• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Leadbeater

B-Membros
  • Content Count

    244
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    16

Everything posted by Leadbeater

  1. Estou aguardando novo contato para ver se aprendo mais. /\
  2. Sei que parece absurdo o que vou contar mas preciso compartilhar pois não encontrei nada relacionado. Costumo receber mensagens extrafísicas desde 2012 e de 2017 para cá, o fenômeno tem se intensificado. Não tenho mais medo e já consigo perceber as ocasiões propícias para que a comunicação se estabeleça. Normalmente recebo insights na forma de vozes "na cabeça", vozes reais que podem ser ouvidas por outros, na hipnagogia e, nos casos mais complexos, surge a psicofonia. Essa psicofonia é mais comum fazendo uso da minha esposa como mecanismo transmissor mas já aconteceu comigo também. Depende do alvo da mensagem. Adotamos um protocolo de atuação a tratamento das mensagens para que as consciências que nos contatam sintam confiança e construtivismo da nossa parte. Não revelamos o conteúdo geral, a não ser que seja dirigida a alguém. Em outras palavras, estamos refinando o canal de comunicação para um melhor entendimento das realidades ocultas e para a nossa expansão consciencial. Há 2 semanas surgiram em cima de nossa pia no banheiro do quarto um par de alianças estranho com os nossos nomes gravados. Detalhe interessante é que ninguém comprou, nos presenteou ou deixou ali sem querer. Tanto eu quanto minha esposa achávamos que o outro havia feito uma surpresa. Ficou uma situação estranha. Elas são feitas de material valioso e seriam caras se fossem compradas. Passamos por alguns dias de extrema estranheza mas passamos a utilizá-las. Os tamanhos são perfeitos e precisariam de provas para poder confeccionar com tanta precisão. Numa recente psicofonia, dentre os assuntos tratados, comentei sobre o par de alianças e a consciência comunicadora explicou que não foi dada por ela mas que não tinha procedência "terrena". Esse foi o termo utilizado. Disse que ganhamos de presente dos nossos irmãos e que é para pensarmos positivo para colhermos positivo. Apesar de querer saber mais detalhes preferi agradecer e não extrapolar a comunicação. Despedi-me e ouvi um leve e sincero "Estamos sempre com vocês. Sempre por perto. Às ordens.". Estou começando a gerar um arquivo gravado com as comunicações mas prefiro manter em sigilo, servindo para a nossa pesquisa pessoal e para garantir a confiabilidade com os comunicadores. Alguém já soube de algum caso similar de "materialização" ou similar? Muita paz e luz a todos!
  3. Acho que faz todo o sentido sim e que eles vão se revelando aos poucos acompanhando o grau de aceitação da nossa mente daqui. Na certa você é empata e acaba acumulando resíduos energéticos dos locais onde passa, das pessoas que convive e dos amparos que pratica mesmo que não rememore. Essa fase de questionamento sempre aparece aqui de tempos em tempos e parece trazer essa 'baixa auto-estima' que comentou de brinde. Fico pensativo se consciências "negativas" não tentam bloquear projetores quando percebem que podem amparar e sugerem essas sensações. Já até relatei aqui a dificuldade que sinto em algumas épocas do ano em simplesmente passar por algumas ruas e o quanto preciso fazer de OLVE e meditação para melhorar a vibração. Criei até um playlist só de músicas "vibe" para esses dias. hehehe
  4. Muito obrigado! Pois veja, acho que não era a minha família real. Para que eu ganhasse alguma lucidez extra devem ter feito algo para eu me sentir mais tranquilo ou a minha mente primitiva tentou associar por formarem um grupo semelhante (eu, uma mulher e dois adolescentes). Essa dos bebês foi novidade para mim. hehehe
  5. Olá Viajantes, Vou contar dois relatos diretamente relacionados. Aconteceram em duas noites seguidas. Sinto que perdi boa parte da rememoração mas vamos lá: Na primeira noite senti como se fosse induzido a projeção e levado para uma casa confusa. Parecia uma casa cheia de materiais ligados a minha área de formação original (desenho industrial e design gráfico). Tinha pranchetas, réguas, estiletes, canetas nanquim, tintas, muitos papeis, telas, tesouras, borrachas, etc. Nada daquilo fazia sentido e eu estava com a lucidez muito baixa. Queria sair dali. Abri uma cortina e vi outra casa ao lado com mais pessoas e procurava um jeito de fugir. Perda na rememoração. Estou na frente dessa casa conversando com outros "pacientes" e percebo que estou numa área rural. De repente saio correndo querendo fugir dali e chego até o fim dessa estrada de terra secundária onde se encontra com outra estrada mais larga, formando um cruzamento em "T". Logo a frente tem uma grande plantação e lembro de olhar para o céu estrelado. No momento exato que ia começar a ver algo de diferente no ar sou tracionado com força mas sem violência de volta a clinica. Na segunda noite também sou induzido a projeção mas dessa vez estou com a minha família junto. Consigo perceber melhor o lugar e vejo várias casas iguais, áreas de lazer, bosques e um lindo lago iluminado pela lua. Estou muito mais lúcido e adentramos a uma das casas e começamos a ver como são os quartos, a sala, banheiros, a cozinha e uma mesa de jantar cortada ao meio por uma parede (estranho). Ficamos um tempo lutando com a lucidez para tentar entender o que está acontecendo. Vemos enfermeiras passando, outras famílias, médicos e percebo que não estamos no Brasil. Ouvi algo como nas proximidades de uma grande cidade no exterior. Em dado momento aquela parede que dividia a mesa de jantar se ergue percebemos que a nossa casa é conjugada com outra igual e que esta mesa fica precisamente no centro da construção. Fica um clima estranho pois não conhecemos a outra família e eles não falam português. Noto que estão no mesmo estado confuso de lucidez e tentamos manter o ambiente o mais controlável possível. Uma experiência estranha. Vejo alguns bebês com óculos coloridos fazendo procedimentos nas duas famílias e isso gera uma sensação de ternura + estranheza. Difícil relatar com precisão. Tem momentos que a gravidade parece diferente e os objetos e móveis são leves demais. Perda na rememoração. Estou numa conversa com algumas pessoas e percebo um parente falecido entre eles. No meio do papo ganho um pouco mais de lucidez, percebo nitidamente que estou no astral e num ato de esperteza animalesca (que vergonha) faço uma pergunta pessoal sobre o futuro. Eles param a conversa, se entreolham e me transmitem a mensagem de que devo apenas tocar a vida. Perda na rememoração. Retorno suavemente ao corpo. Perguntei mas minha família não se recorda de nada. Paz e luz a todos!
  6. Muito obrigado! =) Você comentou "só ficavam me observando através de um vidro que me separava deles como se "me vigiassem" à distância" e isso me fez lembrar de que já tinha visto eles outras vezes mais ou menos desse jeito. Na minha memória é como se fosse um "rasgo" na realidade no formato oval onde eles davam umas espiadas no meu ambiente. Não tinha mensagem alguma mas lembro daqueles olhos me "espiando". Também dei uma pesquisada no Google mas caí naquelas definições de etnias de seres extraterrestres e eu 'ainda' encontro muita dificuldade em aceitar. Nenhuma ilustração do Google define bem o que vi. A sensação que dá é que são seres mais bem formados do que nós, como se fôssemos "temperados" com um pouco deles. Notei que eles são muito atenciosos e mas evitam se expor facilmente pois sabem que causam estranheza nos humanos. Eles foram me acostumando aos poucos e realmente não tenho mais medo. Apenas me sinto um ratinho de laboratório perto da capacidade intelectual deles apesar de que eles nunca se vangloriam ou se exibem. São sempre humildes, amáveis e parecem nos adorar. Saio com a alma limpa depois do contato com eles. O contato também parece ter uma duração máxima que pode estar ligada a nossa longa exposição a radiação deles ou algo assim. Sinto que eles sabem que podem causar algum efeito adverso e preferem contabilizar bem os contatos próximos.
  7. Ola Viajantes! Semana de grande aprendizado para mim e minha família. Início difícil e posterior aprendizado "na marra". Não vou postar detalhes pessoais nem mensagens, as quais acredito serem alcançadas naturalmente de acordo com o seu grau de evolução/expansão, mas relatarei alguns detalhes "técnicos" que podem ajudar outros interessados em se aprofundar nos estudos. Acho que algo mudou na minha experiência de umas duas semanas para cá. É como se fosse sendo poupado menos e exposto mais a situações que acabam por elevar a nossa compreensão e sempre acompanhado por consciências-guia. O meu ritual diário começou a resultar em saídas de formas diferentes e acredito que alguns fatores as tornaram até mais fáceis. Não sei nem como começar... Descobri que procurava respostas da forma mais difícil e pouco prestava atenção a pequenos sinais diários e pontuais que, se unidos e colocados em sequência, resultam nas respostas. Uma mensagem que se tornou repetitiva nessas duas últimas semanas foi a de que é preciso chamar 3 vezes tudo aquilo que almeja nos planos mais elevados. Tem muita lógica pois se você pronuncia 1 vez pode ser uma citação, 2 uma coincidência, mas 3 já indica solicitação. Claro que é preciso pedir com profundidade e seriedade. Não se deve pedir algo absurdo ou sem algum tipo de conexão com a sua realidade atual. Também é preciso criar o maior número de conexões possíveis para que o universo possa ter mais chances de te responder. Passei por algumas situações de bloqueio no estado de catalepsia projetiva e levei alguns sustos mas agora entendo que estava sendo treinado para dominar mais as técnicas. Num dos "sustos" lembrei de chamar por meu guia/mentor e do esquema das 3 vezes. Na noite seguinte, após as técnicas, me vi sentado numa cadeira simples de madeira com uma mesa quadrada igualmente simples e numa sala vazia. Vi o rosto de um ser que me fez lembrar de que já o conhecia há muito tempo. Não era uma feição 100% humana mas tinha alguns traços semelhantes. Um cara ruivo com olhos gigantes e na cor ocre brilhante e luminescente. Impressionante. Ele disse: "Vi que você me chamou.". Ficamos um tempo conversando e ele me mostrava coisas da minha infância na forma de imagens numa espécie de tela. Vi algo como uma casa que não existe mais e outras coisas. O tempo inteiro senti como se ouvisse um som suave distante e muito relaxante. Parecia que estava sendo purificado. Sei que vi mais coisas mas não me recordo. Mudei de sala e fui apresentado a uma mulher com o mesmo aspecto só que com os olhos azuis e igualmente luminescentes. Dessa vez notei que ela era muito maior do que eu, acredito que com mais de 2 metros e meio de altura, mas muito delicada e com movimentos muito precisos. Senti uma energia muito boa e ela queria saber qual era o meu problema. Expliquei algumas coisas que acontecem na família e sobre o que tento pesquisar e falei que não sabia como resolver um problema ligado a uma consciência enferma. Ela tocou com sua mão gigante na minha cabeça e disse que eu já sabia como fazer e que era para aplicar agora mesmo. Num piscar de olhos estava em meio a uma catalepsia moderada (não tão assustadora como uma que relatei) e pensei em ficar calmo. Fiquei ali por alguns minutos enfrentando o medo e pensando que era só eu ali. Em dado momento consegui levantar e passei direto pela porta indo para o cômodo "afetado" e cheguei de surpresa assustando a tal consciência. Ficou apavorado. Não sei como, me elevei do chão, coloquei a mão esquerda sobre o umbigo e apontei a mão direita para ele. Nem precisei fazer nada pois a consciência disparou fugindo como se fosse um tiro. Incrível. Repito, não cheguei a fazer nada efetivamente. Voltei para o corpo tranquilamente ouvindo uma espécie de "Viu?" na minha mente. Depois disso, projetei com facilidade nas demais noites e chego a acreditar que o consumo de glicose (doces) sem excesso ajuda no processo. Água mineral também parece exercer uma força incrível no "descolamento" e o principal, é você se aceitar bem e na condição em que vive. Senti que me libertei de algumas amarras ao conversar com o primeiro ser amigo. Isso deixa a alma mais leve. Aprendi que tudo o que precisa bancar forte e poderoso na verdade esconde uma falta de evolução e que não deve ser enfrentado como um inimigo e sim como uma consciência enferma. Descobri que "morrem" de medo da gente e que na maioria das vezes são apenas consciências com baixíssima lucidez precisando de amparo. Quanto maior for a necessidade de força e poder, menor é o nível evolutivo e consciencial do ser. Precisamos nos concentrar em sermos mais seres das estrelas e ligados ao avanço tecnológico do que presos a conformidade animalesca de suprir necessidades fisiológicas presas ao solo. É duro mas seria melhor pensarmos menos em esfregar carnes para expelir substâncias e mais na busca de conhecimentos, curas e formas de expandir a consciência geral. Paz e luz a todos!
  8. Então, eu fiquei meio preocupado mas dei uma lida nos relatos do Saulo, do Wagner e até mesmo do Waldo, e vi muitas similaridades com o que muitos postam aqui. Fiquei mais tranquilo. Notei também que a "natureza" do universo é implacavelmente igualitária a todas as consciências (o que é ótimo). Relatos: http://www.viagemastral.com/site/category/relatos/
  9. Mais uma vez, muito obrigado @sandrofabres! Demorei para responder mas passei a tarde de domingo mergulhado nas informações que você passou. Descobri que não sei praticamente nada! hehehe Eu só fico um pouco preocupado em estar sintonizando apenas essas faixas "razoavelmente complicadas". Não sei se é porque moro num bairro que possui muitas consciências em vários planos ou se estou vibrando nessa mesma faixa... =( Preciso trabalhar meu dia a dia para me tornar mais leve e positivo pois parece que fazendo as técnicas e me projetando por conta própria, só canalizo essas faixas nem tão ruins nem muito boas. As poucas vezes que visitei ambientes incrivelmente superiores foram provavelmente patrocinadas por consciências mais elevadas. Espero que seja apenas uma missão minha de treinamento e que por alguma razão não rememoro muito os planos mais elevados.
  10. Já passei por essa situação algumas vezes. Acho que é normal e quem é projetor pode aceitar esse tipo de treinamento. Também já presenciei esse tipo de "mão" no ombro. Eu ainda preciso de mais explicações sobre o que realmente acontece pois é como se fosse uma incorporação fora do corpo. Ainda não entendo. Isso acontece direto comigo. É bem assim mesmo: experiência super lúcida e depois rememoração fraca "borrada". Noto que cada vez mais pessoas estão visualizando esses "centros de compras" tanto na forma de shoppings mais legais do que os nossos como feirinhas nas ruas. Ainda fico na dúvida como que é o esquema de monetização desses planos.
  11. Na verdade, pensando bem, não senti dor. Devo ter antecipado ou sugerido dor por sentir esse rasgo de “matéria”. Você descreveu precisamente a sensação da saída forçada e o ambiente. Eu realmente estava com muito medo.
  12. Bom dia a todos! Eu ia postar como um relato mas acredito que tenha mais dúvidas do que coisas para contar: Ontem foi um sábado preparado para ser leve e para eu tentar me projetar lucidamente. Tentei fazer tudo o mais certo possível mas acredito que uma ligeira soneca a tarde abalou o procedimento posterior. Fui tentar dormir a noite mas sinto que não estava com sono suficiente. Fiquei um tempão movimentando as energias mas muitos pensamentos negativos ficavam invadindo minha mente. Estava fora do normal. Eram pensamentos sem relação alguma comigo e era nítida a interferência de alguém. Tentei bloquear imaginando X vermelho na tela mental mas a invasão permanecia. Cheguei ao ponto de partir para o Belilin e logo após o primeiro bloco, minha mente já desviava para algo diferente. Precisei tentar repetidas vezes para conseguir finalizar. Acabei dormindo leve. Acordei as 3:25 com a sensação de que não dormi. Parece que fiquei a noite inteira remoendo pensamentos. Bem estranho. Fui ao banheiro e voltei para tentar as técnicas. Parecia que não ia de jeito nenhum até que "desisti" e apaguei. De repente, fiquei razoavelmente lúcido num local que parecia uma lateral de uma casa com umas mesinhas equipadas com computadores e muitos fios. Tinha bastante gente ali e ouvia uns cochichos "olha, um projetor..." que as vezes soavam respeitosos e outras vezes algo do tipo "Agora tá na moda aparecer esses projetores. Era só o que faltava!". Tinha uma moça baixinha de cabelos curtos e claros que me puxou pela mão para me tirar dali e dizia para os outros: "Deixe ele. Como se vocês nunca tivessem passado por isso!". Ela queria que eu ajudasse em algo que parecia ser uma habilidade minha. Deixei a área de trabalho mais organizada. O pessoal da equipe agradeceu mas eu não entendia direito o que estava acontecendo. Num momento a moça baixinha comentou que eu estava a poucas quadras da minha casa no físico e eu já tinha começado a notar isso. Moro num bairro bem movimentado com casas, prédios e sobrados bem concentrados. Depois que senti que já tinha feito a minha tarefa ali me despedi e saí caminhando pelo bairro em direção a minha casa. Embora seja um bairro denso, as calçadas são normalmente vazias no físico (o pessoal só anda de carro aqui na minha cidade) mas, nesse plano, apesar de ser certamente Umbral, tudo era muito limpo (melhor até do que aqui) e repleto de pessoas! Vi pela primeira vez carros estranhos mas o que me chamou a atenção é que numa rua aqui perto que é sempre vazia de pedestres, havia um monte de barraquinhas vendendo coisas. Parecia a feirinha de Balneário Camboriú com vários produtos sendo vendidos! Tinha um monte de aparelhinhos de música, jogos, roupas, doces, etc., tudo numa estética consideravelmente diferente da moda atual aqui. Tinha música dos anos 80 tocando e muitas pessoas tentavam falar comigo mas eu estava meio grogue. Tinha um cara que bancava o meu "amigão" ali mas achei meio estranho e não deixava ninguém me tocar. A maioria das pessoas era bem intencionada e o ambiente parecia bem limpo e organizado. Acho que esse "amigão" estava pregando uma peça em mim pois em dado momento, quase chegando na esquina da minha rua, as pessoas começaram a me olhar diferente e um vendedor de uma das barraquinhas me perguntou se já ia embora. Soou estranho mas continuei até chegar na minha residência. Precisei pedir licença para conseguir entrar, já estava cansado de andar e notei que minhas pernas estavam mais compridas do que o normal e eu usava umas botas altas! Pensei que estava perdendo a sintonia e já sentia a vontade de urinar do meu corpo físico. Numa bobeira de lucidez tentei ir no banheiro no astral mesmo e levei um susto ao me ver no espelho. Eu era uma mulher alta, de cabelo preto e usava roupa sensual demais e depois o meu visual atual retornou. Alguém estava tirando sarro da minha cara esse tempo todo! Até que acordei bem mas com raiva da zoação que fizeram comigo. O bairro parece vazio agora no físico. Dúvidas: • É possível plasmarem um visual para que zombem da gente? • Tem dinheiro no Astral? Como funcionam essas lojas? • Como é possível ter a gravação das músicas do físico lá nesse plano? • O Umbral é assim tão mais povoado do que o físico? • Esses "amigões" são assediadores? • Esse escritório com a moça baixa era uma operação de amparo? • Dá para confiar em espelhos no Astral? Dessa vez foi no mínimo curiosa e minha experiência... Paz e luz a todos!
  13. Então, essa parte é que me deixa pensativo: "As memórias da primeira saída (a causa do episódio de paralisia) não são transferidas para a mente física. Não há nenhum traço do que causou a paralisia." Lembro nitidamente que nessa "forçada" para me descolar (realmente) do corpo físico, senti como se estivesse rasgando a pele. Parece a sensação de arrancar uma fita "silver tape" do braço com força. Isso tudo parece ter ferido o meu corpo astral (acho eu) pois fiquei bem fraco e cambaleante por alguns poucos segundos antes de sentir como se a bateria tivesse acabado. O medo me dominou. Era como se eu estivesse inteiro ferido. Foi até um alívio voltar para o físico. Essa parte reflete exatamente o que aconteceu: "O medo é desencadeado pela paralisia e intensificado pela reação combinada resultante da proximidade entre o corpo/mente física e seu duplo projetado. Este feedback pode ser particularmente forte durante uma OBE em tempo real."
  14. Boa! Farei isso. Nunca tinha acontecido comigo. Fiquei assustado.
  15. Eu acho que comi um hambúrguer daqueles "levemente" gigantes...
  16. Olá! Sou casado e pratico as técnicas mesmo com minha esposa ao lado. Primeiro, espero minha esposa adormecer e preparo o ambiente para estar bem positivo. Depois faço uma série de respirações e daí inicio a OLVE. As vezes, medito também. No início, quando você faz a OLVE, dá para perceber que a movimentação gera espasmos musculares em minha esposa. Com o tempo, acredito eu, vai se criando um equilíbrio e você consegue se projetar mais facilmente. Sozinho é mais fácil mas se você treinar bastante, consegue mesmo na cama de casal. Depois é interessante pois as vezes, quando saio no Astral, vejo a minha esposa flutuando acima de seu corpo e outras vezes ela nem está mais ali. Ela projeta e não se recorda.
  17. Olá Projetores! Consegui projetar com lucidez algumas vezes desde o ano passado quando iniciei a prática das técnicas do Saulo/GVA mas nunca havia passado pela situação de ficar "preso" no estado de catalepsia projetiva. Apesar de já ter feito algumas experiências lúcidas fora do corpo, o máximo que senti foram algumas situações de intensa vibração do corpo e a posterior saída já em Astral. Dia desses, após fazer as técnicas, senti meu corpo extremamente pesado e vibrando muito. Parecia que estava sendo eletrocutado. Meu corpo não respondia e não conseguia me "descolar" para sair no Astral. Não sei se comi demais naquela noite ou estava negativado mas foi assustador como nunca antes. Agora entendo o medo que alguns relatam e mesmo sabendo que não deve ter nada por ali (espero), a sensação é de que estamos desprotegidos, sem controle e à mercê do que possa estar por perto. Fiz um esforço gigante para conseguir sair daquele estado (parecia que meu corpo fisico pesava umas 5 toneladas e o psicossoma apenas algumas gramas) e dei apenas alguns passos exaustos no Astral até acordar num intenso salto na cama. Com certeza estava com muito "sebo" astral. Vou comer apenas coisas leves antes de tentar as técnicas pois acredito que alimentação pesada é tão ruim e sebosa quanto álcool e outros vícios grudando o psicossoma no corpo físico. Dá para sentir o conflito de densidades. Espero que isso não se repita! Abs e luz a todos!
  18. Eu já tive outra "encarnação" aqui no fórum através da qual havia postado um completo histórico de fenômenos que hoje associo a ufologia. Muitos devem lembrar mas relatarei novamente agora com menos detalhes e mais focado no tema do blog. Alguns detalhes podem parecer difíceis de acreditar mas estou disposto a transmitir os eventos para que possam ser úteis para alguém. Meus pais, mesmo antes de eu nascer, presenciaram uma luz verde percorrendo os cantos do teto da sala da casa onde mais tarde eu passaria a habitar. Ficaram surpresos e só me contaram sobre isso depois de algum tempo quando eu já estava com 7 anos e também presenciei o fenômeno. Na época (anos 70) eu morava num sobrado (estilo curitibano) e desci até a sala para ajudar a minha mãe a levar a TV (preto e branco) para cima. Vimos a mesma luz até desaparecer. Tenho umas rememorações de infância de um evento com muita luz e fumaça verde nos fundos desse sobrado e sempre associei a um quase incêndio no terreno próximo. Meus pais não lembram de nada assim. Perto da virada para os anos 80 a nossa família se mudou para uma casa num bairro mais afastado. Um dia ouço minha mãe berrando no quintal e, depois de correr até lá, me deparo com ela em cima de uma escada olhando para o terreno baldio que ficava nos fundos. Ela estava tirando roupas de uma estrutura que usava como varal (secar roupas) e viu o mato amassado no formato circular. Não só vi o fenômeno como dei a volta na quadra e fui entrar na área. Chamei meus amigos e muita gente viu. Na época eu só tinha uma pequena máquina fotográfica Kodak e estava sem filme. Alguém tentou chamar a imprensa mas não deram bola. O assunto foi comentado durante algumas semanas até que morreu. Não vou detalhar mas essa casa foi palco de vários eventos fora do normal e após o evento acima, tanto minha mãe quanto meu pai, minha tia que morava com a agente e até eu mesmo, presenciamos algo estranho. Minha mãe rememorava coisas estranhas como vultos na cor violeta andando pela casa, meu pai sentia que sentavam no peito dele enquanto dormia, minha tia jura ter visto a falecida mãe (minha vó materna) e eu passei por várias paralisias do sono, visualizações de seres brancos baixos que eu associava a crianças. Hoje, depois de me aprofundar em estudos esotéricos, percebo que me projetava, volitava e falava com seres. Fui perdendo essa conexão conforme ia crescendo. Já com uns 16 anos, numa noite quente com céu limpo e estrelado (raro aqui), eu fiquei no jardim enquanto meus pais saíram de casa para buscar num hotel um casal de amigos que vieram nos visitar. Em dado momento, eu fixei a visão numa estrela para poder perceber a movimentação de estrelas cadentes (fica mais fácil) mas o que percebi foi um grande objeto no formato de "capsula de remédio" na cor preta e com acabamento fosco passar muito rapidamente indo para o norte. Consegui ouvir um som muito baixo de gerador elétrico. Ninguém mais percebeu aquilo e nem teria como registrar. Acredito ser um objeto grande a uma boa altitude. Depois disso, estudei, fiz intercâmbio, morei fora, voltei, casei, separei, estudei mais, trabalhei bastante mas hoje em dia percebo que não tinha muita lucidez. É como seu eu fosse uma espécie de zumbi funcional cumprindo um script de tarefas sem questionar nada nem buscar mais conhecimento sobre a origem e destino de tudo. Passei mais uns tempos fora do país mas sem ter noção de que existia uma busca por conhecimento. Uma pena. No ano 2000 conheci a incrível pessoa que se tornaria a minha atual esposa. Ainda enquanto namorávamos, passamos o final de ano em Balneário Camboriú. Numa noite, vimos objetos em formação sobre uma montanha ao lado da cidade. Aquilo foi incrível e não tinha como ser outra coisa a não ser tecnologia que ainda não temos (acho). Em 2001 meu pai foi diagnosticado com câncer na garganta resultante do uso de cigarro. Passamos por uma fase muito ruim indo e vindo de tratamentos e internações. Durante tudo isso, nasceu meu primeiro filho. Mais tarde, meu pai teria algum grau de recuperação mas com muita sequelas. Continuou fumando assim mesmo... Em 2003 nasceu meu segundo filho. Somos felizes mas não consigo me desenvolver profissionalmente para gerar um grau de conforto razoável. Sinto como se eu fosse meio bloqueado / travado. Não sei explicar. Passamos por várias dificuldades e em 2006 sofro uma hemorragia interna severa e perco a consciência algumas vezes. Na pior delas, sinto tudo escurecer e fico no meio do nada ouvindo vozes me chamando lá longe. Fico conformado com a hipótese de que estou morrendo mas não fico com medo nem triste. Mais tarde descubro que fiquei inconsciente durante várias horas e acordo após uma cirurgia cheio de aparelhos ao meu redor. Foi um susto e tanto. Levei tempo para recuperar a confiança no corpo físico. O susto da minha passagem pelo hospital foi forte e afetou muita gente na minha família. De alguma forma, acordei mais para a vida e começamos a progredir. Após esse evento, passei a presenciar fenômenos até ali estranhos para mim. Sonhos com mensagens, visualizações de vultos, objetos que mudavam de local no apartamento, enfim, muitas coisas estranhas. Algumas mensagens eram direcionadas a pessoas distantes e eu, mesmo sem entender o enredo, as transmitia e percebia que faziam sentido para elas. Como sou de uma área bem materialista profissionalmente, custei a acreditar e aceitar que estava canalizando esse tipo de fenômeno. Meus filhos foram crescendo e achamos que estava na hora de sairmos do aperto do apartamento para irmos morar numa área mais retirada da cidade e com mais liberdade. Mudamos para uma casa num condomínio afastado numa área com muitos bosques e natureza. Os meus fenômenos visuais e sensitivos aumentaram significativamente nesse período e comecei a ficar cada vez mais tentado a pesquisar. Começo a me interessar por ufologia devido aos eventos que presenciei anteriormente e assisto a vários videos, leio muitas matérias e de alguma forma sonho presenciar algo novamente para prestar mais atenção. Nos primeiros meses de 2012, numa noite comum e ainda quente. Durmo olhando para a janela do meu quarto (que fica bem a frente) e noto um pontinho vermelho "lá longe". Fico vários minutos vendo aquilo até que dormi. Acordo as 5:00 da madrugada ofegante e assustado com uma incrível rememoração e uma dor muito forte na base da coluna. Vou até o banheiro ver o que tinha no espelho e vejo uma marca roxa bem no local onde dói. Rememoração (compilação de fragmentos de memória que fui recuperando): Percebo que estou fora do corpo (nessa época nem sabia que existia projeção) em frente a minha casa. Estou curioso vendo um objeto retangular totalmente vermelho e no formato de um armário mas com uns cones pontudos apontados para o meu quarto. Não é uma nave mas sim um dispositivo. Não consigo entender. Sinto novamente meu corpo e percebo a posição. Consigo sentir que estou de barriga para baixo com a cabeça virada para a direita. Percebo uma luz muito forte vindo da parede ao lado e de lá saem uns seres que me conduzem paralisado para um outro ambiente muito iluminado. Noto que estou no que parece ser uma sala de cirurgia e fico apavorado. Além de quase totalmente paralizado (movo apenas os olhos), sinto que estou sobre uma mesa metálica muito gelada e que tem umas mãos igualmente frias me examinando. Tento ficar lúcido mas é como se meu corpo estivesse levando um choque constante. Consigo abrir os olhos e vejo 2 dos tradicionais greys fazendo procedimentos em mim. Ignorante total, começo a reclamar pedindo para que me soltem. Noto mais 2 deles dentro de uma espécie de cabine com vidro na frente. Percebo que tem um mais alto acima da minha cabeça mas fora do meu campo de visão. Começo a ficar muito agitado e percebo que estou complicando a intervenção deles. Em dado momento, um deles pega com sua mão gelada nas minhas costas, se aproxima e fala perto do meu ouvido: "Calma. Fique calmo, por favor. Vai ser rápido e é necessário. Logo vai esquecer.". Sinto uma agulhada muito dolorosa e uma sensação de que minha pele está rasgando por dentro na altura da coluna e na região lombar. Devo ter gritado. Fico um tempo ali me acalmando e lanço um olhar de raiva para os 2 que estavam naquela cabine. Pensei: "Olha só como vocês não são tão superiores e perfeitos assim! Estou consciente e tenho certeza de que não tendo o resultado planejado.". Um outro se aproxima e fala comigo: "Fizemos isso com você e com o seu filho mais velho.". Encerram o procedimento, tento ver mais detalhes do ambiente mas não consigo. Tem uma luz muito forte sobre mim e o resto do local fica escuro. Sinto que tem mais pessoas ali naquela situação. Em dado momento me recolocam na minha cama exatamente na mesma posição e levo um bom tempo até conseguir sair do que hoje sei que era um forte estado vibracional. Desde então, vivo com um zumbido constante. Fiquei um bom tempo achando que isso foi um evento negativo e mais para o lado do sequestro. Hoje já percebo que passei por uma intervenção acima do que minha consciência consegue processar. Esse evento acelerou e muito a expansão da minha consciência e percebo que estou em constante contato com eles. Foram várias as vezes que ouvi o som elétrico dos dispositivos deles durante a noite além de rememorações deles no meu quarto, luzes vermelhas no céu, convites para caminhar a noite sozinho, etc.. Não adiantou mudar de residência novamente pois eles encontram um jeito de te achar. Chegaram até a comentar comigo que uma construção ali por perto atrapalhava um pouco o procedimento deles. Minha ideia de que era um evento negativo começou a mudar após algumas rememorações de projeções onde pude ser elevado por feixes de luz que transmitiam vibrações confortáveis e uma felicidade sem limites. Fui naturalmente atraído para uma busca mais aprofundada de conhecimento e entrei para uma ordem inciática. Agora muita coisa faz sentido e acredito estar sendo preparado e próximo para um evento um pouco mais complicado pois já rememoro contato com outros tipos de seres além de lembranças de já ter operado dispositivos deles anteriormente. É como se já tivesse estado do lado de lá da história. Se você passa por esse tipo de experiência, não se sinta sozinho(a). Tem muita gente por aí com receio de compartilhar. Queria encontrar um grupo de apoio a pessoas com esse tipo de experiência para troca de informações e relatos. Acredito que existem seres operando em outras faixas vibracionais juntamente com consciências humanas desencarnadas e que muitas das experiências são equivocadamente relacionadas e analisadas por nós. Acho que nossa mente aqui encontra-se num estado muito limitado para entender a realidade múltipla que existe ao nosso redor e as consciências superiores apenas nos apresentam o que não nos tira do estado vibracional estável e, ainda assim, dentro do universo de crenças pessoal.
  19. Olá pessoal, Gostaria de saber se existem grupos de apoio a abduzidos aqui no Brasil. Descobri recentemente que existem muitos em países como Chile, Argentina, EUA, Canada, França, Russia e etc. Deve ter alguém mapeando / rastreando os eventos e estudando a lógica de toda essa operação por aqui. Abs e muita luz!
  20. Olá Projetores, Hoje acordei as 4:00 e mesmo sentindo muito sono me segurei para fazer um pouco de OLVE. Primeiro de decubito dorsal e depois de lado. Não demorou muito para já perceber algumas imagens na tela mental. Sei que tive uma experiência longa mas só consigo me lembrar de alguns poucos fragmentos: uma ponte gigante, cidade grande vista de cima a noite, conversas com algumas pessoas e uns seres meio distorcidos (como que com pernas de pau). Resumindo, não consigo montar a sequência dessa parte do relato. Depois de algum tempo vou ganhando lucidez e percebo que estou há um certo tempo batendo um papo com um senhor baixo de cabelo raspado que agora, depois de várias experiências, começo a acreditar que seja meu Mentor. Conversávamos sobre várias coisas e ele me perguntava sobre coisas da vida enquanto eu tentava aprender ao máximo. Noto que estamos todo esse tempo andando sobre o que a minha mente física acredita ser um trilho de metrô. É um túnel escuro mas bem limpo e com tecnologia avançadíssima. As vezes, de x em x metros, tem uns quadrados com um material de borracha fofa e, num desses, noto uma placa de veículo com a escrita "Madrid". Percebo que esse túnel começa a se curvar e ao lado começam a aparecer umas portas abertas com salões de convenções repletas de pessoas. São salas super iluminadas e na frente de cada uma, mas ainda do lado de fora e nesses trilhos, tem uns símbolos iniciáticos bem conhecidos. Um para cada sala. Parecia que era para eu ver esse ambiente. É uma estrutura gigante, circular e cada "fatia de pizza" é um auditório para uma das ordens. Um senhor apressado passa por mim e diz que sempre vem de Madri para esse evento. Continuo andando mas sinto que esse trilho me leva para o meu corpo físico. Volto por conta própria e é uma das poucas vezes que rememoro o processo de volta com certa lucidez. Também noto que já estive várias vezes nesse ambiente de trilho de metrô tecnológico. Paz a todos!
  21. Olá Viajantes! Hoje tive uma projeção um tanto quanto diferente do meu padrão. Adormeci pensando em como eu dificilmente consigo volitar da maneira como leio em outros relatos e acho que isso deve ter ativado uma "solicitação" de treinamento. Não fiz grandes coisas em termos de técnicas pois tive um domingo corrido, com direito a bate e volta a uma cidade razoavelmente próxima, e estava muito cansado. Fiz um pouco de OLVE e apaguei. Quando me dei conta, estava numa espécie de mesa redonda com uns 4 seres (prefiro não descrevê-los) que estavam tentando aumentar o meu grau de lucidez. Lembrei na hora de uma conversa que tive aqui no fórum e comentei que tinham me falado que se eu fizesse a posição de lótus conseguiria volitar. Percebi que estava numa espécie de curso para me desenvolver nessa movimentação. Perda na rememoração. Estou de pé numa sala vazia e ouço alguém me chamar como se fosse no quarto andar. Penso na posição da pessoa e começo a tentar volitar mas não consigo. Faço a posição de lótus já visualizando como se estivesse a 1 metro do chão e consigo me manter. Chamam novamente e começo a subir atravessando os pisos dos andares. Passo por apartamentos, vejo tubulações e cabos, até que chego no quarto andar. Tem uma moça de cabelo preto me esperando e pergunta se senti alguma dificuldade. Respondo que não e ela disse que eu preciso acreditar mais para poder gerar deslocamento. Perda na rememoração. Estou novamente falando com os seres na mesa redonda e noto um padrão diferente na textura da pele deles e aquilo (não sei como nem porque) gera uma perda na sintonia. Sinto que passo por uma área muito gelada antes de chegar no físico. Acordo super bem e relaxado. Paz a todos!
  22. Obrigado @Ashram, @sandrofabres e @Iogui! Vocês não sabem mas me responderam antes de perguntar! Muita paz e luz a todos!
  23. De uns tempos para cá tenho meditado bastante e treino técnicas energéticas de respiração positiva e negativa. Após alguns minutos, já em estado de relaxamento, sinto umas alfinetadas suaves na região dos gânglios cervicais. Estou fazendo algo de errado, é reflexo direto de algum tipo de ativação ou resposta de assédio? Muita paz e luz a todos!
  24. Olá Viajantes! Depois de um dia corrido, assisti um pouco de Netflix e acabei dormindo cedo. Acordei às 4:10, fui ao banheiro, e iniciei meus procedimentos. Dessa vez, seguindo os conselhos de outros projetores, positivei bem o ambiente e segui à risca as técnicas de movimentação de energias. Comecei a perceber imagens e resolvi deitar de lado ainda fazendo OLVE. Notei que estava exatamente na fronteira entre planos pois eu abria os olhos, via a porta do armário e, mesmo fechando novamente os olhos, ainda percebia muito sutilmente a mesma porta só que sem a decoração normal. Brinquei um pouco com isso. Consegui ver sutilmente o meu quarto (estava com um pouco de claridade), mesa com TV, porta do banheiro e uma mesinha, alternando entre olhos abertos e fechados, com as perspectivas perfeitamente sincronizadas. Excelente teste. Acho que fiquei empolgado com isso e acabou afetando o meu desdobramento. Perda na rememoração. Ganho lucidez já dentro de uma roda de conversa entre umas 5 pessoas. De início, acredito que uma delas seja a minha esposa. Estava no meio de um assunto e eles notaram que eu mudei e trocaram a conversa. Tento disfarçar nessas ocasiões mas devo ser péssimo. hehe. Ia escrever algo aqui agora mas acabei de esquecer. Uma pena. Falaram algo importante... Perda na rememoração. Estou num estacionamento ao lado de um edifício gigante e bem moderno. A arquitetura é estranha, sendo a estrutura principal externa uma armação de metal vermelha gigante, com os apartamentos sendo módulos de vidro encaixados uns sobre os outros. Cada módulo tem uns 50 x 50 metros. Olho para os lados e vejo que existem vários edifícios desse tipo mas com estilos diferentes. Olho para frente e vejo que estou numa praia num país diferente. O mar é preto. Certeza de ser uma faixa do Umbral mas com urbanismo e tecnologia superiores aos daqui. Passo por uma porta e entro no hall do edifício. Noto que tem uma porta frontal e, só por curiosidade, abro para ver como é a rua. Neste momento fico bem lúcido e, como sempre, olho para as minhas mãos e brinco com o ambiente. Noto que tem interfone e fico impressionado em perceber com lucidez que estava ali mesmo. Bem legal mas estranho ao mesmo tempo. A rua está vazia. É tudo muito limpo e dá uma sensação de ser uma cidade eslava. Volto para dentro e subo uma escadaria com teto de vidro e posso ver a estrutura colossal do edifício acima. Pego um elevador e acabo entrando num dos módulos/apartamento. A decoração é muito legal e mais avançada do que a nossa e nesse momento quase perco a sintonia. Não perdi sintonia mas sim um pouco de lucidez. Percebo que estou confuso e começo a falar asneiras como: "Como que entramos assim sem pedir permissão? Não lembro de ter pago nem reservado este local no Airbnb..." Concluo que não estou sozinho e penso estar com minha esposa. Perda na rememoração. Devo ter perdido a sintonia após o descontrole e no caminho de volta ao físico, visualizo umas orgias "light" como se fosse numas telas em movimento. Ouço várias pessoas conversando e acordo. Paz a todos!
  25. Como você se defende das energias da rua? Parabéns pela experiência! Sempre belos relatos!