• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

sandrofabres

Administrators
  • Content Count

    6,939
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    866

sandrofabres last won the day on July 12

sandrofabres had the most liked content!

Community Reputation

3,953 Excellent

About sandrofabres

  • Rank
    Membro Serenão (1000+)

Recent Profile Visitors

15,877 profile views
  1. https://www.worldpranichealing.com/pt/aura/the-etheric-body/ https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17032-textos-do-robert-bruce/&do=findComment&comment=74018 https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17228-wagner-borges/&do=findComment&comment=100086
  2. Nao dá para definir. Voce só sabe que esta em corpo astral caso consiga sair da cama, porque o corpo eterico nao sai. Entao você podia estar desperto NO CORPO ETÉRICO ainda, e ouvindo seu corpo físico roncar. E aí se tentasse sair, descobriria que estava incapaz de se mover e chamaria isso de catalepsia, ficando ali na cama paralisado sem conseguir sair, pelo fato de estar consciente EM CORPO ETERICO, e nao em corpo astral, que é o único corpo que pode sair dali.
  3. Afff Maria! Nunca consegui achar esse relato e já estava duvidando da minha memória, que em geral não se engana com isso, mas. O infinite acabou perguntando lá no fórum do Bruce, e ele postou o relato de novo. Vou colar aqui traduzido:
  4. Esse é o momento de focar numa técncia de separação. Já que esta decaneando, fixe um alvo mental na mente, e oode acabar para do la consciente quando o sono te pegar. Ou ja comece a aplicar a tecnica da corda e fique nisso até conseguir sair ou ate que apague.
  5. E vou deixar aqui os prints do Projeciologia com algumas referências à lucidez:
  6. Olha, a meu ver isso é um assunto meio confuso mesmo, porque aparentemente as pessoas não entendem bem de que tipo de lucidez estão falando. Vou tentar organizar algumas coisas aqui, para ver se evita confusões futuras entre o que uns e outros falam. Na nossa vida cotidiana, em vigília portanto, qual é o uso mais básico da palavra LUCIDEZ? Alguém que está em coma, apagado, não está lúcido. Lúcidas estão as pessoas que estão acordadas né? Ou seja, alguém lúcido está acordado e se relacionando com o mundo que existe ao seu redor, na dimensão que habitam, sendo capaz de identificar corretamente o espaço e o tempo que habita, bem como seus habitantes. O enfermeiro que atende ao paciente em coma está lúcido, o paciente em coma não está. “Portanto, “sem lucidez” nesse caso é sinônimo de “morto vivo”. Alguém em coma, alguém desmaiado, não está lúcido. Nesse caso inconsciência e falta de lucidez são sinônimos. Mas então o paciente em coma acorda. Acorda, conversa, responde a perguntas. Porém, você pergunta se ele sabe onde está e ele diz que está na casa da avó. Ele olha a filha e acha que é a cunhada. Bem... ele está se relacionando com o meio que o cerca, com as pessoas ao redor, está consciente, mas não está lúcido porque sua percepção do mundo está distorcida (confunde o espaço, ao não perceber que está no hospital e não na casa da avó, confunde as pessoas, e confunde a idade, achando que é criança ou adolescente quando na verdade é um idoso). Nesse caso estar consciente e estar lúcido não são a mesma coisa. O mesmo em relação a um usuário de drogas, ou um alcoólatra, que podem estar conversando sozinhos na rua, achando que estão vendo coisas e pessoas que não estão ali (no mesmo plano, pelo menos). Eles estão conscientes, desviam de postes, de buracos no chão, atravessam a rua sem serem atropelados, mas não estão lúcidos. A falta de lucidez se caracteriza por uma dificuldade de perceber a realidade. O problema é: Estamos falando de qual realidade? E de que tipo de percepção? Sobre o tipo de percepção- Um cego ou um daltônico tem dificuldade de perceber a realidade, mas nem por isso estão menos lúcidos do quem aqueles que enxergam normalmente. Por aí você á nota que ter uma projeção nebulosa ou nítida em super HD não pode ser considerada como tendo relação com lucidez, mas apenas com qualidade de percepção, que é algo que se relaciona com chackras, estado das energias, proximidade o não do corpo físico, densidade da faixa astral em que se está projetado, qualidade da rememoração posterior. A qualidade do material que é transferido para a memória pode variar, pode ficar muita coisa borrada, mas se ENQUANTO VOCÊ ESTAVA PROJETADO você age sabendo que está em astral, não há razão para achar que houve falta de lucidez, ainda que fragmentos da experiência (ou mesmo toda) se percam. As vezes você acoda e não lembra de nada, acha que não se projetou. Horas depois lembra de tudo, desde o momento em que descolou do corpo, o que mostra que a lucidez foi total, mas a memória caiu a zero durante um tempo. Muitas experiências se perdem por causa disso,não pela lucidez SOBRE O TIPO DE REALIDADE- Se estamos saindo da dimensão física e indo para outra dimensão, não é racional julgar a lucidez pelo grau de “esquisitices” da experiência, julgadas EM COMPARAÇÃO COMO O PLANO FÍSICO. Ou seja: se você encontra um cavalo e ele fala com você, não faz muito sentido classificar isso como falta de lucidez, DESDE QUE você esteja consciente, durante a conversa com o cavalo, que sua mente está captando esse ser como se fosse um cavalo provavelmente por alguma dificuldade que ela tem em entender a aparência física dele, e traduziu essa forma para algo mais compreensível para sua percepção FÍSICA. Mas se você de fato acreditar que está falando com um cavalo, aí podemos dizer que você perdeu a lucidez em algum grau, porque a questão principal, o “nível 1” da lucidez é saber o que é possível na dimensão que você ocupa: ver um elefante voando no físico indica falta de lucidez, mas vez um elefante voando no astral não significa nada, porque tal como o elefante você não voa no físico, mas voa em astral, então não há porque se escandalizar com um elefante voador no astral né? Mas se estiver lúcido vai desconfiar que não é um elefante voando lá em cima, apenas parecer ser, e buscará tentar enxergar o que há por trás dessa ilusão. É por quererem enquadrar o astral nas regras do físico que o pessoal acha que se ao sair do quarto, a casa estiver diferente, então é falha de lucidez. Por trás dessa atitude tem a crença absurda que a única dimensão que existe é a física, e que ao se projetar você só poderia continuar enxergando o físico, o que não faz nenhum sentido. Dito isso, acho o primeiro critério sobre lucidez, para nosso interesse aqui, que é a projeção astral, seria o seguinte: Está lúcida a pessoa que é capaz de identificar corretamente: - o tipo de ambiente que ocupa, -o tipo de veículo que utiliza, -as leis da física que valem para esse ambiente - o momento temporal Para a projeção: -se você sabe que esta num ambiente astral, -sabe que está usando um corpo astral e não físico, -sabe que tanto você quanto os outros podem mudar de forma, atravessar objetos voar, emitir energias, etc; -e sabe o momento temporal que ocupa (o que fez durante o dia antes de se projetar, o que fará amanhã em vigília, e reconhece se a projeção está acontecendo agora ou no futuro ou passado), Então nesse caso você tem o “direito adquirido” de dizer que está lúcido né? Parece óbvio, mas vamos alterar um pouco essas variáveis, para você ver como é fácil perder a lucidez sem perceber: - você sabe que está no plano astral, sabe que está em corpo astral, mas está no ano 1400 e acha que ele é seu tempo presente. Ops.. você caiu nessa “pegadinha” astral, tomou a aparência pela realidade concreta, nesse aspecto, e aí sua lucidez caiu. Você deveria ser capaz de pensar “estou tendo uma experiência no ano 1400! Que legal! Vou tentar memorizar bem os detalhes para depois poder postar no GVA amanhã(sabe o século em que vive, portanto). Num caso desses, em que você se deixa hipnotizar pela época passada, uma experiência eu começou lúcida se transformou numa semi-lúcida ou sem lucidez, porque você passou a acreditar estar no ano 1400, e a partir disso você tende a esquecer que está projetado e fica preso nas vivências que lhe parecerão do físico, podendo ser inclusive memória de vida passada, mas a questão é que você deixando de ser “aquele que se projetou” para se tornar “aquele que vive em 1400”, você perdeu a lucidez, porque deixou de perceber a realidade do que estava acontecendo ali, foi hipnotizado pelos eventos do astral - Ou se você começa a projeção sabendo que está projetado, que seu corpo é astral, mas ao andar pela rua vê um assaltante que puxa a arma e te pede a carteira, se você fica com medo da arma, ou se procura a carteira, ou sai correndo, isso mostra que sua lucidez já era, porque você esqueceu que esse tipo de situação é do físico, não do astral, e mesmo que um espírito zombeteiro esteja te pregando uma peça, você deveria saber que aquela arma não tem poder sobre você, que você pode usar recursos energéticos para se defender, etc. Se agir como se estivesse no físico, isso mostra que você esqueceu o plano em que está projetado, as leis que o regem, e o tipo de corpo que está usando. Perdeu a lucidez ao acreditar que é de fato um assalto. E nenhuma dessas perdas de lucidez significam que a qualidade da visão será afetada, indicando a perda. Pode continuar tudo nítido enquanto você foge dos ladrões, ehehe. - Ou você começa a projeção sabendo que está projetado, que seu corpo é astral, mas ao querer entrar num local, acha que porque não tem chave não pode entrar, ou que precisa veículos, ou que está preso num local só porque “te prenderam”, ehehe. Lembro de uma vez em que eu estava fugindo de alguém dento do que parecia um castelo, ao fim do corredor fiquei sem saída, literalmente era um beco sem saída, apenas uma parede de pedra à minha frente, e pelo corredor vinha um grupo me perseguindo. Enfiei um braço dentro da parede a abri um rasgo de 1m metro e meio acho, como se a parede fosse um bolo que eu cortei com a faca, passei pelo buraco e me mandei dali, ehehe. A lucidez certamente não devia estar tão boa, ou eu não estaria fugindo, mas pelo menos na hora H eu lembrei do que era possível fazer, por estar em astral. Outra vez também fui trabalhar (em tese, eu estava sonhando que estava no trabalho né? Só que pelas janelas do prédio eu via a cidade La fora, e estava noite lá fora, o que indica que eu estava projetado mesmo. Mas a prova não foi isso, após ter feito meu trabalho, voltei para casa e ao botar a chave na porta (lucidez zero então né?) olhei e vi que estava com a chave errada!!! Só que aí é que veio a surpresa, porque eu pensei “ah bobagem, estou em astral mesmo, vou corrigir essa chave”. E alterei a forma dela, para que se tornasse a chave certa, que então usei para abrir a porta. Ou seja, eu sabia perfeitamente bem que estava em astral, e usei as possibilidade desse plano a meu favor. Mas não tanto a ponto de abdicar do uso de chaves e atravessar a porta direto, que seria o mais adequado se minha lucidez estivesse realmente boa. Mas foi nessa experiência que logo após entrar em casa, usando a chave plasmada, encontrei um sujeito na minha sala, o que fez ativar a lucidez totalmente, a ponto de eu poder mover meu corpo estando ainda projetado, algo que relatei rapidamente aqui: http://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17061-energia-e-suas-repercussões-autor-kátia/&do=findComment&comment=74252 Também esta semana eu estava “sonhando que fui tomar banho”. Acontece que desde 2019 em inventei de só tomar banho frio, mesmo no inverno. Então abri a torneira do chuveiro e caiu água quentinha, que gerava até vapor. Pensei: “Não pode! Este chuveiro nem é elétrico (correto). Tudo bem que a água tem um coeficiente de troca térmica baixo, então se ontem foi quente e ensolarado, a água ainda poderia estar aquecida agora pela manha, mas ontem não foi quente e ensolarado (correto), além disso a temperatura lá fora está em 2 graus (correto, confirmado após acordar) , então como diabos esse chuveiro está largando água quente, se nem fiação elétrica ele tem?" (olhei para ele e confirmei que era o chuveiro de sempre, um “chuveiro de praia”, daqueles de metal que os veranistas usam para retirar a areia do corpo) Pensa que concluí que “só posso estar em astral”? Que nada! Dei de ombros e segui tomando banho!!! Lucidez zero, no sentido de não perceber que estava sonhando (não sabe onde está, não sabe que tipo de corpo está usando). Mas ainda que estivesse com lucidez zero, estava bem racional, a ponto de analisar toda a situação e até saber a temperatura externa do ambiente, sem que tivesse como obter essa informação por outros meios. Mas de que vale isso? Se você está em astral mas pensa estar no físico, está tecnicamente sonhando, algo que tanto pode ser “projeção inconsciente” , “projeção sem lucidez”, quando mera fantasia mental acontecendo enquanto você está apenas levemente desencaixado do corpo, e nada disso nos interessa aqui. A lucidez que buscamos é saber que você está em astral, saber que usa um corpo astral e as coisas que pode fazer nessa situação já que as leis da física são diferentes. Sabendo disso, então está lúcido. Mas como você vê a lucidez pode oscilar, melhorando ou piorando, principalmente em projeções mais longas. Em geral ela não varia em projeções de 3 minutos, mas se ficar mais de 10 minutos já começa a correr riscos frequentes de perda de lucidez, quando você se deixa levar por alguma situação problemática ou cenário, e age como se tivesse os mesmos limites do físico. Agora, tem um tipo de lucidez que é um segundo patamar: Aqui no físico você pode estar lúcido, em relação a perceber corretamente a realidade circundante, mas pode se estressar e ficar agressivo, violento, ou deprimido, medroso..... nesses casos dizemos que há uma perda de lucidez, porque afinal a pessoa está distorcendo a percepção dos problemas que a estressam, em geral hipervalorizando o tamanho deles, ou, por outro lado, agindo sem pensar nas consequências futuras. Nesse caso a percepção do momento presente (brigar com alguém com agressão e morte) ofusca a realidade do plano físico que faz isso gerar consequências concretas por todo o futuro da encarnação. O mesmo pode acontecer em astral, você pode estar lúcido no sentido de saber que está em astral, e conhecer as leis físicas do astral, mas pode não estar lúcido o suficiente a ponto de evitar fazer o que não deve, como espionar a vizinha, ou se projetar apenas para procurar zonas de sexo, etc. Só que essas coisas são um nível de lucidez mais “evolutivo”, ou seja, ao se projetar você fará aquilo que seu nível consciencial geral é capaz. Você pode praticar ficar lúcido no sentido de praticar identificar quando está em astral, e tentar não criar nas pegadinhas. Mas para praticar pensando e agindo com ética, você pratica na vida em vigília, no dia a dia sempre, para que esse padrão também seja dominante quando você se projeta. Se você só é um cidadão educado fisicamente, mas mentalmente está sempre sendo desordeiro, assediador, ao se projetar esse padrão desordeiro, assediador, pode te dominar e fazer usar a lucidez de “saber que está em astral” para ações que em vigília você não aprovaria. Portanto: Objetivo 1 da lucidez projetiva: saber que está no astral, que usa o corpo astral e usar as possibilidades que esse pleno te permite, conseguido escapar das limitações que o condicionamento físico nos cria (como achar que precisa de chave para abrir uma porta, quando pode atravessá-la, achar que está preso numa sala, sem lembrar que pode sair dali quando quiser) Objetivo 2 da lucidez projetiva: o correto agir, o correto pensar, o correto sentir, em todas as situações da vigília e do astral, o que só se consegue praticar em vigília, e cujos resultado em astral te mostram como você anda, por trás das aparências sociais e do auto-engano. Provável objetivo 3 da lucidez projetiva: perceber que o uso das formas corporais astrais ainda é mero fruto do condicionamento no plano físico, e ser capaz de jogar com isso de acordo com a situação, ou perceber a realidade astral além das formas.
  7. Porque se voce pensar, nao é possivel nenhum reflexo ali. Nao existe nenhuma fabrica de vidros no astral, para gerar aquele vidro onde você viu seu reflexo. Nem há incidencia e refelxao de luz como no fisico, tanto que nós sempre podemos enxergar nitidamente, mesmo dentro do subsolo terrestre. Entao as imagens que voce enxerga não são formadas da mesma maneira, e o que voce viu não o reflexo da sua aparência fisica, talvez nem da astral atual. Pode ser uma imagem relacionada a você de alguma maneira, mas não é um reflexo tal como o entendemos no fisico. Das poucas vezes em que olheieu reflexo em espelhos, no astral, NUNCA vi a aparência que utilizo no físico. São tipos e tipos de experiências. Muitas vezes você esta conversando com alguém e acorda no nada, tendo que se projetar logo em seguida e voltar até onde estava a pessoa, para prosseguir a conversa, e as vezes ela já saou dali e tem que acha-la. Outras vezes, em geral em experiencias de aprendizado/ treinos, voce so volta quando: - compreende algo importante que te disseram - quando concluiu a tarefa - quando já superou a dificuldade apresentada( as vezes se da mal e passa por um replay completo 2,3,4 vezes, até tomar a decisão correta, e só então acorda Depois que surge um desequilibrio emocional, é dificil segurar a onda, tipo acontece com o Hulk sabe? Tem que se esforçar para não sair do eixo, ou a coisa pode ficar muito intensa demais para controlar Mais tarde volto aqui e respondo essa parte, que exige mais digitacao e estou pelo celular agora.
  8. Os ovos da serpente continuam descascando mundo afora: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/alemanha-identifica-o-extremismo-de-direita-como-o-maior-perigo-para-a-democracia/
  9. Vou deixar aqui um link de um trecho de um video do Paulo Ghiraldelli falando sobre ciência. Eu mesmo já falei esse tipo de coisa aqui no gva diversas vezes, de formas diferentes, mas como as pessoas que não trabalham com ciência tem certa dificuldade de enxergar as fragilidade dela, talvez um professor universitário de filosofia, já aposentado, possa explicar melhor que eu. Já está no ponto que interessa, o que vem antes é apenas o assuntinho do dia, sem relevância para o gva: https://youtu.be/qNvnoyuj4uE?t=305
  10. ( O QUE EU VOU FALAR ABAIXO DEVE SER LIDO COM MUTIA CAUTELA, PORQUE PODE ESTAR BEM ERRADO DO PONTO DE VISTA ESPIRITUAL. ESTOU APENAS COMENTANDO COMO EU VEJO A COISA, E ESSA FORMA DE VER PODE SER FRUTO DAS MINHAS LIMITAÇÕES, ENTÃO CUIDADO) Eu ACHO, sinceramente, que o maior erro está na atitude que a maioria das pessoas parece gostar de cultivar que é "SE ABRIR PARA A VIDA". Aliás me chama muito a atenção o uso recorrente deste tipo de imagem no marketing: O erro que eu vejo é que se você "se abre", várias "oportunidades" se abrem PARA QUEM PRETENDE ENTRAR PELA ABERTURA dada. Por exemplo, eu acho estranho quando algumas pessoas me comentam que vao no supermercado comprar um ou duas coisas que precisam, e acaba gastando demais, comprando muito mais coisas. Isso não acontece comigo, porque: 1- se eu vou no supermercado é porque estou precisando de X,Y,Z 2- como eu sei em média quanto esses X,Y,X custam, levo a grana suficiente para eles, com pequena margem extra 3- Como eu sei onde ficam os produtos no supermercado, vou diretamente nos corredores que preciso, e na prateleira, especifica, pego e vou para o caixa. Fim. Como eu posso voltar para casa tendo comprado mais coisas do que precisava, SE EU SOU MOTIVADO PELO QUE EU PRECISO, E NÃO PELO QUE ME É OFERTADO NAS PRATELEIRAS COLORIDAS??? Não é possível, porque não fico passeando pelos corredores olhando para os lados vendo o que mais de interessante pode aparecer ali para chamar minha atenção.... Não CONCEDO essa abertura ao que vem de fora. A questão é: se você caminha pelo mundo sem estar motivado pelos seus próprios interesses, mas caminha estando aberto para ver o que de interessante pode surgir no seu caminho, você automaticamente CRIA AS CONDIÇOES para que agentes EXTERNOS te seduzam, para o bem ou para o mal. E você SABE quais as motivações desses agentes externos? Não, você só sabe das SUAS motivações, a dos outros sempre será um mistério, uma lacuna, que você pode tentar preencher com a sua imaginação, PROJETANDO nos outros virtudes e vícios que você imagina que existem nele. Alguns tentarão usar "sua intuição", que é uma forma de "se abrir" para inputs de dados sutis, porém, ao fazer isso você também se abre para quem usa técnicas telepáticas, PNL, comunicação não verbal, etc. A questão, portanto, me parece a seguinte: se você não é movido pelo SEU INTERESSE, se você se move sem que isso sera RESULTADO de uma vontade interior, você estará a mercê de todo tipo de VENDEDOR de produtos, idéias filosofias, e você dificilmente lembra que as motivações do vendedor não são as mesmas suas, o que ele ganha com a venda costuma ser o mesmo que você perde.(nem sempre né? mesmo em assuntos materiais, se você precisa se um saca rolhas e alguém te vende um saca rolhas, ele ganhou dinheiro, você perdeu dinheiro, mas ambos ganharam, porque um teve sua necessidade satisfeita e outro teve a oportunidade de satisfazer a necessidade de outrem e sua necessidade financeira). Mas em idéias como a coisa fica? Se você adere a um sistema de crenças, seja ele político, filosófico, religioso, acho que você precisa questionar ANTES de aderir, se você SENTE NECESSIDADE daquilo que aquele sistema de crenças está "VENDENDO". Por exemplo, se alguém te oferece uma técnica que te promete paz e tranquilidade... você precisa da paz e tranquilidade?? Você já não tem isso na sua vida? Eu julgo que tenho na minha, então não vejo porque aceitar essa "venda". Se um sistema te oferece a "salvação", bem, você se sente um náufrago perdido que precisa ser salvo? Porque se você não se sente, por que então dar atenção a esse tipo de marketing? Por outro lado, ja conheci pessoas que viviam no alcoolismo e no adultério, e se corrigiram rapidamente ao aderirem a um sistema religioso. Essas pessoas foram "salvas" no sentido religioso da coisa?Vão morar om Jesus após a morte? O pastor que as convenceu era um pilantra ou um homem sincero? Nada disso tem importância alguma, porque o fato que resultou da adesão dessas pessoas a esse sistema de crenças foi ma melhora geral da vida delas, porque é disso que ELAS estavam PRECISANDO. Se o resto todo do discurso religioso era mentira, se o sacerdote era ele mesmo um hipócrita enganador que só queira dinheiro, que diferença faz? Então me parece que muitas ( mas MUITAS MESMO) das pessoas que são enganadas por vendedores de idéias só o são porque elas: 1- Não estão de fato procurando por algo claro 2- Aceitam como verdade o pacote completo oferecido pelo vendedor 3- Partem da crença de que o vendedor está de fato interessado nas necessidades DELA, e não DELE E SEU GRUPO. Para mim essa atitude é errada e é fruto do "abrir-se para a vida". Me parece que isso é uma ABDICAÇÃO do seu papel na gestão da sua própria vida, logo, se depois você é ludibriado, não pode se queixar, porque você deu uma "procuração de plenos poderes" a um desconhecido, que pode acabar te prejudicando sem mesmo ter a intenção disso, porque te ofereceu algo que você de fato não desejava, você apenas aderiu por falta de AUTO-CONHECIMENTO, você entregou a outro o poder de definir metas PARA VOCÊ, e também o percurso!!!! Se vocês pararem para fazer uma retrospectiva, ou rememorar a vida de pessoas conhecidas, vão notar uma enorme quantidade de vezes em que as pessoas entraram em rumos errados levados por outros, e depois se arrependem. Caíram na propaganda do outro. E nem quer dizer que o outro te enganou, porque os mesmos resultados que você pode achar negativos, para ele podem ser o máximo, ele só te passou aquilo que ele REALMENTE ACHAVA BOM. Mas ele não tem como saber se é bom PARA VOCÊ. E é nesse ponto que eu acho que reside a grande falha, as pessoas esquecem que somos o único juiz de nossas vidas, só nós podemos saber o que de fato nos serve., e acho que por isso não há muita interferência de mentores e tal. Precisamos aprender com NOSSAS escolhas, e se nossa escolha for entregar a escolha a terceiros, não podemos nos queixar depois do rumo que as coisas tomarem. Uma vez num locadora de vídeos eu estava comentando com a atendente que eu era vegetariano há 4 anos (naquela época, hoje já sou há 20 anos) e o dono começou a me perguntar sobre possíveis dificuldades que isso gerou. Lá pelas tantas ele me perguntou sobre como eu fazia com restaurantes com amigos. Respondi que eu nunca fui de frequentar restaurantes com amigos, logo, isso não afetava minha vida. E aí ele explicou que toda semana ele saia com amigos para restaurantes e tal, e não sabia se valeria a pena abdicar disso (moro numa cidade do interior, creio que numa capital existam muitas opções de restaurantes vegetarianos, mas nesta cidade só existe um). Então veja, se ele se deixasse seduzir pelo que eu falei, ele entraria rapidamente numa situação problemática PARA ELE, mas totalmente inexistente PARA MIM. Ele poderia entrar, passar uns seis meses com dificuldades, devido a necessidade DELE de viver cercado de amigos, e depois poderia sair disso, contando por aí que uma vez se deixou levar pela idéia do vegetarianismo que o cara fez a cabeça dele, mas que é algo muito radical, porque começou a ter dificuldades com os amigos e tal.... Por isso tem gente que sai de grupos religiosos ou espiritualistas se dizendo enganados ou que passaram por lavagem cerebral, enquanto que outros continuam lá achando que foi a grande virada positiva da sua vida. O que gera essa sensação de ter sido enganado me parece que é exatamente essa falta de saber o que de fato estamos procurando naquela coisa (atividade física, ideologia, política, filosofia existencial, amizade, par amoroso, carreira profissional...). Se você não sabe o que está procurando, não vai reconhecer o valor do que encontra, caso tenha algum valor, e não pode reclamar se o que encontrou não lhe satisfez, porque para que uma resposta correta seja dada, antes uma pergunta correta precisa ser feita. Logo, o maior responsável pelo sucesso na busca é sempre o buscador, não o entregador, e a atitude "abrir-se para a vida" é , no meu entender, o exato oposto disso, um baixar o nível de exigência, e isso é exatamente o que abre as oportunidades para os espertalhões, que esses sim, sabem exatamente o que buscam. Mas como eu falei no início, analisem com cuidado isso, porque todos sabemos como hoje em dia na espiritualidade new age a idéia de "abrir-se para o universo", e o que escrevi aqui pode ser nada mais do que um "pensamento limitante" da minha parte, ou apenas fruto de traços da minha personalidade, que é controladora e só faz o que quer fazer. Esse traço pode estar distorcendo minha percepção do resto nesse assunto. As pessoas que lerão isso e concordarem empolgadamente com o que escrevi talvez o façam apenas porque tem traço de personalidade parecido, limitações parecidas, e convém que reflitam sobre a possibilidade de flexibilizar isso um pouco, para ser se é positivo. Eu tenho feito isso em algum grau, sempre com cuidado, e tem me trazido aprendizados interessantes. Já os que discordarem empolgadamente ao lerem isso, talvez tenham a personalidade oposta, e talvez convenha flexibilizarem isso, se fechando um pouco filtrando mais suas aberturas, e isso talvez corrija também certos excessos que ja os levaram a entrar em frias no passado. Estamos sempre que manter um olho entreaberto para escolhas opostas às nossas, porque as vezes que nos parece sabedoria pessoal, é só trava mesmo, e só quem pensa diferente de nós é que pode nos apontar algum erro, caso exista.
  11. Esssa dificuldade de voar ou mesmo saltar em lugares pesados é comum. A voz podia ser de quem estava com você. Em geral somos acompanhados, mas raramente lembramos de olhar para tras. Ainda assim as vezes eles estao invisiveis. Quanto a aura, ela pode ter despertado apenas em astral, ainda embutida no corpo, e te olhou com essa visao asyral e talvez por iso viu alguma coisa diferente. Mas eu nunca vi auras em nenhum ser, nem estando desperto e asyral na cama e vendo algum espirito chegar, nem estando projetado ja fora do corpo
  12. http://edconhecimento.com.br/?livros=atlantida-no-reino-da-luz Nao pode ler o volume 2 do Atlantida sem ter lido o 1 , porque é uma historia que é inter rompida no final do volume 1 e segue no volume 2. Se vai chegar o volume 2 antes, deixe sem ler, até que consiga o volume 1.
  13. Olha, vi agora que o capítulo 12 do novo curso do Saulo fala sobre dimensões: https://youtu.be/SRlNn887kIo
  14. Nao. Tem gente que alega que sim. Parece depender de cada caso: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/20313-beliche-acoplamento-aurico/&do=findComment&comment=95299 Ainda nao atingiu o clímax. Começa com arrepios, depois um formigamento suave, como o celular no vibracall, mas precisa atingir um ponto MUITO mais intenso que isso para que funcione com.um proncipiante. Precisa atingir um nível que te faz pensae que esta se do eletrocutado ou que esta tendo um terremoto. Entao apos ficar dormente, tente acelerar um pouco para ver se fica mais intenso. https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/20295-meditação/ https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17033-por-onde-começar/&tab=comments#comment-74009
  15. É que as pessoas tem dificuldades para saírem dessa forma de raciocinar típica da 3a dimensão. Ninguém parece lembrar que vivemos numa dimensão em que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço, mas que essa regra não tem porque ser mantida ao mudarmos de dimensão né? As coisas em astral tem duas dimensões a mais, porque o astral é a quinta dimensão não a quarta, como tem gente que fala por aí. Então considere o seguinte: a cada PONTO no espaço físico corresponde uma LINHA VERTICAL de muitas frequências diferentes, NO MOMENTO ATUAL DO TEMPO. Mas essa linha vertical ainda pode se deslocar horizontalmente no tempo, vendo passado ou futuro de cada ponto de frequência. Exemplo: há vezes em que você se projeta num dado espaço, e vê esse espaço como era no passado. Nesse caso você considera que está vendo m espaço RELACIONADO ao ponto que existe no físico, porém numa faixa de tempo diferente. Só que há ainda muitos "outros espaços astrais" que correspondem ao local em que seu corpo físico está, cada espaço desses numa faixa vibracional diferente. Supondo que no físico você more numa casa, não num apartamento. No astral essa sua casa funcionará como se fosse um prédio de vários andares acima e abaixo do térreo. Quando você se projeta você pode se descobrir em zonas acima ou abaixo do físico, digamos assim, mais próximas ou mais distantes do físico, como se ao deixar seu corpo você tivesse despertado no quarto mas em algum dos vários andares de cima ou de baixo, que terão semelhança OU NÃO com seu quarto. Quanto mias próximo, mais similar, quanto mais distante... mais o ambiente sera totalmente diferente As coordenadas GPS do seu quarto, se você adicionar uma coordenada astral, nas zonas baixas seu quarto pode ser um prostíbulo,uma caverna lamacenta, e nas zonas altas ele pode ser um hospital, um jardim florido. E entre esses extremos ele será várias coisas, uma floresta, uma estrada, uma montanha. Só na zona física ele é seu quarto como você o conhece. E quando você adiciona a faixa de tempo nisso, cada uma dessas faixas, ou andares ainda podem variar na faixa de tempo. Por isso a questão do assédio está, em geral (mas nem sempre) ligada ao sujeito, não ao local. Ou seja, se a pessoa está vendo fantasmas na sua casa, não quer dizer que esses fantasmas estejam na sua casa, pode ser que ela é que esteja astralmente localizada numa zona baixa do astral, mesmo quando está em vigília. É o que acontece com drogados que estão já tendo delírios, vendo vermes rastejantes pelo seu corpo, cobras andando pelo chão etc. Não é a casa que está infestada, é ele que está consciencialmente morando num lugar empestiado, devido ao seu vício. E ai a pessoa se sente mal, intoxicada, irritadiça, ou deprimida, porque está vivendo astralmente num ambiente tóxico, ainda que durante o dia esteja ocupando um corpo físico que oculta as percepçoes astrais que ela tem. Quando dorme, aí ela só perceberá esse ambiente astral, e por isso terá pesadelos odas as noites. Por isso aquele papo de "reforma íntima" do kardecismo. Se você consegue se manter numa frequencia elevada, evita se posicionar astralmente onde os obsessores possam te localizar, você fica "morando num andar" que eles não conseguem nem te ver. Mas se fica alimentando maus pensamentos e emoções, está sempre visível para eles, como um ricaço que entrou por engano num bairro dominado por criminosos, e pode virar alvo até de obsessores oportunistas, que nem tem nada contra você, mas acham divertido te zoar, porque foi você que caiu na zona deles, na verdade. Assim, as percepções sutis que essa pessoa que está com maus pensamentos e emoções terá serão do ambiente e habitantes daquela zona astral pesada na qual ELA ESTÁ VIVENDO ASTRALMENTE, mesmo quando está em vigília. Lembre-se: corpo astral=corpo emocional. Suas emoções fornecem a coordenada GPS astral e te fazem afundar ou elevar astralmente, mesmo quando está dentro do corpo, similar a pegar um elevador. Aquela cena do filme CONSTANTINE mostra bem isso: https://www.youtube.com/watch?v=CjiUD2nH_7k O deslocamento inicial é apenas de faixa vibratória, não é um deslocamento NO ESPAÇO. Mas claro que uma vez que você tenha caído nessa nossa frequência, você pode se deslocar no espaço, ou continuar se deslocando nas frequências acima ou abaixo para ver o que tem ali, só que isso exige mais domínio. Aqui tem um relato como exemplo desse tipo de confusão projetiva: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/&do=findComment&comment=74048 A ÚNICA forma de saber o que e rela PARA NOSSA MENTALIDADE TRIDIMENSIONAL, é obter alguma comprovação relacionada ao físico. Sem isso sempre será apenas crença. A primeira vez que vi meu corpo, ele estava de olhos abertos. Achei aquilo bem estranho. Cheguei perto, dei uns tapas leves na cara dele, e nada, continuou ali de olhos estalados. Então resolvi sair de casa e aproveitar a projeção. Ao voltar concluí que foi plasmagem, porque afinal de contas nunca dormi de olhos abertos. Só que alguns meses depois me aconteceu de perder duas projeções sucessivas, e quase perder a terceira, exatamente pro abrir os olhos. Narrei isso aqui: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17090-enxergar-com-apenas-um-olho-autor-rodrigoyeowtch/&do=findComment&comment=74363 Só então passei a considerar que aquela vez que vi meu corpo de olhos abertos podai sim ser o corpo real. Da outra vez, vi só as cobertas na cama, e como já estava de saco cheio disso, comecei a bater com o braço na cama, dizendo eu sei que voce está aqui, em algum lugar, tem que estar aqui! (porque naquela dia, estavam as cobertas ali, o travesseiro, tudo certo, só faltava o corpo, ehehe) E então a cobertas começaram a adquirir uma forma por baixo, como se um corpo tivesse SUBIDO brotando do colchão marcando a cobertas. E eu o chamei duas tres vezes, para fazê-lo acordar (porque não deveria né? se fosse o corpo real). Então ele se destapou e levantou da cama, falando algo meio mal pronunciado e me pegou do braço, e foi quando acordei, ainda deitado na cama, o que mostra que o corpo que se levantou não era meu corpo físico. Então supus que nesse caso foi plasmagem, ou então o corpo de real time, que como você deve ter lido lá no tópico com textos do bruce, que traduzi, ele volta e se deita na cama junto com o corpo físico, após a cópia astral ter sido gerada.Talvez por isso o vi subindo do colhão, ou seja, ele talvez tenha subido de frequencia ate passar a existir na dimensão que eu estava. Já num caso concreto de atividade do copo físico enquanto projetado, eu me vi de volta ao corpo na posição que ele de fato estava após ter obedecido meu comando astral, então essa eu sei que era o corpo físico MESMO: http://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17061-energia-e-suas-repercussões-autor-kátia/&do=findComment&comment=74252 Cara, esse conhecimento vem de várias fontes, é algo que precisa ser montado/colado, amaprado pela prática pessoal, ou tudo vai parece tão estranho que a gente não entende. Eu já tinha lido tudo que recomendo abaixo, mas ter lido isso antes de me projetar não me ajudou em nada. Ter relido depois de ter umas dezenas de experiencias, me ajudou a enxergar muitas outras coisas nesses relatos. No tópico POR ONDE COMEÇAR meu foco foi no COMO SAIR. Mas ali tem o link para o pdf do Raduga, e ele fala um pouco sobre as várias possibilidade disso. Só que como ele acha que é sonho lúcido, coisa só da mente, ele não FORNECE uma "Teoria dimensional", que é o que permite entender as diversas coisas que você vai experienciar, então a compreensão dele não ajuda muito, mas ao ler os relatos que ele coloca, tendo em mente a explicaçao dimnesional, você entende que todos os relatos mostram indícios disso, só que se a pessoa acha que é só sonho lúcido ou onirismo ela não via enxergar esses indícios. O mesmo em relação à teoria das cópias, do tópico DO BRUCE. A experiência projetiva mostra que ela é uma teoria mais adequada para explicar o que experienciamo do que a teoria da consciência indivisível, que vai descartar tudo que não se encaixar nela como se fosse ilusão da dupla consciencia. O que eu recomendo como livros são os do: -Waldo, Projecoes da Consciencia - Waldo Vieira.pdf pelos relatos. - do Bruce, Astral Dynamics.pdf pela explicação sobre dimensões (mas acho que ja traduzi para nosso fórum quase tudo de útil que tinha nesse livro sobre esse assunto) -do Raduga, Escola_de_Viagens_Fora_do_Corpo.pdf pelos relatos e explicaçoes sobre a manutenção da fase - o do Leadbeater O Plano Astral - C.W. Leadbeater.pdf pela explicaçao sobre as várias faixas do astral - do Monroe Viagens Fora do Corpo (Robert A. Monroe).pdf pelos relatos