• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 08/11/2019 in all areas

  1. 5 points
    Convém lembrar que esse tipo de experiência em geral é apenas captação das tensões astrais. Daí a elas se materializarem no físico é um mundo à parte. Meus primeiros sonhos com "planeta intruso" ameaçando por fim à vida na terra são de 1990, porque estando perto da virada do milênio essas fantasias apocalípticas sempre reaparecem na mente grupal e você acaba sintonizando com elas . Mas simplesmente isso AINDA não aconteceu apos 30 anos... Assim como o Saulo relatava experiências com pancadarias na época do impeachment e a Meire relatava algo ligado a hospitais.. acho que como uma turma aí estava tão pilhada pelo ódio que a mídia estimulou neles acabavam criando esses bolsões e quem estava sintonizado com eles acabava indo parar lá, ao se projetar: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17672-hospital-astral-sendo-construído-tensão-energética-de-mesmo-tamanho-da-ocorrida-nos-anos-3040/ Mas nada disso se materializou,como em geral é regra para esse tipo de experiência. Nós aqui no físico reprimimos muita coisa e depois "soltamos a franga" em astral, nos sonhos: tem orgias, guerras, torturas, fora as tsunamis, furacões, vulcões, asteróides, bomba nuclear .. mas nada disso chega aqui... como regra geral. Mas de vez em quando, de tanto errar, a gente acerta, eheheh. Essas atividades astrais coletivas costumam ser apenas catarses emocionais e mentais dos encarnados acontecendo no astral. São eventos reais lá, mas não chegam a descer para cá. PODEM chegar a descer? Claro. Se elas estão acontecendo no astral, é porque estão acontecendo dentro de nós, em vigília, o tempo todo. Mas para se materializarem é outro papo, tem que superar todos os freios do consciente, o que não é tão fácil. O que é perigoso quando o clima está assim é participar de atividades grupais, manifestações populares e tal, porque o grupo pensa e reage como um só ser, a individualidade da maioria das pessoas será sufocada quando em um grande grupo, e fatores mais inconscientes podem dominar a todos, gerando uma reação em cadeia que pode ser difícil para um indivíduo isolado resistir. Agora, vi uma postagem nas redes sociais esses dias que achei ótima para nos fazer botar os pés no chão: Aí lembrei que a expectativa média de quem nascia no início do século XX era 40 anos. Ou seja, essa geração aí praticamente SÓ VIVEU O APOCALIPSE. Quanto entraram na adolescência começou o inferno e muitos morreram sem ver o final dele. Muito triste isso. Mas essa "limpa" permitiu que a humanidade respirasse um clima um pouquinho mais pacífico pelas décadas seguintes. O que me preocupa um pouco é que, em geral, se uma pessoa não teve uma morte abrupta antes da hora ela vai passar desencarnada o tempo similar ao que passou encarnada. Então quem desencarnou em 1945 deve ter nascido de novo em 1990. Ou seja, podemos SUPOR que boa parte da geração que precisou passar por esses conflitos todos é a mesma que está agora encarnada como jovens adultos, o que pode explicar porque coisas tão bizarras como fascismo reapareceu. Não é idêntico claro, mas tem grupos que ressuscitaram o integralismo (o fascismo brasileiro) e tenho visto esquerdistas alegarem que Stálin foi injustiçado (hein????). A impressão que dá é que estamos presos num bolsão de espíritos dos anos 30, todos muito interessados em apagar os livros de história, e isso pode acabar atraindo a repetição de "experiências educativas" para a coletividade, como atraiu naquela época, já que tem um pessoal que não aprendeu. Esse lance de "regimes ditatoriais" ACHO que deve ser o mesmo caso daquelas fantasias apocalípticas de virada de milênio: De uns anos para cá os grupos que mais gostam de regimes ditatoriais começaram a requentar teorias conspiratórias antigas sobre uma "Nova Ordem Mundial ditatorial", algo que tem origem uns 10 anos antes da revolução francesa e que a cada poucas décadas reaparece com uma nova roupagem... e estão enchendo a cabeça das pessoas com isso, criando nelas o medo de algo que não tem um motivo mundial nenhum para acontecer, porque ditaduras são sempre fenômenos locais, fruto de interesses das elites nacionais. O uso dessa estratégia manipuladora decolou com a pandemia, mas em geral qualquer assunto será usado como desculpa para criar paranóias em quem costuma alimentar seus medos infundados . É verdade que de uns 10 anos para cá, ou mais, todos passamos a incorporar um novo hábito que é vigiar se não há potinhos com água parada, desde que a dengue chegou ao Brasil, mas isso não é um "plano maligno para controlar a humanidade", é apenas estratégia adequada para um problema que não desapareceu, simples assim. É como tomar banho, escovar os dentes, lavar as mãos apos usar o banheiro, apenas estratégias incorporadas às nossas rotinas pelo simples fato que se mostraram efetivas em controlar certos problemas que antes afligiam a humanidade, e não porque "algum grupo sinistro decidiu impôr essas regras , tirando nossa liberdade de não segui-las". Certamente essa crise expõe as falhas da administração pública de crises, nos diversos estados nacionais, e muita coisa precisará ser APERFEIÇOADA, para que não sejamos pegos de surpresa outra vez .E isso é ótimo, mas deve ter milhares de pessoas no Brasil, milhões no mundo ,que acreditam nas teorias conspiratórias que criam uma fantasia futurista negativa sobre tudo isso, e isso alimenta o medo do futuro. Essas fantasias coletivas, regadas a medo, vão acabar aparecendo no astral também, tal como as cenas apocalípticas ou de desastres naturais, porque são idéias potencializadas pelas emoções inferiores (o medo que instiga quem acredita nisso)
  2. 5 points
    Olá pessoal, Pensei em criar esse post aqui para divulgar uma ideia que tive há algum tempo: a ideia de fazer algumas análises de mapa astral gratuitas, para quem tiver interesse. Seria como uma troca mútua de aprendizado, em que enquanto eu transmito o que eu vejo, a pessoa me dá seu feedback sobre a consulta (dizendo se as coisas que foram ditas fazem sentido, relatando suas experiências). Então se você tiver interesse, me mande uma mensagem por aqui, pelo GVA mesmo, com data de nascimento, local e hora. 🙂 Os minutos também são importantes. A ideia de fazer isso surgiu porque essa metodologia de astrologia que eu tô estudando é bastante dificil de se encontrar materiais de exemplo, por ser ainda meio desconhecida. Então eu pensei que praticar com pessoas reais seria um bom modo de ver o quanto estou sabendo - se estou bem, ou se ainda preciso aprender mais. Sem falar que algumas coisas só se aprende com a prática. Para se ter uma ideia essa metodologia é tão desconhecida que nem se tem registro de pessoas estudando ela no Brasil, ainda. O conteúdo dos livros e de todo o material disponivel online é inteiro em inglês. Mas o idioma nem é a maior dificuldade, porque eu entendo inglês, a dificuldade maior é mesmo encontrar material disponível de pessoas usando exemplos de mapa, para os novatos se localizarem. O único lugar que os interessados em estudar podem tirar as dúvidas sobre as coisas que leem nos livros é em um fórum online. Esse modo de interpretação é um pouco diferente da astrologia tradicional, e se foca exclusivamente em entender o propósito evolutivo do espírito e da encarnação atual. A pessoa consegue ter uma ideia sobre quais seriam suas tendências inconscientes profundas, "enraizadas" que motivaram a criação da encarnação atual (a família que nasceu e os acontecimentos da primeira infância, princiaplmente) e principalmente o que pode ser feito no agora, conscientemente, para que a pessoa esteja melhor alinhada com o propósito evolutivo. O mapa como um todo é analisado (incluindo todos os planetas e asteroides) sob esse ponto de vista, por isso alguns pontos são interpretados de maneira quase completamente diferente da interpretação popular, da astrologia tradicional.
  3. 5 points
    10 coisas “espirituais” que as pessoas fazem e são uma total besteira Ninguém nunca me disse que a espiritualidade poderia ser uma armadilha de autossabotagem do ego. Eu passei três anos lendo sobre ensinamentos espirituais e os incorporando em minha vida, antes de aprender que a espiritualidade tem um lado sombrio. Naturalmente, fiquei surpreso. Eu me senti meio traído. Como algo que parece ser tão puro pode ser prejudicial? A resposta tem a ver com algo que os psicólogos chamam de escape espiritual. No começo da década de 1980, o psicólogo John Welwood cunhou o termo “escape espiritual” para se referir ao uso de práticas espirituais e crenças para evitar o confronto com sentimentos desconfortáveis, feridas não resolvidas e necessidades emocionais e psicológicas fundamentais. De acordo com o psicoterapeuta Robert Augustus Master, o escape espiritual faz nós nos retirarmos de nós mesmos e de outros, a nos esconder atrás de um tipo de máscara espiritual de crenças e práticas metafísicas. Ele diz: “Não apenas nos distancia da nossa dor e nossos problemas pessoais, mas também da nossa própria espiritualidade autêntica, nos prendendo em um limbo metafísico, uma zona de gentileza exagerada, bondade e superficialidade”. Percepções dolorosas: meu próprio escape espiritual No livro inovador de Robert Augustus Masters, “Spiritual Bypassing: When Spirituality Disconnects Us From What Really Matters”, ele escreve: "Os aspectos do escape espiritual incluem desapego exagerado, anestesia emocional e repressão, excesso de ênfase no positivo, raivafobia, cegueira ou compaixão tolerante demais, limites fracos ou muito pobres, desenvolvimento desequilibrado (a inteligência cognitiva geralmente está bem à frente da inteligência emocional e moral), julgamento prejudicado sobre a negatividade ou o lado sombrio de alguém, desvalorização do pessoal em relação ao espiritual e a ilusão de ter alcançado um nível mais alto de ser." Eu encontrei o conceito de escape espiritual pela primeira vez no trabalho de Masters. Embora eu estivesse relutante em admitir, eu imediatamente soube que, em algum nível, este conceito se aplicava a mim. Conforme continuei refletindo sobre o escape espiritual, eu percebi cada vez mais aspectos inconscientes da espiritualidade, e percebi que eu estava, sem saber, colocando em prática vários deles em determinados momentos. Embora dolorosas, essas foram algumas das percepções mais importantes que eu já tive. Elas me ajudaram a parar de usar uma forma distorcida de “espiritualidade” como um levantador de ego e a começar e ter mais responsabilidade para direcionar minhas necessidades psicológicas e os problemas que surgem na minha vida. Coisas “espirituais’ que as pessoas fazem e sabotam seu crescimento A melhor maneira de entender o escape espiritual é através de exemplos, então agora é hora de um pouco de “amor bruto”. Eu irei descrever em detalhes dez tendências inconscientes específicas de pessoas espirituais. Cuidado: algumas delas podem parecer muito familiares. Lembre-se: Você não precisa ter vergonha de admitir que alguns itens desta lista se aplicam a você. Eu suspeito que alguns deles se aplicam a todos que já tiveram interesse em espiritualidade. A maioria deles se aplicava a mim em determinado momento e, em alguns deles, eu ainda estou progredindo. O objetivo aqui não é julgar, mas aumentar a autoconsciência para progredir em direção a uma espiritualidade mais honesta, capacitada e útil. Vamos lá. 1. Participar de atividades “espirituais” para se sentir superior a outras pessoas. Provavelmente este é o aspecto inconsciente mais universal da espiritualidade, que assume várias formas. Algumas pessoas se sentem superiores porque leem Alan Watts. Ou vão para o trabalho de bicicleta. Ou abstêm-se de assistir TV. Ou consomem uma dieta vegetariana. Ou usam cristais. Ou visitam templos. Ou praticam yoga ou meditação. Ou usam drogas psicodélicas. Perceba que eu não estou dizendo nada sobre o valor de participar destas atividades. Eu adoro Alan Watts e acho que a meditação é bastante benéfica. O que estou dizendo é que é perigosamente fácil permitir que suas ideias e práticas espirituais se tornem uma armadilha do ego – acreditar que você é tão melhor e mais iluminado do que todo aquele “povo-gado”, porque você está fazendo todas essas coisas radicais. Em última análise, esse tipo de atitude em direção à “espiritualidade” não é melhor que acreditar que você é melhor que todo mundo porque você é um Democrata ou um fã dos Lakers. Essa disfunção, na verdade, inibe a espiritualidade genuína, fazendo nos focar em ser melhor que outras pessoas, ao invés de cultivar um senso de conexão com o cosmos, sentindo uma maravilha poética com a sublime grandeza da existência. 2. Usar “espiritualidade” como justificativa para o fracasso ao assumir a responsabilidade dos seus atos. A essência deste ponto é que é muito fácil distorcer certos mantras ou ideias espirituais em justificativas para ser irresponsável e não confiável. “É o que é.” ou “O universo já é perfeito.” ou “Tudo acontece por uma razão.” Tudo pode funcionar como excelentes justificativas para não fazer nada e nunca realmente examinar o comportamento de alguém. Não estou comentando se as afirmações acima são verdadeiras ou não. Só estou dizendo que, se você se atrasa constantemente para compromissos, se frequentemente negligencia seus relacionamentos pessoais, se seus colegas de quarto não podem contar com você para pagar o aluguel, talvez você deva parar de dizer a si mesmo: “Tudo bem, cara, a realidade é uma ilusão mesmo”. E começar a se tornar alguém com quem outras pessoas possam contar. Em uma via similar, é surpreendentemente fácil enganar a si mesmo ao pensar que toda vez que alguém tem um problema com o seu comportamento, é porque essa pessoa “não honra a minha verdade” ou “precisa crescer espiritualmente”. É muito mais difícil de reconhecer os momentos nos quais agimos brutalmente, egoisticamente ou irrefletidamente e causamos sofrimento a outra pessoa. É muito mais difícil admitir que estamos muito longe da perfeição e que o crescimento e o aprendizado são processos que nunca acabam. 3. Adotar novos hobbies, interesses e crenças simplesmente porque são a última mania “espiritual”. Seres humanos querem se encaixar em algum lugar. Nós temos profunda necessidade de sentir que fazemos parte de algo. E formamos grupos de todos os tipos para satisfazer esta necessidade. Espiritualidade é uma área de interesse onde as pessoas formam todos os tipos de grupos. Potencialmente, isso é ótimo, mas também tem um aspecto inconsciente. Para muitas pessoas, “espiritualidade” é um pouco mais do que uma coisa hippie que muitas pessoas parecem se importar. Essas pessoas têm a ideia de que querem entrar nesse movimento espiritual, então começam a praticar yoga, usar artigos da Nova Era, ir a festivais de música, beber ayahuasca, etc, e dizem para si mesmos que essas coisas os fazem “espirituais”. Esses “encenadores espirituais” atenuam a importância do aprofundamento espiritual genuíno, da contemplação, da experiência e da percepção. Eles também, na minha experiência, tendem a ser pessoas “espirituais” que usam a “espiritualidade” como motivo para se sentirem superiores aos outros. 4. Julgar outras pessoas por expressar raiva ou outras emoções fortes, mesmo quando necessário. Este foi um dos primeiros padrões que eu percebi em mim após ser apresentado ao escape espiritual. Eu percebi que quando pessoas ficavam chateadas ou bravas comigo, minha reação era dizer coisas como: “Ficar nervoso não resolve nada” ou “Eu acho que poderíamos ter menos problemas se pudermos permanecer calmos”. Internamente, eu silenciosamente julgaria a outra pessoa, pensando: “Se ela fosse mais iluminada, poderíamos evitar esse drama”. Em muitas situações, essa era a minha maneira de evitar problemas profundos que precisavam ser direcionados. Quando você se interessa pela espiritualidade, uma das primeiras citações que você encontra provavelmente é: “guardar a raiva é como segurar um carvão em brasa com a intenção de atirá-lo em alguém; é você que acaba se queimando.” Esta citação é comumente atribuída de forma errônea à Buda, embora na verdade seja uma interpretação de uma declaração feita por Budagosa no século V. O ponto sutil desta citação é que nós não devemos guardar a raiva; nós devemos senti-la, expressá-la se necessário, e então deixá-la para trás. Porém, é muito comum para um leigo assumir que isso significa que raiva, em qualquer forma, é um sinal de que a pessoa não é sábia nem espiritual. Isso não é verdade. A raiva é uma emoção humana natural e uma reação perfeitamente justificada em várias situações. Com frequência, a raiva é um indicador de que há sérios problemas que precisam ser ponderados por alguém ou seus relacionamentos. Ironicamente, muitas pessoas espirituais reprimem todas as emoções “não-espirituais” e artificialmente elevam emoções/traços “espirituais” como compaixão, bondade e equanimidade. Isso leva à falsidade. A pessoa tem dificuldades de constantemente se apresentar como calma, gentil, legal e em um estado de paz perpétua, e acaba parecendo como uma fraude. 5. Usar “espiritualidade” como justificativa para uso excessivo de drogas. Muitas pessoas, inclusive eu, acreditam que drogas psicodélicas podem causar experiências místicas e elevar a espiritualidade. Até aí tudo bem, mas algumas pessoas levam essa percepção longe demais, usando-a como uma forma de racionalizar padrões autodestrutivos de uso de drogas e para cegar a si mesmas para o lado sombrio de várias substâncias. Nos casos mais extremos, pessoas “espirituais” acabam “realizando cerimônias de cannabis” durante todo o seu período acordado; usando drogas psicodélicas com muita frequência ou em contextos inapropriados; e negando completamente que estas substâncias têm qualquer efeito negativo. Agora, a HighExistence tende a ser pró-psicodélicos, mas deixe-me ser direto com você: drogas psicodélicas, incluindo cannabis, definitivamente possuem um lado sombrio. Se você é irresponsável ou simplesmente sem sorte, drogas psicodélicas mais fortes como LSD ou cogumelos de psilocibina podem ocasionar experiências traumáticas com ramificações negativas de longo prazo. E cannabis, uma droga psicodélica leve, é uma formadora de hábitos de uso de drogas sedutora, que sutilmente deixará sua mente nebulosa e corroerá sua motivação, caso consuma muito ou com muita frequência. Respeite as substâncias e use-as com sabedoria. 6. Enfatizar demais a “positividade” para evitar olhar para os problemas em suas vidas e no mundo. “Apenas seja positivo!” é frequentemente empregado como um mecanismo de desvio pelas pessoas “espirituais”, que preferem não fazer o trabalho difícil de confrontar seus problemas internos, feridas e bagagem, sem falar dos problemas do mundo. O movimento de “positividade” explodiu na cultura ocidental nos últimos anos. A Internet está transbordando de memes e artigos aparentemente infinitos, repetindo as mesmas mensagens vazias: “Pense coisas positivas!” “Apenas seja positivo!” “Não se concentre no negativo!” Embora certamente haja valor em cultivar a gratidão pelas várias maravilhas da experiência humana, esse movimento parece negligenciar algo crítico: os aspectos mais obscuros da vida não desaparecem simplesmente porque são ignorados. Na verdade, muitos problemas em nossas vidas particulares e na escala global parecem apenas piorar ou ficar ainda mais complexos quando são ignorados. Da mesma forma que pareceria absurdo dizer a um viciado em heroína a frase “apenas pense positivo!” como uma solução para o seu problema, é absurdo acreditar que pensamento positivo oferece algum tipo de solução para grandes problemas globais como mudança climática, pobreza, agricultura industrial e riscos existenciais. Isso não quer dizer que devemos carregar os problemas do mundo em nossos ombros e nos sentir mal sobre eles o tempo todo. É saudável reconhecer e se sentir otimista sobre o fato de que de várias maneiras importantes, o mundo está melhorando. Porém, precisamos equilibrar esse otimismo com a disposição de confrontar problemas reais em nossas vidas particulares, nossas comunidades, nosso mundo. 7. Reprimir emoções desagradáveis que não se encaixam na narrativa “espiritual”. “Sem chance, é impossível que eu fique deprimido, ou solitário, ou com medo, ou ansioso. Eu amo a vida demais e sou muito [Zen / sábio / iluminado] para permitir que isso aconteça.” Leia: 10 coisas que os profissionais felizes fazem antes das 10h Eu me deparei com esse problema quando me mudei para a Coreia do Sul para ser um professor de inglês durante um ano. Eu pensei que tinha cultivado uma tranquilidade imperturbável, uma capacidade de Lao Tzu para apenas “seguir o fluxo” e flutuar, como uma boia, em cima das idas e vindas das ondas do destino. Então eu vivenciei choque cultural, solidão arrebatadora e uma aguda saudade de casa, e tive que admitir para mim mesmo que, no final das contas, eu não era um tipo de Mestre Zen. Ou ainda, eu tive que perceber que a capacidade de “seguir o fluxo” e aceitar que o que está acontecendo é eternamente valiosa, mas que às vezes isso significará aceitar que você se sente como uma pilha de m*******. É fácil iludir-se e acreditar que a espiritualidade irá fazê-lo se sentir nas nuvens, mas na prática, não é assim que funciona. A vida ainda é cheia de sofrimentos e, para realmente crescer e aprender com nossas experiências, precisamos ser honestos com nós mesmos sobre o que estamos sentindo e deixar que isso aconteça totalmente. No meu caso, meu desejo de ser sempre “Zen”, de “seguir o fluxo” e de projetar uma imagem de paz interior para mim e para outros me impediu de ver a verdade sobre várias situações/experiências e de assumir a responsabilidade para lidar com elas. 8. Sentir profunda aversão e auto-aversão quando confrontado com seu lado sombrio. Eu percebi isso em mim muito rápido, após aprender sobre escape espiritual. Eu vi que minha imagem narcisista de mim mesmo como uma pessoa sábia, que alcançou realizações “mais altas”, estava causando uma quantidade ridícula de dissonância cognitiva. Eu me julguei com sabedoria e senti uma colossal e esmagadora culpa por decisões menos do que virtuosas. Quando você se interessa pela espiritualidade, é fácil idolatrar pessoas como Buda ou Dalai Lama e acreditar que essas pessoas são seres humanos perfeitos que sempre agem com total consciência e compaixão. Na verdade, isso certamente não é o caso. Mesmo que seja verdade que alguns humanos atingem um nível de percepção em que fazem a “ação correta” em todas as circunstâncias, precisamos reconhecer que tal coisa é reservada para poucos. Pessoalmente, eu suspeito que isso não existe. Na verdade, todos somos humanos falhos e todos vamos cometer erros. O jogo está contra nós. É praticamente impossível viver até mesmo algumas semanas de vida humana adulta sem cometer alguns erros, muito menos os menores. Ao longo dos anos, haverá grandes erros. Acontece com todos nós, e não tem problema. Perdoe-se. Tudo o que você pode fazer é aprender com seus erros e se esforçar para fazer melhor no futuro. Paradoxalmente, a lição aparentemente espiritual de auto-perdão pode ser especialmente difícil de internalizar para pessoas interessadas em espiritualidade. Os ensinamentos espirituais podem deixar uma pessoa com ideais estratosfericamente altos, que resultam em uma culpa imensa e uma aversão a si mesmo quando não é capaz de corresponder a eles. Esta é uma das principais razões pelas quais é tão comum que as pessoas espirituais desviem a responsabilidade – porque ser honesto sobre suas falhas seria muito doloroso. Ironicamente, devemos ser honestos com nós mesmos com relação aos nossos erros, a fim de aprender com eles, crescer e nos tornamos versões mais autoconscientes e compassivas de nós mesmos. Lembre-se: Você é somente um ser humano. Tudo bem cometer erros. Sério, está tudo bem. Mas admita para si mesmo quando cometer um erro e aprenda com ele. 9. Encontrar-se em situações ruins devido à excessiva tolerância e uma recusa a distinguir pessoas. Este sou eu, 100%. Durante muito tempo, levei muito a sério a ideia de que todo ser humano merece compaixão e bondade. Eu não discordo dessa ideia hoje em dia, mas percebi que existem inúmeras situações em que outras considerações devem temporariamente anular meu desejo de tratar todos os outros seres humanos com compaixão. Em vários países, eu me encontrei em situações de risco de morte porque confiava demais nas pessoas, eu não sabia ou era gentil com pessoas que eu deveria ter reconhecido suas características obscuras. Por sorte, eu nunca me machuquei nessas situações, mas eu já fui roubado e enganado várias vezes. Em todos os casos, eu queria acreditar que as pessoas com quem eu estava interagindo eram “boas” pessoas de coração e me tratariam bem se eu assim o fizesse. Essa linha de pensamento era terrivelmente ingênua, e eu ainda estou tentando me recondicionar para entender que em certos contextos, ser bonzinho não é a resposta. O fato triste é que, embora você possa estar isolado disso, a luta pela sobrevivência ainda é muito real para um grande número de pessoas neste planeta. Muitas pessoas cresceram na pobreza, cercadas por crime, e aprenderam que a única maneira de sobreviver é se aproveitando da fraqueza. A maioria das pessoas em todo o mundo parece não ter essa mentalidade, mas se você se encontra em uma cidade ou país em que a pobreza é bastante presente, você deve tomar certas precauções, coisas básicas, como: Não ande em nenhum lugar sozinho após escurecer; Tente ficar longe de áreas abandonadas; Não pare para interagir com pessoas que tentam vender coisas para você; Faça distinções entre pessoas; deixe-se saber que não há problema em confiar no mecanismo de correspondência de padrões altamente evoluído do seu cérebro, quando ele diz que alguém parece drogado, perturbado, desesperado ou perigoso. 10. Querer tanto que várias práticas “espirituais” estejam corretas ao ponto de ignorar completamente a ciência. Há uma linha bastante anti-científica em uma grande parte da comunidade espiritual, e eu acho isso uma vergonha. Me parece que muitas pessoas espirituais se tornam hostis em relação à ciência, porque certas crenças e práticas que consideram valiosas são consideradas não comprovadas ou pseudocientíficas dentro da comunidade científica. Se uma crença ou prática não é comprovada ou considerada pseudocientífica, isso significa apenas que ainda não conseguimos confirmar sua validade através de experimentos repetitivos em um laboratório. Não significa que não é verdade ou que não é valioso. O método científico é uma das melhores ferramentas que temos para entender a mecânica do universo observável; nos permitiu descobrir a verdade profunda da evolução biológica, observar os confins do espaço, prolongar a nossa vida por décadas e caminhar na lua, entre outras coisas. Descartá-lo totalmente é perder uma das nossas lentes mais poderosas para entender a realidade. Como Carl Sagan memoravelmente colocou: "A ciência não é apenas compatível com a espiritualidade; é uma fonte profunda de espiritualidade. Quando reconhecemos nosso lugar em uma imensidade de anos-luz e na passagem dos tempos, quando percebemos a complexidade, a beleza e a sutileza da vida, então esse sentimento crescente, essa sensação de exaltação e humildade combinada, é certamente espiritual." “Assim como nossas emoções na presença de uma grande arte, música ou literatura, ou de atos exemplares de coragem altruísta, como os de Mohandas Gandhi ou Martin Luther King Jr.” “A noção de que a ciência e a espiritualidade são, de algum modo, mutuamente exclusivas, é um desserviço para ambas.” Bônus: Deixar de lado o sucesso material por causa da crença de que dinheiro e capitalismo são malvados. Muitas pessoas “espirituais” sabotam suas próprias capacidades de serem bem-sucedidas materialmente. Isso porque elas parecem ser alérgicas à riqueza, associando dinheiro com ganância, impureza e malevolência generalizada. O capitalismo é visto como uma engrenagem de desigualdade e corrupção que deve ser desmantelada. Eu costumava ter uma versão desta visão, então eu percebi o quanto ela é sedutora. Se você é atraído pela espiritualidade, é natural desprezar o “materialismo”. Porém, na verdade, esta narrativa é muito simplista. A verdade sobre o capitalismo é complexa. Sim, o capitalismo tem algumas desvantagens muito reais, mas, em muitos aspectos, o capitalismo tem sido uma força tremenda para o bem, estimulando a inovação maciça e tirando bilhões de pessoas da pobreza globalmente. Em 1820, 94% das pessoas na Terra viviam na extrema pobreza. Em 2015, este número caiu para meros 9,6%, muito graças ao crescimento econômico catalisado pelo capitalismo. Além disso, deixe-me ser direto com você novamente: não há nada de errado ao querer ganhar dinheiro. O dinheiro é uma ferramenta incrível. Bilionários como Elon Musk e Bill Gates, que estão usando suas riquezas para ajudar o mundo de importantes maneiras, provam que o dinheiro pode ser usado para o bem ou para o mal. Considere também os 139 bilionários e centenas de milionários que se comprometeram a doar um total de 732 bilhões de dólares para causas de caridade em suas vidas. Na verdade, precisamos de pessoas mais compassivas para obter riqueza substancial, para que possam usá-la de forma eficaz e altruísta para melhorar o mundo. Para esclarecer, eu sou a favor de regular/aperfeiçoar o capitalismo para fazê-lo funcionar para todos do planeta. Por exemplo, eu acho que precisam haver regulações para proteger o meio ambiente, para prevenir abusos como grupos de interesse e captura regulatória. Principalmente, sou a favor de um sistema econômico que incentive a inovação e o empreendedorismo, ao mesmo tempo que seja sustentável e atenda às necessidades básicas de todos. Não tenho a certeza da melhor maneira de atingir esses objetivos elevados, mas nossas formas atuais de capitalismo estão fazendo um trabalho melhor do que muitas pessoas parecem pensar, dada a imensidão do desafio. Eu sou totalmente a favor de um trabalho metódico e baseado em dados para aperfeiçoar e melhorar nossos sistemas econômicos, mas vamos ter certeza de perceber e reconhecer todas as coisas que o capitalismo realmente faz antes de descartá-lo. Todos estamos aprendendo… Eu acho que, para que os vários movimentos espirituais globais interligados sejam maximamente impactantes e úteis, eles precisam abordar seus aspectos inconscientes. Neste ensaio, tentei iluminar alguns dos pontos cegos que parecem prevalecer na comunidade espiritual. Como eu disse, a maioria dos itens que discuti serviram para mim em um ponto ou outro. É decididamente fácil cair em algumas das armadilhas da espiritualidade e abrigar várias crenças e comportamentos limitantes, ao mesmo tempo em que se sente como se alcançasse um nível “mais alto” de ser. A lição aqui é que o crescimento e o aprendizado são processos intermináveis. Se você acha que não tem mais nada para aprender, provavelmente está se sabotando de várias maneiras. Pode ser profundamente difícil admitir que por um longo tempo a pessoa estava errada ou mal orientada, mas a alternativa é muito pior. A alternativa é uma espécie de morte espiritual e intelectual – um estado de estagnação perpétua em que a pessoa se ilude sem parar, pensando que tem todas as respostas, que alcançou a Forma Final. Em um mundo que muda rapidamente, a aprendizagem contínua é de suma importância. No máximo, a espiritualidade é uma força que pode ajudar a humanidade a perceber nossa identidade comum como seres conscientes, ganhar consciência ecológica, sentir-se conectado ao nosso cosmos e abordar as questões mais prementes do nosso tempo com compaixão, engenhosidade, equanimidade e o que Einstein chamou uma “santa curiosidade”. No máximo, a espiritualidade é uma força que nos impulsiona a um futuro mais harmonioso, cooperativo e sustentável. Um brinde ao refinamento da nossa espiritualidade coletiva e co-criação de um mundo mais bonito. Fonte: https://awebic.com/espirito/praticas-espirituais/
  4. 4 points
    Algo que venho observando bastante nesses últimos anos é a quantia descomunal de injustiças presente neste mundo. Por exemplo, alguns nascem com corpos e mentes "perfeitos", outros são deficientes totalmente incapazes; alguns nascem em condição econômica totalmente favorável e passam a vida fazendo viagens pelo mundo, se divertindo, e fazendo o que gostam, enquanto outros tem um salário de 10 dólares por mês, vivendo vidas miseráveis em quase todos quesitos, lutando bravamente apenas para poderem sobreviver. O pior de tudo isso é que ninguém parece ligar... Mesmo o materialista acreditando que não existe o karma, e que o plano físico é tudo o que há, ele não está nem ai para as desigualdades óbvias. Para ele tudo o que importa é a satisfação própria e ponto. Acho que se os materialistas realmente ligassem eles deixariam de ser materialistas. Uma pessoa mais sensível teria que concluir que, sendo o mundo detestável da forma que ele é, então um Deus criador não deve existir, ou se existir ele deve ser um ser mau e sádico para ter criado o mundo dessa forma. Acreditar na primeira opção gera hedonismo, que é o pensamento de que você deve aproveitar todos prazeres da vida, esquecendo completamente da moralidade, caso você tenha meios para isso, e se não tiver meios, suicídio é a melhor opção, e acreditar na segunda opção te faz viver em medo eterno. Logo, para uma pessoa sensível e consciente só restaria acreditar numa terceira opção, que é a de que esse mundo não é a única realidade, e que se o mundo é da forma que é hoje, cheio de sofrimentos, desigualdade e injustiças, isso acontece porque certas pessoas nascem nesse mundo com mais ou menos mérito de vidas passadas. Se a realidade for mesmo o que os materialistas dizem ser, então tudo isso não passa de um grande inferno. Isso foi o que conclui após ler ontem um post no reddit de um Venezuelano relatando a situação dificílima de vida que ele levava, algo que me tocou bastante, e ver que o post dele tinha poucos upvotes, e ao me lembrar que posts nesse mesmo site envolvendo coisas fúteis como "placas de videos para video game, memes, brincadeiras/brinquedos sexuais e os carambas" recebem bem mais atenção e upvotes. Essa não foi a primeira vez que observo isso. Antes eu tolerava esse tipo de coisa, mas agora é óbvio para mim que o pessoal desse site não tem consciência alguma, que são um bando de hedonistas interessados apenas em glorificar seus falsos deuses da tecnologia/sexo e esquecendo completamente da própria humanidade. "Tá, mas e daí, é apenas um site", não, não é apenas um site, são quase todos eles, e esses sites representam a mentalidade coletiva dessa geração que é pura inconsciência e hedonismo tentando se passar por "sabedoria racional e ateísta de ponta da nova geração do Sec 21". Estou de saco cheio já. Para mim, o Reddit, a internet e toda essa nova geração já não tem mais credibilidade nenhuma.
  5. 4 points
    Amigos, venho deixar meu relato aqui registrado, para crescimento de todos. Dia tranquilo em casa, eu e minha adorável companheira no sofá, era tardizinha, umas 14h da tarde aproximadamente, deitei na posição decúbito dorsal, sentido leste-oeste, coloquei meus pés no colo dela, ela sentada se pós a fazer as unhas dos meus pés, temos este costume, com meu travesseiro sob minha cabeça, adormeci e depois de algum tempo de sono despertei, abri meus olhos normalmente, sentindo todo o meu corpo normalmente, então observando minha mulher fazendo minhas unhas eu a chamei "....amor!" a primeira tentativa de chamar por ela, nada dela me dar atenção, chamei novamente: "..amooorrr" e nada, situação estranha eu pensei comigo, foi quando eu me pus a gritar pelo nome dela, chama-la, dar pesadas nela, gritando e esperneando e ela me ignorando completamente, neste instante me veio o pensamento de que eu havia falecido, tentei tomar o controle da situação e mentalizei mexer devagar a ponta dos meus pés, após isso instantaneamente, me ergui com o corpo físico, olhei para minha mulher, ela olhou para mim e eu perguntei para ela: "...ei você não estava me ouvindo te chamar não? " ela respondeu que não, disse que a única coisa que eu estava fazendo era mexer muito as pernas atrapalhando ela de fazer minhas unhas, relatei todo o ocorrido para ela como de costume, ela me disse que havia olhado para mim e meu corpo dormia profundamente com os olhos fechados. Interessante desta experiencia é que eu estava com meus olhos abertos, vendo tudo ao meu redor, senti minha boca se abrindo e o som saindo dela normalmente, estava ali todo tempo observando com clareza e nitidez minha mulher fazendo minhas unhas, foi uma experiencia muito gratificante e ao mesmo tempo reveladora e aterrorizante, deu para perceber como deve ser a morte física, um desespero total quando ela vem prematuramente e de forma brusca, tentar falar com nossos amados e não conseguir nenhum tipo de comunicação. Acredito que eu tenha tido mais uma projeção astral em real time do que uma catalepsia projetiva, porém eu fiquei ali deitado achando que estava no corpo físico e ao pensar nos pés, na ponta dos pés eu me encaixei e voltei de fato ao corpo físico. Quero muito tentar repetir novamente este fenômeno maravilhoso que é a projeção em real time, vou esperar minhas unhas crescerem novamente rs
  6. 4 points
    E olha... é um processo mundial em grande escala, como eu citei lá no link anterior, que leva ao post sobre hospital astral. Melhor ficarem ligados como esses manipuladores agem, para não caírem vítimas deles. Vou deixar aqui um pdf de um livro muito esclarecedor, escrito por um autor estrangeiro, em 2018. Ele não fala nada do Brasil, mas ainda assim descreve perfeitamente o que rola por aqui porque é o mesma estratégia aplicada em diversos países. Exatamente por isso é bom conhecerem as características dessa maré, para não nadarem na direção errada por falta de consciência Jason Stanley, Bruno Alexander (Translator) - Como Funciona O Fascismo-L&PM (2019).pdf
  7. 4 points
    Segundo a gnose existe sim. A questão é que todo universo se origina da Fonte, do Absoluto, e as coisas vão se dividindo à medida que se afastam da fonte. Então quando mais afastados da fonte, mais a mecanicidade domina, mais leis regem o plano em que vivemos, e mais sujeitos estamos a algum grau de entropia, de caos. Então há margem para acidentes também, não é tudo 100% sob controle.
  8. 4 points
    Eu não consigo evitar de ser otimista em relação às mudanças que o mundo pode ter depois que isso passar. Ach o que estamos vendo muita gente percebendo a interdependência doa seres humanos e que aquilo que afeta os outros mais cedo ou mais tarde te afetara também. Desde pequenos gestos, como estes: https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2020/04/08/menino-de-11-anos-vende-latinhas-e-doa-dinheiro-para-hospital-em-antonio-prado.ghtml https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/04/02/microempresario-consegue-doacao-de-material-para-fabricar-mascaras-de-protecao.ghtml https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2020/03/30/fabrica-deixa-de-produzir-pecas-intimas-para-fabricar-mascaras-em-juruaia-mg.ghtml Até os de maior alcance: https://globoesporte.globo.com/rs/futebol/noticia/everton-cebolinha-doa-cinco-toneladas-de-alimentos-para-cidade-natal-no-ceara.ghtml https://www.terra.com.br/esportes/lance/philippe-coutinho-doa-20-toneladas-de-alimentos-para-comunidades-do-rio,d35f3558d77c43ef4b6b55dc0557f692nlvelq7k.html https://br.financas.yahoo.com/noticias/jeff-bezos-amazon-bilionario-100-milhoes-coronavirus-fome-154213902.html ( só 100milhões não é 8% de 117bilhoes, ehehe) https://exame.abril.com.br/negocios/edp-doara-r-6-milhoes-para-compra-de-respiradores-de-uti/ http://portuguese.xinhuanet.com/2020-04/07/c_138953471.htm https://www.redebrasilatual.com.br/mundo/2020/03/china-ajuda-outros-paises-inclusive-o-brasil-no-combate-ao-coronavirus/ --------------------------------------------------------- " A mundialização muda profundamente o próprio significado da alteridade. O outro, em nosso antigo sistema westfaliano, era o inimigo potencial; depois, com o livre comércio e a aceleração das trocas comerciais, o outro se transformou em um competidor, um rival, e não vimos que, no plano social, estava sendo criada outra definição de alteridade, em que o outro era um parceiro cujo destino está profundamente ligado ao nosso. Isso significa que entramos em mundo que já não é o da hostilidade e da competição, e sim necessariamente o da solidariedade, porque agora se quero sobreviver e, ainda mais, ganhar, preciso me assegurar de que o outro sobreviva e que o outro ganhe, e temos muita dificuldade em admitir isso. Essa dificuldade nos levou nesse contexto de crise a escutar idiotices como “é um vírus chinês” e “o vírus é um inimigo do povo americano”, como afirmou o presidente dos Estados Unidos. Donald Trump não entendeu que o verdadeiro significado da mundialização está na criação de necessidades de integração social que devemos satisfazer urgentemente, do contrário nos encaminharemos ao desastre." https://brasil.elpais.com/ideas/2020-04-06/bertrand-badie-cientista-politico-a-acao-da-oms-se-reduz-a-ler-um-comunicado-todas-as-noites.html
  9. 3 points
    Vai nessa. Isso já é reedição de TC antiga, que relacionava repitilianos à Hillary Clinton e ao Obama. Estão já preparando terreno, porque é um método de manipulação que essa turma sempre usa, só mudam os temas, mas nem mudam tanto: Como é ano eleitoral por lá, já botaram para funcionar a máquina de recondicionar fake news antigas, para reutilizar contra os democratas, com essas diversas tolices similares. Mais detalhes no pdf anexado aqui(no post lá mais para cima): E também neste capítulo de um outro livro: Crenças conspiratórias Sol Negro.pdf Já estão jogando por aí as "acusações padrão": https://www.otempo.com.br/mundo/filhos-de-trump-insinuam-que-biden-e-pedofilo-e-que-coronavirus-e-farsa-politica-1.2338855 E até aqui no Brasil eles pegam as mesmas idéias-chave e jogam em cima dos adversários ideológicos: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/07/28/e-fake-que-felipe-neto-fez-post-pedofilo-no-twitter-associando-criancas-a-doces.ghtml
  10. 3 points
    Os ovos da serpente continuam descascando mundo afora: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/alemanha-identifica-o-extremismo-de-direita-como-o-maior-perigo-para-a-democracia/
  11. 3 points
    Nos ultimos dias tenho tido muitos sonhos lúcidos com regimes ditatoriais, perseguição e muitas almas rancorosas se articulando em grandes congressos e movimentos. Pode ser o inconsciente, consumo as notícias diárias ou alguma movimentação no astral. Eu espero muito que não reverbere por aqui. Mesmo que já há uma tendência aqui no plano físico aparentemente não são muito organizados e um até um pouco aloprados.
  12. 3 points
    Olá Viajantes, Gostaria de frisar: • Não sei o que acontece mas o fato de acessar este fórum aumenta a chance de projeção é inegável. • O poder literal da palavra. Ontem comentei com minha esposa sobre uma curiosidade sobre ver um objeto exclusivamente possível apenas na 4D e relembrar na 3D. Ontem tive um dia normal e sem grande acontecimentos. Alimentei-me bem, fiz meus trabalhos, vi uns videos e jantei um pouco mais do que almocei. Minha esposa ganhou uma pedra que uma amiga nossa trouxe de Bonito - MS e acabou ficando na minha cabeceira (não entendo de pedras nem cristais). Sempre mantenho um copo de água ao lado. Acendi um incenso antes de dormir para equilibrar o ambiente. Dormi sem fazer nada de mais apenas tentando manter a mente ligada ao máximo. Quando me dei conta, notei que o quarto estava diferente. Paredes na cor vinho, cheio de enfeites e como se fosse uma decoração meio exagerada. Olhei para a minha mão e estava com 6 dedos. Estranhei pois normalmente só consigo ir até a apática zona real time que parece ser mais uma interface entre o físico e o astral do que uma dimensão propriamente dita. Olhei para o lado e vi minha esposa ali junto. Fiz de tudo para acordá-la mas não ela só resmungava e voltava a desligar. Resolvi levantar e notei que o ambiente ficou com uma névoa. Fiquei pedindo mentalmente para clarear o ambiente mas não funcionava. Fui andando mesmo assim até achar uma porta e passei por uma sala grande vazia. Depois de mais alguns instantes senti uma presença e tinha um ser que não consigo descrever, sem rosto e com o corpo alongado levemente flutuando a uns 10cm do chão. Não sabia se era uma ameaça mas mesmo assim joguei uma energia do bem e ele ficou ali me acompanhando. A névoa sumiu e consegui ver a estranha decoração parecendo "vitoriana". Vi outra porta e ao abrir vi que era uma sala de estudos com vários seres na cor verde musgo e todos sem rosto. Fiquei sem graça, pedi desculpas e fechei a porta. Tive uma sensação de perder a sintonia e "acordei" mas, prestando bem a atenção, notei que estava projetado novamente naquele quarto vitoriano com a minha esposa. Tentei novamente acordá-la e consegui mostrar para ela a minha mão com seis dedos e convidei para andarmos juntos. Quando vi, ela já estava apagada de novo. Acho que não adianta tentar despertar alguém assim. Voltei pelo mesmo caminho, passei de novo pela mesma sala e vi um objeto que na 4D parecia ter vários detalhes, graus de profundidade e formato com curvas entrelaçadas. Na 4D o objeto parecia óbvio e muito simples mas acabei perdendo novamente a sintonia e agora acordando realmente na 3D. Fiquei com o objeto na cabeça mas aqui na 3D meu cérebro só conseguia conceber a forma de um troféu. Alguma informação ficou registrada na minha mente e eu sabia que era muito mais do que um troféu mas que a nossa dimensão não permite nem nosso cérebro processa a informação da soma dos ângulos por desafiarem a física do ambiente. Realmente, a informação no universo sobrevive. Fiquei um pouco filosofando sobre o objeto e voltei a dormir. Agora acordei numa zona mais baixa que lembra um bairro da minha cidade. Vi várias pessoas num convívio natural e em suas plenas atividades. Ninguém "dava bola" para mim. Dei umas flutuadas, cometi uns micos, minha lucidez variava, puxei papo com uns e resolvi apenas caminhar de volta para minha casa. Mesmo podendo volitar, quase ninguém faz isso nessa zona. Parecia quase normal tendo até uns modelos estranhos de veículos mas nada muito diferente. Passei por uma casa e vi uma mulher ensinando algo para um rapaz e notei que tinha uma televisão com uma emissora similar as nossas. Muito próximo da nossa faixa. Lembro de uma moça tentar sensualizar em dado momento mas não caio mais nessas. Acordei bem. Paz e luz a todos!
  13. 3 points
    Oremos, mentalizemos, meditemos... façamos nossa parte neste momento delicado da humanidade, principalmente para o nosso País que chora e lamenta com a gestão que está sendo feita, comprometendo o bem estar de milhões. Paz e luz a todos, muito amor e alegria!
  14. 3 points
    Após dois meses me desgastando mental e emocionalmente criticando e discutindo a postura antivida do governante do país (que acredito ser proposital para algum outro objetivo) e dos seus apoiadores, por conta desse desgaste, decidi deixar criticar e discutir e começar a orar/mentalizar enviando pensamentos de melhora consciencial, luz e amor pra esse governante e pra essas pessoas que o apoiam. Também oro pra que Jesus, o mestre espiritual governante do planeta (e que nos veio ensinar o amor ao proximo), com a ajuda do Criador, interceda por nós, pra que esses seres melhorem suas consciências e pra que mais tantos não sofram. Espero que eu consiga manter esse padrão de pensamento.
  15. 3 points
    Não sei se viram este vídeo da prefeitura de Teresina que começou a circular ontem. https://www.youtube.com/watch?v=x3eZcmkbxbo Bem ilustrativo da falta de lucidez de muita gente, que repete chavões para argumentar sobre um problema que é sim bem real, da economia, empregos, mas que não percebe que podem ter que encarar um problema muito mais grave. Nenhuma das escolhas é boa, ambas nos trarão problemas, porém, em tudo na vida é relativamente fácil identificar o que é menos pior. Quem aceitar ser manipulado por clichês só vai ativar a própria lucidez para analisar as coisas quando se vê diante entre a cruz e a espada. Quem pretende defender um lado que pelo menos o faça com plena consciência das implicações, e certamente essa propaganda nos ajuda nisso. Até sugeri para o Saulo incluir esse vídeo nas lives dele, para aproveitar a audiência dele e ajudar seu público a refletir, mas por algum motivo ele acha que isso seria incluir política na live... Não sei onde entra política num vídeo assim... embora eu até possa imaginar como grupos de pessoas com a mente doente consigam "politizar" isso, da mesma forma como politizam o uso de remédios perigosos que não tem eficácia comprovada.
  16. 3 points
    Olá amigos, O relato que irei expor acabou de acontecer agora e estou postando aqui para não esquecer. Venho de alguns meses afastado das práticas e exercícícios projetivos, e por isso enfrentava um recesso projetivo, que sinceramente, foi por falta de interesse de minha parte pelas questões projetivas e espirituais. Então vamos lá: Momentos antes de me desprender do corpo, em breves segundos, minha lucidez abriu por duas vezes, Me permitindo ver meu quarto e parte da sala. Após esses dois lapsos, apaguei novamente. Abri a consciência já na rua, em frente à minha casa e senti um sentimento de gratidão por estar tendo uma projeção patrocinada, já que eu ultimamente não venho me esforçando nessa área. Agradeci mentalmente ao amparador (Que eu sentia próximo mas não via), e resolvi dar uma volta pela rua. Ví algumas pessoas encarnadas saindo de uma casa de festas bem ao lado da minha casa.. estava tudo normal.. tarde de sol.. um vento leve.. Subindo a rua, próximo à um supermercado, me assustei com um veículo enorme de cor azul escuro, que creio ser um veículo astral, como os ônibus relatos nos romances espíritas. Desci a rua novamente, em direção à minha casa, só que dessa vez volitando há uns 5 metros e muito rápido (antes estava volitando à 1M do chão e bem lento). Chegando em frente de casa, já estando mais próximo ao chão, alguém puxou minhas pernas para cima, de modo que fiquei de ponta cabeça e olhando pro céu (não tive medo pois sei que foi o amparador quem fez isso) e mentalmente, falei a ele que queria que ele me levasse para volitar bem alto, naquele céu maravilhoso. Foi quando veio a resposta dele (puxão de orelha): "Se você quiser voar pelos céus, primeiro vai ter que aprender a RASTEJAR pela Terra!" Na hora me veio um sentimento forte de reconhecimento da verdade nas palavras dele, pois eu queria galgar os céus mas há um bom tempo tinha deixado os estudos de lado. Eu caí em si, e sinceramente, fiquei com um pouco de vergonha. Ele me soltou, e eu, ao invés de volitar baixo como é o meu normal, desci no chão e comecei a andar no solo mesmo (a sensação é a de tentar andar no piso de uma piscina, a cada passo vc sente a falta de gravidade). Parei por um estante, e olhando pro lado, apareceu um espelho plasmado e me vi refletido lá. A intenção do mentor era que eu observasse meu estado. a imagem no espelho me mostrava com um óculos de sol. Tentei retirá-lo. Não saiu. Tentei mais uma vez, e dessa vez consegui. Fiquei olhando minha imagem e pensando na questão das plasmagens, e plasmei uma barba espessa no meu rosto. Achei graça do fato de poder manipular conscientememte minha aparencia no astral, e de estar totalmente consciente para comprovar isso.. Nesse momento, fui puxado para o corpo e acordei lembrando tudo. Obrigado amigos por lerem, e nunca esqueçam da importancia da dedicação às práticas espirituais/projetivas. E gratidão ao Mentor que me fazer lembrar isso.
  17. 3 points
    O máximo que consigo lembrar é a partir dos sete anos, primeiros contatos com as experiências que quase me levaram ao hospício. Aos sete anos lembro de ter visto claramente quatro crianças brincando no centro do meu quarto, elas pareciam serem feitas de luz neon, cada uma irradiava uma cor diferente. Muito assustado com a cena gritei o mais forte que pude, minha mãe veio e disse que foi apenas um sonho, mas eu sabia que não era pois estava acordado. O tempo passou e continuei esporadicamente vendo coisas, mas já não relatava nada pois não acreditavam, diziam que eu estava imaginando coisas. As coisas começaram a piorar quando fenômenos de efeito físico começaram a acontecer, mas agora não era apenas eu que ouvia, minha mãe e minhas duas irmãs também começaram a ouvir, portas batendo com muita força e grande estrondo, mas elas estavam fechadas não tinha como bater, só de louças caindo e quebrando no chão, mas não havia nada quebrado. Foi um dos piores momentos da minha vida, pois queríamos mudar daquela casa e meu pai demorou ainda uns três meses até encontrar outra casa. Na nova casa os eventos de batidas diminuíram bastante, mas outras coisas começaram a acontecer, tipo cadeira de balanço balançando sozinha e havia uma rede que ninguém queria deitar pois ela balançou sozinha uma vez com a minha irmã e outra com o meu tio. Mudamos de casa outra vez e aí já tinha quatorze anos e começou os sintomas da saída do corpo, mas na época não sabia e não conhecia ninguém que soubesse. Os zumbidos intracranianos, paralisia do sono, ficar flutuando imóvel acima do meu corpo e a sensação de choque elétrico. Fiquei tão assustado nesta época que comecei a dormir com a luz acessa, mas nada mudou. Não contava nada para minha família pois eles já estavam achando que eu tinha problemas mentais e não iria dá mais motivos para eles. As coisas foram ficando cada vez pior, certa vez vi no centro do meu quarto uns vinte homens de capuz preto que não dava para ver o rosto, um deles estava a frente e os outro atrás repetindo algo como uma reza em uma língua estranha, sempre achei que fosse latim, eu acreditava na época que era a morte de capuz preto, hoje depois de ler muitos relatos acredito que eram magos negro, mas não tenho certeza. Já estava com quinze anos quando tive a primeira projeção que mudou tudo, estava dormindo no sofá da sala e de repente desperto e me levanto normalmente, quando olho para o sofá vejo meu corpo deitado, foi uma sensação apavorante, estava tudo normal na sala, até a iluminação não via nenhuma diferença, pensei que tivesse morrido e que meu espírito ficaria vagando pela casa sem ninguém perceber. Vi minha irmã passar pela sala e depois que acordei pude perguntar se ela havia passado na sala e ela confirmou, tive certeza que meu espírito ficou temporariamente fora do meu corpo, mas não sabia o que estava acontecendo. Ainda não contava nada para minha família pois até eu mesmo já estava acreditando que era esquizofrênico e começando a entrar em depressão. O pior estava por vir, certa noite deitei normalmente para dormir, nunca dormir de barriga para cima e após adormecer de barriga para baixo algo me virou para cima e colocou o travesseiro no meu rosto tentando me sufocar, a força era tão grande que não conseguia mover o travesseiro nenhum centímetro, até que desisti de tentar e aceitei a morte, neste momento algo puxou aquele ser e numa rapidez incrível voltei para a forma que estava dormindo e acordei. Nunca mais dormir a noite, contei para um primo que era cristão evangélico e ele me levou para conversar com pastor. O pastor convenceu-me que satanás estava tentando levar minha alma e caso eu não aceitasse Jesus ele iria conseguir. Fiz o que qualquer jovem assustado faria, aceitei Jesus, mas não mudou muita coisa, apenas que não tinha mais medo, pois tinha um super herói para me defender. Apenas quinze anos mais tarde, por acaso achei uma comunidade no orkut que havia pessoas falando de uma tal de viagem astral, acabei encontrando um tal de Saulo Calderon e finalmente descobrir o que acontecia comigo. Até encontrar os vídeos de Saulo, passei de missionário evangélico a ateu, depressão profunda e uma tentativa de suicídio. Sou eternamente grato por Saulo fazer tudo sem fins lucrativos, pois sei que não teria o encontrado se fosse de outra forma. Será que ele tem ideia dos anônimos que ele ajudou? Paz e Luz.
  18. 3 points
    Percebi que essa parte do fórum estava muito parada, então resolvi tentar dar uma animada aqui, espero que gostem😅
  19. 3 points
    Cara, eu ja fui instrutor gnóstico, numa das ramificações, a chamada Nova Ordem, que foi extinta após a morte do Rabolu, o sucessor do Samael. Ele avisou na carta final, escrtia pouco antes do desencarne, que não deixaria sucessor ( Em ordens vivas o sucessor tem que ser indicado ainda em vida pelo Mestre , para evitar que algum charlatão se apresente como Mestre e leve o grupo todo para uma uma rota de distorções que destrua o ensino original. Mas o Rabolu exigia no mínimo um Kundalini desperto, para ser seu sucessor, e como ninguém conseguiu chegar nesse ponto, ele não indicou sucessores. Outras linhas tem lá seus mestres segundo seus critérios) Eu te diria o seguinte: foque nos livros do Samael. A Gnose é boa, mas é como uma wikipedia, te dá um apanhado geral, você terá que pesquisar nas fontes se quiser aprender mais sobre os inúmeros temas que ela se propõe a ensinar. Um exemplo bem claro é Tarô e Cabala, o ensino do Samael nessa área é risível, você tem que estudar esses temas por fontes especializadas nesses assuntos. Use os conteúdos dos cursos como um "plano de estudos'" apenas. Aprenda o que eles ensinam, mas pesquise muito mais em outras fontes para melhorar sua compreensão o tema. Se cair no papo dos colegas gnósticos "Para que vou perder tempo pesquisando se o Mestre Samael já pesquisou tudo isso e selecionou só o que funcionava em todas as ordens, descartando o inútil?" vai fazer o que o próprio Samael condenava, mas que os gnósticos adoram fazer: "Vai virar seguidor de homens". O melhor da Gnose é a psicologia gnóstica, tanto na informação quanto nas técnicas. A informação você aprofunda nos livros do Ouspensky sobre os ensinos do Gurdjieff, que é a mesma psicologia gnóstica: - Um novo Modelo do Universo - Fragmentos de um ensinamento desconhecido -O Quarto Caminho - Psicologia da Evolução possível ao Homem Mas as técnicas psicológicas parecem ser exclusividade da gnose, nunca cruzei com elas em nenhum lugar. Tirando isso, o resto dos assuntos você consegue aprofundar em diversas outras fontes. E DEVE aprofundar, o Samael tinha uma escrita truncada, um problema similar ao Waldo Vieira aliás. Então voce precisa do curso para entender a gnose, pelos livros eu diria que é quase impossível. Está tudo espalhado, só nos cursos a gente integrava as diversas informações sobre um tema, numa só conferência. Não existe nenhum livro da Gnose que seja completo nem mesmo sobre um único tema. Acho que só dois fazem isso: --o livro Inferno Diabo e Carma, que trata praticamente só sobre infradimensões, -As três montanhas, sobre as etapas do processo inicático. O resto são quebra-cabeças de temas. Tentei montar uma coletânea, usando diversos capítulos de diversos livros, para tentar montar uma progressão coerente, como fazemos nos cursos, usando lista de aulas que a gente dava na minha época, para seguir uma sequencia. Mas abordando apenas o básico mais impotante. Se quiser dar uma lida, está aqui. Fiz um índiceno início dos temas, e digo ali de qual livro saiu cada capítulo, para a pessoa ler direto na fonte se quiser: Coletanea gnostica.pdf Mesmo assim, você precisa três pilares para entender a gnose: - o curso - ler os livros - praticar o que é ensinado Se não praticar, o papo do Samael vai soar maluquice. Lembro que enquanto eu só li achei que o Samael só falava frases sem sentido. Mas após começar a praticar aquelas frases adquiriram significados bem mais profundos, porque expressavam percepções muito diretas sobre o que é nossa psique. Mas antes de descobrir por si mesmo o que tem dentro da sua mente, as frases parecem conter apenas conceitos estapafúrdios, exageros retóricos, etc. Se não fizer o curso, vai ser difícil entender o esquema todo, vai parecer incoerente, fragmentário. Se não ler os livros do Samael, vai acreditar em qualquer tolice que os instrutores ensinam erradamente, e que não está baseado nos livros de gnose, mas nas invencionices deles ( no meu tempo ensinavam que deitar de bruços faz você se projetar para as infradimensões, kkkk). Quando te contarem algo estranho pergtune "em qual livro o Samael dizia isso? Qual capítulo? Quero ver se tem mais informações..." . Assim você logo vai descobrir quem são os instrutores sérios, que sabem exatamente de onde saiu cada coisa, e quem são os mitômanos (gente que quer bancar o sabichão, que tem informações 'exclusivas', o outro nome para invencionice própria.
  20. 2 points
    Primeiro não foi uma projeção astral tenho ciência que estava acordado... Fui dormi, sempre gosto de embrulhar a cabeça por causa dos mosquitos, já deitado percebi alguém puxando meu lençol meio que estava querendo ver meu rosto... Achei que era minha prima, consciente disso virei meu rosto rapidamente para dar um susto nela, quando virei o rosto rapidamente tomei o maior susto da minha vida... Era um ser branco, se assemelhava-se com uma mulher mas não tinha cabelo, sua cor era branco/luz azul florescente, ela também tomou um grande susto mas antes do susto que dei nela, vi o rosto dela e parecia como se me conhecesse sabe aquele olhar de afeto de alguém que você gosta era este olhar que ela tava me observando... Na mente dela eu estava dormindo, após eu vela percebi também que ela ficou meio que desesperada como se não era pra eu ter visto ela... Outro relato: Quando meu avó morreu também consegui ver ele, vivo da silva e dando risada kkkkkkkkkkkkk
  21. 2 points
    ( O QUE EU VOU FALAR ABAIXO DEVE SER LIDO COM MUTIA CAUTELA, PORQUE PODE ESTAR BEM ERRADO DO PONTO DE VISTA ESPIRITUAL. ESTOU APENAS COMENTANDO COMO EU VEJO A COISA, E ESSA FORMA DE VER PODE SER FRUTO DAS MINHAS LIMITAÇÕES, ENTÃO CUIDADO) Eu ACHO, sinceramente, que o maior erro está na atitude que a maioria das pessoas parece gostar de cultivar que é "SE ABRIR PARA A VIDA". Aliás me chama muito a atenção o uso recorrente deste tipo de imagem no marketing: O erro que eu vejo é que se você "se abre", várias "oportunidades" se abrem PARA QUEM PRETENDE ENTRAR PELA ABERTURA dada. Por exemplo, eu acho estranho quando algumas pessoas me comentam que vao no supermercado comprar um ou duas coisas que precisam, e acaba gastando demais, comprando muito mais coisas. Isso não acontece comigo, porque: 1- se eu vou no supermercado é porque estou precisando de X,Y,Z 2- como eu sei em média quanto esses X,Y,X custam, levo a grana suficiente para eles, com pequena margem extra 3- Como eu sei onde ficam os produtos no supermercado, vou diretamente nos corredores que preciso, e na prateleira, especifica, pego e vou para o caixa. Fim. Como eu posso voltar para casa tendo comprado mais coisas do que precisava, SE EU SOU MOTIVADO PELO QUE EU PRECISO, E NÃO PELO QUE ME É OFERTADO NAS PRATELEIRAS COLORIDAS??? Não é possível, porque não fico passeando pelos corredores olhando para os lados vendo o que mais de interessante pode aparecer ali para chamar minha atenção.... Não CONCEDO essa abertura ao que vem de fora. A questão é: se você caminha pelo mundo sem estar motivado pelos seus próprios interesses, mas caminha estando aberto para ver o que de interessante pode surgir no seu caminho, você automaticamente CRIA AS CONDIÇOES para que agentes EXTERNOS te seduzam, para o bem ou para o mal. E você SABE quais as motivações desses agentes externos? Não, você só sabe das SUAS motivações, a dos outros sempre será um mistério, uma lacuna, que você pode tentar preencher com a sua imaginação, PROJETANDO nos outros virtudes e vícios que você imagina que existem nele. Alguns tentarão usar "sua intuição", que é uma forma de "se abrir" para inputs de dados sutis, porém, ao fazer isso você também se abre para quem usa técnicas telepáticas, PNL, comunicação não verbal, etc. A questão, portanto, me parece a seguinte: se você não é movido pelo SEU INTERESSE, se você se move sem que isso sera RESULTADO de uma vontade interior, você estará a mercê de todo tipo de VENDEDOR de produtos, idéias filosofias, e você dificilmente lembra que as motivações do vendedor não são as mesmas suas, o que ele ganha com a venda costuma ser o mesmo que você perde.(nem sempre né? mesmo em assuntos materiais, se você precisa se um saca rolhas e alguém te vende um saca rolhas, ele ganhou dinheiro, você perdeu dinheiro, mas ambos ganharam, porque um teve sua necessidade satisfeita e outro teve a oportunidade de satisfazer a necessidade de outrem e sua necessidade financeira). Mas em idéias como a coisa fica? Se você adere a um sistema de crenças, seja ele político, filosófico, religioso, acho que você precisa questionar ANTES de aderir, se você SENTE NECESSIDADE daquilo que aquele sistema de crenças está "VENDENDO". Por exemplo, se alguém te oferece uma técnica que te promete paz e tranquilidade... você precisa da paz e tranquilidade?? Você já não tem isso na sua vida? Eu julgo que tenho na minha, então não vejo porque aceitar essa "venda". Se um sistema te oferece a "salvação", bem, você se sente um náufrago perdido que precisa ser salvo? Porque se você não se sente, por que então dar atenção a esse tipo de marketing? Por outro lado, ja conheci pessoas que viviam no alcoolismo e no adultério, e se corrigiram rapidamente ao aderirem a um sistema religioso. Essas pessoas foram "salvas" no sentido religioso da coisa?Vão morar om Jesus após a morte? O pastor que as convenceu era um pilantra ou um homem sincero? Nada disso tem importância alguma, porque o fato que resultou da adesão dessas pessoas a esse sistema de crenças foi ma melhora geral da vida delas, porque é disso que ELAS estavam PRECISANDO. Se o resto todo do discurso religioso era mentira, se o sacerdote era ele mesmo um hipócrita enganador que só queira dinheiro, que diferença faz? Então me parece que muitas ( mas MUITAS MESMO) das pessoas que são enganadas por vendedores de idéias só o são porque elas: 1- Não estão de fato procurando por algo claro 2- Aceitam como verdade o pacote completo oferecido pelo vendedor 3- Partem da crença de que o vendedor está de fato interessado nas necessidades DELA, e não DELE E SEU GRUPO. Para mim essa atitude é errada e é fruto do "abrir-se para a vida". Me parece que isso é uma ABDICAÇÃO do seu papel na gestão da sua própria vida, logo, se depois você é ludibriado, não pode se queixar, porque você deu uma "procuração de plenos poderes" a um desconhecido, que pode acabar te prejudicando sem mesmo ter a intenção disso, porque te ofereceu algo que você de fato não desejava, você apenas aderiu por falta de AUTO-CONHECIMENTO, você entregou a outro o poder de definir metas PARA VOCÊ, e também o percurso!!!! Se vocês pararem para fazer uma retrospectiva, ou rememorar a vida de pessoas conhecidas, vão notar uma enorme quantidade de vezes em que as pessoas entraram em rumos errados levados por outros, e depois se arrependem. Caíram na propaganda do outro. E nem quer dizer que o outro te enganou, porque os mesmos resultados que você pode achar negativos, para ele podem ser o máximo, ele só te passou aquilo que ele REALMENTE ACHAVA BOM. Mas ele não tem como saber se é bom PARA VOCÊ. E é nesse ponto que eu acho que reside a grande falha, as pessoas esquecem que somos o único juiz de nossas vidas, só nós podemos saber o que de fato nos serve., e acho que por isso não há muita interferência de mentores e tal. Precisamos aprender com NOSSAS escolhas, e se nossa escolha for entregar a escolha a terceiros, não podemos nos queixar depois do rumo que as coisas tomarem. Uma vez num locadora de vídeos eu estava comentando com a atendente que eu era vegetariano há 4 anos (naquela época, hoje já sou há 20 anos) e o dono começou a me perguntar sobre possíveis dificuldades que isso gerou. Lá pelas tantas ele me perguntou sobre como eu fazia com restaurantes com amigos. Respondi que eu nunca fui de frequentar restaurantes com amigos, logo, isso não afetava minha vida. E aí ele explicou que toda semana ele saia com amigos para restaurantes e tal, e não sabia se valeria a pena abdicar disso (moro numa cidade do interior, creio que numa capital existam muitas opções de restaurantes vegetarianos, mas nesta cidade só existe um). Então veja, se ele se deixasse seduzir pelo que eu falei, ele entraria rapidamente numa situação problemática PARA ELE, mas totalmente inexistente PARA MIM. Ele poderia entrar, passar uns seis meses com dificuldades, devido a necessidade DELE de viver cercado de amigos, e depois poderia sair disso, contando por aí que uma vez se deixou levar pela idéia do vegetarianismo que o cara fez a cabeça dele, mas que é algo muito radical, porque começou a ter dificuldades com os amigos e tal.... Por isso tem gente que sai de grupos religiosos ou espiritualistas se dizendo enganados ou que passaram por lavagem cerebral, enquanto que outros continuam lá achando que foi a grande virada positiva da sua vida. O que gera essa sensação de ter sido enganado me parece que é exatamente essa falta de saber o que de fato estamos procurando naquela coisa (atividade física, ideologia, política, filosofia existencial, amizade, par amoroso, carreira profissional...). Se você não sabe o que está procurando, não vai reconhecer o valor do que encontra, caso tenha algum valor, e não pode reclamar se o que encontrou não lhe satisfez, porque para que uma resposta correta seja dada, antes uma pergunta correta precisa ser feita. Logo, o maior responsável pelo sucesso na busca é sempre o buscador, não o entregador, e a atitude "abrir-se para a vida" é , no meu entender, o exato oposto disso, um baixar o nível de exigência, e isso é exatamente o que abre as oportunidades para os espertalhões, que esses sim, sabem exatamente o que buscam. Mas como eu falei no início, analisem com cuidado isso, porque todos sabemos como hoje em dia na espiritualidade new age a idéia de "abrir-se para o universo", e o que escrevi aqui pode ser nada mais do que um "pensamento limitante" da minha parte, ou apenas fruto de traços da minha personalidade, que é controladora e só faz o que quer fazer. Esse traço pode estar distorcendo minha percepção do resto nesse assunto. As pessoas que lerão isso e concordarem empolgadamente com o que escrevi talvez o façam apenas porque tem traço de personalidade parecido, limitações parecidas, e convém que reflitam sobre a possibilidade de flexibilizar isso um pouco, para ser se é positivo. Eu tenho feito isso em algum grau, sempre com cuidado, e tem me trazido aprendizados interessantes. Já os que discordarem empolgadamente ao lerem isso, talvez tenham a personalidade oposta, e talvez convenha flexibilizarem isso, se fechando um pouco filtrando mais suas aberturas, e isso talvez corrija também certos excessos que ja os levaram a entrar em frias no passado. Estamos sempre que manter um olho entreaberto para escolhas opostas às nossas, porque as vezes que nos parece sabedoria pessoal, é só trava mesmo, e só quem pensa diferente de nós é que pode nos apontar algum erro, caso exista.
  22. 2 points
    Já que o sono não vem vou contar um relato de 2015... Eu acredito ser setembro, 2015 Nessa época tinha deixado o emprego fixo e queria tentar um intercâmbio. Para melhorar meu inglês fiz um acordo para trabalhar algumas horas em um hostel. No dia posterior de uma festa decidi passar o fim de semana por lá. Era um sábado e caiu uma tempestade daquelas em São Paulo. Já era a noite e a energia foi embora. Eu estava sozinha em um quarto enorme. E também estava com uma sensação de bloqueio no meio do peito o dia inteiro. Quando os relâmpagos e trovões ficaram cada vez mais intensos e eu estava no escuro total consegui perceber melhor meus sentimentos e desabei a chorar. Chorei como uma criança, soluçava. Quando comecei a ficar mais calma eu senti algo pulsar no meio do meu peito. E derrepente começou a chover dentro do quarto. Mas era uma chuva magnética verde. Eu olhava para minhas mãos e eu via aquela fumaça branca ao redor muito nitidamente. Eu sempre vejo, mas bem fraquinho. Estava deitada na cama. E na minha frente em uma forma circular (um metro de diametro mais ou menos), como se fosse a projeção de um cone, eu via imagens de outros lugares, via seres pequenos passando de lá para cá. As vezes ficavam parados. Era como se fosse outra dimensão. Essa experiência durou uns 10 min ou mais. Pois eu fiquei vendo minha aura por bastante tempo depois daquela chuva passar. Eu não sou clarividente, tenho sim muita pré-cognição. Mas essa época estava fazendo muita meditação vocalizada. Teria eu hiperestimulado meu cardíaco? Nunca mais aconteceu igual, estava totalmente acordada.
  23. 2 points
    Sendo todos negros... será que têm a ver com o movimento anti racismo que atualmente se iniciou nos EUA?
  24. 2 points
    Seres majestosos Ontem eu esbarrei com as criaturas mais majestosos que "conheci", confesso que minha lucidez não anda aquela maravilha, mas tive um desdobramento interessante. Perto do meu despertar me vi observada por um grupo de pessoas, estava tendo um sonho muito pertubado e de repente tudo se acalmou ao redor. Nesse grupo haviam homens, mulheres e uma criança. Todos vestidos em vermelho e branco, muito elegantes: mistura de moderno com século 16 (?). Nas mulheres jóias prateadas e em seus vestidos, bem cheios, cobertos de símbolos em fios de prata. Nos homens uma espécie de terno com os mesmos detalhes em bordado. Alguns deles carregavam uma espécie de cajado prateado onde se encaixavam formas e símbolos enormes. O interessante é a luz que irradiavam, era muito diferente, parecia que eu não conseguia ver direito e pensava: eu quero enxergar mas não consigo processar essa visão por inteiro. O vermelho das roupas era um vermelho irreal, era lindo, como se fosse uma cor que não há nesse mundo, talvez por isso não conseguia "ver" ao todo. Parece que aqueles símbolos nas roupas num momento se ativavam, pois emitiam luz e se apagavam. Alguns usavam coroas e contas, que cobriam parte do rosto. A figura que mais me intrigou foi uma criança, uma menina, que tinha uma coroa bem alta e na sua ponta flutuava uma meia lua forjada em metal prateado (translúcido?). Seu rosto era todo coberto com contas/escamas prateadas. Parecia um cortejo mágico.Todos estavam com um semblante sério, como que estavam ali por um motivo importante. Eram todos negros e emanavam muita força. Despertei e fiquei pensando muito neles. Tentei meditar sobre essas figuras para ver se tinha uma resposta do que eram. Eu mandei uma mensagem para minha irmã a tarde falando desse povo que me intrigou. Minha irmã é medium e trabalha na linha da Umbanda há anos. Ela me disse que há muitos seres trabalhando na proteção do astral nesse momento. Seu grupo participa de uma corrente de orações todas as noites desde o início da quarentena. Ela cogitou que poderia ser o povo cigano, o grupo dela estava trabalhando muito com os ciganos nessa semana. Mas também relatou que em uma dessas noites saiu em astral com guerreiros muito altos, que não pareciam seres terrestres: e eles a esperavam cordialmente. Fazia muito tempo que não conversavamos sobre esses assuntos. Pesquisei na internet para ver se encontrava algo parecido e nada. É como se fossem figuras antigas mas muito avançadas. Eu lembrei muito da linha de esquerda da Umbanda, que tem um papel importante de proteção e enfrentamento no astral. Mas a descrição não encaixava com nenhuma entidade. No entanto ficou uma forte impressão: não estamos sozinhos nessa.
  25. 2 points
    É que as pessoas tem dificuldades para saírem dessa forma de raciocinar típica da 3a dimensão. Ninguém parece lembrar que vivemos numa dimensão em que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço, mas que essa regra não tem porque ser mantida ao mudarmos de dimensão né? As coisas em astral tem duas dimensões a mais, porque o astral é a quinta dimensão não a quarta, como tem gente que fala por aí. Então considere o seguinte: a cada PONTO no espaço físico corresponde uma LINHA VERTICAL de muitas frequências diferentes, NO MOMENTO ATUAL DO TEMPO. Mas essa linha vertical ainda pode se deslocar horizontalmente no tempo, vendo passado ou futuro de cada ponto de frequência. Exemplo: há vezes em que você se projeta num dado espaço, e vê esse espaço como era no passado. Nesse caso você considera que está vendo m espaço RELACIONADO ao ponto que existe no físico, porém numa faixa de tempo diferente. Só que há ainda muitos "outros espaços astrais" que correspondem ao local em que seu corpo físico está, cada espaço desses numa faixa vibracional diferente. Supondo que no físico você more numa casa, não num apartamento. No astral essa sua casa funcionará como se fosse um prédio de vários andares acima e abaixo do térreo. Quando você se projeta você pode se descobrir em zonas acima ou abaixo do físico, digamos assim, mais próximas ou mais distantes do físico, como se ao deixar seu corpo você tivesse despertado no quarto mas em algum dos vários andares de cima ou de baixo, que terão semelhança OU NÃO com seu quarto. Quanto mias próximo, mais similar, quanto mais distante... mais o ambiente sera totalmente diferente As coordenadas GPS do seu quarto, se você adicionar uma coordenada astral, nas zonas baixas seu quarto pode ser um prostíbulo,uma caverna lamacenta, e nas zonas altas ele pode ser um hospital, um jardim florido. E entre esses extremos ele será várias coisas, uma floresta, uma estrada, uma montanha. Só na zona física ele é seu quarto como você o conhece. E quando você adiciona a faixa de tempo nisso, cada uma dessas faixas, ou andares ainda podem variar na faixa de tempo. Por isso a questão do assédio está, em geral (mas nem sempre) ligada ao sujeito, não ao local. Ou seja, se a pessoa está vendo fantasmas na sua casa, não quer dizer que esses fantasmas estejam na sua casa, pode ser que ela é que esteja astralmente localizada numa zona baixa do astral, mesmo quando está em vigília. É o que acontece com drogados que estão já tendo delírios, vendo vermes rastejantes pelo seu corpo, cobras andando pelo chão etc. Não é a casa que está infestada, é ele que está consciencialmente morando num lugar empestiado, devido ao seu vício. E ai a pessoa se sente mal, intoxicada, irritadiça, ou deprimida, porque está vivendo astralmente num ambiente tóxico, ainda que durante o dia esteja ocupando um corpo físico que oculta as percepçoes astrais que ela tem. Quando dorme, aí ela só perceberá esse ambiente astral, e por isso terá pesadelos odas as noites. Por isso aquele papo de "reforma íntima" do kardecismo. Se você consegue se manter numa frequencia elevada, evita se posicionar astralmente onde os obsessores possam te localizar, você fica "morando num andar" que eles não conseguem nem te ver. Mas se fica alimentando maus pensamentos e emoções, está sempre visível para eles, como um ricaço que entrou por engano num bairro dominado por criminosos, e pode virar alvo até de obsessores oportunistas, que nem tem nada contra você, mas acham divertido te zoar, porque foi você que caiu na zona deles, na verdade. Assim, as percepções sutis que essa pessoa que está com maus pensamentos e emoções terá serão do ambiente e habitantes daquela zona astral pesada na qual ELA ESTÁ VIVENDO ASTRALMENTE, mesmo quando está em vigília. Lembre-se: corpo astral=corpo emocional. Suas emoções fornecem a coordenada GPS astral e te fazem afundar ou elevar astralmente, mesmo quando está dentro do corpo, similar a pegar um elevador. Aquela cena do filme CONSTANTINE mostra bem isso: https://www.youtube.com/watch?v=CjiUD2nH_7k O deslocamento inicial é apenas de faixa vibratória, não é um deslocamento NO ESPAÇO. Mas claro que uma vez que você tenha caído nessa nossa frequência, você pode se deslocar no espaço, ou continuar se deslocando nas frequências acima ou abaixo para ver o que tem ali, só que isso exige mais domínio. Aqui tem um relato como exemplo desse tipo de confusão projetiva: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/&do=findComment&comment=74048 A ÚNICA forma de saber o que e rela PARA NOSSA MENTALIDADE TRIDIMENSIONAL, é obter alguma comprovação relacionada ao físico. Sem isso sempre será apenas crença. A primeira vez que vi meu corpo, ele estava de olhos abertos. Achei aquilo bem estranho. Cheguei perto, dei uns tapas leves na cara dele, e nada, continuou ali de olhos estalados. Então resolvi sair de casa e aproveitar a projeção. Ao voltar concluí que foi plasmagem, porque afinal de contas nunca dormi de olhos abertos. Só que alguns meses depois me aconteceu de perder duas projeções sucessivas, e quase perder a terceira, exatamente pro abrir os olhos. Narrei isso aqui: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17090-enxergar-com-apenas-um-olho-autor-rodrigoyeowtch/&do=findComment&comment=74363 Só então passei a considerar que aquela vez que vi meu corpo de olhos abertos podai sim ser o corpo real. Da outra vez, vi só as cobertas na cama, e como já estava de saco cheio disso, comecei a bater com o braço na cama, dizendo eu sei que voce está aqui, em algum lugar, tem que estar aqui! (porque naquela dia, estavam as cobertas ali, o travesseiro, tudo certo, só faltava o corpo, ehehe) E então a cobertas começaram a adquirir uma forma por baixo, como se um corpo tivesse SUBIDO brotando do colchão marcando a cobertas. E eu o chamei duas tres vezes, para fazê-lo acordar (porque não deveria né? se fosse o corpo real). Então ele se destapou e levantou da cama, falando algo meio mal pronunciado e me pegou do braço, e foi quando acordei, ainda deitado na cama, o que mostra que o corpo que se levantou não era meu corpo físico. Então supus que nesse caso foi plasmagem, ou então o corpo de real time, que como você deve ter lido lá no tópico com textos do bruce, que traduzi, ele volta e se deita na cama junto com o corpo físico, após a cópia astral ter sido gerada.Talvez por isso o vi subindo do colhão, ou seja, ele talvez tenha subido de frequencia ate passar a existir na dimensão que eu estava. Já num caso concreto de atividade do copo físico enquanto projetado, eu me vi de volta ao corpo na posição que ele de fato estava após ter obedecido meu comando astral, então essa eu sei que era o corpo físico MESMO: http://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17061-energia-e-suas-repercussões-autor-kátia/&do=findComment&comment=74252 Cara, esse conhecimento vem de várias fontes, é algo que precisa ser montado/colado, amaprado pela prática pessoal, ou tudo vai parece tão estranho que a gente não entende. Eu já tinha lido tudo que recomendo abaixo, mas ter lido isso antes de me projetar não me ajudou em nada. Ter relido depois de ter umas dezenas de experiencias, me ajudou a enxergar muitas outras coisas nesses relatos. No tópico POR ONDE COMEÇAR meu foco foi no COMO SAIR. Mas ali tem o link para o pdf do Raduga, e ele fala um pouco sobre as várias possibilidade disso. Só que como ele acha que é sonho lúcido, coisa só da mente, ele não FORNECE uma "Teoria dimensional", que é o que permite entender as diversas coisas que você vai experienciar, então a compreensão dele não ajuda muito, mas ao ler os relatos que ele coloca, tendo em mente a explicaçao dimnesional, você entende que todos os relatos mostram indícios disso, só que se a pessoa acha que é só sonho lúcido ou onirismo ela não via enxergar esses indícios. O mesmo em relação à teoria das cópias, do tópico DO BRUCE. A experiência projetiva mostra que ela é uma teoria mais adequada para explicar o que experienciamo do que a teoria da consciência indivisível, que vai descartar tudo que não se encaixar nela como se fosse ilusão da dupla consciencia. O que eu recomendo como livros são os do: -Waldo, Projecoes da Consciencia - Waldo Vieira.pdf pelos relatos. - do Bruce, Astral Dynamics.pdf pela explicação sobre dimensões (mas acho que ja traduzi para nosso fórum quase tudo de útil que tinha nesse livro sobre esse assunto) -do Raduga, Escola_de_Viagens_Fora_do_Corpo.pdf pelos relatos e explicaçoes sobre a manutenção da fase - o do Leadbeater O Plano Astral - C.W. Leadbeater.pdf pela explicaçao sobre as várias faixas do astral - do Monroe Viagens Fora do Corpo (Robert A. Monroe).pdf pelos relatos
  26. 2 points
    Os karmas que te atingem nesta vida sao sempree de vida anterior. Os que você adquirir nesta só te atingem na proxima, porque o balanço geral só e feito no momento após o desencarne. Carma é efeito educativo das ações, pense nele como um boleto a pagar. Ego é o executante das ações.Pense nele como um comprador compulsivo. Ninguém elimina o comprador eliminando o boleto. O contrário é que e verdadeiro: eliminando o comprador, novos boletos nao surgirão. Um número excessivo de boletos pode tornar tão desagradavel a vida do comprador que ele pode começar a se educar e comprar menos. Mas não sao os boletos que fazem isso, é sempre a decisão interna de algo superior em você, que passará a controlar o lado inferior, o desejo de comprar. Sem eliminar esse desejo, sempre serao feitas novas compras. O karma tem finalidade educativa mas a oessoa pode continuar sem aprender e tudo ir se agravando vida apos vida. O comprador pode ficar cada vez mais compulsivo apesar do acúmulo de boletos. Por isso karma nao elimina o ego, o carma apenas equilibra a relacao de causa e efeito desequilibrada por uma acao do ego. Apensas o esforço CONSCIENTE pode eliminar o ego, as punições automáticas do samsara apenas geram condicionamento, usam a relacao estímulo/ resposta, prémio/ punicao, para manter o robô humano mais ou menos dentro de certos limites. Mas exatamente porque o carma é um processo mecânico do samsara , nao pode produzir consciencia, pelo mesmo motivo que maquinas nao geram vida, apeana vida gera vida. Apenas esforcos da consciência geram consciencia. É como na projecao astral: nenhuma tecnica por si mesma consegue gerar o despertar da lucidez. Você pode usar uma técnica muito eficar e perder a conwixdncia tao logo descola do corpo. Consegue sair, mas apaga, porque a técnica, por ser algo mecânico, nao consegue produzir conciencia. É apenas o esforço para manter-se consciente que pode te manter consciente. Por isso técnicas de teste em astral, como o saltinho, ou esricar o dedo, falham apos as primeiras poucas tentativas bem sucedidas, porque após a novidade ( que gera um estado de alerta consciencial) a prática se torna " mecânica", você não a faz mais com a mesma atenção das primeiras vezes. Assim como na lembrança de si e auto-observacao é apenas o esforço para "não se identificar" que pode impedir que você se identifique.
  27. 2 points
    Relato sobre a primeira semana de Abril de 2020 Nessa quarentena eu estava sentindo minha lucidez baixa. Meus sonhos eram apenas correria, perseguição e cenários de conflito. Quando eu despertava dentro dos sonhos buscava fazer treinos de energia, lançando energia e mudando objetos de lugar. Na minha oração antes de dormir eu peço para ser útil. Para meu corpo descansar e meu espiríto trabalhar para o bem. Em um dia da semana passada, em meio a sonhos confusos, eu me deparei em um sonho lúcido, estava num quarto escuro onde havia uma criança muito doente deitada na cama. Eu fiz um procedimento de extração, onde eu retirava da sua boca uma corda (que parecida uma tripa transparente cheia de nós e gomos), com animaizinhos escuros dentro (de todo tipo e nunca visto). Quando retirada eu joguei energia nessa "tripa" até ela se dissolver. Depois eu vi uma imagem ensolarada que deveria ser dessa criança com roupa escolar segurando alguns objetos na mão: uma régua gigante e esquadros muito grandes. Daí eu despertei. Quando acordei o sonho estava muito marcado ainda, eu até achei que poderia ter sido uma experiência de auxilio real. Mas quando eu lembrei daquela régua gigante eu ri de mim mesma. Nossa mente não tem limites né? A tarde estava olhando um site com imagens de uma cliente para um projeto. Pois bem, a primeira imagem que abri era o estudante com a régua e os esquadros gigantes na mão. Eu nunca tinha visto esses objetos antes (não daquela forma), muito menos essa imagem. Era exatamente a mesma posição, os objetos identicos nas mesmas mãos e o dia ensolarado. Era 90% a mesma cena. Eu não sei se foi um sinal que a minha experiência tenha sido real ou um sinal que estou mais lúcida do que imagino. Não é a primeira vez que isso acontece, mas apenas em épocas que estou mais conectada.
  28. 2 points
    Normalmente a pessoa que pensa mais sobre a vida e questiona as coisas a sua volta, porque temos que ser assim, fazer aquilo e isso, que em muitas vezes é de forma mecânica e sem sentimento, algo simples da vida, transformam em um senso para satisfazer seus desejos de vaidade e até se colocar acima do outro, sempre competitivos, sempre "infelizes alegres" acreditando que seguir a vida como ela é, vai ser sua única escolha para ser feliz e de bem com a vida. Percebem então que essas pessoas decidiram viver como o homem acha que nasceu pra viver, acordando, fazer suas tarefas de casa, ir ao trabalho, sair do trabalho, se divertir bebendo uma cervejinha, voltar pra casa, fazer o que quiser e ir dormir para depois acordar e fazer a mesma mecânica. Também tem as pessoas que preferem sair da sociedade e viver em comunidades isoladas, e da mesma forma vivem para acordar, viver e se satisfazer para depois dormir e ir até a velhice, se não se cansam e vão procurar sua felicidade em outro lugar, seja viajando com sua namorada e morando em um trailer ou coisa do tipo. As pessoas não querem ver que existe um propósito além de viver pro mundo, além de ter sensações de adrenalina, serotonina etc, por viver de forma cômoda, sem preocupações Mas quem pensa sobre a vida e normalmente acaba vendo, tirando o véu, que a vida é mais que satisfazer o corpo, isso é importante mas não é TUDO. Basicamente, não vamos nos tornar pessoas melhores por fujir da turbulência da cidade, e a vida mecânica de trabalho, casa, dormir e acordar, não vai te realizar nessa vida, nem que você tenha uma pessoa ótima ao seu lado por toda a vida, você só vai está depositando sua ilusão de felicidade nessa pessoa, é ilusão pq se essa pessoa "sair de baixo de você, vai ser obrigado a enfrentar a corda que estava pendurada na árvore e está enrolado em seu pescoço" e você percebe ela tarde se mais quando a pessoa sai da sua vida. O que nos sobra é vivenciar a espiritualidade, vivenciar seus fenômenos que nos ajuda a entender o mundo e as consciências nele, que desse modo acaba nos ajudando a compreender nós mesmos, quando compreendemos o mundo e as pessoas acabamos despertando um senso de sensibilidade com as coisas a nossa volta, ao nos tornar pessoas morais acabamos a dá mais valor para vida, não de forma mecânica para satisfazer a vaidade das outras pessoas, mas porque vemos o valor espiritual da coisa A felicidade alegria pela vida não vai está na vaidade de demostrar quem você é pras outras pessoas, ou seu estilo de vida, sua filosofia etc, vai está na simplicidade de ver o valor de cada coisa, o valor espiritual, ou pelo menos o começo da felicidade está aí... Então, as coisas oferecidas na vida que proporcionam bem-estar, mais interessam aquelas pessoas que estão entregues para a vida materialista, afinal, para céticos com orgulho e vaidade a zelar o que conta é isso, mostrar pro mundo que eles não tem problemas e são felizes...Mas para aqueles que estão cientes que na vida isso não é o que conta, buscam criar mais suas virtudes do que suas desvirtudes, seus defeitos. Pois no mundo material aqueles imperfeitos são infelizes exemplos, mas saindo do material são somente infelizes mesmo. Então, tenha paciência e dê um passo de cada vez na vida, foque no que está ao seu alcance, degrau por degrau, busque fazer algumas caminhadas em locais de natureza e tente perceber e ouvir o ambiente, os pássaros os animais, não precisa tentar ser aceito pelo mundo material, basta seguir nele sem cair nas suas ilusões, tente ter experiências extrafiscas, e admire mais a natureza, isso vai te conectar mais ao lado bom da vida, as virtudes. (Bem, no momento atual do país e do mundo, levaram a dificultar essas coisas, mas quando tudo passar, é só lembrar disso que falei.)
  29. 2 points
    Olá Gabriel! Meu nome é Alessandra, eu tô com 33 anos. Quando eu tinha a sua idade eu me sentia parecida contigo, mas em partes. Eu me sentia muito bem comigo mesmo quando estava só, e em muitos desses momentos gostava de estar só, evitava locais e grupos. Em parte era devido a não me encaixar em comportamentos e assuntos. Em outra era por não me sentir segura, era tímida demais e achava que as pessoas me julgavam o tempo todo. Auto-estima lá no poço. Mas em outro lado quando eu encontrava alguém que compartilhava do mesmo gosto eu poderia conversar por horas... Ex: Eu amava estudar sobre o antigo egito. Uma vez sintonizei uma rádio com músicas brasileiras antigas, choros, umas serenatas. Eu podia escutar aquela rádio a noite inteira... apaga a luz e viajava naquele tempo. Eu tinha gosto para a antiguidade aos 17. Mas aí quando tive que enfrentar o mundo, e a multidão, bateu aquela insegurança. Descobri tardiamente que sofria de ansiedade e outros transtornos psiquicos que estou tratando de ir atrás para resolver. Foram anos de sofrimento mesmo que hoje eu consigo lidar melhor com diversas situações: tipo falar em público. Bom, o ponto que queria chegar é que temos que nos cuidar integralmente. Tanto cabeça e espírito, tem que equilibrar os dois. Eu faço meditação e yoga a anos, já frequentei casas espíritas, mantenho uma certa conexão espiritual e hoje estou buscando auxílio de um bom psicólogo(a)...rsrs a gente não precisa sofrer tanto sabe? Eu fiquei muito curiosa sobre aspectos da mente esses tempos e algo me chamou atenção é que muitos pessoas descobrem, já adultas, que tem algum grau leve de autismo - o que pode ter influência no comportamento de interação. Não foi meu diagnóstico (ainda não tive pelo menos), nem estou supondo que seja o seu. Mas um olhar de fora e profissional pode ser um feixe de luz em meio de tanta informação e podemos descobrir muito sobre nós. Espero que esteja bem nessa quarentena, para mim está quase normal porque quase não saia hehe mas sinto falta de bater perna, amo caminhar. Abs! Paz!
  30. 2 points
    Há níveis. A maioira dos seres que andam ao nosso redor são espíritos atrasados, que não conseguem ler pensamentos, apenas deduzem a partri do seu comportamento ou algo que fala para outros. O jeito de você comprar isso é falar alguma mentira, falar em voz alta soziho ou para alguém, que tem medo de alguma coisa, e que pesadelos com isso te deixam realmente apavorado (mas escolha algo que na verdade não te assuste em nada. Vai acabar vendo que aquilo vai surgir nos sonhos, porque o espírti zombeteiro como não consegue ler seus pensamentos vai achar que é verdade e vai tentar usar isso contra você, nos sonhos, ehehe. Se bobear talvez até alguém desses fingindo ser mentor vai tocar no assunto inventar que numa encarnação passada voce morreu assim assim por isso tem pavor disso, eheh. Mas claro que as entidades negativas mais qualificadas não vai cair nesse golpe.
  31. 2 points
    tambem parei de criticar e consumir material de politica, coisa que costumava adorar debater e estudar, mas sinceramente..melhor deixar de lado. acho mais sensato mesmo mentalizarmos e mandarmos luz para esses seres pouco evoluidos que espalham o caos e o odio, que o plano espiritual possa intervir por que olha esse país parece um seriado americano escrito pelo Stephen king, esta ficando macabro.rs
  32. 2 points
    Depois de uma longa madrugada assistindo vídeos sobre o assunto, no dia 15/03/20. Deitei para fazer técnica de projeção, trouxe muita atenção para a respiração, tentando acalmar e sentir as energias, logo mais prestar atenção na minha tela mental, forçando o movimento do braço espiritual e meu tronco espiritual , às vezes tomando trancos por mexer o corpo físico(de tanta vontade) e também por retorno em pequenos desencaixe, mas o tempo passou. RELATO PROJETIVO: Perdi a lucidez quando não acreditava que ia conseguir manter a consciência e acabar dormindo, sai rolando para meu lado esquerdo, batendo na parede ainda sim rolando, escorregando pela porta e caindo na minha sala enrolado de cobertas, logo disse: Como posso continuar com essas projeções, quase me machuquei todo, por sorte estou bem, mas vou tentar de novo. e voltei para a cama sem perceber que já estava fora do corpo. Acordei em paralisia, tentei relaxar e vi um ponto de luz passando sobre meu quarto, na hora não sei porque assimilei, parecia uma fadinha, eu tentava sair do corpo e não conseguia, de repente vi alguns vultos e continuei tranquilo, me estressando por não conseguir levantar dali, astralmente falando, tentei fazer técnicas para sair da paralisia e recomeçar depois de uns 20 minutos, mas nenhuma técnica dava certo, tentei gritar e me agitar para ver o'que acontecia e apesar do esforço, não tinha certeza se estava mesmo gritando, a única certeza era que não estava dando certo de levantar. Fiquei calmo pensando como poderia sair dali, então tive a ideia de ficar pensando na minha sala e tentar mover o corpo espiritual, quando comecei ouvir barulhos na minha casa, dentre eles a descarga do banheiro, fiquei tranquilo e pouco tempo depois vi dois rostos horríveis me olhando e se olhando, um estava cerca de 1 metro a minha frente, pouco mais próximo que o outro, fiquei agoniado e logo começaram a soltar frases: - Você vai sair do seu corpo ?; - Vai sair do seu corpo ?; - Vou entrar no seu corpo; - Vou entrar nele; - Alguém vai entrar nele; - Vou ficar com seu corpo para mim. Fiquei agoniado e logo lembrei que todos precisam de ajuda, e assim que comecei a pensar frase do tipo: Eu te amo; precisa de ajuda?; posso ajudar?; eles sumiram (não sei se é a maneira mais adequada mas deu certo). Levantei da cama, olhei meu corpo não estava lá, olhei o banheiro da minha casa e aqui não havia nada, fiquei em dúvida sobre o que fazer, e resolvi ir na casa da minha irmã ao lado. Pulei o mura da minha irmã com um salto flutuante, aterrissei na valando e fui até ao quarto, tinha algumas crianças deitadas no chão pensei ser todos meus sobrinhos, fui entrando e tinham mais, foquei a atenção e nenhuma das várias crianças eram conhecida por mim, aparentemente, não vi ninguém aqui de casa, então sai e pensei em voltar, logo acordei no meu corpo em catalepsia. Não consegui sair da catalepsia usando as técnicas e fui envolvido em um sonho aqui em casa onde eu pensava a todo momento que deveria dormir para anotar algo, deitei e acordei 06h30 com as memórias vividas em minha mente. FIM Antes de anotar ainda fui na casa da ao lado ver se havia crianças ali, e só meus dois sobrinhos adolescentes estavam na casa, dormindo no quarto. Está experiencia trouxe informações novas e aprendizado ao meu estudo.
  33. 2 points
    Tanto faz em que vocêe se concentre. Mas de fato a concentraçao na respiração faz a gente entrar num estado de sonolencia mais rápido, porque quando mais voce relaxa, mais curta será sua respiração. e quando mais curta for, mais sutil ela fica, aí ovce tem que prestar mais atenção,..e isso vai aprofundando o transe, e pode apagar sim. Por isso lea é boa para te levar ao ponto certo, que é de quase apagar. Quando nota que pode começar a ratear, pode trocar pela OLVE. Por isso eu já descrevi esse tipo de sequência lá no POR ONDE COMEÇAR . Mas quanto eu não estou com saco de fazer nada disso, faço só a olve e fim, e passo a noite fazendo, vou parar,? vou. Mas cada vz que acorda segue fazendo. Vai apagar de novo? Vai, mas cada vez que acordar segue fazendo.... porque uma hora vai sentir o EV começando. Eu só ensino aqui o que mais funciona. Tive sucesso mas trinta técnias diferentes mas só ensino aqui as que mais funcionaram. É por isso que eu digo que todas as técnicas são iguais, todas utilizam sempre os mesmos fundamentos, porque sem isos não acontece a projeção. Mas algumas nao detalham os fundamento e o pessoal que nunca conseguiu entender como funciona ainda fica discutindo achando que esta técnica é diferente daquela outra. Não são, mas não dá para abrir a cabeça do sujeito e enfiar a compreensão dentro, o dia que a pessoa tiver mais prática ela entende. Eu também achava tudo complicado no início, mas a complicaçaõ é da mente, que gera mil dúvidas e impedimentos. A gente só supera esses falsos impedimentos DEPOIS que conseguiu fazer a coisa de muitas formas diferentes. Agora, cada pessoa é diferente, cada um tem que descobri as técnicas que funcinam melhor para si, porque algusn são bons com visualização, outros com sensações corporais, então uma técnica que funciona muito bem com uma pessoa pode não funcionar bem com outra. Nesse tipo de técnica precisa foco total, é diferente. Numa tecnica de relaxamento, focar co muutia força impede seu relaxamento, porque a energia vai para onde você foca. Se voce usar muita atenção numa parte do corpo, para relaxá-la, voce vai acabar energizando ela. Focar no corpo com muita atençao pode ser usado para autocura, porque via direcionar elerngia para a a´rea doente. Mas para relaxamento não é bom, porque vai estimular essa parte, foca um poucp ara poder comandar aqueles micro tendoes e musculos para que relaxem e parte para a área seguinte . Depois de percorrer o corpo todo, ain entoa volta e repete ,para atingir o próximo grua de relaxamento, e vai fazendo isso. Também clarividência: se você quiser tentar obter uma resposta por clarividência, ou ver algo ppor visão remota, não focar com mutia atençao no alvo programado ou não deixará surgir nada na tela mental, o próprio foco excessivo impedirá que surjam OUTRAS coisas lai, que estão relacionadas com o seu alvo, e que são a resposta que você procura. PORÉM...na projeção é diferente, porque quando você usa isso como técnica de separaçaõ ,você precisa se forçar a acreditar que aquilo está de fato acontecendo. Lembre-se que esse estado que permite a projeção é um estado de sugestionabilidade hipnótica. Entoa você quer se convencer que está de fato se puxando por uma corda. Essa idéia te que ser mais forte, mais convincente do que a sensação de estar deitado numa cama macia. Então para conseguir isso seu foco tem que ser bem maior, o que não pode demorar, ou vai estragar o relaxamento se ele não tiver atingir um bom nível. Por isso voce tenta um pouco, e entoa volta a reforçar o relaxamento, porque ao se imaginar se puxando pela corda, se os musculos nao estiverem relaxados os suficiente eles vao começar a ter contrações, reagindo a sua imaginaçao, e isso vai te tirar do relaxamento.Entoa tem que aprender a fazer isso com o máximo de realismo mas sem que seus músculos do tronco e braços comecem a acordar. Tem que "pegar o jeito", não é algo que seja possivel explicar. No alvo mental também, precisa o máximo realismo, mas aí não afeta os músuclos do corpo. Voce se imagina estando presente em outro local da casa, vendo, tocando objetos, examinado detalhes, pode imaginar que chega perto da tv para olhar bem de perto e ver o pó que estaria ali. O foco da técnica nesse caso é fazer sua mente esquecer do corpo físico que está deitado , e focar num objeto ou local FORA do seu corpo. Essa atenção máxima no FORA...arrasta sua cosnciencia para lá, sme que ela sequer perceba o processo de separaçaõ, sem perceber EV nem nenhum dos problemas (em geral imaginários), que fazem uma pessoa ficar "presa" no corpo. Ou seja, nesse caso o que faz funcionar a projeção é apenas o foco no que está FORA do corpo, Você para de tenta interferir no processo de separação ,e ele acontece no automático como acontece todas as noites sem ninguém precisar entrar naquelas neuras típicas: "Oh meu deus eu nao sei mover as energias,será que estou mexendo rápido demais? será que estou sentindo as energias? será que se eu engolir a saliva vai me atrapalhar? será que meu corpo vai parar de respirar? etc". Você apenas foca onde quer estar e esquece o resto. Mas para que não se repita o ERRO do outro tópico: Isso NÃO significa "técnica de projeçao sem relaxamento nem transe". Significa "técnica de projeçao sem usar TÉCNICAS SEPARADAS PARA relaxamento e transe". O risco dessa simplificação é uma menor taxa de sucesso, porque a todo o tempo que a pessoa perderia fazendo relaxamento e transe ela ainda vai perder fazendo a técnica projetiva. Sem falar que o treino de cada coisa pode ser transferido para outras atividades. Quem treina relaxamento e transe, depois pode usar essa habilidade acumulada para meditaçaõ, para mediunidade, para autohipnose.... os meses qu a pessoa levaria para ter os primeiros resultados serão encurtados porque os fundamentos são sempre os mesmos em todas essas áreas. Agora, se a pessoa usa só a técnica de projeção para dela obter relaxamento e transe, o dia que ela quiser se dedicar a outra atividade desse tipo, não pode aproveitar nada do que obteve do treino proejtivo, porque o corpo e mente dela estarão condicionados para relaxar e entrar em transe APENAS quando ele usar aquela "técnica de sempre". Se suas "´tecnicas de sempre" são relaxamento, concentraçao ,transe".. você acelera o aprendizado de outras habilidades que queira adquririr mais adiante e que precisem desse treino. Até magia precisa,ninguém vai ver nada dentro de um círculo mágico sem estar em leve transe, até o Eliphas Levi já sabia disso em plena metade do século 19. Por isso o pessoal que pega técnicas de projeção que saíram de livros de ocultistas fracassa repetidamente, porque esquece que quem escreveu o livro tem anos de treino em relaxamento e concentraçaõ. Um novato, que ainda não tem isso, não vai pegar uma técnica dessas no meio de um livro e consegui resultados exceto por acidente, apenas resultados esporádicos, enquanto está empolgado pela novidade da descoberta. Os poucos ocultistas que escreveram manuais botam essas técnicas no meio ou no fim das lições, enquanto que os capítulos iniciais sempre envolvem treino de relaxamento, concentraçao e transe. Mas o vivemos numa época que o pessoal acha que só porque o leite vem na caixinha, não precisou ter uma vaca antes dele. Mas apesar do risco de uma menor taxa de sucesso, para pessoas que tem uma tendência a complicar demais e achar mil dificuldades porque quer fazer tudo perfeito, "chutar o balde" pode ser mais efetivo porque nesse caso o obstáculo `projeção é sua mente complicadora, não a prática em si. Sempre é bom recordar que todo mundo se projeta quando dorme. Todo mundo vai relaxar em poucos minutos após deitar, odo mundo entrando numa fase pré projetia via quando começa a sentir sonolência. Temos pratica diária em tudo isso desde que nascemos. Mas temo prática em perder a consciência rapidamente também. O único desafio real é não perder a consciencia , o resto todo mundo já sabe fazer, é como respirar. -Ou escolhemos deixar fluir tudo no automático, mas mantendo a consciência sem apagar para detectar o momento em que a separaçaõ ocorre ao natural, e só então levantamos da cama, mas o desafio será não apagar, e ter que esperar um tempo desconhecido a cada dia, até que seja possível sair - ou escolhemos controlar cada etapa do processo, correndo o risco de cometer vários erros em cada etapa desse controle, tendo erros no relaxamento, na concentraçao, no nível de transe, no manejo das energia,s na técnica de separaçaõ Cada um escolhe o que mais eh apetece, ambos vão funcionar. Mas um funciona melhor com um tipo de personalidade, outro funciona melhor com outro tipo de personalidade. Exato, é como na técnica da corda, sem relaxamento adequado seu corpo vai reagir aos estímulos da imaginação, viusaçização etc. Se você desativá-lo em grau suficiente com o relaxamento ele já não te atrapalha.
  34. 2 points
  35. 2 points
    ESTAMOS RECUPERANDO A PRÁTICA ORIGINAL DA PRIMEIRA PÁSCOA, EHEHE Para quem não teve aulas de religião na escola, kkkk: https://brasilescola.uol.com.br/pascoa/pascoa-judaica.htm
  36. 2 points
    Interessante reflexão. "Muitas pessoas espiritualizadas/Nova Era que preferem acreditar em reptilianos que dominam o mundo, que estamos passando por transição planetária, que Ashtar Sheram, blablablá geralmente são as que preferem orar, meditar e buscar saídas individuais do que combater o sistema capitalista. As mesmas pessoas que acham que eu vibro no ódio ou coisa assim. Meu ódio é pela injustiça. Eu não odeio as pessoas. É por amar a humanidade que temos que ser combativas e firmes. Você pode acender uma vela para seus guias espirituais pedindo proteção contra o corona vírus, mas pode, também, ser aliado na defesa do SUS. Pode meditar, mas pode também mandar mensagem para seus amigos neuroatípicos perguntando como estão, seus amigos em perrengue financeiro oferecendo ajuda, se cabe nas suas possibilidades. É muito conveniente colocar tudo na conta da espiritualidade e se recusar a meter a mão na massa em questões sociais. É muito fácil botar o valor de um salário mínimo e meio para seu curso imersivo de 3 dias e achar que quem não tem esse valor tem "crenças limitantes sobre finanças", em vez de analisar que vivemos num país extremamente racista, extremamente desigual. Muito lindo "se colocar a serviço" somente de quem tem 200, 300, 700 reais para uma sessão. Vocês querem uma Nova Era talvez mais trazida pelos ETs e por suas orações do que pelo labor real da matéria. E não estou falando de trabalho assalariado. Estou falando de ajudar o próximo. Pra mim, há muito mais divindade no MST doando toneladas de arroz orgânico do que em eventos de sagrado feminino heteronormativos, caros e que só tem brancas. Pra mim, construir um mundo melhor é trabalhar na matéria também. Hoaskeiros que pagam 150 reais numa cerimônia indígena, o que mais vocês já fizeram pela causa dos povos que CRIARAM essa medicina? Você lê autores indígenas? Você ajuda financeiramente com doações terras indígenas quando tem oportunidade? Ou ajuda de outras maneiras? Eu não sou contra meditação, oração nem ayahuasca - essas coisas são presentes na minha vida. Eu sou contra alienação, egoísmo e hipocrisia. Eu sou contra a arrogância de um ego suuuper espiritualizado que se coloca acima da matéria e apartado dos problemas sociais para justificar sua falta de mobilização. Se querem a Nova Era, vamos criá-la. Ativamente. Porque se sua Nova Era não inclui o fim do capitalismo, do patriarcado, da desigualdade, do racismo, da LGBTfobia, ela não tem nada de nova. É tão velha quanto todas essas opressões. "As mãos que ajudam são mais sagradas do que os lábios que só oram"." Texto de Giovana Lizana
  37. 2 points
    Nao. Eles tem mais o que fazer. Quem nos vigia o tempo todo sao os obsessores, caso a pessoa tenha algum. Esses sim não tem nada mais innterrante para fazer. Por isso se chama " obsessão", porque esses caras são obcecados pela sua vitima, entoa raramente dão folga.
  38. 2 points
    Gente, boa noite. resolvi postar aqui, algumas reflexoes , que nao chegam a ser "desabafo', digamos que eu tenha evoluido nos ultimos meses e estou menos resmungão e mais contemplativo. rs Apesar de nao postar muito ultimamente, sempre leio e tento absorver o maximo de coisas ( positivas) que cá encontro. o tempo passa e com ele chega a idade , 42 anos, pode nao parecer muito masss sei que ja passei bem mais da metade de meu plano encarnatório, e vejo alguns ciclos se fechando. Ha um certo tempo atras eu andava amargurado, seco e em partes frustrado por ter chegado nessa idade e nao ter constituido familia ( solteiro) e meu unico parente proximo , minha mae, ja esta bem idosa e sofrendo as consequencias disso. Sei que em breve ela partirá, completando assim seu fim de ciclo neste plano. Tento dar uma força pra ela se espiritualizar mais, mas sabe como é idoso, teimosa feita uma mula.....rs. Então, e os amigos? e o circulo social que vc fez neste plano ? como eles te afetam , o que vc deixa pra eles e o que eles te trazem ? Eu tenho estado só. Mas isto tem me trazido paz. Tenho aprendido que a evolucao é algo unico, e ninguem pode ser muleta para ninguem. Eu nao sou nem nunca serei um exemplo de perfeiçao, nao acho que tenho grandes defeitos, o principal é que definitivamente eu tenho um grande problema em "perdoar', mas na minha concepção perdão real poucos seres evoluidos conseguem colocar em pratica. E eu nao me acho assim taaao evoluido nao. Das pessoas mais proximas a mim, uma amiga de 50 anos e já calejada pelas porradas na vida, apesar de ter sua consciencia espiritual aflorada (ve, ouve e sente coisas) fica correndo atras de "marido" e so atraindo uma legiao de walking dead pra dentro da casa dela. Ate uma das filhas ja se afastou. Outro amigo meu, tambem com um razoavel conhecimento do campo espiritual, se casou " na marra" com uma moça mais jovem, pra nao ficar so, pq "ja tava com 40 anos", e trouxe um belo de um problema pra casa, a moça tem um certo grau de esquizofrenia ( so descobriu depois, e agora abracou um problema que nao era dele). Por fim, um terceiro amigo, ja tambem na faixa dos seus 45 anos, e membro ativo de uma religiao afro, um cara bacana honesto porem totalmente alienado com suas crenças e nao deixa uma brecha para reflexao e uma auto analise dos seus atos neste culto que frequenta. Nao vou entrar em detalhes pra nao ser invasivo, mas algumas coisas que fizera começaram a me deixar mal somente pelo relato que a mim foi passado. Eramos muito proximos e considerava- o amigo, mas achei melhor, pro meu bem e pro dele, me afastar e ha cerca de um ano e meio nao nos falamos. Resumo da ópera: hoje nao tenho UMA pessoa sequer que eu possa falar, trocar experiencias em relacao a espiritualidade / viagem astral. Estou só. 😮 Eu conversava bastante com dois membros deste forum, mas eles hoje nao participam mais e acabamos perdento contato. Não é que eu tenha dificuldade pra aceitar os DEFEITOS dos outros, mas a partir do momento que isso comeca a me afetar, eu me sinto no direito de saudavelmente me afastar. Pessoas vão e vem, amigos entram e saem da nossa vida, esse é o ciclo da vida, so nos resta aceitar. Acho que sim, eu evolui um pouco, por que eu aceito o que o meu karma tem feito comigo ate agora; estou SÓ, sem familia, sim, Porem tenho saude fisica, mental ( melhorando) pratico exercicios, contemplo a natureza, e consigo me sustentar sozinho, mesmo nao tendo um otimo emprego. Tenho evitado carne vermelha, contato com pessoas e situaçoes toxicas e ambientes pesados ( carnaval, shows e coisas do tipo). Estou terminando um tratamento para ansiedade, e sinto que ja posso caminhar sem drogas prescritas. Sexo ha algum tempo era sim um problema, mas ate mesmo pela questao da idade, minha libido tem caido e isso tem me ajudado. Fora que nao sou nenhum Brad Pitt pra ser muito cobiçado entao os foras e as rejeiçoes que eu sofria no passado, hoje eu mais ou menos tiro de letra, mesmo pq nao tenho ido atras de relacionamento: o nivel espiritual, psiquico e emocional da maioria esmagadora das pessoas é tao baixo, que eu simplesmente joguei a toalha, nao busco mais ninguem. Sei que isso vai ser muito dificil de ocorrer, e tenho aceitado com resignação minha solidão. Enfim, tenho me afastado de tudo que atrase minha evoluçao neste plano. Não é facil se sentir um ET, estar no meio de tanta gente e ao mesmo tempo absolutamente só. Nao estou reclamando, a conjuntura da minha vida me levou a isso. Vejo muitos topicos com as pessoas ( compreensivelmente) se queixando de suas realidades, mas o cerne da coisa é - ou aceitamos e convivemos com o que temos, eu entramos num looping de sofrimento - reclamaçao - estagnaçao que nos paralisa em todas as areas da vida. E eu vejo a maioria das pessoas presas nesse "combo" sem saber pra onde ir. Não é facil estar encarnado, mas se a gente se entregar.....já era.
  39. 2 points
    Os danos são diversos. Primeiro é que sempre sobra para a mulher, que é objetificada de uma maneira absurda. O subconsciente vai pro limbo porque se fortalece padrões neuronais através do prazer. Se você acredita em atração energética basta vc imaginar seu subconsciente atraindo essa quizumba para sua vida Uma mente focada nessas coisas é impossível ter alguma sabedoria Isso sem tocar em todas as questões morais e éticas e também na força que assistir acaba dando para essa industria Depois confundir pornografia com sexo em é um equívoco crasso.
  40. 2 points
    Esses acontecimentos parecem evidenciar que o tempo realmente não existe, ou pelo menos é altamente subjetivo (relativo). Assim como o espaço, quando estamos num estado de astral, que parece não haver distância ou que nos movimentamos instantaneamente parece evidenciar que o espaço também não existe ou é uma construção da consciência. Penso que só o que existe é a consciência, e espaço, tempo, cores, etc, são apenas criações para nos situar, criações coletivas, diga-se de passagem.
  41. 2 points
    Bom dia a todos! Bem, não sou muito de postar relatos, mas achei interessante dessa vez registrar essa experiência, até como um diário para consultar depois, já que as memórias desse tipo de experiência desvanecem rápido... já to começando a esquecer...rsrsrs Mas, vamos lá: Noite passada eu estava dormindo, eram umas 9 horas da noite ( pois durmo com a minha esposa na sala de tv antes de irmos para o quarto lá pelas zero horas), então, ainda era cedo. Dessa forma, acordei de repente num estado estranho. Eu estava num estado paralisado (mas vejam, não era paralisia do sono) eu tinha plena consciência de tudo ao meu redor, meus olhos estavam abertos, eu via tudo no meu campo de visão, inclusive a minha esposa deitada ao meu lado, distinguia até a cor e os desenhos no pijama dela. Só que!.... essa minha consciência ( que chamarei de x) não é a consciência de agora! Era o eu de 10 anos atrás!! Eu não me lembrava que tinha casado, nem sabia o que era aquela casa, e nem que eu tinha me deitado a alguns minutos. Era a consciência do eu sim, eu sabia quem eu era e tudo o mais, só que, digamos, estava defasada em dez anos... Dito isto, como sempre tentei fazer um desdobramento espiritual eu pensei, -bem, a hora é agora! Já que eu estava num estado alterado de consciência,,, Aí eu tentei todas as técnicas conhecidas de sair do corpo.... mas não conseguia! Eu só tinha essa consciência defasada, sem me situar no tempo e espaço, e ainda paralisado. Acontece, que do nada, comecei a ter uma segunda consciência, que chamarei de y, essa consciência era mais profunda, por assim dizer. Eu sabia - por meio dessa consciência- que a minha consciencia x era uma pequena parte de mim, que não importava muito. Era como seu eu soubesse de tudo e pouca coisa importasse. Que aquilo que estava acontecendo não era nada estranho e acontecesse sempre, só que agora eu simplesmente percebia. Eu ainda não tinha saído da paralisia. Nesse intérim, eu fiquei ali, tentando escapar da paralisia, tentando me situar e me lembrar quem eu era e onde eu estava realmente, Já que eu estava num quarto "estranho" deitado com uma pessoa "estranha". E nesse momento, veio uma informação muito interessante na minha cabeça. Anotem aí...rsrsrs. A minha consciência y - a mais profunda - me deixou a par de que aquele corpo do meu lado, que era a minha esposa que estava deitada comigo - também era Eu (ou seja, a consciência y, essa mais profunda) que era eu tendo uma experiência, só que de outro ponto de vista! Ou seja, eu e minha esposa - e suspeito também, pois foi o que senti enquanto consciência y, que somos a mesma entidade! A mesma entidade tendo experiências em pontos de vista diferentes. Ou seja, a minha alma, em sua parte profunda, se divide em ser eu, minha esposa, e todos os que dividem a experiência comigo! Suspeito que essa consciência profunda estava me dizendo que ela além de ser eu é todo mundo!!!! Nesse momento, que diga-se de passagem, não tinha noção de tempo nenhuma, sei que eu tinha consciência de outras coisas e outras informações - que como eu disse, estão escapando da minha memória. Então, nesse momento, deu um estalo na minha cabeça, e eu "voltei", vamos dizer assim, a ser que eu sou agora. Meio que fui "atualizado"... rsrsrs. Num estalo me lembrei onde estava, quem sou, que aquela pessoa ao meu lado é minha esposa.... enfim!! De tudo! Levantei totalmente certo de que tenho várias consciências, e com uma estranha sensação de que sou apenas uma representação de algo no tempo e no espaço, como uma coordenada. Só faço sentido quando estou neste espaço, nessa coordenada, por assim dizer. Por isso eu fiquei paralisado nas outras consciências, porque elas não estavam situadas neste tempo. O eu de dez anos atrás não podia se mexer, ou interagir aqui, porque não pertencia a este tempo. Estão entendendo? Por isso quando fui "atualizado" eu saí da paralisia automaticamente. Ainda estou com uma sensação estranha na cabeça.
  42. 2 points
    Que bom! Particularmente sou um tanto cético quando a argumentos pela saúde em favor do vegetarianismo. Não consigo acreditar que alimentos que consumimos há milhões de anos, carne, leite, ovos, queijos, manteigas, vegetais, grãos, frutas tenham algum problema , e por isso sou bem cético a argumento contra cada um desses itens (trigo/glúten, ovos/colesterol, carne/gordura saturada, graõs/toxinas). Acho que realmente o argumento mais importante é a CONSCIÊNCIA do que é a relação mais correta com outros seres vivos deste planeta, consciência que ns faz querer pelo menso não tomar parte no mal, ainda que não possamos mudar o mundo. Mas 1+1+1+1..... cada um tomando consciência, uma hora seremos bilhões, ehehe
  43. 2 points
    Normalmente nesse tipo de magia nunca é o mago a fazer nada. É um trabalho em equipe, ele reúne materiais que possuem determinadas energias próprias, de acordo com sua natureza, mas que são necessárias ao trabalho planejado. Os espíritos que ele invoca é que pegarão essas energias e usarão de acordo com a metodologia que em geral só eles conhecem, porque trata-se de trabalho em outra dimensão, que tem suas próprias "leis da física". Normalmente o encarnado não conhece nada sobre isso. Por isso praticamente tudo que você vê por aí que recebe o nome de magia envolve o pretenso mago pedir para alguma entidade fazer algo, o que já mostra que o "mago" mesmo não sabe nada, não tem poder sobre nada, ele apenas terceiriza a tarefa. Se soubesse, faria ele próprio, sem chamar entidade alguma. Mesmo quando alguém junta materiais para fazer um trabalho, ele não está FAZENDO nada, ele está apenas entregando os materiais necessários ao técnico astral que é quem de fato fará o serviço. Em geral são "maquinas" astrais que são plasmadas e instaladas no local pelo técnico astral que foi contratado. Um trabalho só será cristalizado pelo encarnado que faz o serviço se ele conhece o mecanismo envolvido. Há coisas que a o encarnado pode fazer, usando visualização, plasmagens de formas geométricas, aberturas de portais etc... mas nesse caso ele precisa construir cada coisa dessas. E elas se dissiparão quando ele deixa de visualizá-las, motivo pelo qual rituais precisam ser repetidos regularmente se o objetivo for manter estável uma estrutura astral. Dependendo do que é feito ele também é responsável por mantê-las funcionando, mantendo-se focado nelas,o que exige energia . Então em geral o encarnado só pode fazer coisas que irão funcionar somente enquanto ele está focado nelas, o que limita sua atuação ao momento em que chega no local e atua na hora para resolver uma situação. Mas para mantê-las ativas por mais tempo ele precisa terceirizar a tarefa, já que encarnados precisam fazer muitas outras atividades pelo simples fato de estar encarnado né? Roger relato de ovóides.pdf Mas mesmo em astral se usa equipamentos, para ficarem ali funcionando no automático pelo tempo necessário. Se for trabalho de obsessão, costumam usar a próprio energia da vítima como fonte, daí a necessidade da vítima manter sua sintonia boa, para não permitir que esses dispositivos funcionem como projetado, e com o tempo sem uso eles podem se dissolver. Roger e Arnach dispositivos.pdf E aqui, da metade da página 90 em diante: Lacerda 1 Espírito - Matéria.pdf O caminho mais fácil é contatar a entidade que fez e convencê-la a desfazer. Se tiver que obrigá-la, vai ter que terminar a briga que começou, o que envolve uma briga com muitos espíritos, que precisarão ser capturados e destinados conforme a necessidade. Não é algo que se faça sozinho, mas sempre em equipe. É por isso que existem centros espíritas, centros de umbanda, grupos de apometria, etc. Mesmo quando você acha que é um só encarnado que faz, por trás dele em astral terá uma equipe grande para fazer tudo que é necessário e manter o encarnado em segurança. Não é trabalho para quem não é médium, não vê espíritos, etc. O que você pergunta esta tudo misturado. Se usa algo "dos astros", a energia é emanada deles. Você construiria algum tipo de receptor/acumlador para concentrar isso e depois irradiá-lo por um tempo. Dá para pensar em algo como carregar energeticamente um cristal associado a um planeta, no qual é depositada a energia relacionada a esse planeta, e esse cristal é colocado numa sala para ficar irradiando ali. Mas essas coisas são como baterias, precisam ser recarregadas. Se você é o canalizador de uma energia "planetária", está apenas agindo como um tubo, não é a sua energia envolvida. É como a diferença entre o Reiki e o passe: -no Reiki você não usa sua energia, você apenas canaliza uma energia EXTERNA, que é o Reiki. -Já no "passe" você emite a SUA energia vital, e ficará com menso energia após usá-la em alguém Mas se você usar SUA energia numa plasmagem astral, em algo que agirá como receptáculo acumulador, você terá que repôr. E ainda tem esse perigo sim: Porque o que você cria é seu "filho", e há um laço entre você e sua criação. E sabe-se que criações da mente humana , como regra, se tornam malignas após pouco tempo, talvez porque nosso ego é maligno, por natureza, diferente do espírito. Então qualquer coisa criada precisa ser mantida sob vigilância e dissolvida ao menor sinal de alteração. Como uma pessoa que não enxerga espíritos, plasmagens, energias.. poderia trabalhar com isso de forma competente? Não pode, portanto trata-se de cegos tentando montar ou desmontar uma bomba e achando que pode dar certo.... O caso mais famoso é o da Alexandra David Neel, sobre a criação de um Tulpa (pesquise no google se não conhece o caso), mas o risco se aplica a todo tipo de plasmagem que a garota adora: os papinhos sobre servidores, guardiões, protetores, corpo de luz, etc.
  44. 2 points
    Não entendi o que "entidades evoluídas" tem a ver com o tema. Se entidades negativas fizeram esses trabalhos, precisa que outras entidades desmanchem isso. Magia é trabalho técnico, nao ~sao coisas vagas como "energias pesadas no local", são equipamentos astrais montados ali para ficar funcionando NO LOCAL, não interessa a qualidade interiores dos moradores. Tem que fazer "refroma íntima" DO LOCAL, ehehhe. Se não desmanchar o trabalho, não tem reforma íntima dos moradores que resolva a parada, a´te porque reforma íntima de qualquer um desaba na primeira unha encravada, diarréia ou gripe, pois se fica doente sua aura fica frágil, e pronto, está vulnerável e aí o efeito do trabalho te atinge. Trabalhos precisam ser desmanchados, ou se tornam uma bomba relógio pronta para estourar no primeiro vacilo. Bom, não deveria se for um centro de trabalhos com entidades que estão ali fazendo sua função para ajudar ou para LIMPAR SUA PRÓPRIA BARRA. Entidades evoluídas não fazem esses trabalhos PARA PREJUDICAR, mas entidades evoluídas não ajudam a desativar os trabalhos feitos pelas entidades negativas?? Vamos tirar o evoluídas do jogo, porque entidades evoluídas mesmo nem ficam se comunicando com encarnados, porque já estão distantes do nosso plano e fica difícil para elas. As entidades que ainda se comunicam conosco estão ainda trabalhando na própria evolução, algumas estão bem melhores que qualquer encarnado, outras nem tanto, e outras são entidades negativas que perceberam o erro e agora trabalham em grupos de desobsessão ajudando a desfazer o mesmo tipo de mal que elas antes faziam. É uma forma de ajudar os outros e de se ajudar. Assim como projetores podem fazer amparo no astral sem serem "evoluidos", ou no físico, se por exemplo tem o Reiki, e io não os torna melhor que o vizinho em nada, também entidades que trabalham nos grupos de desobsessão tem capacidade de ajudar, mas nem por isso são "mentores", embora esses grupos sempre tenham algum mentor mais evoluído, responsável por manter essas entidades de menor evolução na linha, desde que o próprio grupo não se abra (através de suas más atitudes com encarnados) para a atuação de entidades negativas que aí sim fingirão ajudar mas acabarão criando mai problemas. O grande desafio é achar um grupo de trabalho em que OS ENCARNADOS sejam minimamente evoluídos, para que não sejam instrumento de entidades negativas disfarçadas de mentores.
  45. 2 points
    Olá, eu sou praticante de Ho'oponopono há quase dois anos. Sim, para mim funcionou muito bem. Comecei por questões espirituais e de saúde, mas também usei nesta aqui: Ano passado, quando voltei de licença maternidade, fui transferida para atuar numa área diferente da minha, naquele momento até achei interessante o desafio, mas chegou um momento que eu não me identificava com aquela rotina, parecia improdutiva, fora o ritmo de trabalho do meu novo chefe (lentoooo demais por sinal), e comecei a me sentir deslocada e preterida. Foi na época que comecei a ler sobre Ho'oponopono, li alguns livros e comecei a seguir dois canais bem interessantes a respeito. Eu não fazia Ho'oponopono para voltar para meu antigo cargo, mas sim para limpar algumas questões profissionais na minha vida. Foi questão de tempo para meu antigo chefe se desculpar e me chamar para assumir meu antigo cargo. Detalhe, eu não fazia questão de voltar, porque eu estava almejando outro cargo em outro setor...ehehe. Sim, eu também fui chamada pro setor que eu estava almejando, mas achei por bem, não declinar do convite do antigo chefe, até mesmo por ser diretor da organização onde trabalho. Caso tenha interesse, a abordagem que mais me agrada é da psicóloga Regina Tavares e também gosto da Maria Silvia Orlovas. Tem muitos que pregam o Ho'oponopono como "modinha", eu conheço desde 2003, mas somente agora resolvi praticar, pois vejo que é uma filosofia de vida, trata-se de cura para você e para outros com quem você convive. Quando você faz Ho'oponopono, vc está conversando com sua Centelha Divina, com seu Eu Superior, não tem como dar errado.
  46. 2 points
    Boa noite pessoal 😁 Graças ao Reiki, sabemos que nossas mãos basicamente funcionam como antenas, captam e emitam energia. Com isso, neste tópico irei falar sobre um assunto que particularmente me interessa bastante, Psi Ball, ou seja, uma bola de energia programada para realizar algo que seja de sua intenção mentalizada. Como por exemplo, auxiliar na cura de alguém que esteja passando por problemas de saúde, tanto no corpo físico, quanto no espírito ou então até mesmo amparar alguma pessoa que esteja passando por uma obsessão. Ela poderá ser útil em infinitas ocasiões, tudo dependerá da sua mentalização e fé. OBS: Não sou reikiano, apenas gosto de estudar e pesquisar sobre. Como criar uma Psi Ball (como eu realizo) 1º Passo - Posição, a principio é necessário encontrar uma posição confortável para realizar essa técnica, pode ser feita deitado, sentado, de pé, ou de qualquer outra forma que mais lhe faça se sentir confortável. (É importante que seja feito em um ambiente tranquilo e sereno, e caso você queira realizar uma prece, ela será muito bem vinda) 2º Passo - Respiração e relaxamento, para este feito é necessário que sua respiração esteja adequadamente controlada e sutil, e com o corpo e mente relaxada, para isso, inale todo o ar que conseguir pelo nariz e exale pelo mesmo, ou pela boca, como preferir. (Este passo deve ser realizado durante toda mentalização) 3º Passo - Posicionamento das mãos, a posição que as mãos devem ter pode variar do gosto do praticante, uma palma mais longe ou mais perto da outra, dedos mais juntos ou mais separados, tudo depende da preferência de quem está realizando a Psi Ball. 4º Passo - Mentalização e programação, mentalize uma bola de energia surgindo do seu corpo inteiro ou até mesmo do universo e sendo canalizada entre suas mãos, recomendo que ela seja da cor branco, dourado ou azul (pra quem já assistiu Dragon Ball essa não será uma tarefa muito difícil 😂). Deposite seus sentimentos, sua fé e sua intenção nessa mentalização, como por exemplo, se você quer auxiliar na cura de alguém diga para sua mente "Eu programo essa energia para auxiliar na cura de fulano devido tal doença", essa programação com certeza pode ser com suas palavras e suas intenções, mas é muito importante que você repita algumas vezes na sua mente e tenha fé na programação. 5º Passo (final) - Envio, para finalizar o envio da Psi Ball mentalize o lançamento da bola de energia até a pessoa que você quer amparar, você pode joga-la pra cima com suas mãos mesmo e imaginar a Psi Ball caindo sobre seu alvo, ou então, saindo de suas mão e chegando até quem você quer energizar, tudo depende da sua mente. Finalização Agradeço a todos que leram meu post, comentem abaixo seu feedback, o que gostaram, ou o que não gostaram, toda opinião é muito bem vinda. Que Deus abençoe todos vocês 🤩🙏
  47. 2 points
    esse é um tema bastante espinhoso, como deixar para tras pessoas que gostamos? e quando ha um abismo de distancia cultural/ moral / espiritual ? complicado hein. Eu sou da opinião de que temos que manter um afastamento saudável. Nem se isolar demais, nem se envolver demais com quem quer que seja eu tento por isso em pratica, mas as vezes exagero por que AMO ficar sozinho lendo e estudando, e o tempo passou e a maioria dos meus poucos amigos se afastaram por questoes naturais da vida e cada um seguiu seu rumo. dificilmente vc vai encontrar pessoas da sua idade e do seu circulo social interessadas em evolucao espiritual, energias, ocultismo etc. A maioira esmagadora das pessoas so vive na paranoia desse mundinho aqui, pensando em dinheiro / trabalho / casa / prazeres futeis, etc Nao que isso seja de todo ruim, mas isso uma hora acaba e voltamos ao pó. E ai ? o que vc vai levar de bagagem ? rs. Tente manter o equilibrio, saia com sua galera, interaja, mas nao deixe de lado sua evolução nao. abraços.
  48. 2 points
    Rafael, Não trabalho no momento e minha faculdade é a noite, então certamente minha rotina não é tão corrida quanto a sua. Eu ainda tenho liberdade de horário de sono por exemplo (aliás, meu horário de acessar o GVA é sempre madrugada kkkk) e normalmente tenho tempo livre durante a tarde. Mas mesmo assim sempre tenho uns afazeres e não tenho tanto tempo livre assim, raramente consigo dedicar uns minutos pra meditar propriamente, então acho que a dica aplica. E a dica é aplicar a espiritualidade fazendo as coisas simples. Por exemplo tentando praticar o controle dos pensamentos e aplicando o mindfulness quando está andando na rua, no ônibus, comendo. Assim mesmo que você não consiga dedicar aqueles minutos diários meditando ou com suas práticas você também tá exercitando a capacidade de ficar lúcido em vigília, que é o que rege a lucidez nos teus sonhos lúcidos ou projeções depois, quando você irá dormir. Depois que comecei a ficar mais ligada comecei a ter uns sonhos bem lúcidos, coisa que NUNCA tinha acontecido. E olha que minha lembrança pra sonho sempre foi bem boa, é raríssimo eu não lembrar de pelo menos uns 3 sonhos por noite, isso desde criança. Outra coisa, vale lembrar que até ano passado eu aplicava o EV diariamente mas nunca tinha lucidez em sonhos. Esse ano comecei a fazer só a "limpeza mental" e consegui ter lucidez. Então pode funcionar.
  49. 2 points
    Boa noite projetores, há exato 14 meses conheci o GVA e consegui minha primeira projeção lúcida. Desde então fiz técnicas. Tive recesso projetivos. Parei de tentar fazer amparos. Enfim minha luta era conseguir um desdobramento era para encontrar meu falecido esposo. E encontrei! Infelizmente nem tudo são flores na espiritualidade. Ele por ter desencarnado em Maio/2018 foi pro lado de lá como a maioria. Sem conhecimento de que há vida após a morte. Porém ele ficou muito apegado a mim e sua família. Não consigo acessá-lo de forma de esclarecimento. Apenas o vejo com pouca lucidez. Ele interfere meu campo mental , quando sinto tristeza ou Saudades. Por lá ser somente emoção ainda não conseguiu se equilibrar e tenta atrapalhar minha vida afetiva. Graças a Deus fui esclarecida nesta semana. E enfim consegui compreender muitas coisas. Voltei determinada a dividir as minhas experiências com vocês. E trocarmos ideias a respeito da espiritualidade. Focarei em ter muitos desdobramentos lúcidos. Porque no final de tudo o que vale é o que fazemos para o nosso semelhante. E quanto mais auxílio e amparo fizermos, mais elevaremos o nosso espírito. Paz e luz a todos!
  50. 2 points
    Em relação a espiritualistas acho que o problema é os grays mesmo. É bem "conhecido" que os grays são os famosos "Ets negativos". Hà várias raças criando problemas, mas os grays acho que são os mais conhecidos, desde as ondas de abduções que surgiram a partir dos anos 50, Então o cara dizer que não existe Et negativo é meio cômico. Claro que tem mentores grays também, esse problema não é da raça toda, assim como não se pode dizer que todos os terráqueos são maus né? Já com ufólogos, pelo que sei, o problema é que pelo menos no Brasil a turma da Revista Ufo, em torno da qual se reúnem os ufólogos, é materialista. A impressão que dá é que todo o trabalho deles é feito para gerar uma explicação alteranativa à espiritualidade, meio ao estilo de "Eram os Deuses astronautas", mas ao mesmo tempo eles se esforçam em destruir a credibilidade de qualquer um que tenha contatos mais úteis. Se a pessao filmou uma coisa estranha no céu, ou viu umas luzinhas, ok, isso não desafia demais a mente materialista, fica na zona "há, de fato há algo lá fora". Mas se disser "conversei com eles na boa, amigavelmente", aí eles já tentam de todas as formas atacar o sujeito. É bem estranho. Em 1986, quando eu tinha 16 anos, eu era assinante da primeria revista técncia de parapsicologia que foi criada no Brasil. Primeira e única acho. A Parapsicoloiga Hoje. Durou seis meses apenas, e logo se fundiram com a revista de Ufologia, chamada Ufologia Nacional e Internacional, que devido a fusão se chamou PSI UFO. Não renovei a assinatura, porque já tinha notado esse traço bobalhão na turma da Revista Ufo. Passados todoso esses anos, agora em tempo de internet, no ano 2000 entrei num grupo de desobsessão, que trabalhava com mentores Ets. Vi o tal Ashtar Sheran, por clarividencia, antes de saber quem ele era, ou memso saber como se pronunciava sewu nome, meus colegas falavam e eu achava que era algo "Xtar Xexam", e pensava "do que esses doidos estão falando? Ets? Xtar xexam, eu hein???? Só quando vi na capa do livro Semeadores da vida, o desenho rudimentar do Ashtar, foi que o reconheci e falei para o líder do nosso grupo "ei, esse cara aqui na capa´foi aquele que vi aqui conosco aquele dia!": E o líder do nosso grupo disse: - Sim, esse é o mentor que coordena nossos trabalhos o Ashtar Sheran Só aí eu fui querer saber quem era o sujeito, li o livro e pela primeira vez entendi que ufologia e espiritualidade anda lado a lado. Foi a turma da Revista Ufo que me fez ver ufologia como "desculpa de materialista para explicar o inexplicável". E aí fui atras do que eles estavam fazendo atualmente, e descobri que não mudaram nada, continuam presos na mesma mentalidade atrasada que só quer saber de disquinho e luzinha. Produzem livros como este, que até comprei, mas depois joguei fora, num lixão mesmo desse de rua, porque a única finalidade desse livro é contar os relatos mais famosos, para tentar alegar que cada um deles é maluquce: É uma mentalidade como a de religiosos , que aceitam que Jesus fazia milagres, mas que alegar que cada manifestação paranormal de outros é fraude. O mito desafia menos do que o dia a dia né? Depois lançaram uma série de revistas sobre o tema contatados. Compei a coleção, não lembro se eram 5 ou 7. Aí fui ver... é toda tirada do livro acima! Mais difamação, parece a Revista Veja! Então, a revista é minha, paguei por ela, faço o que quiser dela... escaneei o caso sobre o grupo que deu origem ao livro Semeadores da vida e deletei as opiniões trouxas deles, deixando só as INFORMAÇOES. Assim posso repassar para quem se interessa pelo tema, sem ajudar a semear as bobagens opinatiivas deles. Se quiserem olhar, está aqui. MIssão rama sem opiniões.pdf Onde notarem retângulos brancos, como estes, eram as opiniões desnecessárias deles, que retire, porque condicionam o leitor sem no entanto estarem fundamentadas: O único cara desse grupo da Revista Ufo em que não notei esse viés bobo, é o Marco Antônio Petit. Tanto que ele tem um livro como este, em que ele parece ter percebido que tem algo mais nesse tema do que ficar procurando luzinhas no céu. Eu tenho aqui uma palestra do Marco Petit sobre o Ashtar, que traz o tipo de questionamentos necessário, sóbrio, sobre o tema, em relação aos relatos de contatados pelo Ashtar. https://drive.google.com/file/d/0ByXGi2vq5-wsdDZocTh3SFJ3Z1U/view?usp=sharing (Tem que descompactar para assistir, está no formato 3gp, para ficar pequeno. Se quiserem qualidade boa, ele vende DVds com essa palestra gravada, talvez por RS20 hoje em dia). E até ele comenta, no tempo 6:50, como ele sofreu algum questionamento dentro da ufologia, ao escrever um livro como o acima. Depois de ver uns videos do Láercio em que ele dizia que o pessoal da ufologia casuística não gostava muito dele e tal... entendi que devia ser pelo mesmo problema que eu tinha percebido na turma da Revista UFO. O trabalho deles pode ser interessante para quebrar ceticismo daquele povo ainda bem ignorante nesses temas, mas nunca avançaram além do conceito básico "não somos a única espécie inteligente no universo". É um foco meramente "biológico", como quem pesquisa um novo tipo de sapo, ehehe.