Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Solaris

B-Membros
  • Posts

    74
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Solaris last won the day on January 10 2019

Solaris had the most liked content!

Recent Profile Visitors

755 profile views

Solaris's Achievements

Newbie

Newbie (1/14)

26

Reputation

  1. Sou umbandista e antes de dormir fiz uma oração pra que eu pudesse estar com o Flechinha (erê que trabalha comigo) naquela noite. Acordei com o meu corpo vibrando, comecei a intensificar essa vibração fazendo OLVE deitado e depois pulsando o cérebro. Saí do corpo e fui pra sala e comecei a esfregar as mãos e fazer o "aprofundamento" tocando nas paredes e estantes e fiquei muito lúcido. Aqui na sala de casa tem uma muda de Jurema que está ainda bem fina e com poucos galhos no plano físico. Quando cheguei na sala, no astral, tinha uma outra planta no local aonde a Jurema fica. Era do mesmo tamanho, estava na mesma posição mas estava cheia de galhos e cheia de folhas e bem bonita. As folhas também não eram as folhas da Jurema, pareciam folhas de Pitanga. Isso é normal? P.S.: Essa árvore está aqui em casa há, aproximadamente 1 ano e essa foi a primeira vez que a vi fora do corpo. Na Umbanda os pontos cantados são como preces então comecei a cantar um ponto de cabolclo Mirim "Caboclinho da mata é caçador, caboclinho da mata é caçador, Mora na beira da mata..." e comecei a chamar o Flechinha. Do corredor veio em minha direção, andando desengonçado, o meu filho. Eu sabia que não era o meu filho mas eu o via assim. Eu fiquei muito feliz por ele ter vindo e disse empolgado: - Flechinha, Flechinha, você veio? Como você está? Que bom que você veio! Em seguida, eu disse: - Flechinha, eu to vendo o meu filho, você pode me mostrar a sua forma verdadeira? Ele disse: - Tio, só na frente do espelho. (Alguém sabe o pq disso? Nunca vi nada parecido) Daí apareceu na mão dele um espelho e ele me mostrou no reflexo do espelho um pedaço do maxilar e a parte de trás da nuca. Consegui ver o cabelo de "cuia" preto liso e parte de baixo do maxilar inferior era pintada de vermelho. A imagem abaixo eu fiz só pra ilustrar como era a pintura do maxilar. Após ele se mostrar eu disse pra gente fazer o bem, ajudar alguém. Não lembro exatamente o que eu disse mas foi algo parecido com isso. Daí a gente pulou aqui de cima do prédio (13o andar). Só que assim que a gente pulou já não estávamos mais no 13o andar. Já não era mais o meu prédio. Parecia uma sacada de algum outro lugar. Comecei a perder um pouco da lucidez. Assim que pulamos encontramos mais alguém e esse seriria levar a gente a algum lugar (Lucidez beirando aos 20% aqui). Aí já não era mais aqui no bairro. Era outro lugar. O ser adulto que nos guiava (que eu não lembro quem ou como era) pegou uma bicicleta (lucidez diminuindo pra 8%) e disse que a Dona "não lembro o nome" ainda mora por aqui. A recordação desse guia que eu tenho lá no fundo era de alguém que lembrava o Chico Xavier(Lucidez a 5%). Aí já não lembro de mais nada.
  2. Oi, pessoal. Eu não sei bem como relatar isso mas vou tentar de qualquer forma. Talvez alguém ja tenha passado por isso e possa me ajudar a identificar o que estava acontecendo. Sai do corpo umas 6x essa noite. Uma atrás da outra. Encontrei com algumas pessoas queridas que estão encarnada e conversamos e rimos bastante. Na sexta vez eu senti um peso muito grande ao sair do corpo. Até aí normal. Pensei ser a faixa de atuação do cordão de prata. Caminhei até a sala e o peso não passou (geralmente não sinto mais esse peso na sala). Fiz EV na sala mesmo e o peso continuava. Fui pra cozinha na intenção de me afastar ainda mais do meu corpo físico. Não havia ninguém que eu conseguisse ver próximo a mim e nem sentia nenhuma energia. Na cozinha esse peso começou a aumentar e aumentar e aumentar. Até que eu, lúcido, fiquei de cócoras sem conseguir me mexer. Era muito peso. De cócoras! Assim que fiquei imóvel (de cócoras) uma força da qual não vi começou a me erguer. Eu passei através do teto e aquilo continuava me levantando. Eu tentava me mexer, fazia muita força e não conseguia. Fui sendo levado e levado até que comecei a ficar com medo e acordei no corpo. Até agora não entendi o que aconteceu. Porque aquele peso todo e pq eu estava sendo levado. Alguém já passou por isso? Sabe o que pode ser? Algum palpite?
  3. Fala, @FlavioK. Eu estava vendo esse vídeo aqui e lembrei de você. É o relato de uma experiência do Wagner Borges. Veja e vê se te ajuda. https://www.youtube.com/watch?v=mnEyxUw6XkI
  4. Fala, @FlavioK. Eu estava vendo esse vídeo aqui e lembrei de você. É o relato de uma experiência do Wagner Borges. Veja e vê se te ajuda. https://www.youtube.com/watch?v=mnEyxUw6XkI
  5. 19-02-2019 - Voos rasantes, cristais e ETs Essa noite fiz auto aplicação de Reiki nos chakras, 20 minutos de Mobilização básica das energias (MBE) junto com os seguintes cristais: Frontal - Calcita Ótica e Sodalita Laríngeo - Quartzo transparente Cardíaco - Esmeralda, Ponta de Quartzo transparente e Quartzo Rosa Plexo - Calcita Mel Dormi na parte da energização e só acordei depois de uns 30 minutos. Assim que acordei comecei a fazer a energização novamente e em seguida a OLVE. Adormeci. Acordei em E.V. mas não muito forte. Sentei na cama em corpo astral e fui me arrastando pra sala (Geralmente eu vou encurvado, me agarrando nas paredes, sentindo tipo um peso). Chegando na sala fiz a OLVE fora do corpo pois estava com a lucidez baixa. Não lembro o que aconteceu. Sei que fiz alguma coisa mas não consigo lembrar. Fiz alguma coisa relacionada a passe e a Reiki mas não sei se fiz uma auto aplicação fora do corpo ou se apliquei em alguém. Adormeci. Acordei novamente com o corpo vibrando. Nessa hora senti alguém me passando alguma informação. Interpretei como se fosse pra eu relaxar e confiar. Foi o que fiz. A vibração do E.V. foi intensificando e saí do corpo flutuando. Aos poucos fui sendo jogado por cima da minha esposa em direção à janela. Senti uma sensação de alegria desse amigo que me ajudou pois eu sempre fico receoso de voar e cair e perder a projeção. Ele me levou pra voar! Foi muito divertido! As sensações de frio na barriga eram muito gostosas não era igual aqui no plano físico. Nós voávamos aqui perto do prédio mesmo. Não fomos muito pra longe. Eu não tinha controle nenhum, ele é quem controlava. Ele me levava lá em cima e descíamos numa velocidade enorme dando rasantes bem próximos ao chão. Depois de voarmos bastante, a sensação que tive é que ele me pegava pelos pés e ficava me girando a uma velocidade enorme. E eu ria muito, dava gargalhadas. Aquilo era muito gostoso! Eu digo sensação pq eu não lembro do que vi na hora que ele me rodou. Eu só lembro do que senti. Foi maravilhoso! Fui levado de volta pro quarto e olhei pela janela. Lá fora tinham uns vultos brancos voando pelo céu. Me aproximei da janela e vi que eram E.Ts. Cara, que viagem! Três deles se aproximaram da janela e ficaram me olhando. Eles transmitiam alegria e pareciam ser meio “palhaços/engraçados”. Eles eram cinzas meio azulados, magrelos e tinham olhos grandes que pareciam ser azuis escuros quase pretos. O formato de rosto não era aquele clássico cabeçudo. Pareciam com esse da foto só que mais azuis. Daí comecei a ficar com um pouco de medo (que i*****) e voltei pro corpo. P.S. 1 - A única coisa que atrapalhou foi que a Calcita Ótica, que eu botei entre as sobrancelhas, era muito grande (do tamanho de um polegar) e me fazia ter dupla vista em alguns momentos. Quem for usar pedras no frontal não coloque nada muito grande. P.S. 2 - Não sei se foram esses Ets que me levaram pra voar ou se eu entrei na sintonia deles por ter me divertido muito com esse amigo que me levou pra voar. A energia de alegria desse amigo e dos Ets era parecida.
  6. Sai do corpo. Senti muito peso. Foi muito difícil sair do quarto. Consegui abrir a porta só que no corredor continuava sentindo muito peso. Olhei para o lado tinha alguém encostado na parede e eu falei: Quem é você e o que que você tá fazendo aí? Ele repetiu o que eu falei de sacanagem e daí eu voltei para o corpo automaticamente. Assim que eu voltei ao corpo saí novamente. Senti mais facilidade para me locomover e sair do quarto. Ainda estava muito pesado mas foi mais fácil. O cara já não estava lá. A sala estava muito escura e eu tentei fazer com a mente que a sala ficasse mais clara. Não deu certo. Eu fui lá no interruptor e acendi a luz. Deu certo. Chamei os meus mentores falei que eu queria ser útil mas sem verdade. Eu tava muito empolgado. Ninguém apareceu daí eu pensei em ir lá para fora entrar no apartamento de alguém para ver como é e para conhecer. Pensei melhor e achei que aquilo não era uma boa ideia. Voltei para sala. Lembrei do pai João do Congo (preto-velho que trabalha comigo) e chamei por ele pedindo seu auxílio e dizendo, com verdade dessa vez, que queria ser útil. Pai João veio incorporado em uma médium do meu terreiro. Ele estava muito feliz, me deu um abraço, falou que estava triste comigo um tempo atrás e que agora tudo já estava bem que me mostrei um bom menino. Conversamos mais um tempo mas eu não consigo lembrar. De repente aparece um espírito meio malvado, inconsciente, no corredor agachado. Era bem menor do que uma pessoa normal (devia ter 1,20cm), bem magrelo, pernas, braços e tronco bem finos, cabelo comprido desgrenhado em cima do rosto, ele era mestiço de branco com negro (Parecia o Gollum do Senhor dos Anéis mas sem a parte caricata (os olhos grandes e pés grandes)). Eu, conversando com Pai João, levantei a mão esquerda comecei a emitir Reiki para ele ir embora e não deu certo. Eu eu lembro do pai João falando que não precisava que era só deixar para lá. Eu não deixei para lá. Na intenção de acabar com aquilo fui atrás de espírito (perdi a lucidez) no corredor ele se assustou e correu para dentro do meu quarto. Eu senti um pouco de raiva porque eu não queria ninguém lá no quarto porque poderia prejudicar minha esposa e as crianças que estavam dormindo lá. Peguei ele para levar para sala ou para o corredor e perdi a projeção. Voltei para o corpo e a Ana estava mexendo no armário de aromaterapia dela. Acordei e falei caramba Ana tive uma super projeção. E contei com muito mais detalhes do que agora o que tinha acontecido nessa projeção mas na verdade eu não tinha acordado. Eu não sei se eu tava em uma outra projeção ou se aquilo era um sonho. O Saulo conta coisas parecidas nos vídeos dele. Daí acordei no físico de verdade depois de um sonho nada a ver sobre um parque aquatico que não tinha terra, só água e com brinquedos tipo trem fantasma...
  7. Fala, @FlavioK, provavelmente isso é possível com a ajuda de um mentor e com um objetivo claro com real ganho para essa encarnação. Turismo não trará nenhum ganho verdadeiro nem pra você nem pra ninguém. Já é uma luta e uma glória só sair do corpo. Começa por aí.
  8. Então, @Rafael Frog, não foi uma incorporação física não. Foi uma incorporação em corpo astral. Foi tão forte e real que eu achei que era físico. Também sou médium de incorporação no centro onde eu trabalho. Eu sentia muita raiva. Muito ódio. Meu corpo astral gritava e grunhia e eu não conseguia ter controle. Mesmo tendo a noção que eu estava "dominado" por essa entidade.
  9. Mantenha a vibração elevada e continue com o reiki. Você já sabe como se defender. Se estiver muito difícil faça uma prece aos seus mentores que logo passa. Não gosto desse termo "macumba". Mude isso por "demanda" ou "magia negativa". Assim você não machuca ninguém. Macumba é um instrumento de percussão de origem africana,. Termo geralmente usado de forma negativa para se referir aos cultos de matriz africana. Não tenha medo. Você não está sozinha. Seus mentores estão com você. E se você precisar de algo mais "palpável" aciona o grupo de Reiki pra te ajudar. De repente é uma chance bacana de amparo.
  10. Ela não estava conseguindo contar e pediu pra que eu contasse. Senti uma frustração forte. E começou a me dar um sono muito grande. Ela nem começou a falar direito. Acho que foi esse o caso. E ela me conhece muito bem mesmo! Pq explicações longas de coisas que, ao meu ver, não tem importância me cansam. E por se tratar de uma resposta demorada (pelo menos era o que ela fez parecer) me deixou ansioso com medo de perder a projeção.
  11. Hoje fiz uma projeção e foi uma projeção bem longa eu não lembro de tudo que eu fiz. Sai rolando do corpo e caindo no chão ao lado da cama. A a primeira coisa que eu fiz foi falar: “-não vou ficar em casa hoje”. Eu fui direto para janela e pulei só que a grade da janela estranhamente não me deixou sair. As vezes passo atepor dentro de porta mas aquela grade de plastico não me deixou sair... Eu não desisti e saí pela porta da cozinha que estava aberta. Fui para a casa da vizinha. Chegando lá tinha um corredor enorme, enorme. Fui andando e não chegava no final. No final desse corredor tinham algumas mulheres trabalhando numa espécie de cozinha muito grande, com muitas bancadas, cheia de ervas e flores. Lembro das rosas brancas. Eu conversei com elas. Uma delas era linda com cabelo curto e um belo penteado. Se vestiam com muita simplicidade. Disseram que eram os espíritos que trabalhavam e ajudavam a vizinha. Elas deixaram claro que faziam amparo a outros seres encarnados e desencarnados também. Aqui eu tenho lapso de memória e não consigo lembrar direito o que aconteceu. Lembro que eu estava com uma mulher que eu achei que era minha mãe mas acho que isso é coisa do meu cérebro fazendo associações. A gente estava auxiliando uma espécie de igreja no plano astral só que eu não consigo lembrar muito bem. Lembro de uma estátua de madeira que era talvez de São Francisco. Sei que a gente ia lá mas não lembro o que a gente fazia. Lembro de exteriorizar energias para alguma coisa. Foi maravilhoso. Eu lembro da minha sensação de alegria de felicidade de poder estar fazendo algo. Eu acho que é isso que os espíritos sentem. Essa alegria de poder fazer algo, de ajudar, de ser melhor para as pessoas que estão ao nosso redor. Foi muito legal. Eu sentia uma leveza e uma alegria muito grandes. Muito, muito, muito maior do que aqui. Uma felicidade gigantesca em poder fazer algo por alguém. Incógnitos. Fazíamos pois nos deixava felizes. Ajudar e construir. Eu estava com essa moça que eu conhecia mas não sei quem é. Quanto mais nós ajudávamos mais nós queríamos ajudar. Sem frustrações, sem tristezas, sem peso, sem ansiedade. Só leveza e alegria. Contentamento. Imensidão de apenas ser, ajudar e construir. Meu ser estava completamente preenchido com essa leveza, alegria, contentamento. Vamos ajudar mais! Ajudar e construir. Achei interessante que em determinadas salas a gente conseguia voltar para a dimensão astral (plano físico) e a gente tinha um gato junto com a gente que parecia que era o animal de estimação astral da minha mãe/mentora. Eu sei que esse gato conseguia ir de dimensão para a dimensão sem necessidade dessas salas. Isso quem me falou foi minha mentora. Porque a gente entrou numa dessas salas e o gato não acompanhou a gente daí eu perguntei pelo gato e ela disse que ele já estava lá. Será que eles tem essa facilidade de andar pelos planos mesmo? Eu acordei na projeção porque minha mentora comprou alguns doces e ela botou esses doces para alguém em uma dessas salas. Ela disse que tinha que ter 12 eu peguei e contei. Eu disse para ela que tinham 14 ou 16 mas eu precisava entender se eram só para contar os doces pequenos ou se era para contar os grandes juntos. Daí ela fez uma cara e começou a explicar de um jeito muito lento o porquê que tinha que ter X doces. Aquilo me tirou do eixo porque eu comecei a pensar: eu estou em projeção se ela ficar demorando muito eu vou acabar perdendo a projeção. Nisso eu voltei automaticamente para o corpo. Olha foi uma projeção maravilhosa uma alegria muito grande. eu sabia que eu estava projetado e a gente estava meio que trabalhando estava fazendo as coisas. Mais engraçado interessante é a alegria. é como se esse plano astral que a gente tava ele não fosse tão pesado igual esse plano aqui. não tinha tristeza não tinha irritação, não tinha aquela sensação de estou cansado. só tinha vontade de fazer algo de ajudar de fazer mais e foi assim muito interessante. Eu não tenho certeza mas eu acho que eu fui numa dimensão mais sutil. Sera que não era minha mãe e sim uma mentora? Será que essa história do doce era só pra eu voltar? Isso faria sentido…
  12. Acordei gritando e rosnando sentindo muita raiva na minha cama ao lado da minha esposa. Logo percebi que eu estava incorporado com alguma entidade feminina. Essa entidade, através de mim, disse aos berros: “-Eu vou destruir todos vocês!” e tentou se levantar da cama e eu tentava impedir e ficar parado, retomar o controle do meu corpo mas não conseguia. O engraçado é que ela usou uma palavra que eu nunca usei na vida e que o sentido era destruir mas não consigo me lembrar qual era a palavra. Eu estava morrendo de medo de acordar os meus filhos com aqueles gritos e rosnados e ficava pensando em porque a minha esposa não acordava pra me ajudar. Fiquei um bom tempo (1 minuto nesse caso parecia muito tempo) com as pernas na cama e os bracos e a cabeça pra fora com esse ser tentando levantar e sair dali. Do nada eu acordei com muito medo e tremendo. Só aqui eu entendi que estava projetado. Eu sentia muito medo e, de repente, comecei a sentir uma sensação maravilhosa de paz, calma e tranquilidade. Alguém me falava, sem palavras, que nós estávamos ajudando esse espirito e que eu havia feito um transporte para que facilitasse o resgaste e cuidados com essa moça. Adormeci em paz.
  13. Dando prosseguimento ao tópico pois pode ajudar alguém. Segundo a sub-dirigente espiritual (que é uma exímia projetora astral) da casa onde trabalho o que tem acontecido é reflexo de projeções - nesse caso sem rememoração - de auxílio no astral. A última vez que isso aconteceu foi essa semana em que acordei com a mão esquerda levantada fazendo o mudra do conhecimento (videfoto - não entendo de mudras) e girando em sentido horário. Eu fazia um "Shhhhhhhh" com a bocae eu sentia que exteriorizava energia de alguma forma Isso durou apenas alguns segundos e eu acordei. Tive a intuição que eu estava fazendo algum auxílio no astral e que esse gesto era pra fechar e cortar passagens e ligações energéticas do trabalho que foi realizado (que eu não lembro o que foi).
  14. Oi, @frammich Esse tópico aqui foi criado exclusivamente sobre o assunto. Todas as dúvidas que você tiver serão sanadas aqui. A OLVE é feita, também, na técnica completa 3 do Saulo. Não sei se ele aborda nos áudios dos cursos. Abs,
  15. Oi, @Silvaninha. Você sempre sente essas dores quando se projeta ou foi um caso isolado? Já passei por algo parecido uma vez. Eu só lembro de um espirito de uma mulher em pé, ao meu lado na cama tocando o meu chacra cardíaco. Comecei a sentir uma dor que não era bem uma dor. Parecia mais uma angústia dolorida e falta de esperança e parecia que meu coração ia parar de bater. Essa dor aos poucos foi se movendo até parar na minha nuca. Na epoca eu não entendi o que tinha acontecido. Hoje sei que aquele espirito estava pedindo ajuda.
×
×
  • Create New...