• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 04/25/2019 in all areas

  1. 4 points
    Não Roberto, para variar você está interpretando tudo pelo lado mais pessimista que consegue. Parece que você se esforça para ver só o lado mais superficial das escolhas. É óbvio que estudar gera melhoria do aspecto financeiro da vida. No mundo todo é a estratégia que mais resultado oferece para diminuir a desigualdade, mais que outras várias medidas, que em geral tendem a ser anuladas pelas contra-estratégias do capitalismo. Mas nem todo mundo tem essa visão tacanha da vida. Você pode fazer uma criança estudar ameaçando de bater nela caso ela não se sai bem na prova, ou treinando-a sutilmente para a corrupção, oferecendo prêmios caso ela tire boas notas... Depois ela cresce e varia aquele tipo de adulto travado que só pensa: “vou fazer isso aí por que? o que vou ganhar com isso?”. Mas você também pode educá-la para entender que o estudo amplia sua capacidade de compreender a vida e os fenômenos que a cercam. Então você pode ter vários tipos de alunos em sala de aula, gente de mentalidade interesseira que só está ali para se posicionar melhor socialmente, mas também terá gente séria, que reconhece a importância do conhecimento e tem humildade suficiente para aceitar aprender com quem sabe mais. É como a discussão sobre salários iguais para todo mundo ou salários diferentes em função do que os interesses do mercado valorizam mais. Quem acha que precisa ter salários diferentes costuma alegar que se todos ganhassem o mesmo salário ninguém teria estímulo para se dedicar às profissões mais qualificadas, que exigem muito mais anos de estudo. Só que esse argumento fala mais sobre suas próprias limitações do que sobre o mundo, porque quando uma pessoa usa esse argumento você já sabe que ela tem vocação para “se prostituir” né? Já que ela parece considerar que somente o salário leva as pessoas a avançar em algo, e não a curiosidade, a afinidade com certas atividades, as vocações individuais, a satisfação pessoal. E esse tipo de pessoa, que vive só para o dinheiro, acha que todos são assim, mas não são. Muitos não seguem esse padrão. Eu mesmo não trabalharia em banco por nenhum salário do mundo. Conheço um cara com mestrado que abriu um restaurante de Sushi, ele é o cozinheiro, porque ele descobriu que não tem perfil para ser pesquisador( que terá de passar a vida toda estudando) . Outro, com pós doutorado em fisiologia animal, idem, virou vocalista de uma banda , e abriu um micro-negócio de doces, e é ele quem faz os doces, porque gosta de cozinhar. Foi vendo que a ciência não era bem o que ele pensava, perdeu a confiança em se dedicar a ela pelo resto da vida. Assim como muitos professores de ensino fundamental e médio poderiam ganhar bem mais trabalhando com vendas, mas na sua maioria são pessoas que acreditam na importância do que fazem, apesar se ser uma profissão pouco valorizada. Agora, se a pessoa não tem essa satisfação pessoal com o que faz, o lado financeiro passa a ser seu único motivador. Da mesma maneira, tem gente que procura levar uma vida correta porque acredita que isso é o melhor a fazer. Já outros precisam ser ameaçados com fogo do inferno para deixarem de se comportar como predadores com outros seres humanos, ou para não passarem o dia “movidos a álcool”. É por isso que há variedade de crenças e religiões, cada um o seu nível escolhe aquilo que funciona para si. Assim como na vida física, se você escolher ficar de fora do sistema, você sofre as consequências materiais disso mas não parece ver nisso nenhum problema, a julgar pela sua frase acima, também na espiritualidade sofrerá as consequências espirituais disso, então não há porque ver problema nisso né? Trata-se de coerência. Em ambos os caso você terá escolhido a forma mais difícil de viver, e em ambos os casos terá dificuldades por isso. Se não vê um caso como obrigação, não tem porque ver o outro dessa forma. Quanto a não falar para que evoluir, ter amor, etc... ora, pelo motivo óbvio, explicado em tudo quanto é tradição religiosa,a que você colhe o que planta: Se você quer ter uma experiência de vida agradável, ou menos desagradável, tem que reduzir a quantidade de lixo emocional que joga sobre os outros, porque isso é como cuspir contra o vento. É o mecanismo da nossa matrix funcionar assim, então sabendo disso você procura jogar de forma inteligente, usando as regras a seu favor e não contra você que é como o pessoal metido a revoltado gosta de fazer. Não estamos em guerra uns contra os outros, estamos todos mesmo barco. Então antes de defecar no meio do barco você precisa lembrar dos seus companheiros de viagem. Ou algum deles pode também perder a consideração com você e te devolver o material excretado, mas desta vez enfiando pelo lado contrario, ehheh. Você pode ficar exposto ao sol o dia todo se quiser, mas fatalmente isso vai gerar queimaduras. Pela sua visão isso seria a “Mãe natureza”, aquela megera má, tentando te adestrar??? Esse é um exemplo de escravidão de uma espécie por outra, algo que não se relaciona com nada da espiritualidade. Pode sim ser relacionado ao capitalismo, no tempo da escravatura. Ou mesmo hoje em dia, em que algumas empresas forçam seu empregados a usar fraldas para não precisarem parar de trabalhar para ir no banheiro. Então empregado bom é o que não vai ao banheiro, não tira férias, não adoece e não faz greve. É similar ao seu exemplo do gado. Mas ambos são exemplos do atraso persistente na evolução da raça humana. Note que o principal argumento do vegetarianismo, or exemplo, é exatamente não contribuir para a escravidão de outros seres. Usar os erros e abusos da sociedade, que faz tudo só pensando no material, para estabelecer uma analogia com objetivos da espiritualidade é corromper sua própria compreensão da vida. Numa sociedade que seguisse os princípios da evolução espiritual, contra os quais você parece estar se pronunciando, esse tipo de exploração animal seria extinta exatamente por ser incompatível com a ética da espiritualidade. Mesmo hoje em dia tem muito vegano militando para acabar com isso no mundo todo, mas as pessoas tem prazer em viverem sintonizadas com o mal, e portanto desprezam essas iniciativas. Depois não sabem porque a humanidade está enterrada na fossa até a boca. Não é bem assim, eheheh. É como uma sucessão de lixas. Você usa lixa muito grossa quando as imperfeições são grosseiras ( os habitantes do “inferno”). Usa lixa média com os habitantes dp plano físico. E usa lixa fina com quem habita apenas o astral.... e assim progressivamente. Se não fosse assim, quem habita em dimensões mais sutis estaria estagnado. E é exatamente por isso que caso um habitante da terceira dimensão conseguisse se mudar definitivamente da terceira para a quarta dimensão (etérica, não astral) usando as técnicas Jinas, ela não poderia evoluir, porque ela ainda é muito grosseira psicologicamente, e o desafios nessa dimensão missão mais suaves, porque o grosso já foi polido no plano físico. É simples de entender: qualquer um consegue ser bom pai, bom amigo bom marido, sob condições favoráveis. Mas é muito mias desafiador continuar sendo bom em condições terríveis, estressantes. Para quem vive em condições estressantes, parar de agredir esposa e filhos, não se entregar a vícios, pode significar já uma evolução. Mas para quem vive em boas condições, evolução significa não alimentar maus pensamentos, ou palavras meio ríspidas, em relação a sua família. A progressão do processo educativo sugere que as condiçoes sejam cada vez mais exigentes, mas isso não significa maior dureza, mas sim cobrar mais QUALIDADE EVOLUTIVA de quem já tem condições de fazer mais. Todo processo de aprendizado é assim, mesmo o escolar. Se a criança pensar “não vou seguir estudando porque se as aulas de aritmética já são horríveis, imagine como será na faculdade!!!!” , ela estará ignorando que a vida traz desafios crescentes porque sua capacidade de superá-los também cresceu, o que mantém constante (ou até reduz), o desconforto no processo de aprendizado. É similar ao que acontece quando você não quer estudar, não quer trabalhar, não quer sair de casa... vai ficando preso num mundo de fantasias mentais, numa espécie de loucura, obcecado pelos próprios padrões mentais repetitivos. Por milênios.... A mente se volta sobre si mesma e você vira uma espécie de autista, que perde contato com a realidade astral o seu redor, depois vira um “ovóide”, uma “coisa”, um corpo similar a uma pedra. E se nada for feito, sua individualidade desaparecerá, porque ns regiões astrais inferiores há uma “gravidade”, uma atração em direção ao centro do planeta, que dissolve tudo que cair nele. Milhares de anos sem avançar levam essa individualidade para o retrocesso progressivo, não há como ficar parado. E o retrocesso te leva à dissolução dos corpos inferiores (astral e mental), e você vira uma gota no oceano. Está em deixar que você faça suas escolhas e arque com as conseqüências. Que estranho seria o universo se escolhas não gerassem conseqüências... Você jogaria algo no fogo e ele não queimaria. Tomaria água e não mataria sua sede. Limparia a louça mas ela permaneceria suja. Faria o bem e só receberia o mal em troca. Novamente, não tem cabimento usar os ERROS do plano material como referência para entender o plano encarnatório. Um hetero não quer amor gay pelo mesmo motivo que um gato quer uma gata e não um cachorro como amante. Gays se relacionam amorosamente com outros gays, ainda que no Brasil estejamos atrasados nisso: https://pt.wikipedia.org/wiki/Stephen_Fry#Vida_pessoal Sexo né? Não amor. Mas também, sempre existiu “casamento por interesse”, que é uma forma velada de prostituição, com o aval da "sociedade de aparências". Mas amor não foi feito para dar dinheiro mesmo. O trabalho é que foi feito para isso. Mas pouco, ehehhe, porque quem trabalha não tem tempo de ganhar dinheiro né? Ganhar dinheiro é atividade de desocupados que já tem dinheiro e estão sempre procurando novas formas de multiplicá-lo, sem precisar trabalhar. Acontece que sua natureza interior não é faz de conta. O faz de conta são os eventos externos, que são usados como estímulos para você enxergar o que tem dentro de si e corrigir. É fácil achar que é evoluído se estiver isolado numa caverna no tibet, só meditando e comendo uma vez por dia. Não terá estímulos que te façam enxergar seus defeitos. Difícil é ter o mesmo equilíbrio numa capital, cheia de fumaça, buzinas, pedintes, cachorros, e balas perdidas. Muita gente pensa assim e não tem problema algum em ficar em paz e se manter financeiramente. Nao precisa querer ser como Jesus para chegar nisso. Mas o fato de você ter que passar por essas dificuldades, como muita gente também passa, mostra que você precisa sim achar dentro de si o que pode ser que te gerou a A NECESSIDADE DE PASSAR POR ISSO. Muitas mulheres não querem ser perfeitas como ser humano, só querem casar, ter filhos, uma vida comum. E por algum mistério, toda vez que tentam engravidar acabam tendo abortos espontâneos e nunca conseguem ter filhos. Porque essa simples “felicidade” tão fácil para a maioria (a ponto de ser um problema, como a gravidez precoce), é negada para elas? É porque algo dentro delas precisa ser corrigido, e essas experiências frustrantes é que são a correção. A cada um cabe as experiências corretivas de acordo com sua psique, mas o bom é que isso passa Roberto! Todo processo de sofrimento é um processo de cura, um remédio, e quando acaba tudo volta ao normal. Mesmo um câncer que leva à morte é apenas isso, um processo de cura, energias densas fruto de emoções e pensamentos tóxicos que se condensam e descem para o físico, coo se fosse uma espinha inflamada que estoura. Após estourar, você se livrar do problema. No caso o desencarne pelo câncer limpa o corpo astral desse livro, e na proxima vida a pessoa vem melhor, menso intoxicada por essas emoções e pensamentos negativos. Mas se a pessoa se revolta contra o próprio remédio, a doença ficará mais grave, é inevitável, e automático. Se você ajuda o remédio a funcionar,tetando melhor sua psique nos aspectos que identifica como necessários de alterar, a cura será mais rápida. Nesse caso, observe dentro de si quais sentimentos e pensamentos surgem como reação ao remédio, e procure neutralizá-los, para que não fiquem mais fortes, ou o remédio também terá que ter sua dose aumentada. Existe seu “Eu superior”, que nota que sua parte inferior enviada para encarnar aqui fez um mau trabalho, e então envia ela de volta para repetir a aula e ver se dessa vez ela faz direito. Agora ela vem desmemoriada, mas o arquivo da experiência anterior existe, estocada no Eu superior. Se a parte inferior, encarnada aqui, se voltasse para dentro, ara saber melhor como agir, ao invés de reagir no automático, quando a cena do teatro se repetir n próxima vida, ela não repetiria o erro novamente. Mas se ela só percebe a vida com uma sucessão de eventos EXTERIORES, ela vai agir sempre no automático, repetindo as mesmas respostas que deu nas vidas anteriores, e cada nova encarnação se torna uma repetição infinita dos mesmos problemas. Quanto mias repete, mais haverá uma compulsão de repetir. Até que precise acontecer uma quebra total, uma crise violenta que obrigue essa pessoa a parar tudo, a rever tudo que pensa sobre a vida, a botar para funcionar uma verdadeira reflexão interna e parar com esses automatismos, esse perseguir prazeres e fugir das dores, como se isso fosse o único sentido da vida. Esse é o ponto. Temos papéis na vida. Nem todo mundo que você olha de fora e classifica como vilão, é vilão. Há pessoas que tem uma missão desagradável a cumprir, mas a cumprem porque esse é o plano cármico que envolve vários outros. Por isso, alguns tiranos podem reencarnar numa boa, numa próxima vida, apesar de “tudo o que fizeram de maldade no mundo”, enquanto outros nem encarnam mais, só afundam no umbral até se dissolverem. O primeiro estava agindo como agente do karma coletivo, e por isso talvez tenha feito milhões sofrerem. O segundo estava só sendo mau mesmo, e aí tem que encarar as medidas corretivas depois, quando desencarna. Olhando de fora não é possível diferenciá-los. A Beatriz Segall terá que fazer isso que voe cita apenas se ela não tivesse sido capaz de desempenhar corretamente o papel de Odete Roitman. Se foi vilã a menos, ou se foi vilã a mais, precisa repetir para aprender. Se foi “na medida”, aí não. Quem determina a medida? Nosso Eu supeiror, nossa intuição interna sobre como agir em cada situação. Óbvio que é mais fácil falar do que fazer! Estamos todos nesse mesmo barco e cada um precisa desenvolver isso em si, ou vamos andar ás cegas na vida, tateando e errando muito. E aí item que ficar repetindo lições, o que é um tédio!
  2. 3 points
    Ocorrida em 16/05/2019 Acordei de madrugada e nao me mexi. Passei imediatamente a fazer uma técnica. Depois de tentar o método do afundamento de cabeça (técnica que adaptei de outra) sem sucesso por excesso de despertividade, voltei a dormir e logo depois despertei novamente. Como novamente não tive sucesso no afundamento da cabeça, passei a usar o som da pineal. Funcionou imediatamente! Senti uma eletricidade no cérebro e me lembro de ter pensado que estava instalando um EV poderoso. Me levantei da cama e ndei pela casa impressionado com o nível alto de lucidez dessa projeção. Fui até a sala e como as sensações estavam reais demais (inclusive o peso e o tato ) contei os dedos para me certificar se não estava no fisico. Haviam mais do que cinco dedos na mão e estavam curtos demais. Fiquei empolgado. Fui até o quarto da tia de minha esposa e a vi deitada na cama. Como ela é espírita, fiquei pensando o que ela acharia caso acordasse e me visse ali. A seguir, pensei em implementar meu plano de ação mas me lembrei que minha esposa reclamou que eu não a chamo para ir comigo nas minhas viagens astrais. Voltei ao nosso quarto e toquei nela, "puxando-a" pra fora do corpo. Ela ficou confusa. Achava que estava desperta e não acreditou em mim quandobeu disse que estávamos projetados. Pedi que ela contasse os dedos da mão e ela disse que tinham sete dedos. Ficou impressionada e eu disse que aquilo significava que ela e eu estávamos ambos fora dos nossos corpos físicos. A seguir saímos de casa juntos e eu estava conversando sobre o que poderíamos fazer. Saímos a acho que fomos a algum lugar, até que entramos em um tipo de festa. Ficamos lá olhando as pessoas até que veio um homem, um misto de Garçom e segurança e muito educadamente nos avisou que aquela reunião ou festa era particular. Fiquei impressionado que ele nos visse e perguntei: -Você é uma consciex? Ele sorriu e disse que sim. Havia outro homem idêntico a ele na festa, mas esse era convidado e outro identico a eles do lado de fora. Achei engraçado que ele no pedisse para sair com aquela polidez afetada e me lembro de brincar dizendo: -Querida, até no plano astral existe o Country Club! E saímos de lá rindo. A seguir tentei ensinar minha esposa a voar, coisa que ela teve dificuldade em fazer. Quando alçamos vôo, uma conciex passou a nos seguir e não percebi quando ambos os três ficamos a voar seguindo cada um, um fio . Os três fios iam na mesma direção e essa consciex que nos seguia tentava nos enganar de alguma forma. Me lembro pouco do diálogo com ele, mas do que foi dito, me recordo de chama-lo de "pai de todos os vigaristas" e que ele começou a falar: - você sabe o que dizem, né? "Uma piada só é engraçada... E eu completei: - Até todo o mundo passar a Fazer parte dela. Realmente não me lembro de todo o diálogo . Chegamos a um ponto do voo em que o fio que minha esposa seguia estava rompido e eu olhei para ela é disse que era hora de ela voltar. Que eu logo desceria e estaria com ela. Mas antes de descer, eu disse que ela provavelmente não iria se lembrar da projeção e que deveríamos combinar alguma coisa. Eu perguntei algo e falei para ela me dar a resposta, mas foi uma pergunta que inventei na hora: "Qual o dia do aniversário da minha gata?" Ela mesma inventou a resposta: "Dia 1 de abril!" Daí ela desceu pro que eu pensava ser o plano físico. Quando ela saiu, senti que algo estava errado. Olhei para o meu fio e ele nao estava rompido, mas manchado de sangue. A Consciex: que nos seguia estava ali e eu disse a ele: -Fale... Ele me disse que eu não voltaria. Que eu estava morto e que um médico tinha atestado minha morte por embolia no horário do café da manhã. Me lembro de ter ficado consternado demais, não por morrer, mas por deixar minha esposa. Estava preocupado com a reação dela e queria muito voltar, nem que fosse por alguns minutos e lhe dizer que estava tudo bem, que ficaria tudo bem... A consciex que estava comigo começou a falar, dizia que me daria aquele tempo que eu queria, desde que eu ficasse depois a serviço dele. Comecei a raciocinar que se eu concordasse, eu veria minha esposa por alguns minutos e depois ficaria afastado dela, talvez para sempre. Eu estava sofrendo muito por me separar dela, porém, pensei que a separação seria apenas por pouco tempo. Decidi não ceder e não fazer acordo com a Consciex. Eu olhei para ele e disse Não. E que estava pronto para morrer. Quando disse isso, acordei na minha cama. Minha esposa estava dormindo suavemente e eu peguei o celular para anotar essa experiência. Geralmente eu evito perturbar o sono das pessoas da minha casa fazendo anotações de madrugada, mas isso me pareceu importante... Ela acordou e me perguntou pequena estava fazendo e eu pedi desculpas, pois tinha que anotar. Antes de ela dormir eu perguntei qual a data de aniversário da minha gata. Queria ver se ela lembrava. Ela voltou a dormir e eu passei a última hora digitando este relato e também uma despedida. Não tinha certeza quanto ao que me foi dito sobre minha "morte", é tão tratei de deixar escrito o que eu talvez não tivesse oportunidade de dizer. Deixei arquivado em um lugar onde eu sabia que ela procuraria no telefone , se alguma coisa me acontecesse. Dormi abraçado com ela e pela manhã, quando para minha grata surpresa eu ainda estava vivo, contei a ela sobre a projeção e perguntei a data do aniversário da minha gata. Disse a ela para me falar a primeira data que lhe viesse a cabeça, sem se esforçar para lembrar. - Apenas me fale essa data que veio a sua cabeça... Ela me olhou e disse: - 14 de abril. !!! Mostrei no celular o relato digitado e a data 1 de abril. Ela ainda não acredita muito em mim. Disse que quando perguntei a ela de madrugada, antes de voltar a dormir ela pensou "acho que é abril", mas ela não quis me falar apenas o mês. Errou por treze dias do total de 364! E ainda acha pouco! Detalhe: a data foi inventada por ela na hora da projeção, pois eu não faço ideia de quando minha gata nasceu.
  3. 3 points
    Ocorreu uns 18 anos atrás, logo que comecei a me projetar lucidamente, com técnicas: Era de tarde, minha esposa e eu ainda eramos namorados. Fui dormir de tarde na casa da minha esposa e tentar me projetar. MInha esposa foi trabalhar uns 800 metros longe de casa, num mercado como promoter de vendas de um refrigerante, daquelas bancas que você experimenta o produto/refrigetante no mercado. Saí em projeção naquela tarde. O curioso é qiue eu não pensava em ir lá no local onde ela estava. Lembro que saí em projeção no quarta e logo em seguida me vi no local onde ela trabalhava. Ali projetado vi ela e vi que um senhor de idade se aproximou e perguntou onde ficava o refrigerante sabor limão e pegou na prateleira de baixo um refrigerante de outro sabor. Então minha esposa falou que ele havia pegado o sabor errado e apontou o correto. Depois disso acordei. Quando ela voltou contei a ela a cena que vi e ela disse que ocorreu exatamente como eu havia visto. Inclusive ela achou que eu havia ido lá fisicamente pra saber aquilo. Mas ela sabia que eu praticava projeção astral na época. Antes disso eu ainda achava que a projeção poderia ser algo criado mentalmente. Após isto tive aquela certeza. Li em algum lugar no fórum antigo e um usuário me disse que nossos mentores poderiam nos proporcionar essas projeções de comprovações para que não fiquemos nessa dúvida de ser mental.
  4. 3 points
    Nossa como eu era b**** nessa época :V
  5. 3 points
    Só como complemento: Passei por algumas situações que me levaram a uma Síndrome do Pânico que apesar de já em tratamento “físico” também requer alguns toques de sabedoria esotérica antiga. Antes de sair de casa, respire bem, medite e imagine uma esfera de proteção ao seu redor. Quando algo conseguir furar este bloqueio, respire repetidas vezes apenas pelo nariz e imagine a esfera novamente. Saia de perto de telas com transmissão de informação negativa. Fones de ouvido também ajudam. Quando chegar em casa, tome banho e faça como se a água limpasse além da sua matéria. Se persistir, mentalize (sem verbalizar) um pedido de auxílio do seu guia. A razão disso tudo é boa: você expandiu sua consciência e sintoniza o ambiente. Comigo funciona na cidade com a pior energia do país. Sei que não é fácil. Paz e luz.
  6. 2 points
    ando meio desconfiada de tudo. já recebi muita ajuda vinda de conhecimentos do além mas também informações que não batem com nada. como saber quando estamos falando com o um espirito sério ou outro embusteiro? sei que eles veem nossas formas-pensamento e isso pode dar campo para um espirito extra entrar num assunto e parecer envolvido. estou perdida no raciocinio e sem foco para continuar na busca de conhecimento.
  7. 2 points
    Relatos que lembro e que eu ainda não havia postado, da época (18 anos atrás) que descobri (através do Wagner Borges) e fiz algumas projeções lúcidas com saídas diretas. Quiserem comentar fiquem a vontade. 1ª - Após 6 meses tentando, com a técnica da corda (livro do Robert Bruce), eu ficava ali esperando o ponto x (esperava o corpo dormir com a mente acordada forçando a saída imaginando a corda). Nessa eu apenas senti meu corpo afundando no colchão, me assustei e voltei ao corpo, mas foi bom porque vi que era possível. 2ª - A primeira projeção com saída total. Nessa eu senti os braços astrais saindo do corpo físico e segurando a corda imaginária, e me puxei para fora do corpo. Sentei na cama projetado e vi uma moça morena de uns 20 anos e de camisola branca tipo camisa tamanho grande passar pelo meu quarto, vindo de uma parede para outra, parecia que ela não me via ali. Me assustei e voltei ao corpo. 3ª - Essa foi engraçada no final. Eu saí no ponto x, sem a técnica da corda, só imaginando sair mesmo, foi a tarde, o corpo astral deu um salto e se sentou na beirada da frente cama. Escutei um som tipo grunhido e estava meio escuro, tipo como quando você dorme a tarde mesmo, vi um ser de forma humana mesmo, e ele partiu em minha direção e segurou nos meus ombros ainda grunhindo. Naquela hora lembrei de uma técnica de defesa do livro do Robert Bruce, de enviar um feixe de luz branca/amor do chakra frontal em direção à ele. Fiz isso e foi incrível pois o feixe saiu mesmo e quando ele foi atingido foi como se tivesse tomado um choque muito grande, como daquelas pistolas de choque de seguranças. Após o choque ele ficou caído no chão do quarto como se estivesse se debatendo de dor. Após alguns segundos ele se levantou e saiu correndo, eu corri atrás dele, ele foi para os fundos da casa pela porta da cozinha. Ele havia tomado distância e chegou no fundo do quintal, parou e olhou para mim e disse "você vai ver, vou chamar a galera", com essas palavras kkk. 4ª - Saí projetado, técnica direta, e saí do quarto. Era de tarde, e no quintal vi duas entidades com aparências de bruxas, elas levitavam 1 metro no ar, e então uma delas jogou algo em minha direção. Eram pequenas cobras, que quando me acertaram eu fiquei assustado e acordei. 5ª - Saí projetado de tarde no quarto e sentei na beirada da cama. Logo em seguida veio uma moça morena de cabelos curtos e de uns 20 anos, ela me abraçou e ficou chorando. Senti que ela estava perdida, como se não soubesse o que estava acontecendo. Não senti medo nem nada de ruim vindo dela. Fiquei com pena dela. 6ª - Essa foi de comprovação e vou postar num tópico separado. 7ª - Essa foi recente e indireta, uns anos atrás, eu fazia umas práticas de energização dos chakras, não fazia mais técnicas para projeção. Mas acho que porque acordei e cedo e voltei a dormir ela ocorreu, mas acho que está mais para um sonho lúcido. Me vi lúcido em um local no meio da floresta, era uma igreja pequena e em local aberto, vi um padre ali tipo aqueles jesuitas antigos, e vi alguns fiéis indígenas. Perguntei ao padre onde eu estava e ele respondeu "vila bela da santíssima trindade" (e esse local existe no Mato Grosso, passei perto viajando de carro e vi placas com o nome dessa cidade). Perguntei em seguida ao padre em que ano eu estava, e ele respondeu 1758. Pensei que era um sonho lúcido e pensei em voltar ao corpo e sair projetado, senti um puxão e voltei ao corpo e acordei.
  8. 2 points
    Vou relatar por aqui pra não criar outro tópico: Hoje dormindo pela manhã, de barriga meio pra baixo, me senti afundando no colchão. Na hora me lembrei de sair em projeção. Eu não fazia nenhuma técnica. Essa é uma das vantagens de saber sobre a projeção, se eu nao soubesse sobre isso teria me assustado. Aproveitei a afundada no colchão e com a intenção na mente saí projetado flutuando pelo quarto em direção a porta pra explorar la fora. Interessante é que flutuei saindo da cama na posição em que estava, de barriga pra baixo e com a cabeça olhando pra frente. Enxerguei o quarto normal, mas ao passar pela porta não consegui enxergar mais nada, somente a cor cinza, como se a porta tivesse metros de espessura, e eu ali atravessando. Por conta disso, pensei em voltar ao corpo, pra ficar pelo quarto, e senti eu ser puxado, mas não tão forte. Mas acabei emendando num sonho sem lucidez. Estranho é que antes de atravessar a porta fiquei com receio de perder a projeção, tive a duvida se eu conseguiria enxergar la fora, e realmente foi o que ocorreu, não consegui. Não sei se já fui com isso em mente, me atrapalhando. Mas em outras projeções antigas eu atravessei as portas enxergando normalmente do outro lado.
  9. 2 points
    O assunto e complexo, eu vi esse video e tinha reparado nisso. Na verdade ela corta o.video em varios pontos e da para notar que chorou ao voltar num dado momento. Nos videos recentes ela conta que foi porque objetos inanimados estavam se movendo ali ao lado enquanto ela falava para a câmera. Mas assim, independente dos PORQUÊS disto ou aquilo ter acontecido, o aspecto que me fez trazer o video dela é porque sendo ela uma médium já com alguns anos de experiencia e sendo clarividente, ainda assim se enganou com as entidades com as quais ela estava habituada a lidar. Seja porque entidades da goecia fingiram ser sua pomba-gira. Seja porque sua pomba gira não era a amiguinha que ela pensava e mentiu para ela, seja porque entidadea da.goecia e emtidadea de quimbanda possam ser as mesmas, porém trabalhando sob contextos culturais diferentes.... tanto faz as RAZÕES. O que chama atencão é que se mesmo pessoas experientes, que são médiuns e clarividentes, que lidam com as mesmas entidades há cerca de dez anos ainda assim podem ser tão facilmente ludibriadas..... Imagine então os novatos...
  10. 2 points
    Fiquei na dúvida e não postei no fórum de relatos porque a experiência foi no físico. Relato de 2013. Na época eu estava tratando uma doença grave, e estava abalado por causa dessa doença. Eu tomava 14 comprimidos por dia. Estava com medo de morrer e essa doença foi o estopim de uma síndrome do pânico que hoje é controlada. Fui dormir e esperar o sono. Após um tempo, deitado de lado e ainda acordado, uma voz tenebrosa começou a falara perto do meu ouvido, fora, não na minha mente, como se fosse uma outra pessoa falando mesmo perto do ouvido. A voz dizia "você irá se f.......", e ficou repetindo isso umas 20 vezes. Na hora eu pensei "não vou virar e olhar porque senão vou ver algo" e fiquei fingindo ali como se eu não estivesse ouvindo nada até a voz parar. Mas foi tenso. A minha opinião é que alguma entidade se aproveitou daquele momento meu de fragilidade pra me botar medo.
  11. 2 points
    Essa é uma ótima forma de dizer que a responsabilidade pela minha crise é de qualquer um, menos minha! Qualquer trabalho de transformação pessoal, de mudança frequencial, mesmo que seja tomar um floralzinho básico, vai provocar catarse. Isso ocorre quando "aquilo" que estava sob a superfície começa a vir a luz da consciência. É neste momento que começamos a ver nossa própria sombra - e a única " entidade negativa" envolvida no processo é apenas a própria mente/ego se sacudindo pra não aprender. Outra questão importante: quanto tempo isso leva, e quanto "sofrimento" a pessoa vai viver nesse período, dependem de quanta entrega e aceitação existe no processo, e de quanto lixo a pessoa carrega (a maioria das pessoas não sabe, mas carrega muito, muuuito lixo, e tirar isso dói sim!). Por isso Carl Jung sabiamente descreveu: "As pessoas vão fazer qualquer coisa, não importa o quão absurdo, para evitar olharem para suas próprias almas."
  12. 2 points
    Relaxa Rosa. Eu desejava na proxima vida reencarnar como monge budista isolado desse mundo materialista e egoista. Mas estudando o assunto vi que é pior correr. É dificil aprender sem errar. Cheguei a conclusao de que melhor deixar que cada um siga seu caminho com suas escolhas, e torço pra que aprendam futuramente. Mas que nao atrapalhem vc. Porque a partir do momento que atrapalham, o melhor é se afastar. Ninguém é obrigado a ficar perto de quem lhe faz mal. Mas se nao faz tao mal assim, deixem que vejam vc como exemplo, e vc tb pode tomar alguma lição com eles, enxergando eles como uma chance de praticar a tolerância. Se vc perceber, a maioria das pessoas é assim, nao estao nem aí pra essa tal “evolução espiritual”. Esses dias postei um topico aqui sobre o ego, e o autor diz que 97% ainda nao se interessa ou nao esta pronto para a espiritualidade, e apenas 3% esta livre do ego. Olhe a sua volta e perceba isso. Cada pessoa age baseada em seus interesses, e os interesses dos colegas que vc cita não é espiritualidade. Entao nao espere que ajam diferente do que eles querem. Ou seja, algumas situações insatisfatórias são causadas por nossas proprias desilusões, pq depende deles e nao de vc. Enxergue cada individuo em sua singularidade. Analise o interesse de cada um. Analise o ego de cada um. O ego é o que ele pensa. O indivíduo acha que ele é o que pensa. Daí vem os problemas. Talvez lhe conforte mais saber disso, e lhe traga alguma compreensao de pq somos/agimos assim. Te indico leitura de textos de osho e do budismo sobre o ego. Irá te ajudar a entender essas pessoas, entender porque agimos assim, e tb te ajudara a evitar alguns atritos.
  13. 2 points
    As atitudes deles são responsabilidades deles. Você pode não participar delas, não encorajá-las e, se tiver abertura para isso, conversar a respeito, expondo sua oposição com didatismo, a única forma que é propícia a produzir resultados. Eu não acho legal se meter onde não se é chamado, a não ser que o caso seja grave e peça uma intervenção mais drástica, o que também terá consequências mais drásticas e precisa, portanto, ser bem pensado. Recomendo que tenha cuidado para não ser julgamentosa/moralista, querendo impor seus padrões de comportamentos para os outros, no mínimo porque isso não costuma levar a lugar nenhum. Nos relacionamentos genuínos sempre há troca de experiências, e aí surge a oportunidade de você passar algo para eles, como também de receber. Se você não se sente bem na companhia deles, parece bem razoável se afastar, ou manter um convívio mais para a linha do social civilizado. A não ser que você se torne uma eremita, vai ter de conviver com os irmãozinhos e convém que essa convivência seja pacífica e minimamente construtiva, certo? Reflita sobre os motivos que a levam a querer ser próxima deles e os que a levam a querer se afastar. "Antes só que mal acompanhado" --- é um chavão, mas nem por isso menos verdadeiro. Algumas pessoas são mais extrovertidas e carentes e, quando desenvolvem certa sensibilidade e certo nível de criticidade, tendem a ter problemas de convívio, de manter relacionamentos antigos, etc. Tudo tem bônus e ônus, ora. Em algum momento você pode encontrar pessoas que tenham mais a ver com você, mas agora você está na faculdade e inevitavelmente vai ter contato com pessoas diferentes. A questão é o quanto você vai se aproximar delas, o quanto vai se deixar influenciar, que influência vai exercer. Acredito que o exemplo seja a melhor forma de transmissão, até porque, além de ser prático, traz uma certa "autoridade", em oposição, por assim dizer, ao que acontece com o típico pregador hipócrita. Você foi muito genérica na sua exposição. Como eles poderiam atrapalhar sua evolução espiritual? Os cenários que podem estar acontecendo são incontáveis, com eles podendo apenas ser carnistas enquanto você é vegetariana, por exemplo, até eles serem sociopatas consumados, o que não creio ser o caso. Pode ser algo muito bobo, como eles beberem álcool e você se abstêmia, entende? Por isso é difícil aconselhar de modo mais concreto.
  14. 2 points
    Oi Rosa. Na minha opinião o importante é que você se mantenha fiel àquilo que você considera como certo, sem se deixar influenciar pelas atitudes e pensamentos desses amigos. Não caia naquilo do "não quero isso, mas vou fazer, senão... vou perder a companhia... ".
  15. 2 points
    Concordo que nem sempre estamos em contato com os reais "mentores" ou "anjos' e que podemos estar sendo influenciados para determinadas situações ou que não é preciso uma "aprovação oficial" para termos acesso ao Astral. Agora te pergunto, e quando você começa "sintonizar" uma consciência que inicia um processo de instrução que acaba gerando situações reais de sincronicidade, envolvendo a realização de treinos, psicofonia em pessoas próximas com a mesma consciência informando detalhes e tudo isso levando a cura de uma doença gravíssima de uma pessoa próxima? Que nome devo dar a essa consciência (na verdade são 3)? Algumas coisas que já descobri: • Não é preciso Mentor para projetar. • Os Mentores não são pessoais e não estão 100% do tempo a sua disposição. • Eles não se aproximam de quem procura solução, apenas aconselham. • Eles não carregam o seu fardo, apenas te dizem se está na direção correta. • Em muitos casos falam curto e grosso sobre suas falhas. • Você não consegue fácil contato com eles se sua vibração for baixa influenciada por álcool, fumo, necessidades fisiológicas e/ou interesse fútil. O máximo que você consegue é se tornar uma piteira energética em planos baixos ou sonhos com baixa lucidez e acha que é projeção. • São mais inteligentes e respondem sobre assuntos profundos, como por exemplo, geometria, estado da matéria, filosofia, etc. • São superiores pois não se abatem com nossa resposta humana a situações. Sempre nos perdoam e nunca nos abandonam. Alerta: Uma vez estava conversando com um suposto Mentor (dando uma de inteligente mas com falhas bem óbvias), bem no início da minha pesquisa, e quando comecei a orar mentalmente notei que ele começou a tirar sarro da minha cara. Rindo. Depois quando iniciei uma proteção energética, ele começou a gemer como se estivesse sentido prazer. Alguns segundo depois, ouvi ele reclamando que suas mãos estavam doendo e pediu desculpas. Parecia que tinha uma equipe vindo tirar ele dali. Depois disso, sempre fiz testes para saber o nível intelectual da consciência. Muitas vezes aparecem uns "amigões". Mentor é bem diferente e nunca vi em sua forma real, sempre aparecem em situações de aprendizado mas com aparência neutra. Paz e Luz. Foco no amor.
  16. 2 points
    O pessoal aqui tem muito essa mentalidade de jogar tudo para cima do tal do "mentor pessoal", uma postura que é um tanto incentivada pela literatura espírita (muito influente no Brasil), e uma figura que na verdade já aparece em algumas vertentes cristãs sob o nome de anjo da guarda. Não digo que não exista um espírito com essa função. Só acho que isso tende a levar a uma postura de dependência, comodismo e simplismo. Em tudo quanto é canto de discussão sobre projeção, por exemplo, fulano entra em recesso projetivo, ou mesmo nunca consegue se projetar, pronto, foi o tal do mentor que bloqueou, seja porque a pessoa supostamente teria feito algo errado no astral e estaria sendo punida, seja porque ela não estaria preparada, ou qualquer desculpa desse tipo. Essa tal "armadilha" de que trata esse relato é um dos frutos da armadilha maior que é sobrevalorizar a figura e o papel do mentor pessoal.
  17. 2 points
    Essa série é muito boa, Joe. Excelente recomendação. Eles abordam algumas coisas bem avançadas que a gente vê quando se aprofunda bastante em termos de universos e dimensões paralelas e que inclusive há relatos de alguns projetores aqui do fórum mesmo e de autores clássicos. O enredo é bem legal.
  18. 2 points
    O grupo de que participei não atendia encarnados, apenas nos reuníamos no sábado, os mentores começavam pela manhã a preparar as condiçoes energéticas da sala usada para isso. Em geral levavam até umas 15 ou 16horas. Eles traziam os obsessores, e sei pelo que meu colegas clarividente,s contavam, que formava uma fila do lado de fora da casa, ate entrando pela casa e chegando na sala de trabalhos. (eu cheguei a ver, num flash de clarividência, uma fila dessas durante uma aula do curso do IIPC, em que praticaríamos exetriorização) A sala de trabalho era lacrada por uma cúpula de proteção, feita pelos mentores, não por nós. E então entrava um grupo de obsessores de cada vez. Por grupo quero dizer classe de entidades. Elas não se misturavam. Então, por exemplo, podíamos primeiro trabalhar com o grupo de obsessores ligados à maçonaria. Deposi de terminar, oque em geral demorava umas duas horas, entraria um outro grupo, por exemplo os Ets insetóides, ligados à igreja católica. E assim seguíamos os trabalhos. E diferença para o que o Joe relata, que acho que é o que acontece num grupo espírita tradicional, é que nesses grupos a entidade incorpora no médium, é inquirido por alguém ali, e fica respondendo as perguntas.... Como se desse para confiar no que as entidades negativas falam.... No nosso grupo elas não eram convidadas a falar, mas meso se resolvem falar, ninguém dava atenção. O médium que incorporava a entidade procurava penetrar na mente dela para saber quem o mandou ali, qual a missão, quem era seu chefe, onde era o QG dele. E então íamos até la por desdobramento apométrico (aquela 'coisa' né????) para capturá-lo, explodir o QG, e libertar os seus escravos (em geral os soldados deles são escravos também. Eliminado a chefia, é cada um por si, fugindo dali, eehe O que a entidade falava voluntariamente sabíamos que não merecia nossa atenção. E a entidade procruava ao máximo esconder a informação do médium, que tinha que ir vasculhando a mente dela, o que as vezes demorava uma meia hora. Eu participava disso, mas mais como estagiário espantado, neste clima assim: Porque naquela época eu nunca tinha ouvido falar desse tipo de atividade. Só quando reli os livros do Lacerda sobre apometria vi que era a mesma coisa. Mas como nunca fui espírita, minha concepção de grupos espírita era médiuns incorporando entidades e os encarnados tentando dar bons conselhos para a entidade parar de encher o saco do encarnado. Boa parte do que rolava eram informações trocadas por percepções clarividentes de cada membro ali. O grupo inteiro era passava pelo tal desdobamento apométrico, que na prática é o mesmo que nada tivesse acontecido, só que ao tentarmos ver por clarividencia o que rolava, em geral nossas percepções batiam, embora se posições diferentes do cenário. Ou seja, é um tipo de "projeção" acordado, em que aqui você está na sala conversando com os colegas, mas ao fechar os olhos e tentar ver algo, acaba vendo o ambiente em que o grupo estaria projetado, o que inclui ver os mesmo seres ou mesmo tipo de estruturas, ambiente astral , símbolos presentes em paredes, roupas. Aqui relatei um exemplo do que vi numa de nossas reuniões: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17111-acho-que-foi-sonho-lúcido-autor-michelle/&do=findComment&comment=74459 Ao que tudo indica uma parte nossa de fato é projetada para o lugares do astral onde acontece a ação. Mas se você não conseguir se concentrar para captar o que percebe, lá, vai jurar que nada aconteceu. Agora, em grupos tradicional de desobsessão eu nao sei por experiencia propria o que rola, só vi relatos de outros, como este do Divaldo: https://www.youtube.com/watch?v=BItIVwSiVe0&feature=youtu.be&t=367 Mas deve ter mais de um aqui no GVA que saiba relatar sua experiência pessoal com esses grupos
  19. 2 points
    Olá amigos, eu postei os livros aqui: https://www.mediafire.com/folder/5mj4gu6h22zmn/clairvision
  20. 1 point
    Percebi que era o da visão rs. Tranquilo. Estou lendo “filosofia oculta do amor e do matrimônio”, de Dion Fortune, e estou gostando. Esse legiao do Robson vou dar uma folheada na livraria. Se não tiver aquela linguagem chata e cansativa dos livros espiritas, compro pra ler rsrs.
  21. 1 point
    08/11/2018 Noite anterior eu tinha colocado o celular para despertar as 05:30 e depois as 06:15, pois queria acordar cedo para continuar trabalhando no meu TCC. Lembro que cheguei a sonhar, depois que dormi novamente e que estava em uma obra trabalhando, estava trabalhando na parte de corte e dobra de barras de aço. Depois disso acordei de olho fechado e pensei intuitivamente que iria tentar sair do corpo. Inicialmente tentei sair de frente, descolar do corpo, com muita vontade, mas não chegou a funcionar, então 5 segundos depois pensei em rolar, com muita vontade, uma vontade tão grande que parecia se misturar com um sentimento de certeza de que ia funcionar. E para minha “não surpresa” rolei para o lado da parede na cama, meio apertado ali, e levantei logo em seguida. Estava escuro o quarto (detalhe: estranho estar escuro porque pelo horário da projeção já poderia estar claro, era mais de 6:20 pelo menos). Assim que saí do corpo tive uma sensação meio que física de dúvida se tinha levantado acordado (de verdade), ou se estava realmente projetado, mas a minha consciência acreditava que estava, então logo saí de perto do corpo. Nem perdi tempo para tentar olhar para o corpo dormindo (apesar de ter batido uma vontade enorme de fazer isso. Lembro que tentei dar uma olhada rápida de rabo de olho, pelo canto do olho, mas não vi nada cama, e também não sei se olhei direito), levantei e saí rapidamente de perto do corpo e abri a porta do quarto. De frente para o quarto tem um banheiro, normalmente eu teria descido as escadas direto, mas eu queria testar o que o Raduga fala sobre olhar nos espelhos e no banheiro tem um espelho grande que pega de metade do corpo para cima. No banheiro as luzes estavam apagadas, então acendi normalmente como faria no plano físico, e olhei para o espelho. Não aconteceu nada como entrar dentro do espelho e sair no mundo de Alice no país das maravilhas, mas aconteceu algo estranho de fato. Não havia reflexo no espelho, e o espelho parecia que tinha uma grade cruzada quase que imperceptível. Deixei isso para lá e me prestei a descer as escadas. Logo quando desci as escadas, tinha o quarto na república que fica embaixo do lado da escada onde ficam dois irmãos, o mesmo estava com a porta aberta e as luzes acesas. Mas não olhei diretamente para dentro do mesmo (pelo ângulo que estava não dava para ver nada), e a dúvida de entrar lá passou rapidamente por minha cabeça, mas como essa dúvida veio acompanhada de um medo sutil, evitei o quarto e saí da casa pelo portão que já estava aberto. Saí pelo portão e fiquei feliz de ter chegado ali do lado de fora, mas tentei não perder tempo com essa felicidade. Eu queria mesmo era “meter o loco”. A rua estava ligeiramente diferente e parecia ter mais árvores onde na realidade não tem, e o ambiente já estava claro. Outra diferença que notei, foi olhar para parede externa que é do quarto que não quis entrar e ver que tinha um portão lá, mas tinha duas janelas compridas em cima, ambas com grades, típico de comércio. Para tentar curtir a projeção, a ideia que tive foi tentar voar, então dei um salto enorme até a copa de uma árvore e comecei a cair lentamente, até que voltei ao chão sem resultado. Então dei um salto alto no telhado da república e de lá dei um salto ainda maior e tentei me esticar e fazer igual um espírito uma vez falou com Saulo, de tentar sentir o “mundo” passando por si e saindo pelos pés (algo assim). E para minha grande surpresa deu certo! Estava voando! Fiquei bem feliz apesar de ter acostumado rapidamente com a sensação, e passei por lugares diferentes que nunca tinha visto na região. Apesar da experiência maravilhosa, tinha uma coisa que estava me incomodando durante o voo que era o fato das minhas pernas estarem um pouco dobradas e não sentir segurança para estica-las. Durante o voo tive a impressão de ter passado por um prédio onde era ministrada aulas. Depois cheguei a um campo aberto onde haviam duas instrutoras dando aula de voo, com as quais não cheguei a interagir, mas gostei de pensar que se fosse eu fazendo minha primeira aula, ficariam surpresos com minha performance de iniciante. Depois dessa grande experiência perdi a consciência e acordei. Nunca tive uma experiência tão completa e consciente das minhas ações como essa. Já tive outras projeções mas ainda não tive a oportunidade de repetir o voo. Tentei algumas vezes, mas por consequência de baixa consciência acordei rapidamente ou dei uns pulinhos bem desajeitados que não deram em nada. Ainda estou aprendendo o que mantém a lucidez e controle durante as projeções. Na época que tive essa projeção, eu meditava todos os dias; estava fazendo os cursos em áudio do Saulo; treinava ficar em ambientes escuros por muito tempo para tentar reduzir o medo de me projetar; fazia práticas energéticas como a OLVE e liberação de chacras. Acho que tudo isso, ou alguma dessas coisas, não sei quais exatamente, me ajudavam a ficar mais lúcido durante o dia e para as práticas projetivas. Recentemente não estou dedicando tempo suficiente a essas práticas, apesar de ter mais projeções e ter descoberto o modo mais fácil para mim de projetar (que é basicamente dormir mais cedo e tentar as práticas indiretas). Tenho tido menos controle e lucidez nas projeções.
  22. 1 point
    No cinema americano ninguém cochila... Até naquela série Supernatural já reparei que eles usam réplicas de lviros de magia reais, porque eu conheço aquelas páginas mostradas as vezes nas cenas. Pelo menso nas primeira temporadas das séries eles costumam ser fiéis.. depois falta conteúdo e eles inventam. Eu lembro desse filme, é provável que tenham usado alguma língua antiga como fonte. Mas ainda assim num caso desses é encenação. O pior é quando o filme é baseado em algum caso real e usam algum áudio real, como no filme O exorcismo de Emily Rose. Aí já é mais perigoso de "abrir um contato".
  23. 1 point
    Muito obrigado pelos conselhos amigo, realmente abriu minha mente !
  24. 1 point
    Parece a descrição do Memórias de um Suicida, da Yvone
  25. 1 point
    O que você ver e/ou recebe nas redes sociais exatamente? Já parou pra pensar o porquê daquilo lhe fazer mal e qual motivo faz você continuar a acessar esse tipo de coisa? (no caso, redes sociais) Eu estou aguardando suas respostas para as perguntas de Carlosmeneses6, que de certa forma seria o que eu ia perguntar. E como o Janus disse, se possível, detalhe mais a situação para que possamos entender melhor.
  26. 1 point
    Eu não vejo como seja possível saber. Eles são pessoas, e algumas pessoas são mais especializadas em enganar as outras. Há médiuns que alegam que você "sente", que nao tem como a entidade esconder. Não acredito nisso porque se fosse verdade não existiriam médiuns que são acusados por outros de estarem obsediados, fascinados, etc... Se um pode se enganar, todos podem. Então papo "você sente" não vale muita coisa. Até anda rolando uma "polêmica" no youtube sobre isso, entre os médiuns, devido a uma dessas pessoas ter sido enganada pela entidade que ela confiava: Neste vídeo ela relata várias estórias, mas isso já ela explicando os motivos pelo quais chegou na sua conclusão expressa no primeiro video: https://www.youtube.com/watch?v=8sNPSTNFh6k Mas o primeiro vídeo, que gerou uma sequência, ( e um monte de vídeos resposta de outros médiuns) é este: https://www.youtube.com/watch?v=-ATpja4NyvY A gente pode pensar "ahh, mas olha o tipo de entidades dela". Bom a questão é que a pessoa tem alguns anos já nisso, é clarividente, trabalhava já há anos anos com essa entidade, e aconteceram vários engodos. Ela não foi capaz de perceber que estava sendo enganada.... (se tivesse seguido seu próprio juízo teria evitado alguns problemas que ela cita ali), ou podia ser pior ainda e não entendeu que os males foram amenizados e não gerados pelas entidades, ou pode até ter sido outras entidades se fazendo passar pela original e ela não percebeu, vai saber... Mas o fato é que casos assim te mostram que não há garantia alguma e não convém ser crédulo com a natureza humana, encarnada ou desencarnada. Confiança se conquista, qualquer pessoa, encarnada ou não, que te dê respostas ou conselhos, trata-se apenas de uma opinião secundária em relação à sua própria. É SUA responsabilidade julgar o que recebe. Se entregar sua responsabilidade a outrem, abdicando de sua capacidade de julgar para seguir conselhos de quem considera mais sábio, há um enorme risco de passar por "experiências de aprendizado" que te ensinarão que essa não é uma atitude positiva. O que nos cabe fazer, eu diria, é TENTAR ENTENDER as razões do outro. Se concordamos e adotamos como nossa a escolha sugerida, bom, temos que fazê-lo com consciência, porque compreendemos que aquilo é melhor. Se der errado, a culpa é nossa e teso que achar onde erramos n análise. Mas seguir conselhos sem compreendê-los, supondo que vem de uma fonte mais esclarecida, é arriscado.
  27. 1 point
    a movimentação de energias, faço pelo exercício da vontade, o energossoma ou corpo energético, faz parte do seu corpo, e por isso esta sob seu controle. Atualmente instalo o E,V várias vezes por dia, em média, mais de 20 vezes, movo as energias em determinada parte do corpo em função de atuar como isca lúcida ou uso a técnica do arco voltaico que uso os chacras frontal e nucal. em média 25 vezes. O Estado Vibracional é uma ferramentar importantissima para a evolução da consciência enquanto encarnada, por que é profilática. Pode e deve ser usado para encapsular a consciência, para evitar assédios externos, entre outras funções. Conseguir dominar o Estado Vibracional só depende de exercício e treino. As bionergias estão em você, depende de você usa-las em favor da assistência na interdimensionalidade, e para isso tem que dominar as energias, no caso o E.V Usar a OLVE ou a MBE, que são a mesma coisa, ou ficar sentindo as energias em uma determinada parte do corpo, ajuda a ir sentindo e aprendendo a mover e dominar as energias. Recomendo focar nos plantochacras por muito tempo, estando bem imóvel, sentado ou deitado, até sentiro os pés esquentarem, ou esfriarem ou sentir que estão grandes inchados, o importante nesse exercício é sentir os pés. Conseguiu isso, passe para outras partes do corpo.
  28. 1 point
    @bandeirapvh OLVE ( Oscilação longitudinal voluntária de energia )https://www.youtube.com/watch?v=faSZ-i0zQJ0 <<< explicação da técnica, com a propositora do nome, Nanci Trivellato. Se fizer bem feita a OLVE, pode alcançar o E.V ou como eu alcançar "e.vs" parcias.
  29. 1 point
    A imersao do Jung no ocultismo o transformou em alguem muito a frente do tempo que a sociedade comum vivia - e até hoje as universidades de psicologia, por exemplo, abordam sua obra apenas em cursos de extensão!
  30. 1 point
    Relatei @Wellington Na verdade os mantras são de remoção de obstáculos (om gam ganapataye namah) e outro de consulta ao nosso guru interior (om gam gurubhyou).
  31. 1 point
    Já que falaram em cristais no tópico eu li em um site e vi uns vídeos que falam que a pedra ametista também ajuda bastante na projeção astral. No site falam que ela trabalha o chakra frontal e ajuda a manter os sonhos lúcidos. Eu testei várias vezes e o que é certo é que colocando a pedra ametista debaixo da almofada eu relembro de manhã os meus sonhos com mais facilidade. O meu problema é nao conseguir ficar consciente durante o sonho. Mas vale apena testar os mais avançado em projeção. Informações sobre a pedra -> https://pedrasmensageiras.com/pedra-ametista-signifcado/
  32. 1 point
    Eu vejo as luzes exatamente como diz esse site: http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2002/11/prana.html Mas parece diferente da descrição do rapaz que abriu o post. Eu tb vejo ao redor da minha pele e na respiração junto com uma fumacinha branca.
  33. 1 point
    Eu notei há pouco tempo uma percepção parecida quando olho o céu claro, a sensação é a de estar vendo algo mais, algo extrafísico, mas não descarto ser algo físico. Será que as ilusões de ótica são fenômenos somente físicos? Não seriam uma percepção maior? Também questiono o oposto: As visualizações e técnicas para visualização das auras são ilusões de ótica ou são percepções reais? Quanto mais tenho percepções mais fico em dúvida, cheguei certa vez, num quarto um pouco escuro, ter a mesma visão com os olhos abertos e fechados, eram vários minúsculos pontinhos, roxos e pretos, lembrando aquelas imagens de TV fora de sintonia, mas com uma imagem bem escura.
  34. 1 point
    Salve Rafael, legal relato é sempre muito bom voar! hahah Sobre a perda de lucidez, passou a ti atos que faço que favorecem, mantra OM testei na prática por algum tempo eventualmente uso e interessante que nem acreditava em mantras testei fora do corpo e vi na prática sua utilidade e outra possibilidade é a MBE, ( mobilização básica das energias ) com um bônus, que se fizer isso em sonho lúcidos, pode alcançar o veículo astral, fiz isso diversas vezes, fiquei lucido em um determinado momento e não tinha certeza se estava em veículo astral, fazia uma dessas "técnicas" e sentia-me flutuar pelo acima do corpo entrava em catalepsia ou em EV e as vezes só relaxava e saia direto, grande abraço e muita luz!
  35. 1 point
    Salve Kekel, segundo seu relato houve um parcela de lucidez o que já é um grande avanço... " escuto um zumbido alto e uns dois estralos me senti bem, senti fisicamente esses estralos e o zumbido, mas não abri os olhos " pode repercussões energéticas e também são sintomas da descoincidência do veículo astral , o que não implica dizer que estava usando o mesmo para essa vivência, pois muitas vezes temos uma descoincidência e ficamos flutuando acima do corpo sonhando, o que acho que foi o seu caso... Pois se tivesse tido os estalos por exemplo seguido da saída lúcida teria supostamente levantado do seu corpo e seguido a experiência da li, e não do mesmo local que relatou... O que poderia ter acontecido também é um lapso de lucidez e já se encontrar fora do corpo... mas pelo seu relato não foi isso. Entretanto reitero,o fato de ter conhecimento de que sonha já é um grande avanço! Grande abraço!
  36. 1 point
    Olha, quando eu fazia esses exeecicios jurava que ficava na altura do diafragma, poruqe s evoce prestar atencao consegue sentir a vibracao de cada som na sua respectiva regiao do corpo. Mas agora procurando, vi que o Samael fala que tem um em cada pulmao. librodemantrams.pdf Deve ficar DENTRO dos pulmoes, assim como todos os outros chackras. Não existe isso de chackra na frente ou na costas. Os cackra ficam dentro do corpo, o que voce vê na frente ou na costas sao apenas emanações energeticas.
  37. 1 point
    Na noite de sexta para sábado (ontem) acordei por volta das 4:20, fui ao banheiro e na volta pratiquei OLVE. Começou uma certa interferência e ouvi umas vozes, palavras, sons de motor elétrico, etc. Ainda no físico, virei de lado e apaguei. Fazia muito tempo que não tinha a sensação de voar mas estava finalmente conseguindo e ainda sobre uma espécie de cidade circular com um aspecto parecido com a nova sede da Apple em Cupertino só que muito maior e mais complexa. Via trilhos de trens, muitas construções de vidro e sabia que precisava ir a um determinado "endereço". Ao me aproximar notei que tinha um monte de tipos de sistemas de transporte os quais não consigo nem explicar. Perda de rememoração. Estou numa espécie de rua procurando uma casa e noto que a estrutura circular é colossal. Fico variando o nível de lucidez e pergunto se eles estão falando alguma língua nórdica e se sim, como que estava entendendo. Eles sorriem e me conduzem a um transporte que me traz de volta a um terminal. Lembro de ver muita gente junta e cheiro de local altamente tecnológico. Perda de rememoração. Estou descendo rapidamente a ponto de dar medo mas sinto que estou acompanhado com alguém que me acalma. Acordo bem mas com dor de cabeça. Paz e luz a todos. Foco no amor.
  38. 1 point
    @Jonatan Santos, eu acho que o @bandeirapvh citou algo importante e acho que o melhor que você faz é ir a um psicólogo apenas para prevenir qualquer coisa. De repente é só uma fase de adaptação mesmo como disse o @Robert. O @Joe e a @lgomes lembraram muito bem da questão mediúnica que também pode influir caso você possua uma maior sensibilidade espiritual. Eu da minha parte, vou apenas sugerir que, quando isso acontecer, faça uma OLVE. Se tiver receio de fazer em público, procure um lugar mais reservado, um cantinho da estação, um banheiro, e faça uma OLVE que vai acabar servindo para dar uma equilibrada nas suas energias. Talvez isso ajude.
  39. 1 point
    Passamos por um período difícil mas as coisas já estão normalizando. /\ Dia desses (3ª, acredito) comecei a ganhar lucidez no meio de um intenso papo com uma Mentora que me explicava a criação de ambientes, formas-pensamento e micro-universos (instáveis). Estava com a sensação que, apesar de não lembrar exatamente do que se tratava, eu havia feito uma pergunta complexa e ela estava tentando me mostrar como funcionam as coisas no Astral. Ela disse: Imagine um ambiente que traga paz. Não consegui evitar e criei uma piscina de uns 30 x 15 m rodeada de grama bem cortada. Era como se fosse um micro universo com as leis da física terrena. Poucos metros além do gramado tudo acabava e tinha um vazio absoluto. Quando me dei conta, a Mentora estava dentro da piscina com uma roupa parecida com a de mergulhador e me mostrava como a física da água funcionava. Entrei na piscina e ela me contou que estávamos num ambiente totalmente criado por mim. Não acreditei de cara e mostrava que tudo estava real demais e brincava com a água e passava a mão sobre o gramado ao redor. Era tudo muito nítido e real. Fiz uma das minhas tradicionais perguntas bestas nestes eventos e questionei o que aconteceria se eu quisesse ficar neste micro universo para sempre. Ela respondeu que eu não tenho energia suficiente para manter aquilo por muito tempo e que é preciso evoluir muito para conseguir criar algo mais complexo (na verdade não criei nada pois a água e o gramado já são ideias criadas pelo Criador. Apenas reproduzi). No caso, só tinha água, a base da piscina e o gramado exageradamente perfeito (sem graça). Em dado momento senti que estava ficando fraco e o micro universo se esgotou igual água indo para um ralo. Ouvi uma última frase em minha mente: "Agora você entende a dimensão, a força e a complexidade do Criador para manter todo o universo?" Acordei super bem e leve.
  40. 1 point
    Já percebi dois tipos de pessoas o gado, povão... Gente dormida... Só se interessam pelo o que o sistema dita. São bem casca grossa psiquicamente não percebem nem um vulto. E as negatividade geralmente atua como stress das grandes centros urbanos. Do outro lado os zens pessoas que manjam de espiritualidade e praticam alguma coisa. E o ambiente e meio social não interferem no seu interior. Já o terceiro tipo de pessoas vejo os médiuns conscientes e inconscientes sofrerem com essa sensibilidade extrema. Qualquer fantasminhas acaba com a energia da pessoa. Pelas minhas pesquisas, práticas mediúnicas deixam a pessoa desprotegida.
  41. 1 point
    Bom, eu já li a resposta para essa pergunta no espiritismo, mas eu queria saber a opinião sobre isso por quem exerce a vida espiritual mais intensa e prática sem aquelas decorebas. A minha experiencia com a miséria é muito forte, desde pequeno a minha mãe por ser semi-analfabeta e mulher da vida, sempre morou em cortiços e casas abandonadas. Eu por vez sempre fui um aluno fraco que só tirava C em tudo, eu só era bom em filosofia, que não serve pra nada. Da minha infância até a minha juventude só morei em malocas e casas abandonadas com a minha mãe. Eu sempre gostei de ir à bibliotecas pesquisar sobre informática, isso me fez ganhar alguns mangos para me sustentar até os dias atuais. Hoje eu estou trabalhando e não moro em malocão mas moro na boca do lixo de São Paulo, estação da Luz, o verdadeiro umbral com U maiúsculo é aqui! Eu vejo o Saulo as vezes brincar que a cidade onde ele mora é o umbral, coitado, mal sabe ele o que realmente é o umbral: De 2017 para cá, o número de pessoas morando na rua aumentou exponencialmente na região onde eu moro, tem pessoas mijando e defecando em pé em todos os cantos da rua, gente igualzinha daquelas que aparecem nas nossas paralisias do sono e pesadelos noturno, nos olhando na rua querendo calcular o que você tem para te roubar, se você olha nos olhos deles, pronto! já é o suficiente para fazer o rapport e eles virem te requisitar alguma coisa ou te roubar mesmo. Até a cinco da manhã tem som alto na rua daquelas músicas bem bregas cantadas por crianças , tipo aquela "Tijolinho Por Tijolinho" , isso tudo acompanhado por gritos de pessoas com problemas mentais que ficam segurando ratos mortos na mão falando coisas estranhas: Tem um que sempre fica gritando alto e de forma desesperada pelo meio da rua e sem camisa "ME SOLTA! ME SOLTA!", tem um outro que grita "IIIIIIIIIIIIIHUUUUUU" , tem um outro com uma voz de lobisomem se transformando parecendo que tem um pau na boca que fica cantando umas coisas sem sentido, enfim, uma vez um até jogou uma pedra na costa da minha mãe! Tem também um mendigo que eu quando olho me dá pena, sinto até vontade de chorar e disfarço quando eu o vejo, eu costumo falar que ele parece Deus naqueles quadros renascentistas: barbas e cabelos brancos e grande, ele não se mistura em algazarras com os outros mendigos, sempre está quieto parado num canto em pé com a suas sacolas na mão e não importuna ninguém pedindo nada, quando eu olho esse senhor eu brinco dizendo que ele é Deus mas eu sinto uma profunda pena que eu não sinto pelos outros. A minha mãe as vezes fala com ele. Uma vez eu estava entrando num banco e ele , sem eu pedir, me alertou gentilmente que ele estava fechado e não abriria nesse dia. Ele está na rua, poderia ser eu no lugar dele, isso me causa muito medo e tristeza. Como que algumas pessoas são tão ricas no amor, no dinheiro e no sexo enquanto outras que são boas ficam cercadas de miséria??? Nossa! Só de falar desse senhor eu começo a chorar! Eu ultimamente estou em um emprego mas sabe quando você sente que a sua vida toda está segurada perigosamente naquele único sustento e que ele pode acabar de uma hora para outra e você voltar à miséria extrema? Já tenho uns 40 anos, não encontro mais forças financeiras e mentais para estudar, sou homossexual só gostei a minha vida toda daqueles caras que gostam de mulher apenas, já sofri muito por isso, até hoje sou virgem e morro de medo de tentar fazer uma faculdade e encontrar aqueles jovens bonitões , me apaixonar calado e sofrer, por isso eu nem tento. No meu emprego as pessoas mandam eu fazer uma faculdade, eu digo que não faço por motivos financeiros , em parte é verdade mas a história verdadeira é essa que eu contei acima. Bom, todas as noites eu ando sonhando que estou morando novamente em malocões , voltando à minha vida de antes quando eu era menor e vivia sendo despejado dos locais porque minha mãe não conseguia pagar o aluguel. Eu estou cheio de sintomas de doenças da idade mas no meu emprego eu finjo que não tenho nada, nunca faltei , nunca me afastei por mais de um dia de trabalho, nunca usei atestado falso. E o pior, eu tento incansavelmente procurar o significado disso tudo que descrevi acima e não me aparecem espíritos, não me aparece intuição e todos os sonhos e pesadelos que eu tinha antes e que pareciam ser coisas espirituais desapareceram do dia pra noite depois que eu passei a pesquisar o ocultismo. Dizem que todo mundo tem um mentor mas se isso for verdade, o meu deve ser deputado... Nas Terapias de Vidas Passadas eu não pego transe , consequentemente eu não regrido, a única intuição que eu tive na minha vida e que funcionou foi uma vez que eu me senti muito ruim psicologicamente de ir à um local , fui e acabei sendo linchado por motivos envolvendo a minha sexualidade, tirando esse fato, a minha intuição sempre foi uma B*TA. E ultimamente eu ando morrendo de medo de ficar no Brasil, eu ando muito irritado com pessoas que não respeitam os outros com barulhos, transito e abusos, estou com raiva daquelas pessoas que mandam a gente quebrar uma regra pois ninguém está vendo, gente que não respeita mais nada e só liga pra si anda me irritando muito, no Brasil as pessoas estendem as pernas e os pés na frente de locais públicos e mesmo pedindo licença para passar elas não se afastam ou se ofendem com isso, isso me deixa p*****! Veja o dilema: eu não gosto do Brasil mas não tenho qualificação para morar num local como Canadá. Eu não queria ser rico, eu só não queria ser miserável e ter que ficar brigando pelo o que é certo o tempo todo, eu queria apenas paz pra andar com meu celular na rua e não ver gente sofrendo a toa. Gente, por que São Paulo está assim? Gente abrindo lixo pra comer? Gente que não respeita a lei do silêncio por todo o canto! Quem precisa de ajuda humanitária é São Paulo, isso sim! Onde eu moro por exemplo, é tipo um campo minado: eu tenho que olhar com muita atenção onde eu piso para não pisar na M* , isso virou uma norma aqui. Eu vejo que tem muita gente aqui que não liga , vive feliz e até come nos barzinhos pra fora na calçada em meio à toda coisa ruim ao redor, não sei se são mais evoluídas, mas eu, eu tenho gancho, a miséria me fere profundamente no peito, me agride, eu não consigo ser feliz num lugar assim, só não saio daqui pois meu imovel foi financiado e eu ajudo a minha mãe a pagá-lo mas eu estou ficando muito down aqui. Credo! São Paulo , principalmente o centro, está fazendo o umbral do nosso lar parecendo um país nórdico! É sério, evitem São Paulo!
  42. 1 point
    Pelo que eu saiba kardecistas não lidam com esses casos de magia mesmo. Acho que aqueles espíritos que falam nos livros do kardec nem acreditam que magia funcione, eheheh. Os mentores da apometria vem da umbanda (que é espiritismo que sabe que magia funciona né?) , acho que por isso sabem como resolver.
  43. 1 point
    Muito interessante as experiências do Sandro. Esses grupos de Apometria e técnicas similares realmente tem formas eficazes de desobsessão. Centros espíritas mais universalistas geralmente usam essas técnicas. Minha experiência de desobsessão foi com medium de transporte e quebra de magia. Em um templo de umbanda. Contei meus problemas de assédios extrafísicos, como já tinha feito tratamento espiritual de passes e água fluidificada e não solucionou os ataques fui pro tratamento de transporte.
  44. 1 point
    Digo possível porque penso que devido eu fazer as técnicas quase diariamente, pensar muito sobre projeção e ler muito também, a idéia fixa pode ter gerado um sonho que eu estava projetado. Antes do relato atualmente tenho 50 anos, quando criança eu sonhava que estava voando e era muito legal, mas não voava como o super homem, voava como se estivesse na posição sentado, como que dirigindo um carro, uma vez estava passando um apuro em um sonho e eu me vi de frente falando para mim mesmo, que não havia problema porque era tudo um sonho mesmo, e algumas vezes acordava mas não conseguia me mexer(catalepsia projetiva) e pensava que era sonho também, pensava que acontecia com todo mundo e que era normal, mas muitas pessoas que eu perguntava se acontecia a mesma coisa negavam que alguma vez tenham tido tal experiência. Enfim vamos ao relato. Lembrei da experiência quando estava tomando café da manhã hoje, não lembrei de imediato após acordar. Lembrei que estava tendo uma certa dificuldade para levantar da cama, na minha percepção eu tinha consciência que estava tendo uma projeção consciênte mas não tinha 100% de certeza por ter uma sensação de absoluta normalidade, ou seja parecia que estava me levantando normalmente e o corpo tinha as mesmas sensações de quando acordado(no meu pensamento quando projetado o ambiente e as sensaçõesa seriam muito diferente de estar acordado e dentro do corpo). Consegui me levantar mas o quarto estava numa completa escuridão e não via nada (algumas vezes deixei uma pequena luz azul ligada para criar uma penumbra visível mas como não dava resulatado e por coincidência ou não nesta época até dos sonhos eu não lembrava comecei deixar o quarto em completa escuridão, desligando da energia até o monitor do pc que ficava em stand by e emitia uma luz vermelha). Estava em dúvida, estou ou não acordado, não via nada, uma sensação de medo também éra constante, e parecia que uma leve corrente elétrica passava pelo corpo, não causando sensação de choque mas de uma certa vibração pequena em todo corpo. Me levantei e pensei vou acender a luz e se conseguir acender eu vejo meu corpo deitado(ainda pensei que teria que me controlar para não me assustar vendo meu próprio corpo inerte na cama). Fui as escuras até o interruptor, não senti esbarrar em nada e chegando no interruptor tentei acender a luz, nada aconteceu e tudo continuou no escuro. Como a sensação de medo começou a aumentar voltei para perto do corpo, uma sensação de insegurança começou a aumentar e tentei sentado na cama sentir meu corpo as escuras com a mão, não senti nada, então pensei, que como tinha lido que perto do corpo perdemos a consciência e estava com medo crescente resolvi entrar no corpo, cheguei perto de onde achava que estava meu corpo e pensei que seria puxado para dentro dele igual a um imã atraindo metal, mas não foi o que aconteceu e eu lembro que fiquei parado um tempinho, tipo uns 10 segundos e nada aconteceu mas depois perdi a cosnciência ou parei de lembrar. Foi isso, quando lembrei fiquei muito feliz, venho fazendo as técnicas regularmente desde julho deste ano (2017), mas fquei com uma certa dúvida se foi realmente uma projeção consciente ou se sonhei que me projetei, meio confuso, mas justamente estou escrevendo porque os detalhes estão vividos na lembrança e por experiência sei que com o decorrer do dia eles vão se apagando.
  45. 1 point
    Mas é isso mesmo, eu sempre procuro formas de explicar as coisas que possam encaixar várias visões juntas porque isso abre o leque de pesquisas para quem lê. Desconfio bastante de visões muito específicas, e se eu não fosse assim, tudo que falo aqui seria um mero ensino de gnose, e EVITO AO MÁXIMO isso. Sua crítica se baseou exatamente nesse traço, o uso de uma abordagem mixada, mas era esse o objetivo mesmo, porque eu fico aqui recomendando livros do Leadbeater, da Dion e eventualmente se o contexto se encaixa, da gnose. Então usar um modelo que vem da gnose, que usa a cabala ( sobre a qual a Dion se estende ) e mescla com Teosofia se encaixa exatamente no tipo de coisa que procuro ao explicar as coisas: INTEGRAR visões , e não DIVIDIR. Seu perfil é exatamente o oposto disso, você pega algo que eu explico e tenta desmembrar para outras coisas. Então eu sei que atingi meu objetivo de gerar uma explicação INTEGRATIVA, quando o cara que gosta de explicações fragmentárias reclama, é simples, eheehe.
  46. 1 point
    É que isso para mim é "o arquétipo do idiota". Mas felizmente é só uma fase. Pelo menos de uma parcela da humanidade... Para mim precisa sim, para você talvez não. Porque isso é usado como artifício para julgar evidências bem práticas, não é apenas a comparação filosófica entre dois conceitos abstratos sem aplicação. O pessoal se pega em qualquer conceito abstrato para fazer cavalo de batalha em torno dele,porque ele se presta para apoiar qualquer "dúvida razoável" conveniente. Mas quando afirma-se outras coisas com muito mais evidências concretas, aí não? Aí é "questionável"?? Para questionar a concretude das tem que trazer coisas MAIS concretas, e não MENOS. Dizer "é assim porque deus quis" , ou "captou isso porque captou on inconsciente coletivo" são ambas afirmações muito vagas, igualmente sem valor, exceto na mais absoluta ausência de qualquer outra explicação mais palpável. A reencarnação é a explicaçao mais palpável, mais razoável, para o caso das memórias checadas. Quem não enxerga isso, tem problemas, não tenho o menor pudor em afirmar. Não, mas parece que você achou que o que EU expliquei tinha que estar corto segundo a SUA visão de cabala. Se você já consultou diversas fontes deve ter percebido que em cabala, cada autor/pensador/meditador constrói sua própria concepção em cima desse esqueleto, a cabal tradicional já não aceita muita coisa da cabala esotérica, e dentro da esotérica cada maluco que se julga mestre muda alguma coisa (como trocar a posição do Imperador pela da Estrela né?) e depois ficam os adoradores de uns brigando com os adorador de outro para saber quem está certo. Portanto não dá muito para falar em "fonte alienígena" não. Como não é um curso de cabala a questão "versão majoritária" x "versão alternativa" torna-se irrelevante. Bom, eu vim da Gnose num primeiro momento e aquele esqueleto que eu usei é de um livro da gnose. Se eu tivesse apenas escolhido uma diagrama qualquer da árvore da vida (e tem vários né? ) ele não seria útil ao que eu precisava explicar, porque traria informações totalmente irrelevantes para minha explicação aqui (ainda que não irrelevante para um curso de cabala) . Então eu escolhi aquele modelo exatamente porque é uma forma de explicar muito mais clara PARA EXPRESSAR VISUALMENTE O QUE EU ESTAVA TENTANDO MOSTRAR. E o que me mostra que escolhi certo é que você não gostou, porque como regra você não gosta de nenhuma explicação que delimite claramente categorias estanques, que é o que permite uma classificação fácil para as pessoas entenderem o que se está falando. Aí se a pessoa gostou e quer estudar o tema, ela vai ver que a coisa é muito mais ampla e complexa, mas aí é com ela seguir estudando assunto ou não. Pode não servir para o SEU MODELO de explicar as coisas, mas como a explicação era minha, eu decido qual o material trará mais clareza a quem lê.. .
  47. 1 point
    Cyber, Eu ia tentar esclarecer ponto por ponto, mas foi ficando impossível, porque suas conclusões são todas baseadas no conhecimento que você tem sobre o tema, que parece um pouco caótico . Aí quando você tenta argumentar acaba dizendo coisas que são verdade, em parte, e erradas, em parte, justamente porque te faltam pedaços de explicações para entender como a coisa funciona. Vou tentar explicar as coisas de forma sequencial, para ver se fica melhor. Obviamente minha explicação não é “A EXPLICAÇAO” sobre reencarnação, mas apenas aquilo que até hoje aprendi dessas coisas e procurei compreender sobre esse funcionamento. Não é a mesma versão dos espíritas, porque eles se focam só num fragmento disso. Antes que o universo fosse criado, supondo que tenha havido alguma criação ( porque nem disso a ciência tem certeza para saber mais, leia Uma breve história do Tempo, de Stephen Hawking), havia apenas o IMANIFESTO. Esse Imanifesto ( 3 TIPOS/GRAUS de "vazio" ou 3 AINS) se manifesta num PONTO MANIFESTO , Kether. Isso costuma ser representado assim: Ou assim: Esse ponto manifesto de desdobra em diversas outras manifestações, como se fosse um embrião que se dividindo muito, gera o pinto, que é UM SER, mas também é MILHÕES DE CÉLULAS. Da mesma forma esse primeiro PONTO MANIFESTO deu origem ao UNIVERSO ( um TODO genérico) composto de muitas dimensões, objetos, planetas, estrelas e seres vivos. O padrão de desenvolvimento desse processo vindo do IMANIFESTO para o MANIFESTO, é expresso simbolicamente, pelo diagrama da ÁRVORE DA VIDA que é o que surge quando a EXISTÊNCIA NEGATIVA que concentra em um ponto, e ele se propaga para baixo: . (para entenderem isso melhor, só lendo algum livro de Cabala, como A Cabala Mística, da Dion Fortune. Mas isso que comentei não precisa muito detalhe não. Pense nisso como uma semente da qual brota uma árvore. A semente é uma potencialidade não-manifesta, e a árvore é a potencialidade manifestada. Por analogia, esse “padrão de manifestação” , da “semente para a árvore”, vale para o universo como um todo, e também para cada indivíduo. É aquele axioma antigo, tal como é em cima, também é embaixo, o que vale para o macrocosmos, vale para o microcosmos, o sistema solar e o átomo se organizam de forma simular, etc. Bom, olhando o diagrama da árvore da vida vemos 10 bolotas, que são 10 “estágios” de desenvolvimento para poder ir do ponto 1, Kether, até o ponto 10, Malkuth. Pode pensar nisso como uma oitava musical: DÓ-RÉ-MI-FÁ-SOL-LÁ-SI, mas invertido, da freqüência mais alta para a mais baixa: SI-LÁ-SOL-FÁ-MI-RÉ-DÓ. Considere que “SI” é nossa origem espiritual primitiva, digamos assim, nossa primeira manifestação quando nos separamos da FONTE, porque lembre, a FONTE é IMANIFESTA, quando ela se manifesta, ela o faz num PONTO, e o ponto é “UM”. Nesse nível, portanto, “somos todos UM”. Considere o DÓ como sendo “a pessoa encarnada”. Isso é só para você entender que para chegarmos aqui, no plano físico, há um “conjunto de desdobramentos” daquilo que vulgarmente chamamos “espírito”. Você é o dó, o ponto mais “desacelerado” de uma dada freqüência de manifestação espiritual. Ou pode dizer que é a flor da árvore que brotou daquela semente primordial. Entre o SI e o DÓ, ou seja, se consideramos nossa oitava individual, como espíritos, há várias outras notas. Na árvore da vida , entre Kether e Malkuth há ainda 8 “estações”. O que são essas estações? Bom, aí depende, esse é um “modelo” , algo similar a uma equação “literal”, a equação te dá as relações entre X,Y,ZW, mas não te dá os valores numéricos deles. Então se o assunto for microcósmico, ou seja, a estrutura espiritual do homem, que é o que nos interessa aqui no tópico, já que trata-se de reencarnação, fica assim: 10-Malkuth: corpo físico 9-Yesod: corpo etérico 8-Hod: corpo astral 7-Netzach: corpo mental 6-Tiphereth: Alma humana (“Manas”, corpo causal) 5-Geburah: Alma Divina (“Budhi”) 4-Chesed: o Íntimo (“Atman”) 3-Binah: Espírito Santo 2-Chockmah: Filho (cristo cósmico) 1-Kehter: Pai Outra forma de ver isso são por "grupos", e a parte da qual as explicações do espiritismo (e conscienciologia também, que é cria do espiritismo) geralmente tratam fica naquele quadrado lá embaixo: Então se você olhar esse nomes, vai notar que tem algo estranho ali, nos pontos 1,2 e 3 né? Se estou falando de partes do homem, o que fazem ali Pai, Filho e Espírito Santo, que são os nomes da trindade cristã? Pois é, mas acontece que cada um de nós tem essas partes também, elas não são um Deus barbudo sentado no céu, um Jesus sentado ali ao lado e um Espírito Santo soprando insights nos ouvidos de cada leitor da bíblia. Independente de quem falou com Noé e Moisés, independente de Jesus ter encarnado por aqui, estamos falando de “microcosmos” não de macrocosmos. No macrocosmos o Sol é o centro do sistema solar, no microcosmos “corpo humano”, o “plexo solar” é o centro de energia que alimenta os demais chackras. Então pense que cada um de nós tem seu Pai interno, seu Cristo interno, seu “espírito santo” interno. Não confunda isso com o “ o homem querer ser deus”. Digamos que se fosse possível colocar dez homens numa sala para resolver um enigma, e cada um deles estivesse sendo capaz de manifestar a vontade do seu “pai interno”, todos chegaria à mesma resposta do enigma, porque todos estariam alinhados com um nível muito alto de manifestação, e nesse nível não há distinção entre a vontade de deus, e a vontade do sujeito. Obviamente isso é um lero-lero bem filosófico que as pessoas podem discordar até morrer, pouco importa. O que é importante que você capte é: 1) Estamos no nível 10, de um conjunto de níveis. 2) Nenhum desses níveis, sozinho, expressa tudo o que somos 3) Há níveis mais elevados e níveis menos elevados 4) Tomar o conhecimento a memória e aprendizado do nível inferior, para definir conhecimento, memória e aprendizado do todo, é um erro brutal. 5) Mas é isso que ciência e religiões fazem 6) Foi baseado nisso que você expressou seu raciocínio lá no post, argumentando que só podemos nos aperfeiçoar se nossa memória não é apagada. Você tem que olhar o todo da existência espiritual, que não se limita a uma encarnação física. Como eu falei alguns posts acima, conversando com o Cristaldo quando o Imanifesto se manifesta, dando origem ao Big Bang, ou a um “Dia cósmico” ou “Mahavantara”, toda criação ai da fonte e se expande, afastando-se da fonte e , tudo supostamente perdendo velocidade/freqüência. Por isso o plano físico, que nada mais é do que energia desacelerada, é o mais denso, enquanto que os planos espirituais são os mais sutis (mais acelerados). Num dado momento, tudo retornará à Fonte, contraindo-se num “Big Crunch”, tudo retornado ao IMANIFESTO. Esses ciclos de expansão e contração do universo são vistos como “a respiração de Brahma”, expiração=criação do universo, inspiração=absorção do universo. A memória, o aprendizado, o aperfeiçoamento espiritual acontecem dentro desse ciclo, que dura milhões de anos, em que nossa parte espiritual se manifesta em diversos planetas, em diversas dimensões, e não apenas dentro de um ciclo de 60 anos que acontece apenas na dimensão física deste planetinha chamado terra. Quando você está se expressando no plano físico, você tem um corpo físico, está no ponto 10 do diagrama da árvore da vida. Quando você morre, perde os corpos 10 e 9 (corpo físico e corpo etérico) indo parar no plano astral, que é uma outra dimensão, como a nossa aqui, com leis da física diferentes, motivo pelo qual você voa, pode mudar de forma, o plano que te cerca responde à sua mente, o que te trás vantagens e desvantagens, e ele tem diferentes camadas, com diferentes densidades. O plano físico é assim também né? Tem ar (mais ou menos rarefeito de acordo com a altitude), tem mar, terra, rochas. No astral essas diferenças ficam entre os limites de “céu e inferno”, para simplificar. Com um porém: aqui no físico eu e você podemos estar na mesma sala, ainda que um esteja querendo se suicidar enquanto que o outro esteja eufórico de alegria. Já no astral sua sintonia determina sua posição “no espaço”, então um “inferno”, por exemplo, é um local astral, porém que sofre ação das mentes que moram ali, e que possuem todas mais ou menos o mesmo padrão mental emocional, logo, a paisagem e os eventos desse “espaço” são , ao mesmo tempo “objetivos”, porque estão de fato plasmados ali e um projetor pode ir lá e conhecer o local, quanto subjetivos, porque são criações coletivas das mentes de quem habita ali. Por isso, por ser um local tanto objetivo quanto subjetivo, é correto dizer que o inferno é apenas um “estágio temporário”, já que um projetor pode visitá-lo e sair dele, assim como quem está preso lá quanto é correto dizer que é “eterno”, porque trata-se de uma situação de sofrimento psicológico, que além de normalmente durar bastante, ainda vai parecer que o tempo não passa, porque ele sempre parece passar muito mais devagar quando estamos com problemas né? Então para cada plano, temos veículos de expressão adequados, e teremos experiências e aprendizados diferentes. Cada tipo de experiência terá seu bloco de memórias. As experiências do físico tem seu bloco, a dos “sonhos” estão em outro bloco. Se lembramos muito nitidamente dos sonhos e das projeções as vezes não fica claro se o que lembramos de ter feito e dito foi no físico ou não. Eu pelo menos já me enganei umas poucas vezes. Eu tenho inclusive UMA memória apenas, de um período, que não posso colocar na linha do tempo. Só posso lembrar de estar correndo lado a lado com um amigo, Pelo meio de campos de trigo muito iluminados, e quando paramos eu comentei com ele que a sensação do sol no corpo era ago do qual eu sentia certa falta, por não estar encarnado. Emtão eu olhava aquele campo dourado todo iluminado ,aquela luz toda...mas não havia “sol”, como o conhecemos aqui. Então veja, quando falamos em sentido da vida, em aprimoramento espiritual, não dá para olhar para a experiência física apenas e tentar limitar todo o processo e esse estágio apenas, que nada mais é do que um “soluço” de manifestação. Mas e a memória como fica? Bom, como eu disse, cada corpo tem sua memória, você precisa transportar a memória de um para outro. Por isso quando achamos que não estamos no projetando, as vezes é apenas a perda de memória na reentrada. Tanto é que ao sair de novo, as vezes dias depois, relembramos das projeções que tivemos antes. O Waldo chama isso de “paracérebro”, é como se o corpo astral tivesse lá seu próprio cérebro. É um conceito meio tosco, mas é prático para explicar. Ahhhh,mas já vimos que as coisas não se limitam a corpo físico x corpo astral né? São 10 partes, de Kether a Malkuth. Então olhando lá de novo, temos o grupo “inferior”, o “quaternário inferior”, os “quatro corpos de pecado”: (10)físico, (9)etérico, (8) astral e (7) mental, que constitui os veícullos que nossa psique usa. Mas nossa psique é dominada pelo Ego, que é um espécie de adaptação psicológica às dimensões inferiores. Não é uma adaptação necessária, é mais com um “vício mental”. Como um ator que usa um personagem numa peça teatral mas nunca mais consegue se livrar dele, esquece que é o ator, não o personagem. E assim fica agindo 24h como se fosse aquele personagem. Você já deve ter visto entrevistas de atores, que dizem o quanto aprenderam com um personagem complexo. Mas eles também falam que não gostam de ficar presos em séries de TV longas, porque ficam anos representando o mesmo personagem. Então olhando lá no esquema da Árvore da vida, o corpo 6, a Alma humana, é nosso “ator”, enquanto que "nós" , nosso eu da vigília e mesmo o “eu projetado”, o “eu desencarnado”, o eu que mora lá no inferno, no “vale dos suicidas”, ou que é atendido nos hospitais do “Nosso Lar” é apenas o “Personagem”, que vive ainda remoendo seus dramas da vida física. Esse personagem tem que passar por uma segunda morte, porque ele, de fato, nem existe, ele é só uma programação mental que impede a Alma Humana de se expressar. Aqui há algumas divergências em relação aos detalhes disso. Na Gnose dizíamos que a segunda morte só acontece no final de cada ciclo de 108 encarnações, após termos assado um tempo no “inferno”, que é o que desintegra o ego, caso não o tenhamos eliminado voluntariamente. Já outras doutrinas entendem que a segunda morte acontece entre uma encarnação e a outra, e é isso que a Dion Fortune e o Leadebeater explicam nos textos que coloquei naquele tópico, sobre visões sobre a morte. Vou seguir aqui com a visão tradicional, da Dion, que é mais conhecida. Então após um tempo desencarnado, o sujeito passará pela segunda morte, os 4 corpos inferiores, que é a PERSONALIDADE, são desintegrados as memórias desta encarnação ficam estocadas na mente da INDIVIDUALIDADE, que é o conjunto das partes internas do 6 ao 8. Então uma nova personalidade se formará, para uma nova encarnação. Ou seja, novos corpos de manifestação surgirão, e agora sem as memórias dos corpos antigos né? Mas a memoria de todas as vidas está estocada na MENTE SUPERIOR, a mente da INDIVIDUALIDADE, e por isso quando uma pessoa começa a se desenvolver mais espiritualmente surge o papinho de que começa a recuperar as memórias das vidas anteriores. Por que? Ora, porque ao se desenvolver mais ela começa a expressar, mesmo encarnada, suas partes internar que são de fato mais espiritualizadas, as partes de 6 a 8. Mas me refiro a pessoas que seguem o caminho e vão despertando isso naturalmente. Claro que como isso pode ser acessado via subconsciente, fobias, traumas, etc acabam puxando esses blocos de memória, mas me geral só os problemáticos, que contém memórias mais fortes. E aí voltamos a sua colocação inicial: Como é que o sujeito vai se “arrepender”, se corrigir, “virar santo”, se não tem memória? Ora, ele TEM SIM memória, mas ela está estocada em outras partes, não naquela da vigília. Além disso, de pouco adianta você lembrar CONSCIENTEMENTE dos seus erros, de nada adianta o marido que se irrita e espanca mulher, quando ficar calmo chorar, pedir perdão de joelhos, sempre ser capaz de lembrar disso, porque quando ele se irritar de novo, repetirá o erro muita e muitas vezes, até que a DOR , não a memória, o faça GRAVAR lá no fundo, que não deve fazer isso. A memória e a mudança são processos diferentes. A memória faz parte, mas não é tudo. E dentro dessa visão reencarnacionista, as pessoas com quem antipatizamos logo de cara são pessoas que nossa parte mais profunda reconhece que nos trouxeram problemas. Tanto pode ser útil lembrar delas, para evitar repetições, quanto pode ser ruim, porque aquela pessoa pode ter mudado após muitas vidas, mas nós olhamos para ela e nosso subconsciente acusa “vixi, lá vem a chave-de-cadeia”. Isso impede que você dê nova oportunidade para aquela pessoa....e as vezes, aquela pessoa está tão arrependida do mal que te fez, que escolhe ser seu pai ou mãe, para poder te dar todo amor que deveria, e se você lembrar, vai querer é fugir de casa tão logo consiga engatinhar, eheheh. Então em geral lembrar é difícil por causa da questão das trocas dos corpos, e não é necessário, porque é só sua mente racional ,de vigília, a sua parte mais tacanha, mais burrinha, que não lembra. Aquela que é mais profunda, que regula mais sua vida sem você notar, regula suas antipatias, seus amores, aquela sabe quem é quem, o que fez, e o que tem que fazer ainda. E é esse conhecimento mais profundo que define planos reencarnatorios em grupos, define famílias, amigos, “acidentes”. As pessoas em geral encarnam em grupos, para atuarem como atores representando junto uma peça, e é o aprendizado dessas RELAÇOES, não da memória pra e simples, que gera o crescimento interior. Se analisamos o intervalo de uma única vida, todos sabem que não é suficiente para você perder uma fobia, expor-se a ela apenas uma vez, você precisará de várias exposições, porque a memória não tem poder suficiente para alterar a psique. Da mesma maneira terá que viver muitas vidas, com as mesmas pessoas, para se exporem à situações que vocês todos precisam resolver, uns atuando sobre os pontos fracos e fortes dos outros, até que aqueles pontos sejam de fato corrigidos, não pro memória, mas exatamente porque você gravou tão bem a lição, que mesmo com amnésia, fará as escolhas certas. E é isso que permite que aquelas lições se encerrem e você pare de atrair sempre as mesmas pessoas para repetir com você sempre as mesmas ceninhas em todas as suas vidas. E isso você observa ser verdade mesmo dentro de uma única vida. Temos aqui novamente a relação macro e micro espelhadas: a mulher que apanha do marido, em geral vai apanhar dos maridos seguintes também, porque a psique dela atrai esse tipo de situação. Mesmo mudando os atores, o papel terá que ser executado pro alguém. Como assim? Então quer dizer que essa pessoa está condenada a passar a vida toda nisso, e que portanto é seu carma e tem que aceitar? Não! O que estou dizendo é que a causa dessa situação está na psique dela, e que isso age como um ímã, portanto para aprender algo, que não sabemos o que é, a psique dela atrairá pessoas que gerem aquele tipo de situação. Ela poderá dizer que superou esse traço quando conseguir de fato, não atrair mais maridos que lhe agridem. E isso vale para várias outras situações como gete que sofre bullying na escola, depois no trabalho....ou gente que é assaltada, e geral várias vezes, etc. Se vocês observam o tempo de UMA VIDA , já notam esses padrões, e a reencarnação é apenas esse ciclo acontecendo por várias vidas, não tem “mistério lógico” nenhum nisso. O que não dá, por exemplo, são explicações assim: “Ah, acontece que essa mulher aí apanha do marido porque na outra vida ela era homem e baita nele” Ou: “Ela era uma nobre francesa, que veio para o Brasil, tinha escravos e tratava eles muito mal e agora vive casando com seus ex-escravos, e todos batem nela. Ela deve desenvolver humildade e obediência nesta vida” Isso são explicações meio ridículas, embora não se pode excluir que sejam a causa. Mas uma resposta dessas só pode ser aceita como explicação se alguém de fato de propôs a fazer uma investigação parapsíquica nas vidas passadas dessa pessoa. Se não fez isso, nem percam tempo dando ouvidos a esse tipo de resposta. NÃO PRECISO ENFATIZAR muito que essa explicação toda que dei aqui não é nem nunca poderá ser comprovada né? E mesmo quando todos estão usando a cabala como referência, há algumas divergências em alguns detalhes. Mesmo assim esse modelo de explicação não é "reencarnacionista por definição". Eu apenas o usei, porque acho que ajuda na explicação. Eu nem gosto de ficar dando esse tipo de explicação porque isso tudo tem que ser pesquisado individualmente, pelas experiências ou reflexões de cada um, e explicando assim parece até a “fórmula da vida”, parecendo tudo bem encaixadinho. Mas acho que se você entende esse modelo, já tem uma base para refletir em cima da questão reencarnacionista sem ficar muito perdido.
  48. 1 point
    Oi, Welington! Na verdade tive algumas oscilações, sim. Contei aqui apenas as partes mais lúcidas possíveis, e esta foi uma das experiências mais marcantes. Neste caso só me vi saindo mas não olhei meu corpo, apenas "saltei" e senti quando atravessei a parede, mas no primeiro momento, o lugar não parecia minha casa atual, mas minha casa antiga. Logo que senti o insight do amparador, retomei a lucidez mas mesmo assim não reconheci o lugar, aí depois que cheguei no colégio... Na verdade, ainda é meio confuso quando lembro. Quanto a outras experiências, já me vi fora sim, inclusive certa vez me projetei, fiquei um tempão rodando pelo quarto, queria voltar para o meu corpo e não conseguia. Via a TV ligada na sala (inclusive lembro do que se tratava o programa que estava passando) e quando tentava voltar para o corpo batia no plexo solar e sentia um empurrão para trás. Foi burrice minha não ter aproveitado mais, mas naquela situação tinha certeza que tinha morrido. Obriga pela resposta!
  49. 1 point
    Fiz uma compilação desse tópico + Texto de 12 páginas do Sandro + Parte I do livro do Michael Raduga, para facilitar o estudo do assunto. Primeiramente fiz para uso individual, mas resolvi compartilhar. Se o Sandro não autorizar, pode excluir esse post https://drive.google.com/file/d/0BwgWPtoleSPKLVZ0YkNHQlFEdEE/view?usp=sharing
  50. 1 point
    Olá Wellington! Calma meu amigo, há vampiros astrais especializados em roubo de energias e de ectoplasma através do sexo e dos desejos. Possivelmente você pode estar sendo obsediado por súcubus. Os súcubus não possuem uma forma fixa, mas se uma mesma forma/ aparência não falhar no assalto energético, então não haverá razões para eles mudarem, não é mesmo? Mas temos que analisar o fato com cuidado e carinho porque você pode estar sendo vítima de uma auto-obsessão. É possível que or algum motivo você tenha muitos pensamentos relacionados com sexo e isso atraia espíritos com a mesma linha de pensamento. Você pode ter se tornado um satélite para eles ou então o contrário. Às vezes, você pode também estar criando formas-pensamento vampíricas que estão concentradas no seu chakra sexual e isso faz com que o desejo e os pensamentos sobre sexo aumentem significativamente. Continue relaxando, fazendo orações e pensando no Amor universal. Evite deixar o seu chakra sexual sobrecarregado com energias. Você é um ser humano, possui um corpo físico que tem necessidades e não devem ser ignoradas. A sintonia é tudo. Então, tente manter a sua sintonia elevada e aos poucos você poderá se livrar destes obsessores com facilidade. Você foi ao cemitério atualmente? Pergunto, porque os cemitérios são lugares concentrados de fura-terras, carvenícolas, magos negros e vampiros. Algum vampiro, ser vampírico - praticante do vampirismo - pode ter se acoplado a sua aura e está lhe seguindo e cultivndo uma relação parasitária. Então, destaco mais uma vez, simplesmente mantenha uma sintonia elevada de amor. Muita LUZ! Abraços!