Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Sunshine01

B-Membros
  • Posts

    35
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Sunshine01

  1. No meu caso, eu faço tratamento contra a depressão com um psiquiatra bom, mas ele mesmo disse que não sou aspie, ao conversar sobre isso, e eu achei curioso, pois eu estou dentro do espectro... Mas, por minhas pesquisas sobre o tema, eu percebi que a própria pessoa chega nessa conclusão e busca ajuda específica, no caso, com um neurologista, como você bem citou. Eu já fiz eeg uma vez, não constatou nada de errado, mas creio que ainda não cheguei ao diagnóstico certo, mas mesmo assim, se eu sei que estou no espectro, eu deveria evitar coisas que pessoas que sofrem com isso passa, e eu tenho evitado consumir tais coisas, eu normalmente não me envolvo em brigas políticas, vivo uma vida simples, não possuo redes sociais, não vejo muita televisão e sou uma pessoa bem séria, que gosta de ler muito, principalmente notícias do Brasil e do mundo, e eu gosto de ajudar outras pessoas, porque eu entendo que isso é bom, que não preciso de religião nenhuma pra isso, mas, claro, sempre há um preconceito das pessoas, até mesmo por ignorância, e, pessoalmente, desde que não me ofendam na rua, ou respeito todos e sigo minha rotina, que pode parecer simplória, mas me sinto bem e feliz assim, mas sempre buscando melhorar. Vou procurar um outro psicólogo especializado em ABA (Análise Comportamental Aplicada) Talvez, uma segunda opinião possa ser útil Sobre os níveis de vitamina D, B12 e Metil Folato, eu já tomo levedura de cerveja, e vitamina D, pois o psiquiatra entendeu que e precisava, pois estava muito cansado para voltar com minha rotina de exercícios e isso tem me ajudado, me dado mais forças. Interessante esses grupos de apoio, eu tenho curiosidade em ir um dia, mas em SC, fica muito longe do meu Estado, mas vou pesquisar sim, se há grupos físicos ou virtuais sobre o tema, tentarei interagir e aprender mais sobre o tema, pois posso estar fazendo algumas coisas erradas, já que o diagnóstico é outro, ou há comorbidades. Obrigado pelas dicas, amigo.
  2. Evite tais pensamentos que envolva tais temas; não tome café ou coma muito antes de ir dormir, pois pode piorar o sono, evite beber muito liquido, cuidado com o que você consome na tv, no jornal etc, pois pode tornar o sono mais difícil, e voltar os pensamentos. Por fim, tente meditar, pois se você continua pensando, não há nada de bom pra pensar, surgindo novos pensamentos negativos... Por que pensar, então? E aí seu sono melhora... Esse é um método antigo de meditar, onde você não julga nenhum pensamento, não interage, apenas deita, medita e dorme.
  3. Sim, alguns vícios e sentimentos baixos podem incomodar alguns espíritos evoluídos e a inveja é um desses. Perguntar se é possível curar, sim, claro... Pra sempre? Creio que seja difícil, pois primeiro temos que entender o que é a inveja num prisma mais filosófico... É, talvez, querer, desejar, e até tentar ser melhor que alguém, e esse sentimento beira a inveja, mas se for num sentido de melhorar, então não é evasivo, é natural invejarmos outrem, desde que seja para melhora pessoal, ou você acaba sugando a energia de tal pessoa, ainda mais se você é próxima a ele(a).
  4. Infelizmente, temos que viver nesse mundo, com pessoas desse mundo, e não é uma colônia avançada. Enquanto for assim, haverá sempre espíritos atrasados, vingativos etc O mal existe no mundo e erradicá-lo sem transformar todos em robôs é algo impossível Cabe a pessoa mais evoluída tentar ajudar o incauto e converter o mal pelo bem em prol de um mundo melhor, haja vista o karma que cada um carrega ou terá por suas ações aqui na Terra
  5. Olha, se você passa por isso, há meios de evitar, um deles é usar plantas que são conhecidas por espantar tais entidades malignas. Acho que há vídeos explicativos sobre isso no Youtube. Às vezes, devido o lugar e a áurea pesada que ficou ali, há certamente entidades por perto que são atraídas por pessoas que moram ali, e, pelo histórico e o contexto, seria interessante tentar tais plantas. Eu já morei em locais movimentados, com pessoas diferentes, e parecia que eu sentia as energias da pessoa e não era bom. Ainda bem que eu sempre evito locais assim, pois normalmente, entidades desse nível também possuem outros vícios tão nocivos quanto, em drogas pesadas, violência etc, fazendo o clima do local ficar sinistro, com energias densas, como se fosse o umbral, e não ter mais paz devido ao clima pesado e o contexto social envolvido.
  6. Não. As energias da natureza são puras, e um contato com a natureza e seus seres e energias é recomendado, pois, plantas, algumas delas, curam. Não creio que seja anti ético. Nós nos alimentamos de algumas delas, usamos suas propriedades medicinais... O que é anti ético é ferir outra pessoa, sugar suas energias, como fazem espíritos obsessores.
  7. Eu lembro desse dia, acho que gerou até uma polêmica, não foi? Entre veganos que estavam no fórum... Eu realmente não faço ideia do motivo disso, acho que pode estar atrelado às energias do EV nos chakras, em não ter uma conexão ali, justamente na hora de sair, pois eu já vi casos assim, onde alguns membros 'saíram', ou flutuaram, mas o períspirito insistia em ficar preso ao corpo, e eu mesmo já vivenciei algo parecido, onde eu cheguei nesse estado, e meu corpo tava muito pesado, e aí fui engatinhando, na cama, sem conseguir enxergar, mas acabei acordando. Eu continuei tentando, por dias, até que um dia eu finalmente consegui, e foi uma das melhores VAs que consegui, onde eu visitei alguns países e até meu bairro (sobrevoei as praias, com o vento no meu rosto, o céu estava estrelado, à noite, o sereno no rosto e eu voando igual ao superman, até eu ir visitar outros países, no caso, Japão, EUA, Espanha... E eu estava já estudando os locais que eu queria ir, mentalizando, e consegui chegar lá, e foi muito legal mesmo, com lucidez, como se eu estivesse plasmado lá, mas ninguém me via, pois em Tóquio, eu sentei num banco perto de uma banca de revistas, entrei numa loja e ninguém me via, tentei ler as revistas e era como se eu conseguisse sentir e as letras, elas cresciam, como se eu estivesse usando uma lupa, e meus sentidos estavam aguçados. Foram boas VAs... Hoje eu tenho curiosidade em tentar ir em outros países, mas eu não sei se eu conseguiria, certamente eu teria muita dificuldade, pois estou voltando, aos poucos.
  8. Me lembrou o sonho lúcido que tive ontem ao tentar uma VA, e eu estava de bike, andando no centro da minha cidade, até eu perceber que eu estava sonhando hehe, vou relatar algumas vivências e porque acho que foi um sonho: 1: Minha cidade estava futurística, com coisas que não existem hoje, tudo estava alterado, as ruas, as coisas, parecia ser um futuro, onde eu me lembrei de conversar com algumas pessoas que pareciam me conhecer, o que achei curioso (estaria eu tendo uma clarividência de um futuro distante?); Eu não sei. 2: Eu entrei num local que parecia ser uma suíte, como se fosse uma corporação, com elevadores, funcionários, todos muito bem vestidos, e algumas pessoas falaram comigo sobre coisas que eu não consegui me recordar, mas creio que seja relacionadas ao local e às atividades daquele local, onde eu saí dali, indo para a rua, mas ao olhar a rua, ou melhor, o centro da minha cidade, estava tudo no futuro, com coisas que não existem hoje, casas e afins... 3: Eu tentei ir até a minha casa de bike pra ver como era, se eu iria me encontrar dormindo e ver se era uma VA e eu não estaria num futuro (já que o tempo passa diferente lá), mas, como tudo estava mudado, eu tive um pouco de dificuldade, tentei mentalizar e nada de conseguir, até eu sair em uma estrada e ir parar no meio do mato, perto de uma árvore e de um rio, e nisso, eu acordei aos poucos, como se meu corpo estivesse me 'puxando' e me forçando acordar, sabe? E foi isso. Eu não consegui ir até na minha casa. Fico me perguntando... Será que por medo? Ou eu não deveria estar lá? Desde que tive sonhos premonitórios com o futuro, eu ando prestando mais atenção nos meus sonhos e seus significados, pois já ocorreram algumas coisas, então eu não sei se eu estava em alguma sorte de futuro distante projetado? Realmente não sei. Lembro que um projetor experiente uma vez disse que o tempo no astral é diferente e pode-se ter visões do futuro, ou regressar ao passado. Fica aí minha curiosidade e meu relato.
  9. Pois é, amigo... São situações difíceis, e eu me sinto triste, às vezes, com o sofrimento no mundo, com as injustiças sociais, e é como tais coisas 'sugassem' minhas energias, fazendo eu colocar-me no lugar da pessoa e tentar sentir um pouco a dor dela. Por anos, eu tentei ser uma pessoa melhor, tentei estudar, até consegui ir pra uma escola boa, e antes da depressão, eu só fazia era ir pro meu emprego (sou técnico em TI) e depois ir estudar, e ao chegar em casa, eu estudava mais ainda, tudo era muito rápido, e eu tinha que estudar muito, ás vezes porque eu precisava, e às vezes porque eu gostava e ainda gosto de estudar. Eu também tenho algumas manias e vício em estudar idiomas, mas não são só idiomas, eu gosto de estudar a cultura do país, a política, e aí é inevitável eu ler notícias, tais como o conflito na Ucrânia, pois eu tive um grupo de estudo do idioma russo (que é um idioma eslavo super difícil!); e aí eu fiz amigos lá, mas eu mesmo saí do grupo, e aí comecei a estudar italiano e a melhorar meu inglês... Como você pode ver, eu sempre tento melhorar, mas nem sempre as coisas saem como eu quero, e é incrível como o mundo ele gira, os fatos mudam, alguns vencem, outros prosperam, e isso lembra o karma, mas é palco para outro debate que está até os dias atuais na filosofia e desde os filósofos antigos não se sabe uma resposta exata. É curioso você falar em autismo, pois eu fiz alguns testes para ver se eu não seria aspie, e eu gabaritei tudo, e eu poderia sim estar no espectro, que é o autismo leve, pois sei fazer coisas difíceis, mas coisas básicas, como ir no shopping, festas e convenções sociais são terríveis pra mim, e eu possuo tinnitus, o que piora a situação, pois tenho um pouco de aversão ao barulho e vivo na cidade, onde faz muito barulho, e aí tento evitar a todo custo, sendo, inclusive, criticado pelas pessoas "ah, porque você não sai mais" "Não pega um sol" "Não vai em festas quando é convidado?" E eu, sinceramente, eu fico sem respostas, pois sou bem introspectivo e não pareço pertencer muito à cultura brasileira, pois não consumo muitas coisas que as pessoas gostam, e eu mantenho uma vida bem simples e pacata, mas eu gosto assim, da simplicidade e não dou muito valor às coisas do mundo, pois entendo que estou aqui de passagem e tento viver minha vida do jeito que me sinto confortável. Eu já tentei me converter ao budismo, tenho Buda e outros mestres como grandes personalidades que viveram no passado e tentaram ensinar algo ao mundo, o próprio Buda, ele era um cara de classe média alta, que abandonou tudo para viver no campo, no meio da natureza, e segundo os budistas, ele foi um dos poucos a alcançar o nirvana... Eu nunca consegui pertencer a nenhuma religião, embora eu compartilhe de seus valores morais e éticos. Eu queria que todos tivessem um futuro melhor, e que o mundo melhorasse, que cessassem as guerras, tivesse paz no mundo, que o pobre fosse alimentado, o doente fosse curado, e todos pudessem ter uma vida boa na Terra... Mas, enfim, talvez irá ser assim por um bom tempo e nós não sabemos porque é assim, mas devemos sempre tentar melhorar. Obrigado por compartilhar sua história, e que tudo melhore para você, amigo
  10. Obrigado pelas informações, amigo. Eu fui membro do outro fórum vga, há um bom tempo, e você sempre estava lá ajudando os iniciantes, e eu fui iniciante também e ainda me considero um iniciante, pois estou sempre buscando conhecimento. Sobre o meu problema pessoal, eu estou me curando, aos poucos, reduzindo os remédios, e no meu caso, eu cheguei a tomar vários, mas o psiquiatra cortou alguns devido a melhora no quadro depressivo profundo em que me encontrava. Você citou algumas coisas que eu gosto de fazer, tais como ir na praia caminhar, ciclismo, artes marciais, meditação (mesmo eu sendo agnóstico, gosto de meditar e praticar o EV, que acho importante, pra limpar as energias) Eu sou muito sensitivo ao sofrimento alheio, como se eu conseguisse 'sentir as energias das pessoas', e isso nem sempre é bom, pois às vezes eu estou rodeado de pessoas negativas que me colocam pra baixo. Eu vim aqui no fórum justamente porque eu sei que aqui sempre estiveram boas pessoas, e eu gostava muito desse tema 'espiritualidade', e me sentia bem com isso e não tinha muito necessidade de provar nada a ninguém, como ficava o aviso na na entrada, em Foz do Iguaçu para a pessoa não crer em nada e ter suas próprias experiências, e eu achava isso muito legal. Eu sinto saudade de alguns usuários bons daqui, da antiga, um que escrevia em azul seus relatos, não recordo o nome, pois fui há muito tempo, e era um amigo meu... Mas, enfim... Todos são meus amigos, independente de crenças pessoais etc. Atualmente, estou em tratamento contínuo, fazendo terapias, meditar é uma delas, o contato com a natureza também. Eu era uma pessoa muito fechada e focada demais em mim sem me preocupar com os outros, um ateu ranzinza, que desacreditava em tudo, queria provas e etc, e aí eu mudei muito após eu desenvolver e travar uma luta contra a depressão e até hoje eu fico relutante em falar sobre isso com as pessoas, pois há um enorme preconceito, como todos nós sabemos. Obrigado por acrescentar algumas coisas que eu tinha esquecido, e com certeza eu irei rever algumas coisas, pois esqueci muitas coisas da parte espiritual e essas informações irão me ajudar muito. A tendência é eu melhorar e ir voltando aos poucos pra vida lá fora, que não só os trabalhos assistências e aventuras fora do corpo, mas vivenciar pessoalmente as coisas aqui encarnado, sair mais, entrar em contato com a natureza, coisas que não tenho feito muito por estar ocupado com coisas materiais, mas tenho melhorado muito e entendo que preciso evoluir mais e abandonar alguns vícios que nos coloca pra baixo, como esses pensamentos negativos oriundos da depressão, que quem já teve sabe como são evasivos... Mas, enfim... Obrigado por tudo o que vocês fizeram na divulgação de materiais para estudo. Como eu voltei a ter algumas VAs, despertou de novo o interesse pelo assunto, mas eu espero encontrá-los no futuro em melhores circunstâncias, pois sinto uma energia muito boa e vívida quando estou meditando, e até mesmo nas minhas viagens, que não foram tão ruins (posso relatá-las depois, mas eu só visitei alguns locais mesmo, e não foram tão lúcidas, mas, não deixei de me lembrar ao acordar de detalhes e de locais onde eu fui). Desculpem se fui prolixo, é que esse tema ainda me desperta muita curiosidade, e talvez eu considere frequentar algumas aulas com alguns mestres no assunto. Abraços
  11. Nossa, estou rindo muito aqui com as respostas rsrs Parece que quando a pessoa tá nesse estado aí, ela é atraída justamente para locais sinistros, com pessoas da mesma espécie Lá, você atrai o que você pensa... E imagina cair justamente num local desses? Vais acordar desgastado, pois lá eles puxam toda sua energia sexual, e aí não tens forças no outro dia, acorda cansado, há presença de tais espíritos anteriormente atraídos por vícios Na minha adolescência, eu tinha muita polução noturna, e isso era muito chato, inconveniente, e aí tive que me esforçar para controlar isso e ir para bons locais Pode parecer algo bobo, mas é sério, e normalmente, quem habita esses locais são espíritos dantescos, umbralinos plasmados, vampiros de energia e afins Mas foram engraçadas as respostas rsrs
  12. Faz todo o sentido a consciência não pertencer ao cérebro, que é físico, sendo, portanto, 'metafísica' e independente. Só que eu acho difícil cientistas renomados aprovarem isso, pois suscitaria outra questão que perdura na filosofia até os dias atuais: Vida após a morte. A questão, reformulada, seria: Será que ao cessar o sistema fisiológico a consciência, ela conseguiria existir fora do cérebro? Se sim, por quanto tempo? E isso já seria metafísica, e não física comum. O que nós sabemos é que somos feitos de átomos, que morrem e se renovam, mas não são os mesmos, e isso provoca o envelhecimento. Talvez, por razões desconhecidas e forças ocultas superiores, nós não podemos comprovar nada, pois iria influenciar em fatos, como explica a Teoria do Caos, e por isso, não nos é informado muito. Eu sei que algumas coisas já foram relatadas, mas nada foi formalmente provado, e como eu tenho essa teoria, creio que ficará assim por muito tempo, até que todos cheguem a verdade ao comprovarem os fatos per si, sem que outrem interajam, ou teçam quaisquer tipos de opiniões, pois uma vez provado os fatos para a pessoa, não há necessidade de uma outra prova, seja ela científica, ou espiritualista, no sentido de provar uma tese, de que existe e que todos deveríamos crer.
  13. Sim. Essa é a melhor hora para a projeção, já que podemos sentir energias ruins (veja o ev): e as energias que sentimos e temos que trabalhar para limpar e sair num plano melhor. Me recordo de um projetor, muito experiente, que dizia que das 3:00 às 6:00 era mais fácil sair do corpo, que as chances aumentavam e as viagens eram melhores, segundo ele. O ideal é sentir-se confortável e usar apenas aquela técnica que funciona para você, pois pode-se perder uma madrugada inteira, isso, fora acordar mais estressado, cansado.
  14. Gente, não enxergar ao já estar fora do corpo é algo bem conhecido e pode ser resolvido ao trabalhar o chakra frontal, que é por onde enxergamos lá fora. Isso o Sandro mesmo me auxiliou, quando eu estava com dificuldades... Eu saia, conseguia andar, mas sem ver nada... Aí eu percebi que eu estava tentando ver com os olhos físicos! Comecei a trabalhar mais o chakra frontal, e aí comecei a enxergar aos poucos, meio que em 3d, mas foi melhorando, até ficar bem lúcido e eu conseguir, depois, enxergar com olhos do rosto, mas tem a projeção mental tb, que já é diferente, onde vc sai, mas é uma energia e é bem rara... Apesar q é difícil diferenciar uma va de uma mental, pois vc pode se plasmar e ser quase qualquer coisa (projetores experiências fazem isso!); fora espíritos umbralinos que se plasmam para assustar os outros, com aparências folclóricas. No caso de uma projeção mental, vc apenas sente e vaga pelo mundo, sem corpo, apenas sua consciência mesmo, vai passando e sentindo as coisas, como se vc fosse onisciente, sabe? E pudesse ir sobrevoando o mar e as coisas... Há alguns relatos sobre quem teve tais projeções, mas são bem difíceis e raras.
  15. Parece que você gosta dela, ainda, não é? Pois bem, não é uma situação fácil de resolver, pois se a pessoa é egoísta, ela tende a pensar apenas nela, tudo é voltado só pra ela, e ainda mais mulheres, que precisam um pouco mais de atenção que nós homens. Numa situação dessas, eu seria sempre sincero, até ver as reais intenções da pessoa, e tentaria conversar, de todo modo, eu iria manter minha auto estima e sou uma pessoa com a mente aberta, se em relacionamentos a pessoa é assim, então ela é livre para escolher o que quer, mas depender financeiramente de mim seria desafiador e a pessoa teria que ter um valor sentimental muito forte para que isso impedisse de concretizar meus planos, como viajar para outro país, salvo raras exceções, como em casos de doenças, ou em que a pessoa realmente precisa de ajuda.
  16. Acontecia sempre comigo, isso de quase sair e só os braços ou parte do corpo... Às vezes, eu começava a enxergar com as pálpebras fechadas e acordava, num estado já alterado de consciência, meio que 'querendo apagar', mas mantendo o foco que era sair... Dava muita raiva, pq eu tava focado, o tempo todo, sem me mover por vários minutos... Mas eu continuei tentando, foram muitas tentativas, controle de medo, até eu finalmente conseguir e sair no meu quarto, engatinhando, com o corpo pesado, sem enxergar, ainda, e aos poucos foi clareando, mas como eu fiquei com muito medo, eu acabei voltando pro corpo, isso, devido o nível de realidade que é bem assustador.
  17. É a glândula pineal funcionando, neste caso, são os primeiros sinais de que vc está quase conseguindo. Quando eu saia, no início, era um zumbido muito alto mesmo, eu volitava o teto inteiro, até me sentir no chão, e começar a clarear a visão.
  18. Você deve diferenciar, isso lá, na va, o que é imagens criadas pela mente, do que de fato existe... E, sim... É real, eu ousaria dizer, inclusive, que é mais realista que a nossa realidade, pois os sentidos ficam mais aguçados, e é normal esse grau de lucidez. O problema e o mais difícil mesmo é focar apenas na va e conseguir lembrar depois, pois doq adianta vc ter uma baita va e não lembrar nada? Pra isso, é melhor anotar tudo logo ao acordar, se possível, deixar um caderno ao lado da cama e anotar tudo, e aí, tente ler depois quando estiver calmo, e as memórias surgem... É assim comigo.
  19. O EV é certamente muito importante, pois limpa os chakras e ajuda o projetor a sair mais 'puro' e evitar maus espíritos.
  20. Sim, é assustador... Continue tentando, veja os relatos do Moisés Esagui, ele é um cara legal e inteligente, cheio de dicas... E dei um tempo pras minhas viagens e ando praticando mais meditação e reiki, e eu não preciso de técnicas, eu, se eu relaxar, chegar no ev e estiver com a mente boa, eu simplesmente saio do corpo, após a catalepsia projetiva. Você pode tentar alguma técnica e focar nela (mudar de técnica não é mto recomendado); e a maioria funcionam, com um tempo, vc acaba acostumando e saindo... A maioria das pessoas não conseguem sair pq tem medo de espíritos e isso é o maior problema, pois imagina se vc sai e cai justamente no umbral? E aí surge um espírito vampiresco? É assustador, não é? Quando eu tava começando, eu saia, mas via os espíritos e não ficava segundos fora, de medo, devido a realidade da va, que difere-se do sonho lúcido. Nesse caso, a superação do medo deveria ser a primeira coisa que o projetor deveria controlar, antes dele querer se aventurar por aí...
  21. Vamos lá... Quem sou eu? Eu sou Felipe, a primeira projeção minha lúcida foi na cama dos meus pais, onde era algo entre 5:00 da manhã, estava amanhecendo, eu to me vendo assim, sentado na cama, e pensando que eu tinha apenas acordado pra ir ao banheiro, mas como falei, eu era muito novo e não me recordo direito o que houve e algumas coisas são um pouco fantasiosas, mas olha o que aconteceu: Eu levantei da cama, fui até a sala, caminhando, abri a porta e fui até o quintal (um portão de garagem) e tudo estava lá, o galão azul e etc, só que ao olhar pro lado, logo no bueiro, saiu uma girafa enorme, e aí eu tomei um susto, fechei a porta e voltei pra cama correndo, apavorado, mas eu não conseguia acordar meus pais, e aí eu fiquei chorando muito, e acordei no corpo físico, com meus pais perguntando "o que foi, filho?" Aí eu relatei... Meus pais eram cristãos, falaram que era pesadelo, mas ali já era o início de tudo, do que viria pela frente depois... Até 2012, eu não tomava remédios pra depressão, e eu busquei conhecimento, sempre agnóstico, mas lendo Kardec, entre outros livros "sagrados"... Até hoje eu sou assim, e aí foi inevitável pesquisar melhor o tema e aprender a controlar, entre brigas e preconceitos dos meus pais em não aceitar, e aí, voltando no tema, antes dos remédios, eu era do vga, fazia reiki, me vestia de branco e lá no astral, eu era uma aparência de anjo, de branco, sempre ajudando pessoas, pois eu encontrei meu mentor que me alertou, que se eu não ajudasse, eu perderia meu dom, e eu o desafiei e fiquei sem sair um bom tempo... Aí eu voltei a meditar, lia Osho, fazia o ev, até que eu consegui dnv, mas era só bad trip, até melhorar dnv... Aí oq aconteceu cmg?! Em 2012 eu passei a desenvolver sinais de depressão, que culminou no fim de tais viagens e gostar de fazer o bem lá fora do corpo, me deixando um tempo sem praticar, até mesmo, ter interesse pelo tema e dormir e não querer lembrar de nada, só apagar, até que eu precisei tomar remédios mesmo, indutores de sono, e aí apagou foi tudo, hj eu não me lembro de nada, mas aí é q tá... Eu acho q como eu era assim, até hj eu saio do corpo e ajudo pessoas e acordo cansado... Eu sei disso, pois tenho lembranças, as vezes nítidas, de diálogos fora do corpo com pessoas em locais insólitos, como se eu fosse alguém lá, mas eu não sei muito, oq me lembro é pouco, devido aos remédios, eu não me lembro, mesmo forçando, tentando, é só um apagão mesmo... E aí do nada, eu vejo meus parentes, pessoas que já morreram, locais, algum lugar e tenho a sensação de já ter ido lá, ou já ter falado tais coisas, e como eu relatei, algumas delas aconteceram, provando q sou médium mesmo, mas eu mesmo não sei q fazer, se me converto logo ao espiritismo / xamanismo, ou continuo agnóstico... Quero dicas de pessoas com mente aberta, sem preconceitos... Eu sempre fui uma pessoa espiritualista e caridosa, mas agnóstico e irreligioso, bastante curioso sobre o tema, eu diria, mas tais coisas não possuem muita explicação do ponto de vista científico, e eu creio que não podem ser explicadas pela ciência humana, pois não é possível vc comprovar isso com o método científico deles, pois vão falar oq já sabemos: Imaginação, drogas etc, mesmo qd alguem teve eqm e viu coisas (como vários caos q já ocorreram!);, ainda assim eles alegam que é a anestesia, ou os remédios, enquanto eu penso que possa ser outra coisa, como a consciência não depende do cérebro, que é físico, sendo metafísica... Essa foi um pouco da minha história e meu contato com va e afins O que vcs fariam, caso fossem eu? E se tomassem remédios pra dormir? Eu mesmo já tentei parar de vez com a VA, pois algumas exp q tive foram terríveis, mas isso me fez voltar de novo pro tema de religião, que é um tema delicado, e me fez criar uma conta aqui e tentar discutir, até mesmo ajudar quem é novo no assunto a sair do corpo, caso tenham dúvidas Me desculpem os erros ortográficos, é que ando muito sem tempo, estou morando sozinho e minha vida anda um pouco agitada
  22. Acontece, às vezes, eu pessoalmente nunca consegui, até tentei isso rsrsrs, mas eu era bem mais novo e imaturo e gostava de uma garota, e aí por curiosidade eu saí do corpo e fui até ela, no caso, a gente já se conhecia, eu consegui vê-la de relance, mas na VA fora do corpo é tudo muito próximo, sabe? como se fosse em 3d? E aí eu fiquei perto da casa dela, pude sentir seus sentimentos, como se de alguma forma eu fosse ligado a ela e ela gostasse muito de mim, e aí eu relatei a ela no dia seguinte, e ela disse que estava sim, na casa dela no dia, se arrumando pra ir a uma festa e até reclamou que eu não fui, pois eu tinha um trabalho da escola pra fazer... Esse é o único relato meu, dentre vários, que eu quase "invadi" a privacidade de alguém... Pois é, mas no astral não tem muito isso de privacidade não, pois se vc chegar perto do espírito, vc passa a sentir oq a pessoa tá sentindo... E eu já tive experiências em prostíbulos e locais como umbral, onde tinha espíritos despidos, em prostituição, drogas e etc, e definitivamente, não foi uma exp boa, pois sugava muita energia, e eles vivem disso: vícios, sexo, drogas, lá nos reinos inferiores... Outra curiosidade foi quando eu tentei ir na Área 51, mas tinha vários portais e seguranças armados com silenciadores lá, e aí eu tentava entrar e era "empurrado" pra fora.... Eu cheguei a relatar isso no finado fórum vga, mas falaram que era imaginação mesmo, ou eles tbm poderiam estar projetados, ou algo assim, e nisso, postaram até um documentário do uso da clarividência em casos de espionagem e guerras (quem lembra, posta ae) e faz tempo isso... Acho que foi entre 2008/9... Foram boas a maioria das minhas viagens, mas eu perdi vários relatos bons de aventuras que eu tinha num site, e eu mesmo não me recordo mais o nome do site. Acho que Waldo Vieira explicou bastante sobre ética no mundo astral, como funciona, em casos de dúvida... Eu aprendi muito com ele! Abraços
  23. Eu já comprovei a VA algumas vezes, mas não é isso que me incomoda, primeiro, vamos aos relatos: 1: Eu coloquei algumas coisas em cima de um armário, e eu teria que ir lá e ver se estavam lá, então eu fui, e vi tais coisas, estavam lá do jeito que eu tinha deixado, voltei pro corpo e relatei isso. 2: Saí no meu quarto, tudo estava igual à realidade, vi meus pais conversando na sala, fui no banheiro, no quintal, estava tudo normal. O que eu gostaria muito de saber é a grande questão filosófica: Se a consciência ela depende ou não do cérebro para viver, pois se sim, então não existimos num eventual pós-vida, se não, então existiríamos. É uma questão complexa, e só morrendo para descobrir mesmo, pois 'eqm' é quase morte, e não é a morte real, onde tudo para e não sabemos mais de nada. Chico Xavier desencarnou e até hoje não disse a senha do cofre, e talvez seja por outros motivos, como ele ter reencarnado, ou não ter conseguido um contato. De todo o modo, creio que algumas coisas não podem ser provadas por alguns motivos desconhecidos (poderia influenciar negativamente na vida de outrem); isso seria um dos motivos! Penso que a pessoa deveria sair e ver ela mesma se existe ou não, e se existir, usar isso para o bem de todos, em prol de um mundo melhor.
  24. Olá, desculpem em não me apresentar antes de postar, pois eu já fui um membro daqui no passado. Me chamo Felipe e possuo tal dom, e ocorre de forma involuntária, mas, infelizmente, em 2017 eu tive depressão e passei a tomar remédios que ofuscaram minhas viagens, por isso eu parei com tudo; trabalhos assistenciais, reiki etc, mas, decidi passar aqui e ver como estão as coisas, até por ter tido algumas viagens mesmo em tais circunstâncias. Eu estudei por anos esse assunto, gosto de ajudar as pessoas com o meu conhecimento e aprender cada vez mais. Abraço.
  25. Creio que alguns possuem certos bloqueios que impedem a VA, tais como religiões! Eu mesmo sou ateu e nasci com esse 'dom', mas sou uma pessoa muito cética em relação a tudo, e até já tentei provar a VA e consegui, mas mesmo assim, creio que possa ser explicado como a consciência não pertencer ao cérebro, mas morrer junto com o corpo, pois acho difícil um pós vida... Eu tenho uma visão meio que 'budista, eu diria, de reencarnação e uma suposta pós vida, só se a pessoa quisesse reencarnar, ou mesmo, não existir. Não creio que ninguém seja forçado a nada e todos temos os mesmos direitos, sendo assim, podemos mudar de opiniões o tempo todo e se agarrar a uma crença denomina-se 'dogma', e não me é bom. Se Deuses existem, eu não sei, mas pode ser que sim! Eu já fui deísta, às vezes eu creio que Deus seja a própria natureza em si, e não necessariamente um ser que nos controla o tempo inteiro.
×
×
  • Create New...