• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

sandrofabres

Administrators
  • Content Count

    6,731
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    775

sandrofabres last won the day on September 20

sandrofabres had the most liked content!

Community Reputation

3,771 Excellent

About sandrofabres

  • Rank
    Membro Serenão (1000+)

Recent Profile Visitors

12,734 profile views
  1. Sim, é falta de relaxamento. A sensacao de queda surge quando voce já esta saindo mas alguma parte nao esta suficientemetne relaxada .Nessa parte o corpo astral e o fisico ainda estao colados, e a saida do corpo astral gera um movimento na parte fisica. Esse movimento puxa o corpo astral.de volta, gerando o sensacao de queda abrupta.
  2. O pessol tende a reproduzir o que tem no físico.. ou vice versa. E tem zonas submetidas a um " estado". Funciona como aquelas favelas do RJ dominadas prlo tráfico. Há zonas do umbral dominadas por una chefos negativos, com mimhares de soldados a sua disposicao, para manter a dominaçao sobre as entidades que vivem presas lá. Dominaçao, hierarquizaçao, estrutura fortemente disciplinadas, sáo traços típicos do umbral. E quando você vê isso aqui no fisico, já sabe qual a sintonia desses grupos aqui, já sabe quem eles tem por trás...
  3. 2- Se voce já leu o tópico POR ONDE COMECAR e o sobre o método do Raduga deve saber que sempre é mais facil apos cerca de 6 horas de sono. É apenas um fenômemo ligado á velocidade com que apagamos e a profundidade do apagamento. O conteudo é que as vezes é diferente: as de inicio de dia ou mesmo à tarde costumam ser mais "exploratórias do ambiente", enquanto que as de inicio da noite ou meio de madrugada costumam ser de " trabalho", " amparo", essas coisas.. 3- Tenho cismado também que parece ter gente "de plantao", como se estivessem vigiando. Esses dias mesmo, acho que no fim de semana passado, levantei do corpo e ao atravessas a parede apareceu um sujejto de capa e chapeu preto, meio assustado que eu estivesse saindo asssim.. e me interpelou , queee do sabenr onde eu iria. Repondi " Ué!?!? Vou sair a dar uma olhada por aí, aproveitar a projeçao ora!". Mas ele parecia ter sido pego desprevenido e disse que não podia me acompahar agora mas ia escalar outros três, que em seguida apareceram ali. Eu sei que em geral a gente tem alguma proteçao ao sair, mas achei ele meio preocupado. Ele não parecia estar tentando me impedir, mas preocupado em manter as coisas seguras. O que me faz pensar que o ambinte astral esteja mais " movimentado", o que noa surpreende, se a gente esta obsevando o jeito que o planeta anda piorando rápido de pouco tempo para cá
  4. O fato de VOCÊ ter querido abraça-la PODE indicar que ela não seria uma assediadora, porque são eles que tentam abaçar a gente, para roubar um pouco de energia , em você em geral acorda ou borra a visão quando eles te tocam. Me PARECEU pelo seu relato, que você detectou a proximida de um "auxiliar de projetor". Eles costumam ficar ocultos, para não nos assustar, mas como você insistiu, ela se deixou ver. Quanto a exteriorizar, nessa faixa , logo que saímos, é mais difícil o manejo das energias mesmo. E pelo jeito era você quem estava tentaando ser amiga dela. Ela estava lá quietona, invisível, só te observando e voce pediu para ela aparecer, pegou nas moas dela, abraçou, e ai da queria voar com ela! E ela só lá te olhando e pensando " Eu hein? Te conheço???", ehehe
  5. Desconfio que não tem como ter eco num espaço tão pequeno. Mas passar o link deste seu post para ele.
  6. Creio que sim. Há várias ilusões nesses momentos. Esses dias eu estava deitado de bruços e ao acordar de um sonho, senti alguma vibração energetica residual do reencaixe. Prestei atenção nela, e ela aumentou, mas senti uma forte pressão subindo da nuca até a parte e tras da cabeça, como se alguém pegasse uma barra de ferro e , apertando um pouco contra minha cabeça, deslocasse a barra da nuca até a parte de tras. raspando na pele com força, quase machucando. Cortei o foco nas vibrações e aquilo sumiu. Então novamente direcionei minha atenção para sentir as energias e essa sensação voltou e foi se intensificando, novamente indo da nuca até a parte de trás. Aí me me mexi fisicamente para interromper aquilo, e não voltou mais. Provavelmente era apenas uma movimentação energética de uma frequencia mais densa, que eu senti quase como um ferro, de tão denso. Agora, se a pessoa entrar na fantasia, talvez ela achasse que um ferro indo da nuca para a cabeça poderia ser uma arma, e aí era capaz de sentir algum tiro acontecendo, pelo aspecto fantasioso.
  7. Mas você anda não estava fora do corpo né? Ao que parece, pela sua descrição, você apenas se imaginou presente no local que queria ir, não chegou a completar a separação. Logo a técnica de esfregar as mãos ainda não tinha como funcionar, porque você não estaria esfregando as mãos astrais realmente, que é o que fortalece sua conexão com o astral. Talvez até pudesse ter funcionado, fazendo isso só na imaginação, mas eu pelo menos nunca usei essa técnica só na imaginação, uso depois de ter deixado o corpo, caso a visão esteja borrada. Então aqui você já tem um primeiro indício do que pde ter feito você despertar lá no corpo físico, e não no astral: porque tentou despertar a lucidez estando ainda embutido no físico. Faltava ainda sair dele, e os puxões no plexo indicam apenas que não estava pronto para isso, por algum motivo, energético ou relaxamento. Nesses casos, aplique a olve apenas na parte que parece estar te prendendo: se ficar preso pela cabeça, não faça a olve dos pés a cabea, faça do topo da cabeça até o moxilar, isos permite fazer mias rápido e solta a parte presa. Por outro lado, se você já estava fora do corpo quando esfregou as mãos, ter despertado a consciencia do corpo físico ( etérico, na verdade), não decessariamente puxa seu copro astra de volta. Voce pode ter apenas mudado o foco de percebeu do "quem sou eu", ficando mais desperto no corpo que estava na cama, do que no corpo que estva lá fora esfegando as mãos. Ambos os processos podem acontece simltaneamente, como relato aqui: http://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17948-mais-uma-experiência/&do=findComment&comment=79563 E aí o que aconteceu? Se seu corpo astral continuava lá fora, o corpo em que você despertou em catalepsia era o etérico, e esse corpo não se projeta, ele não abandona o corpo físico. Então você fica ali preso em catalepsia no corpo etérico na verdade, não é no astral, porque esse corpo nunca sai mesmo. O puxão no pexlo pode ter sido isso, uma reação da estrutura etérica toda te impedindo de sair, porque voce estava tentando sair com o corpo errado. Precisaria voltar a focar a mente lá na lembrança de onde você estava quando esfregou as mãos, para se reconectar com o corpo astral que devia estar projetado em outro local da sala, como relato aqui: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/19723-sonho-bem-diferente-parecido-com-uma-projeção/&do=findComment&comment=91946 Quanto a isto: É porque não usamo olhos para enxergar estando fora do corpo físico. A detecção imita a visão, mas na verdade´e 360 graus. por isso tem gente que se embanana com a posição de bruços. Se você estiver deitado de bruços, sua visão abre e você enxerga tudo como se estivesse deitado de barriga para cima, de olohs abertos. É puro condicionamento de algumas pessoas achar que de bruços as coisas funcionam diferente do que de barriga para cima. Assim como se voce estiver conversando com alguém, projetado, por ocndicionamento do físico, voce enxerga apenas o ambiente a sua frente. Mas se alguém se aproximar por tas você, você o enxergará também, como se estivesse de frente para ele. Se você estiver no segundo andar de uma casa, e algum intruso astral entrar no primeiro, você o enxerga como se estivesse lá embaixo, olhando para ele de frente. Ou ao olhar um prédio, na rua, e querer ver quem mora ali, você enxerga como se fosse uma casa de bonecas, tudo aberto, com as pessoas lá dentro: São as facilidade da consciência que não está presa num corpo físico, mas o condicionamento da vigília limita isso para nós, então quando acontece, dá uma certa confusão no início, invertemso esqueda e diretia, tentamso voar para um lado e vamso para o lado oposto, é um saoc. Mas o correto é isso mesmo, esquisito mesmo é o cara projetado achar que precisa abrir os olhos astrais para enxergar melhor, eheheh. Quanto a dor, eu nunca senti dor em projeção. Acredito que seja uma ilusão, ou seja recebemos um aviso de alerta em relação a algo, e lemso isos como dor, que é também apenas um avio de alerta do corpo físico para o cérebro né? Quando sentir dor, questione a realidade disso, preste atenção na dor e veja se é dor mesmo. Em geral descobrirá que é só um tipo de "pressão", não é dor.
  8. Desculpena demora. É que o Saulo não renovou o serviço de email, que antes era grátis e agora é pago, entoa agora a gente oa recebe mais email avisando que algo foi postado. Isso atrasa a minha vinda aqui. Preciso lemvrar de entrar e checar, o que pode demorar algumas horas. Lembro vagamente desse assunto em algum tópico. Náo sei quem teria sido o autor. Mas o.que conheço desse assunto vem da teosofia , sobre as sete rondas e as sete raças: http://www.gnosisonline.org/antropologia/as-sete-rondas-planetarias/ http://www.gnosisonline.org/antropologia/as-sete-racas-raizes/
  9. Normalmente nesse tipo de magia nunca é o mago a fazer nada. É um trabalho em equipe, ele reúne materiais que possuem determinadas energias próprias, de acordo com sua natureza, mas que são necessárias ao trabalho planejado. Os espíritos que ele invoca é que pegarão essas energias e usarão de acordo com a metodologia que em geral só eles conhecem, porque trata-se de trabalho em outra dimensão, que tem suas próprias "leis da física". Normalmente o encarnado não conhece nada sobre isso. Por isso praticamente tudo que você vê por aí que recebe o nome de magia envolve o pretenso mago pedir para alguma entidade fazer algo, o que já mostra que o "mago" mesmo não sabe nada, não tem poder sobre nada, ele apenas terceiriza a tarefa. Se soubesse, faria ele próprio, sem chamar entidade alguma. Mesmo quando alguém junta materiais para fazer um trabalho, ele não está FAZENDO nada, ele está apenas entregando os materiais necessários ao técnico astral que é quem de fato fará o serviço. Em geral são "maquinas" astrais que são plasmadas e instaladas no local pelo técnico astral que foi contratado. Um trabalho só será cristalizado pelo encarnado que faz o serviço se ele conhece o mecanismo envolvido. Há coisas que a o encarnado pode fazer, usando visualização, plasmagens de formas geométricas, aberturas de portais etc... mas nesse caso ele precisa construir cada coisa dessas. E elas se dissiparão quando ele deixa de visualizá-las, motivo pelo qual rituais precisam ser repetidos regularmente se o objetivo for manter estável uma estrutura astral. Dependendo do que é feito ele também é responsável por mantê-las funcionando, mantendo-se focado nelas,o que exige energia . Então em geral o encarnado só pode fazer coisas que irão funcionar somente enquanto ele está focado nelas, o que limita sua atuação ao momento em que chega no local e atua na hora para resolver uma situação. Mas para mantê-las ativas por mais tempo ele precisa terceirizar a tarefa, já que encarnados precisam fazer muitas outras atividades pelo simples fato de estar encarnado né? Roger relato de ovóides.pdf Mas mesmo em astral se usa equipamentos, para ficarem ali funcionando no automático pelo tempo necessário. Se for trabalho de obsessão, costumam usar a próprio energia da vítima como fonte, daí a necessidade da vítima manter sua sintonia boa, para não permitir que esses dispositivos funcionem como projetado, e com o tempo sem uso eles podem se dissolver. Roger e Arnach dispositivos.pdf E aqui, da metade da página 90 em diante: Lacerda 1 Espírito - Matéria.pdf O caminho mais fácil é contatar a entidade que fez e convencê-la a desfazer. Se tiver que obrigá-la, vai ter que terminar a briga que começou, o que envolve uma briga com muitos espíritos, que precisarão ser capturados e destinados conforme a necessidade. Não é algo que se faça sozinho, mas sempre em equipe. É por isso que existem centros espíritas, centros de umbanda, grupos de apometria, etc. Mesmo quando você acha que é um só encarnado que faz, por trás dele em astral terá uma equipe grande para fazer tudo que é necessário e manter o encarnado em segurança. Não é trabalho para quem não é médium, não vê espíritos, etc. O que você pergunta esta tudo misturado. Se usa algo "dos astros", a energia é emanada deles. Você construiria algum tipo de receptor/acumlador para concentrar isso e depois irradiá-lo por um tempo. Dá para pensar em algo como carregar energeticamente um cristal associado a um planeta, no qual é depositada a energia relacionada a esse planeta, e esse cristal é colocado numa sala para ficar irradiando ali. Mas essas coisas são como baterias, precisam ser recarregadas. Se você é o canalizador de uma energia "planetária", está apenas agindo como um tubo, não é a sua energia envolvida. É como a diferença entre o Reiki e o passe: -no Reiki você não usa sua energia, você apenas canaliza uma energia EXTERNA, que é o Reiki. -Já no "passe" você emite a SUA energia vital, e ficará com menso energia após usá-la em alguém Mas se você usar SUA energia numa plasmagem astral, em algo que agirá como receptáculo acumulador, você terá que repôr. E ainda tem esse perigo sim: Porque o que você cria é seu "filho", e há um laço entre você e sua criação. E sabe-se que criações da mente humana , como regra, se tornam malignas após pouco tempo, talvez porque nosso ego é maligno, por natureza, diferente do espírito. Então qualquer coisa criada precisa ser mantida sob vigilância e dissolvida ao menor sinal de alteração. Como uma pessoa que não enxerga espíritos, plasmagens, energias.. poderia trabalhar com isso de forma competente? Não pode, portanto trata-se de cegos tentando montar ou desmontar uma bomba e achando que pode dar certo.... O caso mais famoso é o da Alexandra David Neel, sobre a criação de um Tulpa (pesquise no google se não conhece o caso), mas o risco se aplica a todo tipo de plasmagem que a garota adora: os papinhos sobre servidores, guardiões, protetores, corpo de luz, etc.
  10. Não entendi o que "entidades evoluídas" tem a ver com o tema. Se entidades negativas fizeram esses trabalhos, precisa que outras entidades desmanchem isso. Magia é trabalho técnico, nao ~sao coisas vagas como "energias pesadas no local", são equipamentos astrais montados ali para ficar funcionando NO LOCAL, não interessa a qualidade interiores dos moradores. Tem que fazer "refroma íntima" DO LOCAL, ehehhe. Se não desmanchar o trabalho, não tem reforma íntima dos moradores que resolva a parada, a´te porque reforma íntima de qualquer um desaba na primeira unha encravada, diarréia ou gripe, pois se fica doente sua aura fica frágil, e pronto, está vulnerável e aí o efeito do trabalho te atinge. Trabalhos precisam ser desmanchados, ou se tornam uma bomba relógio pronta para estourar no primeiro vacilo. Bom, não deveria se for um centro de trabalhos com entidades que estão ali fazendo sua função para ajudar ou para LIMPAR SUA PRÓPRIA BARRA. Entidades evoluídas não fazem esses trabalhos PARA PREJUDICAR, mas entidades evoluídas não ajudam a desativar os trabalhos feitos pelas entidades negativas?? Vamos tirar o evoluídas do jogo, porque entidades evoluídas mesmo nem ficam se comunicando com encarnados, porque já estão distantes do nosso plano e fica difícil para elas. As entidades que ainda se comunicam conosco estão ainda trabalhando na própria evolução, algumas estão bem melhores que qualquer encarnado, outras nem tanto, e outras são entidades negativas que perceberam o erro e agora trabalham em grupos de desobsessão ajudando a desfazer o mesmo tipo de mal que elas antes faziam. É uma forma de ajudar os outros e de se ajudar. Assim como projetores podem fazer amparo no astral sem serem "evoluidos", ou no físico, se por exemplo tem o Reiki, e io não os torna melhor que o vizinho em nada, também entidades que trabalham nos grupos de desobsessão tem capacidade de ajudar, mas nem por isso são "mentores", embora esses grupos sempre tenham algum mentor mais evoluído, responsável por manter essas entidades de menor evolução na linha, desde que o próprio grupo não se abra (através de suas más atitudes com encarnados) para a atuação de entidades negativas que aí sim fingirão ajudar mas acabarão criando mai problemas. O grande desafio é achar um grupo de trabalho em que OS ENCARNADOS sejam minimamente evoluídos, para que não sejam instrumento de entidades negativas disfarçadas de mentores.
  11. O livro está anexado abaixo: uma_prova_do_ceu_-_alexander_iii__dr._eben.pdf
  12. Uma coisa que eu achava estranha no meu grupo é que sempre apareciam rolos de obsessão ligados aos membros do grupos. Trabalhava-se um tempo 2 ou 3 semanas com um , então aquilo passava e acontecia com o outro. Depois li num fórum, de uma pessoa que trabalhou com apometria, que é comum isso: primeiro se trabalha com os obsessores dos membro do grupo, acho que para dar uma limpada e o cara poder trabalhar mais leve. Já que você é novato, deve ser a "bola da vez" no seu grupo. Deve notar isso por umas poucas semanas, então vai passar. Mas é por ciclos, as vezes após uns meses tem um novo trabalho com as mesmas pessoas.
  13. Você tem que focar em recriar imaginariamente as sensações musculares, corporais, que teria ao fazer isso numa corda. O foco NÃO é na corda, mas no esfoŕço para puxar por ela. O que voce sentiria nas suas maos? Mos seus ombros?, nos seus bracos? Nas suas costas.. ao puxar-se por uma corda?? É NISSO que você precisa focar, no que sentiria se aquilo fosse real. Não precisa ir longe e viajar na imaginacáo, bastam tentativas de 3 bracadas de cada vez. Não funcionou? Concentre-se melhor em uma nova tentativa de tres braçadas... não fincionou? Concentre-se melhor numa nova tentativa de 3 braçadas... E fique fazendo isso, focando na qualidade da imaginacao, para que seja o mais realista que conseguir. Quando você fsz direito, na primeira ou segunda braçada já te gera um inicio de EV e na proxima voce já é arrastado para fora do corpo, como se uma banana tivesse sido fisgada por um anzol e quando o pescadro puxa a linha, a banana sai de dentro da casca. É o foco nas sensaçoes de saida do corpo que faxem a técnica funcionar, não é ficar dando muitas braçadas sem atençao suficiente.
  14. O mais provável é que seu medo tenha plasmado o que viu na cama. Em geral só vemos a cama vazia. Se ver seu corpo também desconfie que deve ser plasmagem. Sobre o cordao fino atravessandoa tv, é impossivel saber do que se trata sem seguir o fio e ver onde vai dar.
  15. NENHUMA forma astral merece credibilidade, a gente usa a forma que quiser, ou pode optar por nao usar nenhuma, se o que for fazer não precisar de maos para agarrar coisas.