• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

matheus955

B-Membros
  • Content Count

    44
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

1 Neutral

1 Follower

About matheus955

  • Rank
    Advanced Member

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Interessante como esses supostos seres reptilianos são sempre vistos como perversos. Gosto de acreditar que isso venha da associação bíblica da cobra do Éden com o Satanás, relacionando os répteis ao mal.
  2. Entendi. Mas se integrar ao Todo, acredito eu, seria uma onipresença em todas as dimensões. Mas enfim, é um conhecimento muito longe do nosso alcance
  3. N]ao é o que o espiritualismo diz. É dito que há um ponto da evolução que nos integramos ao universo, ao todo, a Deus.
  4. Darei uma olhada com certeza! O problema é que não estou em casa e aqui a internet é meio lenta - maldito 3G! - e fica ruim pra ver vídeos, pela demora do carregamento. Assim que eu chegar - domingo - vou pesquisar e posto aqui
  5. Muito legal. Isso mostra que reencarnar em uma família rica pode ser uma prova mais difícil do que voltar sem muitas condições
  6. Histórias de implantes de chips se ouve muito em casos de abdução! Podem ter sido aliens no astral! hehe Nunca se sabe
  7. Acho que o karma não funciona ao bem ao estilo "olho por olho, dente por dente", ou seja, tu paga exatamente pelo que tu fez, mas como um meio de te fazer sentir o que o teu ato causou a alguém. Por exemplo: se tu roubou uma casa, causou sofrimento e temor a algumas pessoas, logo, a ação da lei karmica - ou lei de causa e efeito - é de te causar, hoje, sofrimento e temor em dada circunstância, mas isso não significa que alguém roubará tua casa, entende? Há n formas de a Lei agir sobre ti. Quando à probabilidade é o seguinte: estamos num mundo de provas e expiações, cheio de espíritos que podem nos causar todo o mal possível. Logo todos estamos à mercê de seus atos, mas não isso não significa que tenhamos que sofrê-los. É aí que a probabilidade (triste probabilidade ) entra.
  8. Achei a resposta para a nossa dúvida: http://www.espiritualismo.hostmach.com. ... TERMINISMO Resumindo o que está aí, é o seguinte: o livre arbítrio é uma conquista evolutiva - nós fazemos uso dele, porém nossos instintos primitivos impedem que aproveitemos o máximo dele, ou seja, só espíritos evoluídos possuem total liberdade. Recomendo ler o que está no link para melhor esclarecimento, é muito interessante
  9. Teoricamente, penso que são 2 conceitos distintos que atuam de forma diferente na vida. O livre arbítrio é uma condição, o destino, uma consequência - não se sabe como nosso caminho já é trilhado, um conhecimento que ainda não nos pertence Boa semana
  10. Aí é que está. A pessoa é livre para escolher o rumo da própria vida, ou seja, faz uso pleno do livre arbítrio, mas não pode fugir do destino. Tomando isso, então é de se pensar que o livre arbítrio não influencia o destino, como no caso da história do Édipo. O problema é que, é impossível concluir algo tomando como base um mito. A profecia existente mais conhecida é sobre 2012, do qual os povos inca, hopi e egípcios, além da famosas profecias de Nostradamus (que supostamente falam sobre Hitler, Napoleão Bonaparte e a queda do World Trade Center) previram há mais de mil anos uma renovação na Terra, datando o ano de 2012. É esperar pra ver Tomando como base as profecias de 2012 vemos que o ser humano só se ligou nesse século a cuidar do planeta, mas tarde demais. Se acontecer o "fim", é um meio de concluir que o ser humano usou o livre arbítrio todo o tempo, e continuará usando, tentou mudar o futuro, porém não conseguiu. Isso torna livre arbítrio e destino duas metades, que compõem, basicamente, a vida. (viagei legal nessa )
  11. O problema é que essa nossa discussão é baseada em um mito. Para comprovar os argumentos deveriamos ter uma profecia como objeto. Como não temos, vamos imaginar Sobre a maneira que tu encontrou, confesso que não entendi muito bem. Mas temos que ter em mente que uma profecia nunca é direta. Todas as profecias conhecidas são citadas de um modo de difícil compreensão, não são algo como "o mundo será atingido por um meteoro na metade do séc. XXI".
  12. Quando o Édipo ficou sabendo da profecia, fugiu de casa para se livrar dela - que seria matar o pai e casar com a mãe. Na sua cabeça dera super certo, pois estava distante de seus pais, porém eram seus pais adotivos. Quando se distanciou dos seus pais adotivos, começou a viver normalmente, e sem perceber, acabou concretizando a profecia. Então, ele não aceitou o destino: ele inteligentemente fugiu de seus pais, sem saber que, se tivesse ficado com eles, a profecia nunca teria se concretizado, pois não eram seus pais verdadeiros. O fato de ele ter sido abandonado ainda bebê (o que torna impossível ele saber que foi abandonado), de ter sido adotado por um casal que NUNCA mencionou que não eram seus pais, o fato de ter sabido da profecia e fugido de casa contribuiu para o destino da vida do Edipo que tentou fugir dele, mas fracassou.
  13. Primeiro quero deixar claro que acredito no livre arbítrio, mas que tenho dúvidas quanto ao destino da pessoa. No caso do Édipo, faz sentido os laços que ele tinha com sua mãe, e talvez seu pai fosse seu inimigo em outras épocas. Onde quero chegar é que, na história, os três personagens fizeram uso total do livre arbítrio para se livrar da profecia: pai e mãe o tiraram de casa e o mandaram para muito longe, e ainda por cima o pai tentou matar Édipo antes de deixá-lo, para garantir que a profecia não se concretizasse; Édipo, quando soube de seu destino, fugiu de casa para evitar seu destino e acabou brigando com um homem e o matando e se apaixando por uma mulher, mesmo sem nenhum conhecimento de seus laços. Mesmo com as ações tomadas em total liberdade, afim de desviar o destino da família, fora provado que não há maneira de modificar o futuro. Na história, Édipo não morrera e fora achado por um casal adotivo, que se tivessem dito a ele que não eram seu pais de verdade, a profecia falharia. Isso leva à conclusão de que o livre arbítrio existe, porém o mesmo não pode modificar o futuro (com base na história de Édipo). O complicado da história toda é que no futuro está escrito as ações das pessoas. As previsões sabem exatamente o rumo que a pessoa vai tomar. Ou seja, é determinada que ela escolheu caminho x ao invés do y - e o livre arbítrio está aí, na escolha da pessoa, mas a escolha já está determinada pelo futuro.
  14. O autor dessa ocorrência também não é definido. Depende. E nos casos que o autor é definido? Os chamados videntes, que prevêem o futuro de uma pessoa específica, e esse acaba se concretizando? Apesar de não ser real, vou citar o mito de Édipo, personagem da mitologia grega. Quando nasceu, o oráculo alertara a família que ele mataria seu pai e casaria com sua mãe. Sendo assim, foi levado para longe de casa e o pai tentou matá-lo, e foi embora. Édipo foi achado e adotado por um casal, do qual crescera junto a eles. Quando consultou o oráculo e viu que havia a profecia, fugiu de casa, não sabendo que eram adotivos. Com isso, acabou matando seu pai na estrada (sem saber que era seu pai) e conheceu uma mulher com quem se casou, que era sua mãe. Isso é um mito, mas é uma forma que achei de mostrar casos em que o futuro de uma pessoa é determinado, e cumprido. No caso do Édipo, seu livre arbítrio de fugir de casa, matar um homem na estrada e casar com uma mulher na verdade o levou a concretizar seu futuro, mesmo que inconsciente de seus atos. Então, o livre arbítrio na verdade não funcionaria quando se trata do destino da pessoa.
  15. não se preocupe, quanto mais prolongar o assunto, melhor mas a questão é que uma ação intermediada por uma pessoa, que é prevista no futuro, quer dizer que esta pessoa vai fazer tal coisa e não há modo de modificar o futuro. logo o livre arbítrio da mesma na verdade é uma única opção pré-determinada, mesmo que possa ocorrer em n maneiras diferentes.