Engraçado ou Tenebroso?

Relatos, Relatos Saulo Calderon 1 Comment

27/08/02

Deitei-me pensando em projeção

Apaguei a luz do quarto, deixando somente a luz do banheiro acessa, com a porta semi-aberta, deixando uma pequena luz no ambiente, para poder me localizar com mais facilidade no momento da saída(isso pode não ser problema a depender da dimensão que nos projetemos, se for na primeira, pode acontecer de usar a luz física).

Comecei a forçar à prática energética, senti dificuldade em fazer isso, e senti algum tipo de bloqueio nos chacras, mas continuei com firmeza. Aos poucos foi melhorando, até que comecei a sentir o pré-EV(um nome que dei a um pequeno EV que começa a circular de maneira uniforme e não consecutiva, antes do EV real).

Até que senti o estado hipnagógico, e foi quando ficou complicado manter a consciência desperta. Imagens oníricas começaram a voar na minha mente, usei a força de vontade, e consegui manter minha consciência desperta na passagem do corpo para o sono, e com grande esforço rompi a barreira da sonolência física, e consegui acessar a consciência no corpo astral.

Já em catalepsia projetiva, comecei a forçar a saída do corpo. Minhas para-mãos já estavam soltas, juntamente com a cabeça, porém estava preso pelo umbigo. E comecei a exteriorizar energias pelo umbilicochacra. Senti um certo tipo de dor, pois um EV se instalou somente na região do Umbigo, ouvi um pequeno estalo energético, e foi quando meu corpo astral virou de lado, e começou a flutuar um pouco.

Tentei em vão subir o corpo astral para o alto, e vi que não conseguiria. O mosquiteiro me atrapalhou um pouco, pois minha faixa do cordão de prata estava um pouco densa e via tudo um pouco embasado. Foi quando decidi rolar para o lado, assim sairia da situação sem me atrapalhar com o mosquiteiro. E consegui com facilidade(no momento me lembrei de um desenho que via na infância, “não me lembro o nome agora”, mas o personagem falava assim: Saída pela direita, risos.

Ainda no chão, tentei levantar, mas a aura estava realmente densa, e fui praticamente me arrastando, e até que enfim senti a consciência expandir e centrar.

Saí do meu quarto, ao olhar para o lado, vejo minha mãe me olhando, porém não se aproximou. Na inocência, chamei-a para me abraçar e contar, “claro”, que estava projetado e ela também. Ao receber o abraço, senti uma energia braba… E já sabendo do equívoco e erro meu, disse: – Me larga agora. E ela respondeu com uma voz bem grossa, parecia uma voz masculina bem forte:
– Não largo não.

Tremi na base. Era um espírito plasmado de minha mãe me sugando. Senti um aperto no cardíaco, e não pensei muito para instalar um super EV. A entidade foi jogada a uns dois metros na minha frente. E ainda no chão ela disse: – COVARDE. E respondi:
– Mas você é um descarado. Achou mesmo que ia me pegar? Então sua aparência voltou ao “normal”. Tinha forma de um rapaz, com olhos vermelhos, e roupa rasgadas, não sabia quem era, pelo menos no momento.

Ele me olhava com ódio, e não querendo aumentar isso, melhorei minha vibração e disse:
– Poxa meu irmão. Se quer energia, não precisa enganar, pelo menos a mim. Sempre que precisar, pode contar comigo, que EU lhe passo, mas não venha me enganar, isso é feio.
Esticando as mãos em sua direção, passei energias para ele. E então senti uma presença invisível ajudando(amparador).

Vi seus olhos fecharem, e adormecer.

Deixei ele lá mesmo, e pensei em voltar para o corpo.

Acordei imediatamente, sem perder nenhuma lembrança.

Meu corpo estava na mesma posição(Supina), e totalmente enrijecido(uma característica da projeção).

Ao levantar, ainda senti a entidade que estava invisível comigo, e também um banho energético, que aliviou a sensação que trouxe da projeção, que por um momento não foi nada amigável. Poxa imagine só? Sua mãe lhe abraça, e você repara que não é ela. E quando pede para sair, ela diz com voz grossa que não irá sair? É coisa de filme de Terror… Risos…

Mas se deixarmos o medo dominar nossa mente, tanto no momento, como sempre, jamais poderemos ser úteis. Seremos somente crianças imaturas, que ainda não entende de verdade, que o medo não nos leva a lugar algum. Maturidade e consciência é o que precisamos. Pois a maioria das entidades precisa de esclarecimento, ajuda e amor.

E podemos fazer isso.

Se vence o medo é com o amor!

Comments 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *