Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

caduxd

B-Membros
  • Posts

    68
  • Joined

  • Last visited

caduxd's Achievements

Newbie

Newbie (1/14)

0

Reputation

  1. Problema comum? Nossa, fiquei surpreso. Acreditava que esse era um paradoxo encontrado entre poucos, mas pensando bem acho que muitos passam por essas provações. Lidar com isso é complicado, mas não é impossível. Obrigado.
  2. Boa Noite, meus caros amigos do fórum viagem astral. Encontro-me em uma situação paradoxal: Acredito em Deus, na lei cósmica universal (ação e reação, causa e efeito), e acredito sobretudo nos planos que ele (direta ou indiretamente), tem sobre nós, ou, principalmente, por mim. Mas, em momentos de "dificuldade" que passo (e olha que nem de longe são difíceis, só são trabalhosos :\), eu dou aquele desespero, aquele negócio de "putz grila, o que vou fazer agora". E quando, em uma súbita lembrança consciencial, sou orientado para "ficar tranquilo, e confiar nos planos de Deus = Ter fé", não me adianta de nada, subitamente me vem um: tá, e daí, eu ainda estou nesse problema e blá blá blá (clássico desespero de quem não tem fé). Tenho uma boa fé própria, confio em mim mesmo. Mas quando a coisa complica, desaba, não tenho a confiança no plano cósmico, se é que me entenderam. Espero que não avaliem este relato (ou seja lá o que for ) como fútil ou tampouco desesperado, mas apenas um paradoxo, que eu realmente não estou sabendo sair. Ao mesmo tempo, acho que é uma questão interessante a ser discutida aqui, e ver onde eu estou "falhando". Muito grato a todos. Peço ajuda para avaliar esta profunda questão reflexiva. Paz Ps: Desculpem-me por fugir do assunto de PA, e peço que este fórum - por sua prudência elevadíssima e bom clima entre os usuários - considere meu desvio de assunto e responda, a fim de criar uma discussão no mínimo interessante. Obrigado!
  3. Definitivamente, o tópico rendeu. E muito obrigado pelos comentários, realmente é a fase da dúvida e incompreensão. Quanto ao autor do tópico que mandei, realmente ele mesmo se restringe, até porque as pessoas (principalmente PROJETORES) tem mais o que fazer do que ficar indo no quartinho de uma pessoa, falando o que tem lá pra ela ficar convencidinha de tudo, acho que vai além... Obrigado! PAZ!
  4. Questão cabeluda essa??? Isso nem compara com a questão da homoafetividade, como síntese do que me disseram, para não contrariar a Bíblia, a pessoa que é homoafetiva tem que se "controlar", ou seja, ela ama alguém do mesmo sexo, mas tem que controlar seus "impulsos erroneos" Mas isso, claro, é assunto para outro tópico "Deus nao proibiu manifestacoes espirituais só proibiu manifestacoes que ele sabia que eram malignas" Sim, mas daí fica o clássico argumento, de que nós homens não sabemos discernir as duas, tendo vista que somos "enganados", e que o único que sabe discernir isso é Cristo e Deus, não sendo cabível a nós, ou seja, temos que nos afastar disso, pois é obra do demonio. (o demônio nos acompanha durante toda a vida, e quando morremos, ele sabe tudo sobre nós... por conseguinte, em uma psicografia, é ele que está falando, pois ele sabe tudo daquele ser, que por acaso está dormindo para a sua ressurreição. O mesmo se aplica no desdobramento astral, não existe pois o demonio nos coloca em uma ilusão. Daí voltando para o argumento basilar do início do tópico! Considerando que vocês nesse assunto são MUITO mais sábios do que eu (um mero leigo ), aguardo mais boas respostas a respeito do assunto
  5. Consoante o argumento anterior: Isso é uma manobra do Diabo, pois Deus não gosta dos fenômenos espirituais (está na bíblia). Visto isso, as pessoas foram conduzidas por esse para acertarem os objetos, levando as pessoas a acreditarem em uma crença que desvie dos ensinamentos da Bíblia. Entenderam o "Q" da questão?!?
  6. Sem falar os argumentos absolutos reducionais: Dois exemplos: 1 - As projeções são criações da mente, sendo que todas as pessoas que afirmam se projetar na verdade criam tudo na sua cabeça, pelo fenômeno do convencimento mental. Ah, mais eu me projetei e tive tal e tal prova de que isso é verdade, ocorreu mesmo! 2 - Sim, mas a Bíblia diz que quaisquer manifestação espiritual é condenada por Deus, sendo isso apenas manipulação do Demônio para fazer você acreditar nisso. Estive conversando com um amigo "recém testemunha de jeová", e ele disse que, por ENTENDIMENTO coletivo da Bíblia, os fenômenos espirituais/mediúnicos são condenados por Deus, sendo todos esses fenômenos demônios no lugar de espíritos. Sacaram a questão? Em vista dessas afirmações "absolutas" fico em dúvida
  7. Peço desculpas a todos, mas colocarei por aqui um tópico de uma rede social, a fim de fundamentar a base da futura discussão . http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?c ... gem+astral Percebamos aqui um certo ceticismo, aliado a argumentos "fortes", que fogem da minha compreensão, por isso postei aqui, para uma discussão frutífera. Explicação de um dos integrantes da comunidade: O termo "Viagem Astral" foi criado por Wagner Borges, que gerou um grande misticismo em torno deste assunto, portanto, se quiser saber algo sobre o tema, eu recomendo que nunca use este termo para procurar respostas, achará um bando de místicos dizendo que podem fazer "turismo" ao mundo espiritual, sem nenhuma finalidade útil. O fato é que a dita Viagem Astral, nada mais é do que a capacidade de obter lucidez e controle no estado sonambúlico, quando se dá o desprendimento do perispírito, assim sendo você pode manter contato com ambientes espirituais ou espíritos propriamente ditos. Naturalmente a maioria destes "contatos" no desprendimento, são puras criações da nossa mente e poucos podem ser atribuídos a contatos efetivamente espirituais, já que esses, na maioria das vezes, são esquecidos ao acordarmos. Acredito na viagem astral, no entanto, essa discussão (muito fundamentada) me deixou um pouco desnorteado. "Se o próprio Chico Xavier afirmava que era frequentemente enganado por alguns espíritos, por que todas as projeções são verdadeiras?" Sou um mero espectador aqui, que busca respostas, esta NÃO É A MINHA OPINIÃO (embora eu esteja confrontado).
  8. Taí uma coisa que me desanima, perceber que até hoje não tive um E.V. NO ENTANTO, foi bem feito pra mim, pois nunca tive disciplina para praticar todos os dias... Da qual eu estou tendo agora (mesmo não tendo feito os exercícios energéticos ontem ¬¬) Continuando a prática...
  9. Já fui mais arrogante e, é claro, nada justifica isso, porém na minha área de atuação (Tecnologia da informação, meio científico) não podemos dar mole, conhecimento e pesquisa é tudo nessa área e quanto mais se tem, mais se destaca no mercado além de ser visto com outros olhos nas entrevistas de emprego, defesa de artigos em publicação, etc, portanto, esses fatores podem(mas não deveriam) criar traços de arrogância. Hoje em dia, depois de alguns anos fazendo esforços diários para colocar o universalismo e a cosmoética em prática, venho diminuindo isso, apesar de eu ter notado uma mudança na minha forma de debater e expressar (influenciado pela conscienciologia), ou seja, continuo aceitando e defendendo toda a liberdade de expressão, porém, eu penso, tiro minhas conclusões e digo-as, coisa que antigamente tinha preferência por ficar em cima do muro e sair bem com todos. Isso está se acentuando à medida em que eu tenho mais e mais experiências, pois muitas das coisas que eu digo não são apenas conclusões de outros autores e sim as minhas, criadas à medida que vou tendo mais vivências. Claro que isso pode parecer arrogante e essa não é essa a minha intenção também, muito menos de gerar conflitos sem arruma-los. Pois a ideia de tese, antítese e síntese é essa, a pessoa posta a ideia dela (tese), eu discordo (antítese) e faço a minha em cima (síntese). Ela discorda da minha e cria a dela e assim por diante. Respondendo a última pergunta... Não acho que seja permanente, pelo contrário, acredito que se policiado pode ser extinguido com o passar do tempo. Às vezes quando me pego no ato já tento corrigir a situação.. O ruim é quando você não percebe e a merda já foi feita, rs. Abraços. Que isso sérgio, desculpas a todos se pareceu que levei a algum lado pessoal ou indireto, falando sério! Só tentei promover aqui um debate interessante! Olympio, agora sim eu vejo uma perfeita convergência de ideias, pois discordamos (principalmente eu) em uma simples significação gramatical, e esse não era o objetivo. "antigamente tinha preferência por ficar em cima do muro e sair bem com todos." Nossa, essa é a minha posição AGORA, vou procurar adotar esse fundamento "Respondendo a última pergunta... Não acho que seja permanente, pelo contrário, acredito que se policiado pode ser extinguido com o passar do tempo. Às vezes quando me pego no ato já tento corrigir a situação.. O ruim é quando você não percebe e a merda já foi feita, rs." Era exatamente disso que eu estava falando, confesso que possa ter sido meio abrangente no conceito de arrogância na projeção, mas vi que todos entenderam a ideia. Peço desculpas de novo por qualquer mal entendido (e não pela discussão, como você mesmo disse ;D). Obrigado!
  10. Entendo seu ponto flavio, você quer saber a questão de ver "coisas" apenas para medir seu progresso! Minha reles opinião: sensações vem e vão, no entanto é apenas o trabalho contínuo que lhe irá produzir resultados, creio que o que aconteceu com você aconteceu com muitos. Comparação besta: Ao fazer academia, você SENTE seus músculos, na semana que vêm já não os SENTIRÁ com a mesma intensidade/forma, mas eles estarão PROGREDINDO da mesma forma! "O importante é ser constante!"
  11. Fiquei besta com esse tópico, uma lição de vida tremenda! kassioms, fiquei extremamente feliz pelo final que teve a sua história, realmente senti uma alegria tremenda por você ter vencido as barreiras. No que eu fiquei besta? Como a espiritualidade REALMENTE quebra barreiras religiosas, como a espiritualidade passa qualquer crença limitadora e no final fica apenas o amparo e o amor. Torço que realmente tudo de certo para você, e para todos aqui. Não tenho mais palavras para falar, sinto agora uma pontada no coração .
  12. Concordo inteiramente com o sergio, e acredito que a definição de arrogância em uma situação específica vai muito além do que um conceito de dicionário. NO ENTANTO, realmente tudo que tinha para falar já foi falado , entendi a questão geral. Não vamos ficar aqui discutindo questões de significado, pois há pessoas que precisam de nossa ajuda com coisas mais importantes. Obrigado Olympio, sergio7 (ótimo relato), Graciela (ótimo post ) e Oliver! Terminemos por aqui , pela integridade da questão. Abraços a todos!
  13. Me coloquei mal na questão dos "ramos"... quis dizer na verdade "metodologia". "Ninguém se torna arrogante ou "dono da verdade" só porque estudou mais, experimentou mais, etc... A pessoa já é assim, ao se destacar em alguma área, mostra as "garras", cai a "máscara"... " Concordo em partes, pois muitas vezes não pesamos se os nossos atos são arrogantes ou não, até porque quanto mais uma pessoa é arrogante, menos ela percebe isso, assim como todos os defeitos. Essa questão de atribuir uma característica inata a uma pessoa é muito complicada, pois as vezes depende muito da criação, mas pela questão espiritualista eu realmente concordo com você. Por fim Olympio (e obrigado pela resposta ;D), não acho que a pessoa simplesmente é arrogante porque "ela é assim", sendo que todos aqui já passaram por situações de arrogância (seja intelectual, ou material)... Por exemplo o amigo sergio7, por questão de experiência espiritual passou a se achar melhor do que os outros, e dissa experiencia tirou uma das melhores lições que já vi na vida, sendo que quando ele era arrogante não percebia isso, ou seja, não acredito que ele seja arrogante nascido e pronto, mas teve um pequeno defeito que fora reparado. Até porque o reconhecimento da arrogância depende do nível evolutivo da pessoa, e para evitá-la depende da reflexão e do policiamento constantes, até ocorrer uma mudança de HÁBITO, atos esses também muito ligados ao melhoramento espiritual. Muito obrigado pela resposta de todos! Acho que a projeção, assim como qualquer outro conhecimento adquirido, pode ser utilizado para o "mal"... no entanto, cabe a nós refletir sobre o meio em que a pessoa viveu, nunca rotulando o outro. Como diria Dale Carnegie: Jamais diga a alguém: "Você está errado"! Muito Obrigado a Todos!
  14. Olha, confesso que seu post é bem confuso :/ Mas entendi, seria uma espécie de contato com o inconsciente. Pelo que sei, parte disso ocorre com clarividência e abertura dos chakras, vindo o que é ÚTIL de forma natural. Corrijam-me se estiver errado ;D
×
×
  • Create New...