Espírito Deformado

Relatos, Relatos Saulo Calderon 2 Comments

26 de janeiro de 2010.

Um Espírito Deformado

Olá, amigos!


Esse relato aconteceu hoje à tarde.

Cheguei de salvador ontem, mas ainda estava muito cansado, então deitei sem pensar em projeção, queria apenas dormir.

Porém, pelo fato de passar a vida treinando técnicas, mesmo querendo simplesmente adormecer a carcaça “véia”, acabei entrando numa catalepsia que durou um bom tempo.

Durante a Catalepsia Projetiva, vi uma mulher se aproximar da cama várias vezes, até achei que era  minha noiva no começo, mas percebi que era algum espírito. Qual a sua intenção? Não sei!

Após um bom tempo na prisão cataléptica perdi a consciência.

Despertei fora do corpo inconsciente ainda. Estava com alguns papéis para tirar xerox. Procurava um lugar para isso. Achei estranho a aproximação de pessoas que eu não conhecia, mas  que parecia gostar de mim, parecia ter intimidade. Eu pensava: quem é esse povo me seguindo? Que chato, quero só tirar uma xeroxzinha e ficam me perseguindo. Mas eles gostavam de mim, eu que estava mesmo totalmente inconsciente até então.

Consegui fugir deles e achei, finalmente, o que me parecia ser uma gráfica. Entrei e apareceu uma das pessoas  que estavam lá, a qual me falou: “Saulo, quer ver uma coisa? Tem uma pessoa precisando de ajuda…”

Então, percebi que estava projetado e falei: caramba, estou fora do corpo querendo tirar xerox,  que horror… Vamos lá!

Fomos rapidamente para um tipo de ambulatório, era simples, mas bem arrumadinho, bem limpo e organizado o ambiente.

Entramos e antes de irmos para um quarto, no corredor, ela me disse: está mesmo pronto para ver? Falei: claro, vamos lá! (Olha que tenho uma certa experiência com espíritos, achei que não ia me assustar ou ficar impressionado).

O que vi foi muito difícil  na hora e não saberei explicar perfeitamente aqui. Nunca havia visto um espírito tão deformado assim. Era uma mulher, mas ela não tinha pernas, as pernas pareciam ter explodido e apodrecido. Somente um pedaço de pele ficava no lugar delas. O tronco era gordo e de cor pálida. Os braços estavam com os ossos aparecendo, não tinham dedos. Ela  levantou o braço na minha direção e o que eu vi foi um tipo de bico nas mãos. Os dedos todos se juntaram e formaram algo com uma unha gigante nas mãos.

O rosto era totalmente deformado e a cabeça parecia ter chifres. Tinha dois olhos amarelados gigantes, com contornos avermelhados. Ela olhava para mim, me chamando e pedindo ajuda, muita ajuda. Quando abriu a boca, foi o pior. Essa cena não irei esquecer jamais! Sua lingua tinha um olho! Não sei, nunca vi, nem li isso em lugar algum, mas da sua língua saía um olho igual aos outros. Era algo totalmente animalesco: ver três olhos me “Olhando”, sendo que um saía da língua dela. Não é uma coisa muito agradável de se ver definitivamente.

Ela precisava de ajuda, mas eu não tive coragem de chegar perto!

Peço desculpas pela narração forte, mas estou escrevendo e tentando demostrar exatamente o que vi fora do corpo, e é importante relatar isso, pois era uma pessoa que assustava muito devido a sua aparência, porém era totalmente necessitada de ajuda!

Por qual motivo aquela criatura havia ficado assim, não sei informar. Mas coisa boa não fez, com certeza. Seu estado mental provavelmente não estava nada bom, ou não tinha estado.

Recebi a sugestão de chegar perto, mas se fosse chegar perto de um ser desse aqui no corpo já seria quase impossível, imagine lá fora onde as emoções são extremamente mais fortes? Quem chegaria perto de alguém assim? Neguei a proximidade pensando: não vou lá e se ela me morder? Foi uma reação instintiva no momento. Na hora minha vontade era sair correndo em direção oposta.E se eu pegar alguma doença, pensava.

A minha consciência começava a querer apagar por causa do medo e do nojo mesmo daquela cena, era um monstro, definitivamente.


Mas, ela  me pedia ajuda, seus “três olhos” suplicavam ajuda, sentia isso muito forte.

Fechei os olhos e rezei em silêncio, falando com Deus de uma forma até engraçada: “Pai, eu vou lá, mas se ela me morder, me protege. rs

E fui, me ajoelhei e peguei no que era para ser a sua mão. Confesso que fiquei de olhos fechados, mas beijei as mãos. E depois beijei seu rosto.

Senti uma energia muito boa sair de mim. Não sei se foi plasmagem, criação dos mentores, ou mesmo uma transformação, mas ela melhorou sua aparência. Agora era uma mulher, ainda aparentando estar doente, mas já normal. Aquela imagem horrível havia se dissipado. Ela estava chorando, emocionada, feliz.

Percebi que ela parou de me olhar, como se estivesse com vergonha de algo, não olhava mais nos meus olhos.

Precisei sair, fui chamado para voltar ao corpo, mas chegando no corredor, de longe,  eu a via deitada na cama e perguntei: por que não me olha nos olhos?

Ela falou: tenho vontade de correr pra lhe abraçar, de ficar perto de você, nunca ninguém me tratou assim, ninguém nunca me abraçou, nem me tratou com carinho, parei de te olhar para não ir com você.

Sai dali emocionado e envergonhado de ter sentido nojo, mas o que poderia fazer?

Despertei. As lembranças chegaram rapidamente. Meditando na cama sobre o assunto, percebi que não tinha como me culpar. Era realmente algo muito feio.
Que ela me perdoe a sinceridade, mas era pior que o Chuck, misturado com Fred Gruguer e qualquer outro filme de terror, pois era realidade.

Não tinha como eu ir lá mesmo na hora. Se não fossem os mentores, que sutilmente me ajudaram, certamente, eu teria corrido, perdido a consciência e acordado pensando que havia tido um pesadelo.

A cada dia vejo o tanto que tenho que aprender e como andam os arredores de nós humanos. Esses são os nossos corredores da vida, são os reflexos do que somos.

Vamos lá, precisamos continuar a aprender.

Que nós, projetores, continuemos a praticar a projeção do amor, melhorando a cada dia o nosso jeito de ver a vida.

Agora há pouco, pagando uma conta numa lotérica, olhei para as pessoas ao redor e as achei todas lindas,as crianças,  os velhinhos, cada uma delas, um ser eterno,  uma consciência,  aprendendo e melhorando seu jeito de ser.

No fundo, o que é a aparência? Nada… Nada… Nada…

Muita paz…


Saulo Calderon

Comments 2

  1. Olá.

    Eu primeiramente peço desculpas se estou escrevendo isso em lugar errado mais.. Gostaria apenas de parabenizá-lo, por toda sua dedicação em replicar essas informações tão valiosas e por sua coragem. Eu sou novo no assunto, ainda estou lendo e aprendendo, e uma coisa que tenho muito é o medo de ver tais espíritos assim como você relata aqui.. Eu sinto demais, por vezes consigo enxergar.. mas a sensação do “sentir” pra mim é muito forte.. e realmente não sei lidar com isso, mexe bastante comigo.. Por fim, obrigado por disponibilizar as informações, e continue com esse grande projeto.. quem sabe um dia não nos encontremos neste plano.. Um forte abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *