• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Rafael

B-Membros
  • Content Count

    892
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by Rafael

  1. Chuck, se você quer isso, lute por isso. Faça aquilo que estiver ao seu alcance. Nem tudo que vivenciamos durante o sono é projeção astral, às vezes são apenas sonhos lúcidos, às vezes a única razão para aquilo que sonhamos é o acaso de uma mente sonolenta, delirante enquanto se recupera, às vezes é uma mensagem nossa para nós mesmos. Durante algum tempo concebi a projeção astral uma imagem um tanto mística. Depois fui descobrindo, estudando e no fim cheguei à conclusão de que a melhor projeção não é aquela que reencontramos pessoas do passado, ou aquela que encontramos mentores ou seres avançadíssimos. A melhor projeção é aquela que muda algo em nós próprios, é aquela mensagem mental, aquela situação, que desencadeia em nós uma dúvida que conduz a descoberta de alguma coisa que estavamos ignorando, um desejo, um sonho, um sentimento conflituoso, um objetivo pelo qual ansiamos. A projeção é mais conhecer as entranhas da sua mente, do seu fundo emocional, do seu espírito. Nesse caso, provavelmente é mais simples: a sua mente foge para a cidade da garota, se rende ao seu desejo e ao seu medo de a perder. Se você se conformar em perdê-la, a sua mente pode parar de reproduzir essas experiências. Se você não desistir, a sua mente vai insistir até esquecê-la ou até você ir até ela. Objetivo, meio e motivação. A evasão da mente pode também ter outras motivações complementares. Reflita. * a definição de projeção astral que partilhei acima é uma conclusão pessoal, algo que corroborei. Não estou desprezando nenhuma outra perspectiva ou definição, ou as declarando incorretas. Abraços.
  2. Então, você não está com vontade de ir até essa outra cidade para encontrar essa garota? Não queria estar lá? Todos estamos com um pé no umbral, rs, faz parte da natureza humana. E depois há momentos que pomos uma mão lá também e outros em que deixamos lá só um dedo. Altos e baixos. Se você juntar um momento complicado da vida e um desejo de estar com uma pessoa que mora em outra cidade... Talvez isso gere as situações que tem experienciado durante o sono. Só corroborando teorias. Reflita e depois veja o que seria melhor fazer para você próprio. Abraços.
  3. Olá elopes! Os mentores são forças mentais, movimentadores autônomos da energia pessoal através da alteração da atmosfera energética ambiental. Eles podem ajudar alguém a sair do corpo, mas não podem arrancar a pessoa para fora de si. Essa é uma viagem pessoal, uma conquista que ocorre na vigília e durante o sono de modo a que quando estiver fora, você olhe para trás e veja que cada degrau que ficou para trás foi subido pelas suas pernas. O corrimão ajuda mas sem pernas não se sobe. Então, se quiser sair, você sairá quando estiver pronto para fazer a evasão de auto-conhecimento. Não vai ser através do mentor, nem através de condições exteriores. Vai ser uma ação sua. Diria até para esquecer os mentores e trabalhar você própria. A sua mente, deixar ela te conhecer para que você a conheça. Acredito que essa é a fonte da projeção lúcida. Abraços.
  4. Olá chuck! Os sonhos, as manifestações mentais, seja qual for o grau de lucidez em questão, são sempre complicados de serem explicados. Normalmente, a maior parte das manifestações do nosso subconsciente e da nossa mente estão baseadas em sensações dos últimos dias, lembranças recentes, emoções e memórias relacionadas. Talvez você nesse momento esteja cansado, esteja sentindo um desejo de evasão, de fugir e de mudar, de sair da rotina e conhecer algo novo, provavelmente um ambiente novo. Por isso, sempre tenta fugir para outra cidade. Essa repetição ocorre, não acredito que por acaso. é quase como um "vício" da sua mente durante o sono, enquanto o seu cérebro recupera de mais um dia. Digo sonho por achar que isso não foi uma projeção, posso estar errado. Mas em qualquer caso, a hipótese que levantei continua sendo válida. Reflita sobre o desejo de evasão. Talvez você encontre alguma resposta. Procure algo novo, tenta sair do habitual. Não sei. Mas se insistir, você vai descobrir as razões por trás de tudo. Afinal a resposta é a condição inegável para que isso se repita com tanta frequência. Abraços!
  5. Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão rsrsrsrsrs... To brincando tá Bom, lendo os posts me surgiu uma duvida. Nós temos uma reserva maxima de energia? Tipo um vampiro que tome sangue ou roube as energuias de alguem, tem um certo momento que chega o limite de absorção de energias ou ele pode absorver mais e mais ficando assim com muita, muita energia? Por exemplo, vamos dizer que pessoas "normais" tem 100% de energias armazenadas, um vampiro tem 50% de energias armazenadas; então ele o vampiro pode absorver muita energia passando desses 100% e chegando a níveis de 400% ou mais? Pergunto isso pois quero saber se, por exemplo, um Não Vampiro que resolve vampirizar alguem roubando as energias das pessoas e faz isso com uma certa frequência, ele pode vir a acabar desenvolvendo uma certa dependência energetica pelo fato de estar acustumado a absorver as energias das pessoas e elevando sua reserva energetica a níveis maiores que os 100% normais e se tornando assim um vampiro? Ou não, o maximo que podemos ter em nossa reserva energetica são os 100% e nada mais que isso? Olá Marcelo! Se formos considerar aquilo que os vampiros reais relatam, então acho que eles possuem um limite de absorção energética, quer dizer, muitos dizem que depois de absorver uma dada quantidade de energia, o seu corpo físico e não-físico fico plenamente satisfeito e "forte". Já quanto a quantidade que os vampiros reais precisam absorver em comparação com a quantidade que uma pessoa consegue absorver no máximo, isso não sei. Se aceitarmos a teoria de que os vampiros reais precisam de mais energia que as pessoas "normais", então podemos dizer que os 100% de armazenagem energética do vampiro corresponde a mais do que 100% de armazenagem energética humana (talvez entre 150%-250% e pode variar de vampiro para vampiro, acredito). E isso que mencionou sobre a criação de uma dependência artificial adquirida por alguém ao se acostumar a absorver energias dos outros, isso não é vampirismo real porque trata-se de uma necessidade artificial e não natural, nata. Essa pode ser combatida eficazmente. Um vampiro real necessita de energias externas com maior intensidade por natureza e não or hábito. Aqueles que se convencem ser vampiros reais mas têm apenas uma necessidade artificial são os vampiros artificiais e temporários. Por mais que nos desequilibremos, tudo tenderá a se equilibrar levando o vampiro artificial a sua condição energética e espiritual concedida por natureza. Ah! E moro em Portugal há 6 anos. Vim para cá quando tinha 13 anos e brevemente estarei voltando para o Brasil. E aqui o inverno esse ano até que não está tão forte - não que eu me incomode com o frio, rs. Abraços!
  6. Boa noite! Nanda, uma curiosidade, onde você mora? Aqui até faz sol, mas a maior parte das vezes o tempo está frio, nublado ou chovendo. E um inverno de mais de 5 meses tem o seu contributo para isso, rs. Indo direto ao assunto: vampirismo real. Está tópico está cada vez melhor! A origem dos vampiros reais é um assunto de enorme debate entre comunidades relacionadas com o assunto e as teorias são tantas que fica ainda mais confuso. Digamos que há definitivamente um elo vampírico perdido. Mas seja ele qual for, há uma constante, podemos dizer uma base teórica inegável: o vampirismo nasce na Natureza humana. Então o percurso normal do vampirismo básico/simples seria: Perda energética causada por desequilíbrios frequentes, normais e variados >>>> Proximidade entre a pessoa desequilibrada com uma pessoa energeticamente regulada >>>>> Transferência energética de uma pessoa a outra. A energia passa de um sistema mais energético para outro menos energético inevitavelmente (nunca o contrário) - lei da termodinâmica. A própria natureza humana cria o processo vampírico e tal processo é natural, tornando o vampirismo um ato, inclusive, saudável. Não há nada a discriminar, nada a negar, nem nenhum tabu a manter. Entretanto, há os graus seguintes e mais profundos do vampirismo que já são diferentes, digamos processos obsessivos... - Vampirismo dependente: baseado no vício de consumo e acumulação energéticos mental, psíquica e espiritual; - Vampirismo induzido e supervisionado: causado e mantido por algum vampiro ou obsessor que se alimenta da energia de outra pessoa sistematicamente e regularmente. E, finalmente, o vampirismo real. O vampirismo real não se resume a nenhum outro tipo. Trata-se de um vampirismo que não é causado ou induzido, logo não é artificial; ele não depende do estabelecimento de nenhum vício energético; ele não é temporário, mas sim permanente e nato, nasce com o vampiro real. Será possível um vampirismo real permanente? Conclusão pessoal (1): vampirismo real é uma característica base da identidade dos vampiros reais e não uma opção. Por isso é que às vezes me pergunto se o vampirismo real precise mesmo de uma causa... Afinal não existe uma causa para uma pessoa ser mais tímida que a outra, certo? É apenas a natureza pessoal e espiritual! Mas se pensarmos assim, teremos que nos questionar até onde é válido considerarmos que as pessoas nascem com traços psíquicos e espirituais predefinidos... podemos nascer como um computador sem software, sem sistema operativo - só a máquina com potêncial. A genética espiritual se desenvolve exatamente em oposição a essa hipótese, mas ambas são válidas até que se prove o contrário e isso é algo muito complexo para ter sido provado até o momento. Conclusão pessoal (2): acho que os vampiros reais existem afinal conversamos com eles e a maioria parece séria, consciente da sua condição espiritual, ética e responsável e desperta. Eles formaram esse traço naturalmente, logo se trata da identidade dele. Por isso acho que devem ser respeitados e inseridos corretamente na sociedade. Excluí-los não faz com que os vampiros reais deixam de existir, mas sim que sejam forçados a agir escondidos, sem orientação ética ou apoio social - vampirismo sem guia e descontrolado é que pode ser um perigo real. Uns precisam de mais energia, outros de menos. Se os que precisam de menos, puderem doar, ótimo. Atingimos o equilibrio. Então, qual será a causa? - Genética espiritual ou; - Chackra defeituoso/deformado ou; - Incontinência energética psíquica, mental e espiritual ou; - Vírus transmissível por sangue ou; - Necessidade energética anormal relativamente ao ser humano não-vampiro ou; - Condição espiritual ou; - Não há causa, apenas um traço natural de identidade espiritual. Seja ela qual for (podendo nem sequer estar listada acima), a causa do vampirismo acaba sendo irrelevante. Acho mais importante a quebra de tabus contra essas pessoas, pois afinal são pessoas (sei que não são todos, mas muitos se afastam só de ouvir falar de vampiros reais, sem nem se informarem ou refletirem) e a aceitação social. Eles não ferem, não machucam ninguém e procuram sempre absorver energias em excesso ou doadas. Se alguém não estiver com energias à disposição, é impossível o vampiro simplesmente tomar a energia a força. A pessoa tem primeiro que permitir o acesso energético de alguma forma. E acho que já escrevi muito. Vou parar por aqui, rs. O tópico está muito informativo e interessante. Ah! Luna, se o shielding não resultar (nem sempre resulta bem), você pode usar a técnica de transferência energética inversa para restaurar as suas energias ao mesmo tempo que elas são roubadas/absorvidas. Essa técnica é alvo de críticas devido à questões éticas e morais, mas ainda assim é uma solução que pode resultar. Técnica de Transferência Energética Inversa: Quando um vampiro está se alimentando da energia de alguém, ele está energeticamente conectado com aquela pessoa para que o fluxo energético flua entre a fonte energética e o vampiro. A maioria dos vampiros não sabe, nem tem o hábito, de instalar barreiras contra a invasão energética através desta ligação, ficando vulnerável a pessoa que está servindo de alimento energético. Então, você pode absorver a energia que lhe sendo roubada diretamente do vampiro que a está roubando. Assim, você mantém as suas energias e o vampirismo se torna ineficaz. Em teoria é excelente e eficaz, mas na prática poucas pessoas a utilizam, acredito ser por razões éticas (afinal você está roubando energia daquele que lhe roubou primeiro, rs). Abraços!
  7. Olá Ricardo! Não durmo numa beliche, mas já tive problemas semelhantes com a minha irmã - partilhar o quarto exige o estabelecimento de limites e respeito e aí quando se quer praticar as energias e a saída extrafísica podemos acabar chateando a pessoa que dorme no mesmo quarto. A solução que encontrei, no meu caso, foi deitar mais cedo para praticar mais e com mais sossego sem atrapalhar ninguém. Você podia tentar isso, mas sei que muitas vezes deitar mais cedo não é possível, ou o quarto não fica vazio antes da hora de dormir... Neste caso, você pode fazer como muitos fazem, inclusive pessoas casadas: dorme cerca de 2-3 horas (use um despertador para acordar de madrugada). De madrugada, você pode ir para outro cômodo sossegado da casa para praticar OU se a pessoa tiver sono pesado, praticar no quarto mesmo. Agora, a desvantagem de praticar no quarto partilhado é o acoplamento áurico devido à proximidade de campos energéticos individuais e pessoais. Não sei se há mais alguma forma de contornar a situação. Mas o resto é administrar o tempo e saber praticar através da sua liberdade, lembrando que ela termina quando a liberdade do outro começa. Abraços!
  8. Boa noite pessoal! Mais uma vez, escreverei bastante. E por falar em vampiros e recorrendo ao mito, aqui está um tempo escuro, fechado mesmo, com chuva constante, um manto de neblina nas ruas e um frio de inverno de rachar!, rs. Voltando o assunto e sem devaneios. Nanda, que legal você ter encontrado um grupo de estudos que não lhe acha louca por pesquisar sobre assuntos ditos sobrenaturais por serem apenas compreendidos em um grau de entendimento ainda muito inferior. Acho interessante você ter tocado no assunto do vírus genético do vampirismo - já estudei sobre isso há um tempo atrás. Na verdade, depois de ter pesquisado bem o assunto, acho que um vírus é pouco provável para a causa do vampirismo, embora ainda seja possível. Parece que o vampirismo é mais uma condição espiritual que se reflete na formação e desenvolvimento do corpo físico - daí a necessidade de fontes de energia como ferro que está presente no sangue. Mas nem todo vampiro real parece desenvolver essa necessidade energética mais física, afinal há os psi-vamps. Quanto ao shielding, não tinha pensado nisso como um recurso de aprisionamento energético, principalmente porque tenho o hábito de relacionar essa estratégia com a proteção contra assédios. Mas e se os vampiros reais não conseguirem aprisionar a energia pelo shielding? Se eles simplesmente não forem capazes por características da própria natureza? O interessante é que a figura do vampiro real é mais antiga do que muitos julgam. Desde a Antiguidade, da qual muito pouco conhecemos, os vampiros bebedores de sangue já existiam e o sangue sempre foi um símbolo de vida, sagrado e energético. Nem sempre está relacionado com magia negra, como sabemos, embora tenho sido reconhecido assim atualmente por muitos (ganhou a fama, rs). Acho que em todo mito há uma base de referência real, um fato. Claro que esse fato poderia ser algo metafórico, mas poderia também não ser e até agora só temos provas de que tais vampiros existem. Então, acho que a existência do vampirismo real é uma forte possibilidade. E a genética vampírica é um assunto de muito debate atualmente. Acho que os únicos tópicos mais polêmicos entre os vampiros reais da atualidade são: transformação vampírica e origem vampírica. Nanda e Marcelo, vejam este texto sobre genética vampírica que encontrei num fórum de vampirismo (está em inglês, quando conseguir um tempo para traduzir, traduzo - estou meio que na correria aqui): Teoria da Genética Vampírica "Encontrei algumas informações interessantes sobre genética vampírica. Isso é de outro site e não fui eu quem escrevi, só para deixar claro. A genética dos vampiros reais tem sido discutida muitas vezes em várias comunidades. Espero poder ajudar a esclarecer algumas possibilidades da teoria genética do vampirismo real. Há muitos vampiros que acreditam que nós viemos de Nephilim, extraterrestres, ou várias outras figuras derivadas de deuses tal como Caine, Lilith, Set ou Osíris. Todos estes apresentam um tema em comum: Uma linha de descendência de um ou mais progenitores que se extende até os vampiros de hoje em dia. Isso não exclui outros fatores tais como ambiental e espiritual, mas indica que pelo menos parte do vampirismo é genética. Se o vampirismo é genético, ele tem que ser recessivo. Isto é, tem que ser transmitido de geração para geração através de um gene recessivo oposto a um gene dominante. todos os genes vêm em pares. Eles podem ser dominante/dominante, dominante/recessivo, or recessivo/recessivo. genes dominantes sempre se sobrepõem aos recessivos. Por isso, uma característica de um gene dominante é muito mais comum do que uma característica do gene recessivo. Para mais informação sobre genética, consulte um livro de elevado conteúdo científico na área da Biologia. Especificamente no caso dos humanso e vampiros: Se considerarmos H = Gene Humano Dominante; E considerarmos v = Gene vampírico recessivo, Como um vampiro seria criado através da genética? Vamos explorar as possibilidades. Um homem e uma mulher têm um filho. O homem e a mulher possuem a possibilidade das seguintes combinações de genes: HH = Totalmente Humano Hv = Humano mas transmissor do gene vampírico recessivo. vv = Totalmente Vampiro. Vamos agora explorar a situação com 5 casais diferentes: Casal 1 é HH e HH (ambos os pais são humanos) Casal 2 é HH e Hv (um pai é humano e o outro transmissor de DNA vampírico) Casal 3 é HH e vv (um pai é humano e o outro é vampiro) Casal 4 é Hv e vv (um pai é transmissor de DNA vampírico e o outro é vampiro) Casal 5 é vv e vv (ambos os pais são vampiros) (Há algumas áreas da genética que só são transmitidas por um determinado sexo). Agora, vamos considerar a ideia de que o vampirismo pode ser transmitido por ambos os sexos. Logo o sexo dos progenitores é irrelevante.) Agora, vamos ver os descendentes possíveis de cada casal: Casal 1 (HH e HH) teria as seguintes combinações genéticas: 1º H + 1º H = Totalmente humano. 1º H + 2º H = Totalmente humano. 2º H + 2º H = Totalmente humano. 2º H + 2º H = Totalmente humano. Verificamos que pais completamente humanos tem 100% de probabilidade de ter um descendente completamente humano. Casal 2 (HH e Hv) teria as seguintes combinações genéticas: 1º H + 1º H = Totalmente humano. 1º H + v = Humano transmissor de DNA vampírico. 2º H + H = Totalmente humano. 2º H + v = Humano transmissor de DNA vampírico. Verificamos que esse casal teria 50% de probabilidade de ter um filho completamente humano e 50% probabilidade de ter um filho transmissor de DNA vampírico. Casal 3 (HH e vv) teria as seguintes combinações genéticas: 1º H + 1º v = Humano transmissor de DNA vampírico. 1º H + 2º v = Humano transmissor de DNA vampírico. 2º H + 1º v = Humano transmissor de DNA vampírico. 2º H + 2º v = Humano transmissor de DNA vampírico. Esse casal tem 100% de probabilidade de ter um filho transmissor de DNA vampírico. Casal 4 (Hv e vv) teria as seguintes combinações genéticas: H + 1º v = Humano transmissor de DNA vampírico. H + 2º v = Humano transmissor de DNA vampírico. v + 1º v = Vampiro v + 2º v = Vampiro Esse casal tem 50% de probabilidades de ter um filho transmissor de DNA vampírico e 50% de probabilidades de ter um filho vampiro real. Casal 5 (vv e vv) teria as seguintes combinações genéticas: 1º v + 1º v = Vampiro. 1º v + 2º v = Vampiro. 2º v + 1º v = Vampiro. 2º v + 2º v = Vampiro. Esse casal tem 100% de probabilidades de ter um filho que seja vampiro real. Em conclusão, temos os seguintes casos potenciais possíveis: Casal 1: 100% Humano Casal 2: 50% Humano, 50% Transmissor Casal 3: 100% Transmissor Casal 4: 50% Vampiro, 50% Transmissor. Casal 5: 100% Vampiro" Que conclusões podemos tirar disso? Será o vampirismo real uma condição permanente? será mesmo uma condição nata? Se sim, a genética é obrigatória, nem que seja a raramente mencionada genética espiritual. Tiremos as nossas conclusões. Abraços e continuação a essa discussão interessantíssima!
  9. Desculpem o double-post (deve ser evitado, rs), mas resolvi traduzir um FAQ sobre os vampiros reais para sintetizar informações sobre o assunto e enriquecer o tópico. Segue-se abaixo MUITA informação: FAQ - Vampiros Reais 1 - Os vampiros são reais? R: Sim, eles são reais. 2 - Os vampiros reais são mortos-vivos ambulantes? R: Não, nós temos um corpo completamente humano e mortal como qualquer outra pessoa. 3 - Os vampiros reais são imortais? R: Não. Nossos corpos crescem, envelhecem e morrem - tudo igual aos humanos. 4 - Um vampiro real é nascido ou transformado? R: Vampiros reais nascem assim, não são transformados. 5 - A maioria dos vampiros despertam a sua natureza (Awakening) aos 17 anos? R: Algumas pessoas alegam que a transformação de um humano em vampiro é possível, outras afirmam ser impossível. Pessoalmente, acredito que não é possível. * O Awakening é muitas vezes visto como um processo de transformação em vampiro. Alguns negam esse processo e dizem que os vampiros reais apenas descobrem a sua natureza que já se desenvolveu desde que nasceram. 6 - E as cruzes, o alho, as igrejas e a água benta... ferem os vampiros? R: Não, isso é um mito, uma besteira completa.Cruzes e prata não têm qualquer efeito nos vampiros reais. Alguns vampiros usam cruzes em colares. E alho dá um adorável gosto a uma refeição, aliás muito daquilo que comemos tem alho. Se você atirar água benta num vampiro, você apenas o deixará irritado por ter molhado as suas roupas xD 7 - Os vampiros dormem mesmo em caixões? R: Apesar de eu ter quase certeza que alguns vampiros extremamente excêntricos possam participar desta atividade (dormir em caixões), aqueles que conheço não o fazem. Eles dormem em camas normais destas que estão à venda (a preferência é o que varia de pessoa para pessoa). 8 - Os vampiros caçam vítimas insuspeitas? R: Eu tenho ouvido falar de alguns vampiros que caçam vítimas insuspeitas, mas eles são quase sempre vampiros psíquicos cujos ataques deixam a vítima com nada mais do que uma sensação de exaustão. Bebedores de sangue (sanguinários) possuem uma vasta lista de recursos disponíveis para adquirirem o sangue que precisam. A maioria recorre a doadores de sangue. Fora isso, há açouques, bancos de sangue e vendedores de sangue. * Mais a frente há informações sobre doadores e vampiros sanguinários. 9 - Os vampiros possuem reflexo no espelho? R: Até onde sei, todos os vampiros possuem reflexo. Na verdade, eu tenho uma amiga vampira que sei que gasta horas na frente do espelho. Fotografia também é normal - nada de não ser compatível com fotografias, um vampiro pode ser fotografado. 10 - Você pode mesmo matar um vampiro enfiando uma estaca em seu coração? R: A resposta a esta pergunta é uma resposta de senso-comum. Pense... "Quantos sers vivos sobrevivem a uma estacada no coração?" Tendo isso em mente, pode ter a certeza que também balas de prata, decapitação e queima será eficaz ao matar um vampiro real, assim como seria com qualquer outro ser vivo. 11 - Há casos documentados de vampirismo sendo uma doença médica/clínica? R: O Vampirismo é frequentemente citado como um sintoma de doenças físicas e/ou psicológicas. Os casos determinam aqueles que revelamcertos atributos, como aversão à luz solar (tendência "vampírica"). Entretanto, eles não consideram a existência de verdadeiros vampiros. Pelo que sei, não há atualmente nenhum caso de vampirismo documentado como uma forma de doença medicalmente aceita. 12 - Os vampiros são maus, malditos, adoradores do Diabo? R: Não. Primeiro, ser uma má pessoa é algo que se tem que escolher - não algo que seja determinado à nascença. Se você é uma pessoa não-má (boa) antes de descobrir a sua natureza vampírica, você não se tornará má de repente. Assim como com os humanos, a pessoa é que pode ser má por escolha, mas isso não torna todos humanos maus. Segundo, a religião da pessoa não está relacionada de forma alguma com o fato de ela ser ou não um vampiro. O vampirismo é uma característica que nasce com a pessoa - como a altura ou a cor natural do cabelo - e a religião é algo que você decide pessoalmente crer, ter fé. Os vampiros podem pertencer a qualquer religião - Cristã, Judáica, Budista, Hindu, Muslim, Pagão, Ateísta/Agnóstic, Satanista, etc. 13 - Os vampiros podem voar, trocar a sua forma corporal ou comandar nuvens de morcegos? R: Isso seria ótimo, fantástico, mas não, nós não podemos fazer nada disso. 14 - Os vampiros têm presas, caninos longos e afiados? R: Não. A maioria dos vampiros têm dentes aparentemente bem normais. Alguns podem até ter dentes mais afiados assim como as pessoas têm dentes de diferentes tamanhos, uns mais longos e outros mais curtos. Ainda assim, nada de dentes vampíricos como nos filmes. 15 - São todos os vampiros góticos? R: As pessoas são quem e o que elas querem ser - seja quais forem as suas habilidades/condições/talentos/etc. natas. A roupa que vestem não têm nada a ver com o vampirismo. 16 - Existe uma religião de vampiros reais? R: Você pode encontrar algumas religiões de Vampiros na internet, mas elas são simplesmente uma estratégia de humanos que querem aprofundar a sua forçada crença em serem vampiros reais e decidiram cobrar dinheiro daqueles que precisam de um livro de leis e tradições vampíricas para poderem acreditar ser também vampiros reais. E essas religiões, por passarem a ter seguidores, levam os seus fundadores e seguidores a acreditar serem vampiros. Eles simplesmente não são. Não se deixe enganar por cultos e esquemas como esses. Lembre do velho conselho, "Se algo soa muito bom para ser verdade, provavelmente é" (Isto é, se eles de repente te dizem que por $25 você pode ter uma bíblia vampírica e que ela o fará imortal, eles estão lhe passando a perna). Eles caçam aqueles que estão desesperados e necessitados para gastar o seu tempo e o seu dinheiro. 17 - O vampirismo é uma doença? Um vírus? Uma doença? Um defeito genético? Algum vírus genético? Espiritual? Outra espécie? R: Todas ideias acima são realmente boas. Honestamente, ninguém sabe a causa real do vampirismo com certeza absoluta. Há muitos debates sendo feitos sobre o assunto. * Inclusive aqui no GVA, rsrs. Red Bull Blood Drink te dá asas e dentadas! 18 - Os vampiros bebem sangue? R: Sim, alguns bebem. 19 - O que você quer dizer com alguns? R: Bem, há dois tipos de vampiros, um sanguinário e o outro chamado de Psi-vampiro. Sanguinários se alimentam de sangue. Psi-vampiros se alimentam de energia (a.k.a prana, chi, qui, energia vital) 20 - Os vampiros roubam sangue ou atacam pessoas? R: Não. Nós consumimos sangue doado por voluntários que comprovem não ter nenhuma doença transmissível por corrente sanguínea (exigimos testes laboratorias sanguíneos). Alguns consomem sangue de outros animais, mas nada se compara ao humano. 21 - Os vampiros podem comer comida de humanos? R: Claro. Caso contrário, morreriamos. Entretanto, o défice energético não pode ser saciado através de comida. 22 - O vampirismo real é uma preferência? R: Não. Os vampiros reais não escolhem ser quem são e as necessidades energéticas que têm. Eles nascem com elas, eles nascem vampiros reais. 23 - Eu acredito que eu possa ser um vampiro devido a aversão à luz solar, por usar roupas pretas, por estar sempre com fome ou/e sede, por gostar de ver, cheirar e sentir o gosto de sangue, por estar tendo sonhos estranhos, enfim, por estar realmente direcionado a tudo relacionado com vampiros. Eu poderia ser um? R: Não, vampirismo real é unicamente sobre deficiência energética. Então todos esses sintomas afirmam que você não é um vampiro. 24 - Você acredita que haja um lugar especial na sociedade para os vampiros reais? Se sim, que lugar é esse? Se não, por que não? R: Acredito que a atual sociedade seria muito melhor para se viver se ela tivesse um mais elevado grau de abertura mental para o fato de que os vampiros reais realmente existem e que têm vivido nela por um tempo indefinido. Eu adoraria se as pessoas aceitassem o fato de vampiro reais ao ponto de existirem locais onde pudessemos comprar sangue tão facilmente quanto uma pessoa consegue comprar agora uma pizza congelada, mesmo que fosse sangue animal ou simplesmente sangue que algumas pessoas se dispuseram vender em troca de algum dinheiro extra. * Mercado sanguíneo? O simples fato de que há muito sangue destruído pela cruz vermelha regularmente porque não fora usado no prazo em que ainda pode ser considerado útil para uma transfusão sanguínea - esse sangue não precisa ser destruído, pode ser dado aos vampiros reais. E eu sei que qualquer um de nós estaria satisfatoriamente disposto a pagar por esse sangue que destroem por já não ser utilizável em transfusões de sangue. Se "nós" como vampiros reais fossemos comumente aceitos como parte da realidade, teríamos a opção de comprar sangue. Se você considera isso como sendo um lugar especial na sociedade, o que de certa forma é, então sim, eu acho que nós devíamos ter um. Porém, se você define esse lugar especial como uma posição acima das outras pessoas, superior, melhor, com mais direitos, então não, nós não temos esse lugar especial na sociedade. __________________ Tiremos as nossas conclusões. Abraços!
  10. Olá Marcelo! Há inúmeras ordens secretas, grupos de vampiros reais, doutrinas criadas para o vampirismo real ser "oficializado", mas tudo isso não passa de um fenómeno religioso e de ritual que nada explica sobre o vampirismo real, apenas complica e limita a divulgação e propagação/investigação do conhecimento vampírico. Não daria tanta importância à ordem Aset Ka. E o Red Bull de sangue foi ótimo! Assim os vampiros reais podem se transformar em morcegos!, xD. Brincadeiras à parte, acho que os vampiros reais podem ser considerados como reais e não apenas lunáticos (embora surjam alguns no meio vampírico sério). Assim como concluímos, todos nós somos em parte vampiros por natureza, por isso haver pessoas com uma parte vampírica mais ativa por natureza não seria tão absurdo. O sangue é um veículo muito energético, não é por acaso que ele representa o melhor alimento aos vampiros reais - os filmes de ficção sugerem algo útil na prática, pelos vistos. Os vampiros reais têm maior necessidade energética? Acho que não. É mais provável que eles tenham uma deficiência na canalização de energia, deixando ela se dissipar sem ser utilizada com rentabilidade. Ela dura pouquíssimo tempo no organismo espiritual vampírico. Logo, os chackras funcionam normalmente, mas não conservam ou direcionam as energias que recebem ou produzem - a deixam escapar para o exterior dando ao vampiro estabilidade energética momentânea curta. O que acham dessa teoria? Abraços!
  11. Olá Luciano! A mensagem que postou sobre o UNIVERSALISMO está excelente! Obrigado por partilhar esta união de criatividade com o significado do universalismo. É mesmo pela simplicidade que se define com maior plenitude o significado de ideologias, correntes filosóficas, pensamentos e sentimentos. Abraços, amigo!
  12. Olá Eiji! Sei que vou ser o milésimo a comentar o seu avatar, mas ele realmente conquista a atenção, digamos assim, rs. Sem mais devaneios, vamos ao assunto principal. Quando nos projetamos, a nossa consciência atua na faixa emotiva e ideológica (mais do que na parte mental). Por isso, a memória que temos acesso é bastante seletiva e pode ser bloqueada, assim como ampliada. depende de diversos fatores. Tentar lembrar do desejo de ir a Fernando de Noronha pode não resultar,mas o desejo profundo e real pode ser facilmente acedido e a partir daí, basta desejar e pensar no local por alguma referência que a sua consciência irá se transportar para lá por um vínculo espontâneo energético. Por isso, quando se projetar, penseno lugar desejado, intensifique a sua vontade de estar lá, feche os olhos e visualize as paisagens das fotos. É possível que você vá lá no astral, mas para ser sincero esse grau de liberdade e lucidez no astral exige bastante treino até poder ser conquistada, embora algumas pessoas tenham mais facilidade que outras. De qualquer forma, a nossa velocidade é sempre a máxima a que devemos seguir. Abraços!
  13. ...parece eles só se livram desse problema energético quando pararem de encarnar nesse nosso plano denso na forma de seres humanos. Boa tarde, pessoal! Acho que após a vida existe algo do qual ainda compreendemos MUITO pouco para tentar compreender o destino da vampirismo de um espírito, mas claro que podemos fazer especulações lógicas. O espírito é um estado psicológico/mental, emocional e espiritual específico que se traduz em determinada vibração energética - em poucas palavras, um momento da consciência. Um vampiro precisa de energia por falta dela na vertente consciencial e não na física (embora a física possa ser prejudicada consequentemente em alguns casos). Então, após a morte, a deficiência deve ter continuidade. Sinceramente, não sei qual seria a solução para terminar com o vampirismo real. Talvez a "cura" seja o tempo que leva a alterações de fluxo energético e talvez a uma recuperação do défice energético. Outro problema é que quanto mais o vampiro absorve energia, menos resistência ele tem a ficar sem. Então, algumas questões... Não seria, assim, o caso de suspender o consumo energético lenta e gradualmente para ver se a necessidade é superada ao longo dos anos (muitos, provavelmente)? Será que os vampiros reais não têm nenhuma produção energética carente, nem nenhuma necessidade de mais energia do que uma pessoa normal, mas sim uma impossibilidade de segurar e canalizar corretamente e rentavelmente a energia produzida, deixando ela se dissipar, escapar do seu sistema físico+(não físico)? Ah! E deixa eu partilhar alguns sites com bastante informação sobre vampirismo real para tornarmos esse tópico ainda mais interessante e alongarmos a discussão! (*Estão em inglês) http://www.sanguinarius.org/vampire.shtml (Um dos melhores sites informativos) http://vampirewebsite.net/ (MUITA informação útil!) http://www.angelfire.com/biz4/vampyreresearch/faq.html#answer%20one (FAQ completa) O tópico está cada vez mais interessante! Abraços! Concordo com você, Larah! Esse vampirismo que você descreveu é comum dado os desequilíbrios aos quais nos submetemos - a lei universal permite e exige a passagem de energia do sistema com mais energia para o sistema com menos energia. No entanto, estamos aqui falando de vampiros reais, pessoas com necessidades energéticas conscienciais maiores e que levam ao consumo de energia doada por outras pessoas que às vezes têm em excesso até. Abraços!
  14. É verdade eiji! A comparação entre comida exótica e sangue é interessante. No momento acho que o único problema do consumo de sangue doado é o fato de haver muitas vidas a depender de doações de sangue. Mas como disse acima, se cada doador de vampiros reais doar para o banco de sangue e doar ao vampiro apenas uma reduzida parte deste sangue doado, deixa de haver qualquer impedimento, na minha opinião. A não ser o preconceito da maioria das pessoas que provavelmente se manterá por anos. Ah! Só um detalhe e uma lista para simplificar o resultado da discussão até o momento. 1 - Um vampiro real não se caracteriza por necessitar de energia no nível comum aos seres humanos (comida, energia solar, entre outros); 2 - Um vampiro real não se caracteriza por consumir sangue; 3 - Um vampiro real não se caracteriza por sentir fraqueza energética e atração pela energia exterior; 4 - Um vampiro real é na verdade a união de todos os elementos acima mais uma necessidade natural e espontânea de absorver energias exteriores a si devido a uma deficiência energética nata; 5 - Um vampiro real não morre por exposição solar, nem vira pó! 6 - Um vampiro real não é alérgico a alho; 7 - Um vampiro real não é imortal, nem precisa de uma estaca no coração para morrer; 8 - Um vampiro real não possui poderes sobrenaturais, nem se fere com sinais sagrados ou com cruzes; 9 - Um vampiro real não é compreendido pela sociedade e a discriminação e a exclusão social conduz a formação de grupos vampíricos secretos e solitários; 10 - Um vampiro real é sobretudo humano e não considera uma vantagem ter uma natureza vampírica inevitável; 11 - Um vampiro real, a maioria, tem muita sensibilidade ao sol; 12 - Um vampiro real sente os sentimentos dos outros à sua volta com maior intensidade, pois capta melhor as energias ambientes e humanas; Por outro lado, ele sofre com uma certo silêncio em sua alma misturado com um caos energético, havendo picos de energia muito baixos se ele não se alimentar de alguma fonte exterior de energia; 13 - Um vampiro real não é um assassino, não prejudica a sociedade, mas vive sozinho por ser abandonado pela mesma sociedade, podendo ser prejudicado pelo preconceito; 14 - Um vampiro real não escolhe ser um, ele apenas nasce assim; 15 - Um vampiro real não pode, nem conseguiria, deixar de ter uma necessidade energética insuportável (não é possível curar o vampirismo); 16 - Um vampiro real sente dor psicológica, física e energética se não se alimentar energeticamente (não estou falando de comida); 17 - Os vampiros reais consomem sangue apenas por ele ser um veículo de energia vital e todo o sangue que consomem é comprovadamente seguro e doado; 18 - Um vampiro real não suporta ser identificado com qualquer estereotipo de ficção científica; 19 - Um vampiro real desperta a sua natureza vampírica já existente em si durante a adolescência (na maioria dos casos) num processo chamado Awakening ("Despertar" em Inglês); 20 - Um vampiro real pode ter todas as características comuns, mas só será um verdadeiro vampiro se tiver uma deficiência energética impossível de ignorar; 21 - Muitos vampiros reais vivem durante toda a vida sem ter consciência da sua natureza e sem encontrar outras pessoas iguais, se alimentando inconscientemente. Alguns negam ser até o fim da vida por considerar isso uma loucura, uma invenção ou um motivo para ser uma aberração na sociedade, e assim discriminado; 22 - A causa do vampirismo é incerta no momento, mas pode ser uma deficiência na produção de energia (deformação dos chackras, segundo disse a Nanda ) ou por necessitar de mais energia que os não-vampiros reais, sendo a produção energética humana insuficiente. * Inclui alguns detalhes resultantes de pesquisas e tenho a certeza que essa lista ainda está bastante incompleta, então se sintam à vontade para adicionar novos pontos. A lista está aberta para discussões e refutações. Abraços!
  15. Olá Nanda! Ótimo ter revivido o tópico, eu também esperava que ele fosse dar numa discussão mais extensa e construtiva (mas parece que poucos se interesseram, rs). Quanto à causa do vampirismo, se admitirmos que uma pessoa pode nascer com necessidades energéticas específicas, muito maiores do que o normal, esse seria apenas um passo para que o vampirismo real fosse algo real e não algo adquirido. Assim como você disse, todos nósn somos vampirizados e vampirizamos em algum momento da nossa vida - extremamente normal! Mas isso é algo temporário e adquirido, quer seja por fraqueza momentânea, por assédio ou por outro fator que diminua o fluxo energético natural. A questão é conseguirmos verificar que uma pessoa possa ter uma necessidade energética "anormal" permanente. Então, um vampiro real deve: - manifestar uma necessidade energética incomum, muito grande, durante, sobretudo, a adolescência como algo nato, uma característica inevitável do desenvolvimento dele próprio (algo quase como físico); - apresentar uma necessidade energética permanente, isto é, que persista mesmo depois das energias serem repostas. Segundo o primeiro requisito, podemos considerar a existência dessa necessidade provada através de uma necessidade energética deste tipo desenvolvida sem nenhuma causa. Ou seja, pesquisar profundamente se há algo a diminuir o fluxo energético, a roubar energia, entre outros. Já o segundo requisito, esse é ainda mais estranho e discutível. Afinal, sempre estudamos que os chackras e a produção energética podem ser restabelecidos através de uma manutenção pessoal e espiritual. Então, será que alguém poderá ter realmente uma produção energética muito baixa permanente? Assim, acho que o problema não é a produção energética. O maior problema é que esses espíritos necessitam por natureza de mais energia do que o resto, assim a produção natural de energia que todos nós alcançamos não é suficiente para eles. E conforme eles se alimentam energeticamente seguindo um código ético, os seus chackras devem ir se atrofiando e assim a necessidade energética deve aumentar gradualmente. O processo leva a um vampirismo cada vez maior! Admitindo essa teoria, um vampiro poderia inverter o processo e abandonar a sua necessidade energética natural, digamos assim? Se eles não se alimentarem energeticamente, eles vão "sofrer" com falta de energia mas isso puxará mais energias dos chackras e talvez eleve a produção energética. No entanto, nada garante quanto tempo levará até um vampiro obter uma produção energética que corresponda às suas necessidades. Se ele conseguir isso, o vampirismo se perde e ele deixa de precisar se alimentar energeticamente. Porém, não sabemos se isso seria possível, mas estou convencido de que há uma boa chance de dar certo. A cura de um vampirismo natural é um assunto complicado, complexo! Não soube de nenhum que tenha superado a sua natureza (e muitos tentam, não gostam de ser vampiros reais). E quanto a questão ética, certamente não há nenhum problema em consumir sangue doado, não é uma ofensa para ninguém, não fere ninguém, não trará nenhuma catástrofe (2012 is coming! brincadeira, rs). O único problema é aquele mencionado pela Graciela: há muita gente cuja vida depende de sangue doado! Salvar vidas é muito mais importante do que sustentar vampiros reais, sem dúvida. A sorte é que os vampiros só necessitam de uma quantidade MUITO reduzida de sangue. E muitos doadores se cortam na hora, um corte pequeno, só para dar algum sangue (pouco, muito pouco). Outros cheguam a tirar um tubo de sangue. Bem, isso ainda é uma quantidade reduzida. Se cada doador doar sangue para aqueles que necessitam antes de doar um pouco para um vampiro real, aí a situação já se torna mais viável, melhor, bem melhor (eticamente falando). Abraços Nanda! Olá Graciela! Sim, essa é outra questão que tive há uns tempos atrás. teoricamente, todos nós absorvemos energias elementares, consciente ou inconscientemente. A diferença entre todos nós e os vampiros reais é que eles precisam de MUITO mais energia para ficarem bem do que nós, então eles consomem energia (mais) por necessidade, por terem um défice energético significativo. Nós não temos essa necessidade natural de energia excessiva. Logo, não somos vampiros elementares. E aquilo do vício, acho que está certo. A maioria deles adquire um certo vício com o tempo, mas só o adquirem porque começam a se alimentar de energias por necessidade inevitável e nata. Claro, isso é a teoria e aquilo que relatam. Resta a nós refletir sobre essa informação. Abraços!
  16. De nada, Gray. É sempre bom responder a ajudar uns aos outros, não é mesmo? Enfim, passando a nova questão levantada, O processo de visualização do corpo físico em repouso durante o estado energético e consciencial alterado é conhecido como catalepsia e normalmente se segue ao EV que continua tendo repercussões (inclusive mais fortes) após o desdobramento - quando o seu corpo astral finalmente levanta por sair da frequência energética de sincronia com o corpo físico. A catalepsia ocorre no último estado do início da projeção e alguns projetores não chegam a passar por essa fase. Muitos se projetam diretamente num local, não tendo a oportunidade de pairar sobre o corpo físico. Mas este processo é muito comum principalmente devido às energias corporais às quais o corpo astral está muito atraído e preso. Até se conseguir maior soltura, é difícil separá-los. E mesmo depois de adquirir maior soltura, se você se aproximar do seu corpo físico enquanto projetado, ele lhe puxará por atração energética/magnética e você voltará ao físico. Por isso, após entrar em catalepsia, observe rapidamente e tente se afastar. Você pode imaginar um lugar e desejar estar nele - o seu corpo se transportará automatiamente. Quanto a ser um incentivo dos amparadores, isso depende bastante. Eles podem ajudar no desprendimento, na saída extrafísica, mas todo o trabalho energético e o processo devem ser iniciados pelo próprio projetor. Pessoalmente, eu não acredito em amparadores. Não me levem a mal, não me interpretem mal. Não nego ou desrespeito quem acredita neles, é ainda uma possibilidade, mas para mim muito remota. Acho que somos nós os projetores e amparadores. Nós nos assistimos. Acho extremamente mais fácil o nosso amparador ser a nossa consciência de assistência externa. Assim como no físico a nossa consciência se manifesta à parte no nosso corpo físico, no astral ela se manifesta ligado ao astral mas fora do corpo físico, levando a ganhar, possivelmente, uma forma de identificação para aqueles que precisam de uma perspectiva estética desta natureza. Isso é apenas uma teoria que desenvolvi com o tempo, algo que acredito e acho mais sensato e real. Apenas uma opinião. Sei que a maioria dos estudiosos e projetores acharão esta teoria bastante louca, digamos assim, rs. Abraços e estamos aqui para partilhar dúvidas e conhecimentos mesmo. Então, vamos discutir!
  17. Olá Gray! Sinceramente, a maior parte dos sintomas que você descreveu não são exclusivos de repercussões projetivas. Porém, há algumas coisas que valem ser notadas e analisada. Então, o ato do desmaio pode ter várias causas, vários motivos, várias explicações e não vejo como elas podem estar ligadas fortemente com a projeção astral. Segundo aquilo que você diz, você desmaiou durante alguma atividade. Isso parece estar relacionado com a alimentação, com tempo de sono ou com outro fator relacionado à saúde. Por isso, sugiro que antes de considerar uma improvável repercussão energética, vá ao médico! Apesar dos sintomas anteriores serem imprecisos, causados algo diferente daquilo que você parece ter considerado como possível causa, esses últimos são bastante comuns durante as práticas energéticas e de desprendimento. Há cerca de um ano atrás, quando acordei, sem nem pensar em viagem astral naquele momento, estava cansado e resolvi fechar os olhos por mais alguns minutos. Para a minha surpresa, de repente abri os olhos e tentei me mover, mas não conseguia. Logo em seguida, comecei a levantar, pairar sobre mim mesmo e então olhei por segundos para o meu corpo como se estivesse do lado de fora. Tomei um susto por ter sido pego de surpresa e fiquei tão feliz ao perceber o que estava acontecendo que perdi o foco e voltei para o corpo. Abri os olhos, estando já de olhos abertos e acordei na cama. Por isso, o seu relato semelhante é um sintoma de catalepsia: pairar sobre o corpo e o assistir do extrafísico. Quanto à conversa interna, ela pode ser um simples mecanismo de reflexão pessoal, meditação, algo bastante natural mas nada característico e exclusivo da projeção astral. Abraços!
  18. Olá Chuck! Os espíritos são basicamente uma mistura de energia e quase nenhuma matéria. O estado vibracional deles, como consciências que são, levam a um pulsar energético que traduz a sua faixa de atividade mental e espiritual, podendo transmitir as ondas vibracionais para os seres vivos de forma construtiva ou destrutiva, isto é, os afetando ou não no geral. Os fantasmas dos filmes são, na maioria, parte da ficção cultural exercida através da política de entretenimento humano. Entretanto, não duvido da exist~encia de espíritos deformados pois assim como há pessoas fragilizadas e desgastadas mental e energeticamente, há também espíritos em situações semelhantes. Uma vez que o espírito desencarnado não possui corpo físico, não há como esconder pela aparência - a não ser que estejamos falando de espíritos avançados em magia, como os magos negros. E isso não é ficção. Assim como há magos envolvidos com magia negra na Terra, no astral (que também é na Terra, rs) existem magos negros desencarndos com maior habilidade em oprimir, manipular energias e degradar espíritos para usar as energias extraídas a força. Por outro lado, há os espíritos obsessores, brincalhões/palhaço, e ainda os vampiros. Entre estes, a maioria sofre com deformações, mas os vampiros podem se dividir em duas categorias: agressivos e passivos. Há espíritos que absorvem energias alheias sem permissão agressivamente por vício e outros que absorvem energias alheias sem permissão devido a inúmeros ataques, assédios e degradações diversas e derivadas. Raramente um espírito consegue intervir com a matéria do plano terrestre. Então, não acho que devemos nos preocupar com isso. Se eles conseguem fazer algo, esse algo é sempre muito fraco e insignificante e se deve a (MUITO) reduzida concentração de matéria que transportam pelo seu corpo energético/vibracional. Os medos são comuns e sempre nos acompanharão. Faz parte e dele nasce o aperfeiçoamento pela superação. O medo e a curiosidade de entender aquilo que tememos e conseguir domar quando necessário são os maiores mestres do aperfeiçoamento espiritual humano. Por esse lado, ele é bom se controlado e conhecido, domado. Por outro, muitosn temem espíritos devido a enorme influência de filmes, séries e livros que lançam uma marca de assombração na nossa cultura. Pensar em algo atrai algo para nós pois acabamos por buscar aquilo, mesmo que inconscientemente, mas nós é que nos atraímos - nós vamos até o objeto pensado e não o contrário. O plasma é quase o "quarto estado da matéria", sendo uma manifestação de matéria e energia em estados explosivos. Os espíritos transportam fluidos energéticos, até mesmo os encarnados. O plasma seria uma energia direcionada e programada segundo determinada atividade interna da consciência da pessoa. De qualquer forma, tal fluido não é visível na dimensão terrestre. E quanto à clarividência, tenho dúvidas sobre isso mas acho possível. O problema é desconhecermos a verdadeira barreira entre frequências e dimensões e os princípios em que está baseada. Por isso, formulei algumas teorias quanto a repercussão do espírito após a morte, sendo uma delas a ideia de que o espírito é um eco, uma marca temporal-espacial com outra coordenada pertencente a outra dimensão, tornando a morte uma alteração de geométrica dimensional e nada mais. Porém não temos como ter certeza, rs. Abraços e bom tópico!
  19. Boa tarde Will, O suicídio não resolverá nenhum problema que você possa ter, não irá diminuir nenhuma dor ou excluir qualquer espécie de ausência que você possa sentir. Se você sente que é difícil catoivar os outros, saiba que não está sozinho. Eu também tenho o mesmo problema. Por isso, a cada dia tento me aproximar mais daqueles que me rodeiam. Sentir que a vida está sendo difícil, está insuportável em alguns momentos é mais normal do que se pode imaginar. O sofrimento faz parte de toda pequena alegria e de todo grande aperfeiçoamento. Você nasceu e tem um mundo à sua volta. No Universo você é um caso de vida inteligente, você tem a oportunidade de melhorar a sua vida pelo seu próprio esforço. Meu amigo, escolher uma arma e acabar com algo que você mal começou pode ser o maior erro de todos porque ele não exclui nada que possa te ferir agora. Analise as opções: - Causar a própria morte e perder a oportunidade de melhorar a sua experiência de vida, ficando com a consciência estagnada no estado de sofrimento atual; - Tentar se aproximar das pessoas, tentar conversar com a sua mãe e mostrar como se sente e o futuro que você terá, com ela ou sem ela. E em seguida, convide ela para lhe apoiar em busca deste futuro. - Desistir: nunca será uma opção. É impossível desistir porque se você ignora as opções, elas te escolhem. Assim é a natureza. O valor é falso ou verdadeiro, é claro ou escuro, é inteiro ou nulo. Desistir de algo é perder a oportunidade de escolher por você mesmo. Ser um fantoche de outros e do Universo. A solução é você mudar. Você olhar para fora e ver tudo aquilo que você quer e procurar ter tudo isso. Não é simples, mas ninguém nunca disse que viver era simples, apenas algo muito valioso que o torna um visitante no Universo e não apenas um fantoche. Momentos ruins vão e voltam. E quando parecem estar longe, surgem repentinamente. Todos nós temos problemas. A ideia é saber olhar para as soluções - o foco faz toda a diferença. A solidão pode ser difícil para algumas pessoas, a falta de enquadramento social pode ser muito desagradável, mas ainda assim a melhor oportunidade na vida para você agir e tentar melhorar - temos sempre caminhos na vida para seguir. Estamos num mundo caótico, liderado por políticas, dogmas, convenções sociais, tradições, loucuras e personalidades muito distintas. Não espera que ele vá te entender 100%, não espera uma correspondência total. Por isso, você deve entender você próprio e permitir que as outras pessoas, amigos, lhe ajudem. Não tem amigos? Não posso lhe prometer amizade completa pois nos conhecemos apenas online, mas quero ser um para você. Não é pena não, é que eu não tenho muitos amigos também e sei como é a sensação. Procurar ajuda médica e psiquiátrica seria também muito bom. MUITO melhor do que a morte - ela é péssima em psicologia e não entende muito bem os seres humanos que desistem da vida. Há remédios que podem ajudar a equilibrar as emoções. Mas, acima deles, estará você, porque você é capaz de tudo que precisa para ter uma boa vida. Conclusão: mude você mesmo e a vida mudará. Você não pode ficar parado esperando que ela mude sozinha. Você não pode mudar os outros, então seja a mudança. Frase muito usada já, mas perfeitamente adequada. Pense sobre isso tudo. Converse com os mais próximos. Abraços!
  20. Olá Márcio! A questão da existência de um único nome que defina uma pessoa energeticamente e espiritualmente é alvo de muita discussão e, para ser sincero, duvido muito que consigamos atualmente chegar a uma conclusão final sobre o assunto. Existirá um nome único para cada um de nós? Eu não acredito que haja. É provável que cada um tenha mais do que uma expressão de sons para ser identificado. A identidade completa de uma pessoa é determinada pela energia dela, pelas suas atitudes, pelas suas escolhas, pelo seu humor, pelo seu campo energético, pela sua personalidade, por detalhes que a tornam única. E tal identidade se manifesta durante uma relação interespiritual. Não deve ser necessárioum nome como conhecemos aqui na Terra para sermos reconhecidos no astral ou em planos superiores - somos definidos por quem somos e pela forma como nos dispomos. Assim, cada um de nós tem uma única identidade definida por várias particulares que cada espírito interpreta. É como se fóssemos um texto com vários significados diferentes: a interpretação depende de quem o lê apesar do texto ser o mesmo. Então, temos uma identidade global e particular, diferente de quem as capta. E, como não acredito em reencarnação, sugiro que os diferentes nomes com que somos chamados no astral possam ser nomes de pessoas conhecidas de quem fala conosco e que têm energias parecidas com a nossa. Algo assim faz mais sentido para mim. Abraços!
  21. Nanda, sério, tudo o que você disse faz sentido para mim, rs. Aliás, a questão do karma e da reencarnação é algo que desconsidero na minha perspectiva. Acho que não é lógico minimamente. A visão que tenho é exatamente essa: seres humanos são célular, pequenos grãos do Universo e apenas o Universo se aperfeiçoa como central, tirando proveito do nosso aperfeiçoamento. Então, os universos paralelos seriam o universo de possibilidades e caminhos de desenvolvimento de tudo. O Universo nasceu de todos os lados em versões distintas e assim morrerá (apesar da morte ser algo incerto, em pelo menos algum universo paralelo isso deve ocorrer, afinal é uma possibilidade). Tem razão, meu amigo, não chegaremos a uma conclusão final. Está além da nossa compreensão e por isso é que vale a pena discutirmos. Temos que entender e descobrir aquilo que ainda não sabemos. Quanto à física teórica, compreendo o seu ponto de vista. Ela provavelmente não será válida em todos universos pois estes deverão ter diferentes constantes, mas neste universo em que estamos, apesar de imperfeita, ela é aquilo que temos de mais próximo para entender o que o Universo nos diz e nós não entendemos. Abraços!
  22. Olá razzgrizz! Na verdade, as cores que aparecem nas nossas observações extrafísicas dependem da abertura, da energização e do estado de nossa visão espiritual e do nosso terceiro olho (chackra). Por isso, não é possível determinar a causa no seu caso em específico, mas podemos considerar possibilidades. Você pode estar num estado de visão espiritual fraca e sem captação de frequências correspondentes às cores. O preto e branco também pode ser um limite imposto pela sua consciência por alguma razão psicológica, espiritual ou energética. O seu chackra do terceiro olho pode estar bloqueado ou em mal estado. De qualquer forma, acho que meditações, limpezas energéticas, movimentos energéticos em circuito fechado (EV's), exteriorização, absorção saudável e exercício do terceiro olho devem melhorar o espectro colorido da sua visão extrafísica. Abraços!
  23. Ah! E a minha teoria exclui essa coisa de várias consciências serem a mesma pessoa! O.o Isso não faz o mínimo sentido. Só de ser outra consciência, isso já não faz um ser diferente do outro? Senão, o que impediria de eu ser você? Viu como isso é meio ridículo? Olá svedese! Considerar um Universo paralelo é considerar uma realidade derivada daquela que conhecemos onde as coisas podem ser simétricas ou não, mas definitivamente com dimensões distintas/alterações. Então, universos paralelos podem ser vistos como variantes segundo determinados parâmetros temporais e/ou espaciais que representam todas as oportunidades e caminhos de desenvolvimento real. Algo assim. Então, concordo com você sobre a questão de cada um ser um outro. Acho que o correspondente a cada um de nós noutro universo é outra pessoa derivada daquilo que estamos sendo no momento. Sempre que tomamos uma decisão, fazemos uma escolha, há universos distintos nos quais tomamos uma decisão diferente. Por ter sido tomada uma decisão diferente, esssa pessoa automaticamente deixa de ser quem somos, apaenas uma variante. E nós somos consequentemente uma variante delas. E no sistema final de dimensões universais, tudo ocorre ao mesmo tempo e quando digo tudo, quero dizer tudo que poderia acontecer, todas as opções, todas as formas que poderiam ser tomadas. E vou parar por aqui também, rs. Abraços!
  24. Olá Luan! Essa é outra questão interessante e que pode gerar muita discussão. Particularmente, isso causa alguma cionfusão para mim: os vampiros elementais. Há um tipo de vampiro que se alimenta de energias naturais que vêm das plantas. Mesmo assim muitos de nós absorvemos essa energia da Natureza. Isso faria de nós vampiros? Não. Um vampiro real não é uma pessoa que absorve e trabalha, manipula, com energias. Um vampiro real é uma pessoa que sente uma forte necessidade por energia. Depois, a fonte desta energia, depende de vampiro para vampiro. Por isso, Luan, você não deve ser um vampiro a menos que sinta uma necessidade energética com a qual conviver é insuportável (falo de depressão, quedas de humor, dores psicológicas, tonturas, lentidão, entre outros). Abraços, meu amigo! Olá Amanda! Concordo com tudo que você disse e agradeço pelo texto da Michelle Belanger, ainda não tinha lido. Quanto à egrégora energética e a lei de equilíbrio energético universal, continuo defendendo a forte e provável teoria de que o desequilíbrio energético é a base de tudo. A energia precisa estar em constante movimento para evitar o congelamento do Cosmo e o fim da vida. A energia é transferida de corpos com mais energia para aqueles com menos energia. Para manter um ritmo de transferência energética, é necessário que existam pontos com menos energia entre outros bem energizados. Nesta perspectiva, o vampirismo parece natural e essencial. Mas será real na prática? Ou a teoria esboça apenas uma possibilidade? E foi bom você ter tocado no assunto dos vampiros latentes e o código moral e ético dos vampiros reais. Os vampiros reais usam apenas energia doada, quer seja sangue ou não. Ele não rouba energia que os outros precisam ou que não esteja autorizada pela fonte a ser extraída. Por outro lado, vampiros latentes estão sempre roubando energia sem notar pois não passaram pelo awakening (o tal despertar). Então, serão os vampiros reais uma ameaça ou algo a ser reprimido socialmente? Abraços Amanda!
  25. Bem, cada um tem as suas crenças e eu não acredito na maioria destas histórias de atuais abduções. Elas são sempre exageradas, não naturais, não fazem tanto sentido. O ser humano é o único ser na Terra com racionalidade, ele apresenta características únicas e ao da história, nas civilizações mais primitivas há relatos do que parece ser visitas de extraterrestres, seres que vinham com tanta tecnologia para a Terra que causavam a impressão de serem Deuses, afinal o ser humano não compreenderia o conceito de uma nave. Observa que todos os Deuses vêm sempre dos céus, a maioria surge em nuvens de poeira, fumaça, e muita luz, como uma chama. As entidades são descritas vindo das estrelas, são descritas com vestes, roupas parecidas com capacetes e trajes espaciais. As construções existentes, como as pirâmides, são extremamente difíceis de serem feitas por nós em 20 anos. Os antigos relatam terem construído sem máquinas em 20 anos apenas e a precisão é muito grande para ter sido feita sem instruções, por seres humanos apenas. Enfim, há evidências, há uma teoria de que os Deuses nos colocaram aqui, os Deuses nos instruíram. Veja que nós já estamos saindo da Terra para encontrar companhia no espaço, ver que não estamos sozinhos. Acha que faríamos mal a outra vida que encontremos? Acho que não. Então, por que outros seres extraterrestres fariam ao nos encontrar? Civilizações mais antigas podem utilizar outras frequências e dimensões com mais facilidade por terem tido maior tempo para se desenvolverem, então encontrar extraterrestres no astral não parece uma ideia absurda. Se eles nos instruíram, se a Terra é uma colónia de vida extraterrestre, eles não parecem ter interesse em destruir a vida daqui. E na imensidão do Universo, encontrar outros procurando por vida não seria maravilhoso? Imagina tudo que há para descobrir e saber de milhares de outras civilizações? Podemos ser mutações genéticas largadas na Terra como uma experiência. A media e os filmes mostram extraterrestres agressivos, aliens, mas a história nos mostra seres parecidos com nós próprios, os humanos. Então, tente não se assustar, vença esse medo, pesquise, se informe melhor sobre extraterrestres e reflita sobre aquilo que ouve. Afinal Eram os Deuses Astronautas*? * Livro recomendado sobre o assunto, de Erich Von Daniken. Abraços e paz!