Espiritualidade com Simplicidade

Saulo Calderon Informações 13 Comments

Espiritualidade Com Simplicidade.

Muita gente tem dificuldade em sentir aquela pulsação espiritual em seu coração.
Como achar motivação?
Qual o caminho?
Ouvir músicas calmas?
Acender incensos e manter a boa energia no ambiente?
A oração?
O evangelho no lar?
A alimentação?
A meditação?
Trabalhar em projetos assistenciais?
Manter algum trabalho espiritual?

A verdade é que vivemos numa busca constante pelo mantenimento da boa sintonia, da espiritualidade equilibrada em nós mesmos.
Mas qual seria o caminho mais tranquilo e equilibrado?

Cada pessoa no mundo enfrenta seus demônios internos e as dificuldades diárias em casa e pela necessidade do ganha pão, e é difícil equilibrar isso com a sua forma de ver o mundo, com a necessidade dessa busca pelo equilíbrio entre ser e ter.
Conviver com tantas crenças e descrenças, tantas mentes buscando tão diferentes rumos, por vezes desequilibrados, não é uma coisa fácil.

A pergunta que fica é:
qual seria o meio termo?

Um exemplo pessoal:
Ontem no velho DownMigo(pois a energia nessas dias cai mesmo), estava jogando futebol no XBOX por volta das 8 da noite quando comecei a sentir o ambiente mudar.
Tento não pensar muito nisso para não entrar na vibração, me mantendo mais ou menos inacessível pela ligação mental, mas tem horas que fingir ou fugir não adianta.
Continuei jogando e fazendo um pequena técnica de defesa. Sim, é possível equilibrar o lazer com o ambiente que vivemos, apesar de haver tanto bloqueio de origem religiosa sobre o que é certo ou errado, e estamos aqui conversando juntos sobre isso.
Quando minha esposa me chamou.
Chegando lá ela me falou que estava sentindo uma coisa estranha (ela é médium). Percebi claramente que havia alguma energia no ambiente. O tempo e os cuidados diários com as técnicas energéticas vão nos deixando sensíveis e mais ou menos conhecedores das modificações no ambiente.
Tentei relevar conversando, mas não era possível, o ambiente estava realmente diferente e não era por nossa causa.
percebi que a interferência era mesmo de alguma consciência e fomos para sala.
Nessa hora peguei o evangelho segundo o Espiritismo, é aí que moram alguns questionamentos.
No momento que li percebi que não concordava com alguns tipos de abordagens ali e pensei:
Devo continuar mesmo sem concordar exatamente como as palavras aqui escritas, ou devo deixar ele de lado e falar do jeito simples que vejo?
E foi o que fiz!
Larguei o evangelho de lado(estava lendo a passagem do CRISTO CONSOLADOR). Concordo que por sofrermos acabamos por ficarmos frágeis e necessitados a ponto de sequer pensarmos sobre o que estamos fazendo, só queremos melhorar, tal como o remédio amargo que nã sabemos a origem, só tomamos para que a dor passe! Mas esse tem sido um bordão constante inclusive de muitas religiões, onde através do sofrimento nos amortecem a consciência para não pensarmos ou questionarmos, só aceitarmos e pronto.

Sentados na mesa eu falei de forma simples:
Amigos espirituais, a verdade é que somos totalmente cegos e nessa jornada, realmente dependentes de ajuda, mas isso não quer dizer que não podemos fazer a nossa parte.
Temos consciência de que a repercussão das atitudes são de origem de nosso desequilíbrio, tanto de homens que aqui estão, como daqueles que saíram daqui com mais ou menos a mesma dificuldade emocional.
Eu me arrepiei totalmente.
E nessa hora percebi minha esposa praticamente mediunizada.
Dei um passe para ativar os chacras dela e facilitar a comunicação, caso fosse necessário. Lembrando que só fazemos esse tipo de união quando sentimos necessidade, eventualmente é necessário, haja vista a presença eventual de espiritos sofridos por perto.
Senti claramente uma entidade sofrida, dolorida.
Ajudei com energias e percebi que ele foi levado.
Em seguida um mentor pegou o corpo dela e aplicou um auto-passe.
E o ambiente melhorou após isso e voltamos para as atividades, incluindo eu pro Xbox!

O que ficou também é a questão:
Até onde podemos fazer a nossa parte sem a lucidez e compreensão do que realmente acontece nos bastidores e mantendo a simplicidade da vida?
A maioria parece fazer divisão:
Agora eu vo meditar..
Agora vou pro trabalho…
Agora vou me divertir…
E é como se houvessem dois momentos diferentes!

A verdade é que nesse momento enquanto lê esse texto você está no mundo espiritual!
Cercado de espíritos, incluindo os encarnados.
Para muitos pensar isso é fanatismo, eu diria que é realidade!

Quem quiser ver com simplicidade a espiritualidade não pode esquecer que a todo momento está no plano espiritual. A diferença é que andamos como que Zumbis, num Walking Dead inconsciente, onde todos estão sedentos por TER e poucos param para olhar para o lado e menos ainda chegam na compreensão lúcida disso no corpo físico.

Você pode usar todos os recursos que quiser para sentir sua espiritualidade, meditar, acender incenso, melhorar a alimentação, fazer exercícios, etc…
Mas o que vai fazer a diferença de verdade não é somente um pequeno momento, mas a média da sua ligação interna com você e com a espiritualidade, a forma como enxerga tudo isso ao seu redor.
A consciência real de onde está e o que é cada pessoa ao seu lado, no trânsito, trabalho, internet, na rua e inclusive dentro de casa. E manter o equilíbrio em tudo isso, trabalho, lazer, relacionamento, etc.. etc. Tudo isso é espiritualidade.

Eu falo isso para mim mesmo:
Se quiser adquirir melhor lucidez lá fora, comece olhando aqui e agora!

Pergunte-se agora:
Onde estou?
Quem são essas pessoas que estão ao meu redor?
O que faço aqui?
Posso fazer algo por elas, mesmo que de forma sutil?

Respostas:
– Você está no plano espiritual físico!
– Essas pessoas são espíritos encarnados, a maioria inconsciente e passando por processos e dificuldades espirituais incontáveis…
– O que faz aqui talvez não saiba, mas pode estar lúcido e consciente que está aqui e que pode sim fazer e dar o seu melhor.
– Não há lugar nem momento melhor para ser útil do que agora. Agora é uma excelente oportunidade para olhar com lucidez ao seu redor!

E seja você… mesmo que totalmente diferente da maioria.
Muita gente se conflita por não achar nessa ou naquela religião a base que procura.
Você pode criar a sua forma de conectar, de sintonizar e sem se conflitar.
Questione sempre, mas não faça desse questionamento uma culpa ou um conflito.
Não existe lugar ou livro certo, existe é o momento e a forma com que você se conecta com a sua espiritualidade.
Use como base as perguntas:
Estou fazendo mal a alguém?
Estou fazendo mal a mim mesmo?
Se a resposta for não, siga em frente e VOE na sua sintonia!
E assim estará mais perto de si mesmo, e consequentemente de uma boa sintonia espiritual.

 

Saulo Calderon
Recife 29 de Abril de 2013

Comments 13

  1. Saulo, realmente a simplicidade é a chave da felicidade, não é sinônimo de mediocridade, e sim de espiritualidade.
    Estou no audio 7 do curso avançado e gostaria agradecer infinitamente por disponibilizar esse material e, acima de tudo, por sua disponibilidade para criá-lo. Apesar de estar no curso avançado e ter lido bastante sobre o tema há alguns anos, sou ciente da minha falta de experiência e imaturidade, porém realmente muito feliz por desejar evoluir, nem que seja só um pouquinho, ainda nesta passagem.
    Um forte abraço e, mais uma vez, MUITO OBRIGADO, foi um grande prazer “conhecê-lo”.

  2. Sempre tive essa consciência, mas o “aqui e agora” é que é difícil. Tento sempre busca a espiritualidade em tudo!por vezes perco a paciência, me estresso com facilidade e com pequenas coisas, mas sei que estou fluindo rumo a minha evolução! Tentando buscar sempre essa consciência…para poder ajudar a quem precisa!! Inclusive “eu”!!!

  3. Ótimo texto, faz com que reflitamos realmente qual é o nosso lugar no mundo como espíritos encarnados que somos e o que podemos fazer para nos ajudar e ao próximo e sem culpa por não estarmos seguindo essa ou aquela religião e sim vivendo de acordo com nossos princípios e idéias, o importante é nos sentirmos bem. Abraço amigo.

  4. Muito muito muito bom texto! Nos faz refletir e pensar o porque de estarmos aqui! Lembremos sempre de colocar estas dicas em prática no dia a dia, não tem nada melhor do que ajudar os outros e assim se sentir bem, ajudando a nós mesmos!

  5. Muito bom o texto, vou copiar e colcar no Word para guardar.
    O sistema faz uma grande pressão para que nos sintamos culpados em não seguir esta ou aquela religião.mesmo hoje em dia, embora a pluralidade de religiosidade tenha melhorado, ainda existe uma pressão grande para nos enquadrarmos nas religiões convencionais.
    Estes questionamentos:
    Estou fazendo mal a alguém?
    Estou fazendo mal a mim mesmo?
    São bem pertinentes de nos fazermos dentro de nossas crenças, conexões com o espiritual diariamente.

  6. oi Saulo,
    muitas vezes tive que parar a leitura do Evangelho Segundo o Espiritismo pois o achava muito duro em sua linguagem e discordar de algumas abordagens que foram necessárias em 1900, mas que hoje necessitam de nova roupagem.
    Sei que serve muito bem para muitos, mas pra mim faz tempo que o deixei de lado… Teitei voltar muitas vezes, mas nao consegui ainda… e é provável que não volte. A Verdade esta em todo o lugar não precisamos ser rígidos quanto ao livro de estudo.
    Porque tem que ser o Evangelho? Talvez em alguns momentos sim, em outros não. Obrigada, quando estamos meio sozinhos em uma busca é sempre bom acharmos pessoas com as quais identificamos e que veem a vida de uma forma semelhante. Isso reforça o que a intuição me diz sempre. Pelo fim da religião e pela busca da religiosidade. Boa sorte amigo. Luz pra vc e sua companheira.

  7. Saulo muito Obrigado por compartilhar sua visão conosco!
    Seus textos são muito elucidativos e acredito que eu não sou o único a receber aquele “puxão de orelha” que me traz de volta a realidade quando eu os leio. Obrigado, fica em paz =D

  8. Eu assisti o primeiro comentário iniciando o preparo da mente que me deixou interessado para continuar. Eu sou um estudante Rosacruz e já estou avançado, mesmo assim quero segui-lo, não para comparar mas para aprimorar mais o meu conhecimento e saber mais nos próximos videos. Como início lhe dou os parabéns.

  9. Olá Saulo,
    Muito bonito seu texto. O que me tocou nele, como em todo o seu projeto, é justamente a simplicidade das palavras, ditas de coração pra coração. Muito obrigada!
    Gostei de um pedaço onde você questiona uma coisa que eu também venho pensando ultimamente e que tem sido meu desafio: há um momento específico, devemos “setorizar” nossas vivências [meditar agora, ir pro trabalho agora, ah agora vou me divertir] ou todo momento é momento para cuidar da espiritualidade, da diversão e do dever?
    Abraços!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *