• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 04/25/2019 in all areas

  1. 4 points
    Ocorrida em 16/05/2019 Acordei de madrugada e nao me mexi. Passei imediatamente a fazer uma técnica. Depois de tentar o método do afundamento de cabeça (técnica que adaptei de outra) sem sucesso por excesso de despertividade, voltei a dormir e logo depois despertei novamente. Como novamente não tive sucesso no afundamento da cabeça, passei a usar o som da pineal. Funcionou imediatamente! Senti uma eletricidade no cérebro e me lembro de ter pensado que estava instalando um EV poderoso. Me levantei da cama e ndei pela casa impressionado com o nível alto de lucidez dessa projeção. Fui até a sala e como as sensações estavam reais demais (inclusive o peso e o tato ) contei os dedos para me certificar se não estava no fisico. Haviam mais do que cinco dedos na mão e estavam curtos demais. Fiquei empolgado. Fui até o quarto da tia de minha esposa e a vi deitada na cama. Como ela é espírita, fiquei pensando o que ela acharia caso acordasse e me visse ali. A seguir, pensei em implementar meu plano de ação mas me lembrei que minha esposa reclamou que eu não a chamo para ir comigo nas minhas viagens astrais. Voltei ao nosso quarto e toquei nela, "puxando-a" pra fora do corpo. Ela ficou confusa. Achava que estava desperta e não acreditou em mim quandobeu disse que estávamos projetados. Pedi que ela contasse os dedos da mão e ela disse que tinham sete dedos. Ficou impressionada e eu disse que aquilo significava que ela e eu estávamos ambos fora dos nossos corpos físicos. A seguir saímos de casa juntos e eu estava conversando sobre o que poderíamos fazer. Saímos a acho que fomos a algum lugar, até que entramos em um tipo de festa. Ficamos lá olhando as pessoas até que veio um homem, um misto de Garçom e segurança e muito educadamente nos avisou que aquela reunião ou festa era particular. Fiquei impressionado que ele nos visse e perguntei: -Você é uma consciex? Ele sorriu e disse que sim. Havia outro homem idêntico a ele na festa, mas esse era convidado e outro identico a eles do lado de fora. Achei engraçado que ele no pedisse para sair com aquela polidez afetada e me lembro de brincar dizendo: -Querida, até no plano astral existe o Country Club! E saímos de lá rindo. A seguir tentei ensinar minha esposa a voar, coisa que ela teve dificuldade em fazer. Quando alçamos vôo, uma conciex passou a nos seguir e não percebi quando ambos os três ficamos a voar seguindo cada um, um fio . Os três fios iam na mesma direção e essa consciex que nos seguia tentava nos enganar de alguma forma. Me lembro pouco do diálogo com ele, mas do que foi dito, me recordo de chama-lo de "pai de todos os vigaristas" e que ele começou a falar: - você sabe o que dizem, né? "Uma piada só é engraçada... E eu completei: - Até todo o mundo passar a Fazer parte dela. Realmente não me lembro de todo o diálogo . Chegamos a um ponto do voo em que o fio que minha esposa seguia estava rompido e eu olhei para ela é disse que era hora de ela voltar. Que eu logo desceria e estaria com ela. Mas antes de descer, eu disse que ela provavelmente não iria se lembrar da projeção e que deveríamos combinar alguma coisa. Eu perguntei algo e falei para ela me dar a resposta, mas foi uma pergunta que inventei na hora: "Qual o dia do aniversário da minha gata?" Ela mesma inventou a resposta: "Dia 1 de abril!" Daí ela desceu pro que eu pensava ser o plano físico. Quando ela saiu, senti que algo estava errado. Olhei para o meu fio e ele nao estava rompido, mas manchado de sangue. A Consciex: que nos seguia estava ali e eu disse a ele: -Fale... Ele me disse que eu não voltaria. Que eu estava morto e que um médico tinha atestado minha morte por embolia no horário do café da manhã. Me lembro de ter ficado consternado demais, não por morrer, mas por deixar minha esposa. Estava preocupado com a reação dela e queria muito voltar, nem que fosse por alguns minutos e lhe dizer que estava tudo bem, que ficaria tudo bem... A consciex que estava comigo começou a falar, dizia que me daria aquele tempo que eu queria, desde que eu ficasse depois a serviço dele. Comecei a raciocinar que se eu concordasse, eu veria minha esposa por alguns minutos e depois ficaria afastado dela, talvez para sempre. Eu estava sofrendo muito por me separar dela, porém, pensei que a separação seria apenas por pouco tempo. Decidi não ceder e não fazer acordo com a Consciex. Eu olhei para ele e disse Não. E que estava pronto para morrer. Quando disse isso, acordei na minha cama. Minha esposa estava dormindo suavemente e eu peguei o celular para anotar essa experiência. Geralmente eu evito perturbar o sono das pessoas da minha casa fazendo anotações de madrugada, mas isso me pareceu importante... Ela acordou e me perguntou pequena estava fazendo e eu pedi desculpas, pois tinha que anotar. Antes de ela dormir eu perguntei qual a data de aniversário da minha gata. Queria ver se ela lembrava. Ela voltou a dormir e eu passei a última hora digitando este relato e também uma despedida. Não tinha certeza quanto ao que me foi dito sobre minha "morte", é tão tratei de deixar escrito o que eu talvez não tivesse oportunidade de dizer. Deixei arquivado em um lugar onde eu sabia que ela procuraria no telefone , se alguma coisa me acontecesse. Dormi abraçado com ela e pela manhã, quando para minha grata surpresa eu ainda estava vivo, contei a ela sobre a projeção e perguntei a data do aniversário da minha gata. Disse a ela para me falar a primeira data que lhe viesse a cabeça, sem se esforçar para lembrar. - Apenas me fale essa data que veio a sua cabeça... Ela me olhou e disse: - 14 de abril. !!! Mostrei no celular o relato digitado e a data 1 de abril. Ela ainda não acredita muito em mim. Disse que quando perguntei a ela de madrugada, antes de voltar a dormir ela pensou "acho que é abril", mas ela não quis me falar apenas o mês. Errou por treze dias do total de 364! E ainda acha pouco! Detalhe: a data foi inventada por ela na hora da projeção, pois eu não faço ideia de quando minha gata nasceu.
  2. 4 points
    Não Roberto, para variar você está interpretando tudo pelo lado mais pessimista que consegue. Parece que você se esforça para ver só o lado mais superficial das escolhas. É óbvio que estudar gera melhoria do aspecto financeiro da vida. No mundo todo é a estratégia que mais resultado oferece para diminuir a desigualdade, mais que outras várias medidas, que em geral tendem a ser anuladas pelas contra-estratégias do capitalismo. Mas nem todo mundo tem essa visão tacanha da vida. Você pode fazer uma criança estudar ameaçando de bater nela caso ela não se sai bem na prova, ou treinando-a sutilmente para a corrupção, oferecendo prêmios caso ela tire boas notas... Depois ela cresce e varia aquele tipo de adulto travado que só pensa: “vou fazer isso aí por que? o que vou ganhar com isso?”. Mas você também pode educá-la para entender que o estudo amplia sua capacidade de compreender a vida e os fenômenos que a cercam. Então você pode ter vários tipos de alunos em sala de aula, gente de mentalidade interesseira que só está ali para se posicionar melhor socialmente, mas também terá gente séria, que reconhece a importância do conhecimento e tem humildade suficiente para aceitar aprender com quem sabe mais. É como a discussão sobre salários iguais para todo mundo ou salários diferentes em função do que os interesses do mercado valorizam mais. Quem acha que precisa ter salários diferentes costuma alegar que se todos ganhassem o mesmo salário ninguém teria estímulo para se dedicar às profissões mais qualificadas, que exigem muito mais anos de estudo. Só que esse argumento fala mais sobre suas próprias limitações do que sobre o mundo, porque quando uma pessoa usa esse argumento você já sabe que ela tem vocação para “se prostituir” né? Já que ela parece considerar que somente o salário leva as pessoas a avançar em algo, e não a curiosidade, a afinidade com certas atividades, as vocações individuais, a satisfação pessoal. E esse tipo de pessoa, que vive só para o dinheiro, acha que todos são assim, mas não são. Muitos não seguem esse padrão. Eu mesmo não trabalharia em banco por nenhum salário do mundo. Conheço um cara com mestrado que abriu um restaurante de Sushi, ele é o cozinheiro, porque ele descobriu que não tem perfil para ser pesquisador( que terá de passar a vida toda estudando) . Outro, com pós doutorado em fisiologia animal, idem, virou vocalista de uma banda , e abriu um micro-negócio de doces, e é ele quem faz os doces, porque gosta de cozinhar. Foi vendo que a ciência não era bem o que ele pensava, perdeu a confiança em se dedicar a ela pelo resto da vida. Assim como muitos professores de ensino fundamental e médio poderiam ganhar bem mais trabalhando com vendas, mas na sua maioria são pessoas que acreditam na importância do que fazem, apesar se ser uma profissão pouco valorizada. Agora, se a pessoa não tem essa satisfação pessoal com o que faz, o lado financeiro passa a ser seu único motivador. Da mesma maneira, tem gente que procura levar uma vida correta porque acredita que isso é o melhor a fazer. Já outros precisam ser ameaçados com fogo do inferno para deixarem de se comportar como predadores com outros seres humanos, ou para não passarem o dia “movidos a álcool”. É por isso que há variedade de crenças e religiões, cada um o seu nível escolhe aquilo que funciona para si. Assim como na vida física, se você escolher ficar de fora do sistema, você sofre as consequências materiais disso mas não parece ver nisso nenhum problema, a julgar pela sua frase acima, também na espiritualidade sofrerá as consequências espirituais disso, então não há porque ver problema nisso né? Trata-se de coerência. Em ambos os caso você terá escolhido a forma mais difícil de viver, e em ambos os casos terá dificuldades por isso. Se não vê um caso como obrigação, não tem porque ver o outro dessa forma. Quanto a não falar para que evoluir, ter amor, etc... ora, pelo motivo óbvio, explicado em tudo quanto é tradição religiosa,a que você colhe o que planta: Se você quer ter uma experiência de vida agradável, ou menos desagradável, tem que reduzir a quantidade de lixo emocional que joga sobre os outros, porque isso é como cuspir contra o vento. É o mecanismo da nossa matrix funcionar assim, então sabendo disso você procura jogar de forma inteligente, usando as regras a seu favor e não contra você que é como o pessoal metido a revoltado gosta de fazer. Não estamos em guerra uns contra os outros, estamos todos mesmo barco. Então antes de defecar no meio do barco você precisa lembrar dos seus companheiros de viagem. Ou algum deles pode também perder a consideração com você e te devolver o material excretado, mas desta vez enfiando pelo lado contrario, ehheh. Você pode ficar exposto ao sol o dia todo se quiser, mas fatalmente isso vai gerar queimaduras. Pela sua visão isso seria a “Mãe natureza”, aquela megera má, tentando te adestrar??? Esse é um exemplo de escravidão de uma espécie por outra, algo que não se relaciona com nada da espiritualidade. Pode sim ser relacionado ao capitalismo, no tempo da escravatura. Ou mesmo hoje em dia, em que algumas empresas forçam seu empregados a usar fraldas para não precisarem parar de trabalhar para ir no banheiro. Então empregado bom é o que não vai ao banheiro, não tira férias, não adoece e não faz greve. É similar ao seu exemplo do gado. Mas ambos são exemplos do atraso persistente na evolução da raça humana. Note que o principal argumento do vegetarianismo, or exemplo, é exatamente não contribuir para a escravidão de outros seres. Usar os erros e abusos da sociedade, que faz tudo só pensando no material, para estabelecer uma analogia com objetivos da espiritualidade é corromper sua própria compreensão da vida. Numa sociedade que seguisse os princípios da evolução espiritual, contra os quais você parece estar se pronunciando, esse tipo de exploração animal seria extinta exatamente por ser incompatível com a ética da espiritualidade. Mesmo hoje em dia tem muito vegano militando para acabar com isso no mundo todo, mas as pessoas tem prazer em viverem sintonizadas com o mal, e portanto desprezam essas iniciativas. Depois não sabem porque a humanidade está enterrada na fossa até a boca. Não é bem assim, eheheh. É como uma sucessão de lixas. Você usa lixa muito grossa quando as imperfeições são grosseiras ( os habitantes do “inferno”). Usa lixa média com os habitantes dp plano físico. E usa lixa fina com quem habita apenas o astral.... e assim progressivamente. Se não fosse assim, quem habita em dimensões mais sutis estaria estagnado. E é exatamente por isso que caso um habitante da terceira dimensão conseguisse se mudar definitivamente da terceira para a quarta dimensão (etérica, não astral) usando as técnicas Jinas, ela não poderia evoluir, porque ela ainda é muito grosseira psicologicamente, e o desafios nessa dimensão missão mais suaves, porque o grosso já foi polido no plano físico. É simples de entender: qualquer um consegue ser bom pai, bom amigo bom marido, sob condições favoráveis. Mas é muito mias desafiador continuar sendo bom em condições terríveis, estressantes. Para quem vive em condições estressantes, parar de agredir esposa e filhos, não se entregar a vícios, pode significar já uma evolução. Mas para quem vive em boas condições, evolução significa não alimentar maus pensamentos, ou palavras meio ríspidas, em relação a sua família. A progressão do processo educativo sugere que as condiçoes sejam cada vez mais exigentes, mas isso não significa maior dureza, mas sim cobrar mais QUALIDADE EVOLUTIVA de quem já tem condições de fazer mais. Todo processo de aprendizado é assim, mesmo o escolar. Se a criança pensar “não vou seguir estudando porque se as aulas de aritmética já são horríveis, imagine como será na faculdade!!!!” , ela estará ignorando que a vida traz desafios crescentes porque sua capacidade de superá-los também cresceu, o que mantém constante (ou até reduz), o desconforto no processo de aprendizado. É similar ao que acontece quando você não quer estudar, não quer trabalhar, não quer sair de casa... vai ficando preso num mundo de fantasias mentais, numa espécie de loucura, obcecado pelos próprios padrões mentais repetitivos. Por milênios.... A mente se volta sobre si mesma e você vira uma espécie de autista, que perde contato com a realidade astral o seu redor, depois vira um “ovóide”, uma “coisa”, um corpo similar a uma pedra. E se nada for feito, sua individualidade desaparecerá, porque ns regiões astrais inferiores há uma “gravidade”, uma atração em direção ao centro do planeta, que dissolve tudo que cair nele. Milhares de anos sem avançar levam essa individualidade para o retrocesso progressivo, não há como ficar parado. E o retrocesso te leva à dissolução dos corpos inferiores (astral e mental), e você vira uma gota no oceano. Está em deixar que você faça suas escolhas e arque com as conseqüências. Que estranho seria o universo se escolhas não gerassem conseqüências... Você jogaria algo no fogo e ele não queimaria. Tomaria água e não mataria sua sede. Limparia a louça mas ela permaneceria suja. Faria o bem e só receberia o mal em troca. Novamente, não tem cabimento usar os ERROS do plano material como referência para entender o plano encarnatório. Um hetero não quer amor gay pelo mesmo motivo que um gato quer uma gata e não um cachorro como amante. Gays se relacionam amorosamente com outros gays, ainda que no Brasil estejamos atrasados nisso: https://pt.wikipedia.org/wiki/Stephen_Fry#Vida_pessoal Sexo né? Não amor. Mas também, sempre existiu “casamento por interesse”, que é uma forma velada de prostituição, com o aval da "sociedade de aparências". Mas amor não foi feito para dar dinheiro mesmo. O trabalho é que foi feito para isso. Mas pouco, ehehhe, porque quem trabalha não tem tempo de ganhar dinheiro né? Ganhar dinheiro é atividade de desocupados que já tem dinheiro e estão sempre procurando novas formas de multiplicá-lo, sem precisar trabalhar. Acontece que sua natureza interior não é faz de conta. O faz de conta são os eventos externos, que são usados como estímulos para você enxergar o que tem dentro de si e corrigir. É fácil achar que é evoluído se estiver isolado numa caverna no tibet, só meditando e comendo uma vez por dia. Não terá estímulos que te façam enxergar seus defeitos. Difícil é ter o mesmo equilíbrio numa capital, cheia de fumaça, buzinas, pedintes, cachorros, e balas perdidas. Muita gente pensa assim e não tem problema algum em ficar em paz e se manter financeiramente. Nao precisa querer ser como Jesus para chegar nisso. Mas o fato de você ter que passar por essas dificuldades, como muita gente também passa, mostra que você precisa sim achar dentro de si o que pode ser que te gerou a A NECESSIDADE DE PASSAR POR ISSO. Muitas mulheres não querem ser perfeitas como ser humano, só querem casar, ter filhos, uma vida comum. E por algum mistério, toda vez que tentam engravidar acabam tendo abortos espontâneos e nunca conseguem ter filhos. Porque essa simples “felicidade” tão fácil para a maioria (a ponto de ser um problema, como a gravidez precoce), é negada para elas? É porque algo dentro delas precisa ser corrigido, e essas experiências frustrantes é que são a correção. A cada um cabe as experiências corretivas de acordo com sua psique, mas o bom é que isso passa Roberto! Todo processo de sofrimento é um processo de cura, um remédio, e quando acaba tudo volta ao normal. Mesmo um câncer que leva à morte é apenas isso, um processo de cura, energias densas fruto de emoções e pensamentos tóxicos que se condensam e descem para o físico, coo se fosse uma espinha inflamada que estoura. Após estourar, você se livrar do problema. No caso o desencarne pelo câncer limpa o corpo astral desse livro, e na proxima vida a pessoa vem melhor, menso intoxicada por essas emoções e pensamentos negativos. Mas se a pessoa se revolta contra o próprio remédio, a doença ficará mais grave, é inevitável, e automático. Se você ajuda o remédio a funcionar,tetando melhor sua psique nos aspectos que identifica como necessários de alterar, a cura será mais rápida. Nesse caso, observe dentro de si quais sentimentos e pensamentos surgem como reação ao remédio, e procure neutralizá-los, para que não fiquem mais fortes, ou o remédio também terá que ter sua dose aumentada. Existe seu “Eu superior”, que nota que sua parte inferior enviada para encarnar aqui fez um mau trabalho, e então envia ela de volta para repetir a aula e ver se dessa vez ela faz direito. Agora ela vem desmemoriada, mas o arquivo da experiência anterior existe, estocada no Eu superior. Se a parte inferior, encarnada aqui, se voltasse para dentro, ara saber melhor como agir, ao invés de reagir no automático, quando a cena do teatro se repetir n próxima vida, ela não repetiria o erro novamente. Mas se ela só percebe a vida com uma sucessão de eventos EXTERIORES, ela vai agir sempre no automático, repetindo as mesmas respostas que deu nas vidas anteriores, e cada nova encarnação se torna uma repetição infinita dos mesmos problemas. Quanto mias repete, mais haverá uma compulsão de repetir. Até que precise acontecer uma quebra total, uma crise violenta que obrigue essa pessoa a parar tudo, a rever tudo que pensa sobre a vida, a botar para funcionar uma verdadeira reflexão interna e parar com esses automatismos, esse perseguir prazeres e fugir das dores, como se isso fosse o único sentido da vida. Esse é o ponto. Temos papéis na vida. Nem todo mundo que você olha de fora e classifica como vilão, é vilão. Há pessoas que tem uma missão desagradável a cumprir, mas a cumprem porque esse é o plano cármico que envolve vários outros. Por isso, alguns tiranos podem reencarnar numa boa, numa próxima vida, apesar de “tudo o que fizeram de maldade no mundo”, enquanto outros nem encarnam mais, só afundam no umbral até se dissolverem. O primeiro estava agindo como agente do karma coletivo, e por isso talvez tenha feito milhões sofrerem. O segundo estava só sendo mau mesmo, e aí tem que encarar as medidas corretivas depois, quando desencarna. Olhando de fora não é possível diferenciá-los. A Beatriz Segall terá que fazer isso que voe cita apenas se ela não tivesse sido capaz de desempenhar corretamente o papel de Odete Roitman. Se foi vilã a menos, ou se foi vilã a mais, precisa repetir para aprender. Se foi “na medida”, aí não. Quem determina a medida? Nosso Eu supeiror, nossa intuição interna sobre como agir em cada situação. Óbvio que é mais fácil falar do que fazer! Estamos todos nesse mesmo barco e cada um precisa desenvolver isso em si, ou vamos andar ás cegas na vida, tateando e errando muito. E aí item que ficar repetindo lições, o que é um tédio!
  3. 3 points
    Ocorreu uns 18 anos atrás, logo que comecei a me projetar lucidamente, com técnicas: Era de tarde, minha esposa e eu ainda eramos namorados. Fui dormir de tarde na casa da minha esposa e tentar me projetar. MInha esposa foi trabalhar uns 800 metros longe de casa, num mercado como promoter de vendas de um refrigerante, daquelas bancas que você experimenta o produto/refrigetante no mercado. Saí em projeção naquela tarde. O curioso é qiue eu não pensava em ir lá no local onde ela estava. Lembro que saí em projeção no quarta e logo em seguida me vi no local onde ela trabalhava. Ali projetado vi ela e vi que um senhor de idade se aproximou e perguntou onde ficava o refrigerante sabor limão e pegou na prateleira de baixo um refrigerante de outro sabor. Então minha esposa falou que ele havia pegado o sabor errado e apontou o correto. Depois disso acordei. Quando ela voltou contei a ela a cena que vi e ela disse que ocorreu exatamente como eu havia visto. Inclusive ela achou que eu havia ido lá fisicamente pra saber aquilo. Mas ela sabia que eu praticava projeção astral na época. Antes disso eu ainda achava que a projeção poderia ser algo criado mentalmente. Após isto tive aquela certeza. Li em algum lugar no fórum antigo e um usuário me disse que nossos mentores poderiam nos proporcionar essas projeções de comprovações para que não fiquemos nessa dúvida de ser mental.
  4. 3 points
    Nossa como eu era b**** nessa época :V
  5. 3 points
    Só como complemento: Passei por algumas situações que me levaram a uma Síndrome do Pânico que apesar de já em tratamento “físico” também requer alguns toques de sabedoria esotérica antiga. Antes de sair de casa, respire bem, medite e imagine uma esfera de proteção ao seu redor. Quando algo conseguir furar este bloqueio, respire repetidas vezes apenas pelo nariz e imagine a esfera novamente. Saia de perto de telas com transmissão de informação negativa. Fones de ouvido também ajudam. Quando chegar em casa, tome banho e faça como se a água limpasse além da sua matéria. Se persistir, mentalize (sem verbalizar) um pedido de auxílio do seu guia. A razão disso tudo é boa: você expandiu sua consciência e sintoniza o ambiente. Comigo funciona na cidade com a pior energia do país. Sei que não é fácil. Paz e luz.
  6. 2 points
    ando meio desconfiada de tudo. já recebi muita ajuda vinda de conhecimentos do além mas também informações que não batem com nada. como saber quando estamos falando com o um espirito sério ou outro embusteiro? sei que eles veem nossas formas-pensamento e isso pode dar campo para um espirito extra entrar num assunto e parecer envolvido. estou perdida no raciocinio e sem foco para continuar na busca de conhecimento.
  7. 2 points
    Relatos que lembro e que eu ainda não havia postado, da época (18 anos atrás) que descobri (através do Wagner Borges) e fiz algumas projeções lúcidas com saídas diretas. Quiserem comentar fiquem a vontade. 1ª - Após 6 meses tentando, com a técnica da corda (livro do Robert Bruce), eu ficava ali esperando o ponto x (esperava o corpo dormir com a mente acordada forçando a saída imaginando a corda). Nessa eu apenas senti meu corpo afundando no colchão, me assustei e voltei ao corpo, mas foi bom porque vi que era possível. 2ª - A primeira projeção com saída total. Nessa eu senti os braços astrais saindo do corpo físico e segurando a corda imaginária, e me puxei para fora do corpo. Sentei na cama projetado e vi uma moça morena de uns 20 anos e de camisola branca tipo camisa tamanho grande passar pelo meu quarto, vindo de uma parede para outra, parecia que ela não me via ali. Me assustei e voltei ao corpo. 3ª - Essa foi engraçada no final. Eu saí no ponto x, sem a técnica da corda, só imaginando sair mesmo, foi a tarde, o corpo astral deu um salto e se sentou na beirada da frente cama. Escutei um som tipo grunhido e estava meio escuro, tipo como quando você dorme a tarde mesmo, vi um ser de forma humana mesmo, e ele partiu em minha direção e segurou nos meus ombros ainda grunhindo. Naquela hora lembrei de uma técnica de defesa do livro do Robert Bruce, de enviar um feixe de luz branca/amor do chakra frontal em direção à ele. Fiz isso e foi incrível pois o feixe saiu mesmo e quando ele foi atingido foi como se tivesse tomado um choque muito grande, como daquelas pistolas de choque de seguranças. Após o choque ele ficou caído no chão do quarto como se estivesse se debatendo de dor. Após alguns segundos ele se levantou e saiu correndo, eu corri atrás dele, ele foi para os fundos da casa pela porta da cozinha. Ele havia tomado distância e chegou no fundo do quintal, parou e olhou para mim e disse "você vai ver, vou chamar a galera", com essas palavras kkk. 4ª - Saí projetado, técnica direta, e saí do quarto. Era de tarde, e no quintal vi duas entidades com aparências de bruxas, elas levitavam 1 metro no ar, e então uma delas jogou algo em minha direção. Eram pequenas cobras, que quando me acertaram eu fiquei assustado e acordei. 5ª - Saí projetado de tarde no quarto e sentei na beirada da cama. Logo em seguida veio uma moça morena de cabelos curtos e de uns 20 anos, ela me abraçou e ficou chorando. Senti que ela estava perdida, como se não soubesse o que estava acontecendo. Não senti medo nem nada de ruim vindo dela. Fiquei com pena dela. 6ª - Essa foi de comprovação e vou postar num tópico separado. 7ª - Essa foi recente e indireta, uns anos atrás, eu fazia umas práticas de energização dos chakras, não fazia mais técnicas para projeção. Mas acho que porque acordei e cedo e voltei a dormir ela ocorreu, mas acho que está mais para um sonho lúcido. Me vi lúcido em um local no meio da floresta, era uma igreja pequena e em local aberto, vi um padre ali tipo aqueles jesuitas antigos, e vi alguns fiéis indígenas. Perguntei ao padre onde eu estava e ele respondeu "vila bela da santíssima trindade" (e esse local existe no Mato Grosso, passei perto viajando de carro e vi placas com o nome dessa cidade). Perguntei em seguida ao padre em que ano eu estava, e ele respondeu 1758. Pensei que era um sonho lúcido e pensei em voltar ao corpo e sair projetado, senti um puxão e voltei ao corpo e acordei.
  8. 2 points
    Vou relatar por aqui pra não criar outro tópico: Hoje dormindo pela manhã, de barriga meio pra baixo, me senti afundando no colchão. Na hora me lembrei de sair em projeção. Eu não fazia nenhuma técnica. Essa é uma das vantagens de saber sobre a projeção, se eu nao soubesse sobre isso teria me assustado. Aproveitei a afundada no colchão e com a intenção na mente saí projetado flutuando pelo quarto em direção a porta pra explorar la fora. Interessante é que flutuei saindo da cama na posição em que estava, de barriga pra baixo e com a cabeça olhando pra frente. Enxerguei o quarto normal, mas ao passar pela porta não consegui enxergar mais nada, somente a cor cinza, como se a porta tivesse metros de espessura, e eu ali atravessando. Por conta disso, pensei em voltar ao corpo, pra ficar pelo quarto, e senti eu ser puxado, mas não tão forte. Mas acabei emendando num sonho sem lucidez. Estranho é que antes de atravessar a porta fiquei com receio de perder a projeção, tive a duvida se eu conseguiria enxergar la fora, e realmente foi o que ocorreu, não consegui. Não sei se já fui com isso em mente, me atrapalhando. Mas em outras projeções antigas eu atravessei as portas enxergando normalmente do outro lado.
  9. 2 points
    O assunto e complexo, eu vi esse video e tinha reparado nisso. Na verdade ela corta o.video em varios pontos e da para notar que chorou ao voltar num dado momento. Nos videos recentes ela conta que foi porque objetos inanimados estavam se movendo ali ao lado enquanto ela falava para a câmera. Mas assim, independente dos PORQUÊS disto ou aquilo ter acontecido, o aspecto que me fez trazer o video dela é porque sendo ela uma médium já com alguns anos de experiencia e sendo clarividente, ainda assim se enganou com as entidades com as quais ela estava habituada a lidar. Seja porque entidades da goecia fingiram ser sua pomba-gira. Seja porque sua pomba gira não era a amiguinha que ela pensava e mentiu para ela, seja porque entidadea da.goecia e emtidadea de quimbanda possam ser as mesmas, porém trabalhando sob contextos culturais diferentes.... tanto faz as RAZÕES. O que chama atencão é que se mesmo pessoas experientes, que são médiuns e clarividentes, que lidam com as mesmas entidades há cerca de dez anos ainda assim podem ser tão facilmente ludibriadas..... Imagine então os novatos...
  10. 2 points
    Fiquei na dúvida e não postei no fórum de relatos porque a experiência foi no físico. Relato de 2013. Na época eu estava tratando uma doença grave, e estava abalado por causa dessa doença. Eu tomava 14 comprimidos por dia. Estava com medo de morrer e essa doença foi o estopim de uma síndrome do pânico que hoje é controlada. Fui dormir e esperar o sono. Após um tempo, deitado de lado e ainda acordado, uma voz tenebrosa começou a falara perto do meu ouvido, fora, não na minha mente, como se fosse uma outra pessoa falando mesmo perto do ouvido. A voz dizia "você irá se f.......", e ficou repetindo isso umas 20 vezes. Na hora eu pensei "não vou virar e olhar porque senão vou ver algo" e fiquei fingindo ali como se eu não estivesse ouvindo nada até a voz parar. Mas foi tenso. A minha opinião é que alguma entidade se aproveitou daquele momento meu de fragilidade pra me botar medo.
  11. 2 points
    Essa é uma ótima forma de dizer que a responsabilidade pela minha crise é de qualquer um, menos minha! Qualquer trabalho de transformação pessoal, de mudança frequencial, mesmo que seja tomar um floralzinho básico, vai provocar catarse. Isso ocorre quando "aquilo" que estava sob a superfície começa a vir a luz da consciência. É neste momento que começamos a ver nossa própria sombra - e a única " entidade negativa" envolvida no processo é apenas a própria mente/ego se sacudindo pra não aprender. Outra questão importante: quanto tempo isso leva, e quanto "sofrimento" a pessoa vai viver nesse período, dependem de quanta entrega e aceitação existe no processo, e de quanto lixo a pessoa carrega (a maioria das pessoas não sabe, mas carrega muito, muuuito lixo, e tirar isso dói sim!). Por isso Carl Jung sabiamente descreveu: "As pessoas vão fazer qualquer coisa, não importa o quão absurdo, para evitar olharem para suas próprias almas."
  12. 2 points
    Relaxa Rosa. Eu desejava na proxima vida reencarnar como monge budista isolado desse mundo materialista e egoista. Mas estudando o assunto vi que é pior correr. É dificil aprender sem errar. Cheguei a conclusao de que melhor deixar que cada um siga seu caminho com suas escolhas, e torço pra que aprendam futuramente. Mas que nao atrapalhem vc. Porque a partir do momento que atrapalham, o melhor é se afastar. Ninguém é obrigado a ficar perto de quem lhe faz mal. Mas se nao faz tao mal assim, deixem que vejam vc como exemplo, e vc tb pode tomar alguma lição com eles, enxergando eles como uma chance de praticar a tolerância. Se vc perceber, a maioria das pessoas é assim, nao estao nem aí pra essa tal “evolução espiritual”. Esses dias postei um topico aqui sobre o ego, e o autor diz que 97% ainda nao se interessa ou nao esta pronto para a espiritualidade, e apenas 3% esta livre do ego. Olhe a sua volta e perceba isso. Cada pessoa age baseada em seus interesses, e os interesses dos colegas que vc cita não é espiritualidade. Entao nao espere que ajam diferente do que eles querem. Ou seja, algumas situações insatisfatórias são causadas por nossas proprias desilusões, pq depende deles e nao de vc. Enxergue cada individuo em sua singularidade. Analise o interesse de cada um. Analise o ego de cada um. O ego é o que ele pensa. O indivíduo acha que ele é o que pensa. Daí vem os problemas. Talvez lhe conforte mais saber disso, e lhe traga alguma compreensao de pq somos/agimos assim. Te indico leitura de textos de osho e do budismo sobre o ego. Irá te ajudar a entender essas pessoas, entender porque agimos assim, e tb te ajudara a evitar alguns atritos.
  13. 2 points
    As atitudes deles são responsabilidades deles. Você pode não participar delas, não encorajá-las e, se tiver abertura para isso, conversar a respeito, expondo sua oposição com didatismo, a única forma que é propícia a produzir resultados. Eu não acho legal se meter onde não se é chamado, a não ser que o caso seja grave e peça uma intervenção mais drástica, o que também terá consequências mais drásticas e precisa, portanto, ser bem pensado. Recomendo que tenha cuidado para não ser julgamentosa/moralista, querendo impor seus padrões de comportamentos para os outros, no mínimo porque isso não costuma levar a lugar nenhum. Nos relacionamentos genuínos sempre há troca de experiências, e aí surge a oportunidade de você passar algo para eles, como também de receber. Se você não se sente bem na companhia deles, parece bem razoável se afastar, ou manter um convívio mais para a linha do social civilizado. A não ser que você se torne uma eremita, vai ter de conviver com os irmãozinhos e convém que essa convivência seja pacífica e minimamente construtiva, certo? Reflita sobre os motivos que a levam a querer ser próxima deles e os que a levam a querer se afastar. "Antes só que mal acompanhado" --- é um chavão, mas nem por isso menos verdadeiro. Algumas pessoas são mais extrovertidas e carentes e, quando desenvolvem certa sensibilidade e certo nível de criticidade, tendem a ter problemas de convívio, de manter relacionamentos antigos, etc. Tudo tem bônus e ônus, ora. Em algum momento você pode encontrar pessoas que tenham mais a ver com você, mas agora você está na faculdade e inevitavelmente vai ter contato com pessoas diferentes. A questão é o quanto você vai se aproximar delas, o quanto vai se deixar influenciar, que influência vai exercer. Acredito que o exemplo seja a melhor forma de transmissão, até porque, além de ser prático, traz uma certa "autoridade", em oposição, por assim dizer, ao que acontece com o típico pregador hipócrita. Você foi muito genérica na sua exposição. Como eles poderiam atrapalhar sua evolução espiritual? Os cenários que podem estar acontecendo são incontáveis, com eles podendo apenas ser carnistas enquanto você é vegetariana, por exemplo, até eles serem sociopatas consumados, o que não creio ser o caso. Pode ser algo muito bobo, como eles beberem álcool e você se abstêmia, entende? Por isso é difícil aconselhar de modo mais concreto.
  14. 2 points
    Oi Rosa. Na minha opinião o importante é que você se mantenha fiel àquilo que você considera como certo, sem se deixar influenciar pelas atitudes e pensamentos desses amigos. Não caia naquilo do "não quero isso, mas vou fazer, senão... vou perder a companhia... ".
  15. 2 points
    Concordo que nem sempre estamos em contato com os reais "mentores" ou "anjos' e que podemos estar sendo influenciados para determinadas situações ou que não é preciso uma "aprovação oficial" para termos acesso ao Astral. Agora te pergunto, e quando você começa "sintonizar" uma consciência que inicia um processo de instrução que acaba gerando situações reais de sincronicidade, envolvendo a realização de treinos, psicofonia em pessoas próximas com a mesma consciência informando detalhes e tudo isso levando a cura de uma doença gravíssima de uma pessoa próxima? Que nome devo dar a essa consciência (na verdade são 3)? Algumas coisas que já descobri: • Não é preciso Mentor para projetar. • Os Mentores não são pessoais e não estão 100% do tempo a sua disposição. • Eles não se aproximam de quem procura solução, apenas aconselham. • Eles não carregam o seu fardo, apenas te dizem se está na direção correta. • Em muitos casos falam curto e grosso sobre suas falhas. • Você não consegue fácil contato com eles se sua vibração for baixa influenciada por álcool, fumo, necessidades fisiológicas e/ou interesse fútil. O máximo que você consegue é se tornar uma piteira energética em planos baixos ou sonhos com baixa lucidez e acha que é projeção. • São mais inteligentes e respondem sobre assuntos profundos, como por exemplo, geometria, estado da matéria, filosofia, etc. • São superiores pois não se abatem com nossa resposta humana a situações. Sempre nos perdoam e nunca nos abandonam. Alerta: Uma vez estava conversando com um suposto Mentor (dando uma de inteligente mas com falhas bem óbvias), bem no início da minha pesquisa, e quando comecei a orar mentalmente notei que ele começou a tirar sarro da minha cara. Rindo. Depois quando iniciei uma proteção energética, ele começou a gemer como se estivesse sentido prazer. Alguns segundo depois, ouvi ele reclamando que suas mãos estavam doendo e pediu desculpas. Parecia que tinha uma equipe vindo tirar ele dali. Depois disso, sempre fiz testes para saber o nível intelectual da consciência. Muitas vezes aparecem uns "amigões". Mentor é bem diferente e nunca vi em sua forma real, sempre aparecem em situações de aprendizado mas com aparência neutra. Paz e Luz. Foco no amor.
  16. 2 points
    O pessoal aqui tem muito essa mentalidade de jogar tudo para cima do tal do "mentor pessoal", uma postura que é um tanto incentivada pela literatura espírita (muito influente no Brasil), e uma figura que na verdade já aparece em algumas vertentes cristãs sob o nome de anjo da guarda. Não digo que não exista um espírito com essa função. Só acho que isso tende a levar a uma postura de dependência, comodismo e simplismo. Em tudo quanto é canto de discussão sobre projeção, por exemplo, fulano entra em recesso projetivo, ou mesmo nunca consegue se projetar, pronto, foi o tal do mentor que bloqueou, seja porque a pessoa supostamente teria feito algo errado no astral e estaria sendo punida, seja porque ela não estaria preparada, ou qualquer desculpa desse tipo. Essa tal "armadilha" de que trata esse relato é um dos frutos da armadilha maior que é sobrevalorizar a figura e o papel do mentor pessoal.
  17. 2 points
    Essa série é muito boa, Joe. Excelente recomendação. Eles abordam algumas coisas bem avançadas que a gente vê quando se aprofunda bastante em termos de universos e dimensões paralelas e que inclusive há relatos de alguns projetores aqui do fórum mesmo e de autores clássicos. O enredo é bem legal.
  18. 2 points
    O grupo de que participei não atendia encarnados, apenas nos reuníamos no sábado, os mentores começavam pela manhã a preparar as condiçoes energéticas da sala usada para isso. Em geral levavam até umas 15 ou 16horas. Eles traziam os obsessores, e sei pelo que meu colegas clarividente,s contavam, que formava uma fila do lado de fora da casa, ate entrando pela casa e chegando na sala de trabalhos. (eu cheguei a ver, num flash de clarividência, uma fila dessas durante uma aula do curso do IIPC, em que praticaríamos exetriorização) A sala de trabalho era lacrada por uma cúpula de proteção, feita pelos mentores, não por nós. E então entrava um grupo de obsessores de cada vez. Por grupo quero dizer classe de entidades. Elas não se misturavam. Então, por exemplo, podíamos primeiro trabalhar com o grupo de obsessores ligados à maçonaria. Deposi de terminar, oque em geral demorava umas duas horas, entraria um outro grupo, por exemplo os Ets insetóides, ligados à igreja católica. E assim seguíamos os trabalhos. E diferença para o que o Joe relata, que acho que é o que acontece num grupo espírita tradicional, é que nesses grupos a entidade incorpora no médium, é inquirido por alguém ali, e fica respondendo as perguntas.... Como se desse para confiar no que as entidades negativas falam.... No nosso grupo elas não eram convidadas a falar, mas meso se resolvem falar, ninguém dava atenção. O médium que incorporava a entidade procurava penetrar na mente dela para saber quem o mandou ali, qual a missão, quem era seu chefe, onde era o QG dele. E então íamos até la por desdobramento apométrico (aquela 'coisa' né????) para capturá-lo, explodir o QG, e libertar os seus escravos (em geral os soldados deles são escravos também. Eliminado a chefia, é cada um por si, fugindo dali, eehe O que a entidade falava voluntariamente sabíamos que não merecia nossa atenção. E a entidade procruava ao máximo esconder a informação do médium, que tinha que ir vasculhando a mente dela, o que as vezes demorava uma meia hora. Eu participava disso, mas mais como estagiário espantado, neste clima assim: Porque naquela época eu nunca tinha ouvido falar desse tipo de atividade. Só quando reli os livros do Lacerda sobre apometria vi que era a mesma coisa. Mas como nunca fui espírita, minha concepção de grupos espírita era médiuns incorporando entidades e os encarnados tentando dar bons conselhos para a entidade parar de encher o saco do encarnado. Boa parte do que rolava eram informações trocadas por percepções clarividentes de cada membro ali. O grupo inteiro era passava pelo tal desdobamento apométrico, que na prática é o mesmo que nada tivesse acontecido, só que ao tentarmos ver por clarividencia o que rolava, em geral nossas percepções batiam, embora se posições diferentes do cenário. Ou seja, é um tipo de "projeção" acordado, em que aqui você está na sala conversando com os colegas, mas ao fechar os olhos e tentar ver algo, acaba vendo o ambiente em que o grupo estaria projetado, o que inclui ver os mesmo seres ou mesmo tipo de estruturas, ambiente astral , símbolos presentes em paredes, roupas. Aqui relatei um exemplo do que vi numa de nossas reuniões: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17111-acho-que-foi-sonho-lúcido-autor-michelle/&do=findComment&comment=74459 Ao que tudo indica uma parte nossa de fato é projetada para o lugares do astral onde acontece a ação. Mas se você não conseguir se concentrar para captar o que percebe, lá, vai jurar que nada aconteceu. Agora, em grupos tradicional de desobsessão eu nao sei por experiencia propria o que rola, só vi relatos de outros, como este do Divaldo: https://www.youtube.com/watch?v=BItIVwSiVe0&feature=youtu.be&t=367 Mas deve ter mais de um aqui no GVA que saiba relatar sua experiência pessoal com esses grupos
  19. 2 points
    Olá amigos, eu postei os livros aqui: https://www.mediafire.com/folder/5mj4gu6h22zmn/clairvision
  20. 1 point
    Kkkkkkkk É , eu quando estava me projetando bastante ja estava me atrapalhando . Já pensava " ah, nao posso esuqecer de contar para o fulano que..."... mas aí lembrava que o fulano eu só comhecia do astral. Ou entao que o evento acontecido só tinha ocorrido em astral e o fulano era do fisico. Comecei a misturar as informacoes, ehehe
  21. 1 point
    Boa tarde, no tópico aqui no fórum, https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17033-por-onde-começar/ , existe um tutorial do que fazer, como pensar e como agir durante a projeção, pesquisa com ctrl+f sobre "DURANTE A PROJEÇÃO". Abraços.
  22. 1 point
    Acho complicado tentar reduzir todos as entidades dos planos internos a um ou outro fenômeno. O que conheço parecido com isso que ele fala são os cascões astrais e as sombras que são corpos etéricos ou astrais abandonados e que por alguma razão podem ser animados temporariamente, seja involuntariamente ou voluntariamente (através de magia negra). Pelo o que já li, as assombrações geralmente são entidades que ainda estão usando o corpo etérico (porque estão muito presas à vida física ou estão absorvendo energia dos outros para se manterem integradas) e portanto se tornam susceptíveis a aparecerem temporariamente por estarem em uma baixa vibração. Creio que o obsessor seja uma entidade que ainda está habitando o corpo astral.
  23. 1 point
    o fenõmeno UFO é muito interessante, mas saber o que é real nos dias de hoje é impossível, porque qualquer um pode alterar um vídeo ou falsificar um avistamento, kkkk mas ler ou ver de vez em quando não vejo problemas, a questão é que você realmente se interessa por isso, ja pensou porque tem tanto interesse? resume pra mim, como seria essa alimentação? o que eles falam propriamente sobre a saída do corpo? pelo jeito são contra mesmo selecionar melhor o que lé é uma tática para os dias de hoje, tem muito lixo visual nas redes sociais, muito ódio e falta de amor. Desculpe tantas perguntas, é que tenho interesse em ti ajudar a entender melhor sobre espiritos, projeção ou parapsiquismo. Se quiser mandar mensagem no privado aqui pelo forum tudo bem.
  24. 1 point
    Jovens promovem cruzada antipornografia na internet Geração que cresceu com livre acesso à pornografia agora questiona o seu consumo https://oglobo.globo.com/cultura/2019/05/10/2274-apoiados-em-estudos-cientificos-jovens-promovem-cruzada-antipornografia-na-internet-rv1
  25. 1 point
    @bandeirapvh OLVE ( Oscilação longitudinal voluntária de energia ) Se fizer bem feita a OLVE, pode alcançar o E.V ou como eu alcançar "e.vs" parcias... Eu tinha mandado o linkda propositora do nome explicando a técnica, mas acho que não pode tentarei por in box
  26. 1 point
    ja fui ameaçado algumas vezes enquanto estou em catalepsia projetiva, ou quando percebo que já posso descolar do corpo, eu ignoro e saio em projeção, se esbarrar com a consciencia é porque ela queria me enfrentar, conversar, sei lá. Eu sempre tenho clariaudiência quando estou deitado e relaxando, ouço palavras, sons, gritos, mas não me abalo. Quando ouvir algo assim, levante, vá ver o que ti chama ou ti ofende, lembrando que somos encarnados e temots muito mais energias do que desencarnados que são sutis.
  27. 1 point
    Considerando que seja o mesmo ser e considerando que foram projeções e não sonhos, me veio à cabeça que talvez seja até um espírito procurando sua ajuda ou como você falou, pode tá perdida.... vai saber né? Isso inclusive me faz refletir sobre uma coisa. Não digo que esse é o caso, mas imagine os casos em que seres ''perdidos no astral'' obsediam nós do plano físico, mesmo sem intenção? Só pra refletir mesmo... Edit.: lendo algumas literaturas espiritualistas, noto que muitos casos de obsessão não são intencionais
  28. 1 point
    17032019 às 8:30 Basilia/DF, acordei fui ao banheiro, bebi água, e deitei em decúbito dorsal, já fiz projeção astral, deitado de lado, ambos os lados, mas em finais de semana, depois de ter dormido a noite toda, e levantar de manhã, eu volto a deitar e deitado em decúbito porque o relaxamento vem muito rápido, as ondas cerebrais baixam rapidamente novamente, e em um breve cochilo, eu desperto com o corpo todo adormecido. Se estava em catalepsia projetiva não posso afirmar, por que não tento me mover, eu tentei rolar para um lado, não houve reação, para o outro e nada, me imaginar em outro cômodo nada, e começo a mover as energias, uma sensação boa das energias percorre meu corpo de cima para baixo, em cada parte do corpo. Logo me vem a mente, para escorregar o corpo no sentido de baixo para cima, como se fosse sair sendo puxado pela cabeça, deitado mesmo, e funciona, começo a descolar, quando sinto que a cabeça saiu e o peito também, sinto falta de ar, mantenho a calma, e faço uma inspiração bem lenta,lembrando que o corpo astral não precisa respirar, e então eu saio completamente. Começo a ver tudo meio borrado, muito claro, e me senti deitado em relação ao solo, me oriento e fico ereto, e dou o comando para a visão se ajustar, e logo estou enxergando tudo claramente, olho para a casa do vizinho, e me parece que estão fazendo uma festa, e me vem a mente “vou dar uma volta nessa festa no meu vizinho, e servirá como comprovação”, sobrevoei a festa, tinha umas 50 pessoas, adultos, idosos e crianças. Vejo crianças brincando em cima de um brinquedo, umas quatro ou cinco, como se fosse um cavalinho, minha lucidez é total, e me vem a mente para atravessar por entre as crianças, por entre seus corpos, e me desloco e atravesso, por entre elas, durante esse momento, ouço um som, como que de energias, que passam umas pelas outras, de eletricidade, e olho para as crianças e elas em nada se abalaram ou pararam de brincar. A festa é no jardim da casa, tem brinquedos de escorrega, aqueles que são infláveis e bem grandes. Vejo muitas pessoas sentadas, muitos idosos, e tenho a impressão de ver uma jovem com véu de noiva, e outras duas pessoas ao seu redor e ela estava cabisbaixa, meio triste. Ando na lateral da casa, observando tudo os detalhes e sempre dando o comando, “quero lucidez”, e continuo muito lucido e dono de minhas ações Tinha uma moça dentro de uma cabine, como se ela fosse a atendente que vendia ou entregava doces, e outras coisas, eu fiquei olhando para ela, bem de perto, um metro de distância, era branca, cabelos castanhos, olhos claros, e ela dá um sorriso, e eu penso, “uai, ela olhou para mim?”, e então eu lavanto a mão, em frente ao seu rosto, e aceno, ela continua sorrindo, eu tenho a impressão que ela vê algo de minhas ações, mas seus olhos já não olhavam em minha direção, então muito provavelmente em uma festa, alguém chamou, ela olhou, sorriu, e eu achei que era comigo. Olho a lateral da casa, mas não reconheço como sendo a casa do meu vizinho, me viro em outro direção e vejo o brilho do sol pela manhã, que me desorienta um pouco, e começo a perder a lucidez, eu tento manter a lucidez mas não adianta, eu volto para o corpo e desperto, eu não vi a volta ao corpo, não notei o encaixe. O brilho do sol que vi, veio de um lado que não poderia ser a casa do meu vizinho, portanto eu não estava do lado da minha casa, e ja confirmei que não tem festa lá agora rsrs. O dia esta muito nublado, portanto não poderia ver os raios solares, e a verdade é que não sei onde foi a projeção. A experiência de atravessar corpos físicos foi muito interessante e fazia parte de objetivos meus para projeção.
  29. 1 point
    Quem sabe o nosso "eu superior"? Uma das raízes dessa dependência de guias, mentores ou anjos de guarda é a própria ideia de que não somos capazes de nada sozinhos.
  30. 1 point
    Olá, pessoal. Faz um bom tempinho que não posto nenhum relato meu, pois de novembro pra cá só tive algumas projeções que se misturavam muito com onirismo e eu terminava não sabendo ordenar muito bem os eventos. A projeção que tive é curtinha: Eu havia me deitado às 03:40. Não fiz nenhuma técnica energética antes de dormir, mas li alguns relatos do fórum e apliquei um pouquinho de reiki. Eu estava andando em uma das avenidas principais de minha cidade quando de repente tive um toque de lucidez. Fiquei muito feliz de estar lúcido naquele momento e logo tentei alçar voo. Pela primeira vez, logo consegui permanecer voando por um tempo interessante e sem cair(sempre tive medo ao olhar pro chão). Procurei não olhar pro chão e deu certo, fiquei fazendo várias piruetas no ar. Senti que tava perdendo lucidez em um momento e desci pra tentar me concentrar um pouco mais. Deu certo. Fui andando um pouco mais e o cenário mudou completamente, como se eu tivesse entrado em uma faixa totalmente diferente. A nova faixa era mais pesada, tinha muito mais gente e de certa forma mais poluição visual mesmo. Não me surpreende, pois imagino que áreas com grande densidade de pessoas geralmente têm energias carregadas. Do nada me vi em uma espécie de metrô sujo e eu vi pessoas fumando muito, bebendo e outras sempre muito apressadas pra chegar a algum lugar. Reparei que havia muitos canos e as pessoas passavam caminhando entre esses canos de esgoto que formavam um verdadeiro labirinto. Andando nos canos, reparei alguns olhares estranhos e fui perdendo a lucidez... até que não me lembro de mais nada. PS.: Tenho 2 relatos aqui do fórum de projeções que tratam de voo no astral e nas duas não consegui permanecer voando muito.
  31. 1 point
    Achei interessante esta parte, pois o Waldo Vieira falava muito em suas tertúlias sobre a comunidade extrafísica do Pandeiro: https://www.youtube.com/watch?v=wSOpryv7mFI Pelo que me lembro, ele dizia que Steve Jobs teve acesso a esta comunex enquanto encarnado e se inspirou nela para criar esta nova sede da Apple. E disse também disse que esta comunex já foi "desativada". Creio que o vídeo seja este: https://www.youtube.com/watch?v=qaFDgsRqK28
  32. 1 point
    Concordo plenamente com você, vivemos uma época em que muita gente, lucra muito alto, com o temas espiritualidade, espiritualidade quãntica, temos que estar atentos e sempre estudando, lendo, meditando. Abraços.
  33. 1 point
    quando pensamos em alguém, e este pensamento não é superficial, ele é persistente, vai existir uma conexão energética, é como se estivéssemos ao lado dessa pessoa, você esta com ela, e se este pensamento é ruim, esta intrusão pode afetar a vida da outra pessoa, causando incômodos, mal estar, irritação, cada um sente as energias de outros encarnados de formas diferentes. Se a pessoa que você esta pensando mal, desejando o mal, cuida das energias, faz a OLVE, e melhor ainda, faz E.V, esta prática é profilática e praticamente anula essa intrusão que vem de fora. Vivemos em uma época de muita intrusão e em que todos querem dar opinião em posts, grupos de whatsapp, e você pode ser o alvo de muitos pensamentos ruins, e por conseguinte de muita intrusão, ou seja, assédio na forma de energias negativas. Esse assédio repercute tanto aqui no físico, quanto no astral. Ja soube de relatos de pessoas, que literalmente em projeção vão incomodar ou perseguir outros encarnados no astral, e quando acordam não lembram, mas o assédio continua na forma de pensamentos ruins e de desejo do mal do outro, gerando energias e repercussões na vida do outro aqui no físico. Não pensar mal dos outros é não ser intrusivo na vida dos outros, se pensa mal de outra pessoa, provavelmente ja esta lhe fazendo o mal. pela insistência da outra pessoa em pensar mal de você, pode sim fazer com que você pense nela, e essa energia ruim entre os dois, vira um tiroteio digamos assim. Quer se livrar disso? não pense mal dos outros e perdoe o outro. Vamos aprender a cuidar das energias, como nosso grande amigo Saulo Calderon sempre enfatiza em seus FAQs, mover as energias, e ter uma mente sadia, uma mente limpa dos impulsos animais do umbilicochacra. Abraços.
  34. 1 point
    Olá Viajantes, Ontem tive umas experiências estranhas com pessoas próximas a mim ligeiramente descontroladas e demasiadamente sensíveis. Mais a tarde recebi algumas mensagens bem abruptas sobre nos hidratarmos e ingerirmos glicose. Apesar de estranho, fiz o possível para atender às solicitações. Notei que as consciências que me contatam estavam dessa vez meio agitadas e com pressa, como se algo fosse ocorrer. Fiquei meio pensativo mas não associei a nada catastrófico. Sei que essas consciências não "gostam" que a gente tenha mais acesso a informações do que nos é permitido, então nem pergunto. Mais tarde fui dormir normalmente e mesmo sem acordar no horário nobre das '3-6' me projetei com baixíssima lucidez e com uma forte sensação de peso. Acredito ter sido a zona real time pois meu quarto estava vazio apenas com a cama e sem o resto da decoração. Fui até a janela do meu quarto e vi um aparato tecnológico fazendo som de gerador elétrico e com a aparência de um diferencial de carro (mais ou menos...). Esse treco ficou alinhado a janela e num determinado momento rotacionou até ficar apontado para mim. Vi uma luz vermelha que logo desligou minha lucidez por completo e apenas consigo rememorar um ser estranho falando comigo e que minha mente as vezes via como uma mulher de vestido longo de festa mas alternava para apenas uma consciência disforme. Bem diferente. Acordei as 6 ainda ouvindo o tal som de gerador elétrico. Paz e luz a todos. Acho que tem algo grande acontecendo no Astral...
  35. 1 point
    Nem dá para chamar de armadilha né? Não foi ela quem disse ser sua guia. Foi você quem decidiu que ela era, ehehehe.
  36. 1 point
    Esse estopim é típico de sindrome do pânico. Digo isso porque é o que consta na literatura sobre esse problema, e também era o que mais iniciava minhas crises. Como não há nenhum conhecido, seu cérebro acha que ninguém ali poderia te ajudar, aí vem a crise. Os conhecidos são como uma muleta pra evitar a crise. Foi o que me lembrou. Mas posso estar enganado, e ser outra coisa.
  37. 1 point
    verifiquei aqui. o livro foi “teoria dos chakras”, de hiroshi motoyama; há um capitulo q ele relata as experiências decorrentes do trabalho c os chakras. acho q vc vai gostar desse livro. qualquer coisa tenho o link do googledrive dele; e o mesmo link q ja postaram no forum c varios livros em pdf.
  38. 1 point
    Sim, eu fiz o retiro de 10 dias, e no quarto dia quando começou o Vipassana fiquei surpreso com a semelhança com esses exercícios de se mover energias. Eu não tenho certeza, mas suspeito que o pessoal que medita há mais tempo até entra no que chamamos de EV, o que talvez seja o que eles chamam de “fluxo livre.” Dizem que com a prática o corpo todo passa a ser percebido de uma vez só (em vez de apenas percorrer lentamente a atenção pelo corpo todo, como se faz no começo), e nesse estado o corpo todo é sentido “como uma massa de partículas”, dizem. Então acho bem provável que entrem em estado semelhante ao nosso EV de projeção. Mas o que muda é a intenção, que para os projetores é “mover energias”, enquanto para os meditadores a intenção é “apenas observar”. Pessoalmente, suponho que em estados avançados da meditação, seja Vipassana, Anapana e outros estilos, o cara entra em estados de transe diversos, e tem as sacações de compreensões súbitas da realidade, os Insights. Projeção é fichinha pra eles. No entanto eles nem ligam, só seguem “observando” ehehe
  39. 1 point
    É um inferno porque você vê assim, por causa de como você reage, não pelo que acontece em si. Tem muita gente aqui que faz técnicas há tempos e ainda não conseguiu ter as experiências que você já teve espontaneamente, sem esforço, sem nem as desejar. Eu, pessoalmente, não vi nada claramente terrível no seu relato. O problema é a maneira como você reage ao que experiencia -- com medo. Medo é a coisa mais natural do mundo. É tão natural quanto, por exemplo, desejo sexual ou nojo de excrementos. Sim, porque é uma reação instintiva que todos trazemos na nossa, por assim dizer, assinatura biológica. Existem razões muito práticas, e até favoráveis, para sentirmos esse tipo de coisa. Aí a questão, como com todo instinto, é de superação, transcendência. Não querermos sermos só macaquinhos com poucos pelos e polegares opositores, certo? Uma coisa é, por exemplo, ser hipertenso e ter receio de sofrer um AVC. Aí não é só possivelmente medo da "morte", mas de talvez ficar incapacitado, debilitado de um jeito muito limitante. Outra é ter medo do desconhecido. Em grande parte, é fruto do medo que nos foi imposto do "oculto" por séculos de doutrinação religiosa simplista, ignorante e, frequentemente, mal intencionada. Isso tudo faz parte, e a maioria passa por isso em algum momento. Mas vamos trabalhar isso, né? Um método que costuma funcionar bem é o do estudo. Pense comigo... Você é criança e algum adulto inconsequente coloca em você medo do bicho papão e whatnot. Aí você cresce, estuda e descobre que isso é tudo mito, que não há aí nada a se temer. O seu caso, claro, é mais complicado, porque você está descobrindo que há mais coisas entre a Terra e o Céu do que julga a sua vã filosofia. É uma descoberta e tanto! Procure se informar, em primeiro lugar. Leia sobre projeção da consciência, sobre plano astral e temas correlatos. A maioria esmagadora das fontes respeitáveis vai atuar no sentido de convencê-la de que não há nada a temer. Também vai ensiná-la como se defender caso surjam problemas. Eventualmente você ainda vai sentir medo -- eu mesmo, quando a lucidez está baixa, sinto medo. Aí quando desperto no corpo, o que penso é: "Caramba, que bobagem!" Só não fico bravo comigo mesmo porque prefiro achar graça e rir, sempre tentando crescer com cada experiência. Você provavelmente está, quando isso ocorre, no chamado estado hipnagógico, que é essencialmente um intermediário entre a vigília e o sono. Ter percepções extrafísicas não é incomum nesse estado. Mas uma parte considerável do que você percebe pode ser, e provavelmente é, criação mental sua mesmo. Qualquer projetor sabe que a grande dificuldade é, não só ter lucidez, mas manter essa lucidez com boa estabilidade. E, sem isso, fica muito difícil distinguir o que é real do que é produto do seu inconsciente. E sabe também que a proximidade do corpo físico é um grande dificultador. Acaba sendo um corolário que em hipnagogia a lucidez vai ficar, para a maioria, muito prejudicada. Diante disso, meu conselho é que você não leve essas percepções tão a sério. Observe-as, tente usar o senso crítico. Se estiverem a incomodando muito, tente focar algo bem específico e abstrair todo o resto. Meditação é um tipo de prática que pode ajudar no desenvolvimento dessa habilidade. Exercícios de concentração em geral, a mesma coisa. Procure aprender técnicas de separação, testá-las, ver qual funciona para você, sair do corpo, se afastar dele e -- ufa! Então é muito provável que você tenha uma experiência agradável. Não sei se entendi bem o que você realmente quer, se parar tudo, voltar à normose, ou levar adiante seu desenvolvimento parapsíquico, conseguir ter projeções conscientes. Se quiser parar tudo, um jeito bem prático é procurar um psiquiatra e tomar uns medicamentos derruba-leão. Uma amiga minha, médium ostensiva, "resolveu" o problema dela desse jeito. Basicamente qualquer pessoa suficientemente sedada vai ter um apagão e não vai passar pelo que você enfrenta. Vale a pena seguir esse caminho? Não creio. Você vai estar só adiando questões com as quais vai ter de lidar mais cedo ou mais tarde. Em certo sentido, dá para dizer que o que você tem é um dom. No mínimo, uma facilidade, o que não é muito diferente. Quer dizer que é uma possibilidade a ser explorada, com a qual você pode aprender, prestar auxílio aos outros, ampliar sua mentalidade, etc. Como dizia o sábio Uncle Ben, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. Não é à toa que você tem essa facilidade. A minha experiência com projeções é muito parecida com a do Sandro. Tive muitas, espontâneas e com grande lucidez no começo. Depois tive de correr atrás. Para mim, pessoalmente, mais importante do que o fenômeno da projeção em si, o que isso me trouxe foi uma abertura da minha visão de espiritualidade, uma motivação especial para trabalhar questões como equilíbrio emocional, lucidez e desenvolvimento energético, e para estudar espiritualidade. Como eu disse no começo, o principal problema me parece ser o seu medo. Se quiser levar adiante, tem de superar isso. Felizmente somos maquininhas de adaptação e aprendizado e, na pior das hipóteses, uma hora você vai começar a se acostumar e não se assustar mais como hoje. Se você for pró-ativa e se ajudar, tanto melhor. Procurar auxílio aqui no fórum já é um ótimo passo. Dá para notar também que você não é ignorante do tema. Legal. Tá indo bem. Você menciona que seu pai é espírita, que sua avó é isso, que sua mãe é aquilo. Eu não sei onde você mora, mas existem grupos especializados em projeção e assuntos correlatos. Mesmo no meio espírita tradicional, onde se esperaria talvez informação de qualidade sobre o assunto, no geral o que se encontra é ignorância adornada com tabus e recheada com medo. Procure, se puder, um instituto como o IIPC, o IPPB, ou talvez algum grupo esotérico da sua preferência. Se não tiver nada por perto, você vai se virando com a internet mesmo. Hoje a informação sobre esses temas está amplamente divulgada. Tem uns esquizotéricos por aí, gente falando besteira e até gente só interessada no próprio bolso. Desenvolva seu senso crítico, desenvolva sua intuição, e mãos à obra. Peço desculpas se pareci ser duro. Minha intenção é estimular você a superar esse medo e seguir seu desenvolvimento, em oposição a fugir e enfiar a cabeça num buraco. Desejo-lhe muita ventura!
  40. 1 point
    Concordo com o Sandro, o único problema seria se o jogo fosse viciado e não tivesse bem um elemento de aleatoriedade verdadeiro nele. Wellington, se usa a relação da tabua de bongo para fazer essa correlação. Te enviarei por pm agora o seu resultado
  41. 1 point
    Funcionam até os oráculos virtuais, que você pode consultar grátis em sites por internet, e comparar as leituras. Se VOCÊ mentalizar direito a pergunta, se não estiver distraído, os diferentes sites e mesmo diferentes oráculos (I ching, Tarô, Runas, etc..) dão a mesma resposta. O pessoal que não acredita em oráculos em geral está agarrado a preconceitos sobre o que não testou.
  42. 1 point
    Olá a todos! Finalmente consegui minha primeira projeção com saída consciente, um pouco mais 2 meses após minha primeira catalepsia, que foi relatada nesse forum. Bom, a projeção foi ontem (10/11/17). No dia anterior fui dormir cansado, em reflexo do dia que tive, e não fiz nenhuma técnica energética em especial. Ao deitar na cama, coloquei o despertador para às 3 horas e apenas procurei relaxar e ficar fazendo a técnica da gangorra, mas acabei dormindo mesmo. O despertador tocou às 3 horas, mas como na maioria das vezes, apenas levantei, desliguei e voltei a dormir rsrsrs. Acordei as 7 da manhã, mas não levantei da cama, fiquei naquele estado de sonolência por um tempo e comecei a entrar em catalepsia. Essas catalepsias estavam durando mais do que normalmente acontece, mas ainda sim, eu entrava e saia dela. Entrei em catalepsia umas 3 vezes, até que deu 8 horas. Porém ainda com sono, apenas desliguei o ventilador e insisti em ficar deitado, tão bom era o grau de relaxamento. Foi quando entrei em catalepsia novamente, mas dessa vez decidi aplicar uma técnica indireta. Tentei focalizar em um cômodo da casa, mas não funcionou. Então eu tentei simplesmente levantar! Claro que me concentrei um pouco pra fazer isso, sem mexer o corpo físico, mas deu certo. Comecei a sentir as "pernas astrais" se deslocando e com isso as vibrações da catalepsia se intensificaram. Depois meu corpo astral foi se levantando e finalmente consegui realizar a saída consciente. Lembro que naquela hora eu pensava a todo momento "estou conseguindo!", porém sem euforia para não perder a experiência. No início a visão estava escura, mas quando eu quis enxergar, ela simplesmente abriu. Então comecei a andar em direção a sala, sem olhar para trás, e podia perceber a nitidez incrível durante uma projeção consciente. Fui andando até a entrada da sala, embora tivesse dificuldade de locomoção (eu andava como se tivesse pernas de madeira, sem flexibilidade). Consegui chegar até a entrada da sala e nesse momento comecei a questionar a experiência, tamanha era a lucidez e nitidez, achei que estava no corpo físico. Então na mesma hora, tentei tocar a porta e para minha surpresa, eu consegui, era palpável. E aí, como outras vezes que consegui abrir, brevemente, a lucidez em sonho, tive medo de estar no físico, como um sonâmbulo (o que me impede de desbravar os lugares rsrsrs). Decidi então voltar para o quarto, e no momento vi minha irmã andando no corredor, em direção a cozinha, e isso da pra ver pelo meu quarto. Foi quando, já retomando a ideia que eu estava projetado, tentei acordar no corpo físico e observar ela do meu quarto, já no físico. De fato acordei no corpo, mas não consegui a comprovação. Ela estava em outro cômodo mesmo. Ficou um pouco da frustração de que poderia ter durado mais, porém para mim já estava de muito bom tamanho. Fiquei simplesmente maravilhado com a experiência. Não quero estender, mas vou deixar aqui dicas e impressões que tive, o que pode ajudar outros iniciantes, como eu. 1 - Tente atingir esse estado de relaxamento e sonolência. Eu não conseguia entender esse estado, mas de fato, é o ponto em que seu corpo não está adormecido, pois você pode sentir ele sobre a cama, mas não totalmente acordado. A catalepsia projetiva ajuda a indicar que você chegou nesse ponto, muito embora nem todos sintam esse estado. 2 - Ao chegar nesse ponto, tente levantar. Não é bem mentalizar, mas também não é pra levantar no físico rsrsrs. Se concentre e tente levantar, sem se mover. Pode ser que você não sinta nada, mas quando conseguir, saberá. Vai sentir o corpo físico deitado (não concentre muito nele), mas também vai sentir, como se fosse uma extensão dele, ou uma cópia, sei la kkk, se deslocando. 3 - Deseje abrir os olhos, que sua visão vai abrir. E não, não é como um sonho. Além do nível de lucidez, questionamento e raciocínio, pois você sente a saída, e logo está com a consciência ali "fora", pensando (muito interessante), existe também a nitidez incrível. 4 - Não fique eufórico. É muito difícil falar isso, até porque sofro com ansiedade alta. Mas é importante que essas sensações sentidas, sejam naturais para você. Ou seja, ainda que 2 meses estudando o assunto e praticando, tenha sido muito pouco tempo, foi o suficiente para eu sentir algumas catalepsias e EVs e me acostumasse com essas sensações, não ficando ansioso e com o coração acelerado durante o processo. Até porque, sei que nas próximas projeções vou me deparar com situações diferentes e vou precisar ter calma e prática pra lidar com elas... Finalmente, numa boa, queria agradecer ao Sandro pelo acolhimento no meu primeiro relato de catalepsia e por ter indicado os estudos necessários para que eu chegasse até a primeira projeção com saída consciente. Agora tenho uma vida inteira de projeções pela frente e, claro, muito mais estudo. Muito obrigado.
  43. 1 point
    Me usando de uma analogia, imagine que a nossa vida é um oceano aonde estamos em um barco para atravessá-lo. Sem uma rota definida ficamos à mercê do que o mar nos apresentar, vamos para onde as ondas nos levarem. Por isso é prudente traçar um objetivo e assim navegar na direção deles. Existem momentos de tempestade e de calmaria, de mar agitado com ondas grandes e mar calmo com poucas ondas. Por isso é preciso que sejamos bons navegadores e só se torna melhor em navegar quem encara as ondas com determinação e fé em sua jornada. A experiência é o que constrói isso. Nos momentos de tempestades poderemos odiar o mar, mas ao chegar em nosso destino o agradeceremos, pois aqueles difíceis testes nos tornaram hábeis a chegar ao fim da travessia. Sugiro que trace sua meta e comece a navegar em direção dela. Quando as ondas grandes e as tempestades chegarem, use o amor em resposta a elas, não se abale e foque-se naquilo que deseja.
  44. 1 point
    Sandro, essa divisão aí é uma teoria pessoal ? Ou você aprendeu assim de algum lugar ? Porque eu sempre ensinei, até baseado na experiencia mágica de evocação, e nos próprios livros da Dion (já que é livro básico de Qabalah que o pessoal que ensino é obrigado a ler antes de poder abrir a boca rs), a divisão dos em mundos Qabalísticos, que sao Asiah (Mundo físico), Yetzirah (Astral/Formação), Briah (Mental/Aquétipico) e Atziluth (Espirito puro). E as sephiras em: Assiah - 10 Yetzirah - 9, 8, 7 Briah - 6, 5, 4 Atziluth - 3, 2, 1 Ou seja, diver que o astral está contido numa única sephira é abuso de linguagem rs (embora já vi gente dizendo que ele tá em Tipharet! rs). Eu costumo instruir o pessoal dizendo que Assiah e Yetzirah sao os planos da forma, do qual Assiah é o mais "denso" por se tratar do físico e baixo astral. Entao as experiencias aqui, e com seres daqui, tem corpo, espaço, tempo, som... tudo bem definido segundo as regras que a gente já conhece. Aqui o sujeito materializa, incorpora, ou esta convivendo com o ser mesmo que só no astral. Briah, já sao experiencias puramente mentais/simbólicas/arquétipicas com sons puros (e nao musicas, mais como os soms básicos dos mantras), formas geométricas. Se voce falar com um anjo, vai ser nesse nível aqui. Quem tá aqui em consciencia já atingiu um nível de iluminação, pois já está em contato com seu Eu Superior, já troca uma idéia com ele. Jesus (Tipharet) disse que só se conhece ao Pai (Kether) através dele (através de Binah na verdade rs porque tem uma ligação na árvore). Por que entre cada um desses mundos existe um véu, quem impede quem nao tá com a consciencia neles atravessar. Já deu pra entender onde Jesus tava né ? rs. Alias, se voce olhar pra árvore da vida vai ver ele sendo crucificado! (nao literalmente, pelo amor de deus né gente) Atziluth, já é o nível que consciencia humana ordinária nao transcende. Voce cruzou o abismo em Daath, pois entre 4 e 3 nao existe ligação, e sim um abismo (conhecimento), em que pra cruzar voce tem que deixar até a ultima gota do ego (individualidade)... Então quem tá nesse nível de consciencia aqui já tá além de tudo, em nível de consciencia... manifestar, todos podemos manifestar um poquinho em cada nível. Mas falo no nível de consciencia, como o Moises usa chackras... a visão tradicional é usando as sephiroth. Me desculpem em extender esse assunto, mas é que essa visão que o Sandro apresentou é bem teosófica. E essa suposta "anatomia" é um abuso de linguagem. Nos dá a ilusão de que existe um corpo pra cada plano de manifestação. Mas é tudo manifestação de uma mesma coisa. Nem é como se fossem "frequencias" diferentes como sugerem em analogia... acho igualmente irreal porque também sugere separação, onde ela nao existe! Cada consciencia tem sua onda portadora rsrs as manifestacoes em "planos" diferentes sao dados dentro da mesma onda (limitando nosso entendimento aos planos da forma, já que é ao que estamos limitados no momento). Nessa ponto, é quase consenso que a teosofia... pisou na bola! O que não quer dizer que essa teoria reencarnacionista esteja certa. É uma um ponto sensível de quem defende a reencarnação com unhas e dentes de que "temos muito pouco tempo" rsrs. Afinal de contas, se o cara parar pra pensar que tem que se cruzar dos esses véus, entrar em contato com o Jesus-Interno (pra usar o mesmo termo que voce), ser crucificado, dispensar o Jesus pra cruzar o abismo,... aí o cara pede pinico mesmo ! kkkk Mas não é śo pq a gente acha o mundo injusto... que ele fica mais justo, né? Minhas postagens todas, foram pra chegar ao ponto de (e sempre deixei claro que ADMITO a possiblidade de reencarnacao) nenhuma teoria reencarnacionista atual é completa, nenhuma "presta" rs. Todos precisam de um remendo aqui, e ali. E frequentemente tem esses pontos de "apego" dos reencarnacionistas ferrenhos (Assim como os céticos tem os seus). Precisa resolver alguns pontos. Mas pra quem curte essa onda reencarnacionistas... e quer sair do Samsara minha explicação té dá uma chance, já que ela sugere que sua consciencia (em vida) transcender os planos da forma (chegar em Tipharet, e o mais proximo possível do plano de cima sem deixar nenhuma pendencia pra trás)... seria bem lógico que voce talvez nao precisasse mais reencarnar, já que voce já superou todas as qliphas, e adiquiriu as qualidades sephiroticas do plano da forma. Alias.. a mim, parece muito que o Moises Esagui tirou as idéias de consciencia nos níveis de cakras, dessa idéia já a muito existente de consciencia em níveis das sephiroth. Claro que o trabalho dele é experiencia dele, mas nao custa adimitir que o "misticismo" tem lá seus chutes bons. É ponto comum isso que. @cyber2050 linguagem humana é uma porcaria pra explicar o universo, até a matemática (que é um certo sentido é mais avancada que a linguagem falada) é uma porcaria pra explicar o universo (nao temos uma teoria unificada de modelo físico do universo muito por culpa dela rs). A linguagem humana nao serve pra explicar o que a gente sente !! Que dirá pra explicar o universo. Por isso os místicos, apelam pra simbolismo (como da Qabalah, entre outros) pra teorizar o universo. Por isso os poetas, apelas pro simbolismo pra falar dos sentimentos. Se eu te falo de "amor"... eu nunca vou ter certeza que voce entender por essa palavra o mesmo que eu entendo porque depende do seu conhecimento e da sua experiencia de vida o entendimento desse sentimento... que raramente vai ser igual ao meu. E principalmente... o portugues nao é a lingua das mais ricas !! As linguas mais ricas sao as linguas nas quais os idiomas modernos foram baseados... grego tem sei lá, 3, 4 palavras diferentes pra tipos diferentes de amor rs. Entao... a linguagem humano, consensualmente, é uma porcaria.
  45. 1 point
    Com as explicações dadas antes, talvez agora seja mais fácil entender este texto da Dion: CRISTIANISMO E REENCARNAÇÃO -Dion Fortune- * Por que não há na doutrina cristã ensinamentos concernentes à Reencarnação? Não há nela mesmo uma negação implícita dessa doutrina fundamental da filosofia esotérica? Eis perguntas feitas com freqüência, sendo de importância inavaliável que elas recebam respostas satisfatórias para que se justifique a nossa alegação de que o cristianismo é uma religião de Mistêrio. Se não pudermos demonstrar que a doutrina da reencarnação, tão fundamental para a ciência esotérica, não somente não é antagônica com respeito aos ensinamentos cristãos mas se acha na realidade implícita aí seremos forçados a admitir que nenhum cristão pode ser ocultista, nem algum ocultista ser cristão. A doutrina da reencarnação se perdeu para o pensamento europeu a partir da época da Grécia Antiga, quando era ensinada nas Escolas de Mistérios sob a designação de Metempsicose, tendo tido uma profunda influência sobre a perspectiva dos pensadores gregos. Foi ela ainda uma doutrina fundamental tanto dos gnósticos como dos neoplatônicos. sendo parte integrante da tentativa de síntese entre a Sabedoria Antiga e a Nova Revelação. As Escolas de Mistério da época da Igreja primitiva estavam expostas a uma grave objeção. Tinham entrado em decadência; haviam sido invadidas por ritos fálicos, por sacrifícios de sangue e pela magia negra, e embora sem dúvida houvesse grupos de iniciados que mantinham a pureza, o movimento como um todo era merecidamente alvo de suspeita. O cristianismo disseminou-se de início entre pessoas iletradas, as quais, já imbuídas do horror que tinha o homem decente diante da decadência da religião popular, e incapazes, por lhe faltarem as letras, de compreender o ponto de vista dos filósofos, condenaram toda instrução como coisa do demônio, dado que muitas pessoas instruídas se haviam deixado levar pelo mal. E foi assim que a ascensão do cristianismo testemunhou o declínio da instrução, e ainda que os piores vícios pagãos tivessem por certo sido destroçados pela abolição das religiões corruptas, manda a honestidade admitirmos que esses vícios não eram inerentes ao paganismo, mas à natureza humana, além de que a erradicação das fés antigas não eliminou a fraqueza humana. Instaura-se o divórcio entre a instrução e a religião; a metafisica foi abandonada aos filósofos, e o cristão passou a preocupar-se com a ética e com uma teologia dogmática baseada numa interpretação das Sagradas Escrituras a que faltavam algumas chaves - a da Cabala, que detinham os autores dos livros do Antigo Testamento, e a da Gnose, de que estavam de posse os autores dos livros do Novo Testamento. Em conseqüência, muitos dos termos técnicos da filosofia de ambas essas Escolas de Mistério deixaram de ser reconhecidos e foram traduzidos de maneira tão errônea que se viram privados por completo de seu significado, tendo passagens inteiras sido pervertidas ou tornadas incompreensíveis. Quem dera houvesse uma tradução das Escrituras realizada por um iniciado! O hiato entre o cristianismo e a filosofia aumentou quando o imperador Constantino fez uso da Igreja para propósitos políticos. Foram designados para altas posições homens cujas qualificações residiam antes em suas concepções políticas do que em suas perspectivas espirituais. O elevado espirito místico da filosofia se perdeu para a Igreja, o mesmo ocorrendo com a sua metafísica. A Idade das Trevas seguiu o seu malfadado curso e só quando a Renascença veio a libertar e a inspirar o espirito humano voltou aquele misticismo a levantar a cabeça no ambiente cristão. Com o Renascimento houve uma repentina irrupção de atividade em todas as áreas da vida humana, passada a longa inércia da Idade das Trevas; mas o canal de ligação com as Escolas de Mistério se desagregara, e quando os homens se dedicaram ao estudo dos filósofos antigos, a sua abordagem destes foi feita a partir de fora e não de dentro. Esses filósofos eram reconhecidos como iniciados de uma ou outra Escola dos Mistérios, e empregavam os elementos técnicos desses ritos. Sem essa chave, seus escritos são em larga medida incompreensíveis. Estudiosos aos quais falta a iniciação, ao tentar abordar esses filósofos antigos à luz do puro conhecimento acadêmico, vêem-se na situação do leitor inteligente moderno que tenta dominar um livro de física sem nenhuma familiaridade precedente com a matemática. Muitos dos termos técnicos empregados serão por ele identificados, mas os estará compreendendo em seu sentido popular, não em seu significado técnico, e por isso não terá condições de acompanhar a argumentação. O pensamento europeu, elevando a cabeça macerada depois da Renascença, nada sabia dos ensinamentos secretos, e a doutrina da reencarnação desapareceu na Europa com a queda da civilização clássica. Porém a vida espiritual interior da alma teve prosseguimento: e seja por trás dos muros dos conventos ou nas iluminações de Jacob Boehme e de outros místicos heterodoxos, o conhecimento do Invisível e de seus poderes foi recuperado parte a parte por meio de revelação direta. Que conhecimentos secretos se acham guardados no círculo mais íntimo da atual Igreja Católica Romana não o sabem os que não fazem parte do círculo; estes só podem avaliá-lo por meio do acompanhamento dos sinais"; que iluminações místicas se sucedem às meditações silenciosas e às orações fervorosas das ordens enclausuradas do cristianismo é algo a que são raras as referências. Pode ter importância no tocante a isso citar uma carta enviada pelo grande cardeal Mercier, o erudito arcebispo de Malines, ao filósofo polonês professor Lutostavski, em resposta à inquirição deste quanto à posição da Igreja Romana no que se refere à doutrina da reencarnação, carta na qual o cardeal afirma que "a doutrina da reencarnação nunca foi formalmente condenada como heresia pela Igreja Romana". A Igreja de Cristo exotérica pode ter se esquecido da reencarnação, e cessado de ensiná-la, mas, quando esta lhe é trazida à lembrança, ela não a condena. Se a encarnação é um componente de tamanha relevância dos ensinamentos secretos, ensinamentos dos quais partem todas as religiões, por que Nosso Senhor não a ensinou explicitamente? A explicação desse problema tem dupla face: Em primeiro lugar, reside na natureza das pessoas a quem Ele veio e, em segundo, na maneira pela qual a Sua obra teve de ser levada a efeito Nosso Senhor veio a pessoas que, em sua grande maioria, no que concerne á vida religiosa, preocupavam-se exclusivamente com as observância formais do Templo e com a retidão inculcada pela lei Mosaica. Entre essas pessoas havia uma pequena minoria que tinha interesse por especulações místicas. No âmbito dessa minoria, o corpo mais notável eram os essênios - homens e mulheres altamente respeitados em Israel, alguns dos quais levavam uma vida comunitária, enquanto outros participavam da vida do mundo. Os essênios poderiam ser considerados apropriadamente os quakers do judaísmo. A doutrina do judaísmo está contida nos ensinamentos dos essênios, de que era parte não negligenciável. Muitos crêem que o Menino Jesus foi educado numa comunidade essênia depois que a Sua grandeza foi reconhecida pelos anciãos quando Ele ensinara no Templo. Schuré, em seu livro deveras interessante Os Grandes Iniciados, reuniu provas que sustentam essa interpretação. Em todos os Seus ensinamentos, Nosso Senhor estabelece uma clara distinção entre aquilo que vai dizer aos Seus discípulos eleitos e dignos de confiança na Câmara Superior, aos quais se permite o conhecimento dos Mistérios do Reino, e à população em geral, cujos enfermos Ele curou e cujas angústias confortou. Nosso Senhor se apoiou numa base mística; Ele falou como alguém que vem do outro lado do Véu. O divino moderno pouco sabe acerca do misticismo antigo de Israel, a Cabala; mas a Cabala constitui a chave da interpretação mística do Antigo Testamento e de muitas passagens do Novo Testamento. Consideremos à guisa de exemplo a passagem final da Oração do Senhor, "Pois teu é o reino, o poder e a glória, por todos os séculos e séculos. Amém." O que isso transmite ao cabalista? Uma representação do triângulo inferior da Árvore da Vida sefirótica, no qual se acham hierarquizadas, em seu padrão adequado, as estações místicas das Dez Emanações Divinas que formaram os mundos - Netzach, vitória ou poder; Hod, glória; Malkuth, o reino. Na Árvore da Vida se baseia a poderosa invocação da magia cabalista com que todos os magos selam a própria aura antes de começar qualquer operação mágica: "Ateh Malkuth, Ve Gedúlah, Ve Geburah, le Olahm. Amém. Pois teu é o reino, o poder e a glória, por todas as eras. Amém." (essa é a parte final do 'Pai Nosso', na tradição cristã antiga) Ninguém pode alimentar a esperança de compreender o cristianismo sem entender o misticismo da Cabala, no qual, como o prova a citação acima, Nosso Senhor foi treinado; e na doutrina cabalista encontramos, entre os seus mais importantes fundamentos, o da reencarnação. É na Cabala que encontramos a cosmologia e a doutrina mística da alma e de sua iniciação, nas quais o cristianismo exotérico é tão lamentavelmente deficiente em comparação com as grandes fés orientais. Uma abundância de materiais esotéricos pode ser encontrada tanto no Antigo como no Novo Testamento; e quem pode dizer o que havia antes de o texto ter passado por uma atividade de edição nas mãos de gerações de eruditos que eram em todos os aspectos homens da Igreja? Há inúmeros ensinamentos de Nosso Senhor, muitas passagens das Escrituras, cuja compreensão só pode ocorrer à luz da doutrina da reencarnação. A mensagem de João Batista a Jesus é um dos exemplos disso. Nosso Senhor ensinou aos Seus discípulos, na Câmara Superior, uma doutrina de que não temos registros diretos, porém grande número de ecos. Do ponto de vista esotérico, vê-se com presteza o motivo de Nosso Senhor não ter acentuado em sua Missão a doutrina da reencarnação. Cada Christos que vem ao mundo tem uma missão especial a realizar com respeito à evolução da humanidade. Osíris ensinou às pessoas as artes da civilização, Krishna lhes ensinou filosofia, Buda, a maneira de escapar à servidão da matéria e Abdul Baha, a moralidade social. Se há quem objete contra o fato de esses Seres Grandiosos figurarem ao lado de Nosso Senhor na qualidade de manifestações de Deus e de Salvadores da humanidade, a ciência esotérica tem de divergir, porque sempre se ensinou que essas criaturas são irmãs uma das outras, Filhos Mais Velhos de Deus que revelam a Sua Glória em forma humana com o fito de orientar a humanidade. Por outro lado, iniciados da Tradição Ocidental não vão concordar com a atitude de descartar Nosso Senhor como apenas um bom homem que ensinou de acordo com as luzes de que dispunha, nem como somente um médium que foi usado pelo Cristo. É de lamentar a inclinação anticristã de Madame Blavatsky, porque isso levou a uma diminuição do valor do cristianismo entre os estudiosos do ocultismo que não se justifica pelos fatos e que redunda na prática em desastrosos resultados. Nenhum homem que leia história sem preconceitos pode se furtar ao fato de que nunca houve uma verdade transmitida à humanidade de uma vez por todas. A doutrina segundo a qual isso aconteceu caminha de mãos dadas com o catastrófico conceito da geologia. Só a doutrina da evolução resistiu às provas do tempo e dos fatos, e é uma atitude sábia aceitar a conclusão de que a lei da evolução se aplica à vida espiritual da humanidade da mesma maneira como se aplica a sua vida fisica. Nosso Senhor se apoiou no fundamento deixado por Seus predecessores, tendo levado ao Templo a Sua contribuição específica. Estava Ele encarregado de uma tarefa particular a realizar no seio da comunidade cósmica; e Ele é chamado nos Mistérios de Senhor da Personalidade. As fés mais antigas, que também tiveram os seus Divinos Fundadores, tinham por tarefa, cada uma delas, o desenvolvimento e a iluminação de uma camada diferente da consciência. Os cultos bem primitivos, como o vodu, foram iniciadores do subconsciente; os cultos mais elevados, como o hinduísmo, iniciaram o Eu Superior; o papel de Nosso Senhor consistiu em colocar a regeneração ao alcance do homem comum e iniciar a PERSONALIDADE, palavra aqui usada em seu sentido esotérico de aspecto da consciência elaborado a partir das experiências que se enquadram no universo das coisas que nos cabem no período que vai do nascimento à morte. Era esse eu inferior, temporal, que lhe cabia alinhar à vida espiritual e vincular com o Eu eterno. Esse eu inferior não é imortal. Nenhuma pessoa adequadamente instruída em filosofia esotérica crê na reencarnação da atual personalidade nem de alguma personalidade histórica do passado. Só o Eu Superior é dotado de imortalidade e é ele que sobrevive à morte corporal, constituindo-se ainda em veículo do Karma. Por conseguinte, Nosso Senhor, que tem por tarefa, enquanto Salvador de Sua época, a criação de um Caminho de Salvação da personalidade, naturalmente não ensinou reencarnação como parte de Sua missão porque a reencarnação não se aplica à PERSONALIDADE. Os iluminados de Sua época conheciam essa doutrina, fossem eles os místicos essênios de Israel ou os iniciados nos Mistérios Gregos ou Egípcios. Eles não precisavam de ser instruídos no tocante a isso, visto que já tinham familiaridade com essa doutrina. Mas o homem comum precisava que lhe dissesse que é o filho de Deus que Deus o amava, porque essa era uma coisa que nunca antes chegara ao conhecimento do mundo. Afirma-se que Nosso Senhor se comprazia profundamente com o esquecimento da doutrina da reencarnação em sua época porque esta, quando demasiado acentuada, produz muitos malefícios, dado que tende a inculcar um laissez faire desastroso para o progresso humano. Os resultados da aceitação universal da doutrina da reencarnação, com todas as suas implicações, se acham apresentados nas páginas do livro tão discutido de Katharine Mayo, Mother India. Os europeus, alimentando-se, bebendo e festejando em função do fato de que depois iriam morrer, imbuídos da filosofia de que se aproveitasse o dia fugidio, acostumaram-se a uma maneira de levar a vida desprovida de remorso que redundou na realização da maioria das obras no mundo até hoje. A doutrina da reencarnação é o mais iluminador dos ensinamentos quando compreendida da maneira adequada, mas constitui uma doutrina desastrosa para o ignorante dado que, se não for usada como recurso de evolução, torna-se uma inação absoluta, e a destruição de todas as coisas físicas chega tal como o faz o ladrão que vem à noite. Em suma, a atitude esotérica no referente à doutrina da reencarnação no seio do cristianismo pode ser definida da seguinte maneira: A reencarnação foi parte integrante dos ensinamentos secretos nos quais Nosso Senhor e o Seu grupo íntimo de discípulos eram iniciados. Ela fez parte dos ensinamentos interiores da fé cristã até o momento em que o misticismo e a ortodoxia se divorciaram. Ela não é repudiada pela Igreja Católica Romana. Nosso Senhor não desenvolveu a doutrina da reencarnação em Sua missão pública porque essa missão concernia à salvação da Personalidade, e esta não reencarna. * Fonte: Aspectos do Ocultismo- Dion Fortune. Ed. Pensamento
  46. 1 point
    Me permite uma correcao histórica ? rs Bardon é a MESMA linha dos autores que citei, ou seja Hermetismo e Magia Cerimonial. Agrippa justamente por ser medieval, trata de Magia Cerimonial, assim como os grimórios de Abramelim e as famosas Cláviculas do Rei Salomao. Em essencia, é a mesma coisa, mas claro os ultimos entendem esse conhecimento de magia dentro daquilo que a mente do homem dessa época permitia. Mas em termos de práticas é a mesma coisa, armas mágicas, triangulo, círculo. Logo é tudo Magia Cerimonial (teurgia/goécia, psicurgia e magia talismanica). A Golden Dawn nao trouxe novidade nesse ponto, apenas unificou coisas que estavam separadas, tanto é que o tradudor desses grimórios medievais é justamenter o Mathers, fundador da GD. Dion Fortune foi aluna da GD, e tem formacao em psicoterapia, entao ela sim tinha esse conhecimento mais moderno aliado a psicologia, mas até onde sei isso nao estava incorporado na GD. E como ela própria nao desenvolveu um trabalho (público) de magia prática, voce nota esses tracos nos livros dela, mas ela nao reinventa nada. Crowley reajustou os teoremas da Magic(k), criando o Magick in Theory and Pratice, que tem 22 capítulos... assim como o Dogma e Ritual de Alta Magia, do Eliphas Levi. Entao fica bem claro quem ele está atualizando rsrs. Eles transformou "dogma e ritual" em "axiosmas e teoremas". Ja é uma mudanca de paradigma. Crowley também veio da GD, mas dentro da GD houve um grande cisma... (dizem as más linguas que pra passar de grau lá era só estar com as mensalidades em dia, e na data certa, voce passava, fácil ne)... e Crowley foi se isolar e depois buscou a ajuda pra criar a A:.A:., que nao poderia deixar de conter elementos da GD, mas é outro sistema. Quem trouxe REALMENTE essas idéias novas de psicologia moderna pra magia foi Austin Osman Spare, que foi aluno do Crowley na A:.A:., mas que se afatou dele (alias era comum se afastar do Crowley, parece que ninguem ficava perto dele muito tempo rs). Ele tinha um grande conhecimento de Freud and Jung, e criou a Zos Kia Cultus, que além disso tudo que ele herdou (A:.A:. diretamente, indiretamente GD), soma-se o Tantra, o citado conhecimento da psicologia moderna. Aí sim pode-se dizer que já é outra linha. Embora seja evidente a fonte de onde ele bebeu... Porque os métodos de magia mudaram, nao falavamos mais em magia cerimonial apenas. E quem sistematizou essas mudancas foi Peter Carrol. Que ao contrário de Spare que era artista e tinha linguagem simbólica complicada, Carrol é um cientista e colocou tudo "preto no branco". Entao dos escritores que citei, os únicos que sao de outra linha diferente do Bardon, sao Peter Carrol e Spare. Todo o resto é Magia Cerimonial, seja com a mente de um homem medieval, seja com a mente do homem moderno, os métodos nao mudam muito. Nem foi a GD que inovou, foi o Spare com Zos Kia Cultus. Já nesse ponto eu concordo muito com voce ! Nenhum desses sistemas de magia te dá (nao te estimula na verdade) a maestria em projecao que a galera do que vou chamar de "Projeciologia" hoje possui, e alcança. Moises Esagui se projeta TODOS OS DIAS. O Saula Calderon parece que nao fica muito atrás disso. Nosso amigo Sandro aqui já disse que tem mais 1000 projecoes. É muito raro ver magistas com esse grau de DEDICACAO a projecao. Normalmente o cara se dedica durante uma fase do trabalho, depois abandona em nome de outras coisas, e nao alcanca uma maestria como a desses carinhas aí. Além do que, as técnicas e os conhecimentos sobre projecao que sao levadas em consideracao dentro da magia sao bem defasadas em relacao as que o pessoal que estuda projecao hoje em dia, disse que ia chamar de "projeciologia". Sao todas técnicas com alvo mental como bem disse o Sandro. Nao se ve técnicas energéticas. E muito menos técnicas indiretas !! Que pra mim sao o "ó" do "borogodó". Porque pega o livro do Raduga, e tu vai se projetar em 1 semana! Vai ver que a coisa funciona e a técnica dele é fantástica, mescle com técnicas diretas (em especial as que usam técnicas energéticas) , e técnicas de controle de sonhos, voce tem algo que NENHUM sistema de magia no mundo vai te dar. Voce vai ter uma maquina de guerra em termos de projecao rsrs. Tudo isso porque o trabalho que pesquisadores como Robert Bruce fazem hoje em dia, simplesmente sao novidade ! A 150 anos atrás (que eu saiba) nao tinha ninguém fazendo isso desse jeito. Eu mesmo, sou magista, e venho buscar técnicas sobre projecao nesse meio aqui. Entao se o assunto é projecao, qualquer sistema mágico (mesmo os mais modernos!) estao muito defasados em relacao a isso. Até porque nao é mesmo esse o foco. Assim como nao é o foco da Yoga. Mas tanto as técnicas de relaxamento/concentracao da Yoga e da Magia podem ajudar. O que nao é quer dizer que Magia e Yoga vao te tornar um bom projetor. É importante nao confundir "bife de caçarola" com "rifle de caçar rola".
  47. 1 point
    Bom, não vou nem citar, para não ficar confuso demais para quem lê, e porque é desnecessário, porque, exceto pelo seu “juízo estético” sobre o tema, no resto eu não discordo de nenhum dos pontos que você levantou Só que a essência de tudo que você lista é: “só porque tudo indica que algo vai numa dada direção, não quer dizer que aquilo, de fato, vá naquela direção”. Eu concordo, e poderia acrescentar: “só porque eu estou aqui digitando isto, para responder a um tal Cristaldo, não quer dizer que eu esteja de fato digitando algo, ou que algum sujeito que usa o username Cristaldo ,exista, e tenha escrito algo que estou respondendo. Como você mesmo admite, seria “redondinho demais”, “linda teoria onde tudo se encaixa”. Portanto, a raiz da sua crítica se apoia justamente no que torna forte uma hipótese qualquer: sua capacidade de explicar os fenômenos que ela descreve. O usual é consideramos uma hipótese falha quando ela tem muitas falhas, e não quando ela é “perfeita demais”. É como criticar um chocolate por ele ser saboroso demais, eheheh. Sua crítica não pode ser, portanto sobre a qualidade dessas hipóteses, mas sobre o rumo que cada uma delas toma, que parece te desagradar por algum motivo. Ou porque todas elas parecem ter um rumo ordenado, e você preferiria que dissessem "não sabemos, ninguém sabe..." .Mas só você pode saber porque você preferiria algo assim. Preferências são "gosto", e "gosto não se discute", mas tem suas causas ,tudo tem. Se você reler o que escreveu talvez note alguns padrões, mas em geral todo se baseia em “não pode ser assim, porque é ...X...demais”. E o que foi que você, do alto do seu estado de ser humano racional, pré-definiu como sendo aceitável para o universo funcionar? Porque eu, por exemplo, acho que não faz o menor sentido (eu vivo usando esse exemplo, mas não sei se já usei no GVA) que o cérebro fique dentro de um carapaça protetora, o coração e pulmões também, mas os testículos fiquem perigosamente vulneráveis, "a deu dará", se tem até lugarzinho para guardá-los. Aliás, eles já estavam lá, mas quando nascemos, pimba...desceram. Isso só pode ser uma piada de mau gosto! Porque até mesmo no caso do Superman ou Wolverine, se o cara mirar bem...bom, deixa pra lá, deu para entender né? Portanto, não adianta eu bater pé, as coisas são como são. Mas como, afinal, elas são? Se elas DE FATO forem redondinhas, encaixadinhas, perfeitinhas, melhor, só mostra que vivemos num universo ordenado e não numa combinação instável e aleatória qualquer. Nesse caso, nossa capacidade de identificar corretamente essas características significam sabedoria e sucesso na empreitada humana em explicar o universo, e construímos (máquinas, cidades, teorias...) algo com isso. Mas se rejeitamos reconhecer essas características porque cismamos que tudo precisa ser caótico e incompleto, quando não é, isso seria loucura, e permaneceríamos de braços cruzados, sem tentar construir nada, porque afinal, cremo que não pode haver ordem possível Mas se elas DE FATO não forem redondinhas, encaixadinhas... e tentamos encontrar ordem no caos que nos cerca, essa empreitada seria loucura, tudo que construíssemos não funcionaria, porque o caso do universo estaria presente em tudo que pertence a ele. Por outro lado, se elas de fato não forem redondinhas, reconhecer o caos inerente seria sabedoria, e nos pouparia tempo que não gastaríamos tentando impor uma ordem no que nos cerca. Poderíamos apenas nos entregar a uma vida animal, esperando que algum buraco negro que pode surgir a qualquer momento, do nada, nos trague. Essas são opções extremas, tudo-ou-nada, e como entre o que as coisas são DE FATO e como as PERCEBEMOS existe uma distância impossível de SEQUER ESTIMAR, só nos resta tentar jogar com isso, tentar achar um meio termo, talvez pulando de uma para outra a todo momento... Mas esses pulos são DECISÕES de gosto pessoal, estético, emocional, que nada tem a ver com as hipóteses A ou B estar correta, porque SE QUESTIONAR BEM NO FUNDO, não temos como saber. Tem a ver com o que , no fundo, estamos tentando alcançar, ou evitar. Os materialistas, por exemplo, atribuem às teorias espiritualistas a necessidade de segurança, de dar um sentido a uma vida material que, para eles não tem sentido algum mesmo. Já os espiritualistas atribuem aos materialistas o desejo de não encarar as responsabilidades espirituais, altamente duradouras, dos atos da vida física. (Eu especificamente ainda atribuo aos materialistas uma maior necessidade de segurança que os espiritualistas, porque eles procuram se apegar ao material exatamente porque ele oferece uma segurança que o sutil na verdade nunca pode oferecer ) Da minha parte, quando estou em sociedade ( o GVA está incluído nisso por ser público e não saber qual o nível de compreensão das pessoas com quem eu falo, o que me oibrga a ficar no nível médio) eu prefiro a teorias capazes de explicar o que elas se propõem, quanto mais redondinha, mais provavelmente correta ela é, a meu ver, como “hipótese de trabalho”. Então, por exemplo, se no caso de OVNIS , naves estão sendo detectadas ( Força aérea brasileira, Francesa, Canadense, Russa, cidadãos...) Seria como trocar dinheiro (pedaços de papel arbitrariamente valorizados, com os quais eu posso fazer coisas ) por pedaços de papel branco ( igualmente papel, mas com o qual nada posso fazer ), só porque o papel em branco não contém "arbitrariedades congênitas" e "respeita mais meu livre-arbítrio de olhar para ele e afirmar que ele vale o que eu quiser....ehhhhe
  48. 1 point
    Mas pelo que entendo, isso não muda nada do que afirmei antes. . O que estou dizendo é nesse pouco tempo as pessoas não mudaram tanto seu nível interno, e por isso não variaram muito os papéis que exercem. Estou generalizando, obviamente há exceções. E “Chances” são reguladas por muitas coisas, desde a ilusão capitalista, até carmas. Se você olhar para os índices de crescimento da desigualdade no mundo capitalista atual, em que 62 pessoas ricas possuem juntas a mesma quantidade de riqueza que os 3,6 bilhões mais pobres, vê que o discurso sobre “oportunidades” do mundo atual são uma forma de mascarar como funciona o sistema, em geral ainda baseado em castas que se protegem e estimulam mutamente, para que o bolo não se dissipe para fora dos grupos restritos. (os negritos acima e abaixo são para relacionar sobre o que me refiro) Não vejo por esse lado. A “teoria” reencarnacionista, ao contrário da “uma vida +céu inferno”, vem da observação direta de um fenômeno bem concreto, que é existirem no mínimo MILHARES de pessoas que se lembram da alegada vida passada, e da confirmação de detalhes fornecidos e registrados(quem não conhece sobre isso leia a obra do Ian Stevenson) . Felizmente nos tempo modernos existe essa informação toda disponível, mas muita gente ainda tem mentalidade de idade média, achando que “ninguém sabe, ninguém nunca viu, ninguém nunca comprovou”. Agora, o que nenhuma observação direta pode afirmar com muita segurança, é se esses casos representam exceção, regra, ou opção. Quanto a vida em outros planetas, bom, o que reencarna é espírito, não corpo. Um gray encarnado na terra, e tem muitos ( eu mesmo já vi um, por clarividência, confirmado por mais 3 clarividentes presentes) encarna em corpo humano ,passa a fazer parte da “humanidade”. Não é uma "teoria". A “Humanidade” não se limita a terráqueos, isso é algo que ainda precisa sim ser “costurado”, porque ainda se alimenta neste planeta a crença racista primitiva que quase chega a acreditar que o homem foi feito do barro da terra, logo, se veio de outro planeta, não é humano. Ora, isso é uma visão bem primitiva mesmo, qualquer um sabe que apenas o corpo físico é obrigatoriamente formado pelos constituintes do planeta (em tese o etérico e o astral também, mas isso só é “óbvio” em relação ao corpo físico) Outra coisa é que ainda que a nossa ciência, primitiva como ainda é, não tenha identificado vida FÍSICA em outros planetas DO SISTEMA SOLAR, o fenômeno OVNI, também fartamente documentado , talvez a´te bem mais do que o fenômeno reencarnação, não deixa muita dúvida sobre não estarmos sozinhos, FISICAMENTE, e que há outras sociedade inteligentes, de forma humanóide, com desenvolvimento tecnológico superior ao nosso, que interage conosco. Isso é o básico do básico...daí a dizer que eles encarnam entre nós, como eu disse, as pessoas podem desconsiderar se preferirem, embora eu estaria mentindo deliberadamente se dissesse que “não se sabe” se isso é verdade. Simn, se sab, mas se você que lê isto não sabe, sinto muito. Então eu não tenho problema algum em RECONHECER, ao invés de acreditar, que essa “costura” reflete sim um fenômeno real, e que a teoria básica precisaria ser adaptada, caso não contivesse e si, lá na origem, a resposta sobre o crescimento populacional. Eu nem me baseio nisso, ao contrário dos “espiritualistas ufólogos”. Pelo que sei, o conceito sobre reencarnação vem do hinduísmo, e eles também tem outros conceitos, como Mahavantara e Pralaya. Pralaya é a noite cósmica, quando tudo se recolhe num “Big crunch”, enquanto que Mahavantara é o dia cósmico, ou seja, o que surge com o Big Bang, que é um processo de contínua expansão. Durante TODO O MAHAVANTARA a criação está acontecendo, não é algo estanque, como a versão bíblica, que considera que houve uma criação e pronto, nada mais surgiu. Isso explica porque todos os dias novos espíritos estão brotando da “fonte”, e descendo para os “planos da forma”, encarnado onde sejam criadas condições planetárias no universo, em formas adaptadas a essas condições. Ou alguém, hoje em dia, seria tão ingênuo a ponto de ainda considerar a terra o centro e a razão única da manifestação espiritual no universo? Acho que não né? Pelo menos não aqui no GVA. Então, não sei se precisa alguma “costura” como você falou, para explicar o aumento da população na terra. Pelo que eu entendo dessa visão milenar sobre Mahavantaras e pralayas, isso já faz parte da “equação”, do modelo original que prevê criação constante acontecendo enquanto durar o Mahavantara. Agora, se o cara for tão desinformado sobre esses temas a ponto de achar que o kardec inventou o conceito de reencarnação , aí não é de admirar que ele ache que os espiritualistas estão adaptando a teoria para rebater críticas dos adversários. (já conheci dois sujeitos assim, aqui no meu trabalho, ehhehe) Bom, acho que já comentei boa parte na explicação anterior, mas faltou esses detalhes, que são fruto exclusivo do contexto da conversa que estamos tendo aqui, e não uma afirmação de caráter geral. Ou seja, o colega levantou a questão bem velha e comum, de que "todo mundo" que alega lembrar de vida passada, alega ter sido iniciado do egito ou algo do gênero. Foi isso que motivou minha resposta a ele. Mas se você observa, não existe “todo mundo”. O problema surge porque pessoas que em geral se destacam no campo de tentar esclarecer os demais sobre espiritualidade, alegam isso. O que EU ESTOU DIZENDO é que essas pessoas que HOJE você vê se dedicando a isso, ao invés de viveram sua vida como o resto da humanidade, limitadas apenas em ganhar dinheiro, comer, e fazer sexo, se destacam nisso porque já fazem isso há alguns séculos, em geral milênios. E quem fazia essa função na antiguidade? Os iniciados das escolas de mistérios. Para o ocidente o foco foi o Egito. Então é muito natural e esperado que “todo mundo” que hoje faz a funçao de esclarecer a humanidade, nas questões espirituais, tenha sido iniciado no egito, e antes disso na atlântida. Eu diria que é quase inescapável. E alguns deles foram iniciados em todas as culturas em que encarnaram, porque isso é algo que quando se manifesta em você te faz procurar os demais que pensam igual, em cada grupo. E os demais? Bom, voltando a questão dos Mahanvantaras, pela questão populacional como você descreve, a parte mais velha deve sim ter passado por lá, já os novatos não. Mas os novatos, que não estavam encarnados há 10 mil anos, são provavelmente MUITO NOVATOS, para quem até a idéia da existência do espírito soa estranha. E o que fazem pessoas assim? Se ocupam em viver sua animalidade corporal ao máximo, vivem extasiadas pela variedade de prazeres que o planeta parece oferecer para eles. E aí se enredam mais e mais em laços cármicos, e suas "oportunidades" que foram faladas lá em cima, ficam extremamente limitadas. Então o que rola, normalmente, é que os que foram Grandes professores nas escolas do Egito, hoje estão fora do ciclo encarnatório, enquanto que os que eram iniciados de baixo escalão, mas que aprenderam sobre espiritualidade naquela época, hoje estão ensinando através de palestras, cursos, livros.. e quem naquela época nunca se interessou por nada disso, hoje em dia está apenas descobrindo essas coisas, ainda preso em ceticismos bobos, porque não tem internamente nenhum tipo de reverberação anterior, furto da experiência de outras vidas, que lhe dê condição de identificar alguma veracidade no que ele enxerga como apenas “diversas teorias conflitantes”. Agora, por exemplo, o Laércio afirma que não tem ninguém mais aqui encarnado no planeta, do tempo da atlântida...segundo ele o cara tem umas 20 encarnações e deu parte para outra. Infelizmente isso não é confirmado pelo que algumas pessoas lembram, mas aí ele só pode alegar que O OUTRO está enganado, e quem olha isso e fora, não sabe como se posicionar, porque não crê nas memórias de quem lembra ter vivido naquela época, nem crê no modelo Projeto Terra do Laércio, em que ele explica tudo isso. Bom, não tem remédio para isso. Mas quando acharem que os espiritualistas não sabem do que falam, pesquise no google sobre os erros e contradições da ciência, há várias listas. Assim ,mesmo que você nunca descubra a verdade por trás das afirmações espiritualistas, pelo menos não cairá naquela atitude infantil de querer rejeitar essa área toda por achar que ninguém sabe nada quando o tema é espiritualidade, enquanto que na ciência tudo é “seguro e comprovado”, eheheh.
  49. 1 point
    Lembro que quando eu cursava engenharia quimica, no final dos anos 80, poucos porfessores da universidade tinham mais do que apenas graduacao. Nos, os alunos, ja tinhamso uma regra ma hora da matricula para as disciplinas: "Nunca pegue disciplinas dadas por professores que tem doutorado, eles nao sabem ensinar" O problema e' que ha uma distancia intelectual gigantesca entre um aluno que entrou ha pouco na faculdade, e um cara que ja fez doutorado ou pos doutorado. Um orientador de mestrado ou doutorado 'e certamente o melhor tipo de professor que ha, quando gosta do que faz, mas seria inutil atuando como professor de criancas, que ficam melhor atenddidas com as antigas professores que cursaram apenas o magisterio. Eu acho otimo que os amapradores sejam mais ou menos do nosso nivel. Quem quer amapardores melhores, tem que se esfrocar por melhorar, para despertar o interesse daquele que tem tem um trabalho mais legal a fazer pela humanidade, e podem se interessar em te usar como auxiliar.
  50. 1 point
    Olá Wellington! Como o nosso amigo rfernandes disse, sempre é bom comentar! Bem, há diversos tipos de vampiros no astral. A questão acho que é qual vampiro he atacou? Por ter utilizado ideoplastia para formar imagens e ideias relacionadas a sexo é porque de alguma forma você estava nessa sintonia. Mesmo não estando, o sexo é o meio mais utilizado pelos vampiros no astral para drenar as energias de projetores e espíritos desencarnados. A energia sexual é muito forte, principalmente se estiver acumulada e torna a táctica de ideoplastia de imagens de sexo mais eficaz. Não dá para chegarmos a uma resposta com certeza. Não é possível sabermos qual tipo de vampiro lhe obsediou, mas podemos ponderar as hipóteses mais prováveis. 1ª hipótese - Pode ter sido um súcubu o responsável pela vampirização da qual foi vítima. Esses obsessores são muito espertos e costumam fazer bem o trabalho deles. Principalmente se a vítima possuir muita energia acumulada no chakra sexual. 2ª hipótese - Pode ter sido parasitas formados pelos seus próprios pensamentos ou por um obsessor. Os parasitas, sejam baratas, larvas, aranhas, formigas ou cobras astrais, estimularam a produção energética permitindo uma abundância de ectoplasma disponível para ser drenada em um processo obsessivo. Esses parasitas, entre outras substâncias energéticas tóxicas geraram o canal de sintonia entre você e o obsessor. Em qualquer uma das hipóteses, o maior interesse do vampiro é sempre a drenagem de ectoplasma, uma energia densa essencial para eles e para magos negros que fazem uso desta energia nos seus experimentos mágicos. Aliás, o ectoplasma também é utilizado por obsessores muito inteligentes na criação através da ideoplastia de certos organismos, vírus e pragas, que contribuem no proceso projetivo. Aos poucos, esses organismos tóxicos são densificados para o plano dimensional, dando origem a doenças físicas. Os vampiros, em sua maioria, são comandados como fantoches por magos negros e outros seres da escuridão. Ahhh! Notei uma outra hipótese possível! Sabe que existem vampiros encarnados e muitos surgem de um processo obsessivo. Eles drenam energias dos outros e são drenados pelos obsessores/ vampiros que os fizeram sentir necessidade de mais energia. Enfim, são escravos que não têm consciência de como são utilizaodos e controlados. O pior é que alguns vampiros encarnados nem têm consciência de seu eu interior e da sua situação energética. E ainda há certos vampiros que agem em grupo formando uma zona de energias densas e pesadas que possibilita drenagens energéticas mais fáceis. São ambientes energeticamente degradados ou, às vezes, degradam energeticamente uma pessoa encarnada de forma a torná-la um satelite de recurso ectoplásmico energético. Mantenha a sintonia elevada e sinta sempre a paz e amor que iluminam o oculto e faz acender a chama no coração do espírito. Não somos perfeitos mesmo. Mas só estarmos abertos na sintonia do amparo, do amor e da paz, já estamos nos permitindo melhorar. Criando sorrisos e alegrias. E por enquanto, isso já é o suficiente. Muita LUZ! Abraços!