• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Ane

B-Membros
  • Content Count

    30
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    4

Ane last won the day on March 7

Ane had the most liked content!

Community Reputation

39 Excellent

1 Follower

About Ane

  • Rank
    Advanced Member

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Quando me vi projetada essa noite, pedi aos menotores para fazer assistência.. Depois de me levarem em vários lugares que não vem ao caso, parei em um quarto com uma jovem, magra, branca, com o cabelo loiro descolorido. Ela estava falando sobre ter perdido um filho com 16 anos, ter tido problemas com o colégio (acho que largou), e tinha problemas com a mãe adventista. Também se arrependia de ter colocado silicone (não sei do que ela morreu). Vi que ela estava irritada consigo mesma, como se não tivesse feito nada certo durante a vida. Eu segurei as mãos dela, olhei nos olhos dela e disse "vai ficar tudo bem", passando muito amor. Ela falou que agora, segurando minhas mãos vinham várias coisas, pequenos momentos que ela tinha feito coisas boas.. várias coisas pequenas, mas que vendo eles juntos deixaram ela bastante feliz e emocionada. Conversamos um pouco como amigas. Ela me perguntou se eu gostava de matemática e se eu colocaria silicone. Respondi, rimos um pouco e eu voltei pro corpo ainda sentindo como se estivesse segurando as mãos dela. Como o Saulo diz: As vezes a assistência é "só" uma conversa...
  2. Olha.. pelo menos comigo os mentores usam o céu o tempo todo pra me acordar nas projeções. Eu olho muito pro céu durante o dia. Quando estou inconsciente sonhando e olho pro céu, geralmente aparece mais de uma lua, e se eu foco nelas elas começam a se circular e se aproximar.. Então eu faço o teste de realidade (no meu caso puxo o dedo pra ver se ele estica), se ele estica eu percebo que estou dormindo (pq duas luas girando geralmente não são suficiente pra me despertar kkk). Teve um dia que eu tinha visto sabrina no netflix, e pensado muito na série. No céu do sonho se projetou o Demonio bode da série, andando gigantesco, ocupando quase o céu inteiro.. na hora eu vi que eram os mentores me chamando a atenção kkk teve uma vez que tinha um velho pedalando uma bicicleta que a roda era a lua.. enfim, eles usam muito o céu pra isso (pelo menos comigo)
  3. Sim, boa parte das minhas experiências são assim também.. Simplesmente acordo de madrugada (ou minha gata me acorda), faço um OLVE, viro pro lado e durmo de novo.. 1 a cada 3 dessas eu tenho algum nível de projeção. Quando não é projeção são diversos sonhos malucos hehe, mas esse é o meu normal de todo dia.. sempre me divirto dormindo.
  4. Nossa, muito bom!
  5. Não faço idéia do que seja, mas achei bastante interessante! acho melhor vocês nunca irem pra parís por garantia kk
  6. Olá Patrícia! Foi uma projeção. E eu não fui sozinha até lá, certamente foi coisa de mentor, pois já estava no local certinho para subir e encontrar esse local. Toda a volta do lugar parecia ser campo, como se fosse um local no interior, um local de descanso. Os espíritos que la estavam não eram espiritos sofredores, eles estavam bem de saúde mental, só que tinham muito medo de mim. Refletindo sobre, acho que posso ter perturbado eles em espirito mesmo, como se tivesse feito parte de um grupo/seita maligna, a estilo de atuação dos magos negros ou algo do tipo. Já ouvi relatos de projetores que sofrem acédio por coisas ruins que fizeram no passado onde os espiritos falam coisas como "não se engane com essa carinha de santa aí, ela é uma assassina" etc.. Tem no canal da Joyce Eliza um relato desses por exemplo. Então não é porque fazem várias vidas que você fez mal que você está livre. Você pode encarnar muitas vezes e ainda ser perseguido por isso. Felizmente acredito que já paguei pelos meus erros, pois minha vida atual é muito tranquila. Meu mentor certamente me levou la pra eu perceber que não sou santa, já que andei me perguntando do porque estar encarnada aqui na terra, o que eu tinha feito de errado e precisava trabalhar. Foi uma lição de que ninguém está aqui por acaso. Mesmo sem obcessores rancorosos existem muitos espiritos que me temem por algo que eu fui. Fora que a volta foi extremamente característica, com um estado vibracional fortíssimo que não deixa dúvidas de que foi uma projeção.
  7. Eu sempre tive consciência de que como provavelmente todos os encarnados da terra, eu havia tido meu passado sombrio, mas que ja tinha pago por ele, pois minha vida atual é praticamente livre de dificuldades. Essa noite, antes de dormir, fiz uma longa oração e caí em profunda meditação, me concentrando em devolver pro universo tudo de bom que ele me emanava energeticamente, me sentindo incrivelmente bem. Dormi totalmente energizada e vibrando alto. Parte 1: Maltratando as "mulheres da vida" astrais: No sonho porém algumas assediadoras extrafísicas do tipo especializado no chakra sexual me convidaram pra vocês sabem o que, e eu com lucidez baixa pensei "porque não?".. Eu estava tão energizada que a perda energética não parecia uma ameaça. Começou tudo calmo, mas eu comecei a ficar agressiva com as moças e resolvi sair, mas veio mais uma atrás de mim.. eu já não estava muito equilibrada, ela se conectou pra me sugar... Eu virei pra ela "ah você quer me sugar? eu tenho um corpo físico, sou mais forte que você" e EU suguei ela, mas puxei energia da coitada que ela estava virando uma laranja seca.. Só pode ter sido um mentor a me acordar a lucidez na hora, quando vi o absurdo que eu estava fazendo empurrei energia de volta pra ela em forma de EV.. Imagina o desespero da coitada.. Mas seguindo.. já lúcida saí daquele local pela janela em direção à rua. Estava uma noite linda, estrelada, e pensando no universo resolvi subir o máximo que podia para tentar saír do planeta. Parte 2: Encarando consequências do passado Fui subindo em alta velocidade, e um prédio apareceu, como se fosse um hospital em uma colônia. Seguindo os muitos andares do prédio enquanto subia, avistei um grupo enorme de mentores e pensei "que lindo, os mentores em oração do lado de fora do hospital!" Toda via, no entanto, porém.. Quando os mentores me viram.. ele entraram em pânico! como se eu fosse o capeta solto na colônia. Eles usavam roupas como as de imigrantes italianos. Pensando que eu estar ali era algo errado, continuei subindo para atravessar logo a colônia. Uma energia me prendeu e eu não consegui subir mais. Entrei no andar que meu vôo parou e as pessoas ao me verem sairam correndo apavoradas. Umas crianças estavam um pouco mais corajosas que os adultos e eu perguntei pra elas porque estavam todos correndo de mim. Apenas um deles respondeu, e ele era mudo! falava por linguagem de sinais. Na leitura labial ele disse "você é ruim!", e eu perguntei "eu sou ruim?" e ele falou meio que saindo com os outros "sim, você pode achar que você não é, mas você é!" e fugiram todos. Um homem veio me escoltar dali, como um guarda levando o preso pra cadeia. Não lembro exatamente como começou a conversa sobre porque fazer o mal não compensa, mas falei que os espiritos têm milhares de anos para evoluir, então não importava o que se faz em uma única vida.. foi quando escapou algo da boca dele como "mas vai vir uma tecnologia nova agora que vai.." e logo ele desistiu de falar. Entramos em um quarto onde haviam várias camas, e nelas um casal deitado. Ao me ver, como todos os outros eles pularam apavorados. Eu já com a consciência de condenada, fingi que meus braços estavam amarrados pra trás, pra eles se sentirem mais seguros, o que funcionou..: "será que é possível? (que ela está mesmo presa)" perguntou a mulher, e eles ficaram um tempo me encarando desconfiados. Uma mentora do local apareceu, talvez para me levar dali, e eu pedi pra que ela amarrasse as minhas mãos de verdade, pois estava começando a perder a lúcidez. Ela não entendeu direito, mas concordou e plasmou um bracelete energético que prenderam meus braços onde eu estava os mantendo atrás das costas. O homem, negro, musculoso, veio com raiva e me deu um chute na perna que senti como se fosse aqueles tapas de dedo que ardem a pele, mas não são muito agressivos. Eu virei pra ele e ele me deu mais um golpe na lateral da barriga, bem mais franco. "o primeiro foi melhor" eu disse. Eu vi ele formando outro golpe em câmera lenta e fiquei pacientemente esperando, esse mirou no rosto mas eu não senti nada. Ele estava ofegante, dava pra ver que estava tentando controlar o medo. "vamos lá, você consegue fazer melhor que isso" falei.. E ele começou a falar "eu não tenho medo... EU não TENHO medo! EU... NÃO .. TENHO.. MEEEEDOOOOOO" ele gritou.. e eu voltei pro corpo em um forte EV. Essa foi a última cena que eu vi.. Fiquei um tempo digerindo aquilo e tentando rememorar tudo antes de me mexer.. Eu devo ter feito muito mal a todas aquelas pessoas. Constantemente alguns amigos falam que eu dou medo..até minha mãe ja falou que ela tem medo de mim como se ela que fosse a filha. Sombras de um passado talvez não tão distânte. Sei que se continuar nesse caminho vou acabar tendo que encarar tudo isso. Nessa hora nem todos os ho'oponopono vão me tirar o peso da consciência.
  8. Curioso você falar, pois eu ando vendo vídeos dele ultimamente e ele faz muitas coisas estilo Robert Bruce pra acessar o subconsciente, inclusive eu tenho usado algumas dicas dele de hipnose para tentar induzir a catalepsia e o estado de transe profundo.. Recém comecei então não posso dizer se teve de fatos resultados, mas tenho conseguido me projetar com mais frequência. É difícil dizer porque misturei as técnicas dele com as minhas, mas a auto-sugestão parece ajudar. Exemplos de técnicas que ele usa: Imaginar uma escada e se imaginar descendo ela, ficando mais relaxado a cada degrau. Fazer uma contagem regressiva, dando a ordem de "mais relaxado" a cada número Quando você chega num estado total de relaxamento do corpo, relaxar a mente por ordens de "10x mais relaxado" etc.. Consigo relaxar bem mais rápido do que apenas deitar e soltar o corpo enquanto trabalho as energias. É muito Robert Bruce essas coisas.. Claro que a ideia não pertence a uma pessoa, só sei que funciona muito bem, e quanto mais usamos mais rápido o corpo relaxa. Pra mim, Pyong lee é um projetor hehe. Abraço!
  9. Legal o seu relato! Tenho muito contato com animais no astral, as vezes vejo alguns que julgo não existirem no físico, como uma vez que vi um local muito lindo nas montanhas onde tinham muitas "vacas".. só que não eram bem vacas, era um animal parecido, com os chifres laterais longos. Costumo voar por locais onde existem muitos cães, de todas as raças, e não parecem haver humanos por perto, assim como ja vi espiritos passeando com seus cachorros, e gatos vivendo dentro de casas no umbral mais próximo da terra. Se fosse fazer a lista de todos os animais que vi, ia ser longa. Inclusive, juro que meu hamster falecido ainda vive aqui em casa! Sobre árvores.. uma vez encostei o ouvido em uma arvore gigante e ouvi um mantra! pena que não lembro como era.. Foi bastante curioso!
  10. Eu tenho a impressão que esse negócio da menstruação trabalha muito forte o chakra Básico.. Imagina a energia de preparação pra gerar um corpo físico se manifestando todo mês nos nossos úteros, contaminando os outros chakras com as energias do chakra básico. Esse deve ser o motivo de se evitar chamar mulheres nesse período para cerimônias que exigem o uso de energias mais sutis. Existe porém muita força no chakra básico para realização de curas físicas, rituais com a terra etc.. Eis as reuniões do sagrado feminino e tantas outras que são feitas apenas entre mulheres. É aceitar que o espirito não tem sexo, mas o corpo físico tem suas particularidades energéticas, e cada sexo se sobressai em determinadas atividades. Vai ver essa força do chakra básico nas mulheres também incentivem os acedios mais frequentes, por mais equilibrada espiritualmente que ela seja, vai haver esse período do mês que viramos um banquete para os espiritos mais densos. Esses dias fiquei lúcida e peguei um acediador "na tampinha" acoplado no meu chakra básico. Na hora que pensei "quem é você!?" ele saiu correndo pela porta do quarto, parecia um tarado em corpo físico... Se eu não fosse projetora ia acordar exausta sem saber o porque..
  11. Muito bom saber que alguém teve uma experiência parecida. Não que eu duvide da minha experiência, mas ninguém quer parecer a/o doida/o que confunde onirismo com projeção kkk
  12. Parafraseando o querido Chicó: "não sei, só sei que foi assim". Obs 1: Já expulsei algumas entidades bem trevosas de casas, mansões etc... Mas essa é a primeira vez que vejo um espirito possuido por outro. Obs 2: Isso foi semana passada, mas eu não queria nem pensar na entidade em questão pra não me ligar na energia, então esperei um pouco pra memória ficar menos nítida antes de fazer o relato. Acordei em uma cama que não era a minha (acontece as vezes de sair do corpo em outro lugar), e havia um conhecido meu que tem uma energia incrível, uma pessoa iluminada, andando meio nervoso pela casa. Pegando objetos, e andando rápido. Em um determinado momento ele disse para outras pessoas na casa que precisava muito sair, e que não era para deixar "ela" sair de la de maneira nenhuma. Quando ele sai, eu vou pra rua e escuto umas gritarias dentro de casa. Havia uma menina jovem, com uns 19 anos, tentando sair pela porta da casa aos gritos. Nisso tinha umas 5 ou 6 mulheres tentando segurar ela la dentro. Eu ia me aproximar e uma mulher me impediu dizendo para tomar cuidado com o acoplamento aurico. Eu toda confiante disse "não se preoculpe, eu tenho corpo fechado" (kkk). A mulher acreditou e disse "a bom", me deixando passar... "só o que falta eu passar vergonha depois de ter sido toda confiante", pensei. Quando eu foquei a atenção na menina ela parou de gritar por um momento como se tivesse dado uma enfraquecida (alô mentores), aproveitei pra pular pra frente dela e segura-la energéticamente. Foi aí que começou.. A menina me olhou com uma cara de deboche e começou a jogar energia de volta, dando a impressão de que ela estava ficando maior e tentava fazer com que eu me curvasse perante ela. Eu por outro lado não queria ser humilhada depois de botar banca de corpo fechado, mas estava muito difícil segurar aquela entidade sozinha. La fui eu invocar todo mundo que eu conhecia, foi Jesus, Maria, Shiva.. E a menina ria, cada entidade que eu pensava era um deleite maior de deboche no rosto dela. Pensei "meu deus é o próprio Lúcifer essa criatura", minhas orações por mais bobas e infantis que fossem nunca me falharam.. Foi então senhores, que eu invoquei chefe, o Uno, aquele que se falhasse eu não tinha mais ninguém pra chamar.. Não foi Deus, aquele senhor barbudo, foi o Uno que eu vi em um Samadhi, imaginei aquela complexidade de formas geométricas responsiva a cada mínimo acontecimento do universo, e só então o sorriso no rosto dela sumiu. Uma onda energética varreu todo o cenário pra longe e eu me vi num local deserto, escuro, como se fosse no umbral, e só havia eu e a presença da entidade "maligna". Comecei com meus "pai nossos" e dalhe todas as orações prontas que eu conhecia, porém não era o suficiente. Então fui conversar com o Homi em linha direta: "Pai, eu sei que para essa entidade ter se acoplado, boa coisa aquele espírito não fez, e entendo que foi consequência do livre arbítrio, mas existem outras pessoas sofrendo por causa disso, pessoas que não têm culpa. Por isso peço intervenção.".. Foi só aí que parece que meus "Pais Nossos" e "Aves Marias" começaram a ter efeito. É como se as entidades superiores não tivessem permissão pra intervir até o momento, de tão feio que foi o ato do espirito que estava sofrendo a possessão. Meu corpo começou a vibrar, se encheu de energia e o ar da volta começou a melhorar. fiquei mais um tempo nas orações prontas depois disso e voltei pro corpo me sentindo muito bem. Foi certamente a assistência mais difícil que ja fiz até então. Me fez pensar nas leis do céu e ta terra onde NADA acontece sem a permissão do Uno e em como podemos intervir pelos outros, assim como os "espiritos superiores" fazem tantas vezes conosco, além da força que têm o livre arbitrio... Algo a se meditar sobre. Abraço a todos, vejo vocês no Astral!
  13. Eu ia dizer "coitado do homem preso pela esposa", mas ninguém é coitado nesse astral...
  14. Antes de dormir, durante minha tarefa assistencial diária (exteriorização de energia), trabalhei por intuição, com os mentores, o meu chakra esplênico - o que julgo ser uma preparação para a projeção em horário incomum (para mim, 23-00hrs). Parte 1- Assistência Saí do corpo sem lucidez, achei que tinha levantado mesmo. Fui até a rua e vi minha mãe com as visitas que estavam de fato aqui em casa exatamente onde eles estavam no físico. Havia porém uma consciência a mais e ele veio me seguindo (só sentia a presença, não via com clareza). Eu voltei pro quarto, deitei e fingi que estava dormindo porque não queria interagir. Deitei de lado exatamente como estava meu corpo físico. A consciência entrou no quarto e começou a me balançar para me acordar. A sensação foi 100% igual se fosse real. MUITO REAL. Eu estava com MUITO sono por estar deitada em cima do corpo físico e não queria atender ele, mas ele insistiu como se precisasse urgente de ajuda. meio abobada do sono me virei e coloquei a mão no braço dele, senti que o corpo dele estava totalmente deformado, como se fosse um monte de gordura fora do lugar, uns 150 quilos a mais meio derretendo pra todos os lados. Mesmo sem estar muito lúcida comecei a exteriorizar energia. O corpo dele foi tomando a forma de um homem saudável com musculatura definina. Forcei pra jogar toda a energia que eu podia. Lembro que ele falou em uma língua estranha, parecia uns grunidos quase alienígenas. Nenhuma palavra que desse para entender. Respondi que ia ficar tudo bem e delhe energia. Parte 2- Conversa com obsessor: Após a assistência ele sumiu e apareceu um homem sentado nos pés da minha cama (festa no meu quarto). O homem começou a me contar como havia acompanhado aquele ser anterior por muitos anos, e que ele tinha cometido um estupro "bem do jeito que queria a muito tempo", e que agora estava foragido quase morrendo. No início da conversa o "acompanhante" se sentiu encomodado e perguntou se havia mais alguém ali (mentores) no que eu respondi que não sabia (não estava vendo mais ninguém), ele então trocou de lugar na cama e veio pro meu lado. Estava orgulhoso por ter conseguido influenciar o outro a ter finalmente dado ouvido aos seus desejos sombrios e contava como se se gabasse da façanha. Quando a conversa começou a ficar muito longa os mentores cortaram o papo e ficou tudo escuro, no que eu tive um tempo pra rememorar toda a experiência e só então voltei pro corpo muito leve, me sentindo muito bem. Anotei tudo, havia se passado uma hora desde que deitara para dormir. Minhas impressões: Fui preparada antes de dormir para a assistência e em nenhum momento estava sozinha. Foi permitido aqueles espiritos no meu quarto, um para ajuda e o outro para aprendizado. Os dois devem ter sido devidamente encaminhados após o processo. O resto da noite foi normal, não tentei sair de novo. Aparentemente o estuprador era uma pessoa comum que cedeu aos seus desejos alimentados pelo obsessor por muitos anos, e a fulga e a culpa podem ter até matado ele, deixando o corpo astral naquele estado. Foi a primeira vez que a pessoa necessitada veio me pedir ajuda diretamente. Sim foi um ato abominável, mas eu não julgo ninguém, sabe-se la o que fiz em outras vidas. Aqui me despeço, vejo vocês no Astral!
  15. Pra ser um relato completo de amparo só faltou ela sumir e você voltar pro corpo logo depois!