• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 01/10/2021 in all areas

  1. 2 points
    Na verdade vc não fez nada de mais @Iogui, nem no modo de falar, pq acredito q vc estava somente respondendo a duvida. O q ocorre é q é algo meu mesmo que venho me corrigindo nos últimos anos: eu entrei em muitos debates insistindo em querer mudar a opinião ou o modo de agir dos outros, quando vi q o correto é eu falar meu ponto de vista (dependendo da pessoa, não o seu caso, mas as vezes não é bom nem falar) e não chegar a prolongar o assunto. Eu estava até pensando em abrir um tópico esses dias sobre a dificuldade em perdoar (vou criar hj). Tive duas experiencias recentes em que eu pedi perdão a duas pessoas q eu ofendi verbalmente no passado e me arrependi. Quando fui pedir perdão a elas fui recebido grosseiramente. Estou lendo um livro (renovando atitudes - hammed) q diz "cada um só pode dar aquilo que tem", q depende do nivel evolutivo de cada um. Então, no meu caso, na época das discussões eu não tinha a maturidade, de falar meu ponto e calar, ou somente calar, ouvir o do outro e não querer muda-lo. Bem como essas pessoas q citei, não possuíam a virtude do perdão. É um aprendizado muito difícil, pra eu q sabia a teoria por em pratica, imagina pros exemplos q citei q nem a teoria tem.
  2. 1 point
    Pois é, ehehe. Esse tipo de detalhe é meio intimidador, mas acho que é por causa dos rótulos atrelados a esses termos. Mas lembre-se: quando você se esforça para tomar decisoes com lucidez, sem se deixar levar por emoções inferiores, tentando escolher a melhor resposta a cada situacao do dia a dia ( bem como na projecao), está acordando por poucos segundos o que tem livre, sejams os 3% , sejam os 10%. A questao do Samadhi é que ele gera um despertar contínuo DESSE percentual. Mas qualquer % maior de essência livre, ainda que disponível despertares curtos apenas nos momentos criticos, te ajudará a tomar decisões melhores para sua vida. É aquele lance de dar um passo de cada vez.
  3. 1 point
    São dois processos diferentes. Na gnose ensinamos que as pessoas tem em geral só uns 3% de essência livre. Mas esses 3% estão em geral dormindo. Quando se fala de despertar a consciência é desses 3% aí. Quando se fala em lucidez significa botar esses 3% para funcionar. Mas eles voltarão a cochilar, é uma luta diária. DESPERTAR a consciência, como experiência mística, significa ativar de forma permanente a lucidez desse %. E na gnose se fala que para isso serve o Samadhi durante a meidtação. Então voce trabalha diariamente com a técncia de morte do ego durante anos para AUMENTAR aqueles 3%. de essência livre Digamos que num dado momento tenha 10% de essência livre. Mas esses 10% estão desperots? Não. Estão livres, mas não foram despertados ainda. Para despertá-los você tem que passar por um Samadhi. Só então esses 10% ficam ativos, acordados, e não dormem mais. Aí segue trabalhando com a te´cncia de morte e chega a 20% de essêcia livre. Tem 20% de consciência? Não, tem aqueles 10% ainda, precisa atingir outro Samadhi para que desperte os 20%. Então é um trabalho combinado: uma coisa é matar o ego e liberar essência. Outra é acordar essa essência em todo o seu potencial. A liberação da consicência aprisionada é resultado da eliminação de um defeiot psicológico. Assim como quebrar uma garrafa contendo líquido libera o líquido. O ego é essencialmente cristalização de padrões mentais em torno de um núcleo de consciência. Eliminar a casca faz com que a parte liberada se una ao resto que é a parte livre. Mas sempre ainda precisará esse despertar da consicência pelos Samadhis para ir despetando o que vai sendo liberado.
  4. 1 point
    Obrigado. kkkkk, se depois do “não concordo” vim um tapinha nas costas e apreciar a paisagem seria bom demais.
  5. 1 point
    Sobre a dificuldade em perdoar hj em dia. Tive duas experiencias recentes em que eu pedi perdão a duas pessoas q eu ofendi verbalmente no passado e me arrependi. Quando fui pedir perdão a elas recentemente fui recebido grosseiramente. Sendo q a lógica, na minha opinião, seria a pessoa ver isso como uma ação benéfica e ela. Mas nesses casos, acho q não tem a ver com a lógica e no final o benéfico foi somente pra quem pediu o perdão. Mas o bom é q de 6 pessoas q resolvi pedir o perdão, 4 me receberam muito bem. Apenas 2 não aceitaram, apesar de ter sido ofensas verbais (discussões). Estou lendo um livro (renovando atitudes - hammed) q diz "cada um só pode dar aquilo que tem", q depende do nivel evolutivo de cada um o seu modo de agir. Então acredito q essas pessoas q citei, não possuíam a virtude do perdão, ou seu nivel evolutivo não permitia perdoar, e isso me faz compreender e não ficar remoendo isso na mente. Acho q a pessoa ao receber um pedido de perdão teria q parar e refletir sobre como foi bom o ofensor ter reconhecido. Quando eu vejo alguem pedindo perdão me vem isso a mente. Sei que é um aprendizado muito difícil perdoar, pra eu q sabia a teoria por em pratica, imagina pros exemplos q citei q nem a teoria tem, apesar de a maioria ser cristão, e o cristo ter vindo ensinar isso. O livro q citei tb diz q devemos deixar cada um vencer suas dificuldades sem impor nossas vontades (no caso, querer q a pessoa perdoe).
  6. 1 point
    Então, é um doc gringo, e nesses países anglosaxonicos de primeiro mundo a turma é bem "quadrada" em termos de espiritualidade, ou é cristão protestante/católico e fica nisso ou não acredita em nada, e o background cultural deles é bemmm materialista, hedônico e positivista. Quando se relacionam com algo além desse espectro, vêem com um olhar de espanto/surpresa e ficam naquele nível de fascínio bem adolescente "ohhhh, vi algo" "uhhh, casa mal assombrada cara", "tive uma eqm e vi a luz me chamando, mas não sei oq era, anjos talvez", ou mesmo ficam naquelas aventuras de "ghost Hunters" tentando captar qualquer coisa no escuro com uma parafernalha infinita de dispositivos. Não que avanços e estudos em comunicações entre dimensões via aparellhos e tal seja inútil, pelo contrário, mas via de regra eles não saem disso, sabe? De captar um sonzinho aqui, uma batida ali, etc. Num primeiro momento pra instigar a curiosidade e ajudar a entender o mundo espiritual é até bem vindo, estudos nessa área são necessários, mas depois de um certo ponto esse tipo de experiência não agrega mais nada se não se objetiva algo mais além de ficar colecionando sonzinhos do plano extrafísico. Quero dizer: ok, vc colheu um monte de evidências e gravações de espíritos (em sua grande maioria pessoas perdidas ou problemáticas, que já tão fazendo hora extra nas dimensões mais baixas), sabe que tem algo além desse mundo. Bacana. E agora? Oq vc faz com essa informação? Quais os próximos capítulos a serem estudados? Quais problemas seus, de outras pessoas ou da coletividade vc ajudou a resolver? Como isso te ajuda a ser um ser humano melhor e despertar suas potencialidades internas? Essa turma, no geral, estagna, fica só nessa pegada de curioso fascinado. Claro que existem excessões, especialmente as escolas esotéricas ocidentais, porém via de regra este povo fica só nisso mesmo, é tudo um "grande mistério" o mundo dos "fantasmas", às vezes tentam entender apenas do ponto de vista da ciência cartesiana materialista, quando não partem pra total rejeição a priori. Esse doc reproduz bem essa lógica gringa a qual está presente em quase todos documentários e filmes que se relacionem com o espiritual produzidos nestes países como EUA, Canadá, Inglaterra, Alemanha, etc. Isso na minha visão. Daí que não falar de kardecismo, budismo, ou qualquer outra tradição, filosofia ou abordagem não cientifica-materialista-positivista e/ou cristã protestante/católica já é esperado. Vamos ver se numa próxima temporada eles saiam um pouco da bolha, ☺️ Ainda sim gostei muito do primeiro e do último episódio (EQMs e Reencarnação, respectivamente), pq são casos recheados de evidências científicas, mesmo pros padrões da ciência "materialista", que até pra alguém muito cético, fica quase impossível de explicar se não se admitir a possibilidade de vida após a morte. Vale ressaltar o episódio 2, que mostra um centro espiritual pra treinamento de médiuns na Holanda. Muitas similaridades com os métodos de incorporação da umbanda e espiritismo, com direito a um "Bezerra de Menezes" europeu hahaha. Embora, no que deveria ser o ponto alto do ep, eles não deixam gravar vídeo, só som, achei bem tosco isso e só serve pra tirar crédito do trabalho deles que parece ser sério.😅
  7. 1 point
    Mas é documentário brasileiro? Porque pelo que eu saiba o kardecismo praticamente inexiste no resto do mundo. Só sobreviveu no Brasil. Se voce pega livros de autores espiritualistas estrangeiros, mesmo médiuns, percebe que eles so sabem o que vivenciaram. Eles desconhecem absolutamente tudo em termos de explicaçoes "doutrinárias", so sabem da propria experiencia , entao ficam tateando as cegas sem organizarem a estruturua do que descobriram. Não avança além da etapa " ahhhh, entao existe espírito, nao sou só meu corpo. Tem algo mais lá, mas não sabemos ainda o que seja". Para dizer a verdade so cruzei com uma referencia ao espiritismo kardecista duas vezes em livros estrangeiros. No Dark Intrusions, e no Spirit Releasement Therapy. Então esperar que um documentário produzido por falantes da língua inglesa citem kardec é esperar demais. Talvez se fosse um documentário francês teria mais chances. https://super.abril.com.br/cultura/por-que-o-espiritismo-pegou-tanto-no-brasil/
  8. 1 point
    Acho q era isso aí. Obsessor seria mais apegado. Acho q apenas dei de cara c esses aí. Na verdade acho q estou chamando espirito zombeteiro de obsessor. Complementando aqui sobre o novo documentário q citei da netflix “Vida após a morte”, li pessoas reclamando q não citaram base doutrinária, e realmente estou no episodio 3 e percebi isso. Li pessoas reclamando q assistiram ate o final e nao citaram o Kardec. Li pessoas reclamando q assistiram ate o final e nao citaram o Kardec. Ate onde assisti tb acho q deveriam citar o Kardec e o budismo. Vi nos titulos q próximos episódios fala sobre reencarnação. Vai faltar entao falar sobre a projeção astral. Mas eu gostei muito pq mostra pessoas em busca das respostas sobre a existência de uma vida extrafisica, grupos de pessoas q passaram pela eqm e outros buscadores procurando mediuns por conta de parentes q desencarnaram. Bem interessante, o medium fica frente ao buscador e contacta o parente e da detalhes de como eram, mas alfamas coisas poderiam ser vistas na internet (o documentário fala isso), como por exemplo se o medium fala q a pessoa tirou uma foto de tal maneira, isso pode ser visto antes em redes sociais, mas disseram q o medium nao conhecia ninguem no grupo (no caso das sessoes em grupo). Mas ha alguns detalhes q so o consulente sabia, como o caso de um rapaz q antes da medium chegar fala em voz alta na casa pro pai q ja desencarnou q ele comentasse, como prova de q ele estaria ali, sobre o cabelo (do consulente) e a medium nesse ponto diz q o pai comenta sobre o cabelo dele, e o cabelo dele nao tinha nada de diferente. To falando aqui pq gostei muito do documentário, e acho q tem tudo a ver com o forum. Segue o link sobre ele: https://www.netflix.com/br/title/80998853 Uma outra coisa, eu nao vi mais aqui no forum o @Aritmética. O @Iogui vi q passou um tempo fora mas voltou. Q seja bem vindo de volta. Houve alguns topicos q discordei dele e ele de mim e ate peço desculpas a ele pq cada um tem um modo de pensar. Isso é uma coisa q sei mas é dificil eu colocar em pratica. Mas acho q melhorei nesse ponto.
  9. 1 point
    É, só dá para considerar assim mesmo. Pode até ser só espirito zombeteiro se aproveitando para rir do susto que causou no encarnado, mas vai saber né? Mas nunca encontrei esses, que eu me lembre.
  10. 1 point
    Um discípulo pergunta ao sábio: – Mestre, como vocês, sábios, resolvem os problemas? O sábio respondeu: – Nós, sábios, não resolvemos os problemas, nós evitamos os problemas. — Provérbio Zen
  11. 1 point
    Exatamente. Eu mesmo em minhas projeções geralmente saio sem conseguir olhar nada, tudo escuro. Mas a primeira coisa que faço é "fugir" do meu corpo pois já li em vários locais que caso se manter perto do corpo, a chance de acordar é grande. Já tive projeções que por toda porta que passava eu me deparava em outro ambiente, totalmente inesperado. Em minha última projeção eu podia jurar que estava na cidade antiga que morava, mas após certo tempo notei que não tinha nada haver, tudo já estava muito diferente, eu nem sequer conhecia a cidade. Outra coisa que me acontece geralmente é ver os ambientes alterados, os móveis em locais diferentes, até às dimensões do quarto alteradas. Desejo sorte a ti Victor, e acredito que tivesse uma excelente primeira experiência. Pode contar que terás muito mais! Abraço e luz!
  12. 1 point
    Você teve vários resultados educativos numa mesma experiência! Já deu "sorte" aqui, porque a rega geral é nem ver nada na cama, as vezes nem o travesseiro. Portanto não estranhe se das próximas vezes olhar para seu coro e não tiver corpo algum ali. Porque esse negócio de clarear é um comando que tem como efeito dispersar suas energias mais densas, que são as que dificultam a percepção clara. Mas não costuma funcionar e estiver dentro da faixa de ação do cordão de prata, uns 4m do corpo. Tem que se afastar do corpo para essa técnica funcionar. Se tivesse tentado ela de novo após sair do quarto é QUASE certo que funcionaria. Porém, algumas pessoas tem energias mais densas que outras, e poderia ainda ter que lutar um pouco com isso até se afastar uns poucos metros DE CASA mas eu nunca andei mais de 10metros com essa visão escura. En geral após 3m, nom eu caso, já se dissipa. Exatamente por estar ainda portando o lastro energético denso que você ainda estava vendo sua casa escura como no físico. Se tivesse liberado o lastro estaria vendo como se uma lâmpada incandescente de 45w estivesse acesa em casa peça. Mais um sinal de que estava carregando um lastro denso de energia. Estava na faixa próxima do físico, é meio como andar embaixo d'água usando um escafandro. Lembra este relato: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/&do=findComment&comment=68330 É, isso acontece com irritante frequência. Você pode colocar uma espreguiçadeira em frente a porta do quarto e detiar ali para se projetar. Aí é só levantar em astral da espreguiçadeira e passar pela porta. Simples. Mas tem vezes que você deixa a porta do quaro aberta mas ao se projetar encontra ela fechada e precisa atravessá-la. Outras vezes você deixa fechada mas encontra aberta..... vai saber... São as tais flutuações de realidade: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17032-textos-do-robert-bruce/&do=findComment&comment=74023 Mas no seu caso pode ter sido questão de visão mesmo. Você depois notará que quando quer saber o que tem num predio, basta olhar com atenção e você enxerga através dele, como se fosse uma casa de bonecas: As vezes você sai de casa e dá no pátio da casa em que morou há 20 anos atrás, até em outra cidade! No início esses distúrbios são comuns, depois estabiliza. Mas note: Nesse momento já tinha passado talvez 2 minutos. O lastro que te prendia a zona mis próxima do físico vai se desgastando e você começa a mudar de faixa, já viu a área de serviço como era em outra faixa de tempo. E exatamente por isso, por estar numa faixa diferente da que estava logo que levantou e viu seu corpo , agora você já não vê mais o físico: Então note a progressão: - quando você levanta do corpo está carregando muita energia etérica e pode ver o físico de forma mais fiel (vi seu corpo deitado na cama, consegiu ver seus pais na cama) - a medida que o lastro energético vai se dissipando, você começa a se afastar da zona física (vê a área de serviço diferente do que tinha no físico e já não vê seus avós no quarto) - se tivesse saído de casa é provável que descobrisse que a rua até parecia a mesma logo ao sair, mas após andar uns 30metros e olhar ao redor veria que tem vários prédios ali que não existem no físico, EMBORA durante a experiência eles vão te parecer certinhos, porque afinal de contas, aquela rua que você vê em astral é uma das faixas que de fato existem na sua rua, por isso parece familiar. Mas não são realmente os mesmos prédios que tem no físico. As próximas serão diferentes dessa. Eu diria que se tiver 50 projeções, só umas 8 serão parecidas entre si, o resto é tudo sempre muito diferente umas das outras.
  13. 1 point
    Me parece que tem a ver com estagios do sono. Você só pode sair ou entrar no corpo quando ele está já numa fase de transicao. Se ele estiver em sono profundo, mesmo que deite sobre ele, nao vai grudar. Já li relatos de projetor que não sabia o que fazer e ficava no quarto, sentado em astral, a noite toda, esperando o corpo entrar na fase de transicao, para ele poder reentrar. Tem a ver com as fases do sono.
  14. 1 point
    Primeiro você deve lembrar que o Gurdjieff usou uma abordagem materialista, para atrair os intelectuais da época. Parecido ocm Kardec querendo usar uma abrodagem "científica" para algo que não tem como ser científico. A questão da oração se vincula a várias outras discussões, sobre livre arbítrio, destino, possibilidade de interferência divina, e se essa interferência, caso aconteça, viola ou respeita as leis naturais. São debates meramente filosóficos. Na prática o que observamos é que quando se faz esses apelos, quando são atendidos, a resposta se dá seguindo os caminhos naturais, o que sugere que pedir intervenção não viola as 48 leis citadas pelo gurdjieff. Ate porque ele não lista todas. E se uma das leis for "Pedi e vos será dado, batei e vos será aberto, pois qual o pai daria ao filho uma pedra quando ele lhe pede pão?" Mas o tempo de realização das coisas também faz parte das leis que regem o nosso plano, assim como podem existir algumas que impedem o que se quer, como o carma. Agora, quanto a PARA QUEM rezar, eu acho que é mais SEGURO rezar para o que você entende como Deus, da forma mais abstrata, amorfa possível, porque as religiões institucionalizadas já possuem entidades ocupando os postos por trás das imagens que elas usam. Na gnose também usamos o ensinamento do gurdjieff,porque ele é gnose também, mas oramos para Pai Interno. Só que isso envolve você construir a compreensão desse conceito. Mas basicamente a atitude é se voltar para dentro de si, lembrando que você possui uma parte interna, espiritual, que não encarna, e da qual você é apenas um "avatar sequelado", eheh. Essa parte superior sua é uma particularizaçao de Deus. Ou seja, nós aqui somos mais é ego, uma psique fruto de condicionamentos mecânicos, estímulo resposta. Mas nossa parte superior que é o Espírito mesmo (não a alma), é uma centelha divina de maior grau, e é ela que tem o o projeto encarnatório dos seus "avatares". Portanto ela sabe o que lhe vem pela frente, suas dificuldades, seus medos, porque foi ela quem te colocou nessa enrascada, eheheh. Para a gnose, ela "O Pai " a quem Jesus se refere, não um deus genéico sentado num trono no céu. Porém, o Espírito de cada um de nós é uma expressão espiritual de de nível Crístico, então o mais próximo de deus que é possível, porque é nosso, pessoal, não algo externo. Mas aí depende de você se sentir a vontade com esse conceito.
  15. 1 point
    Hehehehehes, cara... Eu gostaria muito de poder fazer vocês pagarem suas línguas sobre a Aurora:V. Mas opnião segue sendo opnião né.
  16. 1 point
    Gente, eu ia escrever um looongo tópico pinçando coisas absurdas que andei lendo por aqui neste fórum, provenientes de um único membro, pelo que eu vi. Mas aí sabem como é, ia gerar um monte de discussão e ao invés de as pessoas serem alertadas, acabariam não lendo nada, porque a vibração de todo mundo discutindo seria muito desagradável exatamente para as pessoas que mais necessitam desse esclarecimento. O tiro sairia pela culatra e as harpias teriam um farto banquete. Então resolvi fazer diferente, só vou tentar levantar da batina do padre para mostrar o que tem embaixo, de modo que quem ler possa reconhecer um tipo de coisa a que eu me refiro em qualquer lugar, não só neste fórum, porque tem muita serpente solta no que a gente acha que é só um cesto de maçãs . Escolhi postar isso aqui exatamente porque o título do tópico é o que mais se aproxima do que eu vou falar, de modo que quem tem curiosidade nesses assuntos ao pesquisar vai parar por aqui e já vê o alerta. Vou falar de forma genérica: há o caminho da mão direita e o caminho da mão esquerda, tradicionalmente associados ao bem e ao mal. As coisas não são tão simples quando se trata de analisar as coisas em profundidade, mas quem quer profundidade que vá estudar como se pode caminhar sobre o fio da navalha sobre um abismo sem cair, porque aqui eu vou colocar as definições de forma mais geral. O caminho da mão direita busca uma união da individualidade com Deus, e qualquer que seja a definição que queiramos usar para Ele, seus atributos seriam oniconsciencia , onipresença, onitudo, ehehehh....traduzindo: uma consciência meio que coletiva, que abrange o todo, e que por isso mesmo pensa no todo, mais do que no indivíduo em si. E por isso que Jesus enfatiza que façamos ao outro o que queremos que nos façam, e que o Budismo afirma que mudamos o mundo mudando a nos mesmos primeiro, através da morte do ego. E o que é o ego, NESSE CONTEXTO? É a individualidade, a particularização da consciência divina num nível em que ela perde seus atributos ONI... fica desconectada do universal e vê apenas o individual. Assim, partindo da alegoria da criação do homem, em que este se separa da divindade, o objetivo do caminho da mão direita é o retorno do homem para o seio divino, ou seja, o retorno da consciência individualizada para e generalizada, ou , em outro termos, uma expansão do particular em direção ao geral. É por isso que todas as GRANDES religiões tentam levar o individuo a se preocupar mais com o bem geral do que com a satisfação de suas necessidade primárias. O objetivo é nos afastar do foco individual e no levar a ser/pensar/agir de acordo com o plano geral, o bem geral, pois o plano da criação é um todo, uma harmonia geral. Quem quer que coloque o individual na frente do geral está na contramão das forças evolutivas e tende a sofrer atrito com essas forças. Mas nem sempre foi assim, tudo tem um tempo, e quando o processo da criação estava em desenvolvimento, as ondas da vida se moviam no sentido do geral para o particular, ou seja, as ondas espirituais EVOLUTIVAS levavam a humanidade a DESCER em direção á matéria, porque era necessário obter um certo aprendizado a partir da individualização das consciências. Esse processo e representado pelo simbolismo da queda do homem do paraíso, ou seja, para que a humanidade pudesse conhecer o bem e o mal, era necessário descer afastar-se da situação paradisíaca, afastar-se da tutela de Deus, afastar-se da consciência divina e direcionar-se a consciência individual (Adão e Eva perceberam que estavam nus, perceberam a si mesmos, acordaram para a existência individual da consciência, mas agora precisariam experiência). Sendo assim, houve um tempo em que o caminho evolutivo legítimo era DESCENDENTE, e por isso Lúcifer significa Portador do Luz, e é identificado com o mito de prometeu, que roubou a chama dos deuses e as deu aos homens. Ou seja, a um determinado aspecto divino, uma forca, uma tendência, ou um processo, como queiram ver isso, foi dada a função de induzir ao processo de separação da divindade, para que a humanidade pudesse adquirir auto-consciência. Mas esse aspecto divino, essa força, essa tendência, esse processo é sempre o mesmo, ele atua levando a consciência do sujeito em direção oposta a da união com o Divino, leva a individualização, a particularização, ao desenvolvimento e reforço do ego, enfim. Nessas épocas bem antigas era comum as religiões terem ritos ligados a natureza, porque obviamente essas consciências ainda estavam focadas no processo EVOLUTIVO descendente, que naquela época era o mais correto a fazer. Então haviam cultos de fertilidade, para a lavoura, para os filhos, as forças da natureza eram idolatradas ou admiradas, o Sol, A Lua, muitos animais eram tido como sagrados, as sociedades eram meio que grandes colméias, de modo que a ninguém era permitido o pensamento individual, os poucos que pensavam por si eram segregados. Por isso ainda vemos certas culturas antigas valorizarem tanto a “tradição”. A tradição é a versão humana do que mantém as colméias e formigueiros funcionando bem. Mas a medida que o tempo passa, as mares evolutivas seguiram seu ciclo natural e começaram a fluir no sentido de retorno a divindade, e começaram a surgir novos caminhos espirituais para a humanidade, que são as religiões que atualmente compõem o quadro das GRANDES religiões. Todas elas enfatizam que o homem precisa eliminar esse apego ao mundo da matéria, ao ego, e se focar mais na universalidade, expandir a sua consciência ao máximo, o que além de todas as práticas místicas envolvidas, na vida prática significa parar de levar a vida pensando apenas na satisfação dos desejos/prazeres/necessidades do ego e pensar no bem coletivo. Esse é um caminho que todos compreendemos atualmente: como você pode ser um bom indivíduo se coloca a música alta incomodando seu vizinho? Se fizessem com você você detestaria. Como ser um bom chefe de família se você age como um leão, safando o seu e o resto da família que se dane? Como ser um bom cidadão se você larga lixo na rua, atravessa o sinal vermelho apenas porque tem pressa, etc? A lista continua, e todos entendemos a lógica disso. QUASE TODOS..... Porque existem ainda pessoas espiritualmente retardatárias, que não conseguem acompanhar o ritmo evolutivo do planeta, seja porque resistiram a evoluir, seja porque chegaram há pouco por aqui, seja porque passaram muitos séculos “de molho”, fora do circuito evolutivo, então agora, quando finalmente tiveram outra chance reencarnatória, não conseguem se alinhar ao momento atual, e estão ainda presos num nível de consciência atrasado, característica de uma época ainda na fase descendente, mas que agora é passado. Essas pessoas estão ainda muito focadas no ego, na individualidade exacerbada, mas a um nível que é o de atraso extremo. Pensem na psicologia da criança e a comparem com a psicologia do adulto; a criança quer tudo para si, não aceita um não, acha que o mundo tem que se adaptar aos seus desejos, vê qualquer regra como uma tortura insuportável, e sentem muita necessidade de liberar seus desejos. Isso é natural, as crianças estão chegando na parte física. Mas para se tornarem adultos equilibrados elas precisam aprender e internalizar a necessidade de reconhecer que ela não é o centro do mundo, o outro é tão importante quanto ela, o direito do outro necessita ser respeitado e protegido da mesma maneira que o dela. Mas alguns chegarão a fase adulta sem jamais atingir essa maturidade, que é apenas BÁSICA, necessária para que o sujeito seja não um mestre, não um iniciado, não um grande sujeito, mas apenas um cidadão psicologicamente saudável. Algumas pessoas não conseguem chegar nesse nível básico, e guardam certas mágoas contra o mundo a sociedade em geral, sentindo-se reprimidas, sufocadas por regras e leis e crenças. Elas hoje nada mais são do que crianças em corpos de adultos, mas no passado, todo esse desejo de satisfazer suas vontades sem controle pode tê-las levado a serem grandes reis, grandes conquistadores, porque, como eu disse antes, houve um tempo em que se fazia necessário o desenvolvimento desse individualismo exacerbado. Esse tempo passou... Então essas pessoas hoje se sentem meio que estranhas no ninho, e com razão....elas são mesmo. E sentindo-se assim, elas se tornam presas fáceis de seus colegas, que estão no mesmo nível evolutivo, o nível evolutivo de uma criança birrenta, mas são mais empreendedores, mais hábeis em se impor aos demais, porque mesmo entre crianças, há aquelas que apenas jogam bola com ao amigos, e aquelas que formam clubinhos para liderar as demais... Esses indivíduos mais espertinhos, embora em nada mais evoluídos que seus admiradores, costumam se reunir em torno de filosofias, partidos, doutrinas, que promovem o maior nível de individualização possível, aplicado as mais diferentes formas da cultura humana, usando como discurso básico tudo aquilo que prometa “liberação de dogmas”, de “regras sociais”, “regras comportamentais”, a somando a isso uma visão que promete ao ouvinte algum estado especial, algo SUPER, algo SUPRA, as chaves dos discursos tentam atingir aquelas ânsias interiores de seus ouvintes, ânsias essas que seus idealizadores conhecem muito bem, porque as possuem também. Eles prometem uma liberação de todas as “repressões”, todos os conceitos “escravizantes”, de tudo aquilo que cerceia a manifestação da vontade do indivíduo (eles não tem vontade sequer capaz de controlarem tranquilamente seus instintos mais básicos mas falam em Vontade usando letras maiúsculas, em Super-Homem, em Sonbre-humano. etc. É tudo hiperbólico, tudo exagerado, para compensar a pequenez que sentem, e com razão de sentirem... Esses indivíduos usam discursos apaixonantes, grandes promessas como se sempre estivessem a antever um horizonte promissor para eles e seus seguidores. Os que não concordam com eles são tachados de pessoas fracas, dominadas, passivas, sem vontade de viver, insípidas, alguém em cujo ser não corre o impulso da vida, porque vida, para eles, é apenas a satisfação dos desejos do ego. Que cada um aqui pense e responda por si: o que exige menos esforço PARA VOCÊ FAZER? Ao tomar um soco ou ser ofendido custa menos esforço revidar ou dar a outra face? Acho que isso encerra a questão de quem é “fraco passivo e insípido” e quem é o “forte ativo” não acham? Quem tem dúvidas é só testar na sua vida pessoal. Argumentar é fácil, mas execute e veja a diferença de força interior que cada uma dessas atitude exige de você, e descobrirá rapidinho quem é o forte, quem é o VERDADEIRO SUPER-HOMEM, onde está a VERDADEIRA VONTADE, A VERDADEIRA THELEMA, e quem é apenas a criança mimada com sonhos de grandeza. Falo isso porque tem muita gente que usa essas palavras de forma invertida. Não estou dizendo nada de novo, a história mostra que houve muitos Hitlers, mas apenas um Gandhi. Ter o poder de controlar multidões, poder de dominar a vontade alheia, poder material suficiente para ser reconhecido e admirado, é como ser rei do jardim da infância, apenas outras crianças muito, mas muito jovens mesmo, podem dar valor a isso. Quando Hitler estava começando a se destacar, uma jovem adolescente foi assisti-lo, e ao voltar os membros da família lhe perguntaram o que ela achou dele, e ela respondeu: “ É um bobão ridículo, ninguém nunca o levará sério.” Ela estava errada sobre Hitler? A meu ver não, mas ela devia estar errada sobre o nível evolutivo dos alemães daquela época. Mas tem gente que cai na conversa ainda hoje, e o nazismo é só o dedo minguinho desse besteirol. Então, me desculpem se me alongo, mas embora tudo isso seja óbvio para muita gente, há pessoas para quem isso não e tão óbvio, e que por aderirem a esse tipo de filosofia, (não me refiro ao nazismo, mas ao tipo de raciocínio que esta na base do nazismo, que não é o arianismo, é apenas EGUISMO DE GENTE RECALCADA), as vezes se infiltram em grupos e tentam atrair seguidores, misturando NUM MESMO DISCURSO coisas legais e reais com verdadeiras pegadinhas espirituais. Então, para tentar ser direto (acreditem passei horas escrevendo isto sei que é cansativo ler algo assim tão longo, mas é mais cansativo escreve-lo numa sentada só como estou fazendo, porque li algumas coisas aqui neste fórum e senti que não deveria deixar passar em branco), esse pessoal age assim: Eles se apresentam como detentores de um bom grau de conhecimento. Simular autoridade de conhecimento é essencial para eles. Começam se adaptando ao que se espera deles, ou seja, se este é um fórum de projeção astral e é disso que eles começarão a falar, e depois um papinho evolutivo, e umas técnicas esotéricas gerais, tudo para parecer que são do bem ,da luz, gente boazinha....mas vão começar a introduzir novos conceitos devagarzinho.... (bom, vejam que até aqui eu mesmo devo me encaixar nessa descrição, mas o problema é o sentido para onde esses novos conceitos apontarão). O que os denuncia é que eles apresentarão mais cedo ou mais tarde novos conceitos práticos e comportamentais que tem por objetivo destacar sempre o a dominação do indivíduo sobre o geral. Eles não irão se expor muito abertamente, vão pincelar umas coisinhas aqui e outras acolá, apenas para que aqueles “maduros o suficiente” procurem por mais, desta vez privadamente. Para isso eles precisam dizer, devagarinho, aos poucos, sempre intercalando com conhecimentos tradicionais e bem aceitos, para não chocar: “olha, temos que rever nossos conceitos, tentam nos dominar tentando contornar nossas escolhas, nossas ambições de vida, nossa atividade sexual, tentam nos transformar em carneirinhos, mas somos mais que isso, somos leões...quando o carneiro descobrir que é na verdade um leão, devorará seus adversários....despertemos o leão dentro de nós”. E todos aqueles que se sentem menosprezados na vida, com uma glória inferior aquela que julgam merecer, sentirão que tocaram as trombetas do céu, que finalmente alguém falou aquilo que eles “sabiam e sentiam” desde pequenos, e vão buscar mais na fonte de tamanha sabedoria.... Não estou citando ninguém, criei essa metáfora do carneiro e do leão apenas para que vocês peguem o “cheiro” do discurso e o reconheçam de longe, independente dos argumentos que usarem. Não tentem analisar argumento por argumento, porque é assim que eles enrolam o pessoal, misturando, no início, 10% de coisas perigosas com 90% de coisas corriqueiras. Tem que pegar o caráter geral da coisa: não importa o que eles falam, tudo no final sempre se resume a um único fio condutor, ou, como dizia Gandhi, “ há uma coerência que permeia todas as minhas incoerências”: Tudo que falam ,acreditam e defendem se resume a aumentar o poder do ego, eles crêem que o sentido da vida está em: - aumentar o poder material (dinheiro), -pessoal (dominar pessoas para benefício próprio), -sexual ( os caras viviam num bordel astral bissexual antes de reencarnarem, sentem-se reprimidos aqui, restritos pelo número de parceiros socialmente aceitável ou pelo gênero deles.) - mágico, que em geral será usado nos itens acima. Tudo isso amarrado num discurso de liberdade e em promessas de virar leão se seguirem por esse caminho. Mas claro, só quem vira leão, ( na verdade um simples gatinho do mato na melhor das hipóteses, e isso eu digo de cadeira) são os caras que vão devorar energeticamente esses sujeitos esperançosos de um dia virarem leões. Vejam que o próprio capitalismo é a pura aplicação desse princípio: um discurso sobre liberdade de opções (para GASTAR no que quisermos) e promessas de uma vida melhor como resultado de “escolhas livres”, mas quem enriquece mesmo é quem CONTROLA AS ESCOLHAS, POLARIZANDO O CONSUMO NESTES OU AQUELES PRODUTOS E NAS ÉPOCAS CERTAS. Essa filosofia geral que tentei esboçar aqui, para alertar a quem não conhece, é o que tradicionalmente se conhece por satanismo, com suas várias ramificações . As pessoas as vezes ficam muito desprevenidas achando que um satanista é alguém que vai querer arrancar seu fígado e come-lo cru, então quando não vem alguém pregando o mal abertamente acham que estão seguras. Quem prega o mal abertamente são apenas os loucos e criminosos. Não quero dizer que os satanistas escondem seus motivos, quero dizer que eles não ganham nada fazendo o mal puro e simples, o que eles fazem é escolher um caminho no qual o ego fica cada vez mais forte, e o resultado prático disso é que se tornam pessoas egoístas num grau extremo, portanto capazes de fazer o que acharem necessário para se darem bem. Então eles e seus seguidores podem achar que não estão fazendo nada de mais, pois não estão matando, roubando, nem torturando ninguém, MAS O FATO É QUE MESMO SEM FAZEREM ISTO NESTA VIDA, SE O FORTALECIMENTO DO EGO CONTINUA A SER USADO COMO CAMINHO, ESSAS SE TORNARÃO POSSIBILIDADES, NESTA OU NAS PRÓXIMAS VIDAS. Achei necessário esclarecer isso para alertar as pessoas que possam se deixar enamorar por esse tipo de filosofia. Você não precisa estar sacrificando virgens num altar para se afundar espiritualmente, basta adotar o egoísmo como filosofia de vida e aí é só descer a ladeira...antes de perceber o que está acontecendo com a sua vida já vai ter descido demais... Se você sente simpatia por esse tipo de filosofia, repense as coisas, porque só sente isso porque seu desejo egóico já é grande. Escolher um caminho que tornar seu ego ainda mais forte não eliminará seu desconforto com o mundo que o cerca, só vai aumenta-lo ainda mais, porque o ego é insaciável por natureza, é impossível aplacar sua sede. Pense nas pequenas coisas da vida e veja o que ocorre com as pessoas em suas diferentes escolhas: quem jejua, domina a fome, e ao invés de ter cada vez mais fome, tem cada vez menos, mas quem come a toda hora, mesmo que pouco de cada vez, não consegue ficar muito tempo sem comer que passa mal . Quem é promíscuo jamais aplaca o desejo de ter mais e mais parceiros ( a lógica de aproveitar tudo enquanto é solteiro e parar quando casar não funciona), quem trabalha apenas esperando acumular riquezas para curtir depois geralmente nunca para de acumular e morrer antes de chegar o momento de curtir. O caminho para a satisfação pessoal e felicidade nunca será a satisfação do ego, que é apenas uma criança gritona dentro de nós, ou dos instintos, ou dos desejos, mas o domínio deles, o silenciar da criança insaciável que constitui o ego. Sei que muita gente pode não entender o que me motivou a escrever isto, mas sei que as pessoas a quem este texto se destina entenderão a quem eu me dirijo , e não duvido que alguma dessas se sinta muito irritada comigo e ainda venha aqui tentar argumentar que eu estou tendo uma visão muito fechada. Normal e previsível, será uma reação natural da sua criança interior que sonha em ser leão um dia. Eu só me senti no DEVER de ALERTAR certas pessoas do presente, e deixar o alerta para as que podem vir a circular por aqui e se deixar levar por certos tópicos deste fórum.