao teu próximo como a ti mesmo”.

  3. Estava eu olhando, procurando pela na internet, no google, algo com este sentido, alguma coisa que me auxiliasse neste momento. Precisava de palavras como a sua. Que bom que encontrei.

    Muito Obrigada Saulo. Muito Obrigada!

  4. Saulo!
    Muito Obrigada pela linda mensagem,
    reclamamos e nao tentamos descobrir,
    O porque das complicações, era isso que eu precisava ouvir

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *