Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

adler

B-Membros
  • Posts

    14
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by adler

  1. Bom, tontura pode sim ser um reflexo de muito esforço – obviamente, não sou especialista para poder formular a resposta com certeza. Talvez existam sonhos lúcidos e sonhos lúcidos. Alguns mais trabalhados que outros. Você parece ter experimentado emoções bastante fortes, então isso abre um enorme leque de possibilidades, inclusive uma certa “chacoalhada” entre espírito/corpo, no caso de não ter sido 100% criação da sua mente. Pode ter sofrido influências externas, numa espécie de “transe” que ficaria entre a classificação de sonho e oobe. Se fosse algo assim, como seu corpo reagiria? Há ainda posições em que você estava durante o sono. Existem posições que dificultam a circulação de sangue para o cérebro e, no caso de sonhos lúcidos, as partes ativas deste órgão são diferentes das utilizadas em sonhos normais – embora existam intersecções. Pode ter havido uma demanda de sangue mais do que o habitual, resultando em tontura, da mesma forma que ficamos tonso se assoprarmos com força durante uns 30 segundos. Maximize isso pelo tempo de um sonho e você terá algumas horas de fadiga “cerebral”. Enfim, foi uma experiência sua, não posso afirmar nada com certeza. Apenas formular hipóteses de forma leiga . Mas continuo achando que a chave para o cansaço é sim o sonho lúcido, seja pela sua extensão, vivacidade ou alguma outra propriedade relacionada.
  2. Posso estar errado, mas, quando você sai do corpo, o mesmo descansa, sendo que suas experiências são vivenciadas não pela sua mente física. Em sonhos lúcidos é diferente, já que sua mente teve de se esforçar para criar aquela ilusão que você vivenciava. Quanto mais real e complexo um sonho, mais “processamento” será demandado do seu cérebro, o que é um tipo de exaustão – motivo pelo qual muito aluno se cansa mais fazendo vestibular do que fazendo musculação. Em minha opinião se resume a isso: você se desgastou para criar o sonho. Ele pode até mesmo ter sofrido influências exteriores, mas a “magia” da ilusão fica a cargo de sua mente naquele momento e, como foi um sonho bem realista, como você citou, dai o esforço acima da média .
  3. Obrigado, estou dando uma estudada no livro. Realmente, há muito o que se ler sobre determinados assuntos...
  4. Obrigado, Kadusamp, ajudou sim. Vou dar uma lida com calma no livro . Não sigo nenhuma seita propriamente dita, porém fui criado no espiritismo, tendo posteriormente buscado conhecimento em áreas correlatas pois considero o espiritismo um pouco fechado em certos aspectos. Pratico meditações e cultos no mínimo semanalmente (meditações em base diária normalmente) – por culto entende-se uma conversa aberta com meus mentores, mesmo que muitas vezes seja uma conversa de apenas uma via. Sempre levo meus estudos espirituais para o que considero evolução. Em magia, por exemplo, pratico/estudo apenas magia branca. Minha alimentação é vegetariana e assim tem sido nos últimos seis anos sem problemas. De uns meses pra cá tenho migrado para uma dieta vegana. Não bebo – embora já tenha bebido no passado – e a única coisa que consumo que me tira do centro é o café, porém já sei que chegou a hora de parar. No fim das contas busco me abster de qualquer alimentação pesada no meu tempo de vida e considero isso completamente possível. Os últimos dois anos foram de muitas provações devido a burradas que fiz em minha vida financeira, então os momentos de depressão se tornaram mais normais do que habitualmente. Sou uma pessoa calma por natureza, mas tenho passado por maiores preocupações e talvez isso também seja algo a considerar. É claro que tenho algumas ideias sobre o que está acontecendo, entretanto, fiz o post de forma neutra para não influenciar possíveis respostas. Acredito que ao “retomar” a busca – pois eu estava estagnado em meus estudos espirituais – talvez eu não tenha me preparado devidamente antes de “por a mão na massa”. Posso ter criado alguma forma de pensamento ou mesmo ter dado espaço para alguma entidade me vampirizar. Não sei. Sempre tive problemas com o sono excessivo, mas nunca nada parecido com o que estou vivenciando atualmente. Agradeço novamente a atenção!
  5. O caminho das pessoas no curso de diferentes religiões é mesmo algo interessante Uma mesma filosofia pode libertar a uma pessoa, enquanto aprisiona uma segunda. Todas religiões, de certa forma, me parecem uma representação da verdade, embora variem na riqueza de detalhes e em quais detalhes se permitem ou não representar. É como um desenho de corpo humano. Uma criança ou um adulto pouco atento pode desenhar um homem palito, o que não deixa de representar uma verdade, que seria um humano. Por outro lado, existem Michelangelos e daVincis, que representam algo com maior perfeição e, ainda, podemos contar com relevos e desenhos egípcios, que limitavam-se a representar as pessoas numa perspectiva não realista sem nem por isso dar menos ênfase ao “humano” na representação. O que mais se vê em centros espíritas são pessoas que deixaram pra trás o catolicismo, protestantismo ou alguma outra religião, encontrando agora “toda” a verdade mas, no fim das contas, é apenas uma nova visualização da verdade – talvez mais ampla, mas nem por isso carente de maiores detalhes. Tenho bastante contato com o espiritismo, embora também estude outras abordagens espirituais, exatamente por saber que cada uma delas consegue andar até certo ponto, para então sempre deparar-se com o desconhecido, que acaba tomando forma de “proibido”. A federação espírita no Brasil, por exemplo, desaconselha leitura de Rochester e Ramatis, entretanto são literatura de inestimável valor (em minha opinião). É uma caminhada e, certamente, das mais incríveis. Seja bem vindo, Gregório!
  6. Bom dia, amigos. Após um longo período sem muita prática no campo de projeção, voltei a me aventurar, na esperança de ampliar meus horizontes. Passei a usar técnicas de projeção – embora tenha apenas chegado ao EV – e, no geral, tenho prestando mais atenção aos meus atos, hábitos e consciência espiritual. Acredito que todos estes critérios andam juntos. Entretanto, segue o problema: Desde que voltei meus pensamentos para as praticas citadas acima, venho sentindo um sono inexplicável e avassalador. Durmo uma média de dez a onze horas por noite, além de tirar mais um ou dois cochilos de meia hora cada ao longo do dia. Não é questão de preguiça, é um sono que chega e te derruba! Até consigo manter-me acordado, porém ,os pensamentos começam a se embaralhar de tal forma que não consigo escrever uma linha ou seguir um fio de pensamento até o fim enquanto não tirar o cochilo. Possuo costumes de vida diferentes das pessoas que me cercam, indo desde a alimentação vegetariana até o fato de não conseguir encarar certas formas de ganhar dinheiro e... Enfim, meu ponto é, sempre levei a vida de forma pouco convencional, contudo, nunca fui invadido por um sono desses. Meus dias estão tornando-se paulatinamente menos produtivos e isso esta atrapalhando muito minha vida. Gostaria de saber se algum dos amigos consegue traçar uma ligação, do tipo “você está abrindo sua mente e o sono é conseqüência de determinado fator”, ou talvez isolar estas hipóteses. Neste momento qualquer espécie de guia seria mais do que bem vindo. Gozo de perfeita saúde e, nos momentos em que o tal sono não me toma, sou produtivo, geralmente feliz – mesmo em épocas de dificuldades. Agradeço desde já a atenção e desejo a todos um ótimo final de ciclo =)
  7. O que sempre digo para minha companheira, que morre de medo de tais previsões é a conclusão lógica que cheguei (obviamente, opinião é coisa pessoal e posso facilmente estar errado): Que estamos em uma época de mudanças, não há como negar. E, se há algum tipo de negociação antes de podermos reencarnar, tenho certeza de que muitos de nós pediram muito para nascer numa época em que é possível auxiliar nosso planeta numa evolução coletiva. Entretanto... Não há aprendizado em simplesmente acabar. Acho que o mais natural é que destruamos tanto o planeta, nós mesmo, humanos, sem ameaças divinas ou de alienígenas, que, em dado momento, o estrago seja irreversível em tempo hábil para nossa civilização. Acredito que consequências como esterilidade em massa e surtos cada vez maiores de câncer, além de possíveis falhas em sistemas computadorizados, limparão a maior parte do planeta de forma rápida e eficiente. Porém, a raça humana como um todo, possui uma dívida para com o planeta e, aqueles que aqui ficarem, serão os mais fortes moralmente, no sentido de que somente desta forma poderão, com muito conhecimento – o que é inegável que temos em certas áreas – e mediante muita paciência, reconstruir a sociedade, desta vez auxiliando o planeta a se recuperar da enorme deficiência de recursos que estamos criando. Acabar em um dia? Não, fácil demais. Ninguém aprende nada com isso.
  8. Boa noite, amigos. Como expliquei anteriormente, embora há cerca de uma década eu venha tentando experimentar como é desprender-me de meu corpo, nuca obtive êxito. Depois de encontrar este site há poucos dias, resolvi tentar novamente, desta vez com mais esmero do que de costume. Hoje dediquei minha tarde inteira em diferentes tentativas. Num primeiro momento, fiz um relaxamento e tentei, em posição o mais confortável possível, utilizar de diferentes técnicas que li a respeito tanto aqui quanto em outros lugares. Não cheguei perto do que eu chamo de sair do corpo, porém tive a impressão de que estava em contato com entidades não encarnadas. Foi uma espécie de diálogo cheio de afirmações e diferentes perguntas, nada muito ordenado, porém de forma bastante lúcida. Cheguei a conversar brevemente com alguém que identificou-se como minha prima, porém eu talvez estivesse não sabendo interpretar o que acontecia. Desisti após todos os cachorros da região começarem a latir com tanto entusiasmo que não houve como manter a concentração. Numa segunda tentativa, pouco depois, perdi um pouco da lucidez e acordei bruscamente, com um estrondo agudo e a sensação de ter sido arremessado com muita força contra meu próprio corpo. Decidi então descansar um pouco, dormir mesmo. Como sempre o faço em posições nada relaxadas, adotei uma das que mais me faz recobrar as energias, que é parecido com a posição de um feto. Desta vez aconteceu algo engraçado. Não consegui dormir e comecei a sentir uma sensação muito forte, vinda do centro do meu peito. Era como se eu estivesse me expandindo. Não sei exatamente explicar, mas era algo muito forte mesmo, uma espécie de orgasmo que, ao invés de se concentrar na parte inferior de meu corpo, agia sobre meu peito. Passava a impressão de que, uma vez terminado, me levaria para fora do corpo. Porém, quando foi chegando ao seu fim, percebi que não conseguiria me desprender e então fiz muita força, como que buscando evitar que ele acabasse. Continuei na mesma posição e num período de cinco minutos a mesma coisa aconteceu outras duas vezes, nas quais prestei ainda mais atenção quando a sensação se iniciava. Novamente acabou da mesma maneira, mas estas duas vezes foram ainda mais intensas, senti meu coração acelerar rapidamente. Mudei por fim de posição mas não consegui mais nada, de modo que desisti de tentar qualquer coisa hoje. Gostaria de saber daqueles mais experientes qual interpretação tiram do que descrevi, se possível. Muitos por aqui parecem pessoas muito vividas no campo de espiritualidade em geral, então acho que a opinião de alguns pode me ajudar a compreender a mim mesmo neste quesito. Obrigado
  9. Bem, meu nome real é Cássio, porém adotei o nome de Adler numa sucessão de fatos que não cabe ao momento por ser de difícil explicação. Basta saber que Adler é como gosto de ser chamado Já estudei um pouco sobre projeção astral, aventurei-me no campo de sonhos lúcidos e sou um eterno estudante. Ok, todos somos, mas sou daqueles que mantém esta afirmação sempre em mente. Acredito que, independente da natureza primordial e do porquê por trás da existência de qualquer coisa, há apenas o princípio imutável de que tudo sempre está em equilíbrio, de forma que o que nos acontece é meramente resultado da balança ajustando-se às nossas ações, tanto como indivíduos quanto como coletivo, seja este coletivo uma raça, espécie, espíritos... Não importa. Fiquei muito impressionado com a qualidade do site – da apresentação visual até o conteúdo e a educação de todos. Sinto falta de mais refúgios deste tipo na internet. Enfim, acho que é isso. Ao menos é um começo! Muita luz para todos!
  10. Peço desculpas pois, navegando agora, percebi que abri este tópico na parte errada do site. Peço que um moderador, so for possível, realoque este post ou me responda se isso for tecnicamente inviável para que eu possa apagar e reabri-lo no devido lugar. Obrigado
  11. Primeiramente, parabenizo a todos por uma discussão extremamente construtiva ou, ao menos, deveras interessante. Fiquei inclusive impressionado com a qualidade do português em geral utilizado por todos Como expliquei no primeiro tópico que abri por aqui – fora deste em específico – sou completamente iniciante, ou melhor, aspirante a alguma coisa, em termos de projeção astral, portanto, quem lhes fala é um cara que nunca tirou os pés do chão rs. O que consigo conceber é a ideia de que, realmente, tempo é um conceito muito relativo. Acredito que de fato o tempo não é linear e, se for desta forma, o “nascimento” de um espírito seria algo atemporal ou, indo mais longe, todos nunca nascemos, já nascemos, já deixamos de existir e, em última instância, estamos existindo eternamente em um ponto cuja duração jamais será mensurável. Sobre a natureza de Deus, não tendo lido os livros mencionados ainda – embora os tenha colocado na minha fila de livros de cabeceira – acredito desde muito cedo que sim, somos partículas de um todo que em dado momento se dividiu – lembrando que a ideia de “dado momento” cai na mesma teoria de tempo não mensurável – por motivos que ainda não somos capazes de compreender. Esse “todo” não estaria enfraquecido e não seria nem mesmo menos poderoso, uma vez que, se tempo é algo relativo, espaço e qualquer coisa mensurável também o seriam, nos deixando como resultado um infinito poder de criação e existência, onde uma subdivisão jamais enfraquece sua camada superior. Parabéns novamente pelo tópico. Acompanharei as mensagens com muito gosto!
  12. Alguma coisa aqui me lembra muito "Ilusões" de Richard Bach
  13. Alguma coisa aqui me lembra muito "Ilusões" de Richard Bach
  14. Bom dia, amigos Como podem ver, sou novo no grupo e gostaria de um auxílio no que diz respeito a projeção astral. Sou uma pessoa de mente bastante aberta, pesquisador de diferentes filosofias buscador de ascenção espiritual dentro do que seleciono em meio ao mar de conhecimento que o mundo nos proporciona e considero como positivo. Tentei em diferentes momentos da vida “sair do corpo”, que foi o termo que a pessoa que me apresentou a ideia ensinou. Tentei diversas formas, sempre sem sucesso, porém, de todas elas, uma foi a que mais se aproximou – ou, ao menos, assim eu considero: Deitado de barriga para cima e em ambiente calmo, começo a relaxar, como que buscando meditar. Conforme minha mente se esvazia aos poucos, começo a prestar atenção em cada centímetro do meu corpo e induzi-lo ao sono, enquanto mantendo a mente acordada. Neste ponto já tentei imaginar faixas de luz percorrendo meu corpo, chamas violeta e todas as tantas variações que lemos por ai, sendo que o resultado não varia muito independente disso. Após cerca de dez a quinze minutos, sinto uma forte sensação, como se meu corpo estivesse afundando no colchão ou superfície em que eu esteja deitado. Neste ponto, começo a fazer como se fosse “força” para desprender-me do corpo. Chego a sentir meus braços soltando-se, mas é como se todo o restante pedisse por mais força (ou fé, credo, seja lá o que for). Entretanto, se aumento a força, acabo abrindo os olhos involuntariamente e todo o processo precisa ser reiniciado. Sei que há inúmeros tópicos com diferentes formas de proceder, porém, sendo que este tipo de experiência varia imensamente de acordo com a pessoa, pensei que talvez alguém com mais experiência pudesse dar uma opinião de maior peso no meu caso em específico. Detalhe é que, na posição citada, não consigo passar mais de uma hora pois, após este período de tempo, começo a sofrer com extrema do de cabeça, decorrente do peso depositado sobre um calo que tenho de nascença na parte de trás da cabeça. Agradeço desde já e desejo muita paz na vida de todos - aproveito para parabenizar pelos site!
×
×
  • Create New...