• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation on 08/17/2018 in all areas

  1. 1 point
    Boa noite. O que eu vou contar acontece comigo faz um tempo e eu gostaria de ouvir a opinião de pessoas mais experientes. Sou uma pessoa extremamente calma, pra conseguirem me tirar do sério a pessoa tem que fazer MUITO por merecer. Graças a Deus eu não guardo rancor de ninguém, nem ódio, nem nenhum sentimento negativo, enfim, pra resumir, creio que minha vibração esteja muito boa, então vamos à minha dúvida. Há alguns anos, quando minhas irmãs começaram a trabalhar com seus guias espirituais através da incorporação, uma delas me contou que ela conseguia ouvir os guias em sua mente como se tivessem conversando, e eu fiquei curioso. Ela me explicou que vem como uma resposta ao que você está pensando no momento, e que essa resposta vem automática, como se você não pensasse sozinha. Eu achei curioso porque eu fiz isso minha vida inteira, mas nunca reparei. Aliás, acredito que muitos fazem sem reparar. Vou exemplificar. Imagina que você está arrumando a casa, e então começa a querer uma solução pra algum problema, seja ele qual for, então você simplesmente indaga em sua mente uma pergunta pra achar a solução, e antes mesmo de você terminar a pergunta, uma resposta aparece em sua mente, e sem perceber, você pergunta outra coisa, e novamente outra resposta aparece, e aparentemente você começa a conversar com você mesmo. Eu sempre fiz isso pra tudo. Porém depois que minha irmã me explicou que ela fazia isso com seus guias, eu fiquei pensando que pudesse ser os meus, e comecei a tentar conversar com eles em minha mente. Eu acredito que algumas vezes não seja pensamento meu, porque além de algumas respostas serem algo que eu não sabia, elas aparecem antes mesmo deu concluir a pergunta no pensamento superficial, como se já soubesse o que eu tinha pensado no meu íntimo, entendem? Sei que é estranho. Mas eu gostaria de saber a opinião de pessoas mais experientes. O que acham que possa ser? São realmente meus mentores, ou meus guias? As vezes penso que pode ser qualquer espírito que esteja na mesma vibração que eu, até porque já aconteceu de algumas respostas serem bem mal criadas dependendo do meu estado vibracional. E outras, mesmo quando eu estava chateado com alguma coisa, ela vinha como se tivesse me cobrando, ou chamando minha atenção, pra não fazer de novo... é bem interessante. Se alguém pudesse me ajudar a entender... Agradeço, e muita paz!
  2. 1 point
    Estamos frequentemente rodeados por companhias espirituais e por laços que criamos com amigos espirituais. E eles estão constantemente interferindo, nos dando sugestões, nos afetando tanto energéticamente quanto em nossos pensamentos e raciocínios por meio de sugestões. Se você começar a prestar atenção nisso, vai conseguir perceber em algumas situações. Essas companhias espirituais, nós ganhamos por afinidade. Quanto mais você vibrar e tiver pensamentos semelhantes aos de alguma dessas consciências tanto mais ela tende a se aproximar e te acessar enviando idéias, sugestões ou ordens, dependendo do seu nível consciencial. Algumas vezes, é muito fácil notar um pensamento intruso quando este destoa do seu padrão geral. Outras vezes é mais difícil pois são pensamentos muito semelhantes aos que você mesmo produz. Em algumas situações, as influências são negativas e, por esse motivo, é importante procurar conhecer a si mesmo e fazer um trabalho de limpeza mental constante aprendendo a se observar e fazer os ajustes necessários afim de evitar se deixar levar por influências menos felizes que buscam nos fazer baixar o padrão vibratório com as mais diversas finalidades. É esse o princípio que existe por traz dos mecanismos de obsessão. O obsessor encontra na vítima algum tipo de afinidade e se utiliza desta para se aproximar e começar a induzir outras sugestões que vão degradando o padrão pensenico desta. Assim ele vai se fixando cada vez mais conforme o terreno vai ficando mais propício enquanto se vai aceitando suas sugestões deletérias. A partir de um certo ponto a pessoa modificou tão completamente sua psicosfera que o obsessor a consegue manipular completamente induzindo a vícios que lhe sejam propícios ou, no caso de alguma vingança, até mesmo levando a pessoa a cometer o suicídio. Já em outras situações, as influências são mais positivas como no caso dos mentores quando esses procuram nos acessar para nos sugerir ideias edificantes e ajustes que podemos fazer em nosso comportamento afim de nos tornarmos melhores, superarmos obstáculos e defeitos. É a este mecanismo que se refere a máxima bíblica: "Olhai e vigia" Porque mesmo estando sós, nunca estamos de fato sós então mesmo estando trancado sozinho dentro de casa, você pode sofrer más ou boas influências a depender de qual tipo de abertura você dá. O ser humano é um ser essencialmente social porque, no final das contas, as consciências estão todas interligadas de uma forma muito íntima e um corpo de carne é só uma vestimenta que temporariamente reveste a consciência. É por isso que aqui e ali se escuta dizer que "somos todos um".
  3. 1 point
    Pode ser coisa da sua cabeça ou não, mas em que isso desmereceria a experiência? Existirá alguma criaçao musical NO MUNDO que não tenha sido "coisa da cabeça" do músico? E quantas dessas criações não teriam sido criadas no astral, aparecendo em sonhos? Elvis Presley era só intérprete, não composito. A única música que ele " compôs foi ALL SHOOK UP, ppruqe acordou de um sonho com ela na cabeça. Assim como alega-se que Beethoven ouvia parte da Nona sinfonia, so na mente, durante o dia, memo esta do surdo. Ou Eisntein, que ENXERGAVA na mente as equaçoes ja prontas. Somos multidimensionais, muita coisa acontece na nossa vida que não é do fískico. Te sugiro registrar esas musicas,e de qeu tipo de ser elas vieram. Ha uma relaçao entre elementos/ elementais/ tipos de sentimentos e emoçoes. No futuro voce talvez pode ter uma obra musical ligada aos quatro elementos, que afete a emoçoes do ouvinte de acordo com algum dos quatro elememtos. Seria bem interessante!
  4. 1 point
    Tive uma educação espírita desde pequeno e sem dúvida isso me ajudou ao longo da vida, com meu nível de entendimento e aproveitamento dos ensinamentos variando ao longo do tempo, conforme eu amadurecia, como é natural. Não me tornei nenhum tipo de super-homem espiritual por conta disso. Mas ajudou? Claro que sim. (Só como uma nota, deixei de ser estritamente espírita anos atrás.) Como o Sandro disse, temos muitas marcas mentais fortíssimas que vêm de longa data, e a influência delas não pode ser subestimada. A rigor, são elas que definem o ego, que é o nível onde a maioria de nós vive e tem como objetivo evolutivo superar. Ter uma visão do processo evolutivo, de reencarnação, de carma, etc., auxilia a lidar com isso, mas a teoria em si não tem tanto poder transformador. Seria muito fácil se só lendo ou ouvindo nosso professor espiritual preferido nos transformássemos em seres angelicais, mas não é assim que funciona. As experiências por que passamos acabam sendo fatores muito mais determinantes, e a teoria em si só fornece como um quadro de referência a partir do qual as vemos. Imagino que todo mundo que já tem alguns anos de estudo e prática espiritual já se deparou com a situação de achar ter entendido um conceito ou uma técnica e aí, anos depois, algo acontece e surge a percepção clara de que aquele entendimento era muito limitado e até distorcido. Todos os meus irmãos e primos, além de vários colegas do meio espírita tiveram essencialmente a mesma base espiritual, mas a maioria se interessou bem menos do que eu, que já nasci com um interesse espontâneo por espiritualidade. Quando era bem criança, antes mesmo da idade escolar, quando o espiritismo dos meus pais e do seu meio ainda não compilava na minha mente, eu adorava ir a igrejas católicas com a minha avó, que era católica. Gostava de ficar horas ali, vendo os murais, ouvindo corais, etc. Ela tinha uma bíblia linda, ilustrada com pinturas renascentistas e barrocas, e eu adorava folheá-la e ouvir as histórias que ela tinha de me contar, pois eu ainda não havia sido alfabetizado. Minha mãe tinha até medo de que eu fosse querer virar padre ao crescer. Isso tudo porque eu já estive ligado a ICAR em vidas passadas, com o que isso tem de bom e de ruim, e uma das coisas boas é que o interesse por espiritualidade sempre foi intenso e sério. Sem querer contar vantagem, a maioria das outras crianças do meu meio se tornou gente bem comum, que vive como se não existisse nada mais entre a Terra e o Céu do que julga nossa filosofia. Na maior parte, as que ainda têm alguma ligação com espiritualidade é do tipo papa-passe, que vai ao centro espírita uma vez por semana, ouve palestra, toma passe, e depois é o mundão, o samsarão da depressão, o rat race. (Reconheço que essa forma de colocar é bem dura. Todo mundo faz o que pode e a maioria das pessoas se esforça para ser "do bem", de acordo com seu nível consciencial. Só quero enfatizar que uma educação espiritual desde a infância pode não ser assim tão transformadora.) Enfim, não tenho nenhuma dúvida de que é proveitoso dar algum tipo de educação espiritual para crianças. A meu ver, idealmente, seria algo mais universalista, focado em princípios e práticas sem o sabor específico de uma religião determinada, mas é pedir muito, pois a maioria dos pais é bem proselitista e nem tem cultura espiritual ampla o suficiente para ir além da sua própria religião. Isso dito, é muito inocente achar que isso vai formar seres iluminados e transformar o mundo num paraíso. Repare que existem muito mais pessoas religiosas no mundo do que ateias, e sempre foi assim. Inclusive o ensino religioso já foi obrigatório em outros pontos da história. E, no entanto, estamos onde estamos como humanidade... Uma dica de quem teve pais bem religiosos e conviveu com muitas crianças na mesma posição: o melhor ensinamento é o exemplo. Se seu filho achar que você é um hipócrita, vai ter uma tendência muito maior de pensar que os ensinamentos são só blablablá e ainda pode pegar implicância, ganhar um sentimento anti-religioso. É claro que não se espera você seja perfeito como pai ou mãe, mas seja honesto e sincero.
  5. 1 point
    mano, me identifiquei na HORA quando você disse que plasmou uma bola de fogo kkkkkkkkkk
  6. 1 point
    pra mim tanto faz, apenas lembrei do aritmetica q tb falava em psicofonia atraves da esposa e de recebimento de mensagens.
  7. 1 point