Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard

Popular Content

Showing content with the highest reputation since 03/16/2024 in all areas

  1. Só fiz isso umas duas vezes e também não vi nada.
    2 points
  2. No meu caso eu só sinto... mas é muito mais forte do que quando estou acordado. O corpo astral vibra com muita força.
    2 points
  3. 1-Eu também nunca tive paralisia alguma. 2- Mas exceto por umas três projeções, as minhas projeções são do mesmo realismo que o físico ou maiores. 3- Mas sim, de fato, se você estiver meio acordado a experiencia será meio irreal, parece só uma imaginação que está se comportando de forma mais realista, não bate aquela sensação de estar de fato lá, presente. Mas justamente numa dessas aí eu obtive uma das tão raras comprovações, então não é que afeta a qualidade a experiência, no sentido de obtenção de dados reais, o que afeta é realmente o link, voce fica lá fora, andnado na rua, mas sentindo-se deitado na cama e observando aquilo e pensando "nahhh, não pode.. isso aí não é real, não tem como", ehehe. Meu eu projetado batia as palmas das mãos astrais com força batia no meu prÓprio corpo astral, para sentir a solidez, aquela sensação de estar lá deitado na cama apenas observando imagens não passava, foi bem estranho. Foram só duas ou tres vezes isso. Nas primeiras eu abortei e reiniciei, porque achei que não eram prjeções de fato. Só na última que me convenci que era real, pelo fato de ter obtido uma comprovação. Mas desanima o iniciante se ele achar que "é só isso". Mas e aí o que é que você está chamando de sonhos lúcidos? Aqueles que você já estava sonhando e então desperta a lucidez no meio da situação? Porque nesse caso é porque o corpo já tinha apagado totalmente né? Deu tempo suficiente. Agora, eu não tenho paralisia, mas eu apago muito rápido. V´rias vezes já acionei o cronômetro quando fui meditar, sentado assim, que não é a posição mais confortável do mundo, e quando a cabeça cai no primeiro cochilo , eu olho o relógio e sempre é aos 5minutos, eheh Então deitado já viu né? Então mesmo sem ter catalepsia, acho que se o corpo apaga rápido isso ajuda na qualidade da percepção, porque as minhas projeções sempre foram HD. (as do final da madrugada, as do início, entre 22h e 2 h da madrugada, são mais "sombrias" mesmo.) Mas isso tudo parece estar relacionado sim com qualidade do sono frequências cerebrais, grau de relaxamento. Quando você começa a praticar é que você descobre que... ninguém sabe nada ainda, kkkkk. Quando ocara não se projetou pega um livro aqui um relato ali ,acha que todo mundo sabe exatamente o que está fazendo. Mas é só você começar a fazer e vê que as perguntas vão se acumulando porque as possibilidades são inúmeras, as combinações entre os fatores também e a chances para repetir e retestar as mesmas condições são raras, porque cada projeção é diferente da outra, mesmo as que aconteceram na mesma noite. Sim é a mesma coisa que explico sobre o alvo mental como explico lá no tópico POR ONDE COMEÇAR. Você traz de volta a memória do que estava fazendo, às vezes basta isso e já começam a brotar as vibrações do EV projetivo. Então basta continuar focado nos DETALHES que lembra de quando estava lá, a partir do PONTO DE OBSERVAÇÃO QUE ESTAVA, que as vibrações aumentam até você ser teletransportado para lá de volta. Mas se conseguir usar um "movimento de câmera", como quem olha para os lados ,devagar, prestando atenção no movimento da cena, isso aumenta muito as chances PORQUE exige mais concentração CRIAR essa movimentação com a imaginação, para que seja algo realista. É o esforço de atenção que te puxa para lá de volta.
    2 points
  4. O plano fisico é alterado pelo trabalho material dos encarnados. O plano astral é alterado pela mente dos espiritos. São planos com propriedades diferentes. Mesmo aqui no físico você percebe que nem todos enxergam a mesma realidade material, porque as crenças, os paradigmas, afetam a LEITURA dos inputs sensoriais. Você vê isso muito na midia: enquanto uns enxergam " fulano espancado até a morte por seguranças do shopping (ou por reclamar do preço da carne) outros enxergam " morreu após ser imobilizado, ou "após tomar um único soco e ao cair bater a cabeça". E ficam brigando na internet por algo que foi devidamente filmado mas algumas pessoas enxergam mais suas construções mentais ( interpretações) do que os fatos crus registrados em vídeo. Se no físico isso acontece, no astral é pior, claro. No astral você olha um espirito e por um segundo acha que ele é a cara do Tom Cruise... ferrou, aquela "cara de Tom Cruise" não descola mais do rosto dele, mesmo que ele te fale que não é e que você aceite que não é, já era, vai seguir vendo aquele rosto, eheh. Isso cria dificuldades na exatidão, mas não transforma TUDO que você experimenta numa ilusão. É importante que você esteja sempre consciente durante a projecao dos seus processos mentais, assim você consegue detectar quando o que está percebendo é apenas RESPOSTA do plano astral a algo que você pensou. Se não estiver consciente do que sua mente está fazendo aí sim vai emendar uma ilusao na outra sem parar. Como muitas coisas na área da espiritualidade, a projeção também exigirá auto-conhecimento. https://www.viagemastral.com/forum/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/?do=findComment&comment=74048
    2 points
  5. Sim, se nao me engano é o Cesar Machado, no livro sobre o Estado vibracional, que atribue ess técnica a um livro chines chamado o Segredo da Flor de Ouro. Eu chequei mas a meu ver entenderam errado o texto, que parecia, aos meu olhos, se referir ao processo de elevar a enerfia do chackra básico ao chackra da coroa, mesma idéia do despertar do kundalini. Mas do jeito que o waldo entendeu o textto a técnica funcionou para alguma coisa, entao a gente segue usando. Depois eu vejo se localizo os trechos dos livros citados.
    2 points
  6. Acho que a primeira coisa que temos que ter em mente é que pelos vídeos dá para perceber que trata-se de uma opinião que foi solicitada. Ou seja, todos nós temos opiniões sobre tudo, mas nem por isso ficamos jogando elas por aí, como se estivéssemos seguros de que nossa opinião é a mais certa de todas. É diferente quando você se dedicou muito a investigar aquilo e levanta uma “bandeira”, faz uma campanha de divulgação da sua visão, porque você acha que sua opinião está muito bem embasada e que os demais estão cometendo erros óbvios e precisam ser esclarecidos. O que aparece logo no início dos vídeos é que ele está fazendo os vídeos porque ficam perguntando isso para ele, assim como me perguntam aqui coisas que, se ninguém perguntasse, eu nunca me manifestaria. E por que? Porque é só uma opinião, porque todos temos PREFERÊNCIAS emocionais e intelectuais de crenças, em função do processo educativo de cada um nesses assuntos. Eu tenho liberdade para formar essas opiniões que podem contradizer grandes tradições religiosas e espiritualistas, mas daí a expô-las como se fossem “A Verdade” e afirmar que essas outras visões estão erradas, seria infantilidade. A menos, claro, que “seu trabalho de toda vida” seja investigar isso. Mas aí vem um e pergunta, vem outro e pergunta... aí o cara se vê pressionado a falar o que pensa, algo que nem a gente mesmo botaria a mão no fogo por aquilo, embora seja nossa opinião ATÉ O MOMENTO. Me parece que foi o caso dele aí nesses vídeos, acabou sendo pressionado a falar, porque claro, a gente sabe que a opinião de alguém com mais estrada numa área vale mais do que a do novato, que nem tem opinião, tem só um emaranhado de dúvidas e nem sabe por onde começar a refletir sobre aquilo. Então a gente até fala a opinião da gente mas... não é um bandeira, não é uma tese comprovada por nós mesmos, não é ainda uma posição totalmente fechada. É importante compreender isso, que muitas vezes quem está respondendo a perguntas acaba falando “bobagem” porque foi pressionado a falar algo. Eu vejo muito isso nos vídeos do Waldo Vieira. Ele é obviamente uma pessoa que conheceu e viveu muito da espiritualidade, muito do que ele fala é experiência de primeira mão. Mas ficavam perguntando de tudo para ele e la pelas tantas ele ficava só emitindo opiniões tolas sobre assuntos que ele desconhecia totalmente, repetindo mentiras que difamadores publicaram em livros sobre outros espiritualistas famosos, e pro fim todo tipo de tolice sobre assuntos comuns, que qualquer pessoa hoje medianamente informada sabia melhor que ele, como vegetarianismo ou política. Se ele apenas falasse do que achava melhor falar talvez essas bobagens nunca tivessem sido ditas, mas o cara está ali, disponível para perguntas, então como vai se recusar a responder ? É difícil. Então tudo isso até aqui só para dizer que não é porque o sujeito responde a um questionamento repetitivo que lhe fazem sobre um tema espinhoso, que aquela resposta está bem fundamentada até para ele. Dito de outro modo: se pedissem para ele escrever um livro de 300pgs somente sobre esse tema, mostrando por que as visões espíritas estão erradas e porque a visão do Bardo Thodol estaria certa ele provavelmente não faria, porque provavelmente ele reconheceria que não tem como demonstrar isso, logo, não tem como DEFENDER seu ponto de vista. Pode opinar, pode dizer “segundo o budismo...”, mas isso é apenas informação sobre uma tradição cultural, não é uma afirmação sobre um fato que consiga derrubar demais afirmações. É por isso que eu criei AQUELE TÓPICO sobre a morte e o pós-mortem e as visões de diferentes autores sobre isso. Porque dá para ver lá que há pontos de coincidência entre eles mas há pontos de divergência. Um autor foca mais numa etapa do processo, outro em outra etapa diferente. Creio que para quem se interessa pelos fatos tem que entender que isso é mais como ciência, não como religião. Não faz sentido alguém se apegar a uma revelação construída há séculos atrás por quem tinha condições de investigar, se nesse meio tempo já nasceram pessoas que investigaram isso e detalharam melhor ou investigaram mais a fundo. Mas apesar desse suposto avanço do conhecimento, sempre tem que levar em conta que cada um só consegue investigar as coisas dependendo do seu próprio nível de desenvolvimento. Ou seja, entre as projeções astrais de um “Mestre Iluminado” e as projeções astrais nossas aqui, é óbvio que as projeções astrais de um “Mestre” poderão descobrir “A verdade” com menos distorções da mente do que as nossas projeções. É só recordarem o surto de terraplanismo que tivemos há pouco para ver que “tenha suas próprias experiências” não encerra o debate nem mesmo nos assuntos materiais. A qualidade dos resultados da experiência sempre vai depender da capacidade de cada investigador. Para evitar esses erros a ciência tem o método científico, mas a espiritualidade só tem o desenvolvimento consciencial individual, algo que não pode ser provado e depende da autoridade atribuída a alguém, em geral, por seus seguidores. É só lembrarmos do caso do João de Deus antes... e depois, para perceber como essa autoridade é frágil. Então como isso tudo se aplica nesse tema aí dos vídeos? Você tem tradições bem antigas, relativamente uniformes quanto à visão da vida após a morte, que parecem atribuir à consciência humana no pós mortem um estado de mera “latência” ou “potencialidade” (estado de sonho, de espera, de falta de individualidade), e a visão espírita, que é uma construção teórica e "revelada" em cima dos fenômenos que sempre foram observados desde sempre na história da humanidade, pelos relatos folclóricos de fantasmas, pela consulta a necromantes, a oráculos..... Logo, é uma divergência que na verdade sempre existiu entre a percepção popular sobre esse fenômeno e a percepção instruída, das religiões, dos iniciados, etc. A própria Bíblia tão enfática em afirmar que existe um abismo que separa mortos dos vivos, e que portanto não há possibilidade de comunicação (parábola do pobre Lázaro, Lc 16: 19-31), relata a comunicação acontecida no caso da Necromante de Endor (1Samuel 28:5-7). Os crentes, para lidar com essa contradição tentam ou alegar uma exceção, ou tirar leite de pedra fazendo análise das palavras para alegar só apareceu alguém com “aparência de” Samuel e não próprio Samuel. Ora, se há espaço para exceção isso já mostra que a negativa sobre essa POSSIBILIDADE é falsa. A afirmativa “este vidro é à prova de balas” é falsa se uma única bala atravessá-lo. “Ah mas era um AK-47!”. Ok, então não diga que é à prova de balas, diga que é “à prova de balas até o calibre tal apenas”. Além disso se admitem que isso só aconteceu “porque Deus permitiu”, quem te disse que Deus não chutou o balde e abriu a porteira 3mil anos mais tarde, no final do século XIX, com o surgimento do espiritismo?? Como saberíamos? Por uma “atualização da revelação divina”, “a nova revelação”, “o quinto evangelho”, que me parece seja o que o espiritismo tenta se apresentar. Obviamente os defensores da tradição jamais aceitariam isso. Afinal a Bíblia teve sua escrita encerrada lá no apocalipse. Não, opa... O cristianismo é uma seita rejeitada pelo judaísmo, então acho que é mais sensato considerar que ela terminou de ser escrita no velho testamento, pois o NT já foi uma “atualização” rejeitada pela sua própria tradição. Mas ok, somos uma cultura cristã, não judaica, então vamos fazer de conta que a atualização do NT foi aceita pelo seu tronco original e sigamos daí: o NT fecha as portas e não aceita mais novas atualizações. Só que é por essa atitude que o NT nem existe para os judeus e Jesus não foi nenhum Messias para eles. Então como cristãos poderiam defender essa atitude? É um padrão de mentalidade tipo “reserva de mercado”. Parece vir de grupos que querem entrar naquele mercado para explorar a possibilidade mais depois tentam bloquear a entrada de novos grupos da "concorrência". Por qual razão alguém minimamente racional levaria a sério esse tipo de postura? E essa é exatamente a postura de todo “defensor de tradição” Então notem que o que regula isso de tomar uma tradição antiga como autoridade sobre um assunto parece ser meramente um apego à aceitação coletiva, um desejo de segurança que prefere aquilo que muitos repetem há bastante tempo, do que algo que surgiu a menos tempo e tem menos seguidores. É uma escolha de conformidade social, não uma escolha pela Verdade. É a velha oposição entre conservadorismo e progressismo, porque tem gente que pressupõe que toda novidade significa avanço, progresso, enquanto outros pressupõem que aquilo que já foi repetidamente aceito e consagrado pelo uso é sempre superior ao novo. Não há saída racional para isso, é uma escolha enviesada pelo traço de personalidade de cada um, não é uma fria busca pela verdade. E como buscamos a Verdade? Em geral ou pela especulação filosófica ou pela investigação científica. A investigação filosófica parece acreditar que nossa capacidade de raciocinar pode chegar às respostas verdadeiras. Ao meu ver parece que quando perceberam que a filosofia não tinha respostas úteis a oferecer, criaram a ciência, para poderem finalmente testar as hipóteses e separar as fantasias do que eram ,de fato, respostas reais. Mas para isso a ciência precisou criar métodos e instrumentos, instrumentos que agem como extensão dos nossos sentidos: medem sentem enxergam mais longe e mais profundamente que os nossos sentidos mas...é apenas isso: investigação pelos sentidos. Exatamente por isso sempre há falhas, de captação de dados e de interpretação, daí que entra a estatística, para tentar eliminar os dados que confundem e ficar com os que predominam e sugerem uma resposta. É limitado, em termos de busca pela verdade, mas é o melhor que temos por enquanto. E o que essas tradições antigas afirmam é fruto do que? De filosofia ou de investigação dos sentidos? Pelo que notamos na historia do pensamento ocidental todas as afirmações antigas são fruto da especulação filosófica, meras deduções cada vez mais profundas e intrincadas sobre a natureza da verdade. O fenômeno da “revelação divina” quebra isso, claro, porque aparece um “elemento externo ao sistema” e informa: “as coisas são assim ,assim e assim”. Mas depois vai embora, e o que resta aos demais é retroceder para a filosofia e especular em cima daquilo, o que depois receberá o nome de Teologia e costuma ser uma produção muito mais volumosa que a “revelação”. Em geral quem é “seguidor de tradição” é apegado às teologias. Já no oriente parece ser diferente, pelo que entendo, porque a tradição yogue é mais “científica”, mais focada em investigar as coisas diretamente, seja através das práticas físicas, seja a partir do parapsiquismo que venha a surgir o caminho. Pelo que me lembro (eu li quando tinha 15 anos, lááá...nos anos 80, então minha memória pode me trair) o Bardo Thodol foi construído peal elaboração investigativa de yogues avançados, que puderam investigar toda a rota dos momentos da morte até o renascimento e isso foi registrado. Ou seja, supostamente parece uma crença mas é algo mais experimental, algo “moderno”, dentro dessa oposição filosofia x ciência, portanto, apelas muito mais à nossa mentalidade ocidental do que afirmações bíblicas, que parecem ter muito mais uma finalidade pedagógica, se educar as massas sobre procedimentos, do que revelar a verdade sobre qualquer coisa. Porém, eu noto uma certa dificuldade dos orientais com o que chamamos de “realidade”. Eles tem uma percepção bem errada sobre o plano atsral, considerando ele um tipo de "mundo dos sonhos", algo só mental. Então tem lá ensinos sobre a yoga dos sonhos, mas todo o tratamento da questão sempre enxerga esse mundo dos sonhos como apenas mental ,algo que só existe dentro da sua mente, o que é um erro grosseiro. Se fosse assim seria impossível obter comprovações das projeções. Mas aí eles saem dessa, pelo que entendi até hoje, alegando que todo os planos, até este físico, são ilusórios, como sendo frutos da mente, e isso complica desnecessariamente o entendimento. Se é verdade que quando olho uma cadeira a 5metros de mim essa cadeira, e esses metros só aparecem para mim como um reflexo interno (a cadeira não está dentro do meu cérebro, eu só capto a imagem na retina, invertida, e o cérebro a inverte de novo, etc), toda a minha PERCEPÇÃO do mundo exterior é fantasmagórica, é miragem, é reflexo, e isso me impede de descobrir A VERDADE real sobre o universo que me cerca. Ok, porém..... Mesmo cada um de nós sendo apenas capaz de perceber uma “miragem da verdade”, podemos todos concordar sobre quase todos os pontos dessa miragem, o que PROVA que essa miragem é razoavelmente fidedigna em relação ao universo material REAL que existe fora de nós. Se não fosse assim a ciência seria incapaz de estudar os fenômenos e PREVER sua ocorrência. Seria impossível calcular a resistência que uma ponte tem que ter para aguentar a passagem dos carros e as marés. Teríamos construído barcos e eles teriam voado como aviões, teríamos construído aviões e talvez eles não saíssem do chão, ou pudessem ser usados como barcos. Como isso não acontece podemos com segurança afirmar que ou não estamos inseridos num plano ilusório, fruto da nossa mente, ou que as miragens que nossa mente capta através dos sentidos é razoavelmente fidedigna, de modo que essa “ilusão” SE COMPORTA COMO REALIDADE CONCRETA DE IMUTÁVEL para tudo que importa na nossa vida. E se para os orientais esse nosso plano, já definido acima como NÃO-ilusório, é só mais um dos vários planos ilusórios, então o inverso também é verdadeiro: tratar o Bardo como sendo um mundo de ilusão dentro da mente seria igualmente errado. Ele seria TÃO REAL QUANTO nosso plano físico, ou seja, uma ESPAÇO exterior à mente do observador, uma “dimensão”, com suas leis a física próprias obviamente diferentes ou não teria razão de existir. Se existem planos diferentes eles tem que necessariamente possuir propriedades diferentes, caso contrário um só plano daria conta de tudo no plano da criação. Daí que surgem as complicações, porque se concordarmos até aqui que o sujeito observa o plano no qual está inserido a partir dos seus sentidos e percebe a si mesmo como diferente daquilo que é observado, sua percepção desse plano é LIMITADA pelos sentidos de percepção e pelo nível de consciência que possui. Sobre os sentidos, todos sabem, por exemplo, que o cego não enxerga o mundo ao seu redor, e se for surdo também não ouve, mas isso não o protege de ser atropelado na rua exatamente porque a realidade externa existe INDEPENDENTEMENTE da mente do observador. Já o daltônico poderia ter problemas com o semáforo. Já sobre o nível de consciência, SE NÃO ME ENGANO a criança recém nascida parece não possuir uma clara distinção entre seu Eu e o mundo observado, porque ela sabe que se chorar recebe alimento e conforto. O mundo exterior responde às suas dores e manifestações. Ela só vai aprender essa distinção mais tarde, em algum momento do crescimento, quando começar a deixar se ser atendida pelo que a cerca. Também o esquizofrênico tem dificuldade com essa separação, pois acha que as pessoa da TV estão falando PARA ELE ,que os textos em jornais e revistas são recados PARA ELE. Logo, a correta percepção do mundo exterior depende da correta avaliação dessa separação entre o que se passa no seu universo INTERIOR e o que se passa no seu universo EXTERIOR. Por isso, quando nos “identificamos”, perdemos a correta percepção da realidade. Ou seja, quando deixo de perceber a mim mesmo como separado do que me cerca, passo a reagir ao que me cerca de forma mecânica, automática, falando ou fazendo o que não faria se estivesse com a auto-consciência ativa o suficiente para LER A REALIDADE de forma correta e portanto REAGIR DE FORMA CORRETA a ela. E auto-consciência é uma conquista pessoal, busca pela evolução voluntária, a natureza não nos entrega isso de bandeja. A natureza quer que sejamos apenas máquinas instintivas. A natureza, em todos os seus planos, está ali funcionando e produzindo estímulos, e nós, se não tivermos auto-consciência, responderemos a esses estímulos como uma pequena engrenagem é movida pelo conjunto do maquinário. Só sai disso quem luta contra essa reatividade sem autoconsciência. A grande questão que eu vejo nessa discussão sobre o pós-mortem é se nosso nível de consciência sobrevive à morte. Porque o que o Alsibar fala ali, que é a visão oriental, é que ALGO continua, ALGO reencarna, mais que isso não é mais aquele EU de antes , porque aquele Eu era apenas um bloco de memórias, e isso é, digamos...zipado e guardado no “arquivo morto” do nosso Espírito, que então emanará uma nova manifestação aqui no físico e construirá um novo bloco de memórias, um novo Eu, sem relação com o anterior. É a mesma pessoa de antes? Sim e não. Sim porque é o mesmo núcleo espiritual original que através de diferentes encarnações vai experienciando um caminho de aprendizado. A “matéria bruta” espiritual é a mesma que retornou. Mas é a mesma personalidade? Não, porque o bloco de memórias que a caracterizou na vida passada agora será substituído por um novo, construído com outros estímulos durante a vida, e o resultado é que o soldado da vida anterior pode agora ser um fabricante de cachimbos de durepoxi que vende suas tralhas na rua, ehehe. Terá outro valores, outros interesses, outros amores. EM TESE.... Se essa personalidade (bloco de memórias) de uma vida será substituído por um novo, qual esperança de durabilidade ela terá no estágio entre encarnações? Me parece que é fácil de perceber que esse bloco de memórias irá se apagando gradativamente entre uma vida e outra, até pela falta de reforço desses traços. Você pega um investidor de Wall Street e joga numa ilha deserta por 30 anos. Vai sobrar o que do que ele era? Novos estímulos, novas adaptações. Algo sempre restará, é claro, mas percebem? Nosso personagem usado aqui só tem serventia para esta encarnação. Uma vez desencarnado esse personagem terá que ser abandonado. Mas esse personagem é nosso EU?? Ele fala ali que nosso EU é um bloco de memórias. Há uma confusão de termos nisso, me parece. Ele mesmo admite que esse bloco de memórias é estocado guardado. Então se você considera que nosso Eu antigo são essas meórias, esse eu antigo não deixará de existir. TANTO É QUE quando um projetor ou mesmo um médium encontra um espírito que o conheceu de outras vidas, sua aparência astral daquela vida tende a ressurgir no seu corpo astral. Assim como antigas emoções podem despertar. Logo, nada de fato deixa de existir, e é exatamente por isso, para consertar esses “blocos defeituosos de memória” que reencarnamos. Então: algo continua, mas algo é novo. Também sabemos pelos casos de regressão ou investigação psíquica que as pessoas tendem a procurar reencontrar os mesmos parceiros de antes, casam de novo com antigos cônjuges, são mortas de novo pelos antigos adversários... ou invertem os papéis. Portanto, muito mais continua de uma vida anterior para esta do que talvez gostaríamos que continuasse. Esse bloco de memórias não fica enterrado tão fundo assim, segue definindo rumos da nossa vida, atrações, fobias,.... e COMO CONSEQÜÊNCIA o EU atual não será TÃO diferente do anterior. Mas isso tudo nos informa sobre duas ENCARNAÇÕES diferentes, e o assunto é O QUE OCORRE ENTRE as encarnações. Acho que até agora daria para concordarmos que talvez exista uma boa continuidade entre o EU da via anterior e o da atual, porque ambas as encarnações acontecem aqui. Ou seja, esse bloco de memórias é visto como algo meio sem importância quando estamos falando do pós-vida, mas voltaria a adquirir importância quando a pessoa reencarna. Nesse caso então poderíamos admitir que esse EU seja inadequado para funcionar fora do plano físico, e poderia ser disso que se fala quando as antigas tradições afirma que o sujeito está inconsciente no Bardo. Eu diria que essa hipótese é até razoavelmente empírica, basta ver o que rola aqui no gva: as pessoa tentam se projetar e... apagam. Isso favorece a idéia de que a consciência individual precisa de um corpo físico para que ela se perceba como consciência ,como individualidade. Daí que concluir que a auto-consciencia que não resiste ao transe do sono também não resistirá ao transe da morte é uma DEDUÇÃO natural. E é essa a dedução que o Gurdjieff faz no “Fragmentos...”, quando se propõe a responder qualquer pergunta que o Ouspensky fizesse a ele. Faz sentido? Faz, mas é falso. Justamente a projeção te permite comprovar que o apagamento da consciência ao cair no sono nem sempre é fruto de apagamento consciencial, mas de apagamento de memória. Você tenta se projetar, apaga nas tentativas, de manha conclui que não se projetou. Depois do nada a memória das projeções voltam durante o dia, e você percebe que teve uma ou várias. Já relatei isso aqui. Inclusive num dos casos eu tinha até acordado e gravado o relato no gravador, e depois fui dormir e esqueci de tudo, esqueci ate que tinha gravado! Foi quando fui preparar o gravador para deitar na noite seguinte que percebi que havia três gravações nele. Além disso temos a situação em que você pode encontrar outra pessoa, ela te falar algo, no dia seguinte ela não lembra de ter nem sonhado com você, mas o que ela te falou na projeção era real (algum evento que estava acontecendo na vida dela, alguma preocupação). Portanto, a dedução de que o nível de consciência que apaga na passagem de uma plano para outro permanecerá apagado por todo o tempo de permanência lá é simplesmente errada. E todas as deduções que partam dessa premissa estarão, por conseqüência, erradas. Daí que no nível da investigação pessoal você encontra no astral imediato, próximo do físico, espíritos que não sabem que morreram, espíritos que sabem, e espíritos que estão encarnados. Alguns desses podem ser só blocos de memória ambulantes? Talvez. Mas esse blocos de memória não são o que constituiria seu EU??? Os médiuns estariam invocando apenas seus blocos de memória? Mas esses blocos estão soltos por aí como balões de hélio ou estão vinculados à psique do espírito, tanto que podem ser acessados numa regressão de memória? Parece meio óbvio que essas coisas ao inseparáveis, o que não quer dizer que cada parte seja o TODO. Observe sua vida, você conviveu com alguém próximo áte os 10 anos de idade, depois a vida tomou outro rumos. Agora com 30 você reencontra essa pessoa na rua. O que acontece quando se falam? Você perceberá que enquanto conversa com aquela pessoa você de meio que “volta a ser”, internamente, quem era quando tinha 10 anos. Talvez isso seja mais perceptível para quem sofreu trauma, torturas ou algum abuso a infância, mas isso acontece também co boas memórias. Então supor que quando você “invoca blocos de memória” só virá um bloco informacional, sem que implique uma conexão como o espírito possuidor daquele bloco instalado nos arquivos de sua própria psique, parece meio forçado Na gnose falamos em personalidade (é o mais parecido que conheço com essa idéia de “bloco de memória”), o ego (a mente fragmentada, a estrutura psíquica múltipla, que possui dentro de si a essência) e a essência ( um fragmento do Espírito, que não encarna). As personalidades tem aparência de espíritos, são os “fantasmas”. É o espírito do suicida que está sempre se atirando da ponta, se enforcando e tal. Ele não te enxerga, não sabe que se passaram décadas, não pode ser expulso dali por banimentos, não pode ser levado a um hospital do “Nosso Lar”. É só um “eco” energético de forma antropomórfica, visita os mesmos lugares que esteve em vida, as vezes fica morando na mesma casa em que faleceu, assombra os caroneiros na estrada como aqueles relatos de uma moça de branco que pede carona e tal...e depois some. Não é um “espírito sofredor”, é um “conjunto de respostas automáticas”, desprovido de inteligência. Outra coisa é o espírito do desencarnado que ainda percebe a si mesmo como aquele sujeito que faleceu. E outra ainda é o espírito que já olha para suas personalidades do passado e não se identifica mais com elas. Isso é o que as experiências de investigadores atuais, projetores e médiuns, constatam. Afirmar que essas constatações sejam ilusões para favorecer afirmações antigas, que parecem sim ter parcelas de verdade porém parecem referir-se apenas à etapas especificas do estado pós-mortem seria tentar forçar demais barra. Não há justificativa alguma, além da preferência emocional por uma doutrina ou outra, para descartar evidências práticas de tanta gente, só porque elas contrariam o que grupos isolados de poucos investigadores do passado estabeleceram como certo. O problema, nesse caso, é que se atribui aos investigadores do passado um nível de desenvolvimento consciencial mais profundo, e por isso eles seriam capazes de perceber a verdade de forma mais completa, enquanto que os investigadores atuais poderiam estar sendo iludidos pela natureza enganadora do astral. É aquilo que falei antes, os diversos planos de existência são reais ou ilusórios, no mesmo sentido que o plano físico é visto como real ou ilusório. Mas a correta percepção do que acontece nesses planos é limitada pelo nosso nível de consciência. E como os planos tem “leis da física” diferentes, os planos sutis sofrem mais ação deformadora/reflexiva da mente do que o físico. Ou seja, no plano físico, se você precisa uma escada precisará construí-la ou comprá-la, num plano sutil pode plasmá-la. Daí que tudo que se afirma em relação às REAIS condições do pós-mortem podem ter sofrido distorção de percepção pela mente do investigador, tanto menos quando mais desenvolvido ele for, do ponto de vista espiritual. PODEM... mas foram?? Eu diria que não há resposta ABSOLUTA para essa questão. Temos que pensar no que está ao nosso alcance consciencial. Exemplo; você começa a praticar corrida e descobre que correr 10minutos é muito esforço. Não adianta ficar consumindo informação sobre como baixar seu tempo de maratona de 3h para 2h40, tem que focar em como passar de 10min para 20 min. Essa é a REALIDADE CONDIZENTE COM SEU NÍVEL. Da mesma maneira, pouco importa a você as divisões do Bardo segundo o que os yogues avançados descobriram porque ISSO NÃO TE AJUDA A COMPREENDER os processos de morte e renascimento aqui na vigília. O que ajuda a entender essas relações, e portanto fazem diferença nas suas escolhas DESTA ENCARNAÇÃO, é a informação que pode ser obtida por pessoas como você, por médiuns, por projetores, não por mestres iluminados com kundalini desperto e alegadamente capazes de transformar carne de cadáver em pudim num passe de mágica. Porque essa informação pode ser checada confrontando muitas fontes de diversos lugares, e pro você mesmo, caso resolva se desenvolver nessa área para ir atrás de confirmações. Apenas é importante nunca esquecer que cada grupo, cada doutrina, pode estar descrevendo etapas diferentes de um processo de muitas etapas, porque são voltados a públicos alvo diferentes. E o que é descrito pode se aplicar mais à grandes massas da população do que ao que é possível ao ser humano, se ele possuir um maior desenvolvimento. E que com maior desenvolvimento uma percepção ais apurada dos plano sutis pode desabrochar, e tudo que se considerou válido antes, agora pode ser visto como etapa transitória ou engano mesmo. E ao comparar o que dizem antigas tradições com o que dizem as mais modernas precisamos levar em conta os estágios da humanidade. Supor que os processos de auto-consciência descritos antigamente se aplicam ainda hoje é supor que a humanidade não sofreu nenhuma mudança. Ouvimos falar de migrações planetárias, de esvaziamento do umbral, de chegada de novas levas de espíritos. Será que é razoável acreditar que esses processos do pós mortem não sofrem alterações? E que essas alterações só podem ser descritas por novas “revelações”, tornando as anteriores obsoletas porque descreveram sim a realidade, mas de outros períodos? Pessoalmente eu acho que a pessoa tem que estar muito disposta a descartar o que todas as evidências apontam, para preferir doutrinas de tempos antigos a favor das quais há apenas “crença na tradição”. Mas novamente, isso é uma escolha que tem mais a ver com a personalidade de cada um, e cada um é livre para fazer essa escolha. Em geral quem percebe isso, a vulnerabilidade da própria escolha, não fica por aí emitindo sua opinião assim, “grátis”. Só que é o que eu falei no início, quando você começa a ser repetidamente questionado você acaba se sentindo pressionado a expressar essa opinião privada, personalíssima, vaga, sem certezas finais sobre nada, porque as pessoas querem “alguma” resposta. Aí sai algo meio frágil, sem muita base além da mera preferência mesmo. Mas... fazer o que né? Bom seria que aqueles que perguntam tenham noção das limitações culturais, preferências, histórico de quem responde, para dar lá seu “desconto”.
    2 points
  7. Comprei esse livro hj em um sebo na internet. Há um capitulo nele com a mesma ideia do bardo do budismo q estamos discutindo em outro topico. Tb vi que o livro fala sobre o fio dourado do corpo mental. O saudo calderon fala sobre esse fio em um video sobre corpo mental. Mas comprei pq gostei dos capitulos q falam dos planos com exemplos de tipos de consciencias.
    2 points
  8. Questoes que vou deixar aqui para que pensem nisso ANTES de assistirem a esses vídeos: - certas crenças são baseadas em repetição de tradição ou em investigação do fenômeno? - nós aqui, sujeitos encarnados, somos TUDO que somos como seres espirituais ou apenas PARTE de tudo que somos? - o plano astral é algo que só existe dentro da sua mente ou é algo que existe fora, como o plano fisico, mas diferente do fisico, afetado pela mente? - qual critério para escolher a crença A como mais correta, em termos factuais, do que a crença B?
    2 points
  9. Mas não, péra lá, eheheh. Era muito frequente eu perceber que estava num sonho, mas eu achava que aquilo (ambiente) era só criacao da minha mente. As pessoas nao, eu sentia que elas eram reais mas estavam participando do mundo fantasioso no qual estávamos inseridos. Eu nao via aquilo como uma vida em espirito, mas como uma vida dentro da minha mente. Tanto que muitas vezes, para me divertir, eu decidia ao deitar com qual cenario eu ia querer sonhar, se praia, matas, se queria aventuras de guerra, ou de terror. Eu criava montros para lutar com eles, ehehe. Hoje em dia torço para não ter machucado nenhum ser astral inocente porque teve combates na base da machadada mesmo, eheh. Espero que so tenho destruido minhas plasmagens.. Mesmo apos eu ter aprendido a me projetar, aos 12-13 anos, eu continuava tendo esses "sonhos lúcidos" ocasionais, e nunca via os dois fenômenos como sendo o mesmo porque no que eu achava que era apenas sonho lucido. Eu me descobria de repente no meio do sonho e nunca soube como sair dele. Eu sabia acordar na marra, caso necessário, mas nao sabia aproveitar o ambiente, porque achava que era uma imitacao do fisico apenas, nao um plano astral. Entao eu ficava andando pelas cidades onde fui parar sem achar uma " porta de saída" que me levasse daquela " ilusão" para algo diferente. Passava 2, 3 horas vagando pela cidade ( outras cidades, nao as que eu vivia) E achava que aquelas pessoaa que via na rua eram só personagens mentais que minha mente criou, para dar realismo. Só quando eu encontrava alguém conhecido é que eu achava que aquela pessoa era real, eu tentava falar com ela, avisar que ela estava no meu sonho, e no dia seguinte falava com ela para ver se ela lembrava de ter sonhado comigo. Não era claro para mim que aquilo fosse uma dimensao paralela, o plano astral, e que fosse real. E eu já tinha feito projecoes astrais, mas acho que por causa dessa minha fase da infancia, quando eu plasmava monstros, castelos, guerras, eu nao juntava lé com cré para perceber que sonhos-lúcidos-não-programados-de-antemão poderiam ser projeções astrais e não meras fantasias. Porque claro que se voce deita, cria um cenário na sua mente a paisagem, as casas, os personagens, o plano de acao, e consegue se transferir para la luciamente, ou mesmo que perca a lucidez mas lembra depois de ter sonhado com aquilo, é óbvio que foi tudo apenas um sonho plasmado. Mas se nao planejou nada não há motivo para rotular isso de mera fantasia, precisaria avaliar melhor, ter mais indicios para concluir algo. Eu nao percebia isso, achava que TODAS AS VEZES que eu despertava lucidez no sonho, sempre era mera fantasia, mas isso é um erro! Só quando comecei a me projetar varias vezes na semana, a patir de 2011, é que percebi meu erro da vida toda, eheh.
    2 points
  10. Todo mundo tem essa vida dupla, e essas companhias. No seu caso talvez seja algum ex, para ter uma reação tao forte. No astral as emocões sao bem mais fortes, se voce se emocionar estando projetada, começa a chorar e nao para mais, kkkk. Se ficar agressiva, vira um " hulk", é dificil parar. Aqui no fisico as emoções sao mais amortecidas. Claro que numa projecao em geral estamos mais centrados do que aqui, porque o estado de lucidez necessário é algo que nos dá uns 10-20% mais de consciencia do que temos em vigilia. Mas se acontecer de algo te desequilibrar emocionalmente, aí vai tudo "ladeira abaixo", eheh Sobre as companhias, os espiritos dos vegetais, os elementais, nao estao presos no corpo vegetal, eles sao livres, atuam como.jardineiros do seu corpo vegetal, cuidando dele. Mas quando encerramos nossa passagem pelo reino vegetal e passamos a encarnar no reino animal animal,.nossos espiritos ficam aprisionadoa no corpo, só saimos quando o corpo fisico dorme. Entao a projecao é comum a todos os animais, o que inclui obviamente os humanos. Isso implica que todos tem uma vida dupla. O que chamamos projecao astral é apenas ESTAR CONSCIENTE de que você está fora do corpo quando isso esta acontecendo, caso contrario ficamos limitados. Uma vez, quando eu tinha 6 anos e estava na primeira serie, eu estava sonhando que estaba ma aula de matemática. Estava la copiando exercicios do quadro negro e a professora escrevendo nele. Entao percebi que estava sonhando ( naquela epoca eu perceboa isso quanso via uma névoa no ar) Parei de copiar e avisei aoseu colegas: - Pessoal, isso estou sonhando, voces estao no meu sonho! Nao previsamoas fazer isso! Eles nao acreditaram em mim, continuavam copiando e licao e mandavam ficar quieto ou a professora podia ralhar conosco - Não.gente, ela nem percebe nada, querem ver? Subi em cima da mesa escolar e dancei e cantei alguma bobagem, e ela nada,.bem sonambula sempre de.costas para nos ewcrevendo no quadro. O pessoal ficpu aterrorizado achando que ela iria botar toda a turma de castigo, eheh.( isso foi nos anos 70) Como nao acreditaram em mim, desci da mesa e fui embora dali, saí da escola. Nao ia ficar fazendo licão de matematica no sonho né? Ja fazia no fisico! Mas quando nao temos lucides ficamos repetindo em astral as atividades do fisico, sem necessidade e sem aproveitar a oportunidade so astral, que tem la suas leis da fisica mais flexiveis né? E quando morremos tambem, se a pessoa.nao desperta lucidez segue presa por um tempo às rotinas da vida fisica.
    2 points
  11. Esses em geral sao meros sonhos mesmo, expressao mental de tensoes do dia a dia. Esses sao MUITO PROVAVELMENTE projeções, porque a gente deira, o corpo dorme, e saímos a levar uma vida astral que tem amizades astrais desta vida, de vidas passadas, e atividades que podem ser da parte astral desta vida ou atividades que sempre continuamos fazendo em astral, mesmo em diferentes encarnações. Esses nao tenho certeza. Desconfio que a parte pesadelar seja sonho fantasioso criado pelo cérebro mesmo, pelas tensoes, e a parte que sai seja o veiculo astral. Eu nunca passei por isso, mas uma vez eu despertei em astral na cama quando ouvi os passos da minha mae entra do no meu quarto. Mas moramos em cidades diferentes. Pensei que ela tinha morrido dormindo e sentei na cama ( em astral) para falar com ela: - Mãe?!?! Você morreu?! - Não, eu estava dormindo e comeceo a ter um pesadelo. Entao resolvo sair de perto do corpo. - Ahhh. Ela ficou ali sentada uns minutos até que de repente olhou para algo ao longe e pareceu rer sido chamada, entao saiu do meu quarto e desapareceu. Imediatamemte eu deitei no corpo, levantei da cama e fui ver o horario, eram cerca de 5:10. Fiquei acordado esperando o horario que ela em geral levanta, la pelas 6:30. Entao mandei um sms perguntando se ela ja estava acordada. Ela respondeu de imediato, dizendo que tinha levantado pouco depois das 5 da manha, porque teve um pesadelo. Mas note, ela em astral nao estava tendo pesadelo, era algo da mente fisica aparentemente. Isso tudo se mistura, as vezes voce tem uma projecao mas acha que foi só sonho. https://www.viagemastral.com/forum/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/?do=findComment&comment=67356 Outras vezes acha que foi projeção mas foi um sonho simbolico, algo cuja finalidade é passar uma mensagem, e aí precisa interpretar. Projeções são eventos, como os da vigília, nada há para " interpretar". Outras vezes seu corpo astral está sonhando memso, plasmando fantasias ao seu redor e andando como um sonambulo por aí: https://www.viagemastral.com/forum/topic/18568-sono-leve-é-sinal-de-estar-dormindo-perto-do-corpo/?do=findComment&comment=84281 Outras vezes parece EVENTO astral, projecao lucida, mas é sonho lucido( fantasia mental na qual você está consciente de estar numa fantasia) https://www.viagemastral.com/forum/topic/17032-textos-do-robert-bruce/?do=findComment&comment=74038 Não há certezas nisso, é tudo muito misturado. Em geral isso é projecao, chamamos de falso despertar. Costuma acontecer qua do voce acorda de outro evento numa zona maos distante do fisico, aí acorda num simulacro do fisico, e só depois de levantar e tal é que acorda no fisico mesmo, as as vezes tem 3 ou 4 falsos despertares até acordar mesmo. Porque nem sempre a gente gruda no corpo ao acordar. As vezes voce volta de uma projecao e se for rápida, ao levantar do corpo estará de novo em corpo astral, para mais uma, duas , dez projecoes na mesma noite. No falso despertar entao, se a pessoa levantou da cama antes de grudar no corpo, ao levantar e ir no banheiro, fazer café... estará fazendo isso tudo em astral, nao no fisico, eheheh. Pode ser projecao, em que a lucidez despertou por uns instantes, mas ppde ser só sonho comum que virou sonyo lucido por uns instantes. Estava acordada em astral, mas embutida dentro do corpo fisico ( se deitada) ou muito perto dele ( se andando pela casa às cegas) , porque a SENSACAO de olhos fechados DO CORPO FISICO estava se sobrepondo à sua capacidade de visao astral. Isso indica que voce estaria dentro da faixa do cordao de prata, uns 4m de raio, onde as sensacoea do corpo fisico podem se impor ao astral. Por exemplo, se voce estiver deitada com um braço em cima do rosto, ao sair do corpo pode ficar sentindo aquela pressao em cima do rosto ASTRAL e isso te fazer acreditar que algo tapa sua visao. Mas se conseguir se afastar do corpo isso vai sumindo e voce enxergará normalmemte. Esses eu ARRISCARIA dizer que sao os sonhos simbólicos, mas só você pode ter certeza porque depende de confirmacao interna sua. Por exemplo, pode ser que voce nao esteja agindo de forma adequada com alguém e nao esteja percebendo. Entao voce sonha com pessoas desconhecidas, a pessoa x agindo de maneira y com a pessoa z. Voce observa os atos, as motivacoes, como se fosse novela ou filme, e conclui: nossa, essa pessoa x está agindo errado com a pessoa y, ela acha que a y esta aprontando para ela, mas nao está. Que boba! Mas quando você acorda e lembra disso ( desde que considere a HIPÓTESE de ser um recado), percebe que a pessoa x estava agindo e pensa do como voce sobre outra pessoa. É assim que os mentores ( ou seu Eu superior, ou Deus) te mostram que voce esta vacilando, sem no entanto interferirem no seu livre arbitrio. Afinal, eles só te mostram uma encenacao ali, voce conclui com seu próprio juizo quem está agindo errado e porque. É mais eficiente do que vir alguém de fora apontar seu erro, porque quando um agente externo faz isso a mente entra na defensova, arranja justificativas, se vitimiza, etc. Mas quando os mentores criam uma encenacao você estará vendo "o cisco no olho do outro", é mais fácil de enxergar o erro. Mas você é quem precisa analisar o sonho e pensar de ele de fato está te dando uma indireta, não é algo que outra pessoa possa te dizer se é ou não. No entanto, quando voce apela para terceiros e eles criam uma interpretacao, muitas vezes isso também te gera uma sensacao de "confirmação interior" que respalda aquela interpreracao. Mas é sempre melhor você mesma fazer isso, porque é alguma parte superior do seu Ser pu algum mentor que está te passando um recado, e ele vai te passad de acordo com a sua capacidade, nao deveria precisar apelar para terceiros. Pode estar fazendo isso em astral, ainda mais se faz isso em vigilia antea de deitar. As vezes quem medita diariamemte, ao terminar a medotacao vao dormir, e depois percebe que está lá de volta, no cantinhp da meditacao, meditando... mas em corpo astral . Ou seja. Seguiu fazendo em astral aquilo que estava fazendo antes de deitar. Mas se voce nao tem esse hábito de rezar, deve ser hábito de vida passada que as vezes se manifesta no corpo astral. Por isso quem se envolveu com magia, bruxaria, em outras vidas, nesta aqui pode nem saber nada sobre isso mas sonhar que anda fazendo trabalhos magicos contra terceiros, porque essas coisas nao somem da nossa vida só porque agora estamos em outra encarnacao. O personagem que usamos aqui pode nao saber de certas coisas mas o personagem anterior pode saber. Aí voce lembrará de estar fazendo nos sonhos algp que aqui nao faria, porque nao aprendeu nesta vida a fazer, ou seu padrão moral desta vida nao permite, ou nao desenvovleu aquele hábito ( de beata?) nesta vida, só na anterior. Entao... companhias... companhias... podem ser essas que aparecem nos sonhos. Podem ser "as que vem te buscar"...
    2 points
  12. Desencarnados tem uma faixa vibracional ( vertical) muito mais estreita do que os projetores, na qual podem se deslocar. Mas dentro dessa faixa podem se deslocar (horizontalmente) para outros lugares. Em tese é razoável imaginar que isso que voce fala possa acontecer, mas creio que devem se adaptar logo. Nós aqui é que ficamos mais relapsos nisso porque deixar nossa mente divagar no fisico nao nos joga em outro lugar, mas no astral sim. Acho que após o desencarne o cara deve "pegar o jeito" de novo porque estará de volta ao seu plano natural. E nas zonas mais pesadas isso e mais dificil de acontecer, motivo pelo qual nao acontece com o projetor nos primeiros minutos da projecao, por ele estar proximo da zona fisica.
    2 points
  13. Muitas vezes sim. Outras são apenas amigos espirituais. E por que não? Qual o motivo de um pai amar um filho, um sobrinho amar um tio, um amigo amar um amigo? Provavelmente compartilham algum tipo de afinidade. Em geral são seres que participam do mesmo grupo carma mas que já estão um pouco mais adiantados. Para o amor, não existe barreiras. Mesmo um espírito que não seja mentor ou nem seja tão evoluído assim, ele pode amar. Pode ter afinidade. Mas se pensarmos de um ponto de vista lógico. Numa experiência de quase morte, qual espírito vai vir te acudir? Algum com quem você possua alguma afinidade, né. Se você sofrer um acidente e for parar no hospital, quem serão os primeiros a irem te visitar? Os parente próximos, pai, irmãos, tios. Provavelmente. Alguma afinidade, deve existir. Sempre é possível. Não significa que você vá ser atendido da forma que espera. Se você for prestar a prova do Enem, seu pai não vai poder fazer pra você. Mas talvez ele possa ir te levar, te buscar, ou talvez ele possa tentar te ajudar a se preparar.
    1 point
  14. Os yogas tibetanos dos sonhos e do sono: Práticas para despertar https://a.co/d/8FFBxco Eu tinha esse livro, acho que nem tenho mais porque achei inutil, bem incipiente.
    1 point
  15. Ah bom, porque esse " pra todo mundo" ficou parecendo isto, kkkkk:
    1 point
  16. Porque estava encarnado na época e como tal teria suas "coisas de encarnado" para resolver, supõe-se. Não entendi por que isso seria desconcertante. Desconcertante, eu diria, é ela ter sido auxiliar de mágico de palco, segundo li uma vez. E numa época "braba", que tinha muitos mágicos imitando fenômenos espiritas com truques....aí anos depois surgem das tais cartas dos mahatmas brotando do nada.... Cara, sinceramente acho que m adianta você tentar chegar numa conclusão sobre esses assuntos analisando coisas que você ache suspeitas, porque quando a gente mexe com essas coisas, e esses " contatos" , acontece todo tipo de coisa estranha que se fosse descrita nao faltaria um.cético para construir uma "brilhante conclusão", mas totalmente falsa, porque eles nao sabem como isso funciona, faltam pedaços de informacao sobre essa mecânica comunicativa e aí só resta ao cético deduzir criando fantasias que preencham as lacunas. Há "mistérios", " sincronicidades", e todo tipo de bizarrice que " comprova"para quem está envolvido nisso que esse tipo de contato é muito real, mas que ao mesmo tempo não resiste a uma análise de uma descricão minuciosa dos eventos. Então se você entrar por essa rota, vai se perder num labirinto de hipóteses a favor e contra e não terá nada para provar a questão, nem a favor, nem contra. Às vezes o relato é falso mas a fonte é verdadeira ( no caso de alguém que tenha contato com seres de conscoencia mais elevada e deles receva escalrecimentos, porém de ma forma que os demais não entenderiam, então criam uma fábula, um relato ficicional) Às vezes o relato e a fonte são falsas, mas a verdade revelada é verdadeira ( no caso da própria pessoa ser ela mesma um ser de maior elevação mas não querer assumir isso, entao fica bancando o mero mensageiro), e muitas outras possibilidades. Pense que quem decide cumprir uma missão pública tem que lidar com aceitação da mensagem, nao só soa discípulos quanto da sociedade em geral. Entao nao tem a liberdade de apenas falar a verdade nua e crua e seja o que Deus quiser, pode precisar adequar isso ao contexto de época ( no passado os " anjos" viviam contatando certas pessoas, hoje em dia se fala em contato de "espiritos evoluídos", mestres, ETs...) A Blavatsky surgiu num momento em que três grandes ondas místicas aparecem na europa, talvez como reação ao positivismo: - surgimento do espiritualismo - resgate das tradições mágicas do ocidente - forte intercâmbio entre oriente e ocidente Aparentemente ela se envolveu com todas e escolheu aquela que pareceu o melhor veículo para ela, ou foi escolhida por ele, nunca saberemos. Isso é normal, buscadores costumam se sentir atraídos por várias opções nessa área até escolherem uma na qual vão "desabrochar". Então no caso de qualquer uma dessas figuras famosas acho melhor a pessoa se focar no que eles ensinavam e não se/qual "fonte oculta" disso. O que me parece útil é ter noção da fonte CULTURAL, porque tanto a fonte encarnada quanto a fonte desencarnada podem estar contaminando as revelações com seu viés cultural ( pense em conceitos sobre vegetarianismo, revoluções x autoridade, o papel da mulher na sociedade, riqueza x pobreza....) Quando você tem noção do contexto cultural dominante no lugar e época daquela fonte fica mais fácil entender porque certas idéias apareceram ali e pode, em geral, descartá-las como sendo coisas que foram ditas apenas por questões de aceitação social, e que não tem portanto nenhum valor como "Verdades Espirituais".
    1 point
  17. Eu estava num grupo de pessoas em uma palestra sobre yoga e meditação. A orientadora falava com a gente e mostrou uma pose simples com os braços, parecido com aquele movimento de alongamento do braço, ela falou deveríamos tentar meditar com aquela posição. Eu então falei muito arrogantemente "E como a gente vai crescer só meditando e sem movimentar as energias?" uma mulher que também estava na turma me olhou com uma certa admiração, e a professora continuou e pediu pra gente meditar e para começar iríamos começar naquela posição de prancha. Quando eu fiz me senti diferente, como se tivesse entrando em transe, e fiquei imóvel ali, sentia que não poderia me mover pra não perder "aquilo". Enquanto eu estava imóvel e olhando para o chão a professora se aproximou e senti ela me empurando gentilmente para o chão enquanto ela falava "veja, veja, veja" e entrei em transe e comecei a ver cenas do desenho do avatar enquanto uma voz interpretava as cenas para eu entender, interpretava espiritualmente. Era o prícinpe zuco irritado, e naquelas cenas eu descobrir que eu era como o prícipe zuco, irritado em busca do avatar, nunca contante e achando que precisava creescer mais. Eu então compreendi que naquele desenho, em metáfora, somos como o zuco, que passa por diversas transformações durante o desenho e que no final vira um sábio. Eu agora entendo que eu tenho que me focar é na busca gentil da plenitude, da bondade e da gentiliza. Não ficar com essa mentalidade de "tenho que crescer mais!" "tenho tanto que mudar!" "sou tão pequeno ainda!" "tenho que trabalhar mais!" .... Essa é uma postura errada da busca pelos valores reais da consciência. Depois tive outra visão com interpretação pela voz, sobre outro ponto meu.
    1 point
  18. Segundo o canal "Realidade Fantástica" a Teosofia afirma que o Plano astral é plástico sendo modelado conforme a mente do projetor. Assim tais cidades astrais, como os espíritos que as pessoas relatam ter contatos em suas experiências seriam apenas ilusões criadas por si mesmos. O ex espirita Morel também afirmou que concluiu algo do tipo em relação as suas experiencias fora do corpo. Eu fico bem inclinado a essa teoria, visto que os relatos dessas experiencias parecem realmente refletir um espécie de construção conforme suas crenças pessoais.
    1 point
  19. É isso, as experiencias sao individuais. Talvez todas as experiências que o Morel teve foram ilusórias, não temos como saber, mas quem já teve comprovação sabe que a projecao nao pode ser classificada como algo apenas mental, como algo plasmado pela sua mente. O grande problema é que não temos como separar joio do trigo, nao tem ser segurança sobre quantas, quais, ou quais partes de cada experiência seria reais e quais partes ilusórias.
    1 point
  20. Embora o todo seja a essência também, pq ele/ela é tudo rsrsrs, mas a gente não pode errar o foco e se enganar achando que o todo acaba na essência e pronto. Espero que tenha dado pra entender. Deus vive é a vida, a vibração que está ininterruptamente nos abençoando.
    1 point
  21. Eu acredito que o que mais ocorra no mundo físico é a delusão e não a ilusão. A ilusão é o cara que está preso, por exemplo, em um quarto escuro, e começa a cismar que tem uma cobra ali, e quando acende a luz não tem nada no quarto. Já na delusão, o mesmo sujeito está preso em um quarto escuro e começa também a cismar que tem uma cobra ali. Quando ele liga a luz vê que o que ele achava ser uma cobra, na verdade era uma CORDA. Então, creio que é mais normal acontecer processos de delusão no mundo físico. Está acontecendo algo, mas temos uma compreensão equivocada da realidade.
    1 point
  22. Editei sua resposta para ficar no lugar certo. Quando for responder a alguém citando algo que ele disse, va ali embaixo: E entao: Mas se seu comentário e sobre a última postagem feita, nao sobre algo que alguém postou duas ou mais postagens atrasz pode.ir direto na janela de resposta: -------------------------------------------- Somente quando foi caso de suposta experiência de vida passada.
    1 point
  23. Acordei flutuando embaixo de uma árvore grande, acredito que era um cajueiro, e percebi que estava em corpo astral. Parecia que algo estava me deixando ali, e então me senti deitado em uma rede e ela apareceu, todo o ambiente mudou e pareceu que eu mudei de corpo e que agora estava ali em corpo físico, eu escutava o lugar como se fosse no físico, os sons das coisas se propagando pelo ar e não algo psíquico. Começou a chover um pouco, mas eu não estava me molhando por causa do cajueiro mas sentia os ventos e os chuviscos frios, e mesmo eu achando aquilo muito estranho e pensando que talvez eu tinha ido parar ali fisicamente através do que chamam no meio esotérico de Estado Jinas, eu tinha uma intuição que deveria permanecer ali, calmo. Então comecei a senti um calor gostoso nas costas, bem na coluna, me passava uma sensação de paz, de proteção. Então fiquei meditando sentindo esse calor, por mais que estivesse frio por conta da chuva, esse calor deixou meu corpo em uma temperatura bem confortável. Eu me liguei logo que deveria ser alguma coisa sobre kundaline e fiquei ali meditando. Não pareceu demorar muito mas já tava amanhecendo e então apareceu umas 10 crianças ali para me ver, todas felizes e sorrindo. As crianças vestiam roupas ocidentais normais e diferentes, pareciam umas crianças como qualquer outra mesmo, talvez na faixa dos 10 a 12 anos. Depois disso voltei pro quarto, sentia as mesmas sensações de corpo físico, e ainda sentia o calor na coluna, mas um pouco menos intenso. Agora acho que talvez não voltei pro corpo mesmo, mas ainda estava em astral. Essa experiência aconteceu de madrugada e pensei em levantar para registrar o relato e invés de anotar eu acabei sonhando anotando o relato no fórum rsrs, como foi bem rápido a mudança de pensamento para o sonhar, acredito que eu estava em astral mesmo. Não acho que foi uma projeção astral típica, mas sim umas daquelas experiências criadas por mentores. ----------------------------- Essas crianças me lembraram de outra experiência que tive onde tinha uma criança comigo, mas foi em um sonho, daqueles bem realista. Onde eu vi uma garotinha de uns 8 ou 9 anos mexendo com uns animais no quintal da casa e os bichos, cobras e vespas, evitavam ela, era uma garotinha negra com umas roupas diferentes, não lembro agora mas era uma coisa meio religiosa e ritualistaca mais....tribal talvez? Mas nada selvagem, estava bem trajada e era bem colorida. Então ela me levou até um precipício onde tinha um elevador de madeira e corda bem TOSCO, pra caramba...rsrsrs sabe aquelas pontes de madeira e corda, de madeiras podres e 0% de segurança? Era essa vibe rsrsrsrs. Lá embaixo naquele breu era uma região pedregosa típico de montanhas e tinha um gás estranho, meio amarelado, jorrando de uma fissura do chão, a criança quando viu aquele gás exclamou que estávamos ricas e ficou muito animada, foi sem nenhuma noção de perigo pro elevador e antes que ela fosse descer eu mandei ela voltar, disse que seria perigoso e que deveríamos cooperar e disse que eu iria correr perigo, diferente dela, e que por isso ela deveria cuidar de mim, assim como eu cuidaria dela. Ela sorriu, concordou e me abraçou. Então o sonho terminou. Depois do sonho eu sabia intuitivamente que aquela criança e esse sonho era uma metáfora sobre a kundaline e o meu processo. ---------------------------- Em ambas a experiências teve criança, o que talvez não seja uma coincidência. Eu também comecei a enxergar a kundaline como uma energia parecida com aquela energia animada/impulsiva e criativa das crianças. Acredito que essa experiência tenha acontecido por causa do meu interesse sobre essa energia criativa e também fiquei pedindo quando fui dormir na segunda feira que o alto me ajudasse, pedindo que queimassem o meu coração, uma referência a kundaline, já que a vida tá bem puxada e eu tô precisando dessa energia...como todo mundo precisa né.
    1 point
  24. Nesse video o Wagner Borges mostra varios livros antigos que influenciaram a tecnica e conta a historia do uso pelo Waldo Vieira. Lembro ele dizer nesse video que estava no mesmo grupo na epoca. https://youtu.be/rz3-HvLREr0?feature=shared
    1 point
  25. Isso é texto cifrado referindo-se a preservar e acumular a energia sexual, e direcioná-la canal acima, pela medula. As descricoes de voltar os olhos para dentro ( focar na pineal) assim como controlar respiracao, "efluxos" e circular energias estao relacionadas diretamente com reversão do fluxo centrifugo da energia sexual, portanto relacionados à práticas de magia sexual, seja do tantra seja do taoísmo, mas acho que como o Waldo vem do espiritismo, nao do esoterismo, nao enxergou isso, sei lá. De qualquer forma sempre há técnicas de circulacao nessas tecnicas chinesas de manejo de energoas e ele parece ter percebido apenas isso: O Segredo da Flor de Ouro.pdf
    1 point
  26. Poderia ser usado pelos espiritas sim, da mesma forma. E o espiritismo é mais atual q uma tradição de milenios. Como o sandro lembrou acima sobre as tradições, o ensinamento q dono do video se baseia é muito antigo, no caso o bardo. Tradições não se atualizam facilmente se houver algum erro no ensinamento simplemente pq é uma tradição, nao se mexe naquilo mesmo q vc tenha experimentado algo diferente depois e visto q nao era bem assim, Eu fiz a projeção astral e apos varias eu ainda achava q poderia ser mental. Entao tive uma projeção q fui ate um local e vi uma cena do fisico com varios detalhes e falas especificos. E as projeções q fiz foram a maioria de saida direta, aquela q vc sente a saida. Entao é necessário rebater o q ele diz sobre o plano astral. Daria pra eu defender meu sistema de crenças com base nisso tb.
    1 point
  27. Olá, eu tenho frequentemente a mesma experiencia. Sinto um sono extremamente intenso, vindo do nada, algo irresistível. Se eu lutar contra ele, ele passa. Se eu dormir, durmo por apenas alguns minutos, nunca mais de meia hora e acordo com o corpo todo vibrando intensamente. Ao acordar o sono passou e depois de alguns minutos a sensação de vibrar tb passa. Isso acontece normalmente durante o dia (as tardes).
    1 point
  28. Esses evangelicos sei quais sao pq fui ensinado por eles na infancia por conta da mae. Mas eles se baseiam na biblia, q acordariam para o julgamento nesse dia, e quem passar fica no paraiso. No caso desses padres estranho eles te responderam sobre memorias mesmo q de outras pessoas, pq isso nao esta em lugar nenhum da biblia q eles seguem.
    1 point
  29. Ate hj tento descobrir. Nas duas perguntas das duas cenas eu perguntei o que certa pessoa tinha a ver comigo. Na primeira cena havia uma outra pessoa mas eu nao tinha a informação de de que seria a pessoa da pergunta, foi uma historia de alguem que vai pra guerra e nao volta. Entao fico so na especulação da possibilidade de que eu fui pra guerra e nao voltei pra ela. Na segunda cena, do quadro, me mostraram duas pessoas em um quadro sem moldura, eu a pessoa da pergunta, era um casal, segurando as maos como casal e com anel nas maos. Fiquei na especulação tb, de que ou fomos casados ou seremos, pq eu estava mais velho na foto. Fiz essas perguntas pro meu mentor pq um tempo atras, quando vi uma pessoa que nunca eu tinha visto, tive a sensação de q ja a conhecia e ja tinha vivido com ela, e pela reação da pessoa eu acho que ela teve a mesma sensação, foi igual quando vc fica surpreso de reencontrar uma pessoa, entao eu fiquei com aquilo na mente querendo saber. Eu tentei falar com ela durante 2 anos, mas ela nao quis conversar, ela decidiu seguir no rumo q ela ja estava, ela ja era comprometida, e nao a vejo faz anos, eu desisti de tentar faz uns 2 anos tb e nao procuro mais saber, so sei q trabalhamos na mesma area e moramos na mesma cidade.
    1 point
  30. Dificil saber. Mas nada se perde, tal como aquelas minhas experiencias com sonhos lucidos que eu tinha desde muito cedo só vim a entender aos 40 anos, ligando os pontos com a projecao. Tê-las na infancia provavelmente me ajudou a não temer nada que eu viesse a encontrar no astral depois.
    1 point
  31. Sim, tem, mas como sempre vao fazer alegações desse tipo sobre quem faz sucesso escrevendo sobre coisas fantásticas, são criticas que só chovem no molhado. Ele nao tem como provar o ponto dele, que é ter trocado de corpo, embora isso não seja nada espantoso dentro da literatura ocultista/esoterica. Mas para os materialistas soa algo bizarro demais. Eles sempre se espantam com muito pouco. Quanto aos conhecimentos dele sobre o Tibet, a Alexandra David Neel ja tinha inundado o ocidente com essas informacoes, entao até poderiam ser usadas para criar estorias ficicionais. E o que ele fala da cirurgia para abrir a clarividencia obviamente nao faz sentido, mas no tibet tem uns monges lá que ficam entoando um mantra meio estranho, para reabrir a moleira craniana. Pelo que lembro aparece até foto deles praticando, no livro da alexandra. Acho que tentam abrir o chackra da coroa assim, eheeheh. Ou seja, esquisitice por esquisitice, tudo que ele fala fica na média do contexto geral , ehehe
    1 point
  32. Muito obrigada pela explicacao, Sandro! Que coisa bizarra de se pensar... eu tenho uma vida consciente e outra, na qual eu nao tenho controle absoluto nenhum e nem faço ideia do que acontece... é mto estranho de se pensar nisso... eu espero sinceramente, que eu esteja usando parte desse tempo para estudar matemática ou fazer algo bom... Que interessante!!! Se afastar do pesadelo é uma idéia excelente!!! Isso me lembra um sonho recorrente que eu tive depois da minha mãe morrer... eu estava em casa e subitamente ela estava la tb... e eu sempre ficava meio surpresa com a presença dela e dizia "Mas mãe, vc morreu!! Nao é para vc estar aqui... E ela me falava, morri mas estou aqui... E isso sempre virava uma conversa louca, na qual eu dizia pra ela, q ela tinha de ficar quietinha, pq como iriamos explicar isso pras pessoas? Todo mundo tinha ido ao enterro, ia ser impossível de explicar... vai q era ela tentando me contar o óbvio, q a gente nao morre... Que interessante! Nao sabia q existia correlação entre falso despertar e projeção... É um mundo novo, eu tinha obviamente ouvido falar em projeção astral, mas achava q era algo q só algumas pessoas podiam fazer... q era como a mediunidade do Divaldo Franco, algo q algumas pessoas nasciam sabendo fazer... Isso é mto interessante, pq eu tenho acesso a todas as minhas memórias... eu estou totalmente consciente. Então se eu estou consciente e meu corpo esta dormindo, eu poderia (teoricamente) sair conscientemente e dar um passeio... Isso é interessante e meio preocupante... essas mensagens foram talvez perdidas... eu sempre achei q eram idéias de livros ou algo do gênero... alguns são mto bons, outros são só pequenos retratos cotidianos de pessoas q eu nao conheço... Mas é interessante, pq eu sempre posso sentir emoções, q normalmente nao sou capaz de sentir (q nunca senti), Me da uma compreensão do q é, mesmo sendo algo estranho para mim... Isso eu acho mto preocupante! Qdo eu recebi a tal carta psicografada me disseram, q ela tinha sido entregue por um homem, q tinha ficado tao emocionalmente abalado (feliz) por poder estar ali e me ditar a carta, q ele precisou ser carregado... Na época, eu achei estranhíssimo e achei q era manipulação do pessoal do centro espirita, ja que normalemente as cartas vem de alguém q a pessoa conheceu (tipo pai, avo etc) e no meu caso foi de um sujeito, do qual eu nunca ouvi falar. Mas fiquei muito surpresa qdo me deram a carta e eu li a parte sobre eu me sentir observada, pq como eu disse, eu nunca contei isso a ninguém... ou q tinham se afastado (pq sim, eu tenho mania de cortina até hj mas aquela sensação bizarra de estar constantemente sendo observada sumiu qdo eu tinha uns 8 - 9 anos). O conteúdo da carta foi de modo geral positivo, mas era claramente um convite a algo mais. Eu achei mesmo q poderia ser o pessoal do centro espirita tentando me fazer trabalhar la ou algo no gênero! Mas me preocupa, pq q tipo de companhias eu tenho do outro lado? E pq alguém ficaria tao emocionado por me ver? Nao faz absolutamente o menor sentido! Seriamente preocupante, que eu possa estar me relacionando com pessoas assim emotivas no astral, sem ter conhecimento do fato...
    1 point
  33. Para ajudar a lembrar, seja de sonhos ou projecao: https://www.viagemastral.com/forum/topic/17033-por-onde-começar/?do=findComment&comment=74046 Se mantiver um diario de sonhos, papel e caneta ao lado da cama para anotar, ou alguma outra forma, a memória vai melhorar muito. Em geral registrar em papel é melhor pada começar do que meioa digitais, mas com o aumento de memoria serao tantos detalhes que só um gravador resolve. Pode ser QUALQUER COISA. Em geral se voce ja está se dedicando à projecao,lendo, tentando praticar, pode indicar amparadores que vem te buscar para te mostrar algumas coisas. Com mais prática você nota que é avisada horas antes. Você esta lá trabalhando levando a sua vida e do nada chega a certeza interna: " hoje tem projecao" É similar a voce estar distraído, alguém te falar algo, você responde " tá" de forma automática, depois pensa " hein? O que ele me disse?" Aí voce puxa o "eco da memória" e lembra. É similar, vem a informação de forma natural mas você só se liga depois, quando até o "eco" está sumindo. Entao voce ja organiza sua rotina para se manter mais equilibrada no fim do dia e dormir tranquila, para esperar quando eles venham te buscar ( em geral é após as 3:30, mas para quem deita cedo eles as vezes te buscam antes da meia noite ou logo após. Mas se você é alguém que nunca se interessou por projecao, podem ser apenas contatos que tem de outras vidas, por alguma particularidade. Às vezes sua mãe é médium e você está no rolo dela ( porque afinal nasceu ali né? Entao alguma conexão terá), tem lá su as estorinhas de infancia que deplis passaram ( amiguinho invisivel, terrores noturnos, fechamento de mediunidade em centro espirita, bláblabla..) ou por exemplo você é alguém ligada a ETs e sao eles que vem te pegar, aí se voce lembrar, vai lembrar de ter sido abduzida, de terem implantado sabe-se la o que na sua perna, braço... E claro, pode também ser coisa ruim se você for praticante de coisas ruins. Então pode ser qualquer coisa, dependendo do seu histórico pessoal.
    1 point
  34. Cara que loucura , uma forma pensamento transmitir informações para o criador. Eu penso muito sobre isso. Por exemplo, eu tenho caso de uma pessoa conhecida minha, não vem ao caso citar quem, mas quando eu vou começar a realizar algum projeto, ou começo a cogitar realizar uma determinada atividade para melhorar minha vida, a pessoa sem saber de nada porque eu dificilmente falo da minha vida para qualquer pessoa, se antecipa e começa a fazer a atividade antes de mim. Eu não acredito muito na inveja porque pra mim é mais uma falácia do ego que faz a gente se manter em vitimismo mas acredito muito nas formas pensamento. Isso que vc explicou faz SENTIDO PARA CARAMBA!
    1 point
  35. Sim, tb tenho filho, eu regro o tempo de uso de eletronico. É um bom exemplo mesmo de como o agradar se nao for regrado pode ser prejudicial, e acho ate que pros dois lados. Obrigado pela dica.
    1 point
  36. Olha, sua pergunta me parece impossível de responder porque sugerir algo significaria que " este algo" é melhor que "aquele algo", e sinceramente não me parece que alguém, mesmo um mentor, pudesse apontar isso para ninguém Estamos aqui de passagem, e durante esse tempo encararemos desafios de aprendizado relacionados com nossa psique, passando por situações que nos façam enxergar os pontos a lapidar. Ou seja, não são as situações em si mesmas que contém algum valor, mas a combinação "situação + sua psique". Exemplo: para alguns virar médico pode significar dar sentido à sua vida, um meio de ajudar os outros e ser remunerado por isso. Para outros significaria apenas um meio de explorar os outros ( Exemplo ) e para outros ainda talvez um fardo que eles carregam porque todas as últimas cinco geraçôes de sua família foram médicos e a família dele nãp aceita que ele, filho único, seja "professor de alfabetização de crianças", que ele sente ser sua vocação... Então o que fazer? Isto ou aquilo? Na verdade nao importa com o que a pessoa passe seu tempo enquanto está neste estado de transição pelo plano físico, importa é COMO. Porque não só o que você ESCOLHE fazer não estará totalmente em seu poder escolher o quando e o onde, ou se vai durar ou ter a rota abortada por um desastre natural, um problema de saúde, uma questão econômica... ...mas também essa escolha é uma entre muitas outras circunstâncias que você HERDA ao nascer e com as quais precisará lidar, desde o local geográfico onde nasce, herança genética, padrão familiar e classe social ( como o Lula que saiu da zona rural de Pernambuco, tendo nascido numa família miserável,etc... e chegou onde chegou) Nada disso tem valor algum, o valor reside em como isso irá forjar o que você terá se tornado ao completar seu período aqui no fisico. Então " o que fazer enquanto..?" Faça o que gostar mais, o que sente que te motiva, que te faz sentir-se uma parte positiva das engrenagens do mundo. Mesmo só podendo fazer se trabalho mais simples para obter apenas seu ganha pão, o que em outras palavras ppde ser visto como " viver para ser explorado", há muita diferença entre fazer seu trabalho simples com dedicação e cuidado, e fazer com.descaso, preguiça, displicência. Faz muita diferença para quem faz esse trabalho e muita também para quem depende dele. É só você lembrar das vezes que precisou do trabalho de alguém e aquilo foi muito bem feito, ou muito mal feito. São dois mundos bem diferentes em termos de.impacto que nos afeta em muitas camadas psicológicas e nos influencia pelo exemplo, para melhor ou para pior. Por isso "basta fazer o seu", mas com vontade de fazer bem feiro, para que passe seu tempo por aqui de forma que sinta que "fpi capaz, desempenhou-se bem". Porque fazer bem feito APESAR das circunstâncias é parte do nosso desafio psicologico, da provocação que sofremos aqui, quando o mundo se opõe aos nosso planos. COMO você vai lidar com isso é o que traz crescimento, nao a tarefa propriamente dita. Então acho que vale a regra" tente ser feliz ENQUANTO está vivendo", porque os desafios de aprendizado darão um jeito de se infiltrar em qualquer caminho que escolher mesmo. E aprender no caminho a conhecer suas fraquezas e tentar corrigi-las evita resvalar sempre nas mesmas armadillhas, porque mesmo você mudando de emprego, profissao, cônjuge, sempre terá as mesmas fraquezas sendo provocadas de novo e de novo, mas por contextos diferentes. Só não pode confundir felicidade com prazer, porque depois do prazer vem o tédio, a ressaca, a culpa. Prazer é o "chiclete com sabor artifical de felicidade", algo que não enche barriga, só aumenta cada vez mais a fome, a busca incessante por novos prazeres, e perpetua o vazio existencial.
    1 point
  37. Lendo aqui fiquei impressionado @Joe com vc basicamente fazer uma projeção consciente sentado numa cadeira somente induzindo o alfa, achei muito fantástico. Impressionante também foi a previsão do "comando ashtar" se cumprir. Eu aprendi mais como induzir o Alfa lendo o livro do José Silva. Acho que chama Silva Mind Control. Lá ele ensina as técnicas de ancoragem para alcançar o alfa através da contagem de 100, 50, 20, até chegar no 5 e entrar instantaneamente. Isso que vc falou de levar a sua consciência até a forma pensamento , vc tinha dormido na cadeira até então ou foi só estado meditativo mesmo? No livro das formas pensamento que vc colocou o link tem como eu ler sobre essa técnica lá? Desculpa a curiosidade, mas achei muito top o relato.
    1 point
  38. agora que eu fui entender do que uma projetora, a ane, falou sobre isso num grupo do whats. Ela dizia que conseguia ir pra um lugar todo branco onde ela plasmava as coisas a vontade e tal. No caso dela era algo natural, simplesmente acontecia e ela nem falava nada de templo astral, era só natural e ela nem sabia explicar o que era. Tá aí mais um exeplo do que treinamentos em vidas passadas podem gerar na encarnação futura ou atual. @Ane
    1 point
  39. Olá @leonardotcosta Questionamento interessante! Devo admitir, pessoalmente nunca experimentei fazer técnicas energéticas durante uma sessão de acupuntura, então não posso compartilhar experiências próprias sobre isso. Porém, sua pergunta despertou minha curiosidade e resolvi fazer uma rápida busca com nosso querido 'Tio Google'. Para entender melhor a relação entre a acupuntura e as práticas energéticas, um livro que você pode achar útil é "The Web That Has No Weaver" por Ted Kaptchuk. Este livro é uma introdução abrangente à medicina chinesa e aborda tópicos como a teoria do Qi, os meridianos usados na acupuntura e a visão da medicina chinesa sobre a saúde e a doença. Por favor, note que este livro não discute diretamente a relação entre a acupuntura e as práticas energéticas como as que são usadas na projeção astral. No entanto, ele pode lhe dar uma melhor compreensão da visão da medicina chinesa sobre a energia e como ela flui através do corpo, o que pode lhe ajudar a entender melhor o que você está experimentando. Lembre-se, isso é apenas uma interpretação baseada em uma pesquisa superficial na internet, então seria ótimo ouvir mais opiniões e experiências dos membros da comunidade sobre essa questão. Um fraterno abraço
    1 point
  40. Eu curto a ideia de prestar assistência e já me disponibilizei pra fazer isso, embora não ocorra com frequência. Então não estou familiarizada com os "truques" dos mentores. Fico feliz por ter sido útil.
    1 point
  41. Eu fui a lua esses dias 😳 Nem sabia da existência de tretas lá, me levaram por um portal ... Louco, fiquei mó tempo, e sai de lá fugido, pq eles n queriam me deixar ir, diziam precisar de mim ... Tava rolando uma treta pesada, e lá parecia uma base militar 😳
    1 point
  42. Estava em minha casa - onde moro sozinha - olhando pela janela. Uma Van branca entra no jardim. Sai um homem vestido de preto e tenho a impressão de que ele está mexendo nas minhas coisas. Vou questionar o que ele faz ali, mas antes que pudesse chegar na porta de casa ele entra com um acompanhante. Ambos armados com coisas improvisadas, ele com um caco de vidro enorme e o outro com algo como um bastão. Na hora persebi que eles iam me atacar, pensei em estupro. Subiu-me um medo, mas percebendo que seria inevitável relaxei"se for pra ser vai ser, não vou resistir pra sofrer menos, é só um corpo físico, vou confiar em Deus e passar por isso".. Ao relaxar o homem com o caco de vidro falou "preferia quando você era agressiva". (aqui percebo se tratar de uma projeção) No jardim surge um filhote de cachorro.. E outro.. E pensei "quando acordar vou procurar o significado de sonhar com filhotes de cachorro". Ando na direção dos filhotes que começaram a rosnar, não pra mim, mas pros homens me seguindo. Me viro e o líder começa a me erguer no ar com sua energia. Imediatamente projeto um pensamento em Deus na mente dele, dizendo "DEUS ESTÁ EM TUDO, DEUS ESTÁ EM MIM". Ele me larga e entra em estado de confusão mental. Ergo a cabeça dele e olho bem dentro dos seus olhos: "Deus está em tudo, Deus está em mim". Ele resiste por 1 mili segundo, mas é vencido (e aqui venho relatar q lembro de já ter testado força mental com ele e ter falhado em outras saídas). Passam duas pessoas por mim e eu fico confusa, quando olho pro lado está o outro cara de joelhos no chão, como que arrependido, cobrindo o rosto como se estivesse chorando. Uma moça e um homem o consolam. Percebo serem aparadores. A moça me olha e sorri. Devolvo o sorriso e volto a focar no atacante principal. Ergo ele no ar e pergunto o que ele quer comigo, mas a luta e confusão mental não permitem que ele responda. Mentaliso mentores e entrego o homem pra eles. (acredito que o destino desse será alguma prisão, pois não há arrependimento). Volto pro corpo ainda desconectada, saio de novo. Minha gata pula da cama como se eu tivesse levantando no físico. Me disponibilizo pra outra assistência mas sei que não consigo manter a consciência por muito mais tempo. Ao invés disso sou puxada pra uma casa onde o meu celular toca: Um email falando "obrigada por fazer parte da ong anjos... (não lembro o resto do nome da ONG, era anjos de algum lugar.. Tipo anjos do astral.. Não lembro). Volto pro corpo repetindo "Deus está em tudo, Deus está em mim". E a minha gata estava onde? Exatamente no lugar pra onde vi ela indo na projeção: sua caixa de areia.
    1 point
  43. Exatamente! Uma conversa amiga alegra um coração. Assistência é o caminho.
    1 point
  44. Olá amigos, li esse tópico ontem e fiquei pensando nesse assunto do pentagrama, então durante o sono acabei me lembrando de usá-lo. Não sei se foi projeção ou sonho, mas eu estava em um ambiente que parecia um grande estacionamento de uma universidade. Lá estava bem carregado e altas confusões rolando, gente discutindo, gente dando tiro não sei em que... Resolvi fazer um pentagrama no ar com o dedo, no que comecei saiu todo mundo rapidinho, esvaziando rapidamente o ambiente. Acontece que nem todos saíram! Uma entidade ficou por ali e veio pra cima de mim, segurou apertado minhas duas mãos e ficou me encarando com uma cara meio demoníaca (não tinha aspecto de demônio, mas aquele olhar meio vermelho e sorriso mal intencionado). Não senti medo e entrei no jogo, e fiquei firme, encarando ele de volta e invocando Krishna mentalmente, ficamos naquela guerra de olhares por um tempo e ele foi fraquejando, de forma que consegui me soltar. Olhei para um parede e avistei a foto de um santo hindu, peguei a foto e mostrei para o cara, então a foto grudou no corpo dele e ele caiu no chão e começou a se contorcer, e seu corpo foi diminuindo, diminuindo até que se tornou um lindo bebê! Já não se via nele aquele aspecto maldoso, era fofinho e sorridente! O bebê tinha adornos indianos pelo corpo, como os que vemos nas fotos do menino Krishna, e no papel da foto que tinha colado nele apareceu escrito "Nascerei pela primeira vez como um bebê hindu". Depois disso acordei, e foi bem marcante essa experiência. Abraços a todos!
    1 point
  45. Olha, deve ser bem estranho..haha Não sou médium incorporante, mas de vez em quando tenho sintomas de psicofonia, quando faço prece em voz alta, e a sensação é de que alguma coisa esta tentando "dominar" a sua mente para fazer você falar de forma diferente. Então na psicofonia o espírito ou entidade utiliza o seu chakra laríngeo como aparelho, enquanto que na incorporação é uma acoplagem completa.
    1 point
  46. Ahahhah, é que você já está conosco há um tempinho né? E escaneei e disponibilizei esse livro aqui acho que em 2013 ainda. É tão batido que supus que você já tivesse cruzado com a indicação dele, ehheh. Eu não ia nem postar o link, por achar que você já deveria ter, mas lembrei que sempre tem membros novos chegando, ehehee.
    1 point
  47. Comigo acontece a mesma coisa, não com muita freqüencia.. Mas acontece comigo, me sinto ansioso quando faço as tecnicas, toda repercussão energetica me deixa muito disperto.. Levanto quase a noite inteira , ou simplesmente não consigo dormir. Creio que no meu caso seja por afobação, vontade demais de ir ajudar os amigos.. Consigo dormir depois de fazer uma meditação, ou levantar e lavar o rosto... Não sei se isso acontece com você , mas é so pra você ver se algo esta te deixando ansiosa ou algo do tipo!! Abraços!! Paz e Luz!!
    1 point
×
×
  • Create New...