• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

luciano_caldas

B-Membros
  • Content Count

    67
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by luciano_caldas

  1. Olá pessoal! Gostaria de compartilhar com vocês o relato de uma retrocognição projetiva muito marcante que tive no ano de 1998. Espero que gostem! Abraço a todos! RETROCOGNIÇÃO PROJETIVA Data: 28 de outubro de 1998 – Quarta-feira. Antes de relatar essa experiência de retrocognição projetiva, gostaria de fazer um breve preâmbulo. Desde pequeno eu tinha interesse por estratégia militar. Desenhava cenários de combates. Tinha sonhos bastante lúcidos em que me via como militar em terra distante em determinadas ações: 1 – em determinada época “sonhava” por noites seguidas numa espécie de campo de concentração. Eu não era mais uma criança de seus 10 anos: era um adulto de no máximo 25 anos. Na minha companhia estavam dezenas de outros homens. Pareciam ser militares, e assim como eu, tentava fugir daquele local, escavando uma espécie de túnel subterrâneo. Eu “sonhava” direto com aquele cenário. E parecia que eu conhecia bem alguns daqueles homens que estavam comigo naquele ambiente nada agradável. Este “sonho” se repetia muitas e muitas vezes. 2 – Em outras oportunidades tinha sonhos bastante lúcidos e me via como paraquedista descendo sobre casas. Perpassava pelos telhados das casas (que me pareciam ser de algum país da Europa). Em outras situações me via descer em campos e áreas abertas. Cresci com muita vontade de servir às forças armadas. Tentei fazer aos 17 anos o concurso para a AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras) e não fui aprovado. Me interessava bastante por filmes de guerra, principalmente filmes ligados às intervenções dos EUA na Ásia (Coréia e Vietnan). Em certas ocasiões me “sentia” no filme como um legítimo militar norte-americano. O tempo foi passando e ao amadurecer ponderei bastante sobre essas “estranhas lembranças”, além dos sonhos bastante lúcidos que tinha de forma recorrente quando me via como adulto, em companhia de pessoas vestidas com trajes militares e que me pareciam – algumas delas – me serem familiares, conhecidos naqueles momentos. No mês de outubro de 1998 fiquei por várias noites pensando nessas lembranças e “sonhos” de outrora. Eu, de alguma forma, “sentia” que tinha participado como militar de algum conflito belicista, provavelmente como membro de alguma tropa norte-americana. Até que na madrugada do dia 28 daquele mês, tive uma marcante experiência de retrocognição projetiva, à qual tive a certeza do que ocorrera em minha última série existencial (ou reencarnação, como queiram), visualizando o cenário da minha morte física (desencarne, dessoma), que acontecera em terras longínquas do meu (então) país de origem. Essa experiência de retrocognição não foi a única, mas repito, foi a mais marcante. Tive algumas outras depois durante saídas do corpo (2001 e agora em 2014). O interessante é que no momento do meu desencarne (dessoma – descarte do soma) eu lembrei da minha família (esposa e filha) que ficara na América,várias coisas se passaram como um filme, o que é bastante comum em situações próximas à morte física. Vamos então ao que interessa: ao relato desta experiência retrocognitiva. Segundo sono: 3h57 da madrugada de uma quarta-feira (28 de outubro de 1998). Levanto da cama e vou em direção à janela. Fico debruçado ali visualizando a Avenida Paralela (Luiz Viana Filho) que liga o Iguatemi até o Aeroporto de Salvador. Me viam lembranças vagas do primeiro sono. Parecia estar conversando com uma espécie de ancião bem sereno de aproximadamente 1,50m de altura. Ele me falava algo sobre a vida da consciência em diversos corpos, tempos e épocas. Ele manuseava um instrumento de natureza brilhante, que não me recordo mais seus detalhes. Depois de uns 10 minutos volto pro quarto e deito. Mas a minha mente estava meditando no “porquê” de eu ter esse interesse (ainda que contido) por estratégia militar, além de me recordar dos “sonhos” – quando criança -, de estar uniformizado como oficial em terras estrangeiras. Como estava com o corpo bastante cansado, fui adormecendo lentamente. Quando a minha consciência despertou não estava no ambiente do quarto: eu estava numa área formada por um extenso jardim – na verdade um campo verdejante. Pensei comigo: o que vim fazer aqui? Foi aí que surgiu um velhinho (aparentava ter seus 80 anos) com um sorriso sereno no rosto. Olhou para mim em silêncio e aí percebi: “era o ancião do primeiro sono pô” Ele estava usando um instrumento que parecia uma batuta que os maestros usam para reger as orquestras. Ele não mexia os lábios e através de um comando mental falou: “Luciano, deite na relva.” Eu obedeci de forma incontinenti, Aí ele me disse: “Vou lhe conduzir através de um exercício psiconsciencial a uma regressão que o levará para a sua última série existencial acessando a sua holomemória.” Já deitado no gramado, ele pediu-me que fechasse os olhos extrafísicos. E após, isso ele encontrou a pontinha daquele instrumento (que tinha uma pulsação energética bem suave e vibrante) no meio da minha testa. Aos poucos fui me sentindo em outro lugar. Me via num área descampada. Eu me via com um uniforme militar. Eu que estava acompanhado de um colega – também militar – fugia de um inimigo ou inimigos que desejavam e muito nos aniquilar. Corríamos muito de forma desesperada. Até chegarmos numa espécie de uma construção em ruína. Estávamos desarmados. Sentíamos que estávamos a sós naquele ambiente hostil. Eu aparentava ter no máximo uns 32-33 anos, era louro, de compleição física atlética. Ao entrarmos naquela construção abandonada, subimos as escadas e nos metemos cada um, em ambientes distintos. Eu me escondi debaixo de uma cama de solteiro. Eu estava literalmente apavorado em cair nas mãos do inimigo. Estava cansado, com forme, sem víveres e desarmado. Momentos depois, ouço ruídos lá embaixo. Os inimigos estavam lá embaixo. Ouvi um estampido de um projétil. Pensei comigo mesmo: pegaram o meu colega. Logo depois, ouvi os sons de pisadas de botas subindo as escadas vindo na direção do quarto onde eu estava escondido. Foi aí que eu vi a porta ser arrombada. Vi cerca de 10 militares orientais armados até os dentes com fisionomia de raiva e ódio. Vi que eles se aproximariam de mim em questão de segundos. Foi aí que lembrei da minha esposa, da minha filha (que naquela época não tinha nem 10 anos de idade), da minha casa – típica casa americana com aquele jardim de frente para a rua. Lembrei-me da minha família como um todo e um “filme” rodou na minha mente. O “filme da minha vida.” Longe de casa, em terra estranha e próximo da morte. Olhei para os orientais e eles me viram. Me deu um medo danado. E fui voltando daquele transe regressivo, abri lentamente os paraolhos, enquanto eu ouvia a voz serena do ancião mais ou menos com as seguintes palavras : “Você foi oficial do exército norte-americano, primeiro em missão na Europa ocupada pelos nazistas, notadamente na França, durante a Segunda Guerra Mundial. Anos mais tarde, já no início dos anos 50 você foi convocado para servir na Guerra da Coréia, onde você foi executado pelos comunistas naquele prédio abandonado. Você era um oficial durão, mas ao mesmo tempo era cordato com os seus subordinados. Além disso, você era excessivamente profissional no que fazia, pois gostava de cumprir as suas missões de forma irretocável. Seu nome encontra-se nos registros militares do Pentágono.” Em segundos, aquele velhinho mudou o tom de voz tornado-se mais grave e de forma enfática assinalou: “Luciano, essas lembranças não são boas para você. Lhe conectam a um passado recente de violência e destruição. Essas lembranças foram autorizadas pelos mentores, de forma sucinta, para lhe conscientizar de que a Paz interior suplanta todas as formas de adversidade e belicismo humanos. O conflito segrega. A Paz une e conscientiza.” Após isso, o ancião me orientou que eu voltasse pro corpo para reter boa parte daquelas informações: “Pense no corpo, meu filho” Disse-me suavemente. Senti o famoso aviso admonitório do cordão de prata me fisgando. Me senti “mergulhar” no corpo, para logo despertar. Fiquei deitado na cama rememorando aquela experiência que tinha acabado de ter, e as lembranças vieram-me em bloco, gradualmente. Minutos depois levantei e consultei o relógio do som: 4h47 da madruga. Fico na janela meditando sobre aquela experiência marcante. Me lembrando dos eventos extrafísicos, da lembrança como militar, das imagens da regressão, da voz serena do amparador. Mas quem seria aquele velhinho? Ele me parecia familiar durante a projeção. Mas agora, encaixado no corpo não me recordo dele. Assim como outros contatos anteriores, quando voltava ao corpo, determinada consciência nos parece ser familiar projetado e quando voltamos ao rememorar os eventos extrafísicos essa “familiaridade” desaparece. Anos mais tarde tive outras experiências de retrocognição que confirmaram e consolidaram as informações que tive acesso naquele estado alterado de consciência fora do corpo. Em 2001 tive uma experiência retrocognitiva de estar na beira de um lago à noite escondido por entre a vegetação visualizando botes com nazistas em um lago no interior da França ocupada pelos alemães. Agora este ano – 2014, no mês de março, tive outra experiência de retrocognição me vendo cercado juntamente com os demais colegas militares americanos por tropas de coreanos comunistas. Me recordo de ter solicitado apoio aéreo, pois o “bicho estava pegando.” Recordo de cenas bem fortes neste evento: cheiros de corpos queimados, militares chorando a perda de colegas, explosões, rajadas de metralhadoras, gritos, o som dos voos rasantes dos aviões da força aérea dos EUA. Além disso, vi um cenário de completa destruição: dezenas de cadáveres, armamentos jogados ao chão, trincheiras abandonadas. Despertei do corpo com essas sensações bem fortes. Pareciam bem reais, assim como, aquela primeira experiência retrocognitiva que tive em 1998. A experiência retrocognitiva nos confirma de forma subjetiva e pessoal, a reencarnação (série existencial em outros corpos somáticos) e nos deixa “cara a cara” com nossas lides pretéritas. No meu caso, confirmaram os “sonhos” que eu tinha desde criança com ambientes de cenários militares. E outro detalhe: a presença de um amparador nos conduzindo naquela experiência de regressão da “holomemória”, acessando aos registros akáshicos. Este amparador parecia obedecer às ordens superiores dos mentores extrafísicos que por sua vez, autorizavam a liberação desses registros existenciais. Nenhuma informação é liberada pela Espiritualidade de forma aleatória. Tudo possui uma razão, uma finalidade e uma necessidade visando o amadurecimento da consciência, que por sua vez é multiexistencial, multidimensional e multienergética. E essa informação extrafísica, me foi bastante importante para entender o meu presente e confirmar algumas questões de ordem bem íntima e pessoal. E o melhor: não precisei gastar um centavo com terapeutas que trabalham com terapias regressivas, em várias “praças”, Brasil afora. “Há corpos de agora com almas de outrora. Corpo é vestido, alma é pessoa.” – Eça de Queiroz. Akash ou registro Acásico (do Sânscrito: “Akáshico”, oriundo de “Akash” ou “Éter”, a energia cósmica plasmadora). Em determinados momentos esses registros podem ser acessados, através de manipulação do inconsciente, de ordem extrafísica, patrocinado por consciências extrafísicas, e no intrafísico, desenvolvido por terapeutas sérios e responsáveis, que visam desbloquear problemas, fobias e recalques do passado que atrapalham a consciência no presente.
  2. "Um olhar vale mais do que mil palavras! Imagine o olhar profundo de um ser iluminado? Valeria mais do que 1 Milhão de palavras? E o olhar de um Avatar? Valeria mais do que 1 Bilhão de palavras? E por último, o olhar “omnipresente” da Consciência Cósmica? Valeria quantos “zilhões” de palavras? Essa resposta, no entanto é...INFINITAMENTE INFINDÁVEL...!!!" Paz e Luz! Luciano Caldas
  3. TRANSCENDÊNCIA “Não alimentes o ódio no coração Seja uma pessoa melhor em qualquer dimensão Aprenda a praticar o perdão Faça desse dilema um eterno chavão Diga não as porcarias emocionais de baixo calão Eleve seu nível de consciência Trabalhe a cosmoética e a paciência Dentro ou fora de você, aqui, agora – sempre! Com atitudes lúcidas e sóbrias a cada experiência Assim você estará otimizando cada vez mais a sua ESSÊNCIA! Com discernimento e sentimento elevado na direção da Holomaturidade... da Megafraternidade... ...da TRANSCENDÊNCIA!!! Serenamente! Um companheiro extrafísico, Salvador (BA), 10 de julho de 2012. Observação: Eu tinha acabado de tomar um banho, e senti uma presença amiga dentro do banheiro (era quase meio-dia). Ela começou a projetar algumas palavras do texto acima numa espécie de comunicação interna mente à mente. Saí do banheiro em direção a sala e escrevi num papel as palavras desta consciência e o resultado foi este pequeno texto – texto pequeno para abordar um tema tão complexo e grande : a Transcendência Consciencial. O recado inclusive serve para qualquer pessoa. Entendi que a essência desta dica extrafísica é que o “perdão é uma ação simples que nos leva na direção da transcendência, da alquimia interior em patamares evolutivos ilimitados! Enquanto colocava no papel o recado extrafísico pus no som do meu celular a belíssima música "Estonia" da banda britânica Marilion. Um abraço transcendente a todos! rs Luciano Caldas *Cosmoética: Código de ética extrafísico; Moral Cósmica; Ética espiritual e Universal.
  4. TRANSCENDÊNCIA “Não alimentes o ódio no coração Seja uma pessoa melhor em qualquer dimensão Aprenda a praticar o perdão Faça desse dilema um eterno chavão Diga não as porcarias emocionais de baixo calão Eleve seu nível de consciência Trabalhe a cosmoética e a paciência Dentro ou fora de você, aqui, agora – sempre! Com atitudes lúcidas e sóbrias a cada experiência Assim você estará otimizando cada vez mais a sua ESSÊNCIA! Com discernimento e sentimento elevado na direção da Holomaturidade... da Megafraternidade... ...da TRANSCENDÊNCIA!!! Serenamente! Um companheiro extrafísico, Salvador (BA), 10 de julho de 2012. Observação: Eu tinha acabado de tomar um banho, e senti uma presença amiga dentro do banheiro (era quase meio-dia). Ela começou a projetar algumas palavras do texto acima numa espécie de comunicação interna mente à mente. Saí do banheiro em direção a sala e escrevi num papel as palavras desta consciência e o resultado foi este pequeno texto – texto pequeno para abordar um tema tão complexo e grande : a Transcendência Consciencial. O recado inclusive serve para qualquer pessoa. Entendi que a essência desta dica extrafísica é que o “perdão é uma ação simples que nos leva na direção da transcendência, da alquimia interior em patamares evolutivos ilimitados! Enquanto colocava no papel o recado extrafísico pus no som do meu celular a belíssima música "Estonia" da banda britânica Marilion. Um abraço transcendente a todos! rs Luciano Caldas *Cosmoética: Código de ética extrafísico; Moral Cósmica; Ética espiritual e Universal.
  5. CLIPPINGS CONSCIENCIAIS CONTRAPRODUCENTES Quem estuda temas conscienciais não cabe mais abrigar dentro de si, determinados “clippings” contraproducentes que brecam níveis satisfatórios de lucidez. Alguns destes “clippings” contraproducentes se refletem em atitudes de baixo nível consciencial como: ·Exclusivismo Doutrinário ·Dogmatização de certas VERPONS(l) ·Autocrítica limitada (ou inexistente) ·Heterocrítica excessiva, agressiva e inclemente ·Omniquestionamento reduzido e contido ·Cristalização de idéias “pseudo-sofisticadas” ·Ausência de Abertismo Consciencial (2) ·Intolerância a refutações lúcidas e inteligentes ·Experimentos pessoais assimiladas como “regras de conduta universais” ·Desvalorização de outras opções conscienciais e/ou evolutivas ·Ritualizações de “consciencialidades” ditas avançadas ·Obsessão grupal de evoluir em auto-louvor ·Hipervalorização de determinado veículo de manifestação da consciência ·Patrulhamento e catequese ideológicos ·Confundir as expressões sadias e criativas humanas como manifestações de Subcérebro abdominal (3) ·Classificar tecnicamente as parapercepções cósmicas (4) advindas de expansões conscienciais alineares com o verbete reducionista de Mateologia! (5) ·Confundir Amor Consciente com emocionalismo barato de psicossoma!(6) Portanto, essa enumeração exemplificativa de certos “clippings conscienciais contraproducentes”, nos mostra o quanto é importante desenvolvermos o “Dharma”(7) de nossa programação existencial com o máximo de mente e coração abertos, buscando respeitar a tudo e a todos, sempre na companhia do Autodiscernimento na direção da Holomaturidade Real! Paz e Luz! Luciano Caldas Salvador, 01º de Março de 2011 às 17h35. Notas: (1) VERPONS: Segundo a Conscienciologia trata-se de Verdade Relativa de Ponta imlicando numa provável postura científica de pesquisa perene para melhorar as explicações dos fatos, sendo um conhecimento passível de refutação. (2) Abertismo Consciencial: Abertura da Consciência para novos conhecimentos, aprendizados e vivências, ou seja, na direção que ultrapassa seus conceitos convencionais e condicionados por paradigmas pessoais pré-estabelecidos. (3) Subcérebro abdominal: Segundo a Conscienciologia é quando o chacra umbilical (centro de energia consciencial acima do umbigo) é escolhido inconscientemente pela consciência intrafísica, ainda de evolução medíocre, para sede de suas manifestações existenciais. Caracteriza-se como manifestações com baixíssimo nível de lucidez intra e extrafísica. (4) Consciência Cósmica: Condição ou percepção interior pelo qual a consciência (intrafísica ou projetada) sente a presença viva do Universo e se torna uma com ele numa unidade indivisível. Os yogues cunham esta percepção cósmica com o termo em sânscrito – Samadhi. (5) Mateologia: Segundo a Conscienciologia trata-se do estudo de assuntos ou temas fora da capacidade de experimentação ou entendimento da consciência no estágio humano, sendo assim um estudo inútil para a evolução consciencial. (6) Psicossoma: Veículo de manifestação pelo qual a consciência se manifesta no plano extrafísico. (conhecido por outros vocábulos tais como perispírito, corpo espiritual, segundo corpo). Sede das emoções, por isso é cunhado também como o “corpo das emoções ou corpo emocional”. (7) Dharma: Dentro do contexto hindu e budista possui vários significados tais como dever, mérito, trabalho, programação existencial, ação virtuosa, atitude correta, retidão, meta elevada, benção. Observação : O que chama a atenção é que algumas escolas conscienciocêntricas (instituições que possuem como eixo temático os estudos da Conscienciologia codificada pelo Waldo Vieira) desconsideram as intuições paraperceptivas de natureza cósmica que em determinados momentos espontâneos a consciência intrafísica acessa se utilizando do corpo mental, através do paracérebro (cérebro extrafísico). Estas intuições paraperceptivas de natureza cósmica falam mais alto que o limitado e mecânico tecnicismo hipervalorizado por determinadas instituições conscienciocêntricas. Estes achados conscienciais através destas expansões e sensações cósmicas nos comunicam alinearmente que TUDO e TODOS estão integrados holograficamente numa Unidade indissociável e incognoscível, que não pode ser medida ou provada por determinados instrumentos do intelecto humano, sejam estes instrumentos ligados ao paradigma (dominante) newtoniano-cartesiano ou ao paradigma consciencial visto sob a ótica conscienciocêntrica tradicionalista. Parece-nos ser bastante ilógico mensurar realidades cósmicas através do caminho mecanicista do tecnicismo e do intelecto, vias limitadas de perceber O TODO que ESTÁ em TUDO! Por isso se alguém falar sobre realidades cósmicas transcendentais e inacessíveis para o intelecto (mas perceptíveis alinearmente pela consciência pelas vias da intuição interior) para um conscienciólogo, ele vai dizer: “É perda de tempo! É Mateologia!”.
  6. Holomaturidade e Consciência Algum “guru” (líder espiritual, dirigente institucional e formador de opinião no campo consciencial), instituição conscienciocêntrica ou determinada organização/linha espiritualista verdadeiramente conhecem, em sua plenitude, a profunda natureza intimista da consciência? As opiniões manifestadas pelo “guru”, por uma instituição conscienciocêntrica ou por determinada organização/linha espiritualista acerca da natureza da consciência são relativas e moldadas por condicionamentos personalíssimos, de acordo com os respectivos pontos de vista igualmente relativos. Um “guru” pode categorizar a consciência como o “atman” (essência) do ser. Uma instituição conscienciocêntrica, por sua vez, pode qualificar a consciência como uma inteligência extrafísica que coabita vários corpos energéticos, de forma multiexistencial e multidimensional. Já uma determinada organização/linha espiritualista ou metafísica pode cunhar a consciência como a alma eterna e imperecível que transcende o decesso do corpo físico. As opiniões acima, sendo relativas, estão parcialmente corretas, uma vez que limitadas pelos padrões culturais, doutrinários e centralizadores dos líderes ou grupos que as formulam. No entanto, tais “verdades” se tornam muito mais completas e abrangentes, quando todos esses pontos de vista conscienciais se integram, complementando-se e se harmonizando. A integração consciente é fruto dileto da holomaturidade real. Não falamos aqui do conceito de holomaturidade tão propalado por determinadas escolas conscienciais, e sim, da holomaturidade real da consciência, que integra os 99% de semelhanças entre as mais diversas linhas de pensamento humano, no que tange aos seus valores conscienciais, e, ao mesmo tempo, respeita o 1% de diferenças. A holomaturidade real preconiza, portanto, uma integração cosmoética (unir as semelhanças sem denegrir as diferenças), ao passo que a pseudo-holomaturidade não integra, desagrega. Em vez de respeitar a diferença de pensamento, agride de quem discorda. Não se torna uma ferramenta prática de reciclagem consciencial, mas um instrumento de proselitismo, intolerância e, por vezes, até de lavagem cerebral. As consciências e instituições pseudo-holomaduras, ao invés de serem democráticas e acessíveis, tornam-se totalitárias e elitistas, baseadas no fundamentalismo consciencial, que privilegia o 1% de diferenças (personalíssimas) entre as diversas linhas conscienciais de pensamento. Essa postura desencadeia competições tolas e infantis – interna e externamente – entre instituições, movimentos, militantes e lideranças que adotam posicionamentos centralizadores e exclusivistas, resultando na rivalidade entre as diversas linhas conscienciais de pensamento, a expressão mais fidedigna de manifestações advindas do subcérebro abdominal, que empaca os mais lúcidos projetos que um indivíduo ou determinada instituição pode desenvolver! Todavia, voltando ao ponto de partida deste pequeno ensaio interdimensional, indaga-se: como “gurus”, instituições conscienciocêntricas ou organizações/linhas espiritualistas podem tornar-se mais integradoras, cosmoéticas e holomaduras? Na verdade, não há uma fórmula mágica ou descartável (tipo fast food) para responder a essa importante indagação! Contudo, quando cada indivíduo ou instituição aprender a contemplar a unidade (que integra!) na pluralidade (que diversifica!) de todos os valores conscienciais (que se relativizam!) aí, sim, a consciência se integrará ao cosmos! Essa integração gerará uma fusão indissociável! Nesse momento, a holomaturidade real entrará em cena! Luciano Caldas Salvador, 19 de fevereiro de 2011, às 20h10.
  7. UNIVERSALISMO U de UNIÃO N de NATUREZA (Cósmica)! I de INDEPENDÊNCIA (Consciencial)! V de Vivência (Multi-existencial)! E de EXPERIÊNCIA (Multidimensional)! R de RACIONALIDADE (Sem renegar as emoções e sentimentos elevados do Psicossoma)! S de SERENIDADE (Interior)! A de AMOR (Consciente)! L de LIBERDADE! (Com responsabilidade)! I de INTEGRAÇÃO (Com o Todo Imanente)! S de SABEDORIA (Real)! M de (Holo) MATURIDADE! O de OMNIQUESTIONAMENTO (Lúcido)! Estes são alguns atributos de uma consciência universalista. Os atributos acima naturalmente não são taxativos, mas apenas exemplificativos. Porém, quem estiver desenvolvendo com o mínimo de qualidade, qualquer um destas pérolas universalistas acima, encontra-se num razoável estado de consciência na senda! E o melhor: estará alargando seus atributos conscienciais em prol de um UNIVERSALISMO cosmoeticamente correto! Luciano Caldas Salvador, 09 de Fevereiro de 2011 às 16h55
  8. Holomaturidade Por Dalton Campos Roque – http://www.consciencial.org Eram uma vez duas crianças. Eram dois amiguinhos. Eles tinham sete anos e ganharam seus presentes no dia das crianças. Cada um ganhou um lindo carrinho de metal. Um disse ao outro: _ Meu carrinho é melhor e mais bonito que o seu. E o outro respondeu: _ Não, o meu carrinho além de ser o melhor é mais bonito, o seu não presta e é uma porcaria. E eles muito amigos continuaram crescendo e fazendo muitas coisas juntos. Na adolescência cada um ganhou de Natal um sofisticado videogame. E um disse ao outro: _ Meu videogame é melhor que o seu. O meu é original e o seu é falsificado. E o outro respondeu: _ O meu pode não ser original e igual ao seu, mas funciona muito bem, é sofisticado e possui muito mais funções. E continuaram crescendo juntos. Certa noite numa balada como jovens, conheceram duas garotas se divertiram bastante. Na manhã seguinte conversando, um disse ao outro: _ Minha garota era mais bonita que a sua. E o outro respondeu: _ Só de rosto, pois o corpo de minha garota garota era bem melhor que a sua, além do mais era mais simpática e educada. E continuaram juntos. Cursaram juntos o Pré-vestibular e tiveram a felicidade de passar conjuntamente. Assim cada um ganhou de seus pais um belo carrão. E um disse ao outro: _ Meu carro é melhor que o seu. E o outro respondeu: _ Pode ser, mas a potência do motor do meu é maior. E amadureceram juntos. Fizeram a faculdade, se formaram e se estabeleceram em suas profissões. E numa sexta-feira à noite após saírem do trabalho se encontraram num bar. E entre as piadas e conversa fiada um disse ao outro: _ Eu ganho mais do que você. E o outro respondeu: _ Mas eu tenho mais qualidade de vida do que você. E numa outra ocasião: _ Meus filhos são mais bonitos que os seus. E em resposta: _ Os meus são mais inteligentes que os seus. E cada um seguiu seu rumo em suas opções evolutivas e conscienciais. E se encontraram novamente numa confraternização íntima das famílias, e num canto conversavam sobre espiritualidade e seus caminhos conscienciais. Um frequentava uma instituição e o outro uma religião. Um falou ao outro: _ Minha instituição é mais evoluída que seu grupo. E o outro respondeu: _ Minha religião contém purismo doutrinário, a sua está assediada. E continuaram: _ Minha instituição e possui a "verdade relativa de ponta". E o outro: _ A minha religião contém a pureza doutrinária de Kardec que pesquisou o "Espírito da verdade". Não é difícil observar aqueles dois meninos brincando de carrinho a vida inteira. Ambos se vangloriavam de uma "holomaturidade" que não possuíam. Possuíam sim um "holo-ego", uma "holovaidade, uma holo-arrogância", uma "holodisputa" o e por fim uma holoinfantilidade consciencial. Quantos grupos e marmanjos continuam brincando com seus "carrinhos" egóicos até a morte, convictos de suas "salvações" relativas ou absolutas com suas retóricas intelectuais, rebuscadas e imponentes? Eu pergunto a você leitor se ainda continua brincando de "carrinho ou boneca" consciencial? Dalton Campos Roque – http://www.consciencial.org São Pedro da Aldeia – RJ – 29/12/2009
  9. Parapsicologia, Projeciologia e Psicanálise: uma união possível? Por Dr. Fernando Salvino (30 de Outubro de 2009) Link da matéria : http://fernandosalvino.blogspot.com/200 ... gia-e.html Eis áreas complexas e atualmente operantes de forma independente. Minha tese é de que é necessário uma união entre estas áreas de forma a preencher lacunas que a reunião dos três modelos gerariam um novo modelo mais completo e coerente com a realidade cósmica e com a dinâmica da consciência. Parapsicologia A Parapsicologia atualmente se encontra numa situação delicada: tal como a Psicologia, apresenta-se em várias escolas, muitas delas autodenominand0-se de científicas, outras de católica e ainda as que se denominam de espíritas. Outros se intitulam, Psicologia Anomalística ou Pesquisa Psi. Independente do nome que damos a esta área de pesquisa, obviamente esperaríamos que se desmembrassem em escolas, tal como ocorreu com a Psicologia e com outras áreas. Tal mesmo o que ocorreu com as inúmeras religiões que se desdobraram de outras e assim por diante. No entanto, ao analisarmos as evidências mais coerentes e de mente bastante aberta, afastando todo preconceito religioso e mesmo colocando o cetiscismo patológico de lado, chegaremos a um conjunto de premissas que nos conduzem a uma Parapsicologia de natureza multidimensional, multiexistencial, holobiogáfica, etc. E é aqui que sua correlação com a Projeciologia torna-se necessária, visto que tal ciência estuda o estado projetivo da consciência e as experiências extracorpóreas. E mais, colocando a Parapsicologia no caminho da pesquisa cientifica da "reencarnação" e outros fenômenos complexos, como as experiências extracorpóreas, une-se a Psicanálise, na medida em que a reencarnação ocorre devido a natureza sexual da vida "encarnada". Meu ponto de vista é ainda mais radical que a dos céticos ou mesmo dos que se definem parapsicólogos espíritas, católicos ou anomalísticos: todas estas supostas escolas de Parapsicologia são pseudo-científicas. Suas investigações estão contaminadas e muitas delas prostituidas pelo dinheiro. Pesquisas avançadas nunca serão sustentadas dentro de uma universidade católica, espírita ou dentro de uma instituição religiosa, seja ela qual for. Onde existem dogmas e outros interesses de natureza monetária e mesmo dos de interesse egóico, circulando a vaidade, a prepotência e a arrogância, não existe possibilidade de encontrarmos "verdade". Assim, falo aqui de uma Parapsicologia de verdade, e não das "Parapsicologias aguadas", adoçadas, e mesmo as que são falsas, com sabores artificias e conservantes, estabilizantes. Falo aqui de uma Parapsicologia "Orgânica", ecologicamente correta, que respeita os princípios da ciência, que é o comprometimento com a verdade real dos fatos. Tudo que se desvia disto não é ciência, é outra coisa, pode ser até uma neo-religião, como é a Psicologia Anomalística ou a tal Pesquisa Psi, da suposta linha cética. Esta última atravessando critérios de dogmatização de método e estabalecimento de rígido padrão de caracterização de verdade, sendo neo-religião. De uma coisa sei, por experiência: eu existia antes de nascer, logo "tinha" um Ego que permaneceu existente e operante até que, por dado motivo, retornei a vida humana, neste planeta. Minha memória por uma série de razões se apagou e minha vida se transformou num esforço rochoso de lembrar quem sou, nas minhas raizes cósmicas residentes num espaço-tempo passado. Renascer, pois, é um fato de ordem de uma Lei Natural Cósmica que transcende a ciência, a filosofia e a religião, estando pois num território além de qualquer tentativa de ritulação espírita, gnóstica, platônica, taoista, hisduista, etc. Reencarnar, ou melhor, voltar novamente à carne (ter novo soma, ressomar), é um fato cósmico. Assim como, sair do corpo e ainda permanecer lúcido fora dele. Tais fatos dispensam as hipóteses dogmáticas que não a do "corpo objetivo". A hipótese do corpo objetivo, ou da existência real do Psicossoma (corpo psi ou corpo extrafísico) é outro fato cósmico que representa outro fato de ordem da natureza holossomática e multidimensional do psíquico. Mas, no que ocorre hoje, é além da contaminação de tais fatos com os mecanismos de resistência a tais realidades supra-humanas, metafísicas e cósmicas mais abrangentes, está a prostituição das instituições, representadas por pessoas mal intencionadas que fazem da ciência um meio de vaidade e sobrevivência material. Pois vou trazer algo que para mim é uma verdade: nenhum cientista que opera com investigações avançadas da consciência ganha dinheiro com isto. Este território não está na moda. Este território está na contra-corrente da ciência. Ameaça-a e tira-lhe o sedentarismo de um tipo de conhecimento embolorado pelo comodismo mental e experiencial. A nova espiritualidade é embasada na experiência lúcida e em pesquisas sérias e avançadas. O futuro está num campo lúcido e não mistificante, embreagante, religioso da consciência. Desta forma, proponho um nome diferente para tal ciência: Investigações Avançadas da Consciência. E não uma especialidade restritiva, ou um nome delimitador, como Projeciologia ou Conscienciologia. Nenhuma dessas é mais avançada que outra, mas hoje temos um sistema, um complexo de investigações avançadas que precisam ser colhidas em todas as áreas e sistematizadas num todo cada vez mais coerente. Caso não agirmos assim, de forma universalista, estaremos plantando os caminhos de uma ciência religiosa, tal como está ocorrendo com a Conscienciologia, que já nasce contaminada. Projeciologia As correlações entre tais campos é direta. A Projeciologia, não a que Waldo Vieira codifica tentando se colocar num patamar competitivo diante de Allan Kardec, mas a que representa o conjunto coerente de todas as investigações da natureza extracorporal da consciência, tal como tentou fazer Sylvan Muldoon, é uma área altamente importante para as Investigações Avançadas da Consciência. Como disse acima, para mim e todas as experiências que passei desde pequenino, estou convencido plenamente que Eu existo fora de meu cérebro, fora de meu corpo e ainda assim, consigo permanecer raciocinando e vivo fora dele. As retrocognições rememoradas tornam tais experiências ainda mais sólidas. A coerência de tal assertiva se torna impactante na medida em que ao reunirmos sistemicamente os dados paranormais de outros fenômenos num todo sistêmico, chego a conclusão preliminar que o Ego existia antes desta atual "vida" ou "existência" e pode sair temporariamente do corpo, permanecer lúcido fora dele e, após, voltar e lembrar das experiências. O potencial transformador de tais experiências dispensam comentários. Todos os pesquisadores sérios sabem o quanto uma EQM gera de transformação num sujeito. A união da Projeciologia com a Psicanálise, na minha modesta visão, se dá de forma impactante na negativa de Sigmund Freud, quando, ao analisar as experiências de vôo relatados por seus pacientes, afirma ser incapaz de explicar tais experiências. Sua teoria dos sonhos apresenta enorme coerência quando aplicada num extrato de realidade que não incidem os fenômenos paranormais ocorrentes no campo dos sonhos e os fenômenos relacionados as experiências fora do corpo, como o são os sonhos de vôo. A sua interpretação mais no âmbito sexual são altamente aplicáveis, embora restritas, visto Freud não operar com a realidade metaorgânica do psíquico, ou o holossoma. Freud operava somente com a noção de um soma e uma psiqué. Ao trabalharmos com a realidade de que o psíquico opera em mais de um soma e, inclusive, em certas condições pode sair deste soma e usar de outro soma para se manifestar, atravessamos outro campo. Desta maneira, a Psicanálise se interconecta para um campo mais abrangente, ao integrar a Projeciologia dentro da lacuna de Freud. É exatanente nesta lacuna que entra um novo conjunto de investigações que podem levar a Psicanálise a um novo estágio de conhecimento. A isto, porém não chamaria de Psicanálise, mas, como disse, de Investigações Avançadas da Consciência, onde a Psicanálise faz parte deste sistema. O proprio Freud interessou-se pela Telepatia e, apesar de ter vivido na época de Carrignon, não efetivou a investigação paranormal. Seu intento foi outro, investigou de forma sábia outros campos psíquicos, o inconsciente e a sexualidade humana, por exemplo. Assim, onde está a relação entre Projeciologia e Psicanálise? Na sexualidade, no inconsciente e na teoria dos sonhos. Na sexualidade está que, há algo de sexual nos experimentos extracorpóreos, há um forte princípio de prazer envolvido no fenômeno e em sua busca. Há algo de edípico em tais fenômenos, na medida em que muitos procuram e mesmo tem tais experimentos devido a conflitos francos com a família, especificamente com os pais, no processo do complexo de édipo. Ademais, a vida humana inicia a partir da relação sexual com o pai e a mãe, e a ressomatização da consciência só se torna possível a partir de tal realidade sexual. Sendo a vida humana a sexualização da consciência, a Psicanálise é intimada a adentrar nas investigações mais avançadas da consciência, sendo ainda uma força de ponta nas pesquisas psicológicas. A Projeciologia, ou as investigações avançadas dos fenômenos projetivos da consciência, necessita da Psicanálise, na medida que, investigando o Ego se manifestando fora do corpo, coloca o Ego como uma realidade extrafísica da consciência ou mais, como sendo talvez, a própria consciência. Ao adentrar em investigações das memórias de vidas anteriores, pela retrocognição, a Projeciologia traz novos rumos para o entendimento da vida humana ordinária, visto que o Ego pode permanecer lúcido de si mesmo, ainda fora do cérebro e do corpo. Novas respostas para o entendimento de casos complexos como os que misturam paranormalidade com sexualidade e com problemas familiares, etc. Psicanálise A sexualidade é o ponto central da necessidade de integração de tais pesquisas nas Investigações Avançadas da Consciência. O modelo multidimensional de ciência enfatiza estar a "reencarnação" submetida a leis terrenas. A principal lei é a de que, um ser humano nasce a partir da relação sexual de um homem e uma mulher, ou mais precisamente, da união de gametas sexuais masculinos e femininos. O zigoto, a protocécula que pela embriogênese dará forma ao novo soma humano, é a essência biológica da vida sexual de um ser humano. Assim, a Parapsicologia "orgânica", "integral" que não é a refinada, enfatiza que a sexualidade é a essência da vida humana "encarnada" e mais, que todo distúrbio psíquico de um ser humano sempre atravessará a sexualidade deste indivíduo. Tal conhecimento já apresenta sinais da união entre Parapsicologia, Projeciologia e Psicanálise. Além de tal afirmativa, outro ponto essencial é integrarmos o conhecimento de Freud em sua "teoria dos sonhos", para o entendimento dos conteúdos psíquicos e de seu método de interpretação. Integrar para que possamos compreender exatamente ou o mais exato possível quando se trata de sonho propriamente dito de outras vivências paranormais, como as experiências fora do corpo e os sonhos paranormais de natureza retrocognitiva e mesmo as precognitivas. Precisamos saber que a memória contém não somente fragmentos de experiências reais, mas também, memórias de fantasias e de outras criações mentais que não ocorreram numa realidade dos fatos, mas somente numa realidade psíquica subjetiva. A vida humana é uma vida de desejos sexuais, de busca por prazer e por compensações por frustrações nesta área. De forma resumida, ou integramos a sexualidade como um dos aspectos essenciais do ser humano, ou teremos uma ciência capenga, uma religião, visto estar castrada na sua base daquilo que mesmo a fez surgir: um religioso só existe para estar na religião, porque veio ao mundo por uma relação sexual e saiu da vagina de sua mãe (ou pela cesária). Preciso ser mais sincero? Parapsicologia, Projeciologia e Psicanálise: Uma União Possível? Sim. E mais, é necessário que se unam, visto que tratam separadamente de realidade que são interconectadas e presentes de forma unificada nas vidas das pessoas. Mas para se unirem, instituições precisam ruir. Idéias precisam mudar e formas diferentes de se ganhar dinheiro precisam surgir. Muitos irão contra o que digo aqui pelo simples fato de estarem ganhando dinheiro com suas profissões e teriam de mudar, caso acatassem tal necessidade de integração das investigações e métodos terapêuticos. De que lado você está: do compromisso cósmico com a "verdade" ou do acobertamento e ocultamento de "verdades"?
  10. Caro Marcelo! Acredito que vc me interpretou erroneamente! Em nenhum momento escrevi alguma coisa no post anterior movido por orgulho! Eu apenas coloquei no papel a minha opinião! Nada de mais! Apenas expus de forma tranqüila o que penso: Gosto do trabalho (fantástico) do Waldo, mas tenho maior sintonia (pessoal) pela “linha” do trabalho consciencial do Wagner. Mas de forma nenhuma, pelo simples fato de admirar determinado trabalho de um parapsíquico em detrimento de outro, de forma alguma minimizo a importância do trabalho consciencial de outros, pois é apenas uma opinião minha, personalíssima e relativa. Acredito que foi muito importante a saída do Waldo do movimento espírita, assim como a saída do Wagner e de outros pesquisadores/projetores do IIPC, pois estavam necessitando alargar suas investigações conscienciais. Em relação ao Kardec, admiro muito o racionalismo dele. Ele era uma consciência altamente serena, prezava a ciência e era detentor de um grande senso de coerência em suas investigações e pesquisas. Na minha opinião o melhor livro da Codificação Espírita foi o “Livro dos Espíritos”. Trata-se de um livro de Filosofia Espiritualista, que não tem uma gota de religião. Mas por favor, esta é apenas a minha opinião pessoal, baseado em meu discernimento ominiquestionador e personalíssimo! Não entendi a sua colocação através do termo “misticismo equilibrado”! Apenas expus o que através do meu discernimento acredito ser o COERENTE e o SENSATO ao equilibrar o emocional do Psicossoma com o mental do Mentalssoma. Apenas isso! Não impus, mas apenas Expus! Quanto a consciência Jesus de Nazaré e as posições do Waldo até cunhando-o com o termo chulo “trintão virgem” só tenho uma coisa a dizer : Não sou cristão, espírita, mulçumano, teosofista, etc...me considero um livre pensador (buscando respeitar as diversas linhas de pensamento e opiniões sejam elas religiosas, filosóficas, espiritualistas e /ou conscienciais), mas este desprezo que o Waldo se reporta a Jesus em minha ótica PESSOAL é infeliz! Já se passam de 2000 anos da passagem deste mestre consciencial por aqui e um dos seus maiores ensinamentos que foi o PERDÃO (não o perdão “religioso”, mas o perdão como ato consciencial de inteligência!) é um ensinamento muito pouco assimilado pela nossa sociedade intrafisica. Por isso, valorizo através do meu DISCERNIMENTO as pérolas conscienciais deste professor consciencial que materializou-se através do nome Jesus. E o legal é que não preciso ser cristão ou religioso para admirar com respeito e lucidez os ensinamentos conscienciais desta consciência desperta. O importante é sabermos “surfar” com universalismo por entre as mais diversas e distintas “ondas” do conhecimento multidimensional humano, seja de qual linha, natureza ou área consciencial for, mantendo o nosso DISCERNIMENTO ACESO E INVIOLADO. O tão conceituado “Sub-cérebro abdominal na verdade é querer rivalizar apenas os 10% de diferenças que há entre as diversas linhas conscienciais, enquanto há 90% de “coisas iguais”! Estamos no mesmo barco energético-vibracional que é este planetinha azul, cheio de ensinamentos e apredizados. Acima de nós, há diveras Fraternidades espirituais ou como queira Oficinas Extrafísicas UNIDAS em prol do BEM da Humanidade, física e extrafisica! Um fraterno abraço! De um cara tão bom quanto você, e dos demais colegas daqui do GVA e de qualquer lugar e dimensão (cheio de traços fortes, traços fracos, virtudes e falhas, mas querendo MELHORAR a cada dia e se tornar um ser humano menos chato e mais elegante!) Luciano
  11. É questão de sintonia, meu amigo! Eu particularmente gosto bem mais da qualidade dos trabalhos de pesquisadores/projetores como o Wagner Borges e o Dalton Roque. Falam de espiritualidade e consciência buscando a união do racional "mentalssomático" com as emoções (naturais) do psicossoma, através de cursos, palestras e programas de rádio. Inclusive não entendo a "fobia" de alguns conscienciólogos com relação a qualquer manifestação (por mínima que seja) de emoções "psicossomáticas"! Trata-se de algo tão natural! Falo da emoção equilibrada e não melindrosa e piegas! Afinal, para quem já saiu do corpo e já participou de uma assistência extrafísica dando uma força para alguém, ao voltar pro corpo não se emociona por ter sido uma peça importante durante aquele serviço espiritual? Repito: respeito e admiro (e muito!) o trabalho técnico do Waldo com relação à Projeciologia, mas não tenho empatia (de forma democrática, pessoal e utilizando o meu discernimento) com boa parte dos conceitos dele expostos no livrão branco da Conscienciologia, que se baseia em muitas questões pontuais analisadas sob a ótica personalíssima dele! Aliás, a Conscienciologia tem boas propostas. Acredito que ficaria bem MAIS interessante e harmonizada SEM certos conceitos e opiniões personalíssimos do autor do livro 700 Experimentos. Também conheço o Waldo pessoalmente (mas projetado por duas vezes!), admiro muito o seu trabalho e a sua contribuição para o estudo racional, técnico e desmistificador da Projeção da Consciência (viagem astral, emancipação da alma, etc.), mas também valorizo o trabalho de outros estudiosos, pesquisadores e parapsíquicos como o Dalton Roque, o Wagner Borges, o Vasco Vanconcellos, o César Machado, o Fernando Salvino, o Dráuzio Milagres, o Marco Antônio Coutinho, o Marcelo Nunes, o Alberto Cabral, o próprio Saulo Calderon, o Fernando Mingrone (Enki), o Ken Wilber, entre outros. Acredito que o melhor que podemos fazer é estudar de mente aberta todas as áreas e extrair o melhor de cada pesquisador, pensamento e estudo e somar com o que há de melhor em nós como consciências. E com certeza no atual contexto evolutivo, vibracional e consciencial que vivemos, se formos priorizar apenas o MENTALSSOMA com certeza provocaremos involuntariamente um desequilíbrio em nosso HOLOSSOMA (corpos energéticos). Como priorizar um Mentalssoma de qualidade se mal conseguimos domar, equilibrar e dosar nossas emoções advindas do Psicossoma? E manifestar emoções (sinceras e não melodramáticas!) não é sinal de fraqueza Consciencial, ou motivo para se envergonhar por manifestarmos características de psicossoma...mas ALGO NATURAL e INERENTE ao nosso contexto consciencial e sistema holossomático. Imagina a emoção de um mentor extrafísico quando observa o desenvolvimento espiritual do seu pupilo extrafísico? Ele com certeza ficará contente pra caramba, através de uma EMOÇÂO SAUDÁVEL e Harmônica! Mas esta é apenas a minha opinião pessoal (e relativa, assim como as demais!) acerca do tema levantado! Paz e Luz em seus corpos psico e mentalssomáticos! Luciano Caldas
  12. Olá turma! Este tópico ainda existe? rs Ainda estou no clima da espiritualidade Celta, tema de uma belíssima palestra que o Wagner Borges proferiu aqui em Salvador no último domingo, dia 22. Quanta riqueza na espiritualidade daquele povo antigo da Europa ocidental? Para segurar e preservar sua sabedoria milenar os celtas escreveram suas célebres poesias e cantos recheados de espiritualidade e energia maravilhosas! Conceitos como o "Anam Cara" (amigo da alma), a Presença (como os celtas se reportavam ao TODO que está em tudo!), O "Assombro" quando presenciavam os encantos da natureza. Sem falar que toda estas caracteristicas ancestrais dos celtas contribuíram para o ritmo maravilhoso dos acordes musicais (como os longos solos de guitarra tão presentes no rock Progressivo) que enchem de poesia as tapeçarias sonoras de bandas como Pink Floyd, Yes, Mostly Autumn! O Wagner ficou de enviar este material (que faz parte do curso "Tambores Celtas") para quem teve interesse apoós a palestra. Assim que eu receber posso disponibilizar para quem aqui no forum tb demonstrar interesse, ok? Quanto a este post... Acredito que o autor deste estudo que trata da "Sindrome do Waldo Vieira" quis apenas dar um equilibrio, já que o Waldo (a quem admiro e muito sua riquíssima e vastíssima produção enciclopédica, a qual gosto muito da sua obra quase que antológica "Projeciologia" e a considero como a sua melhor obra disprado!) possui uma característica pessoal de ser muito forte com quem é de FORA do IIPC (eu posso falar com propriedade, pois já participei do IIPC), possui um gênio marcante e severo em seus juízos de valores acerca de de temas os mais diversos desde sexo, perpassando por uso de mantras até questões polêmicas de política e sociedade. Acredito que a sua saída do Espiritismo foi providencial e necessária, já que ele necessitou expandir seus estudos em cima das projeções da consciência (viagem astral, desdobramento), e o amobiente (majoritariamente) religioso (ainda mais naquela época, em 1966) poderria engessar suas pesquisas parapsíquicas. Mesmo reconhecendo sua grande importância dentro dos estudos parapsíquicos (notadamente a projeção). eu PESSOALMENTE discordo (como livre pensador que sou) através do meu DISCERNIMENTO pessoal , intransferível e inviolável de várias posições que o Waldo defende. Fato que outros pesquisadores como o Dalton Roque e o Vasco Vasconcellos por exemplo, adotam de forma lúcida e pessoal acerca do que estou levantando. Fica no ar a questão (que proponho de forma desapaixonada!) :Por que o Waldo pode propor uma Síndrome acerca de uma personalidade importante que foi o Emmanuel Swemdenborg (um dos maiores sensitivos de todos os tempos) através de seus estudos e conceitos pessoais, e não obstante alguém (de forma livre, independente baseada em suas observações igualmente pessoais), NÂO pode criar uma Síndrome calcada no estilo e perfil psicológico do próprio Waldo Vieira e cunhá-la igualmente de uma síndrome? Será que a Sociedade que estuda as obras de Swendenborg não se sen tiria ofendida pelo simples fato de o Waldo ter conceituado a memória do sensitivo sueco como vítima de uma síndrome? Isso não poderia também ofender um participante desta organização ou um simples admirador de Swendenborg? Da mesma forma que alguns membros do IIPC não gostaram da criação desta "Sindrome de Vieira", os membros da Sociedade Swendeborg tb estão no direito de não concordarem com a tal Sìndrome de Swendenborg! Pesos e medidas iguais, então! Da mesma forma que as informações aqui colhidas foram obtidas com pessoas responsáveis e com credibilidade (como o Wagner Borges e o Dalton Roque) e nao diminuem em NADA a importância do Waldo nos estudos da Projeciologia, que tem sua cadeira cativa , sempre! O que não podemos é fechar pacote com A, B ou C e sim seguir o nosso próprio caminho consciencial com coerência, lucidez e discernimento. O que eu quis neste novo post foi de apenas levantar a questão de que devemos dessacralizar algumas posturas pessoais acerca de escolhas e pensamentos que colidem com determinada corrente consciencial de investigação. O que posso dizer que o Waldo tem a sua importância, o Wagner tb, o Dalton tb, o Ken Wilber tb, cada um na sua, afinal de contas ninguém possui a verdade absoluta! Sobre o IIPC o que posso dizer (em conversas com amigos e estudioso da área consciencial) é que a maioria das pessoas mais maduras, inteligentes e sensatas deixaram o instituto e desemvolvem trabalhos bacanas com qualidade, cada um em sua "praia". A pergunta fica no ar (vou provocar um pouco mais!rs): Como e em quê se transformará a Consciencilogia quando o Waldo desencarnar (ou para alguns, dessomar)? Se fechará ainda mais em sua crisálida cientificista ou se abrirá mais na busca do equilíbrio "das coisas" do Mentalssoma e do Psicossoma, com o ingresso de novas mentes pensantes em suas fileiras? O sinal dos tempos vindouros responderá... Fraterno abraço a todos com Paz e Luz em suas consciências! Luciano Caldas
  13. Fernandes, Este texto eu nunca postei no IPPB. Postei uma única vez na Lista Temática Amigos de Ramatís (Criada pelo colega e amigo espiritualista Dalton Roque que reside em Curitiba-PR. Lá sou um dos moderadores ao lado dos colegas Márcio "Solarys", do Himdemberg e do próprio Dalton). Esta postagem data do dia 3 de Agosto de 2009. (Message nº 7192) O endereço da Lista é : http://br.groups.yahoo.com/group/amigosderamatis/ Inclusive fica aqui o convite aberto a quem tiver interesse em participar da lista Amigos de Ramatís! Estamos lá de braços abertos a receber todos os amigos daqui do GVA! Trata-se de uma ótima lista de caráter Universalista, Aberta, não sectária e Amiga de todos os bons própósitos e idéias em prol da Maxifraternidade, da União e do Ecumenismo, inspirados pela egrégora do Ramatís. Quanto a canalização... Em determinados momentos de sensibilidade parapsíquica, fato que rola comigo particularmente há vários anos, deixo o campo energético aberto e passivo a conexão e acoplamento energético-mental dos amparadores. Mantenho a lucidez e escrevo. O jeito e /ou a forma de escrever é o minha, pessoal, individual, personalíssimo! Mas a mensagem, o conteúdo, a substância, o recheio, enfim o recado vem da equipe extrafísica que nestes momentos de sensibilidade parapsíquica (não confundir com mediunidade) passa seu recadinho extrafísico. Grande abraço! Luciano
  14. Wagner, Vou passar aqui pequenas informações que recebi "in loco" dialogando com amigos parapsíquicos. Conversando com vários sensitivos contemporâneos, dentre eles o querido amigo Wagner Borges, eles foram unânimes em relatar que outrora, o próprio Waldo dizia para todo mundo ter sido o Emmanuel Swendemborg, grande sensitivo e projetor sueco. E que de algum tempo para cá, o Waldo silenciou sobre este assunto. Inquiri ao Wagner Borges certa feita sobre esta possibilidade reencarnatória, e ele me disse que quando via o Waldo em certos momentos surgia a imagem do Swendemborg quase que plasmada ao campo energético do Waldo, como se fosse uma imagem do subconsciente reencarnatório do fundador do IIPC captado pela sensibioidade do Wagner. Wagner foi enfático : "Luciano, o Waldo é o Swendemborg. Ele mesmo me dizia isso quando eu trabalhava com ele no Rio de Janeiro no início da década de 80. Quando eu o vejo, vejo a imagem do Swendemborg." O sensitivo e escritor Dalton Roque de Curritiba-PR me disse ter tido informações extrafísicas que o Waldo teria sido o grande sensitivo sueco. Quero apenas externar que essas informações em nada diminuem (ou até aumentem) a importância pioeneira dos estudos projeciológicos do Waldo, que gosto muito. Ele merece o nosso respeito e consideração por todos os seus estudos importantes acerca das projeções extrafísicas e de ter desmitificado e desmistificado um tema consciencial tão complexo (e natural) como esse! Mas o que mais importa é trilhar a senda com Coerência, equilibrando Consciência e Coração, Técnica e Espiritualidade, Amor e Discernimento, Ciência e Intuição, seja aqui ou em qualquer outra dimensão, na Terra ou no Espaço! Paz, Luz & Consciência! Luciano
  15. 5 TOQUES CONSCIENCIAIS 1. A grande iniciação rumo ao equilibrio mentalsomático (corpo mental) e ,por conseguinte, a vôos conscienciais ainda mais sutis ao próprio corpo mental, inicia-se primeiramente em nossos corações. 2. Trata-se de um erro absurdo em se reprimir as emoções, em prol de uma homeostase (equilíbrio) do corpo mental. Do que adianta querer desenvolver o potencial mentalsomático, se ainda estamos com o "coitado" do nosso psicossoma, "lotado" de porcarias emocionais - fruto da nossa arrogância e preconceitos variados? 3. Certas linhas religiosas adotam uma repressão sexual ortodoxa. Determinadas correntes científicas adotam uma repressão metafísica conservadora, e na mesma direção, várias linhas conscienciais,movidas por uma intelectualidade estúpida e elitista adotam uma repressão emocional ridícula. 4. O ideal é administrar com coerência o intelecto racional em harmonia com doses vitaminadas de sentimentos iluminados pela Cosmoética consciencial. 5. Em última análise, do que adianta uma extrema seriedade puramente mecanicista do ponto de vista intelectual, se o cardíaco encontra-se congelado pela frieza insana e reacionária da indiferença, por parte dos "mentalsomáticos"* em relação as emoções naturais do psicossoma? Mesmo aqui nos plano extrafisico continuamos como aprendizes-neófitos da natureza. Consciências avançadas que entram em contato multidimensional conosco sempre nos falam (mais ou menos) o seguinte : "A CAUSA CÓSMICA, INDEFINÍVEL E INCOGNOSCÍVEL À AINDA LIMITADA COMPREENSÃO HUMANA PODE SER ENTENDIDA PELO MENOS, LINEARMENTE, COMO UM CONJUNTO INTEGRADO POR UMA SUTILÍSSIMA SERENIDADE IMANENTE, ALIADA A UM AMOR MAXIFRATERNO INCONDICIONAL E EQUÂNIME POR TODOS OS SERES, QUE NÃO JULGA, NEM CONDENA, SÓ AMA...AMA...AMA... FOREVER! (Canalizado espiritualmente por Luciano Caldas. Salvador/BA, 31 de julho de 2009 às 12:40h). *A expressão "mentalsomáticos" segundo minha captação consciencial enquanto canalizava estes toques espirituais refere-se as linhas de pensamento consciencial e diversos pesquisadores da consciência que priorizam em detrimento do equilibrio sadio dos corpos energéticos por inteiro, o corpo mental ou mentalssoma. Priorizando apenas o corpo mental com certeza vai gerar um grande desequilíbrio emocional, provocado por certas atitudes castradoras ou represoras das emoções naturais e normais ao ser humano em nosso atual contexto consciencial e evolutivo. Obs. Esta canalização rolou de maneira bem natural após uma prática de energia bem leve (e logo em seguida engatei uma prática meditativa). Rolava no som daqui de casa um CD maravilhoso chamado "Prana" com ótima perfomance do músico André Rocha na harpa. Trata-se de um som que facilmente nos conduz a estados alterados de consciência, caso estejamos predispostos tanto energeticamente como emocionalmente para tal objetivo.Determinadas músicas induzem o cérebro a entrar em estados alterados de consciência. O cérebro apresenta quatro tipos de ondas cerebrais: ondas beta (30 a 14 ciclos por segundo-característica da vigília física); ondas alfa (13 a 8 ciclos por segundo-características do estado de relaxamento, limiar entre a lucidez e o sono); ondas theta (7 a 4 ciclos por segundo-característica do sono leve) e ondas delta (4 a 1 ciclo por segundo-característica do sono profundo).Quando alguém escuta uma música adequada para relaxamento, isso faz o cérebro entrar em ondas alfa ou theta, o que favorece o relaxamento, a projeção e os estados alterados de consciência. Obs2. Enquanto eu passava a limpo este texto aqui no micro eu ouvia uma bela canção inspirada na atmosfera espiritual do antigo Egito no youtube : "Meditation Music of Ancient Egypt" ("Música Meditativa do Antigo Egito"). Abaixo segue o link da música. Espero que gostem! http://www.youtube.com/watch?v=5DuIKpRr ... re=related
  16. O VÔO DO SÁBIO SHIEN-SIEN Certa vez um velho sábio chinês estava meditando às margens de um pequeno lago quando um de seus discípulos se aproximou. O jovem rapaz foi logo perguntando: “Venerável mestre como podemos nos tornar um verdadeiro shien-sien*?”. Com um leve sorriso, o sábio respondeu-lhe: “Tornando-se primeiro uma boa pessoa dentro da carne, meu filho. Esteja bem na Terra e consequentemente poderá andar pelos céus do seu coração com plena virtude”. E completou paternalmente: “Esse é o simples segredo de todo virtuoso shien-sien”. O jovem Wang-Li agradeceu-lhe. Logo depois levou suas mãos espalmadas na direção do meio do peito e saiu volitando na direção das montanhas. “Ele é um shien-sien e não sabe”. – Arrematou silenciosamente o velho sábio-projetor chinês. “O Chi** que vem do Tao*** circula melhor naquele que é consciente enquanto todos dormem”. Em poucos minutos o velho sábio retornava para o seu corpo físico que deixara na sua humilde cabana, despertando com um sorriso no rosto, e aos poucos foi relembrando do seu contato extrafísico com o jovem discípulo. Ao sair da modesta cabana, ele divisou o sol nascente que já iluminava o dia com suas esplêndidas luzes e como se quisesse que o astro-rei ouvisse suas palavras proferiu as seguintes palavras cheias de carinho e lucidez: “Todo bom shien-sien é tão luminoso como você, irmão sol, seja na vida diária ou no espaço. É ainda mais luminoso quando anda pelos céus do Tao com compaixão e consciência da sua própria natureza imanente. Antes de se tornarem bons shien-siens, os hsien-tao**** já haviam sido iniciados no ting***** em si mesmos, além das aparências transitórias humanas”. E Concluiu o sábio chinês: “O ting é o alimento primordial de todo virtuoso shien-sien”. Paz e Luz! Luciano 12 de março de 2001 às 23h24min Notas: *Shien-sien (Do chinês): “Aquele que anda pelo céu”. Seria o projetor consciente na antiga China Taoísta. **Chi (Do chinês): Força vital; energia. ***Tao (Do chinês): “O Caminho”; O Todo; a Essência de tudo. ****Hsien-Tao (Do chinês): Os imortais do Taoísmo. *****Ting (Do chinês): A concentração; o “mergulho” para dentro de si; Imersão consciencial na direção do Si Mesmo.
  17. Oi Cereja, Tudo bom? Olha, o que rolou comigo durante a clarividência viajora aconteceu durante a conversação da minha noiva com a miga dela que mora na Alemanha. Mais cedo, despertei com lembranças de ter participado de uma assistência em um local que não parecia ser o Brasil. Sabe, aquelas intuições advindas de parapercepções que lhe dão aquela certeza íntima sobre os fatos ocorridos fora do corpo? O que eu posso complementar é que foi bastante coincidência (ou não!) esta lembrança de ter tido a sensação interior de estado fora do corpo em assistência extrafisica em outro país, e a clarividência viajora que "me levou" para Munique. A pergunta fica no ar: Será que a ligação da amiga da minha noiva foi o "start up" (ignição - despertar) para a experiência parapsiquica que rolou comigo? O que eu tenho certeza é que o amparo estava presente em todos os momentos desta pequena e incomum experiência. Abração, Luciano Ps. Como falei no primeiro post : Ainda irei corrigir e editar o corpo do texto e por isso realmente o texto tenha ficado um pouquinho confuso na parte que vc levantou a bola!
  18. luciano_caldas

    SEJA...

    SEJA... SEJA LÚCIDO: Em qualquer dimensão a LUCIDEZ te pede carona! ESTEJA ATENTO! SEJA DESPERTO: A DESPERTICIDADE é o somatório inteligente do corpo mental com o corpo emocional (psicossoma), integrados na luz do discernimento! ESTEJA ACORDADO! SEJA CONSCIENTE: Antes de querer desenvolver a holomaturidade consciencial, abra o coração na direção da Compaixão Fraterna por todos os seres! SEJA CÔNSCIO! SEJA LIVRE: Voe nas asas da Projeção unindo a LUCIDEZ, a DESPERTICIDADE e a CONSCIÊNCIA! – Somes suas melhores potencialidades! - Os Amparadores, em nome da EVOLUÇÃO, ficarão felizes por ti... Siempre! Paz & Luz! Luciano Caldas Salvador, 21 de fevereiro de 2010 ás 01h05min. (Este texto surgiu naturalmente pouco antes de eu deitar. Eu já ia em direção a minha cama quando senti uma necessidade incontrolável em escrever alguma coisa. No mesmo momento ouvia um maravilhoso som da banda inglesa Mostly Autumn e percebi uma boa presença no ambiente. O resultado foi este singelo texto com temática projetiva).
  19. Olá amigos, Gostaria de compartilhar com vocês uma pequena experiência extrafisica que rolou comigo de maneira espontânea agora há pouco. O texto não está corrigido, mas vai assim mesmo “quentinho” direto da “forma” hehe Passei a noite na casa da minha noiva, aqui no bairro de Brotas, Salvador-BA. Fui assitir a um filme ao lado dela na TV e fomos deitar lá pelas 2:10h da madrugada. Ao deitar mexi um pouco com energia e caí no sono! Ao despertar perto das 10 horas vieram-me lembranças vagas de ter participado de assistência extrafisica enquanto o meu corpo dormia no leito. Não conseguia concatenar a experiência. Tinha recordações de ter estado em um local que parecia ser fora do Brasil. Eu estava acompanhado de outras consciências que eu intuitivamente sentia que estavam dando uma força no amparo. Sei que tinha várias pessoas sendo assistida naquele ambiente. Eu forçava a rememoração dos ecentos extrafisicos, mas nada de lembranças em bloco ou fragmentária. Eu estava me preparando para me levantar com a minha noiva quando ela recebeu um telefonema de uma amiga lá de Munique, Alemanha. Enquanto ela estava no telefone, eu comecei a circular energia deitado me banhando de luz. Me sentia muito bem! Não sei por que cargas d’água meu pensamento voltou-se para a Alemanha, precisamente para a área metropolitana de Munique. Fui entrando levemente num pequeno estado alterado de consciência e dentro da minha tela mental divisa um quarto que parecia ser um hospital (ou era uma casa?). Neste quarto havia uma senhora idosa (na casa dos 75 anos) deitada. Ela era bem caucasiana, tipicamente germânica. Minhas parapercepções me indicavam que ela estava perto de desencarnar. Mas por que psiquico-energeticamente fui direcionado para lá? Repentinamente vi outras cenas anteriores aquela : pessoas que pareciam ser parentes daquela anciã preocupadas com o estado delicado de sáude estavam ali com um homem que parecia ser um médico. Logo depois, após uma breve melhora todos saíram daquele quarto. Saquei imediatamente que os parentes estavam “atrapalhando” energético-emocionalmente o processo de desencarne daquela senhora. A aparente melhora dela é uma estratégia usualmente utilizada pelos amparadores extrafisicos para justamente desviar a atenção dos parentes e amigos do desencarnante, para a partir daí a equipe extrafisica “descolar” a pessoa do corpo com mais facilidade. Depois de ver estas cenas que desfilavam sequencialmente em minha tela mental, voltei ao ambiente presente naquele quarto. Senti um impulso de passar energia para aquela senhora focando a assistência energética na região da cabeça e na região do umbilical (É responsável pela energização do sistema digestório. É considerado o chacra das emoções inferiores. Portanto concentra muita energia densa que pode “prender/reter” a pessoa no corpo durante as saídas do corpo). Sentia intuitivamente que havia um suporte energético que vinha do alto em prol daquele amparo energético. Repentinamente a senhora foi deslocando do corpo, os liames energéitcos do cordão de prata foram se desvanecendo, até que um amparador em pleno ar a carregou no colo. Não vi direito a imagem do amprador que a levou para o alto e juntos penetraram numa espécie de portal de luz que dava acessoa a outra dimensão, já que ao lado do leito apareceu um senhor na faixa dos seus 70 anos que parecia um alemão típico. Sua presença me prendeu a atenção. Ele conversou mente a mente comigo. (ele devia saber que eu estava ali de maneira psico-energética chamada por alguns pesquisadores como clarividência viajora*captando aquelas cenas e imagens de um local físico, no caso a cama da minha noiva aqui no Brasil). Mentalmente ele me disse : “Esta senhora que acabou de ser resgatada, em vida anterior vivera no Brasil e possui determinada ligação ao seu grupo cármico que é a Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Ela era uma boa projetora consciente e praticava bastante assistência extrafísica. Por ter sido uma ótima cidadã intrafísica, ela mereceu receber este amparo da nossa parte. Que a Luz do Amor que gera a vida em ti e em todos os seres ilumine sua consciência na direção da Eternidade. Paz e Luz!” Após estas palavras, ele me passou algumas dicas pessoais sobre crescimento, maturidade e desenvolvimento interior. Antes de finzaliar a experiência parapsiquica, a imagem dele como europeu foi dando lugar a um hindu moreno com um turbante com uma pedra de jade verde-esmeralda incrustada na altura da testa. Mentalmente ele me disse : “A consciência não está limitada por “cercas” étnicas, culturais, gênero sexual, ideologias, religiões, filosofias ou condição social. A consciência é muito MAIS que as meras aparências ilusórias da carne perecivel. Para a minha admiração, aquela consciência extrafisica me falou que tinha sido um alemão em sua última vida tendo vivido naquela região próximo a Munique. Voltei a minha atenção ao corpo após aquela experiência de visão remota e o papo da minha noiva com a amiga dela estava terminando. Esta experiência que rolou comigo não durou mais do que 10 minutos, mas me foi bastante marcante. Nada é por acaso! Eu despertei mais cedo com lembranças de ter participado de uma assistência em um loical que não parecia ser o Brasil. E este telefonema da amiga de minha companheira que vive na Alemanha parece ter sido um “plug in” para eu enrgeticamente através da visão remota (clarividência viajora) ter sido direcionado aquele amparo naquela cidade próximo a Munique. Gostaria de agradecer muitissimo aos amparadores extrafisicos por terem patrocinado esta ótima experiência parapsiquica em que participei! Um grande abraço a todos! Luciano (Sujeito que mesmo com suas porcarias emocionais e qualidades também, consegue às vezes ser brindado com boas experiências espírituais como a relatada acima e que se regogiza de felicidade em ter participado de uma ação proativa assistencial em prol de alguém necessitado). Obs. *Percepção visual à distância, que permite à pessoa a captação de cenas e imagens de um local físico distante ou de outras dimensões. O mesmo que visão remota. Trata-se de um fenômeno no qual o chakra ou parachakra frontal envia uma espécie de sonda ou tele-periscópio, permitindo a captação de imagens à distância (estando projetado ou não). Note que a consciência não se desloca. Este fenômeno é freqüentemente confundido (equivocadamente) com bilocação ou "desdobramento".
  20. Olá amigos, Gostaria de compartilhar com vocês um pequeno texto de egrégora xamânica que escrevi em 2005. Espero que gostem! Abração, Luciano CAMINHOS XAMÂNICOS Os caminhos que nos conduzem ao Grande Espírito são infinitos! Suas trilhas estão em todos os lugares! Sua PRESENÇA ANÔNIMA está em toda parte: Nas mais longínquas pradarias, no seio silencioso das florestas, nos rios, na dança dos ventos, na sabedoria do ancião e no sorriso ingênuo da criança. Enfim em toda parte e em qualquer dimensão TUDO nos conduz na direção DELE! Os caminhos que conduzem ao Grande Espírito são incomensuráveis! Podemos tentar divisá-lo através de uma determinada filosofia ou doutrina, porém os melhores caminhos que conduzem a ELE encontram-se no coração. Lá dentro na câmara secreta do coração onde acontecerá o Grande Encontro com Manitu! Para alcançar mais rápida a meta com o Divino dentro de nós é necessária a força e a elegância do puma, o humor do coiote, a tenacidade do alce, o vigor dos potros selvagens, o vôo (consciencial) da águia e principalmente: a intrepidez do guerreiro dentro dos nossos corações. Na verdade não importa o lugar onde estejamos seja no Ocidente ou no Oriente, numa grande metrópole ou numa aldeia navajo, estejamos dentro ou fora dos corpos; O mais importante é manter acesa dentro de nós a LUZ IMPERECÍVEL DE WANKA TANKA* em nossos pensamentos, sentimentos e energias através de atitudes lúcidas e criativas em nossas caminhadas humanas e espirituais. Sigamos nossas vidas de maneira serena e confiante, pois todos os caminhos nos conduzem ao aconchego divino do Grande Espírito! Seus Caminhos interdimensionais são infinitos! E seu AMOR é mais brilhante que bilhões de sóis juntos! YATA HEYA!!!** Paz e Luz! Luciano Caldas 01º de Agosto de 2005 às 06h20min. Notas: *Wanka Tanka: (Segundo os índios Algonquinos, da América do Norte, Wankan Tanka é o GRANDE ESPÍRITO ou MANITU - uma força mágica, não personificada, mas inerente a todas as coisas, pessoas, fenômenos naturais, alquimias energéticas, e atividades imanentes). **Yata Heya: (Saudação positiva Navajo) Obs. Despertei bem cedo perto das 6 horas lembrando de ter recebido algumas dicas de um velho xamã extrafísico. Ele tinha uma compostura bem plácida e serena. Era alto e esguio e estava vestido a caráter de um típico índio navajo. O seu rosto trazia uma sensação de ternura e simplicidade ao mesmo tempo. Só me lembro basicamente disso. Quando eu estava indo pro banho (ia pegar o trampo) ‘alguma coisa’ me fez sentar na escrivaninha do meu quarto e logo senti a necessidade premente de escrever alguma coisa no papel. Para fortalecer a egrégora coloquei no som a excelente música Well Balanced do CD que possui o mesmo nome do maravilhoso músico português Oliver Shanti e me pus a escrever e o resultado foi este pequeno texto “Caminhos Xamânicos”. Enquanto eu escrevia sentia a presença sutil e silenciosa deste grande xamã – portentoso “homem da medicina” que está ligado aos antigos processos energéticos da cura. Em determinado momento eu ouvi uma voz ecoando dentro da minha mente que dizia mais ou menos assim: “Meu filho, nunca esqueça que todos nós devemos ser obedientes ao Grande Espírito e de que o corpo é o “cara pálida” que fica na terra, nós somos o Eterno que se liberta igual à borboleta que sai do casulo. Sorria! As Estrelas o esperam!” Após escrever isso, me fui tomado por uma alegria danada e aumentei o som da música xamânica (esta música realmente é arrebatadora!) e ainda sentia as energias fantásticas daquele velhinho xamã extrafísico que tinha visto na projeção. Eu só tenho a agradecer a este sábio xamã espiritual por sua companhia amiga. Sem dúvida a inspiração deste texto não tem apenas o dedinho, mas todo coração generoso deste grande iniciado nas artes espirituais das curas ancestrais xamânicas. E eu só tenho a agradecer que mesmo com todas as minhas broncas e problemas um cara deste nível “desce” e me passa idéias bacanas e lúcidas contidas neste texto. E eu só posso finalizar minhas palavras com este sincero agradecimento: “MUITO OBRIGADO QUERIDO AMIGO DAS PRADARIAS EXTRAFÍSICAS QUE CONDUZEM A ELE – O GRANDE ESPÍRITO”.
  21. 1.Respeito por todos os seres! 2.Consideração por todas as linhas conscienciais! 3.Seja um espiritualista democrata! 4.Desfralde a bandeira do Universalismo! 5.Substitua a arrogância técnica pela simplicidade do sentimento real! 6.O que adianta querer desenvolver o corpo mental se o psicossoma está atolado de emoções grossas e densas? 7.Seja inteligente: Amar com qualidade consciencial não o torna “menos evoluído”! 8.Quem quer ser apenas “mental” – reprime os sentimentos – e acaba por se desequilibrar! 9.Vibre PAZ PROFUNDA todas as noites antes de deitar o corpo no leito para a Humanidade! Esta atitude lhe aproxima dos amparadores! 10.Seja lúcido: “Sinta com liberdade” “Pense com discernimento” “Energize boas vibrações” onde você esteja! O UNIVERSO em nome do TODO lhe agradece desde já! Luciano Caldas Salvador, 02 de fevereiro de 2010 ás 00h45min. Eu estava escutando várias músicas de rock progressivo dentre elas a excelente canção “The Night Sky” do CD “For All We Shared...” (1998) da ótima banda britânica Mostly Autumn. Esta música que é a décima faixa do álbum possui um maravilhoso acorde de solo de guitarra.Simplesmente maravilhoso! De repente senti uma necessidade incontrolável em escrever algo. Peguei uma folha de oficio e o resultado foi o texto acima enquanto escutava “The Night Sky”. Quem quiser ouvir esta bela canção no youtube o link segue abaixo:
  22. Olá amigos, Faço destas lúcidas palavras do Dalton Roque as minhas. É necessário muito bom senso e prudência, antes de passarmos informações acerca de temas de certa envergadura espiritual. Criticar é fácil! Difícil é "arregaçar as mangas fisicas e extrafisicas" e meter a mão no trabalho espiritualista com dignidade e humildade. E respondendo a colega Simone : a consciência Ramatís não tem culpa se algum centro espírita cobra seus serviços de cunho "espiritualista". Vale lembrar que na Idade Média, durante as cruzadas a Igreja abençoava em nome de Jesus os cavaleiros europeus que partiam para a luta fatricida contra os mulçumanos. E por isso Jesus tinha culpa? Coitado de Jesus! hehe O importante não é pertencer a tal organização ou linha. Se a essência é BOA e POSITIVA devemos estar dentro. Se for esquisita e radical, devemos estar fora! O mais importante é o AMOR que está acima de todas as dissenções doutrinárias e sectária!s Vamos agora ao lúcido texto do Dalton. Paz e Luz! Luciano Livre Arbítrio - Por Dalton C. Roque www.consciencial.org Todo direito de expressão é livre, assim como toda e qualquer afinidade também. Mas todo conteúdo e expressão pode ser questionado. Fanatismo é uma coisa e universalismo é outra. Ser Ramatista ou Ramatisiano é uma coisa, ser inteligente e universalista é outra. Louvar o "Mestre" é uma coisa, entender e vivenciar sua obra é outra. Eu não sou nem Ramatista e nem Ramatisiano. Sou apenas um livre pensador sem rabo preso com doutrina, grupo ou instituto. Não basta se reunir no Centro, no Grupo ou na garagem para estudar Kardec ou Ramatís para ser pesquisador, é preciso endender a ciência, estudar ciência, criar novas idéias, novas teorias e hipóteses. Não basta escrever "artigo neocientífico de instituto" para ser pesquisador, é preciso entender a ciência e tentar fazer um meio caminho, ajudar "em baixo" e ajudar "em cima". Tentar fazer a ponte em o 3D e o 4D/5D, etc. É cômodo ficar limitado nos anais do academicismo ortodoxo que fica tentando provar ao cético que o PSI existe. É cômodo ficar entre espiritualistas vivenciando sua espiritualidade sem ter que pensar muito, sem estudar e sem quebrar a cabeça. Difícil é ser um pesquisador que pensa e sente, que produz e vivencia. Quem quer ser grande e não consegue crescer (ego) usa a excludência. Tenta diminuir ou excluir os outros para se sentir mais importante. "Pureza doutrinária" - ego e radicalismo espírita ortodoxo bastante atrasado. "Verdade relativa de ponta" - ego e vaidade de ponta que disfarça a verdade absoluta Existem os adoradores de Kardec, os adoradores de doutrina, os adoradores de Waldo, os adoradores de Serenão, os adoradores de Jesus, os adoradores de Samael e vai por aí afora. Tudo paixão umbilical improdutiva que não passa de amor envaidecido ao próprio ego. Todos nós temos um quê de vaidade, de orgulho, de intelectualidade, de preguiça mental, etc. Mas a reforma íntima ficou longe substituída pelo ego do grupo que se considera mais importante, excluindo "os outros" (a escória) que são considerados atrasados. Apenas reflexões soltas jogadas ao vento. Não são dirigidas a ninguém em especial. Paz e Luz, Dalton Campos Roque
  23. Com certeza Thiago, O ideal é o Equilibrio entre o mental e o emocional! Consciência e coração de mãos dadas em harmonia! Balancear o tecnicismo cientifico (através de um sadio "espírito" investigativo dos fenômenos conscienciais que nos rodeiam) com Sentimentos lastreados por uma Espiritualidade interna, lúcida, bonita, elegante e livre! Nem 8 ("Síndrome do Swendenborg"), nem 80 ("Sindrome de Waldo Vieira"). O equlibrio como ensinava Siddharta Gautama, o Buddha, "anda no caminho do meio"! Sem esquecer de "temperar" tudo isso com bastante discernimento e temperança! Grande abraço, Luciano Ps. Estou ouvindo um prog maravilhoso agora. Uma banda inglesa chamada Pendragon. Acredito que no Youtube deva ter algum video desta ótima banda de prog.
  24. Olá turma, Segue abaixo mais uma bela matéria da lavra do pesquisador espiritualista Hidemberg Frota que trata de como o próprio "movimento" universalista deve se comportar para combater certos recalques sectários que podem tornar contraproducente suas posturas e principalmente suas ações na sociedade humana. Abração, Luciano Espiritualidade Laica e Universalismo Hidemberg Alves da Frota http://pensamentose spiritualistas. blogspot. com/ Em regra, quem se aproxima da espiritualidade laica e secular procura, ao menos formalmente, se afastar do sectarismo religioso e se aproximar de uma visão de mundo e uma linha de conduta, no mínimo, ecumênicas. Compartilha do lema “unidade na diversidade”. Defende o autogoverno de acordo com as normas éticas universais. Professa a “religião do amor”. Apregoa o discernimento consciencial e as críticas construtivas, endereçadas a si e a outrem. Advoga a ponderação e a prudência acerca das vivências pessoais e coletivas, porquanto refletem verdades relativas e transitórias. Manifesta-se a favor das liberdades de consciência e expressão, do contraditório e do contraste de pontos de vista dissonantes. Cerra fileiras em prol do tratamento digno e igualitário a todos. Tais características espelham traços positivos em humanidade onde a prática de crimes contra a integridade física individual e coletiva constituem fatos ainda marcantes no cotidiano planetário. Porém, será que isso que chamamos de espiritualismo universalista é mesmo universalismo? Talvez quando e se um dia o todo da humanidade tiver, de fato, conduta universalista plena, ninguém se preocupará em ser (ou se dizer) universalista (ou fiscal do universalismo e promotor do esclarecimento nele pautado), porque universalistas todos serão, por meio do comportamento do dia-a-dia. Grosso modo, seria como alguém, perante uma platéia de pós-doutores, exprimir sua convicção de que tem intelecto privilegiado porque é “doutor do ABC”. O dito espiritualista universalista da atualidade (ano-base: 2006) se evidencia, muitas vezes, lúcido analista da paisagem humana, já que tende a esposar ampla visão de conjunto e discernir sobre quase tudo. Mas experimente pôr em xeque a integridade moral, psíquica e espiritual do guru favorito dele. A reação e os contorcionismos argumentativos decorrentes do “estado de negação” não serão diferentes daqueles emanados dos que se orgulham do próprio sectarismo e se ufanam da conseqüente estreiteza de raciocínio. No fundo, o discurso do espiritualismo universalista contemporâneo ainda expressa forma criativa do nosso ego demonstrar a si próprio que abraça idéias avançadas, cultiva ideais progressistas e desbrava a fronteira do conhecimento humano. Um mecanismo de autovalidação que pode desempenhar fator motivacional benigno, se servir de eficaz ensejo para o automelhoramento intimo e a autodoação a causas de interesso público, contanto que não transformemos a âncora psicológica do discurso universalista, paliativo próprio do ilusório mundo de Maya, em mais uma modalidade de patrulha ideológica e deslumbramento doutrinário, que nos leve a ferozes embates (explícitos ou dissimulados) com aqueles de quem discordamos, enquanto revelamos complacência com os exageros e as deficiências de quem comunga da mesma linha de pensamento. Quem sabe um dia poderemos simplesmente agir de forma universalista sem nem se dar ao trabalho de lembrar que esse rótulo existe.
  25. Olá amigos, Abaixo segue uma ótima matéria do colega espiritualista Hidemberg Frota (ele possui um ótimo blog com ótima temática espiritualista e consciencial) que trata de consciência, sectarismos e liberdade e/ou abertura consciencial. O ótimo blog do Hidemberg é : http://pensamentosespiritualistas.blogspot.com/ Espero que gostem! Boas reflexões! Paz na Luz! Luciano Como combater o fanatismo Hidemberg Alves da Frota Como combater o fanatismo? Promovendo-se o esclarecimento. Mas isso não basta. É necessário ter compaixão e empatia pela condição humana de quem buscamos esclarecer (assistencialidade eficaz). Caso contrário, o esclarecimento se radicaliza. Legitima o excesso oposto. Os “extremos se tocam” [1], assinala Hermes Trimegisto. Se não tivermos cuidado, os exageros ou deficiências de quem discordamos passam a justificar os nossos exageros ou deficiências. Uma espécie de imunidade recíproca. Ou uma relação de simbiose. O sectarismo de um extremo acaba por se revelar o principal fator de sobrevivência e crescimento do sectarismo situado em extremo oposto. Fenômeno comum nos embates entre adeptos de diferentes correntes de pensamento, em todos os campos de expressão cultural da humanidade, bem como nas relações interpessoais e internacionais. O esclarecimento eficaz e cosmoético se concretiza quando praticado de forma objetiva e, ao mesmo tempo, fraterna. Requer prudência. Não somente a prudência de evitar ofensas à integridade alheia, de se abster do sarcasmo, do desdém, da maledicência, das críticas corrosivas, da postura leviana, agressiva e contenciosa. Também a prudência de realmente ponderar com afinco sobre a sua própria visão de mundo, valores e comportamento. De se conceder o benefício da dúvida construtiva. Será que não tem nada que eu possa aproveitar do pensamento de quem discordo, em prol do meu melhoramento íntimo? Às vezes, um toque sutil e preciso, no bojo de uma conduta ponderada e criteriosa, sobrepuja, em eficácia, argumentações sofisticadas e táticas de guerrilha doutrinária. [1] BLANC, Claudio. O Caibalion. Vida & Religião, São Paulo, v. 2, nº 8, p. 19.