• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Alexandre A.

B-Membros
  • Content Count

    67
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Alexandre A.

  1. Olá DrehSouza. O Michael Raduga dirige o Centro de Pesquisas de Experiências Fora do Corpo com sede em Los Angeles (Califórnia - EUA). Ele e o seu trabalho já foram citados aqui no GVA. As técnicas ensinadas em seu centro de pesquisas costuma dar bons resultados segundo o próprio Raduga e vários voluntários relataram experiências bem sucedidas. Só um detalhe, apesar do nome que dá ao referido instituto ele parte da premissa que as EFCs são meros sonhos lúcidos, nada que invalide sua abordagem técnica para sair do corpo que achei boa. Há uma versão digital de um livro seu em PDF traduzida para o português o link é: obe4u.com/.../Escola_de_Viagens_Fora_do_Corpo.p... - Estados Unidos
  2. Muito bom esse vídeo do Saulo. Para muitos que se queixam aqui dos parcos resultados na obtenção de lucidez projetiva pode ajudar a esclarecer.
  3. Bom o seu relato, parabéns! A experiência é autoconvincente quando se dá com 100% de lucidez. Agora, uma projeção 10000% consciente é uma projeção 100% consciente ao quadrado.
  4. A resposta para esta pergunta é fácil: Para começar não pense mal de ninguém, pensando no bem de todos o tempo todo é o que mais funciona. Quando isso se tornar um padrão nada te assedia.
  5. Sobre os chacras o melhor livro escrito em Língua Portuguesa em minha opinião é o Teoria dos Chakras do pesquisador japonês Hiroshi Motoyama. Ele dá boas descrições dos chacras, meridianos e temas correlatos, além tecer comentários sobre as bioenergias também, tudo respaldado por uma séria pesquisa empírica muito bem documentada. Há outros livros é claro, alguns até mais acessíveis, mas com este você estará bem servido, já que ele é considerado uma obra de referência. Muito interessante.
  6. 999 disse: Bom, é preciso saber quais e quantos Papas e Reis nasceram e morreram em momentos próximos a eclipses para que tal fato se reviste de alguma significância estatística. Algum levantamento correlacionando tais eventos foi levantada? Qual a fonte desta afirmação? Não penso ser determinante na formação de nossa personalidade nascer ou não em dia de eclipse, seja solar ou lunar, mas não estou fechado a considerar esta questão a partir deste ponto de vista, pois dizer que não determina não significa que não possa influenciar. Influências mesológicas exercem seu papel na trama da existência, a questão é saber até que ponto. É compreensível para mim, que nós para compreendermos o mundo em sua complexidade, busquemos identificar padrões previsíveis que pretensamente expliquem as coisas tais quais se apresentem como são, sejam a partir de métodos heurísticos de caráter mais intuitivo ou métodos estatísticos formais mais rigorosos. 999 pergunta: Vários estudos de casos a partir de relatos de lembranças de vidas passadas espontâneos já foram feitos e publicados. Em tais pesquisas os investigadores não se contentam meramente em acreditar nos relatos, mas buscam checar os locais e pessoas narrados a partir das lembranças de outras vidas. Mais para mim, e isto já foi dito aqui, a melhor forma de se comprovar a hipótese da reencarnação é a auto-experimentação. Claro que uma única rememoração mesmo quando muito lúcida não costuma ser o suficiente para se construir o quadro completo. Importante é se ter uma boa sequência de experimentos para se ter uma visão mais acurada da retrovida a ser investigada. Qualquer suposto fato a ser investigado (hipótese) sem a devida verificação acaba se reduzindo a uma crença. Considero esta questão sobre vidas passadas algo que ainda está em aberto. Há muitas lacunas que precisam ser preenchidas.
  7. Que coisa Elopes , então nesse caso o preconceito teve uma consequência positiva, menos mal. nesse caso o rapaz tem bons motivos para estar agradecido depois do susto. Imaginando a reação do bandido da até para achar graça do acontecido. Pensei estar lendo o seu comentário na seção de Bom Humor Espiritualista do GVA e não na de da Informações gerais.
  8. Outra sugestão em relação a este tópico seria transferí-lo para a seção de Bom Humor Espiritualista do GVA. Naquele contexto seria bem mais apropriado.
  9. Este tópico já deu o que tinha que dar, sinceramente em minha opinião deveria ser trancado pela moderação do GVA, pois em nada acrescenta. O tema que este tópico pretendia explorar há muito já foi disvirtuado. Bom é isto!
  10. Lara que bom ter lido o que você escreveu, foi muito legal! Hoje você deixou alguém feliz, no caso eu mesmo. A sua resposta me emocionou. Muito obrigado e tudo de bom pra ti, tá bom? bjs
  11. Lara, minha amiga, as coisas não estão boas para ti e passas por uma fase difícil que a deixa aflita e por isso pedes ajuda, pois quer ser ouvida e isto é muito bom. Não quero aqui falar obviedades, embora corra o risco de fazê-lo, ainda que as intenções sejam as melhores possíveis, mas aceito correr este risco. Você diz que não consegue se comunicar faz muito tempo, bem você conseguiu e seu pedido/desabafo não ficou sem eco, ele foi ouvido e acolhido, está vendo? Não sei a natureza do seu problema, e nem é o caso, mas entendo que é difícil para quem passa pela tempestade olhar as coisas em perspectiva no momento em que passa por essa loucura toda que você relata. Contudo tudo na vida passa e isso também passa (pense nisso como um mantra ou uma prece nos momentos difíceis o tempo que for necessário). Estabeleça o compromisso pessoal de se ocupar apenas com as coisas que pode controlar e esqueça aquelas que não pode controlar. O importante é se ocupar com as coisas que podem lhe proporcionar satisfação e domínio. No início pode parecer difícil, mas à medida que for fazendo perceberá que fica mais fácil e o seu humor melhora paulatinamente, o negócio é se ocupar com algo que você dê conta e não ficar parada esperando que algo aconteça e nem ficar se cobrando quanto a resultados imediatos, um passo de cada vez, tá bom! A Megh deu boas dicas, experimente; o Saulo deu uma grande força, reflita. Vale à pena! Que aconteça o melhor para ti, pode contar conosco, você não está sozinha. A você envio meus melhores sentimentos e energias, muita paz. Um beijo
  12. ...E mais, você disse no início: Permita-me fazer uma observação ou duas. Não foi chato o que relatou e o experimento na qual passou quase te levou a uma projeção lúcida completa, mas que acabou sendo abortada por causa de sua preocupação em se levantar. Um abraço!
  13. Tudo indica que sim, aliais não só E.V., você experimentou catalepsia projetiva quando se percebeu imobilizado, e é possível, pelo que escreveu em seu relato, ter ouvido os assim chamados "sons intracranianos" quando fez referência ao barulho intenso de "enxame de abelhas", caso a sensação dos sons descritos por você tenha se dado como se sua origem fosse dentro de sua cabeça. E.V.s espontâneos sem nenhum preparo prévio anterior podem ocorrer em várias situações, e no seu caso específico ocorreu durante a fase de predecolagem e foi acompanhado de outros sinais projetivos concomitantes, como a catalepsia projetiva e os sons intracranianos.
  14. Muito legal este tópico ter sido reativado. Estou acompanhando com interesse. Só pra lembrar o Wagner teve que trabalhar vários meses para "abrir a clarividência", apesar de já se projetar com lucidez a muito tempo. A grande sacada é incorporar a prática a nossa rotina pessoal sem que ela se constitua em um sacrifício pessoal. Persistir de início pode ser difícil, mas com o tempo passa ser assimilado ao nosso dia-a-dia e aí é só relaxar e estar atento ao que ocorre. Agora o que atrapalha para quem tenta investir seu tempo nos exercícios são as expectativas elevadas e irrealistas em relação aos resultados. A pressa em querer que "algo"aconteça atrapalha bastante. Expectativas elevadas geram ansiedade que por seu turno trava o desenvolvimento dos fenômenos. Estar focado na Prática em si, relaxado e de "braços abertos ao que der e vier",´percebendo o que ocorre sem estar preocupado com os "resultados" dela no momento emque se pratica é algo que ajuda bastante.
  15. Estarei sintonizado com as melhores energias e sentimentos direcionadas ao amigo Raul Teixeira. Conheci pessoalmente em uma palestra a muitos anos. Ele se mostrou acessível e atencioso com todos os que o procuram, inclusive na oportunidade conversamos, além de fazer um belo trabalho de assistência espiritual.
  16. Acredito que sua intenção ao formular a pergunta é colher impressões sobre o Wagner, certo? Sim, conheci o Wagner ainda no Rio de Janeiro na época das palestras e cursos no Centro de Consciência Contínua (CCC). Grande figura, que com o seu carisma e bom humor dava o seu recado, e ainda dá, com a autoridade de quem vivenciava aquilo que transmitia. Contudo me sentia muito a vontade diante de sua presença, pois ele é um sujeito supersimples, apesar de ser um cara sensacional e que transmitia com fluidez e naturalidade a espiritualidade em suas palestras e cursos, de forma descomplicada e com muito humanismo. Sabe ele não para de falar, isto é verdade, mas com jeitinho dá pra chegar a um consenso ele acaba ajustando o "timing".
  17. Alisson disse: É uma opinião bem razoável. Manifestações como estas deixam muitas dúvidas quanto a sua autenticidade e questionar é saudável, a questão é o tom que se emprega. Nestes tipos de manifestação é difícil para mim separar entre tantas "falas" algo que presumivelmente se possa designar uma "língua". Supor que balbuciar uma série de fonemas, imaginando estar compondo palavras, as unidades léxicas de uma língua, basta para designá-la como tal é pouco.
  18. Válido o seu relato, mas este material deveria ser posto em Relatos astrais, pelo que parece. Aqui é para expor dúvidas. Um grande abraço.
  19. Espero que você não se ressinta com o escrevi, mas coloquei o meu melhor nisto que escrevi. Desabafe, conte sua estória, busque um ombro amigo, mais por favor prossiga e vire esta página quando mais nada tiver que ser dito. Não alimente um processo de auto-assédio/auto-obsessão que só fará prolongar seu sofrimento. Um grande abraço e tudo de bom para ti.
  20. Olá caro Owl. Olha amigo, se a oportunidade de reverter a situação ou corrigir os erros passados não é mais possível, é o que você deixa subentendido, a única coisa útil que fica mesmo é o aprendizado, ainda que um gosto amargo fique como lembrança, é isto que lhe restou. Talvez, o “x” da questão é que você não só não consegue aceitar o seu erro (o que não significa que você tenha que gostar dele) e/ou principalmente não consegue lidar com as consequências do seu erro, ou seja, aquilo que perdeu ou deixou de ganhar em função do seu erro, não é mesmo? Virar a página e prosseguir é a melhor coisa a se fazer, você ganhou um “calo”, uma cicatriz, mas quando se lembra do ocorrido, você revive novamente o acontecimento e... Sofre com isto. Eu compreendo seus sentimentos. Não sei se isto serve de consolo, mas também já cometi um erro e a conseqüência foi perder o que eu mais queria, pelo menos pensava assim na época, mas superei. Mais difícil do que aceitar o seu erro é aceitar a conseqüência dele que no seu caso é aquilo que você perdeu. Pode ser paradoxal e talvez você não goste do que eu vou lhe dizer, mas a melhor maneira de você se ajudar e por fim ao seu sofrimento é, mais do que aceitar que errou, por que você é humano, é aceitar que você perdeu (o que não significa que você tenha que gostar, repito) e não tem mais volta. Você perdeu e se perdeu é inútil ficar remoendo o passado tentando negar isto. Dê uma chance a si mesmo de acertar mais adiante, não seja tão duro conssigo mesmo. A vida é feita de perdas e ganhos. Acredite ficar preso ao passado não dá futuro. Veja bem amigo Owl, bem sei que isto não é fácil, mas dizer isto é a melhor maneira de lhe ajudar, o que não ajuda é nos iludirmos. Pense e reflita bem no que lhe disse, qualquer coisa estamos às ordens, certo, você não está sozinho, ok? Um grande abraço para ti.
  21. Olá Alcides. Para não ser repetitivo em relação ao que já foi exposto pelos colegas, especialmente o Gilbert que foi muito feliz em suas colocações, vou abordar esta sua questão por outro ângulo e dar a minha opinião que será curta. Eu tenho a convicção que este senhor com a qual você buscou orientação na casa espírita, apesar da “boa intenção”, nunca teve uma projeção astral com bom nível de lucidez, apenas repete o script já pronto e que outros tantos também aludem sem o devido conhecimento de causa, no caso as projeções astrais. Por que afirmo isto? Por experiência própria. Já passei por apertos, mas... ...aqui estou muito bem e obrigado, e eu não sou o único! Quem se projeta sabe o quão exagerados são estes alegados perigos e não diria algo assim. Cheguei a achar graça, sério! Se perguntasse a este mesmo senhor como ele sabe desses riscos todos que resposta você pensa que ouviria? Experimente fazer esta pergunta e depois retorne aqui ao fórum do GVA dizendo o que ouviu que eu lhe retorno. Claro amigo, isto é uma sugestão, fique a vontade. Um grande abraço e até!
  22. Ter uma projeção lúcida desde o início da descoincidência é algo muito impressionante e tira em definitivo as dúvidas que temos sobre a natureza da experiência que nos fazem categorizá-las como apenas um sonho, mesmo que lúcido. Simplesmente você não tem mais dúvidas. Projeção como estas, com lucidez na saída valem por todo empenho e dedicação que elas demandam. De fato como já foi dito aqui por um colega e destacado por outro, seu relato é muito importante para todos nós, um grande estímulo para continuar. Valeu a pena insistir com as técnicas, não é mesmo? Parabéns! Um grande abraço!
  23. Pois é Marcelle que bela experiência você teve, muito legal! Você conseguiu lidar muito bem com uma situação grave e parecia muito bem entrosada com a equipe a que se referiu em seu belo relato. Como se sentiu após acordar, o que passou pela sua cabeça? Relatos como estes são muito inspiradores tanto para quem lê quanto para quem escreve. É algo muito gratificante! Valeu Marcelle por compartilhar conosco a sua projeção assistencial assistida. Muito estimulante seu relato. Um grande abraço para você!
  24. Meu respeito a todos que não concordem com os meus comentários em parte ou na integra, o que aliais num fórum de debates é algo desejável. Hora de ir pessoal, vou jantar. Um abraço a todos.
  25. Não pude me furtar ao ler este post destacar algumas pérolas do texto a partir de seu propositor. Quem disse isso? Já na década de 60/70 vários livros escritos no exterior tratam do tema “viagem astral”. O livro astral travel de Yvonne Frost teve edições nos anos 70 e 80 em inglês nos EUA. Quando o Wagner começou a pesquisar o fenômeno a partir de suas próprias experiências projetivas o termo já existia. A Tradução de astral travel para o português é viagem astral. Outra coisa, Parmênides filósofo grego referia-se a elas com um nome sugestivo: viagens mágicas. Outros termos assemelhados que encontramos inclusive como títulos de muitos livros estrangeiros são viagens da alma, viagem espiritual e tantos outros. Uma leitura exaustiva da bibliografia evitaria citações errôneas como esta, mas outra forma de conferir isto seja perguntando ao próprio Wagner. Pessoalmente não uso esta expressão correntemente, porém se os integrantes dessa tal comunidade fazem uma série de afirmações e já começam errando logo de cara fica difícil dar crédito ao resto, mas vamos lá... Típica resposta de quem nunca teve uma projeção com bom nível de lucidez, onde as interferências oníricas são grandes. Mas o que dizer de experiências com confirmações posteriores cujo quadro completo nunca poderia ser explicado por mera elaboração mental. Lembro-me de um experimento em que estive no apartamento de um vizinho em que nunca estive e que pude observar os detalhes muito peculiares de sua mobília. Tempos depois a empregada que cuidava deste apartamento teve a porta trancada pelo filho do dono da casa que na época tinha uns 3 anos de idade, quando esta foi jogar o lixo na lixeira que ficava ao lado da porta de entrada do apartamento. Consegui uma escada e ao me adentrar no apartamento verificando que a criança estava bem e até rindo da travessura que acabara de cometer, aproveitei para conferir, vários objetos e esculturas de madeira e as peças do mobiliário da residência que bateram com um nível de concordância muito alto com o que havia conferido anteriormente em PL. Não tive dúvidas que tive uma projeção ou viagem, como preferirem. Generalização a partir de uma afirmação categórica. Agora o tal fenômeno de convencimento mental... É colegas, ouvimos tantas estórias, tantas mentirinhas que de tão repetidas ganham ares de verdade. Nada como o espírito investigativo e o discernimento auferido pela própria experiência pessoal, analisadas com racionalidade e parcimônia. A credulidade das massas é um prato cheio para atravessadores do mercado das almas. A bíblia disse isso, disse aquilo... Bem pulando estes argumentos, meros apelos a autoridade, digo que sim, há muita manipulação que já perdura a vários séculos, mas colocar a culpa no demônio talvez inspire temor nas almas desgarradas. Nada melhor do que o terror para criar subserviência e manter o rebanho unido. E finalmente esta. Muito bem fundamentada em que, em areia? Na Bíblia? Um livro que na realidade é o enxerto de diferentes textos, escrito em várias épocas diferentes por autores diferentes, muito contraditórios entre si e que exige uma complicada exegética para conferir sentido e coerência textual a um livro, ou conjunto de livros que supostamente sejam a palavra de deus. Colegas não se furtem a meterem as caras e terem suas próprias vivências e a pensarem por si mesmos, sem a necessidade de intermediários.