• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Patríciaf

B-Membros
  • Content Count

    68
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Patríciaf last won the day on November 7 2018

Patríciaf had the most liked content!

Community Reputation

30 Excellent

1 Follower

About Patríciaf

  • Rank
    Advanced Member

Recent Profile Visitors

149 profile views
  1. Patríciaf

    Vontade, determinação e propósito

    Essas respostas estão em você, a caminhada é solitária, mas a notícia boa é que a resposta está dentro de nós. Você sente um chamado, tente ouvir, mas não se sinta na obrigação. Não precisa ter pressa para nada, lembrando que o tempo também é precioso, todos nós temos essas questões, mas precisamos sempre nos orientar no sentido do bem. Minha dica é que tente fazer meditação, dê uma chance e avalie o que te fará bem. Tem muito material na internet, avalie criticamente para distinguir o que serve ou não para você.
  2. Tem um curso sobre OLVE no youtube da Nanci Trivelato, é bem completo, vale a pena.
  3. Patríciaf

    Seria isto projeção astral?

    Desculpa, mas estou rindo por dentro, achei muito engraçado. Você faz ideia de quantas pessoas tentar ter esse tipo de experiência? Concordo com os dois comentários acima de que foi uma experiência em corpo mental. Pesquisa o material do Wagner Borges, ele fala bastante sobre isso também. O Laércio Fonseca segue a linha oriental, tb é interessante. Algumas das sensações que vc escreveu eu também sinto durante as meditações, mas nunca tive nenhuma experiência mais significativa, elas realmente são diferentes dos sintomas projetivos de que tratam a conscienciologia. A respeito do medo se você trabalhá-lo para vencê-lo, com certeza vai ter experiências fantásticas. É muito raro ter experiências assim mesmo pra quem pratica as técnicas, são habilidades adquiridas ao longo de muitas existências e parece que você tem isso dentro de ti.
  4. Patríciaf

    # Minha 1a experiencia...

    Muito legal a sua projeção, teve muitas experiências legais logo de cara. Quando eu era criança tive um sonho em que voava, toda noite eu dormia pensando naquilo e queria repetir a experiência, acho que na verdade foi uma projeção, eu nunca mais consegui voar daquela forma e me lembrar.
  5. Pelo o que entendo quando fazemos as técnicas de saída é mais fácil a rememoração e controle. Se você trabalha para o bem com frequencia, deve ter se formado uma egregora em torno de si, se não souber o que fazer se coloque à disposição. Na primeira projeção que eu tive, quando percebi que estava projetada "fechei os olhos" e pedi aos mentores que me guiassem, "acordei" em outro lugar em estado de euforia, foi a melhor projeção que eu tive até hoje, acordei com vontade de contar pra todo o mundo, tive certeza que eu precisava trabalhar bastante para sentir aquilo novamente. Nós também não devemos esperar que os mentores façam tudo por nós, caso contrário psicologicamente eles se tranformariam em nossas "muletas" e tudo o que acontece os culparíamos. Aproveite o aprendizado que terá já que tem essa facilidade e confie.
  6. Patríciaf

    Sentindo o EV sem a OLVE

    Ontem de madrugada entre devaneios comecei a prestar atenção no corpo me sentindo presente, depois comecei a pensar nos sistemas nervoso, depois nos orgãos (não um por um, mas de maneira geral)... tecidos .... células .... organelas ... moléculas ... átomos ... na energia que mantem as ligações e nos espaços vazios .... eu ia sentindo cada vez mais intensas as energias e depois tentei intensificar o estado vibracional prestando atenção... Consegui a projeção, mas lembrei pequenos fragmentos somente. Também consegui instalar o EV uma vez intensificando o zumbido que sentia dentro da minha cabeça, imaginei como se ele espalhasse pelo corpo, parte por parte e depois prestava atenção na sensação tentando amplificá-la pela vontade. Também notei sentir mais as energias durante "orações", coloco entre aspas pq o que faço é um diferente das orações e preces tradicionais, complicado explicar. Eu tentei fazer a OLVE para sentir o EV durante muitos meses, mas sempre tive dificuldade e pouca paciência, a técnica do Saulo ajudou a dar uma evoluída nisso. Quais outras técnicas existem para instalar o EV?
  7. Patríciaf

    Qual a missão da miséria , pobreza e o fracasso?

    Quando eu li isso pensei: por onde começar? Então vou te indicar a técnica do Saulo, não sei se já tentou, mas é bacana que energeticamente é muito boa e nos prende a atenção como se fosse um treino para meditar sozinho depois. Permita-se e não se prenda a sentir as energias, pode ser que aconteça logo de cara e pode ser que demore, eu demorei mais de ano para sentir, quando fiz a técnica ampliei muito a percepção, senti muito logo de cara, mas depois passei muito tempo sem sentir nada, mas continuei fazendo todo dia e isso fez parte do caminho para melhorar muita coisa, inclusive curas que eu julgava serem impossíveis. https://www.youtube.com/watch?v=AxGN5Blyo64&index=5&t=4s&list=PLYz2pm8h3AAcGryMF3HBjn6WslBg5E2Jw Também recomendo os cursos do IBBIS, eles tem uma abordagem universalista muito interessante. Eles se baseiam na autocura e disponibilizam tudo gratuitamente. No curso que postei abaixo eles quebram o paradigma da oração ampliando seu entendimento à meditação e autoconhecimento acima do peditório. https://www.youtube.com/playlist?list=PLLqqrKEkP5MRyc9Z_BoOBva70PlH4bN00
  8. Patríciaf

    Qual a missão da miséria , pobreza e o fracasso?

    Essa madrugada tive bastante tempo pra pensar pq não consegui dormir. Me incomoda bastante o conceito de provas e expiações, eu tenho muita dificuldade em aceitar da forma como a doutrina espírita coloca, parece que não "entra na minha cabeça". Eu passei alguns meses de relativa paz, depois de uns três anos em crise, e tem um tempo que pequenos fatos estão aparecendo como quem diz: "eu ainda consigo te desestabilizar". O que me ajudou a sair dessa crise foram as coisas que aconteceram que abriram a minha percepção para o que havia além desse plano, regressões de memória mudaram paradigmas existenciais, interessante que eu tive a oportunidade de ver e sentir, eu não tive que acreditar por meio de nada que outra pessoa falasse eu pude ver e sentir por mim mesma, mas para isso acontecer primeiro eu entendi o que estudava, me abri para a possibilidade e depois com as experiências eu pude realmente acreditar e ampliar as minhas percepções. Eu não sei bem por que estou escrevendo isso aqui, a noite tive a sensação de que precisava compartilhar e "por acaso" quando sentei no computador essa janela estava aberta. Um fato em especial aconteceu e me fez reviver a crise que passei pela possibilidade de precisar enfrentar aquilo de novo. Sabe quando a gente está exausto daquilo e aparece de novo na sua porta? eu pensei muitas vezes... por que? O fato não se concretizou, mas por que precisei passar por isso de novo? Então pensei nessa questão de prova e expiação... eu meio que não acredito em expiação e carma, não como me explicaram, não posso crer que as coisas estejam absolutamente amarradas em fatos passados que demoram vidas e vidas para se pagarem, acredito que todo o sofrimento que passamos podem ser sim obra dos nossos atos devido aos "dardos de probabilidade" que lançamos no passado com os nossos atos. A grande questão é que nos permitimos passar por essas situações por culpa (digo culpa de outras vidas, o fardo que a gente carrega sem saber ou entender o motivo), inconscientemente é ela quem nos prende, nos somos mestres criadores da nossa realidade e nos permitimos passar toda uma existência a sofrer. É muito difícil para mim acreditar que o que passei foi merecido. Nessa existência não tenho como ter sido causadora do que passei. É difícil tb engolir o fato de que eu consegui sair da crise muito melhor do que antes, aprendi coisas que não aprenderia e tive uma enorme expansão da consciência e de minhas capacidades. Será que só conseguimos evoluir dessa forma? será que é devido a nossa incapacidade de amar e aprender pelo amor? Será que somos tão apegados às nossas culpas que não saímos desse ciclo por nossa própria vontade? Ao quase passar por isso de novo, quando não se concretizou minha cabeça quase deu um nó, então uma resposta veio essa madrugada: como eu ia saber que ainda tenho psicologicamente coisas a resolver sobre esse fato se ele não batesse à minha porta de novo? Eu sofri tanto, doeu tanto, meus olhos se enchem d'água só de lembrar, que eu estou bem decidida a fazer o possível para não ter que passar por isso de novo, eu tenho pavor de pensar em encarnar de novo, quero quebrar o ciclo da culpa e se eu não acreditar nisso simplesmente perco o sentido da minha vida, pois não vejo sentido nessa vida de sofrimento, de provas e expiações. Eu não pretendo com esse texto afirmar que estou absolutamente certa, mas é o "limite" onde a minha capacidade evolutiva me permitiu chegar, com a experiência e estudo posso chegar a conclusão de que estou absolutamente errada, ou certa também. Mas são fatos que precisamos debater para crescer em conjunto. Por que sofremos tanto? E como quebrar o ciclo de sofrimento?
  9. Patríciaf

    Encarando o passado (Eu era RUIM)

    Você sente que foi lembrança de vida passa ou uma projeção? Achei muito interessante o seu relato, muitas hipóteses se passaram pela minha mente, espero que não me entenda mal ao compartilhar com você. Acho que não é possível entrarmos em um hospital em colônia espiritual assim sem autorização. Será que foi um hospital em uma cidade astral? Se foi algo ruim que você fez em outra vida, como você encarnou de novo enquanto as suas vítimas ainda estão hospitalizadas e sem lucidez suficiente para entender que passou por um período em que (para o ponto de vista deles) você tenha sido "ruim"? Eu não sei se faz sentido questionar entendimentos que estão tão distante de nós, mas também pode fazer menos sentido ainda não questionar. Sobre o peso na consciência: eu já fiz regressão e vi situações em que fiz coisas que abomino, foi chocante por um período, mas passou. Eu não tenho conhecimento suficiente pra saber a totalidade do que eu fiz nem me julgar. Mas eu acredito firmemente que estamos aqui pra deixar tudo para trás, a culpa não traz nada de bom, só nos aterra mais nos impedindo de seguir em frente.
  10. Patríciaf

    Cidade de Alto Paraíso do Goiás no Astral

    Pode ser que esteja visitando alguma cidade astral por lá. Acho que compensa investir em técnicas e investigar mais, parece que algo legal está acontecendo por aí. Eu julgaria essa como a parte do relato que traz mais informações, deixa fluir e silencie a mente que a resposta virá.
  11. Patríciaf

    Somos todos marionetes?! Quem é seu dono?

    É como o Prof. laércio fala: nós somos fantoches do sistema, recebemos o suficiente pra viver por mês sem uma educação livre que nos permita sobreviver sem ser escravizado por algum sistema que só nos paga o suficiente para continuarmos dependentes dele. Creio que também somos presos aos nossos próprios atos, há uma onda de probabilidade de eventos e acontecimentos que foram criadas pelas nossas próprias escolhas desde o início da nossa existência.
  12. Patríciaf

    Minha vó com medo das minhas energias?

    @Taiki, Na última projeção que eu estava na casa da minha vó (desencarnada) e tomei consciência quando olhava na parede e conseguia ver através dela, eu pensei: não tem uma janela ali, então estou sonhando, eu passei a prestar atenção no lugar e tomei um nível de consciência ok. Quando sai do quarto que dormia quando ia pra casa da minha vó, minha mãe estava na sala, conversei algo mesmo sabendo que não podia ser ela, uma vez que era umas 10 horas da manhã e provavelmente ela estava acordada (pena que não lembrei de perguntar pra ela depois), eu não dei bola para isso, eu pensei o seguinte: Pode ser algum mentor ou alguém conhecido e eu interpretei como sendo a minha mãe, depois disso eu fui pra rua para tentar chegar ao centro espírita que trabalho lá perto, mas mais uma vez não consegui. Contei esse fragmento da projeção que eu tive pq imaginei que se ela está aparecendo com personalidades diferentes pode ser que você possa estar fazendo como eu e trazendo algumas informações do astral para algo mais conhecido. Saulo fala muito que confundimos os mentores com pessoas em quem confiamos e aprendemos na vigília. É uma hipótese. O Saulo fala que se olharmos nos olhos saberemos quem é a pessoa e mesmo que seja alguma consciência mal intencionada se passando pela sua vó (pena que eu não lembrei disso durante a projeção, queria muito fazer esse teste). Se possível, caso sinta necessidade em exteriorizar energia para ajudar quem quer que seja essa pessoa, peça ajuda ao seu mentor, creio que ele te orientará. A outra possibilidade para exteriorização de energia é para se defender, mas devemos fazer isso somente se não houver outra saída e sentirmo que realmente possamos ser prejudicados, se possível, peça também orientação ao seu mentor. A nossa consciência fica estranha durante a projeção, mas sempre que pedi ajuda eu tive experiências boas. Também não podemos descartar a hipótese de ser realmente ela, pode ser que nem em todas as vezes, pode ser que sim também, e o que você interpreta com sendo uma personalidade diferente pode ser outra coisa. Digo isso devido à nossa própria dificuldade de rememoração e interpretação dos acontecimentos. A minha opinião é a de que você deve explorar isso, tente olhar nos olhos e peça ajuda ao seu mentor e ao mentor da consciência que está ali. Se for ela mesmo, os mentores podem estar te colocando em contato para ajudá-la a recobrar a consciência de forma branda, com um familiar querido. Espero ter sido útil, se tiver mais experiências com ela e descobrir algo conta pra gente!!! Abraço!
  13. Estou fazendo técnicas de meditação antes de deitar também, eu sempre tive problemas pra dormir, era o pior horário do dia. Eu fiz por meses antes de dormir a técnica 3 do Saulo e esse ano medito por pelo menos meia hora e depois deito fazendo relaxamento e alguma técnica pra estimular a saída. Eu passei a amar esse período de antes de dormir que antes eu detestava, mesmo que eu ainda demore pra pegar no sono as vezes eu fico fazendo técnicas quando demoro muito fico "viajando na maionese" prestando atenção nos devaneios, as vezes chego a sonhar meio acordada. Só tive uma projeção esse ano, mas passei a me lembrar de grandes fragmentos de sonhos praticamente todos os dias. As vezes me sinto capaz de acordada inventar histórias as vezes continuando algum sonho e já cheguei a brilhantes conclusões, tendo inclusive lembranças de vidas passadas as vezes e contato com mentores. O problema é que isso tudo está tendo um preço. Como eu sempre tive problema pra dormir preciso ser pontual nos horários e "rituais" que faço antes de dormir, creio que perco umas 2 horas por dia com as meditações, técnicas, recordações .... horas que curto imensamente, mas eu deito muito cedo, nisso estou saindo com meus amigos e familiares com uma frequencia muito menor do que a deveria e também dou menos atenção aos familiares... Eu passei a curtir muito a hora de acordar, os devaneios e os cochilos, pq acesso uma parte da minha consciência muito gostosa de acessar e muito útil também.... aos finais de semana que faço os testes da saída na madrugada eu chego a ficar 12 horas no quarto e fico cansada durante o dia. Está cada vez mais difícil fazer exercício físico também, pq gosto do horário da manhã para isso, antes do trabalho, mas tenho muito sono. Nisso as semanas passam assustadoramente rápido, mas quando comparo as mudanças e crescimento pessoal que tive em um mês eu acho a diferença gritante, mas eu tenho que viver aqui também e estou tentando encontrar um equilíbrio.Vi um gráfico em uma aula de conscienciologia certa vez que mostra o nosso afastamento da nossa real consciência quando encarnamos, ao longo da vida vamos nos aproximando desse patamar, sendo possível não alcançá-lo, alcançá-lo e superá-lo, nos últimos 3 anos tive uma aproximação dessa consciência que não tive nos últimos 30 anos, e nos últimos 3 meses sinto que tive uma aproximação maior do que nesses 3 anos. O que me dá uma vontade imensa de "ficar mais pra lá do que pra cá", por isso eu faço um grande esforço em tentar me manter centrada e não utilizar isso como uma fuga da realidade ou dos meus problemas, principalmente dos que não quero enfrentar. A solidão também é ponto marcante, eu não tenho com quem conversar e trocar experiências. Eu percebi a importância do fórum, onde podemos trocar experiências e desabafar sem ninguém ficar enchendo o saco. Também percebi que ao escrever alguns textos tenho vários insights e vem me ajudado muito no meu auto conhecimento, o que de alguma forma faz de quem lê meu psicologo rsrsrs. Teve um período em que eu fazia a técnica do Saulo na hora do almoço e ia cochilar depois, era muito bom, eu sentia membros soltos e ficava sentindo as energias, dava saltos e saltos (sabe? aqueles pulinhos que a gente dá quando volta?). Eu tenho evitado por que esses soninhos de tarde são viciantes e se pegamos o costume é a morte o dia que não podemos dar um bom cochilo.
  14. Já tentei algumas vezes colocar o despertador para acordar de madrugada e tentar me projetar. Sempre faço meditação e OLVE antes de dormir, tenho sentido o EV por um tempo razoável todos os dias, mas esse ano só saí do corpo uma vez, não vi a saída, já acordei fora. Eu entendo que acordar de madrugada pode ser uma boa técnica para alguns, mas não parece ser o meu caso por que eu demoro muito para pegar no sono, tenho dificuldade de concentração, não relaxo om facilidade e parece ser mais difícil mover as energias do que de dia. Essa última parte me intriga bastante, alguém mais sente estranheza em movimentar as energias a noite ou fazer alguma técnica?
  15. Patríciaf

    Sono leve

    Faz muito sentido, creio que aí entra a importância das técnicas que envolvem a meditação. Percebi que que quando comecei a fazer as técnicas do Saulo e depois técnicas de meditação eu conseguia deitar e ficar só com a a minha mente. Explico melhor: Eu tenho muita dificuldade em pegar rapidamente no sono, sempre tive, então eu lia na cama até ficar com a mente delirante de sono pra eu deitar e apagar, fiz isso por anos, pq eu não conseguia reduzir o "barulho" na minha cabeça. Eu não conseguia controlar os pensamentos, tinha vício em pensar em problemas e tarefas antes de dormir, então eu não relaxa e ficava cada vez mais ansiosa, e muitas vezes com raiva crescente, por que não dormia e me sentia cada vez mais longe disso. Depois de meses fazendo as técnicas passei a sentir a minha mente em paz e a curtir a minha própria companhia nesse período em que muitas vezes queria sumir de mim mesma. Dessa forma eu consegui reduzir a necessidade de apagar e consegui focar nas energias, em técnicas de imaginação, ou seja, ficar no controle para comandar os meus pensamentos. Por isso, eu sempre digo que a técnica 3 (bem como várias outras) elas melhoram a nossa vida em diversos aspectos e devem ser feitas mesmo se o objetivo principal da pessoa não for a experiência fora do corpo.