Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

elopes

B-Membros
  • Posts

    715
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by elopes

  1. Gostei da metáfora das pedras, mas importante declarar que as conceitualizações, por mais estranhas que sejam, é que podem conduzir a novos ideais e pontos mais aclarados de vista. Mas mesmo assim, acho sua ressalva válida. Hmm... mas não existiria algum modo de utilizar tais energias de outro modo? Só se satisfazer e pronto, dessa forma instintiva? Não estou propondo aqui que devemos arrancar os cabelos por esse tema, ficar preocupadíssimos... mas apenas um modo de buscar melhores hábitos, sejam eles quais forem. Se todos se masturbam COM EXCEÇÃO, então não são todos os que se masturbam. Entendi sua frase mas ela se anula por si mesma. Daí o que proponho, tem como achar outros caminhos. Amigos, estou gostando muito dessas discussões, o tom aqui está o melhor possível, agradeço por isso. Estamos aqui concatenando, visualizando e consenso há que estamos a lidar com um tema muito rico, que não precisa se exaurir apenas em uma prática por vezes bestializada e pronto. Estou esperando mais gente para comentar. E devemos lembrar: se abster de praticar, de acordo com a minha proposta, é diferente do que sufocar as próprias energias pelo processo de culpa.
  2. Gostei da metáfora das pedras, mas importante declarar que as conceitualizações, por mais estranhas que sejam, é que podem conduzir a novos ideais e pontos mais aclarados de vista. Mas mesmo assim, acho sua ressalva válida. Hmm... mas não existiria algum modo de utilizar tais energias de outro modo? Só se satisfazer e pronto? Não estou propondo aqui que devemos arrancar os cabelos por esse tema, ficar preocupadíssimos... mas apenas um modo de buscar melhores hábitos, sejam eles quais forem. Se todos se masturbam COM EXCEÇÃO, então não são todos os que se masturbam. Entendi sua frase mas ela se anula por si mesma. Daí o que proponho, tem como achar outros caminhos. Amigos, estou gostando muito dessas discussões, o tom aqui está o melhor possível, agradeço por isso. Estamos aqui concatenando, visualizando e consenso há que estamos a lidar com um tema muito rico, que não deve se exaurir apenas em uma prática por vezes bestializada e pronto.
  3. Muito obrigado pelo comentário de vocês, junior e Gangriel. A opinião de vocês sem dúvida soma muito! Não se masturbar e a energia não circular são dois conceitos diferentes. Como eu mesmo propus, uma coisa é você reprimir suas energias (o que dá um problemão somado com tudo que você falou) outra coisa é você utilizá-las de outra forma, sem perturbações. Ora, a sublimação sexual não precisa, para ser feita, de ser um ser desenvolvidíssimo: com a prática diária, essas energias naturalmente vão para outra senda. Foi o que eu já disse: quão não são aqueles que redirecionaram essas energias e obtiveram uma longeva vida. Reprimir causa tudo isso que você falou, e nesse ponto eu concordo plenamente, mas redirecionar, pela vontade e pela ação, já dá outros resultados. Bem, quando eu coloquei o link, destaquei que, embora fosse de uma crença "de mente fechada" foi esses impulsos, essa consciência da energia sexual, esse conceito físico de castidade que me despertou para buscar uma mudança. Eu sequer citei se era "mente fechada" ou mesmo entrei no mérito das crenças deles. De tudo se pode tirar proveito. Em verdade, apoiando-se na filosofia, de toda fonte você pode tirar conceitos e conclusões novas: o saber é infinito! Se esses amigos dessas religiões possuem "mente fechada" ou não, não importa. Tratemos eles, no aspecto intelectual, tal qual trataríamos um irmão mais novo: com carinho e compreensão da mudança em algum tempo, e não nos esqueçamos que nós, os irmãos mais velhos, também erramos, talvez até mais que os queridos irmãozinhos.
  4. Meu Deus Daniel, juro que vi o "Moises" e pensei que você estava perguntando se ele era o antigo profeta, em tom de zombaria! Trancar esse tópico? Nunca. Esse tópico é um manual de como não proceder, principalmente em se comparando com outros tópicos aqui, que tanta iluminação vejo nos comentários. Se, para buscar uma melhora, tivermos que buscar ainda os nossas falhas morais e de conduta, que assim seja! Que vejamos, quantas vezes for necessário, que lançar indiretas, faltar com o respeito, fazer um exame fechado e turvo das coisas não conduz a nada! Amigos, antevejam: esse tópico já perdeu o sentido! Porque continuar propagando-o... seria tal ação continuar buscando algo inútil, que não mudará nada. Prefiro que esse tópico seja passado do jeito que está do que se continue a propagar essa semente de iniquidade. Lembremos, queridos amigos! Que, nesse fórum, ao lado dos conceitos científicos e hipóteses, quantos não são os que vem pedindo AJUDA: pessoas pensando em cometer suicídio, pessoas desorientadas, pessoas com dificuldades financeiras, pessoas buscando uma divindade e sem amparo nenhum! Dirijamos recursos a eles! Sim! Vamos trabalhar, transformar esse reduto espesso e espinhoso que é o discurso na arma mais poderosa para o esclarecimento! Desde o ignorante até o mais sábio, todo pode propagar o esclarecimento, só se precisa de duas coisas: amor e indulgência. Vamos trabalhar pelo próximo, meus caros! Esqueçamos os erros aqui cometidos, os impropérios lançados, as inúteis conversações!
  5. Obrigado, junior, por botar meu post aqui para busca de um alento e de uma tranquilidade para discussão. De fato, percebo que você também busca ideias novas. Só que há um porém: o meu tópico, com um assunto tão polêmico quanto o seu, até agora não gerou problemas, "atritos" pessoais. Amigo, de modo algum digo que estou certo, mas você, como criador de um tópico, é responsável pelo modo que conduz ele, e se o resultado está assim (quase catastrófico) quem o conduziu tem a sua responsabilidade. Aconselho a buscar repensar seu modo de falar, ou buscar extinguir certas indiretas que você POSSA estar usando. Eu digo, com muita alegria, que, dos inúmeros debates que aqui já estive, nos mais variados temas, nunca recebi uma ofensa pessoal ou mesmo uma indireta mal intencionada, mas só reciprocidade e respeito e reconhecimento pela busca de entendimento (não que eu seja lá o melhor conciliador ). Te digo, sinceramente, que isso se deve muito ao fórum, mas também ao modo que você conduz os seus diálogos. Repensar é fundamental. Me diga, meu caro: no que esse tipo de comentário contribui? Isso vai levar a discussão (ou o respeito entre as partes) para algum lugar?
  6. Se só fato de você não concordar com a minha visão já faz o tópico valer muito, o fato de você respeitá-la já valoriza muito o debate. Aí é que está meu amigo, o ponto que eu marquei da tua fala é fundamental: a masturbação, fugaz como é, te livra de pensamentos maliciosos por um curto tempo... daí você volta a tê-los e parte para saciá-los, e o ciclo se repete... Ora, para quebrar esse ciclo uma das duas coisas tem que parar! Não importa nem a culpa, ou o arrependimento, ou o cansaço... o que importa é a corrente vibratória que a gente emana nesse ciclo! Aqui, em um diálogo aberto e democrático, não se aceita a frase "não é possível...", dado o fato que podemos avançar que não é aceitável, em termos de experimentação, uma pessoa dizer que é impossível outra parar de se masturbar! Agora, parar de ter esses pensamentos é possível, e esse é um caminho, caminho que muitos bem-feitores de nossa humanidade declaradamente adotaram. Será mesmo? A gula (comer demais) é algo que é pra ser evitado, e nem por isso deixa de ser prazeroso e fácil de fazer: é só botar mais comida no prato sem ter vontade e mandar ver! No final, aparecerão danos do mesmo jeito, mesmo que fácil e prazeroso! Como qualquer outro abuso, esse também é fácil e prazeroso e, pelo seu abuso, gerará danos. Esse é o foco chave da questão. O errado não é o ato, antes de ser ele é o vício. Por que o cigarro acaba sendo errado? Porque a chance dele conduzir ao vício é MUITO ALTA! Claro que a masturbação não induz tanto ao vício quanto ao cigarro, e é por isso que, NO SENTIDO QUE EU ESTOU FALANDO, ela não acaba sendo invariavelmente errada. Vou dar uma lida nesse livro, parece interessante! O debate, apesar de polêmico, está muito interessante: respeitoso e inovador... e é isso que eu quero! Mais debates sadios nesse fórum, espero que novas pessoas se manifestem aqui para falar sobre esse tema tão prazeroso (prazeroso no sentido da discussão hein! )
  7. Concordo integralmente com o splinter. Na verdade, nem tenho muito a declarar depois disso: com essa técnica, você sentirá suas energias de um modo ou de outro, com o tempo. Sem contar que E.V. é multiuso, serve para uma porção de coisas!
  8. Muito bom. Ia montar uma resposta parecida, mas com esse comentário só preciso complementar: Uma pessoa que esteja projetada dificilmente conseguirá essa manipulação e sintonização de diferentes dimensões. Antes de ser dimensões superiores ou inferiores, são diferentes, e precisam da necessária sintonização para visualizar.
  9. Ele tem o seu crédito. Duvidar é a chave para os novos conceitos. No entanto, ele erra fatalmente em três aspectos: 1º - Não experimentar. 2º - Pegar informações aparentemente contraditórias de SERES HUMANOS, meras opiniões, e tirar uma conclusão "incontestável". 3º - Usar esse tipo de lógica (lógica formal) com uma formação silogística (argumento > conclusão) para um fenômeno tão complexo, tal qual a espiritualidade. Mas valeu a intenção!
  10. Tino... concordo plenamente! De fato, grande prazer ocorre quando você percebe que adquire mais controle de si mesmo. Essa impressão de "sexo livre" na verdade aprisiona muita gente hoje, pois que INÚMERAS são as pessoas que ficam quase o dia todo com o pensamento ligado ao sexo. O que alguns não entenderam nesse post é que eu não estou propondo a abstinência para levar ao vazio... pelo contrário! Se estamos nos abstendo de algo, preencheremos esse vazio de outra forma. No caso, o próprio corpo agirá de forma diferente, recondicionando essas energias extras. Canalização é tudo! Obrigado pelo elogio que você fez tópico passado gi... mas com certeza, há pessoas da minha idade ou um pouco mais velhos que já estão muito mais avançados... ô sorte se eles participassem desse tópico! O foco é: não ficar paranoico! Mas, em contrapartida, essa questão de não se insular, se fechar para o mundo para praticar algo "secreto", "confuso", "incontrolável" e fugaz é fantástica! Você começa a perceber outros vetores da vida, começa a ver que o amor, conjugal ou não, não se expressa só no sexo, como muitos pensam. Deixo aqui um vídeo espírita, onde o palestrante Alberto Almeida explica os elementos da sexualidade em seu nível espiritual, bem como o respaldo na sociedade. http://www.youtube.com/watch?v=Ub5p3rcxJ2Q
  11. Agora me ofendi... comparar com Restart?! Poxa cara, ninguém nunca reclamou disso, mas vou levar o que você disse em consideração. Quanto ao site que você passou, ele foca, novamente, na questão da anormalidade da masturbação. Embora ele seja rico em informações, é "inaplicado" nesse caso, pois que eu não discordo em nada. Mas obrigado pela recomendação.
  12. Que isso amigão, o prazer é todo meu em te ajudar! Um conselho: não fiques neurótico ou preocupado em relação a isso. Também não busque vincular muito a masturbação ou a falta à projeção. Se a masturbação te faz exteriorizar pensamentos nocivos, certamente vai ser atrapalhado, daí você tem que fazer uma reforma interna. Se eles estão sendo nocivos ou não, sua consciência dirá: é nela que está a lei de Deus e da cosmoética. As coisas são mais simples do que pensamos. Ao não usar a energia sexual, ela irá instintivamente para outro foco, desde que não a PRENDAMOS. O único modo de prender é ficar excessivamente criterioso, julgar o próximo, se fechar... de resto, você se estabiliza. Que isso Martyn, me veja como um mero ajudante, que tenta ser humilde. E peço, com veemência: me testem! Estou aqui para isso.
  13. Sem dúvida! Concordo! A denominação "energia sexual" é algo criado por NÓS, fato humano. Agora, dizer que não há energia alguma, só reação hormonal já é estranho. Em uma visão química, a própria reação hormonal já é energética, e se tudo promana de Deus, há sim uma derivação, uma transmutação energética. Sem testosterona não há desejo, mas há energia. A questão é que, sem um meio para tornar-se sexual, a energia vai para outros focos de atuação, e É ISSO que eu estou propondo, sem a necessidade de bloquearmos nossa testosterona. Agora, sinceramente, estranho não ver "nada de espiritual" em algo, especialmente em se tratando da questão sexual. Não há atuação espiritual em um processo? Sinceramente, essa visão turva, imediatista, fechada, extremista só conduz a alienações. Já dizia Sócrates, e eu ratifico, que a ignorância de um fato se revela naquele que diz sabê-lo e desconsidera qualquer visão contrária. Eu mesmo não compartilhei dessa visão radical de castração, e nem mesmo disse que gostaria de ELIMINAR ou SE ABSTER dessa fluente energia, avançando na conclusão de que você me interpretou mal. Não compartilho dessa visão de que "os hormônios sempre darão vontadinha", pois que não conduz a novos resultados e nem te instiga a tentar mudar. Procuro visões mais abertas.
  14. A resposta é: masturba-te se quiseres, ao final a decisão é sua, moralismo não cabe. Agora, ao buscar uma postura espiritualista, o abuso (ou seja, a pornografia ou o excesso de masturbação) verá que não é uma boa ideia proceder com isso. Quanto a ausência total de masturbação, eu defendo pela POSSIBILIDADE de usar tal energia em outros meios (o corpo mesmo redireciona), não por ser um ato "sujo", "pecaminoso"... eu não entro nesse mérito.
  15. Pois é João Paulo, isso é uma grande verdade! Aliás, acho que tais palavras se encontram, de outra forma, na Bíblia, o que de certa forma confirma a veracidade do ato. Bem splinter, a polução noturna ocorre com todos aqueles que passam um longo tempo sem se masturbar ou com adolescentes de vez em quando, e ela ocorre para você eliminar o excesso de sêmen que você tem no corpo. Bem, para eliminar, o cérebro precisa de um estímulo sexual, para então poder o órgão sexual se preparar para a saída do líquido. Pois então: a forma que tivermos esse sonho, as condições, certamente será o modo que nosso cérebro mais se excita facilmente, pois ele precisa disso para liberar o excesso. Daí está o caso que eu te falei e a conclusão Polução noturna é normal, nunca vi dizerem que seria decorrência de desequilíbrio e assédio.
  16. Concordo. O problema é quando ela vira compulsiva, e muitas vezes acaba virando, e é nesse foco principalmente que eu me manifesto. Eu também não vejo problema em se masturbar de "tempos em tempos", mas acredito que buscar outro modo de atuação é interessante. Obrigado pela sugestão amigo, respeito o fato de você não ter lido, mas você sugerir algo para mim sem nem saber minha opinião (não leu o texto) é meio complicado não acha? Não me lembro, amigo, de ter dito que o sexo ou masturbação era anormal, ou que eu seja adepto de um "puritanismo" ou mesmo sobre incorporação. Cuidado amigo para não distorcer meu ponto de vista, essa não é a minha visão: masturbação é normal? Pode ser que sim. Mas será que seremos, toda vez, combalidos a ceder a essa força e, por vezes, ficar com um sentimento de culpa? Cuidado, meus amigos. Disse que minha visão não era conservadora, mas nunca disse que era radical. Peço que interpretem de bom modo o que eu disse, como apenas outra maneira de ver as coisas e absorvam o que é bom. Ah, e se forem falar algo, peço encarecidamente para que leiam o texto, a fim de não gerar confusões.
  17. Tive uma apenas, foi ridícula... e incrível. Tive o sonho de que estava no meu quarto, visitando um site pornográfico, vendo situações estranhas (que, na verdade, são a própria pornografia)... e tive o processo! Percebe?! Vinculei tanto meu cérebro, minha energia sexual a isso, que ele não se excitava mais nem com mulheres, mas com essa situação bizarra (e olha que nem visitava sites pornográficos com tanta regularidade... tem muitos que estão em situação muito mais dependente). Isso me mostrou que a polução noturna é ótima, e com o tempo você se liberta inclusive dela, isso depois de se adaptar. A polução é ótima: demonstra como está a sua relação com suas energias sexuais, e como isso se reflete no lugar que MAIS importa: no subconsciente. Mas, nesse caso, eu acho 1000x vezes melhor "poluir o corpo do que poluir a mente". Abração splinter!
  18. Ia responder por aqui, mas acabei me inspirando e criei um grande tópico sobre o tema. http://www.viagemastral.com/gva/viewtopic.php?f=2&t=13632&p=76077#p76077
  19. Mil desculpas pelo longo tópico, mas busquei, com força de vontade, interessantes fatos para quebrar paradigmas. Tenho uma posição, hoje, que não é conservadora: mais que a masturbação, a pornografia é prejudicial pelos pensamentos exteriorizados. Pelas próprias atitudes das pessoas envolvidas nesse processo (vulgaridade, completa banalização de si mesmo, palavras de baixo calão, total dissociação a qualquer objetivo da energia sexual) percebe-se que há algo errado nesse meio. Ora, acabemos com os moralismos! Eu mesmo já tive o vício da pornografia e masturbação, e sei que são fatores COMPLICADOS de lidar, isso quando percebemos que algo está errado! Mas, atualmente, com os meus 18 anos (uma idade que, convenhamos, é difícil lidar com isso) o fato de eu ter diminuído tal prática para uma vez por semana, ido para uma vez a cada duas semanas e avançado para uma masturbação por mês é um fato diferenciador. Não pensem que foi para mim martirizante fazer isso (ou não fazer, no caso) ou que foi prejudicial para mim. Até hoje, muito inconclusivas são as pesquisas sobre a abstinência sexual e possíveis efeitos negativos. Ora, quantos líderes espirituais temos em nossa sociedade, grande parte com abnegação sexual, e muitos viveram MUITO (a exemplo do próprio Chico Xavier, ou do Divaldo Franco, ou mesmo do Papa João Paulo II)... ora, um dia vi, na internet, um senhorinha de 110 anos que dizia que o segredo da sua longevidade era nunca ter praticado sexo/se masturbado... acho que a abstinência não mata hein! Já me afirmaram que a ausência de masturbação provocaria "grandes danos a chakras do corpo", mas pela ausência de pesquisas nesse sentido e pelos exemplos citados acima e a longevidade acho que o importante é buscar direcionar essas energias. Devemos acabar com esses mitos de que "todo mundo se masturba", "Todos veem pornografia, então não tem problema.". Acho que romper paradigmas é fundamental... antigamente todos achavam que negros eram inferiores, ou que matar por dívida pecuniária era normal... quebremos essas correntes! Mas voltando ao assunto: o tempo que tenho passado sem me masturbar tem sido incrível, claro que às vezes a sensação aparecia, mas logo ia embora (daqui a pouco vou contar duas coisas que me ajudaram muito). Passar o mês todo sem me recolher a um canto e exteriorizar algo que eu não faria em público foi FANTÁSTICO! Ao não fazer nada, me sentia livre e pleno. Muitos afirmam que a falta de masturbação provoca obsessões. Sinceramente, principalmente nos sonhos, eu tive dois curtíssimos sonhos de caráter sexual, sendo que o resto dos dias eu acordava incrivelmente bem. De certo modo, acho que "orai e vigiai" é uma arma contra isso. Há pouco tempo pratiquei o ato, mas logo após compreendi que esse desvio seria bem possível já que eu estava começando e agora quero aumentar o tempo... para uns 6 meses! Por início, tive um site católico (sim, católico... a mudança se opera em todos os planos, desde que alguém queira mudar tudo é fonte de melhora ) http://vidaecastidade.blogspot.com.br/ Tal site, embora sua visão e algumas simbologias católicas, me mostrou os incríveis benefícios da castidade, e que o fato de você não se masturbar demonstra o imenso conhecimento do seu corpo que você pode adquirir pelo redirecionamento dos impulsos. Recomendo que leiam muitos artigos dele e misturem aos conhecimentos espiritualistas. Engraçado que, com as frequentes preces e com a ajuda do programa citado para barrar a pornografia, não sentia essa AFLIÇÃO de me masturbar... sentia as energias sim, mas conseguia mandar elas pra outras atividades tranquilamente... e com isso me descobria mais. Conselho para os solteiros: meus caros, não somos escravos de nós mesmos. Não precisamos de alguém do nosso lado para receber essa torrente de energia bestializada, que vai e volta com alguns dias. Se não temos esse alguém para compartilhar o amor e a relação, cultivemos a nós mesmos, e o universo sexual se interpreta a uma visão imparcial. Conselho para os casados: amigos, tarde não é para buscar a dissociação do cérebro, e começar a associar a energia sua a do parceiro. Pesquisas apontam fatos interessantíssimos: 1 - Casais que fizeram o "voto de castidade" e afastaram-se da masturbação revelaram o maior índice de satisfação sexual um com o outro, com um maior entendimento. 2 - Casais que evitam a masturbação foram testados cientificamente, e comprovado fora que, nesses casais, o período que a mulher estava com alta hormonal e sensorial o homem também estava, garantindo a ambos amplo prazer, coisa que seria impossível com a masturbação, pois nos "desconfiguramos" e não nos relacionamos com nada. Novamente perdão pelo longo tópico, mas se chegaram até aqui, parabéns: vamos até o fim, nos renovando constantemente. Desculpem caso minhas palavras tenham parecido ofensivas em algum ponto. Perdoem-me antecipadamente, pela minha ignorância e pela complexidade do tema abordado. Não pensem que sou um radicalista/moralista nessa área... no entanto, pensem que sou alguém que busca inovar nesse assunto .
  20. Amigos, amigos... vamos buscar acabar com essa discussão infrutífera. Agradeço, bem como muitos aqui, pelo dono do tópico (junior) por, com livre iniciativa, buscar tentar acertar pontos do ponto de vista do amigo Saulo, muito obrigado pela boa vontade. No entanto, e acredito (ou ao menos espero) que esteja falando por todos: esse tópico já perdeu o sentido há muito tempo. Enquanto seres imperfeitos, nós não PODEMOS estar errados: nós, em muitas vezes, ESTAREMOS errados. A possibilidade de uma pessoa estar errada ou não é latente, muito provável. Agora, meus caros, não vamos fazer disso um conflito sem moralidade, sem respeito, sem claridade das palavras. Não estou apontando culpados e nem inocentes: todos, enquanto imperfeitos, devemos reformar nossa fala e nosso discurso, adicionando sempre a fundamental "pitada" de paciência, indulgência, educação e humildade (para considerar a ideia de estar errado). Paremos por aqui, o tópico já fugiu ao tema há uns 60 posts atrás. Não há necessidade para continuar. Peço, para todos, uma coisa: compreendamos uns aos outros. Todos podemos falhar, como Saulo pode ter falhado e muitos falharam, mesmo nesse tópico. Apenas tenhamos mais indulgência e busquemos a humildade, sem sequer tocar no assunto do Ego, pois que ao buscar o respeito não há necessidade de procurar a falta dele, e é isso que vi muitos aqui fazendo. Aguardo vocês em outros posts, pois esse já se exauriu.
  21. Alisson, compartilho da mesma opinião. Já que são tantas as opções, vamos rir! Pelo amor de Deus, junior e Toquinha. Ninguém aqui questiona a inteligência de ambos, mas vamos transformá-la em sabedoria, por favor. Tais "briguinhas" não trazem nada de bom. Vamos ser indulgentes com os erros do outro e vamos absorver o que há de bom na fala do próximo. "A letra mata e o espírito vivifica". Pois bem! Vamos buscar responder com o coração, a partir de então não importará quem "sabe mais", pois todos tem algo a compartilhar. Respondamos com a espiritualidade maior,e não com a visão turva da matéria. Fiquem em paz.
  22. Amigos, respeitemos uns aos outros e paremos com essas provocações, pois elas não levem a nada. Aos que aqui estão discutindo, não levem para o lado pessoal, buscando apenas o desenvolvimento das ideias e da afeição recíproca. Continuemos o debate, com mais respeito.
  23. O que não quer dizer que isso seja bom ou até mesmo normal. Muitos fazem atos errados do mesmo jeito, o que não quer dizer que não haja problema. Meu caro amigo, o que garante que tua visão vai ser esclarecedora? Você mesmo afirmar que detêm a claridade das ideias é perigoso. Então se uma pessoa não sente amor por um familiar, e sente nela o mesmo que sente por um estranho (afinidade) ela está se encaminhando para o amor? Perdão mais jamais vi algo tão contraditório. Concordo. O fato de ele não estar amando sua família quer dizer que ele está cumprindo uma dívida passada? Não há nenhuma relação de uma coisa com outra, visto que o amor, na esmagadora maioria das vezes, é o que nos permite cumprir dívidas passadas. Concordo. Garantir você não pode. Não conhecemos nem a nós mesmos, quanto mais ao próximo. Por favor, quando ela disser isso, busque, quando estiver equilibrado, palavras que possam realmente efetivar o que ela diz. Do contrário, ao menos faça uma prece para que ela realmente mude. Concordo que as vezes você só falar não adianta nada. Mas se eu amar alguém e disser que amo essa pessoa, vou continuar amando. De novo há contrariedade.
  24. Querida luana, bendita seja a inspiração divina que te trouxe para se abrir e conversar com quem te quer bem. Quantos conflitos internos temos, não é? De fato, pensamos que estamos sozinhos, ou que a graça dos céus não se estende para nós, mas aqui está: uma série de pessoas mandando boas energias para procurar te inspirar e ver a verdade que se dissipa por trás da matéria. Com toda sinceridade, essa coisa de "estou com vontade de me matar mas sem motivo, sempre fui espiritualizada" é uma coisa perigosíssima! Deves atuar o quanto antes, para não desanimar e se deixar tomar pela melancolia. Bem compreendo os teus preceitos, mas te digo, querida: NÃO O FAÇA! Todos somos úteis, e é nessas horas de vazio que devemos ver que há algo após a matéria, pois ela já não nos satisfaz. Partilho do conselho do Erivelto de procurar um centro espírita ou qualquer rumo que te agrade, o importante é buscar algo. Minha filha, não sabe a besteira que pensas! Quantos, até mesmo desencarnados, não gostariam de estar na sua condição, para reparar seus erros e abraçar o mundo dos bem-aventurados. Pode dizer que o que digo é sem sentido, sem provas... mas o próprio Espiritismo oferece provas irrecusáveis de tal fenômeno, restando para ouvir "os que tem ouvidos para ouvir". Será mesmo que você não sofreria tanto? Será mesmo que esse ato não significaria décadas ou até séculos de padecimento e recuperação espirituais? Você pode ter a mesma utilidade de todos os abnegados que já passaram por esta terra: Crises existenciais todos nós temos, mas, enquanto nos fechamos no abismo que nós mesmos criamos, outros passam fome; estão sozinhos no mundo; estão 24h em cima de uma cama, mexendo, no máximo, os olhos; outros não tem consciência dos seus atos; outros estão abandonados pelos seus filhos e netos... A hora de nos entregarmos à caridade ao amor é agora. Que morramos sim, enquanto praticamos a abnegação e o amor, pois o efeito dos nossos atos resplandecerá tal qual resplandeceu os atos do Cristo. O que explica povos de diferentes épocas, diferentes costumes, diferentes visões terem crença em seres divinos? O que explica os países mais pobres serem os mais religiosos e, consequentemente, os mais felizes? O que explica as pessoas mais felizes dessa Terra serem os que mais se doaram para o bem do próximo? A felicidade está no esquecimento de si mesmo, todos podemos ser úteis, sendo o Suicídio apenas uma arma de nosso egoísmo, tentando nos fazer fugir da pior luta de todas: contra nós mesmos. Sinceramente te aconselho a, além de procurar rever sua vida, procurar um apoio religioso, pois você precisa de ajuda, e tudo começará com uma sincera oração. Espero que a minha palavra e a dos amigos te inspirem. O que aqui eu te disse veio do coração. Fique com Deus.
  25. Se há egoísmo não há caridade. O ato, mesmo que supostamente benigno, se for revestido, por trás dele, de orgulho, tal fato resultará em um fato futuro que apenas fará decair a suposta caridade: a pessoa pedirá contas do que fez depois, ficará nervosa por ninguém a ter cumprimentado pelo ato, reclamará no futuro por ter feito o ato... Mesmo que possa produzir bons efeitos o ato, se este estiver revestido de pouco orgulho, terá seu efeito MORAL quase todo nulificado. No futuro, aquele bem que a pessoa fez voltará para ela, mas em uma escala muito menor. Diferença sublime há entre aquele que "dá dinheiro aos pobres" e outro que se doa, mesmo que por um segundo, de forma desinteressada, para a melhora e abrandamento das dores de outra pessoa. Quem recebe se sente renovado, e busca com o que recebeu praticar o bem, porque o ato estava revestido dele. Quem dá pode não perceber, mas receberá o que der em uma potência aumentada. Dar dinheiro pra quem precisa resolve tudo? Na verdade, não resolve quase nada. Fazer caridade resolve tudo? Resolve. Caridade é buscar trabalhar para o próximo se influenciar por boas energias e pensamentos. Caridade é o profissional fazer direito seu trabalho e agir com probidade, pois sabe que há pessoas que dependem da sua obra. Caridade é dar amor aos que necessitam, seja do outro lado da cidade, seja em outro cômodo da casa. Caridade nasce de baixo mas, se efetivamente aplicada, atinge a esfera governamental e o mundo se altera para o amor. Não! Não há egoísmo quando se fala de caridade. Esta virtude, santa quando bem compreendida, é incompatível com a cultura do "eu", mas está de mãos dadas com o amor. Caridade... quando for bem aplicada, sociedade e fraternidade serão sinônimos, e benditos daqueles que a praticarem, porque "deles é o reino dos Céus".
×
×
  • Create New...