• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

pseudo-pseudal

B-Membros
  • Content Count

    222
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

3 Neutral

4 Followers

About pseudo-pseudal

  • Rank
    Trabalhando as Energias (200+)

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Taí um ponto em que eu acho que a ciência convencional deveria mudar a forma de abordagem. Convenhamos que evidência anedótica é um problemão! Mas à partir do momento que em que haja uma quantidade considerável delas direcionadas ao mesmo evento a história começa a mudar. Inclusive, esse é um pilar pelo qual a conscienciologia aposta para o reconhecimento "oficial pela ciência" da capacidade parapsiquica do ser humano, ou seja, estão organizando e estruturando décadas de evidências anedóticas para chegar a um denominador em comum e poder falar.. Olha, baseado em não sei quantas mil pessoas num ambiente controlado, esse, esse e esse evento existem.
  2. Mas Sandro, estabilizar o peso significa que você está tendo alguma absorção. De prana, pelo visto. Em aspectos técnicos seria como você absorver 1500 calorias (geradas à partir do prana) e gastar essas mesmas 1500 ao longo de um dia. Isso é tranquilo de entender... O que eu acho complicado, falando de parapsiquismo mesmo, é transformar essa energia em nutriente para o corpo. Esse é o tcham, o pulo do gato. Sobre a água, vamos deixar pra lá ela né.. afinal, você também não se habilita a deixa-la. É questão de ceticismo mesmo, eu acho muito improvável que sem "nenhum" conhecimento de parapsiquismo e em 21 dias você vai aprender a fazer isso. Pois bem, deve ser mesmo. Se olhar para a guru, Jasmuheen e comparar a estrutura física dela com a da Evelyn, verá que uma deve saber fazer mais que a outra.. pois a Evelyn parece que literalmente passa fome, rs. Outro dado interessante que você me passou e eu preciso pensar à respeito é sobre o fato de você dizer que teria energia ilimitada para fazer exercícios físicos, já que se alimenta do prana e o prana está em "todo lugar". O mesmo não acontece com alimento sólido, onde precisamos ter reposição de nutrientes, período de absorção e digestão. De fato, eu já fazia isso há alguns anos como forma de complementar um exercício, ou seja, durante uma corrida eu forçava uma absorção de energias como fim de dar um "gás" extra no treino. Não posso dizer se funcionava ou não, se era placebo ou não pois não dei a devida importância e nem rigor de experimento. Mas funciona de alguma forma e eu ainda não consigo identificar o que é. Se é o processo da absorção de energias ou se é auto-motivação (placebo). No mais é isso, obrigado pelas contribuições. Vou dar uma pesquisada à respeito.
  3. Sandro, extraordinário é no sentido de "fora do comum", "fora do paradigma vigente"... Não é no sentido de "ok, se você fez algo interessante, vai ter de me provar 2x mais", não, não é isso. O que é uma afirmação extraordinária (para ilustrar)? Afirmar que podemos manipular as nossas energias a nosso favor é um exemplo claro disso. E a evidência extraordinária? Realize algumas técnicas, verifique a ressonância magnética alterada, sinta as energias do ambiente pela técnica fornecida, etc. Não é que eu preciso provar 2x mais. Talvez o termo tenha lhe confundido. Eu sou cético. Não nego. Mas sou o tipo do cético que me permito a mudança de paradigmas e novos conhecimentos. Se alguém me mostra algo que antes eu tinha como correto e não é, eu mudo minha visão, simples assim. Mas como cético, minha premissa básica é não acreditar em nada que não tenha o mínimo de evidência e/ou que eu não tenha como experimentar para tirar conclusões (aí entra a parte da espiritualidade). Eu não trabalho com fé bem como não sou favorável a esse conceito de "acreditar sem evidência". Por evidência, entra as que eu posso verificar (auto-experimento) e que eu possa estudar de fato à respeito. Você falou que a Terra é plana e que alguém disse que era redonda.. Pois bem, nesse link: http://www.ustream.tv/channel/live-iss-stream você poderá verificar, em tempo real, que a Terra não é plana. Sei que você, com certeza, estava brincando... mas o link é para mostrar que sim, podemos verificar praticamente tudo o que a ciência aponta. Basta sabermos analisar os dados colhidos (estudo). A ciência como um todo é aberta a refutação, aliás, ciência é refutação. Só estamos onde estamos na física pois alguém no passado viu que o átomo era divisível e quebrou todo o paradigma. Viram que o modelo de relatividade do Einstein superava o Newtoniano onde o mundo é probabilístico (einstein) e não determinístico (newton)... Que é por causa da massa da Terra e consequente gravitação que temos a sensação de que a Terra é plana. Que sempre ficamos em pé em qualquer parte do planeta etc. Enfim! Agora, Dalai-Lama agente da CIA foi foda! Eu não acho que viver de luz é absurdo (e não disse que você disse que eu havia dito ), acho que é algo possível e disse em posts passados (Se levarmos em conta a parte energética/espiritual), mas biologicamente é algo impossível e extensamente provado que é impossível (as pessoas morrem de fome e de sede). E aí vem a questão novamente da evidência extraordinária, ou seja, que quebra paradigmas. Entende? Se conseguirem fazer com que esse método de 21 dias seja replicável à todos e não somente a alguns "bem-aventurados", aí sim teremos algo que é confiável e que poderá ser disseminado como uma capacidade do ser humano. Sabe o que está começando a ter esse status hoje? A projeção da consciência e o parapsiquismo. O pessoal da conscienciologia está arrumando tanta evidência, métodos e formas de replicação que, em breve, haverá uma reviravolta imensa. Mas você não me respondeu, viver de luz faz com que você tenha um corpo mais limitado? Ou seja, que sub-existe? Ou você se alimentando de luz é tão "saudável" quanto alguém que come?
  4. Bacana Sandro, muito interessante mesmo. Agora algo que me fez dar umas gargalhadas foi que você queria ganhar massa muscular sem promover síntese proteica, rs. Lendo o seu e o outro relato, me da uma impressão de "olha, eu sei que você está bem de energia, mas seu corpo está sobrevivendo, não está esbanjando saúde da mesma forma do seu corpo energético". Porque, rapaz, sendo sincero, uma coisa que eu questiono a veracidade é que numas entrevistas que eu vi, a Evelyn diz que faz exercício físico (média intensidade)... Ok, então, seguindo as premissas dela, ela não toma água depois de perder água suando? Será mesmo que o prana vai conseguir repor todo o estoque de água rapidamente (pra não entrar em colapso)? Ela não sente sede (estímulo básico humano) ao se exercitar? E ignora essa sede? O que me dá a entender, pela magreza mesmo, é que "viver de luz" te da uma sub-existência do corpo, onde você vive, porém não tem gás para atividades que exijam muito do corpo. Prova disso é a sua perda muscular extrema. Estou correto nesse pensamento?
  5. Junior, bom dia! Pra ser algo que dependa da nossa fé (acreditar ou não), deveria ser algo não-prático e de impossibilidade de prova. A projeção da consciência (como você deu o exemplo), não requer acreditar ou não. Basta fazer alguns procedimentos e ser persistente que você conseguirá, não é necessário acreditar (fé). Se viver de prana é um processo de 21 dias, organizado e replicável, por que precisamos acreditar? Não é como ler um livro, achar um deus dentro dele, que é humanamente impossível de ser provado e falar.. hmm... "acredito nisso" ou.. "hmm.. não, não acredito nesse deus". Percebe a diferença? Acreditar ou não-acreditar depende da capacidade de conseguir evidências à respeito. Você não precisa acreditar em Projeção, trabalho energético, chacra, veganismo ou até mesmo viver de luz. São coisas "palpáveis", treináveis e até certo modo verificáveis (até certo modo pois em alguns casos é preciso a auto-experimentação). E isso é diferente de falar, olha, temos tais deuses: Javé/Cristo, Krishna, Tor, Odin e Alá. Qual desses você acredita e qual você não acredita? Compreende?
  6. Isso é outra forma de dizer : “dois pesos e duas medidas”. Em quase tud na vida essa atitude é considerada reprovável, mas quando se trata de ceticismo os caras acham que há alguma lógica nisso. Ah, isso não é dois pesos duas medidas... É outra forma de dizer, "se você está falando que faz X, argumente X, se você está falando X², argumente X²". A projeção da consciência nem de longe comparável com isso. São objetos completamente distintos tanto em forma, execução e objetivos. Portanto, não devem ser postos a comparação (como você fez). Ambos (Projeção e Parar de comer) envolvem o trabalho com o corpo energético, mas não significam que podem ser mensurados igualmente. Uma comparação válida seria fazer paralelos entre uma alimentação normal, uma ovolactovegan, uma vegan e essa de prana. Ou seja, coisas que compartilham variáveis e conceitos. Então, repetindo, se você afirma que um ser humano pode mudar sua dieta retirando a carne dela, você precisa argumentar a favor disso. Agora, se você diz que o ser humano é capaz de mudar sua dieta retirando absolutamente TUDO dela, você precisa argumentar tão extraordinariamente quanto essa sua afirmação (Extraordinária por sinal). Não são 2 pesos e 2 medidas. São 2 pesos e uma medida única, o grau de afirmação entre elas é estrondoso, não percebeu? Se eu disser que eu posso dar um mortal pra trás e cair em pé eu terei de provar isso de uma maneira relativamente fácil, basta que eu faça o movimento aqui e agora. Agora se eu disser que consigo dar um mortal triplo eu não vou conseguir fazer aqui e agora, vou precisar de um local maior, chão de tapume, talco, ou seja, uma infraestrutura para que eu consiga provar (argumentar) minha afirmação. Por isso o "para afirmações extraordinárias, argumentos extraordinários". Abraço
  7. Ai oh, agora sim! Era disso que eu estava falando! Obrigado por demonstrar racionalmente seu ponto de vista. Só de dar uma lida superficial, já revi alguns conceitos que certamente não consegui encontrar lendo e/ou ouvindo relatos de adeptos. Mas ainda achei curioso o fato de você ser tão "cabuloso" no negócio e abdicar por vaidade e imposição da sociedade. Realmente não entendi.. Foi apenas isso? Estranho. Fazendo uma analogia, seria um ex-fumante voltar a fumar pois alguns amigos falaram.. "pô, você era mais legal quando fumava".
  8. Se é uma música que você considere relaxante, pode ajudar sim! A música só não ajuda quando ela prejudica o relaxamento do corpo. Daí você não vai conseguir relaxar o corpo e consequentemente fazê-lo adormecer enquanto permanece consciente para a decolagem. O ideal é não precisar de música para o relaxamento do corpo físico. Por que é o ideal? Pois, em tese, não precisamos de nada que nos faça relaxar quando nossa vontade já pode fazer sozinha. É um processo mais limpo e sem intermediários (música/incenso/mantra/massagem/óleo etc).
  9. Sim, essa sou eu. Eu achei que como homem teria uma aceitação melhor aqui no fórum, talvez por ter machistas ainda que pensem "Vai lavar uns pratos" ou "O que essa guria sabe sobre projeção?" Brincadeira, ta? Muitos usuários acham que sou homem aqui no fórum, talvez faltou perguntar Interessante, também não sabia que era mulher (tinha uma suspeita pelo apelido).. Mas afinal de contas, gênero é importante em algumas situações. Numa discussão, o bacana é a impessoalidade mesmo. Machismo se vence com argumentos, não com omissão! De qualquer forma, parabéns por se mostrar. Para alguns isso pode dar mais credibilidade ao argumento (ter uma face por trás), para outros, pode virar motivo de chacota (como você bem disse sobre lavar pratos). Sou frequentador assíduo desse fórum desde 2009 (na época que ainda usava um usuário com nome e foto) e particularmente nunca vi nenhum desrespeito nesse sentido (machismo pífio). Se houve, com certeza foi desqualificado imediatamente. A convivência aqui é boa, apesar de haver conflito de ideias.
  10. Sandro, interessante seu post. Me tire uma dúvida, você PASSOU 18 meses ou você TEM 18 meses que aplica isso?
  11. Pois bem, amigo, não é questão de acreditar ou deixar de acreditar. Sair do corpo é algo MUITO diferente se comparado com PARAR DE ALIMENTAR o corpo físico com comida sólida. Não percebe isso? Repito, não é CRENÇA nem questão de experimentar. É questão de TESTAR. Afirmar que alguém pode viver sem se alimentar e/ou ingerir líquidos é uma afirmação muito forte, não acha? Não acha que é diferente de trabalhar energia, fazer algumas técnicas e sair do corpo? Quando falamos de "paradigma científico", é preciso ter cuidado. Existe muita coisa ultrapassada e a cada dia barreiras são quebradas. Mas com a questão da fisiologia é complicado discutir nesse aspecto. 3 dias é uma média, como chegou-se a essa média? Medindo e fazendo estatísticas. Há pessoas que duram mais? Há. Outros duram menos? Com certeza. Mas não estamos discutindo isso. Estamos discutindo o fato de PARAR DEFINITIVAMENTE de ingerir qualquer coisa. Não acha que afirmações extraordinárias merecem evidências extraordinárias? É muito simples falar: Não precisa acreditar em mim, tenha suas experiências. Quando abordamos isso no âmbito das energias e experiências fora do corpo é uma coisa. Ninguém pode morrer, ter falhas nos órgãos, hipoglicemia aguda, parada cardíaca etc, quando realiza meros experimentos com energia. Agora essa mesma pessoa pode ter tudo isso se parar de comer e ingerir TUDO na primeira semana do "plano de 21 dias". Não entende a gravidade disso? Não é SATISFAÇÃO CIENTÍFICA. É senso de preservação mesmo. Qualquer um pode fazer um blog dizendo que está sem comer, qualquer um pode dar entrevistas, escrever livros. Mas não é qualquer um que tira a roupa e fala: "pode me testar da maneira que quiser, no entanto, eu quero tudo documentado e gravado". Se isso fosse tão real assim, acredite se quiser, já teria sido espalhado pela internet (meio mais democrático que existe já feito). Agora, o que temos quando colocamos "vivendo de luz" no YouTube? Temos videos esotéricos, algumas entrevistas sem seriedade, documentários direcionados. Cadê os estudos sérios e metodológicos? Cadê os laudos médicos atestando que essa cidadã australiana é capaz disso? Argumento como "ela come socialmente" não cola pois isso se aplica a "beber socialmente e fumar socialmente" também. Se você não bebe ou fuma não irá faze-lo socialmente. Não importa quem peça ou qual situação apareça. Outra coisa, se esse Oberom é um adepto a esse "modo de vida" e ele quer o bem da humanidade (o que eu presumo), por que não deu as caras na mídia? Qual emissora não gostaria de um furo de reportagem desses? "UM CARA QUE NÃO COME E NÃO BEBE A NÃO SEI QUANTOS ANOS ESTÁ DISPOSTO A FAZER QUALQUER TESTE MÉDICO E A DIVULGAR SEU SEGREDO".. Putz, acha mesmo que essa afirmação não seria uma bomba? O argumento de "uns podem e outros não" também não cola pois mesmo tendo diferenças biológicas, nossos corpos possuem as mesmas estruturas e glândulas, portanto, esse argumento é um "se colar colou". No entanto, se você estiver falando à respeito de parapsiquismo, posso até começar a concordar... Mas esse também é treinável. Esse negócio de "só os especiais conseguirão" tem uma conotação de seita.. não acha? Sobre o milagre, sim, há muitas coisas inexplicáveis pela ciência e é justamente isso a base dela. Trabalhar em cima de coisas inexplicáveis até acharmos a explicação, a ciência trabalha em cima do COMO não do por quê. Compreende meus questionamentos? Tentei ser o mais claro quanto possível, tanto que fui bem redundante.
  12. Se não for pedir demais, poderiam me informar/passar essas evidências científicas de que viver de luz (prana) é algo real. Evidências anedóticas (relatos) não valem . Se o sujeito vive de luz, então todo o aparelho digestivo deve ser atrofiado. Gostaria de ter acesso ao exame, a cópia do mesmo ou algum local que mostre isso. Volto com meu argumento. Se viver de luz fosse algo real, o pessoal que efetivamente morre de fome seriam profissionais nessa técnica de "mapeamento de DNA". E não seria em apenas 21 dias, seria ao longo de anos de sub-existência. Comendo 1 ou 2x na semana em quantidades tão pequenas que certamente não precisariam de preparação para essa reprogramação. Não sou louco de falar que a energia/prana não nos mantém vivos. Até porque nossa principal fonte de energia é o ar que respiramos, logo em seguida a água e por último e não menos importante, comida. Biologicamente, não há como desvincular nenhum dos 3. Muito menos viver apenas de 1 ou 2. Nossas células precisam muito mais do que energia e/ou "ar". Elas precisam de nutrientes provenientes da digestão de alimentos reais. Agora, se você propor a teoria de que alguém consegue sintetizar/plasmar/materializar tais nutrientes por meio da absorção de energia, eu até poderia concordar que isso é possível. Mas agindo pelo bom senso, quem conseguiria fazer isso? Aquele rapaz sentado na árvore há anos? (não). Gandhi..? Não.. Jesus? .. Não... Buddha? Não.. =/ Krishna.. !? Não.. Se nenhum avatar/deus conseguiu, imagine nós, reles humanos. Ops, há sim! http://www.livingonlight.org/ Há um grupo seleto de indivíduos que consegue! Só esqueceram de contar para os africanos (ou qualquer outra população faminta) que se eles ficarem 30 minutos olhando pro Sol ao amanhecer eles não morreriam de fome... Tempos atrás, vi em algum local que um médico pegou essa mulher que é "líder" do vivendo de luz no Brasil e, apalpando os órgãos dela (pela barriga, não deixou fazer ecografia), constou que não há nada atrofiado, os órgãos dela estão em pleno funcionamento (coisa que ela disse não comia há 2 anos no Jô Soares, em entrevista). Claro que esse meu argumento carece de fontes, por isso pode ser desconsiderado. Mas fica plantada a semente para uma possível pesquisa (não estou afim de buscar isso). Outro argumento interessante que desqualifica a vericidade desse pessoal é que eles não exigem conhecimento prático com energia para viver de luz. Ou seja, querem que a pessoa viva apenas absorvendo energia do Sol (pela manhã), mas não ensinam os mecanismos para ela absorver essa energia que não seja ficar olhando pro Sol por 30 minutos. Engraçado, alguns povos que estão morrendo de fome vivem com Sol na cabeça por 8 horas (no mínimo). Será que nem um pouquinho desse Sol bateu no olho deles? Até que caberia a teoria de que para viver de luz era preciso dominar o processo da energia, mas essa teoria já começa infundada pois o próprio pessoa do living on light não pede para sermos bons parapsíquicos. Pedem apenas para ir reduzindo a comida aos poucos até chegar apenas nos líquidos e em 21 dias, BOOM, você não precisa comer nem beber mais nada! Uau! edit: Por favor né, dei uma lida no processo de 21 dias e já na primeira semana é preciso que você passe 7 dias sem comer, beber ou ingerir nada. Pois bem... Eu paro por aqui e não recomendo, junto com a medicina, de fazer essa besteira com a sua vida. Se quiser fazer jejum, faça de 3 dias, mas ingerindo água. É o suficiente para fazer experimento com energia. Segue o link para o processo: http://www.livingonlight.org/PT/article ... 1dias.html ***NÃO RECOMENDADO PARA MENORES e/ou FANÁTICOS
  13. Não, nosso cardápio é limitado por uma série de fatores e vontade (não a falta dela) é o fator principal dele. Pode ser óbvio, mas as pessoas TEM vontade de comer carne. Não é por vício, assédio, calamidade ou barbárie, é simplesmente vontade de pegar uma carne (boi, frango ou peixe), colocar no prato e comer. Simples assim. Da mesma forma como você NÃO tem vontade de comer carne. Não há mistério algum nisso.
  14. Ta reclamando que só consegue o EV? Se entendesse o tanto que o EV é importante, estaria pulando de alegria por conseguir faze-lo em tão pouco tempo. Pesquisa no Youtube por: "Estado Vibracional".
  15. João, Qual sentido em pedir esse tanto de desculpas? Se está vergonhoso pelo que disse então deveria apagar tudo, oras. O que foi dito, foi dito. Humildade por humildade já tem em grande quantidade nas igrejas, no futebol e na política. Não precisamos de pessoas humildes, precisamos de pessoas com posicionamento, que batam o pé e assumam a responsabilidade do que é, do que faz e do que acredita. Como quer defender sua causa se quando a coisa aperta você "retira tudo" e fica cheio de diplomacia querendo se sair bem com todos? Na mesma frase você pede desculpas pelas ofensas e acusa os comedores de carne a promoverem uma calamidade. Diz que estamos numa guerra, dos que optam por comer carne e dos que não optam por não comer. Manda um blá-blá-blá espiritualista e termina impondo que temos insuficiências para aceitar tais verdades... Ah, já sei! Deve ser insuficiência de consciência! É, diplomacia é pouco! Não adianta "apelar", só se convence alguém de duas formas: Lavando o cérebro ou clareando o mesmo. Seu post deu muito bem a entender qual das duas foi. Ainda não entendo esse coitadismo súbito de alguém que fez afirmativas fortes em postagens anteriores.