Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard

Popular Content

Showing content with the highest reputation since 08/08/2022 in all areas

  1. Mas as vezes a gente perde a memoria mesmo logo na reentrada, ou lembra de tudo logo que volta, entao levanta para ir no banheiro e no meio do caminho a memoria da projecao evapora, eheh.Tem que ter certo cuidado ao acordar. Falo sobre isso aqui: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/21652-ritual-da-pedra-de-luz/&do=findComment&comment=102176 Mas pelo menos lembra de ter conseguido. Quem precisa acordar com despertador, porque tem horarios a cumprir, em geral vai perder a memoria da projecao e do sonho que foi interrompido pelo depertador. Por isso é bom levantar 2h antes para as tentativas, para ver se consegue ter mais de uma antes de ser pego no susto pelo despertador. E outra, logo que voltar de uma projecao, se dormir de novo, as chances sao grandes de perder essa memória. Entao se aconteceu algo que quer lembrar mesmo, registre num caderno ao lado da cama ou grave num gravador. Isso dificultará para ter mais projecoes a seguir, mas voce garante a lembranca importante. Mas muitas vezes foi uma projecao boba, sem nada de importante. Entao nesse caso é melhor nao registrar e continuar sem se mexer, assim reentrar no estado adequado mais rápido, para ter mais projecoes no tempo que te resta. Fazendo assim dá para ter umas dez, uma seguida da outra, e cada vez que volte da seguinte, rememore ela e algo das anteriores. Assim, mesmo que so as últimas duas fiquem com a memória completa, voce tera uma ou duas cenas de cada uma das outras projecoes daquela noite, e lembrará seu julgamento " nao regitrei mais dessa aí porque nao tinha nada de interessante mesmo" Mas quando acontecer algo importante, aí nao tem jeito, levante, registre e nao volte a deitar, fique acordado, sentado na cama ou va fazer um café, sempre relembrando a expeiencia, porque assim evita apagar pedaços dessa memoria.
    1 point
  2. Relato de experiência projetiva do dia 26/09/2020. Acordei perto da meia noite e embora estivesse muito desperto, resolvi fazer uma técnica. Usei uma técnica que desenvolvi, e logo no começo, senti que estava razoavelmente descoincidido. Ocorre que esta técnica, embora funcione quase sempre, proporciona projeções de baixa lucidez, então resolvi mudar para a técnica do tensionamento do cérebro. Imediatamente senti um EV poderoso. O mais forte que já experimentei até agora. Intensifiquei ao máximo o EV e quando senti que era o momento, tentei sair do corpo. Foi mais um soltar-se, um permitir-se levar. Então senti um puxão. Uma sensação de movimento em subida vertiginosa. Subi tão rápido, que mal pude ver o planeta se afastando. Sentia um movimento como o de estar me deslocando e eu estava no espaço, mas não via as estrelas e fiquei curioso sobre esse fato. Era mais um espaço escuro, não totalmente negro, mas com aquelas fosforescência salpicada de faíscas que vemos quando olhamos fixamente pra escuridão. A ausência da visão de estrelas me fez pensar no Efeito Doppler (no pouco que eu sabia sobre o assunto) e me questionei a que velocidade eu estava me movendo. Quando o percurso se aproximava do fim, cheguei a um planeta, mas, assim como a saída da terra, me aproximei dele tão rápido que não tive tempo de vislumbrá-lo do alto. Só vi um enorme oceano a frente e uma ilha no meio dele. Me recordo de ter pensado que eu estava indo rápido demais e se o impacto na água ou na ilha me machucaria. Cai na água, mas não senti nenhum impacto. Imediatamente senti que o mar não era exatamente água. O oceano era viscoso. Uma coisa orgânica, como uma gigantesca forma de vida líquida. Percepção que tive depois de voltar da projeção. Fui jogado na ilha e essa ilha não era nada parecida com qualquer coisa da terra. A partir daqui fica difícil descrever, pois não há nada nas coisas que eu conheço que possa ser usado de parâmetro para descrever. Ainda assim... Mas o lugar me parecia um mundo em preto e branco. O “oceano” em volta oscilava, subia e mudava de forma, tentando imitar as formas de um edifício que ficava a beira da ilha. Havia uma rua que não era rua. Um tipo de cidade que nem era um lugar. O ambiente todo me parecia uma coisa fluida e oscilante... Haviam pessoas. Pessoas não humanas...Humanoides estilizados. Bípedes com dois braços, mas sem traços faciais, com membros desproporcionais... Quando falavam uns com os outros ou tentavam se comunicar comigo, eu via a comunicação deles como coisas físicas. Arabescos que se desenhavam no espaço a frente deles, comunicando ideias através daqueles sinais visuais. Não era comunicação por sons ou mentais, mas gráfica. Eu não entendia nada do que era dito. Mas se aquele mundo tem cores, as tem em matizes que eu não consegui enxergar. Me parecia estar em uma filme antigo, em preto e branco sendo que o mundo filmado era colorido, mas a câmera que o filmava não possuía os meios de captar a cor. Minha estadia naquele mundo desde a queda no oceano foi rápida. Coisa de menos de um minuto. A maior parte do tempo dessa projeção se deu no espaço escuro, na viagem até aquele lugar. Não sei o porque de ter sido puxado até lá e nem sei como voltei tão rápido, pois após esse tempo de menos de um minuto naquele mundo, eu estava de volta. Mas a viagem de volta foi instantânea. Ao voltar para meu corpo, fiquei indeciso entre tentar novamente me projetar ou me levantar e anotar o relato, porem, senti que ainda estava bem descoincidido e que a condições eram favoráveis para nova projeção. Tentei novamente a técnica de tensionamento do cérebro, mas dessa vez ela provocou um EV fraco em comparação com o primeiro, então voltei a minha técnica inicial. Essa me proporcionou nova projeção, mas essa foi cheia de onirismos, logo, não vale muito a pena relatar.
    1 point
  3. Sei que aqui não é lugar para relatar sonhos mas para muitas pessoas sonhos e projeção são a mesma coisa diferenciado apenas no grau de lucidez, pois bem, tive um sonho aonde me vi deitado em uma cama e em um quarto diferente do plano físico, eu estava com muito sono, comecei a levitar e fui subindo em direção ao teto o qual atravessei e pude olhar o céu da manhã, era aproximadamente umas 07h da manhã no sonho, fui subindo em direção ao céu azul de forma bem rápida, olhei para os lados e vi a cama subindo junto comigo, me concentrei na visão remota numa direção única para cima, me acalmei e controlei a ansiedade no intuido de não atrapalhar a projeção, resolvi parar de subir e fui na direção horizontal sentido leste, comecei a ir em direção a uma outra cidade que não existe no plano físico, fui muito rápido ao ponto que comecei a atravessar prédios, passei por entre apartamentos e vi um gato sobre uma cômoda, diminui a velocidade, pensei em regressar e regressei rapidamente, voltei para a cidade de origem, comecei a caminhar, (a cama já não estava lá comigo), fui descendo uma avenida a qual eu já conhecia ( lembra uma mistura de várias avenidas do plano físico) vi ônibus diferentes, correndo muito, me lembro das rodas dos ônibus, eram grandes e duplas, os ônibus eram articulados e corriam muito de forma bem irresponsável, subiam sobre as calçadas e fazim rachas, uma menina estava paralizada sobre a calçada com medo dos ônibus, percebi que quem dirigia aqueles ônibus eram "meninos" uns muleques custosos, vi varios deles em uma praça, continuei minha jornada e fui descendo aquela avenida com plena convicção de que estava realizando projeção astral, fui observando as pessoas e o comércio local, barracharias, padarias, supermercados, bicicletarias etc, entrei em um deles, observei todos os detalhes e pensei comigo, que iria voltar depois no físico naquele local e comprovaria a projeção, tive a incrível e inteligente ideia de pegar um chiclete mascado que estava no chão e pedir para um rapaz que trabalhava naquele local, colocar o chicle numa tomada de energia e ainda pedi caneta e papel para escrever que eu estava ali, nesta hora após o rapaz me conceder uma caneta, tentei escrever num pedaço de papel mas a escrita desaparecia, eu escrevia e a escrita sumia logo em seguida, algumas pessoas observavam, fiquei intrigado e pedi para o rapaz escrever pra mim, que eu estiva lá fazendo projeção astral, resolvi sair e continuar descendo a avenida, pensei comigo que já fazia muito tempo que estava fora do corpo, que será que eu havia falecido? resolvi voltar para o lugar aonde estava meu corpo, chegando perto do prédio comecei a sentir muita fraqueza, muita moleza fui arrastando e ao chegar no predio, comecei a ser puxado e levitei em direção a ele, cheguei no local e indaguei um amigo meu que não conheço no plano físico, perguntei sobre meu corpo, eu estava preocupado, ele me disse que meu corpo estava bem, estava dormindo do mesmo jeito que eu havia deixado ele, foi então que ele abriu a porta daquele quarto e me mostrou meu corpo, quando eu o vi, acordei no físico na minha cama e quarto do plano físico, o prédio e quarto do plano físico são diferentes do quarto e prédio do lugar aonde meu corpo dormia no sonho.
    1 point
  4. Pois é, experiência que teve comprovação sabemos que foi real, as que não tem comprovação não se pode afirmar nada. Para complicar você tem a questão que um mesmo local do físico tem diversas faixas do astral, de modo que ao despertar sua percepção astral na cama você pode estar percebendo uma faixa diferente daquela que habita no físico. E ao acordar, tem o tal falso despertar, e as vezes há uns 3 falsos despertares, em casas diferentes, com famílias diferentes ate que você finalmente desperte naquela física. Nem dá para saber se isso é plano físico x plano astral ou "dimensões paralelas" do físico, que nem fazem parte de nenhuma teoria espiritualista. Por isso que eu digo que tudo o que podemos fazer é tentar estar lúcidos na experiência, e lúcido no sentido mais primitivo, que é saber que não está usando seu corpo físico, nem no plano físico da vigília. Isso é auto-consciência, saber pelo menos sobre si, sobre seus estado, porque saber classificar exigiria saber algo sobre o mundo, um mundo que não é o físico e que não sabemos as completas divisões, faixas, possibilidades. É como acordar na selva, você tem obrigação consciencial de saber que não está na sua casa, mas como vai saber se está no pantanal, na amazônia ou numa floresta da tailândia, ou qualquer outra? Não tem como.
    1 point
  5. A OLVE é técnica para você manejar as energias, e aumentar sua quantidade de energias livre disponível para essa mobilização. Ela também pode ser usada como técnica de separação, se você conseguir gerar um EV com ela, como falei aqui: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/21712-ajuda-com-realismoaprofundamento/&do=findComment&comment=102468 Mas entenda: técnica de separação é uma coisa, técnica energética é outra. -Quando você mover as energias isso te permite ficar mais solto para quando for aplicar uma técnica de separação. -Quando você aplica uma técnica de separação, , caso ela comece a funcionar ela vai gerar, por consequência a movimentação energética necessária para permitir a saída. Mas são coisas diferentes. Você faz EV e se não flutuar, tem que levantar da cama, com alguma técnica de separação, levantar, rolar, Ou usa só uma técnica como a da corda ou o alvo mental, e notará que num certo momento começam a surgir formigamentos, o que mostra que a técnica de separação está começando a ativar as energias para gerar o EV que permitirá a separação do corpo astral. Mas se ficar difícil pode precisar bombar as energias com a OLVE.
    1 point
  6. Após 3 meses sem ter experiências essa noite tive uma projeção. Acordei no início da manhã e sem abrir os olhos e mexer o corpo mentalizei sair do corpo, não funcionou, daí mentalizei como se estivesse rolando na cama e fui para o chão, deu certo. Levantei ao lado da cama e não enxergava, tinha a sensação de estar com os olhos fechados e tentava abri-los mas não conseguia, passaram-se alguns segundos e a visão começou a surgir. Fui até minha sala e me projetei em direção a porta de vidro da sacada para sair volitando, atravessei a porta, atravessei a rede de segurança, porém fiquei preso na rede na região da cintura, metade do corpo para dentro e metade para fora da rede, nesse momento veio uma dúvida se eu estava projetado ou acordado e fiquei com medo de cair da sacada (Era óbvio que eu estava projetado porque eu já tinha atravessado a porta de vidro), mas minha lucidez não estava plena. Voltei para a sala e me projetei para sair volitando atravessando a parede para ter certeza que era uma projeção, passei pela parede mas não consegui volitar, estava pesado e aterrizei na rua, percebi que eu estava descalço, tinham duas mulheres e um homem passando na rua mas não me viram, saí caminhando e olhando para o chão para tentar fixar algo que pudesse comprovar a projeção mas o cenário já estava se mudando e nesse momento acordei na minha cama, tentei sair novamente mas já era início da manhã e o barulho dos veículos atrapalharam minha concentração. Foi uma experiência rápida mas foi gratificante pelo tempo que não aconteciam.
    1 point
  7. Qualquer objeto serve, mas acho que se for algo muito comum, como uma chave, um copo, uma pedra.. vai ser difícil manter atenção ali. A chama da vela é interessante demais por si mesmo, termina sendo hipnótica. Escolha algo que você tenha algum interesse em examinar com atenção. Eu sempre pratiquei todos os dias, quando decidi praticar isso. Esse negócio de 3 dias tem finalidade de manter o espírito de novidade, porque tudo que se pratica todos os dias tende a ficar meio rotineiro para algumas pessoas, e elas se desinteressam. Esse conselho do raduga tem mais finalidades psicológicas. Mas se você é do tipo que enjoa de rotinas, talvez sejam ais produtivo para você não fazer todos os dias. Mas relaxamento e concentração é melhor fazer todos os dias sim. Não, são habilidades bem diferentes. Você até pode conseguir converter clarividencia em projeção por focar muito sua atenção no que estiver vendo por clarividencia, caso esteja vendo outro local, do físico ou astral. Mas novamente, isso vai depender do seu nível de relaxamento e concentração. Então treinar esses fundamentos é o que produz sinergia de tudo com tudo. O resto é consequência. Mas desenvolver clarividência é muito mais difícil que projeção, porque projeção todos fazemos ao deitar, a dificuldade é não estar apagado quando ela acontece, nem apagar no ato de separação. Já clarividência não é "normal", não acontece ao natural, é uma sensibilidade que precisa ser "construída". Mas no seu caso podem ter fechado, aí é mais fácil, e pode abrir de repente, sem aviso prévio ,caso notem que você está pronto.
    1 point
  8. Válido apenas para depois que você saiu de casa. Antes não, porque a faixa em que está enquanto ainda não atravessou nenhua estrutura de passagem é muito densa, e não responde ao seu pensamento, nem você fazendo esforço para isso, nem estando com medo de algo. Sobre as distorções de percepção no astral, aqui tem uns exemplos: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/&do=findComment&comment=74048
    1 point
  9. Ainda faltou explicar um ponto, porque ontem já estava tarde (para meu horário de ir deitar) e a coisa poderia se estender. Eu falei ali na última postagem que não tive esse problema, logo, só posso sugerir uma possível solução, sem ter certeza se ela será efetiva, mas não expliquei o porque de sugerir essa solução. A questão é que com a popularização desse tipo de conhecimento as pessoas adotam uma visão errada sobre o passado. Muitos pensam que antigamente, como esse conhecimento era dado só aos iniciados, era “elitista”, e que agora vivemos tempos melhores, tempos em que o conhecimento “se democratizou”. Mas há um erro nessa abordagem, porque ela pressupõe que as pessoas são todas iguais, logo, não haveria motivos para ensinar essas coisas somente para uns escolhidos. Essa visão é falsa em muitos aspectos, mas o mais óbvio é que todo ensino, exceto o introdutório, tem pré-requisitos. Toda nossa estrutura escolar é montada assim, só quem cumpriu o aprendizado de uma etapa está condições de partir para a etapa seguinte, ou não vai ter os resultados desejados, quem perde é o aluno. Portanto, ensinar certas coisas só para quem cumpriu os pré-requistos não é elitismo, é uma necessidade didática. E todos nós sabemos que isso é verdade porque todos que estão lendo isto foram, no mínimo, alfabetizados, logo, passaram por um ensino em etapas. No entanto, quando se fala que antigamente as pessoas tinham que passar por iniciações para ter acesso a certos conhecimentos, enxergam nisso um sentido negativo, dentro daquela mentalidade conspiratória, meio jeca, que desconfia da “gente da cidade”, e atribuem essas exigências antigas a algum “controle de poder”. Claro que naquilo que gerar resultados práticos no plano físico o controle de poder existirá, como existem as exigências para porte de arma. E eu suponho que parte da dificuldade com comprovação reside nisso, porque se for ensinado um método eficiente para obter informações do físico, de modo a poder fornecer comprovações para a ciência, por exemplo, esse mesmo método poderá ser usado para roubar senhas, espionagem militar, etc. Mas mesmo quando se trata de coisas sem implicação no plano físico, algumas exigências ainda são necessárias. Se você entrar numa escola esotérica, ou se comprar qualquer livro que ensine a pessoa a trilhar um caminho sozinho, independnete, verá que as primeiras lições envolvem: - treino de relaxamento - treino de concentração - treino de visualização/memória Para só depois começarem a ensinar algo. Então sempre é assim: -Passo 1: relaxamento do corpo - Passo 2: aquietar a mente - Passo 3: mobilizar energias - Técnica do dia É como dizer que para se exercitar comece com um leve aquecimento geral, depois um leve alongamento, depois um aquecimento específico e, só então, está pronto para começar o treino de hoje. O de amanhã pode ser diferente, mas essas etapas iniciais são as mesmas. Então quando alguém numa escola esotérica vai aprender projeção astral, ou alguma dessas outras técnicas glamourizadas, já terá no mínimo uns 3-6 meses de treino só nessas etapas básicas. Mas com a democratização do ensino dessas coisas o pessoal vai direto para a projeção, sem o preparo anterior. Ou seja, vai aprender todas essas etapas dentro da técnica dee projeção astral, e isso gera muitas falhas, porque a pessoa não tem meses de treino anterior em relaxamento ,em concentração, ou no uqe mais cada um julgue necessário adicionar antes disso. Veja a técnica do Saulo por exemplo: ela começa com relaxamento, depois já vai para as várias etapas do trabalho energético e só entãpo quando TERMINA, é que vem a técnica projetiva, a gangorra. Aí a pessoa pega o áudio pratica hoje e amanha acorda e pensa “nada aconteceu”. Rapá... foi sua primeira experiência com relaxamento+técnica energética e um pouco de concentração seguindo as instruções do áudio. Pode funcionar de cara, de primeira? Pode, mas o normal é que você gaste algunes meses praticando tudo que vem antes da gangorra antes que a gangorra tenha chance de fazer efeito como técnica projetiva, porque a pessoas esbarra naquelas dificuldades básicas : ai, não consigo ficar imóvel, não consigo parar de me coçar, me distraio várias vezes.. Pois é! È para isso que o treino anterior, em relaxamento e concentração precisaria ser fetio, POR MESES, antes de tentar a projeção. Ah, mas então devo parar de tentar me projetar e treinar só esses fundamentos por meses? Não! A própria tentativa de projeção já contém os elementos de relaxamento, concentração, viosualização, embutidos nela. Então quando você está treinando para se projetar está treinando TAMBÉM as habilidades básicas. E seria bom se tivesse tempo para dedicar outros momentos só para treinar cada um daqueles fundamentos (lá do tópico POR ONDE COMEÇAR separadamente) . Mas é importante entender que essas coisas foram elaboradas dentro de uma seqüência lógica, e portanto, quem não tem treino anterior nesses fundamentos vai penar alguns meses antes de conseguir que a técnica projetiva funcione, não pro falha da técnica projetiva, mas por falta de treino nos fundamentos. O alerta é para entender onde está a falha e não desistir por isso. Porque o correto seria ensinar só relaxamento, concentração e visualização, e mandar o cara praticar só isso por seis meses. Mas quem vai fazer? Numa escola esotérica a gente faz porque e ensinado assim, aos poucos, você não sabe o que virá depois, então vai fazendo o que mandam. Então o cara fica lá, seis meses de exercícios tediosos que você nem sabe para que serve. Lá pelas tantas, te ensinam algo como a projeção, então você vai fazer a primeira tentativa já tendo treinado os fundamentos. A coisa tem mais chance de funcionar em menos tempo, porque o tempo tentando vai contar desde quando? Você só vai contar a aprtri do primeiro dia né? Mas não contou os seis meses anteriores de preparação né? Pois é! Mas aqui, que a gente ensina tudo junto, o mais provável é que as pessoas gastem alguns meses fracassando, e é normal, porque falta esses meses de treino básico. Basta não desanimar que uma hora vai. Agora, uma coisa é sair, outra é o que vamos perceber após sair. Também pela falta de algum treino mental (do tipo que treina a consciência de si, a auto-observação, o “estar presente de instante a instante” sem se perder demais em devaneios) algumas pessoas podem cair mais vítimas mais facilmente do devaneio associativo e isso, no astral, muda tudo. Muda sua posição no espaço, por exemplo. É por isso, PROVAVELMENTE, que ao atravessar uma parede ao invés de parar no seu pátrio você pode parar na casa da sua avó, que você freqüentava quando era criança. Porque você não percebeu que um pensamento sobre sua infância passou na sua mente quando estava atravessando a parede. As vezes você detecta esse pensamento, e só por isso consegue entender o que aconteceu nesses casos. É por isso que se você estiver andando pela rua, e ver um arbusto, ao olhar para o arbusto pode achar que tem um vulto ali, e logo em seguida sairá um vulto dali, ou mesmo um animal. Por isso as pessoas as vezes se projetam e vão parar em castelos com dragões voadores, porque um primeiro pensamento fantasioso, ligado a uma emoção, vai gerando uma cadeia infinita de plasmagens. Mas o que fazer para resolver esse problema? É o treino de uma vida, de consciência, de meditação, de perceber a realidade tal como é em cada caso. O exercício de concentração na flor é uma dica para praticar um pouco disso, concentração, atenção à realidade, controle de divagações,treinar essa forma de observar, para ver se fará diferença nas suas projeções. Porque isso é uma praga, isso nos prejudica a percepção correta mesmo na vida física. Numa discussão no tiwtter ou facebook a pessoa escreve uma coisa mas você lê outra, um mix do que ela escreveu com sal fantasia mental sobre o que acha que ela escreveu. Basta você ver as divergências políticas ao descrever o Brasil entre os anos x e y, e você já vê que os encarnados são incapazes de perceber até mesmo a realidade física corretamente, ainda que a realidade física seja imutável. Por que se usa estatística na ciência? Exatamente para detectar resultados que o cientista pode ser incapaz de perceber sozinho, decidindo pela sua subjetividade. A confusão sobre a eficácia da cloroquina e ivermectina mostraram bem isso. Então a gente vai se projetando “do jeito que dá”, reconhecendo as próprias falhas e não caindo no erro de pensar “eu me projetei, eu fui lá e vi A Verdade sobre esse tema”. Você experiência algo, você tem acesso a alguma informação e tem que fazer algo com ela. Mas não boa a mão no fogo não, eheheh. Para você ter uma idéia do problema, leia estes capítulos do livro do Draja Mickaharic que eu traduzi e coloquei no GVA há alguns anos atrás, e verá como esse autor, que é ocultista, também coloca a ênfase na preparação inicial e também alerta sobre as questões ilusórias do astral. https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/16993-decolagem-e-técnica-do-raduga/&do=findComment&comment=96238
    1 point
  10. Eu não tenho experiência com esse tipo de problema que você relata, porém, vou te sugerir algo que TALVEZ AJUDE. Encontre uma flor e bote num vaso. Compre um vasinho numa floricultura talvez, ou pegue alguma que encontrar por ai. Todos os dias antes de deitar pratique por 10minutos observar a flor nos seus minimos detalhes. Sente num local confortavel, coloque a flor a uma meia distancia, 1metro digamos, e procure observar o mais profundamente que puder. Como se você fosse um ET que esta vendo essa flor terraquea pela primeira vez e nem consegue entender se é um bicho, um vegetal, uma pedra. Tente olhar os " poros" da planta, mas mantenha ela na distancia média. Tente focar so nisso por 10 minutos, nao deixando seu pensamento se desviar para outras coisas. Se uma hora achar que ja decorou os poros da flor, troque por outra. Qual a idéia de praticar isso? Praticar concentracao, uma concentração que busca a essência, e que nao se distrai muito com pensamentos aleatorios. Isso pode te ajudar a olhar para o que te cerca em astral com esse olhar mais profundo, buscando a verdade por tras das aparencias e evitar que cadeias de pensamentos associativos te façam emendar um onirismo no outro. E por isso você não quer observar a flor na sua mao mas a uma certa distancia, porque a meta e treinar esse olhar inquisitivo para os objetos cenarios e pessoas que encontra no astral, e eles nunca estarao na sua mao, mas ao seu redor, a alguns metros. Mas claro uma flor nao pode ficar a mais de 3metros de voce ou nao verá os detalhes, e para que sua concentracao se fixe no objeto observado você precisa ser caoz de enxergar detalhes, texturas, nervuras. 10min por dia, durante uns 2 meses, talvez já faça alguma diferença no que perceberá.
    1 point
  11. Mas veja, sentir o corpo fisico é algo que só acontece em duas situacoes que eu saiba. 1- você PROCURA POR ISSO 2- você está muito perto do corpo 1- As vezes você esta projetado ha muito tempo tipo 1h ou mais, e recebe um aviso de que deve voltar para o corpo. Nesse caso voce se questiona o porque daquilo. Entao pensa no corpo para senti-lo, e ali, ainda na projecao, voce sente o corpo respirando, voce ouve os batimentos cardiacos, percebe a posicao do corpo e nota que nao tem nenhuma parte dobrada errado, que poderia estar machucando... entao percebe que está tudo ok e escolhe nao voltar ainda. Mas veja nesses casos seu corpo está apagadaço, so por isso consegue pensar nele e nao acordar de imediato. Se fizer isso nos primeiros 5min digamos , vai ser puxado de volta na hora, porque o corpo ainda nao entrou num estado de sono profundo. Como 90% das nossas projecoes duram menos de 20min, entao vale a regra de nao pensar no corpo. Sai do quarto e adeus ao corpo, eheh. 2- Quando a pessoa está tendo um sonho lucido, ou seja, desconectada do corpo fisico mas flutuando junto ao corpo enquanto viaja em fantasias mentias projetadas DENTRO da aura, ela está muito perto do corpo, entao esta mais susceptível se ser puxada de volta ao menor tranco. Está com lucidez suficiente para saber que nao está tendo uma experiencia fisica, mas percebe o cenario em torno de si como se fosse realidade astral. Eu nao sei como diferenciar isso, não é algo que você possa dizer " olha se tem x , entao é sonho lucido, se tem y, é projecao. Para mim é identico, mas você sabe na hora, por mais realista que pareca você "apenas sabe" que está dentro de uma simulacao, que aquilo não é nem fisico nem astral. É como pegar na mão uma fruta de plastico, você não precisa mordê-la para ter certeza, apenas sabe. Entao pode ser que uma parte dos seus sintomas de dupla consciencia sejam fruto disso. O que eu sugiro é focar em projecoes em que nao exista um corte de continuidade, ou seja, voce faz a OLVE, sente o EV, sai da cama PARA O SEU QUARTO. Sai do quarto para a sala ou atravessa pa rede e sai na rua. (E durante todo o trajeto enquanto se afasta de casa fique aprofundando a fase, olhando para as maos a cada 5 segundos, ao caminhar pela rua va arrastado a mao pelas paredes das casas sentindo a textura, ou faça a OLVE a cada minuto , uns 10 sobe-e-desce a cada 1 minuto ou quando sente que a " carga esta acabando" e já vai acordar. E se estiver disponível, mantenha-se agarrando algo, uma cadeira, uma grade de portao... ate sentir que estabilizou, porque nesses primeiros minutos, até uns 3 minutos mais ou menos,. o corpo ainda está meio acordado e pode te puxar de volta por reflexo. Depois ele apaga totalmente e aí você já não acorda tao facil ) Porque se voce faz o EV e ao levantar da cama nem no seu quarto está, aí mizifio, só Deus sabe o que ocorreu! Pode ter caido em outra faixa astral, mas pode ter caido numa plasmagem áurica dessas que geram os sonhos, apenas estará lúcido. Mas não temos como fazer melhor que isso. Nossa meta é estarmos lúcidos. Se é sonho lúcido ou projecao lúcida, aí não temos como controlar. São as limitacoes da nossa mente primitiva. As vezes outro cenario se forma em torno da cama. Enquanto voce estiver nela, seu link com sua realidade fisica está funcionando. Digamos que deitado ali você vê uma praça da cidade. Ou seja, é como se sua cama, com voce em cima, tivesse se materializado no centro da sua cidade. Voce senta em astral na cama e fica ali olhando as pessoas passarem. E sua cama ali, no meio da calçada. Entao voce levanta da cama, fica em pé e olha para tras, para a cama, e ela sumiu. Agora tudo que existe é o lugar em que está, e as vezes é em outra cidade outro país aqui do fisico mesmo. O que é isso? É projecao ou sonho lúcido? Não sei, das varias vezes em que isso me aconteceu eu diria que foi projecao, só numa delas que eu senti que era sonho, tudo falso. Mas minha "obrigacao" era apenas saber que eu nao estava no plano fisico, saber que eu tinha deitado para me projetar e fui parar ali. Saber mais que isso não tenho como. Agora se voce perde a lucidez, seja projecao ou sonho, vai se preocupar que esta num local estranho, outro pais, sem carteira ,passaporte, grana... e vai querer saber quando sai o proximo aviao de volta para sua terra, eheh. Aí não dá ne? É isso que devemos evitar, seja sonho lucido ou projecao, porque afinal de contas isso é uma prática de lucidez, ela nao pode sumir durante a experiência seja ela o que for. Mas querer ter certeza sobre a natureza da realidade que te cerca nem no fisico conseguimos, ou não haveria diferentes narrativas de testemunhas oculares de um mesmo evento.
    1 point
  12. Ué, mas o fórum é para isso mesmo! Só acho abuso é o cara me perguntar algo que ja esta explicado no proprio TÓPICO, o que mostra que o sujeito não está interessado no tema ,não quer saber nads que ninguém falou antes, quer só atençao para si, ininterruptamente. Se a resposta não estiver no TÓPICO, mas em outros tópicos do fórum, nao tem problema, eu passo o link com a resposta ja dada, ou respondo de novo aqui, se sentir que posso fazer de forma diferente do que já fiz antes. "já estar solto" talvez seja uma expressão forte demais, porque isso é um processo que acontece em etapas, não é num click. Mas está já se soltando e você acelera isso tomando a iniciativa de se mover em astral. As vezes o EV está só começando e você usa a técnica da corda, e ele pega no tranco, porque os dois processos, EV e separação do corpo astral, estão interligados e um deles pode começar primeiro que o outro, com poucos segundos de defasagem. Em tese o EV acontece PARA gerar a saída. É como a fervura do leite, aquela espuma que sobe. Entre ela começar a subir e atingir seu clímax e derramar, acontece um lapso temporal. Então assim: quando você comeca a sentir os primeiros formigamentos aleatorios, que vao gerar o EV uns 30 segundos mais tarde, talvez ja desse para sair, porque poderia já estar solto. Eu abandonei esse negocio de indusri um EV completo antes de tentar uma saida porque notei que no orimeiro formigamento eu já estava em condicao de sair, ja estava solto. Porém, por causa dessa pressa, as vezes ficava com os dois corpos acordados, ou entao saia "perdendo os pedacos" , porque pense no EV como o processo de abertura dos poros para o corpo astral sair: onde surgem os primeiros formigamentos é porque jáesta soltando ali. Nas areas onde nao tem formigamento é porque elas ainda estao presas ( por isso voce faz a OLVE só na parte presa, se ficar preso por alguma parte, e ela solta). Entao quando você tem formigamentos em varias zonas aleatorias ( peito+ braco direito + quadril + panturrilha) voce sabe que está se soltando e ja pode forçar uma saída: https://youtu.be/ElksftayXfE&t=81s Mas alguns podem ficar presos, e ao lutar para se soltar, acabarem movendo o corpo fisico e estragando a tentativa. Isso me acontecia algumas vezes, por essa pressa em sair. Já um EV bem forte deveria te expulsar do corpo. Eu testei isso também, induzia o EV, acelerava e comecava a flutuar um pouco, uns 3cm. Aí me segurava no corpo com maos e pés astrais, e acelrava mais o EV, ao maximo que podia, e aí meu corpo astral chegava arquear, porque a força do EV ameacava me arrancar com tudo para fora, só nao arrancava porque eu me segurava. Mas imagine voce amarrado pelas maos e pes, pendurado e um gordao sentado em cima de você, eheh. Essa era a força do EV em que eu senti tentando me arrancar do corpo. Essa experiência serviu para me mostrar o quanto o EV é capaz de gerar essa dissociação. Porém, muito provavelmente isso depende também do quanto você é " solto". Clarividentes costumam perceber isso, que algumas pessoas são mais soltas do corpo que outras. Já li relatos aqui no gva de gente que tem EV de " trincar os dentes" mas não se solta. Um fator que eu sei que atrapalha e o relaxamento, porque como falei, porque as partes que te prendem, em geral na cabeça, mas a vezes e um braço ou barriga, você solta fazendo a OLVE ali, MAS TAMBÉM prestando atenção naquela parte e conscientemente procurando relaxa-la. ( nessa situação vocês já está com uma parte do corpo astral do lado de fora, metade ou maia, mas percebe que o resto não está saindo e tem que resolver rápido ou vai ser puxado de volta menos de 1 minuto. Então assim: se está tendo um EV forte, já fez tudo que estava a seu alcance para soltar o corpo astral. A partir disso precisa dar o próximo passo, que é sair realmente do corpo com cuidado ou arrancando os pedaços, porque não tem mais o que esperar, não vai acontecer nada mais que te sinalize que pode sair. Mas pode tentar sair ANTES dessa etapa, ai sim correndo o risco de ficar meio preso, ou sair sem as pernas ( que se formarão depois que você cair no chão, eheh) , ou ter aquela sensação dos dois corpos acordados simultaneamente.
    1 point
  13. A técnica da corda serve à mesma finalidade que esta etapa:
    1 point
  14. Sendo mais direto: 1- deite de lado, para nao apagar rapido demais ( no meu caso nao da apneia se tento de barriga para cima apos ter levantado de madrugada. Só acontece logo que deito, no inicio da noite.) e fique prestando atencao no ar que sai do seu nariz, como se saisse uma fumacinha que se estende por uns 50cm alem do seu nariz. Como se voce fumasse e estivesse liberando fumaça pelas narinas. Mais atenção na expiração. Fique apenas focado nisso o sono comeca a vir 2- Entao pode comecar a notar uns barulhos estranhos, que " te atrapaham para dormir". Uma janela que bate co frequencia, pessoas distantes falando algo ( a essa hora? na rua? no vizinho?), alguém dando batidinhas, como se batesse uma madeira na outra, ou chamarem seu nome. 3- Esses sinais que te atrapalham para dormir em geral sao sinais que indicam que você está entrando no estado alterado que te permite descolar do corpo. Preste atencao ao sinal, ate que ele fique mais nitido e você tenha certeza o que é aquilo, e entao ja pode levantar devagarinho da cama, como quem esta indo no banheiro, levantando mesmo, nao usando a imaginacao de levantar.
    1 point
  15. Eu só tive umas tres experiências em que isso aconteceu, entao não tive tempo para achar uma solucao, porque o problema sumiu sozinho. Nas primeiras eu abortei, porque achei que nem era projecao, mas algum tipo de ilusao. Mas na terceira resolvi continuar e insistir no aprofundamento. Só que não resolvia. Eu batia as maos tao forte uma na outra que até saiam faiscas eletrica s, e nada, tudo ali parecia como se eu estivesse dentro de um persoagem de videogame, porque a sensacao de estar acordado na cama, observando tudo, era mais forte que a sensacao de estar no telhado da casa a noite, vendo a noite, as estrelas, sentindo as telhas com as mãos. Era uma dupla consciência completa. E a consequencia era que a oercepcao astral era nebulosa, como se eu estivasse caminhando no fundo do mar. Nada muito nitido. Porém nessa experiência eu tive uma das minhas poucas comprovacoes, o que me mostrou que NÃO PARECER REAL não quer dizer que NÃO SEJA REAL. O que eu desconfio que causou isao foi sair antes da hora. Porque eu ja estsva conseguindo levantar do corpo ao primeiro formigamento sauve que sebtia das energias. Ne esperava sentir o EV forte. Depoia disso resolvi dar mais aceleracao no negocio antes de sair. Talvez tenha sido isso que resolveu porque nao aconteceu mais. Mas você tem isso mesmo com um EV forte ( EV de saída ou de reentrada?) Entao nao deve ter relacao com isso.
    1 point
  16. Boa noite. Sou iniciante no assunto viagem astral comecei a estudar sobre o assunto a mais ou menos 1 ano. No início de tudo não tratei o assunto como se fosse algo serio assim como a maioria das pessoas eu não acreditava nessas coisas que eram faladas sobre esse assunto. Mais pele minha curiosidade cemecei a pesquisar e assistir diversos vídeos sobre esse tema e logo conheci o canal do Saulo calderom e wagner Borges. Depois de ver alguns vídeos Logo decidi começar a tentar fazer uma prática energetica para ver se acontecia alguma então para minha surpresa na primeira tentativa entrei nesse estado vibracional. Minha reação foi meio de pânico, espanto sem acreditar nisso que tava acontecendo e logo quando terminou esse estado fiquei muito feliz por isso ter acontecido isso abriu minha mente grandemente. Ao longo de 1 ano mais ou menos tive algumas experiências 2 delas foi muito significativa para mim uma delas foi logo de manhã assim que acordei e decidi ficar na cama mais um tempo e logo fiquei relachado e quase dormindo denovo e aconteceu que meus dois braços da parte do cotovelo até as mãos se soltaram do corpo físico e ficaram flutuando por dentro do meu corpo físico foi maravilhosa a sensação e me deu mais ânimo para continuar a segunda experiência foi uma serta noite que acordei de madrugada para fazer técnica e peguei no sono e logo acordei fora do corpo flutuando mais não vi nada na frente porque não sabia se eu deveria abrir os olhos então fiquei com medo e fui encaixando no corpo lentamente. Depois desse ocorrido passei a acreditar mais que nossa consciência realmente vive fora do corpo Esse foi meu pequeno relato logo farei perguntas para que alguém de vcs possa me ajudar nesse assunto e pesso desculpas pela forma de escrever não sei escrever corretamente tenho dificuldade de aprendizagem mais espero que de para entender as palavras que escrevi obrigado a todos e espero que esse relato seja útil para alguém
    1 point
  17. Nenhum problema com sua forma de escrever caro projetor 👍
    1 point
  18. Olá Dey! Concordo plenamente quando diz que os EUA irão usar algumas evidencias fisicas como justificativa para orçamentos negros e coisas desse tipo. Afinal, eles tentam tirar vantagem de tudo, e se alguma coisa vai acontecer, que não está totalmente no controle deles, alguma vantagem eles tentarão tirar disso, com certeza. Por outro lado, não acredito que eles tenham "relações diplomáticas" com nenhum Ser "alienígena", no entanto, acho que eles adorariam que os outros pensassam que sim... Penso que eles sabem muito, porque sempre tiveram recursos pra empregarem as melhores pessoas nesses empreendimentos. Tipo assim, imagine quantos excelentes viajantes astrais eles não empregaram, e quanto de pesquisa secreta foi gasta nessa área... Eles estão admitindo agora, oficialmente, até a existência de aparições fantasmagóricas! Agora, acho que alguma coisa física existe sim, talvez até mesmo os tais "corpos alienigenas" . Sabe por que? Pense comigo, vamos supor que nós, seres humanos, estamos começando a aprender esta arte de viagem astral. Na minha visão, viagem astral é o deslocamento da consciência sem o intermédio do corpo. Ou seja, a consciência começa a perceber que ela não depende de uma ferramenta e que é ela que cria a realidade, com o consenso das outras consciências perto dela. Isso somos nós seres humanos percebendo essa condição. Agora, imagine uma forma de vida bem mais antiga (seres em outros planetas ou galáxias) ou mesmo aqui na Terra, por exemplo, os dinossauros ou insetos, eles viveram muito mais tempo do que os humanos antes de serem "extintos", pelo menos em nossa linha de tempo... Quem sabe eles alcançaram um nível mental tão grande, que romperam o espaço e o tempo, e são o que vemos agora e chamamos aliens. Se nós, no atual nivel, podemos sair do corpo, e como voce mesmo disse, ainda sentir a textura das coisas, interagir com a materia em alguns casos... essa galera muito mais evoluída que nós nesse sentido, pode, com certeza, manipular a realidade em volta dela, de uma forma que até outra consciencia (Nós) pode perceber essa manipulação. Por exemplo, seria como se eu ou voce, numa saída do corpo em astral, criássemos para nós uma espécie de involucro de transporte, que nos levasse a outros lugares, e quem visse esse involucro, iria achar que era algum veiculo, ou algo relacionado à própria cultura deles. Tipo assim, às vezes, o que as pessoas andam vendo, não passe da aura ou do corpo espiritual desses seres, e nós, na nossa cultura atual tecnológica, achamos que é uma máquina feita de parafusos. Porque atualmente, nós achamos que para viajar pelo espaço seria preciso uma nave espacial. E talvez não seja este o caso.
    1 point
  19. Relato 2 - 15/04/2022 Hoje é feriado (sexta-feira santa) deitei por volta das 15h com a minha filha e esposa na cama para um "soninho da tarde". Coloquei na cabeça que iria sair e ficava me forçando para tanto até cair no sono. Cai em um looping ao qual eu me sentia flutuando, voltava ao corpo, mas quando isso acontecia eu achava que tinha acordado mas ainda estava projetado (lembro de ter aberto um sorriso de orelha a orelha por ter conseguido a projeção), aconteceu pelo menos umas 4 vezes isso. Achei estranho que ainda na cama, mas já projetado eu estava de óculos e sabia que não tinha deitado de óculos ainda estava na dúvida se estava acordado ou projetado. Algo que notei é que alguma coisa estava me incomodando como se estivesse meio que próximo do meu rosto e eu tentava afastar com a mão (minha filha estava bem próxima de mim fisicamente - seria isso?). Até que em um determinado momento tentei usar o alvo mental só que só invés de aparecer na sala eu me senti flutuando até lá, meio que batendo nas coisas, mas quase não enxergava nada (hoje ainda não movimentei as energias) e volto novamente para o corpo naquele looping de achar que estava projetado ou que tinha acordado. Sinto alguém colocando a mão no meu antebraço e me puxando com tudo (nesse momento minha e visão se abriram 100% - vi um clarão), mas foi rápido porque me assustei voltei para o corpo e acordei. Fato 1 - Foi muito perceptível eu deslocando meu corpo espiritual do carnal a sensação era de estar sutilizando Fato 2 - Não consigo precisar em qual momento ocorreu algo com barulhos (alguns forte), zumbidos e afins o que me faz crer que entrei em EV Fato 3 - Coloquei na cabeça que iria me projetar, pedi ao meu mentor que me ajudasse nisso e ficava forçando como se estivesse saindo do corpo enquanto estava caindo no sono Fato 4 - Acordei com um "piiiiiiiii" na cabeça que perdura até agora no momento que estou escrevendo esse relato. Fato 5 - Quando me desloquei até a sala flutuando não é que eu não enxergava, porque eu vi meu quarto, armário o caminho até a sala, mas era como se tudo fosse cinza e com pouca iluminação Fato 6 - Tenho bastante medo de projetar, mas uma vontade um milhão de vezes de passar pelas experiências que a projeção traz. Uma coisa que perecei que tenho medo de ver alguém em casa especificamente (talvez algum trauma/medo com relação a questão territorial), mas ficou claro que durante o dia não tenho medo. Foi um relato bem pé de boi, mas me deixou feliz pela minha segunda projeção com maior lucidez.
    1 point
  20. E por acaso o autor do vídeo alegava que a versão dele melhor? Em geral o pessoal gosta de inventar moda PARA OS OUTROS testarem. Eu acho que você trocaria 6 poreia dúzia numa técnica de oscilação LATERAL de energias. Na OLVE é mais facil manter a atenção na pasagem do feixe de luz porque é uma area pequena, só a largura do corpo. E ao passar pelos chakchras permitiria diagnosticar bloqueios em.u ou outro CASO A PESSOA esteja sentindo as energias. Mas como o percurso da cabeça aos pés é longo, exige que a atencao seja mantida todo o percurso. Já numa movimentacao lateral.deve se mais facil fazer o vai e vem, que sera mais rapido,.mas creio que seja impossiveo manter a atencao no corpos,.percebr se tem chackrs bloqueados e tal , porque quando a faixa passar pela linha central do corpo, passara em todos os chackras ao memso tempo, sendo dificil entao perceber se este ou aquele tem problema.
    1 point
  21. 04/062021 - Relato saindo do planeta Estava no meio de um sonho e do nada o sonho foi rompido e percebi que estava fora do corpo, na casa dos meus pais, que é normal eu ter projeção lá. Passei pela sala e fui até a frente da casa. O portão estava aberto e sai por ele. Saltei e comecei voar baixo, a uns 2 metros do chão, seguindo a estrada. Ao iniciar o voo comecei a ouvir uma música, bem bonita e calma, com a voz de uma mulher cantando em inglês. Tentei me concentrar pra não perder a experiência, então parei pra pegar na parede de uma casa, uma parede verde, depois passei a mão nas folhas de uma árvore. Feito isso, continuei o voo, mas eu queria voar mais alto, então olhei pra cima e me concentrei em ir na direção que eu olhava. Fui voando mais alto, e sai da rua da minha casa, comecei a ver vários prédios, muito altos. Da última vez que cheguei numa altura daquelas eu voltei pro corpo com frio na barriga ao olhar pro chão kkkk, então tentei ficar calmo e a música ajudava muito, mas como não parava de subir eu achei que já tava bom, já estava na altura das nuvens e olhei pra baixo, não senti frio na barriga dessa vez e vi aquela visão linda dos prédios no alto. Pra minha surpresa, não parei de subir, continuava indo cada vez mais alto, até que passei por uma nuvem muito densa, tipo uma neblina, e fui saindo do planeta, vi o lado da terra que estava clareada pelo sol e o outro lado que ainda estava escuro, com as luzes das cidades. Depois procurei a lua, e consegui ver ela. Eu tentei voar pra lua mas continuei me afastando do planeta, e perdi a lua de vista. Comecei a ficar com receio, não sabia porque me afastava e decidi voltar pro corpo, mas não voltei de imediato. Deixei de ouvir a música. Ao ficar pensando no corpo eu vi em uma tela mental uma coisa bem distante e pequena, meu corpo astral, voltando pro planeta, e uma voz robótica falando a trajetória dele, parecia muito longe do planeta, eu via o planeta de muito longe e aquela coisa que estava mais longe ainda, voltando em uma velocidade constante. Ao entrar na atmosfera do planeta, a voz também informou, então eu acordei no corpo, isso demorou alguns segundos. Eu gostaria de acreditar que estava sendo abduzido, mas eu realmente não faço ideia para onde estava indo kkkk.
    1 point
  22. Pessoal são 3h30 e acabei ter uma experiência fascinante fora do corpo. Acordei pra ir ao banheiro e quando voltei fiz a técnica indireta de ficar girando o paracorpo até que eu saí do corpo Sai do quarto apressado sentindo forte pressão em direção ao corpo. Fiz aquele lance de que as pessoas falam aqui de puxar o dedo pra saber se esta acordado. Puxei com força e ele foi crescendo devagar. De alguma forma acho que isso me deu lucidez. Imaginei também uma luz no meu chacra frontal mas TD isso foi muito rápido. Eu tava bem feliz e eufórico. Tentei me "teleportar" pra uma praça bonita que tem aqui no centro do rio mas não consegui. Eu tenho o planejamento de ir pra praia na minha primeira viagem consciente mas chega no astral muda tudo. Lembrei de me olhar no espelho e foi uma das experiências mais estranhas e emocionantes da minha vida. Meu rosto era todo tatuado de preto com asas tatuadas por cima deles e pequenas asas embaixo. Pessoal era lindo e diferente. Não sei se ter o rosto preto e bom mas o negócio era bonito e mudava de cor conforme eu me mexia. Gente era muito lindo. Vou tentar achar algo parecido na internet e posto a foto. Isso é normal? Ver essas coisas no seu rosto?? Era pra eu ver isso??? Depois de um tempo me olhando resolvi sair por aí. Qua do eu vou em direção a porta me entra uma mulher. Pensei comigo "Não vou me estressar mandando obsessor embora de casa" daí cheguei cantando Boa noooooite pra essa moça que chegou. Fui com ela até o quarto das crianças e lá tinha uma outra moça deitada no chão sem calça com a vagina amostra. Troquei uma ideia com elas e pedi pra que elas me ensinassem como fazia pra me teleportar pra outros lugares a que chegou pela porta ia me ensinar mas foi quando a minha esposa no plano físico bateu a porta do quarto e eu voltei pro corpo. Pessoal, estou escrevendo agora de madrugada no celular pra não esquecer. Certeza que está cheio de erros. Tô muito feliz e ao mesmo tempo preocupado com essas mulheres aqui em casa e gostaria de saber se preciso me preocupar com elas. E se esse lance do meu rosto era real, as pessoas vêem essas coisas quando se olham no espelho? Que experiência bacana, cara. Abs
    1 point
  23. Pois bem,nesses últimos dias voltei ao interesse pelo assunto,porém sem fazer nenhuma técnica,apenas vendo os faqs do Saulo mesmo no YouTube.Alguns dias atrás vi um vídeo dele falando de criar o hábito de se questionar quanto nossa lucidez e a realidade, para criar meio que um hábito de se questionar da mesma maneira em sonhos com a intenção de adquirir lucidez. Comecei a tentar fazer isso durante esses dias,e creio q deu algum resultado. Essa noite tive um sonho e em resumo,em uma parte eu estava de carro com minha mae e caímos com ele de uma ponte.No entanto o começamos a voar,e quando isso aconteceu indaguei:"Osh tô voando?deve ser um sonho". Nesse exato momento q indaguei isso me deparei comigo dormindo de barriga pra cima e em catalepsia mas com a lucidez muito baixa.Tentei levantar da cama e pela primeira vez creio q conseguir sair(Pois geralmente quando tô em catalepsia tento levantar mas nunca rola). Levantei ainda sem poder enxergar e fui pra minha janela,e nesse momento creio q a lucidez aumentou um pouco pois lembrei q estava em catalepsia é nesse momento me virei para a cama pra ver se via o meu corpo mesmo com a visão muito embaçada.Mas não consegui ver bem se meu corpo tava na cama. Pensei em tentar sair do quarto pra ver se melhorava a lucidez mas veio um medo tremendo de encontra algum espírito ruim kkk. Então me virei outra vez pra janela e consegui atravessar minhas mãos e rosto através do vidro. Pensei bom acho q vou sair pela já nela entao.Moro em edifício é na hora me veio o medo de tipo:e se na vdd eu tô sonâmbulo e acabo me jogando do prédio?.Bom depois disso acho q perdi a lucidez de vez pois voltei pros sonhos Acordei com essa pulga atrás da orelha pq durante um momento eu tinha total controle da minhas ações,porém a lucidez era muito baixa,quase a de um sonho.Bom se não foi projeção creio q foi um dos sonhos mais lúcidos q já tive. Grato pela atenção!
    1 point
  24. Olá galera, a algum tempo eu venho estudando (tentando) a projeção lucida. Mas de uns meses para cá eu decidi dar uma pausa por algo estranho que aconteceu comigo.. Vou ser breve. Depois de tempos tentando.. Em uma tarde deitei no chão do meu quarto para relaxar um pouco e até tentar uma projeção, mais nem dei bola, logo que eu cochilei e acordei em outro plano físico (sonho ou astral), dai não sei se foi sonho ou projeção. Levantei do chão do meu quarto e vi papeis escrito coisas da data de minha "morte" vamos dizer. Mensagens minha q eu tinha deixado, estava escrito: "Estive aqui em 2014. + MEU NOME" e eu todo consciente achando q eu tinha morrido.. algumas pessoas nao me enxergava, como minha família.. Do nada fui puxado para um local estranho com uma casinha com "brasa e fogo" numa chaminé grande e com algumas pessoas ali perto, e uma vós do nada surgiu. Você vai ser lançado ali (+ ou - assim) e eu com medo pedia ajuda a Deus, etc.. E um outro ser disse: Deixe-o passar desta vez então.. Dai nada aconteceu. Nisso tudo acontecendo eu tentei forçar para acordar como de costume e achei q tinha acordado, minha visao voltou para meu quarto e la estava eu, levantei do chão mas ainda estava no outro plano! Fiz de tudo dnv para acordar e voltei, levantei no meu quarto e ainda continuava no plano, fiz isso diversas vezes e eu voltava como tivesse acordando no físico, mais eu não estava acordando! Dai fiquei em choque e realmente achei q tinha morrido.. comecei a pensar muitas coisas de como aconteceu , eu tinha ido deitar como q morri , como isso aconteceu.. o que meus pais pensaram.. etc! Dai surgi em outro local q senti familiar, tipo uma escola, achei uma mina e gostei dela, dai minha consciência foi caindo vi ali q era um sonho (provável).. até eu acordar! eu estava correndo rapido numa rua do centro da minha cidade dai minha visao foi apagando, apagando até q acordei.. parece q fiquei sonhando a muitas horas, mas não! Quando eu levantei novamente no físico e tinha realmente acordado eu disse: Uffa, CONSEGUI!! kkss Decidi compartilhar este relato para vocês e dizer o pq de minha sumida aqui no fórum. PARECE BOBEIRINHA MAIS É DE TREMER. Vai q n acordo mais e morro ali kdkk Até hj estudando sobre isso , aprendi q não é possível morrer nestas ocasiões ( pelo menos é o q dizem), mais sei lá, vai q acontece! Mas pretendo voltar.. O que vcs acham q foi isso para vocês? Por que isso aconteceu? Seria um troll do astral comigo? Devo continuar? Valeu galera. Cuidado para não ficarem presos ein. Brincadeira.
    1 point
  25. Olá Viajantes, Os "ataques" terminaram depois da minha mudança de postura, adoção de técnicas e descoberta do poder das plantas nos ambientes. Ter sempre um simples copo com água na sua mesa de cabeceira já faz muita diferença e não vejo muita gente compartilhando. Estou completamente afastado de todo e qualquer foco de informação negativa (deixo de seguir, bloqueio, denuncio, dou mute, cancelo a hashtag, mudei a localização das minhas redes sociais para outro país e gerei pseudo-hábitos para os algoritmos dos serviços de busca), busco respirar bem, tenho lido livros e matérias de qualidade, assisto vídeos neutros e sempre tudo em inglês. Toda e qualquer coisa em Português toma um "Don't recommend channel" ou "Not interested". Tenho feito testes sistematicamente durante meses e agora sinto a web mais leve e neutra. Disse tudo isso pois ficava procurando de onde vinha o possível gatilho energético para o start desses ataques. Só poderia ser o que já podemos chamar de psicografia digital ou conteúdo psicodigital com interesse na abertura de brechas para ataques. Posts propositais. Nos últimos ataques parei de bancar a pobre consciência boba em busca de migalhas de conhecimento e passei a revidar agradecendo o bônus extra kármico causado pela burrice do agressor (existe a "cara de bunda" astral hehe), além de solicitar resgate e tratamento do mesmo. Depois da 4ª ou 5ª vez, desistiram. Ganhei certa força e mais confiança no astral. Sinto que estou mais forte ao disparar energias e os densos já não se aproximam tanto, eu praticamente ignoro papos sexuais, campanhas de poder e iscas para que você fique ancorado na real-time. Passo reto e logo começo a vivenciar as experiências sérias e que valem a pena compartilhar. Minhas novas experiências agora são de belas e complexas conversas com seres diferentes, paisagens lindas, reconhecimento de um velho amigo de outras existências, visita a colônias, aprendizado sobre botânica (nunca pensei no assunto), sabedoria sobre a água e o sal, conhecimentos que não posso revelar, estudos em edifícios incríveis em paisagens inacreditáveis e certa tristeza quando percebo que preciso voltar para esse autorama sádico chamado 3D. Real-time agora é só uma interface de poucos segundos na decolagem e retorno ao físico. Recomendo: pensamentos com boa qualidade, respiração, água, gotas de limão e plantas pela casa. Paz e luz a todos. /\
    1 point
  26. Olá amigos, O relato que irei expor acabou de acontecer agora e estou postando aqui para não esquecer. Venho de alguns meses afastado das práticas e exercícícios projetivos, e por isso enfrentava um recesso projetivo, que sinceramente, foi por falta de interesse de minha parte pelas questões projetivas e espirituais. Então vamos lá: Momentos antes de me desprender do corpo, em breves segundos, minha lucidez abriu por duas vezes, Me permitindo ver meu quarto e parte da sala. Após esses dois lapsos, apaguei novamente. Abri a consciência já na rua, em frente à minha casa e senti um sentimento de gratidão por estar tendo uma projeção patrocinada, já que eu ultimamente não venho me esforçando nessa área. Agradeci mentalmente ao amparador (Que eu sentia próximo mas não via), e resolvi dar uma volta pela rua. Ví algumas pessoas encarnadas saindo de uma casa de festas bem ao lado da minha casa.. estava tudo normal.. tarde de sol.. um vento leve.. Subindo a rua, próximo à um supermercado, me assustei com um veículo enorme de cor azul escuro, que creio ser um veículo astral, como os ônibus relatos nos romances espíritas. Desci a rua novamente, em direção à minha casa, só que dessa vez volitando há uns 5 metros e muito rápido (antes estava volitando à 1M do chão e bem lento). Chegando em frente de casa, já estando mais próximo ao chão, alguém puxou minhas pernas para cima, de modo que fiquei de ponta cabeça e olhando pro céu (não tive medo pois sei que foi o amparador quem fez isso) e mentalmente, falei a ele que queria que ele me levasse para volitar bem alto, naquele céu maravilhoso. Foi quando veio a resposta dele (puxão de orelha): "Se você quiser voar pelos céus, primeiro vai ter que aprender a RASTEJAR pela Terra!" Na hora me veio um sentimento forte de reconhecimento da verdade nas palavras dele, pois eu queria galgar os céus mas há um bom tempo tinha deixado os estudos de lado. Eu caí em si, e sinceramente, fiquei com um pouco de vergonha. Ele me soltou, e eu, ao invés de volitar baixo como é o meu normal, desci no chão e comecei a andar no solo mesmo (a sensação é a de tentar andar no piso de uma piscina, a cada passo vc sente a falta de gravidade). Parei por um estante, e olhando pro lado, apareceu um espelho plasmado e me vi refletido lá. A intenção do mentor era que eu observasse meu estado. a imagem no espelho me mostrava com um óculos de sol. Tentei retirá-lo. Não saiu. Tentei mais uma vez, e dessa vez consegui. Fiquei olhando minha imagem e pensando na questão das plasmagens, e plasmei uma barba espessa no meu rosto. Achei graça do fato de poder manipular conscientememte minha aparencia no astral, e de estar totalmente consciente para comprovar isso.. Nesse momento, fui puxado para o corpo e acordei lembrando tudo. Obrigado amigos por lerem, e nunca esqueçam da importancia da dedicação às práticas espirituais/projetivas. E gratidão ao Mentor que me fazer lembrar isso.
    1 point
  27. super bacana seu relato, parabens por ter conseguido fixar tantos detalhes. estou afastado de projecao astral em sim, pq a meu ver, preciso melhorar antes em outros "topicos" antes de empreender saidas, sejam amparadas ou nao. em relacao ao puxao de orelha que levou, "........Se você quiser voar pelos céus, primeiro vai ter que aprender a RASTEJAR pela Terra!"......" reflita bastante no que te foi passado, nem todo mundo tem o privilegio de ter esses "toques" la outro lado . ...nunca tive um contato sequer com um mentor, nem em sonho ja tentei alguma aproximacao, mas nao sei o que ocorre......
    1 point
  28. O máximo que consigo lembrar é a partir dos sete anos, primeiros contatos com as experiências que quase me levaram ao hospício. Aos sete anos lembro de ter visto claramente quatro crianças brincando no centro do meu quarto, elas pareciam serem feitas de luz neon, cada uma irradiava uma cor diferente. Muito assustado com a cena gritei o mais forte que pude, minha mãe veio e disse que foi apenas um sonho, mas eu sabia que não era pois estava acordado. O tempo passou e continuei esporadicamente vendo coisas, mas já não relatava nada pois não acreditavam, diziam que eu estava imaginando coisas. As coisas começaram a piorar quando fenômenos de efeito físico começaram a acontecer, mas agora não era apenas eu que ouvia, minha mãe e minhas duas irmãs também começaram a ouvir, portas batendo com muita força e grande estrondo, mas elas estavam fechadas não tinha como bater, só de louças caindo e quebrando no chão, mas não havia nada quebrado. Foi um dos piores momentos da minha vida, pois queríamos mudar daquela casa e meu pai demorou ainda uns três meses até encontrar outra casa. Na nova casa os eventos de batidas diminuíram bastante, mas outras coisas começaram a acontecer, tipo cadeira de balanço balançando sozinha e havia uma rede que ninguém queria deitar pois ela balançou sozinha uma vez com a minha irmã e outra com o meu tio. Mudamos de casa outra vez e aí já tinha quatorze anos e começou os sintomas da saída do corpo, mas na época não sabia e não conhecia ninguém que soubesse. Os zumbidos intracranianos, paralisia do sono, ficar flutuando imóvel acima do meu corpo e a sensação de choque elétrico. Fiquei tão assustado nesta época que comecei a dormir com a luz acessa, mas nada mudou. Não contava nada para minha família pois eles já estavam achando que eu tinha problemas mentais e não iria dá mais motivos para eles. As coisas foram ficando cada vez pior, certa vez vi no centro do meu quarto uns vinte homens de capuz preto que não dava para ver o rosto, um deles estava a frente e os outro atrás repetindo algo como uma reza em uma língua estranha, sempre achei que fosse latim, eu acreditava na época que era a morte de capuz preto, hoje depois de ler muitos relatos acredito que eram magos negro, mas não tenho certeza. Já estava com quinze anos quando tive a primeira projeção que mudou tudo, estava dormindo no sofá da sala e de repente desperto e me levanto normalmente, quando olho para o sofá vejo meu corpo deitado, foi uma sensação apavorante, estava tudo normal na sala, até a iluminação não via nenhuma diferença, pensei que tivesse morrido e que meu espírito ficaria vagando pela casa sem ninguém perceber. Vi minha irmã passar pela sala e depois que acordei pude perguntar se ela havia passado na sala e ela confirmou, tive certeza que meu espírito ficou temporariamente fora do meu corpo, mas não sabia o que estava acontecendo. Ainda não contava nada para minha família pois até eu mesmo já estava acreditando que era esquizofrênico e começando a entrar em depressão. O pior estava por vir, certa noite deitei normalmente para dormir, nunca dormir de barriga para cima e após adormecer de barriga para baixo algo me virou para cima e colocou o travesseiro no meu rosto tentando me sufocar, a força era tão grande que não conseguia mover o travesseiro nenhum centímetro, até que desisti de tentar e aceitei a morte, neste momento algo puxou aquele ser e numa rapidez incrível voltei para a forma que estava dormindo e acordei. Nunca mais dormir a noite, contei para um primo que era cristão evangélico e ele me levou para conversar com pastor. O pastor convenceu-me que satanás estava tentando levar minha alma e caso eu não aceitasse Jesus ele iria conseguir. Fiz o que qualquer jovem assustado faria, aceitei Jesus, mas não mudou muita coisa, apenas que não tinha mais medo, pois tinha um super herói para me defender. Apenas quinze anos mais tarde, por acaso achei uma comunidade no orkut que havia pessoas falando de uma tal de viagem astral, acabei encontrando um tal de Saulo Calderon e finalmente descobrir o que acontecia comigo. Até encontrar os vídeos de Saulo, passei de missionário evangélico a ateu, depressão profunda e uma tentativa de suicídio. Sou eternamente grato por Saulo fazer tudo sem fins lucrativos, pois sei que não teria o encontrado se fosse de outra forma. Será que ele tem ideia dos anônimos que ele ajudou? Paz e Luz.
    1 point
  29. É que nós saímos quando estamos numa curta "fase de transição" do estado de vigília para o estágio REM. E para voltar, idem: só conseguimos colar no corpo de novo se fizemos a reentrada no momento que ele está voltando do estágio REM para a vigília. Quando você vai tentar se projetar, é como se você estivesse dentro de um elevador que está se deslocando com a porta aberta e você precisa saltar para fora quando identificar que ele passando pelo andar desejado. Caso não consiga saltar, você será levado pelo elevador até o andar indesejado: a perda de consciência e a criação das fantasias mentais, os sonhos Se você conseguiu saltar do elevador no momento certo, você se projetou. O elevador seguira seu rumo sem você, mas isso significa que sua mente física vai começar a sonhar em algum momento. Enquanto o corpo ainda não tiver apagado completamente, sua projeção é meio instável, qualquer ruído, ou problmea respiratório, ou ronco, te puxará de volta. Por isso a maioria das projeções no início duram de poucos segundos a uns 3 minutos. Mas após o corpo ter apagado totalmente e você ter conseguido se manter lá fora, você não acordará mais por "acidente". Sua estada lá é mais duradoura e para voltar, você precisa forçar seu corpo a acordar (precisa fazer o elevador voltar a passar por aquele mesmo ponto, para que você pule para dentro dele agora). Se tentar voltar sem que o corpo tnha acordado, voce pode ver-se deitado na cama de novo, mas ao levantar, não grudou, estará num falso despertar. Um dos jeitos que a gente força o corpo a acordar é esse que você cita, de apertar fortemente os olhos. Eu também fazia isso quando pequeno, pra interromper ms sonhos lúcidos. Isso acontece porque pelo que se diz, nosso corpo fica paralisado quando dormimos (dizem né? um monte de gente se mexe dormindo), mas os olhos nunca ficam, então é a única parte que podemos acessar com facilidade, para gerar um movimento e fazer nosso corpo acordar na marra, e aí a gente volta. Pode ficar preso? Pode. Mas todos as noites tem equipes de resgate libertando os presos, ehehe. Então não dura muito, exceto se tem algum problema cármico que impede o resgate, ou se o sujeito vive se drogando, porque aí está pedindo para ficar preso mesmo, uma hora vai e não volta, porque a paciência em socorrer quem procura por problemas e más companhias astrais uma hora acaba.
    1 point
  30. Leia após o item 17: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/20061-sinto-coisas-estranhas-quando-estou-tentando-dormir-o-que-pode-ser/
    1 point
  31. Caro Leadbater, Se houver dúvida de um possível assédio de entidades ligadas á magia negra e coisas assim recomendo a repetição mental de uma espécie de mantra..do tipo "Nada desejo,apenas servir à luz". Pelo menos é o que eu faço, se se tratar de algo simples como uma mera "aproximação", ou interesse. As palavras tem poder, e com a repetição este sentimento irá ganhando força...É um tipo de vibração bem eficaz para afastar esse tipo de energias.Repita por um bom tempo..pode ser de forma relaxada até mesmo em meio as atividades domesticas..cultive esse sentimento por um tempo..eu boto mais minha fé nisso...ou alguma coisa do tipo, para afasta-lo de aproximações com essa faixa vibratoria, e aproxima-lo dos mentores. De uma forma geral, tambem tento substituir os desejos (ausencia por algo que não tenho) pelo sentimento de gratidão e celebração pelas coisas boas que já possuo. Essa faixa de magos negros está muito ligada a busca pelo poder, desejos fortes e dominação. A não ser que você prefira duelar com símbolos e rituais ocultistas com supostos especialistas do ramo..rsrs..eu prefiro me focar nos valores inversos em que eles estão imersos, ou seja, abnegação, espírito de serviço, ausência de desejos (fortes ambições etc) e sentimentos de gratidão e humildade. Mas se o bixo tiver pegando mesmo, recomendo buscar ajuda com especialistas (entidades de índios e pretos velhos costumam estar associados a este embate contra os magos negros). Mesmo estando o astral pesado nos ultimos tempos, não custa nada você cultivar um pouco aquelas virtudes, pra te afastar de um eventual" olhado" rsrs. prevenir é sempre mais fácil que remediar.
    1 point
  32. Na minha concepção toda a forma de prestar auxilio desinteressado é uma forma de ir se desvincilhando do ego..os desejos não trazem felicidade..o amor e a paz sim. Não sei se isso é algo religioso, pra mim é algo bem biológico até..o que faz bem a minha energia principalmente. Nós somos constituídos assim, mesmo que nosso ego (parte animal) relute em seguir o caminho da nossa própria felicidade. A verdade é que a busca por conhecimento, ou pelo poder em qualquer de suas formas não preenche o vazio da existência da forma que o amor é capaz de preencher. Da mesma forma, é impossível ser verdadeiramente ético, sem uma dose de abnegação. É por isso que muitos magos negros do astral dedicam suas vidas a busca pelo poder, e utilizam encarnados tambem como seus mediuns, nesta busca desenfreada e ensandecida, que no final não leva a lugar algum, no sentido da satisfação da alma. Sem amor não há satisfação na vida, seja qual for a dimensão em que estejas..o amparo é só uma expressão disso, deste desejo de amar. Tambem tenho minhas dúvidas em até onde vai de fato o nosso "livre arbítrio" e acredito em leis naturais, queiramos ou não estaremos a ela subjugados. A vantagem para a projeção astral neste lance de amparo é justamente entrar na faixa vibratória dos ditos mentores, que não tem certos desejos inferiores como os magos negros por exemplo, que podem atuar mais facilmente em curiosos, ou mesmo pessoas que estejam mais proximas á sua faixa vibratória em busca de conhecimentos ou poder, ou ainda qualquer objetivo pessoal que seja. Os magos negros tem objetivos pessoais, os mentores não. Este pode ser o perigo em matéria de sintonias. Existem grupos e seitas de ocultistas que realmente buscam poderes, vampirzam outros encarnados, e fazem uma série de coisas..todos guiados por seus desejos particulares, acreditando serem senhores de sua propria vontade, quando não passam de marionetes de seres trevosos do astral, além de outras armadilhas íntimas do ego. Confesso que já até tive algumas experiências neste lado obscuro da existência, e não vale a pena...os desejos e ambições, isso tudo é ilusão..paz e amor essa é a lei que está inscrita no mais profundo de nossas consciências, pouco importa religiosidades. E o amparo é uma excelente forma de cultivar esse amor e essa paz desinteressados, pois a paz e o amor bastam a si mesmos, e por isso não os entendo como uma "moeda de troca"...De fato são prazeres da alma, mas nada além disso.
    1 point
  33. Victor, para seu priprio bem é melhor parar de fazer perguntas aleatorias e começar a ler o.ç que ja te indicamos, porque você esta perguntando coisas que ja estao nos materiais indicados. Te sugiro não perguntar mais nada enquanto não ler tudo que foi indicado, ou vai se confundir todo.
    1 point
  34. No novo livro ele coloca até os problemas familiares que ele teve, tendo descobrido dias após a publicação da primeira versão que seu pai na verdade sera padrasto, após isso querendo oportunidades de conhecer o verdadeiro pai, que era autor de livros de Física e pesquisador do Instituto de Hidrodinâmica de uma universidade na Rússia. Quando ele conheceu o pai, o mesmo nem deu a mínima p ele, que se justifica dizendo ter interesse em conhecer a família do verdadeiro pai p ter alguém a mais na família para conversar sobre tais assuntos. Se houve influência disso na tentativa de unir suas experiências com teoria quântica, como outros pesquisadores, só o mesmo poderia dizer....
    1 point
  35. Se é coisa em grupo, talvez possa fazer assim: - Foquem no ESTUDO do Raduga, que é mais rápido e direto - Junto com isso, mantenham-se lendo o do Mulldon e o do Monroe primeiro ,para comparar com o que voces vão aprender do Raduga. E depois avancem para os demais ( Leadbeater antes dos seguintes)
    1 point
  36. Quando o Waldo começou a falar de projeção no Brasil, o assunto era velho no exterior, por diversos livros, os primeiros acho que do Leadbeater. Depois vieram outros autores, como Oliver Fox e Sylvan Muldoon. Mas eram apenas "autores de livros". Nos anos 70 foi o Robert Monroe quem foi além de apenas escrever livros e parece que fundou um instituto para pesquisar um pouco sobre isso, meio ao estilo do que o Waldo criou.Tem até filial aqui: http://www.portalmonroebrasil.com/ Também o Scott Rogo, que era parapsicólogo, escreveu uma obra sobre o tema, sendo ele mesmo projetor, mas também pesquisador. Mas morreu cedo, acho que não rendeu. Autores de obras sobre projeção tem inúmeros, o Waldo não foi nenhum pioneiro, mas no sentido de ter criado uma estrutura, como o IIPC e o IAC, aí sim é algo mais engajado, não sei de outro além do Monroe que tenha feito algo parecido. O Raduga parece estar tentando criar algo mais chamativo também, só que ele adota a visão de que é tudo sonho lúcido, seguindo o trabalho do Stephen Laberge http://obe4u.com/pt/michael-raduga/ Tem um livro muito interessante de um cara que tenta fazer uma abordagem mais científiica, que é Aardema: https://www.amazon.com/Explorations-Consciousness-Out-Body-Experiences/dp/0987911902/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1487266456&sr=1-1&keywords=aardema E claro o mais conhecido atualmente é o Robert Bruce, da Austrália: https://www.astraldynamics.com/
    1 point
  37. As vezes a gente entra numas fases estranhas. Um cara ja me contou que durante um período, toda vez que ele saia do corpo se via preso, oi em caixas, ou em celas. Eu passei um período enredado em labirintos intermináveis: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17516-labirintos-no-umbral/&do=findComment&comment=77254
    0 points
  38. Bom, acho que o do Muldoon e o do Monroe ninguém que se diga interessado em projeção pode desconhecer.´É como não saber a tabuada, eheheh. São focados mais em relatos. Mas precisa um fundo teórico mínimo, então O Plano Astral do Leadbeater, é fundamental para ter uma noção das características gerais desse plano. O Bruce tem bastante informação ,tanto sobre os fundamentos quanto sobre a questão do plano astral. Mas é confuso, como livro. É mais um livro para você ler, sublinhar só o que achou importante, e depois focar só nisso, deixando o resto só para consulta quando já estiver se projetando. Para você ter uma ideia, quando li, terminei o livro e não lembrava onde estava um exemplo de rotina completa projetiva. Passei um tempão procurando de novo, no índice, precisei refolhar umas três vezes o livro todo, , até que achei, sem nenhum destaque, sem nenhum grifo, descrita em um parágrafo, perdido no meio do texto de uma página. Ele explica em detalhes muita coisa, aprofunda bem, mas na hora do "tá, e agora faço o que para começar?" fica difícil se achar. Mas me refiro ao Astral Dynamics, o livro em inglês ,não uma versão resumida de 60 paginas que tem por aí em português. Para prática só se aproveita o do Raduga e o do Bruce. A vantagem do Raduga é que ele e mais focado na prática imediata, mas ignora o contexto astral, e acaba nunca dando ênfase aos fundamentos que te permitam se projetar em outras horas do dia. A vantagem do Bruce é que ele enfatiza dominar os fundamentos, para poder se projetar a qualquer momento. Mas isso costuma levar alguns meses. E Bruce reconhece a projeção como fenômeno astral, não apenas mental, como o Raduga. Então o mínimo do mínimo para mim é isso: Muldoon+Monroe, Leadbeater, Bruce e Raduga. Se quiser só o livro do Bruce, pode demorar uns meses antes de conseguir a primeira projeção. Se pegar só o do Raduga, pode cair na conversinha boba de que é tudo só mental. Não adianta focar só na prática, porque você precisa interpretar os resultados práticos de alguma maneira, e quem determina isso é a teoria, não é a prática. Se pegar só os outros, aprenderá o que acontece numa projeção, mas não aprenderá como fazer. Para entender o contexto histórico da projeção em diversas culturas, a semelhança entre os métodos, e tudo isso considerando o contexto astral e mental, o livro do Donald Tyson, Soul Flight é perfeito, mas não tem a parte de ensinar como se projetar, eheeh. Acho que é para quem já tem alguma experiência projetiva,já sabe como fazer, mas quer repensar a coisa.
    0 points
×
×
  • Create New...