• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Amarildo

Administrators
  • Content Count

    116
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Amarildo last won the day on December 26 2016

Amarildo had the most liked content!

Community Reputation

56 Excellent

About Amarildo

  • Rank
    Membro Iniciando (100+)

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Sempre que quiser fazer alguma edição e esta não for permitida pelo fórum, basta entrar em contato com um administrador
  2. Já passei por isso algumas vezes. Não lembro o que causa isso, só sei que tive de perceber essa falha, esse desvio, e trabalhar o consciente, me esforçar e botar na cabeça que o comportamento que eu tive algumas vezes no astral é inaceitável. Depois disso não tive mais esse tipo de episódio. Acho que depende do emocional também. Certamente eu estava passando por tempos ruins que, naquele momento, não conseguia identificar, mas agora consigo. Tenta dar uma olhada pra si, ver o que pode estar causando isso. Meditar ajuda muito.
  3. Pense que todos tem a capacidade de andar, e todos saem andando enquanto dormem. Ninguém sai andando de dia, mesmo tendo capacidade pra isso, as pessoas acham que não conseguem. Se você der uma muleta pra alguém que está aprendendo a andar, pode até funcionar, mas é só uma muleta. O mesmo vale para muletas projetivas. Você tem a capacidade para sair consciente usando só os seus corpos naturais. Pode adicionar arvas, cristais, o que for? Pode, mas são muletas pra quem tem a capacidade de não usá-las E se faltar a plantinha, como faz? Abraço
  4. Pode ter sido o processo de saída. É realmente uma das melhores sensações que alguém pode experienciar. Isso, claro, se o EV não for muito forte, porque é como tomar um choque na tomada! Eu acho que você QUASE saiu. Vivenciou parte da saída, mas parece não ter passado disso. Quando você sai, você tem certeza que saiu
  5. Interessante. Achei que o processo de encarne fosse "protegido", que o abuso de substâncias que alteram a consciência não influenciasse em quem fosse nascer ali. Mas até que faz sentido, se os pais não são responsáveis com o próprio corpo, devem aprender as consequências da maneira difícil.
  6. Percebi que para fazer trabalho voluntário no astral é preciso não conhecer muito da história da pessoa nem ter conexão com ela. Acabei de ver o video (de 42 min) do suicidio de Katelyn Nicole Davis. Olha, eu ja vi gente morrendo em um milhão de cenários. Nunca me conectei com nenhuma delas e nunca chorei (nem quando ouvi os gritos de umas 5 crianças presas numa creche pegando fogo), e sempre antes de dormir juntei energias da Terra entrando nos pés (laranja grosso, como gema de ovo) e branca do Sol entrando no topo da cabeça, e sempre pedi aos mentores e imagino todas aquelas pessoas ali na minha frente recebendo um bom banho de energias junto com um desejo de melhora (até porque, muitas se envolveram com o que não deviam) e sempre me sinto bem fazendo isso. Para algumas eu as abraço e brilho um branco forte que clareia todo o ambiente, e faço-as brilhar também. Mas hoje, ao ver o video citado, parece que eu pude sentir a dor que ela sentiu. Não tive como conter as lágrimas ao ouvir a voz dela, as confissões, o choro e o dela. E foi raríssimo, mas eu não quis ver ela se enforcando, não consegui. Acho que tive uma certa agonia pensando que podia ser minha irmã lá e acabei imaginando isso. Enfim. Mesmo aos prantos, fiz o mesmo procedimento, mas dessa vez foi com ela sozinha. Imaginei ela, fui e a abracei, e disse, entre tantas coisas, que eu sentia muito pelo o que tinha acontecido e que eu queria muito poder ter ajudado ela antes do ocorrido. Depois de me acalmar, fui tentar me imaginar caso os mentores me colocassem na frente dela para fazer amparo e não consegui manter a compostura e chorei novamente. Seria muito constrangedor pra ela isso, "po, o cara vem me ajudar mas acaba de colocando pra baixo novamente?" hehehe. Estou chorando muito, até agora enquanto escrevo isso. Ou seja, até mesmo pra mim que sou um cara bem frio quando se trata da morte, tem casos em que é melhor me afastar e deixar que alguém mais equilibrado e sem conexões faça o trabalho.
  7. Você pode meditar sobre isso e ver o que vem a mente. Pode procurar ajuda psiquica também, alguém que te ajude a fazer uma regressão ou buscar lá no fundo o que está acontecendo.
  8. O tamanho e cor da bola importam? Tenho a impressão que se a bola for muito grande, acaba estimulando outros chakras também.
  9. Acho que já é a vigésima vez que eu tenho o mesmo sonho bizarro. Sabe aqueles sonhos que não são sonhos normais, eles parecem implantados na sua mente? O sonho é sempre em relação a um shopping center aqui na cidade. É sobre o elevador e acho que sobre as fundações. Começa comigo subindo as escadas, com medo de elevador, coisa que não tenho. Alguns detalhes mudam, mas o principio é sempre o mesmo: essa m******* vai cair. Hoje, após subir as escadas, vou entrar no elevador e encontro com um rapaz que parecia conhecer. Peço a ele "você não tem medo de elevador?", já com receio de entrar. Um pé meu já estava dentro, quase que eu entro, mas na ultima hora eu saio. A porta quase fecha antes de mim, quase pegando a minha perna. Ao sair, umas garotas estavam na escada dizendo "entraa! Entraa!", mas eu disse que não. Elas pareciam desapontadas. Na metade dos degraus, olho para o elevador sabendo o que ia acontecer. Vejo os cabos se rompendo, e o elevador começa a despensar em velocidade de queda-livre. As garotas e todos ao redor começam a gritar. Eu grito "EU SABIA QUE ISSO IA ACONTECER!! EU SABIA!". Eu e muitas outras pessoas vamos até onde o elevador caiu, que é muito abaixo do térreo. Lá, o rapaz ainda estava consciente. Ao chegar lá, percebemos que uma garota estava tentando salvar ele, amarrando umas cordas grossas ao redor do elevador. Ela estava disposta a perder sua vida por ele, mas todos nós sabíamos que não ia resolver. O rapaz estava preso às ferragens, e o elevador não tinha caído tudo que podia cair. Os cabos de aço novamente começam a se romper, e eu grito para a garota sair dali depressa mas ela continua até o último segundo. Não conseguimos salvar o rapaz. Mas agora começa a parte mais bizarra. De alguma forma, eu SINTO que tem algo ruim lá embaixo. O que é esse "lá embaixo"? Imagine que o elevador tem um limite para ir para baixo, que é abaixo do subsolo. Esse limite já é uns 6 metros abaixo do subsolo (no meu sonho). Se você chegar lá, você já consegue se sentir envolto em energias ruins. É uma área escura, parece ser velha e mau assombrada, coisa de filme mesmo. Mas o "lá embaixo" não é ai, é muito mais abaixo. Nesse lugar, nesse limite, há uma passagem no chão. Essa passagem é coberta por grades. Se você entrar ai, você vai descer até "lá embaixo". Vamos chamar esse "Lá embaixo" de "o porão". Ao adentrar o buraco que desce ao porão, me sinto como se tivesse no pior lugar que alguém pode estar. O lugar é gigante, no mínimo as paredes tem a circunferência de um quarteirão, e elas possuem buracos que dão a outros lugares. Lá sinto que mora uma "entidade mestre", de aparência e energias femininas. Essa entidade é a chefona, ela é extremamente maligna. Não sei o que ela fez com o rapaz que caiu lá, mas certamente quer fazer o mesmo comigo. Ela me persegue, eu preciso fugir até a superfície novamente. Ir só até o limite do elevador não adianta pois ninguém vai lá, é super escuro, não é um lugar seguro. Eu subo uns 20 andares e ela continua a me perseguir, e o rapaz também. Esse sonho de hoje foi diferente pois geralmente quem está no elevador sou eu. Hoje é como se eu estivesse vendo o que acontece comigo nos outros sonhos! Nas outras vezes, que foram quando EU estava no elevador, o acidente era assim: ou ele subia sem parar, até bater no teto e voltar caindo, ou ele simplesmente caia uns 50 andares e eu ficava lá sentindo as mesmas energias que comentei anteriormente. As vezes o elevador caia até o limite, as vezes ia até o porão. (aqui tem um video que eu achei de como é estar no sonho. É exatamente assim: https://www.youtube.com/watch?v=JWABD4xP-f8) O que eu acho disso tudo: alguém está tentando me contar uma história, me mostrando o que aconteceu e pedindo para que eu vá investigar. O que você acha?
  10. As vezes levantar não é suficiente, então você precisa sair correndo dali, para longe do corpo físico. Não precisa ser CORRENDO propriamente dito, mas quanto mais depressa melhor pois os efeitos de estar perto do corpo podem ser devastadores para a experiência. Certa vez eu estava rastejando perto do corpo e parecia pesar uns 100 Kg a mais.
  11. Método garantido eu também desconheço. Isso no físico, porque em astral eu sei "clicar" pra que o EV seja instalado em 1 segundo, desde que eu não esteja perto do corpo físico senão fica tudo travado (energias, movimentação do corpo astral, etc). Eu não confio 100% em sensações enquanto no físico. Uns arrepios aqui, cócegas ali, choquezinho..... Como não vou saber se é placebo ou algo do corpo mesmo? O máximo que eu tenho alcance é fazer as técnicas direitinho e torcer pra que dêem certo. Eu só tenho certeza fora do corpo. EDIT: Acho que a única vez que eu confiei no EV no físico foi quando eu voltei de uma experiência com os ouvidos zunindo (parecia que eles iam explodir) e com o corpo todo levando um choque que parecia de 220V.