Amparo perto do Mar e corpo denso…

Saulo Calderon Diário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon 6 Comments

Bom dia!

Essa noite fiz um amparo perto do mar.
Não me lembro da saída, me vi lúcido nesse lugar
Como sempre ele estava muito forte e batia numa pedra bem próximo de onde tinha ido.
Eu estava preocupado com um espírito que tinha desencarnado e ficado preso naquela região.
Um amigo espiritual estava presente, me guiava o tempo inteiro e falava para irmos rápido pois estava próximo da hora de voltar ao corpo.
O espírito parecia ser um menino de 10 anos no máximo.
Estava chorando e pedia ajuda para sair daquele local.
Peguei ele pelas mãos e falei para ter calma.
Ele me abraçou bem apertado, com medo que eu fosse embora.
O local era meio escuro, como se tivesse amanhecendo. Tinha a sensação de estar frio, curiosa essa situação, parecia que a temperatura estava bem baixa.
As ondas batiam numa pedra e respingavam em minhas costas, era um clima meio pesado, sensação fortíssima de umbral. Havia no ambiente muita emoção, um local que dava para sentir o sofrimento. Um tipo de vale que terminava numa praia. Uma montanha de pedras separava a praia e não parecia ser possível sair facilmente daquele local.

Terminamos o amparo, o amigo espiritual entregou o menino a uma moça que sumiram na nossa frente.

Nessa hora aparecemos no meu quarto onde o corpo dormia.
Vi minha cama mas não vi o corpo.
Não via mais o amigo espiritual, mas conseguia ouvir.
Ele falou na minha mente mais ou menos assim:

Vou te mostrar agora como o corpo é denso.
Perceba a respiração do corpo astral.
Ele respira uma energia sutil que vem de todo lugar.
Os órgãos são suaves e leves.
Vou te ajudar a sentir o retorno ao corpo.
Senti uma liberdade muito grande ao respirar no corpo astral quando ele falou aquilo.
Nessa hora meu corpo astral subiu e assumiu há uns 2 metros do corpo (acima), a mesma posição que ele estava(de barriga pra cima).
Fui descendo o corpo astral bem devagar e senti a mudança de frequência dimensional.
Senti o EV bem forte e certamente estava já dentro da faixa de atividade do cordão de prata, pois senti um sono muito grande ao fazer isso.
Senti como se estivesse dentro de uma gelatina quente com areia, sempre dou esse exemplo pois é mesmo o que mais se aproxima.
Ao começar a entrar no corpo senti cada orgão do mesmo.
Senti os pulmões respirando, que agonia naquele momento!
Era como se estivesse preso a um equipamento num hospital.
Ou como se estivesse dentro de um bola sem ar.
Por alguns segundos senti agonia do corpo físico, de tão denso que estava em relação ao astral.

Abri os olhos no corpo físico sem aparentemente perder lembrança alguma.

Dei uma respirada profunda e fale em voz baixa exatamente assimi:
QUE MERDA DENSA DUCARAI É ESSA QUE VIVEMOS!
(E pedi desculpa ao amigo pelos termos, e peço a vocês.)
Mas é impressionante o corpo de carne, a sua aura e tudo mais.
Nós não percebemos muito bem, mas é uma agonia respirar aqui dentro.
Ficar preso numa bolota de carne, respirando num balão de oxigênio feito também de carne.
Parecia doer logo ao chegar!

Quanto ao menino que ajudamos, bem, na hora me senti muito responsável por ele, foi como se tivesse pego a sensação espiritual do mentor.
Era como se fosse um irmão para mim, uma preocupação enorme!
Quando vamos amparar ou ajudar algum espírito, a sensação que ficamos é essa e a preocupação é tão grande, um amor muito forte que fica a certeza que aquilo não é nosso, ou, que ali somos realmente muito mais do que no corpo.

05:34 da manhã e já nem dá pra dormir mais!
Estou ouvindo uma música suave enquanto relato e tento dividir um pouco das sensações que tive.

Andar no mundo espiritual não é algo muito fácil e nos envolvemos com fortes sensações, mas é uma liberdade e tanto!
E se possível não vou abrir mão jamais disso!

Um grande abraço e ótima semana a todos nós aqui nessa jornadinha.
Cada um com sua bolota de carne ambulante.
Manter-se em paz aqui dentro é o desafio…
Pode crer nisso!

Muita paz!

Saulo

Comments 6

  1. Caro Saulo.
    Tenho acompanhado seu trabalho há pouco tempo, tanto no site GVA quanto no youtube em seus Faq´s e tenho aprendido muito contigo. Acredito que viagem astral é uma ferramenta de trabalho para aqueles que não tem trabalho mediúnico propriamente em centros espiritualistas e você é o professor de muitos que conseguem realizá-lo. Para aqueles que não realizam viagem astral, pelo menos tem muito a aprender sobre espiritualidade e crescimento pessoal.
    Excelente trabalho. Fique em paz.

  2. Adorei!

    Excelente a comparação:
    “como se estivesse preso a um equipamento num hospital”

    Fez eu realmente sentir!

    Valew Saulão.
    To realmente sentindo que estou preso num corpo agora, e essa consciência me dá um Norte muito preciso, algo que eu nunca tinha experienciado antes.

    Agora compreendo melhor qual o problema, a causa das dificuldades, e onde me focar.

    Valew de novo!

    Abração

  3. Boa noite, paz e luz! Sempre que faço viagem astral UMBRAL quando acordo estou cansada, com fadiga e certa vez acordei com DEPRESSÃO. Sei que estive no lugar tenebroso, entretanto, não me recordei. Como faço para acordar não me sentir fraca, deprimida, sugada, aff!! ORAÇÃO?? antes d dormir??? às vezes sou consciente quando estou viajando na espiritualidade, às vezes inconsciente. Quando inconsciente acordo dolorida, enfim, preciso de sua ajuda! Um abraço! Solange Lopes Silveira.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *