• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

lgomes

B-Membros
  • Content Count

    220
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    7

Everything posted by lgomes

  1. Então, eu entrei no blog por curiosidade, mas confesso que não simpatizei muito. Não sei extremamente o porquê, mas tem algo ali que não está de acordo, talvez um pouco fantasioso...sabe lá, pode ser somente uma má impressão.
  2. Dá uma olhada neste post...no astral fazemos coisas estranhas, mas que algumas vezes trazem nossa essência à tona, em alguns casos é falta de lucidez mesmo...também já tive atitudes no astral que não teria aqui.
  3. E assim voltamos ao umbral velho sem porteiras....eheheh Mas que coisa Sandro... pra que esse negócio de emitir energia...deixa o moço sossegado com sua modesta plasmagem! Ehehe
  4. Hahahaha, mas vc tem está bem de plasmagem hein!!! Channing Tatum é golpe baixo! Ehehe
  5. É, acho que vcs homens sofrem mais com essa questão sexual, sei lá se é devido à ação dos hormônios...mas eu por ser mulher não me afeto não...pode passar sem roupa do meu lado que eu ignoro... ehehe Agora, o temperamento no astral é um mistério mesmo... eu em projeções lúcidas sou bem zen e equilibrada, como luto para ser em vigília... mas em sonhos não lúcidos a coisa é mais “faca na caveira” já me vi caçando vampiros com arco e flechas, manuseando espadas, estapeando demônios em ringues ao estilo MMA, olha, é um negócio que chega a ser medonho... estilo Kill Bill. Eu confesso que tenho um temperamento forte, mas me policio demais! De fato me considero uma mulher bem corajosa e apesar de ser feminina, mãe e esposa...não sou de muito mi mi mi, se precisar tirar o salto e ir pro braço, vamos lá... affff Haja encarnação pra melhorar isso tudo... eheheh
  6. De verdade não sei. Eu sou muito crítica, tanto comigo mesma, como com os outros. Muitas vezes sou até intolerante. Se tenho algo em comum com pessoas “barulhentas” de verdade não reconheço, afinal acredito que atraímos os semelhantes e repelimos os diferentes na maioria das vezes, esse negócio de que os opostos se atraem nunca colou pra mim. Se estas pessoas fossem semelhantes eu chamaria de amigos e não teria tanta aversão...não faria muito sentido essa intolerância.
  7. Ah Sandro, essas vampiras estão meio caidinhas, veja as do Van Helsing: eheheh Agora que o Albaman vai andar com o pescoço exposto no astral. Eheheh
  8. Verdade Sandro, acho que é nesse ponto que a coisa pega mesmo...e infelizmente é oque mais vemos. Eu tenho essa questão em relação ao meu pai, mas quando percebo que estou me comportando como ele eu já: “formato meu HD” ehehe, não faz sentido repetir algo que condeno. Eu não sei se nos tornamos ou se sempre temos algo em comum com quem detestamos, acho que não é regra. Eu por exemplo detestava uma vizinha que tive, pense numa mulher que tinha uma voz estridente e alta...sério, aquilo me irritava muito(era uma maritaca escandalosa). Se dizia religiosa, era de frequentar a igreja e o marido era um bebum fanfarrão e ela ia no embalo. Eu sou exatamente o contrário, tenho uma voz grave e forte, logo, falo num tom mais ameno pra não assustar o povo, sou bem discreta e detesto escândalos... e detesto essa coisa de bebedeira e gentarada em minha casa... se pudesse, morava nas montanhas e em silêncio eheheh. Se tenho algo em comum com aquela criatura...desconheço. Então, acredito que essas identificações aconteçam, mas que não é regra não.
  9. Sim... sim, seres encarnados que buscam energias são considerados vampiros. Fiquei aqui imaginando um ser dentuço, olhos vermelhos e ainda por cima “pelado” affff, aí é demais. Eita criatividade... eheheh
  10. Bem, eu tenho um pequeno altar em casa, desde que eu era adolescente. Tenho algumas imagens de santos católicos, alguns de Umbanda e tenho até de candomblé, todas essas imagens são “cruzadas” no terreiro. Não tenho hábito de fazer entregas (oferendas) ali e nem de acender velas, pois prefiro fazer tudo isso em local apropriado no terreiro do qual faço parte. Esse meu altar é um local até decorativo eu diria, mas fica meio escondidinho no meu escritório, então nem todos podem ver. No passado eu costumava acender velas em casa, aquelas de sete dias, era uma atrás da outra, mas hoje não mais. Primeiro porque acho perigoso cair, ainda mais que tenho gatos em casa ( eita bichinho tinhoso), e também porque é uma recomendação do terreiro. Há quem diga que a luz das velas pode atrair espíritos que precisam de luz...sei lá, eu acredito que o que atrai espíritos são nossas energias e vibrações...também vejo a vela como uma maneira de se comunicar, não como uma maneira de iluminar algo ou alguém. Na Umbanda a vela tem um papel importante porque está muito presente em toda a sua ritualística.
  11. Uai! Vampiro anda pelado em astral? Afff, ainda mais essa! Eheheh Eu, como durmo com meu pijaminha, não passo vergonha no astral ahahahah. Bem, eu só vi meu reflexo duas vezes em projeção, uma delas estava com o mesmo pijama que me deitei e a outra foi mais esquisita. Ao me olhar no espelho, me transfigurei numa mulher com aparência de cigana, a única coisa que tínhamos em comum eram os cabelos pretos e a tatuagem que tenho nas costas...essa mulher era bem porreta, lembro que botou pra correr uns seres estranhos que vi ao longo da projeção.
  12. Eheheh, realmente, não somos seres humanos muito típicos....um pouco de maluquice faz parte. É, o TOC é mais comum do que imaginamos, certa vez comentei numa rodinha de amigos, sobre isso... e não demorou muito pra todos revelarem alguma mania ( loucura) que também tem ou tiveram... eheheh Conheço cada “ causo” que seria até cômico se não fosse triste ... Agora o porquê disso tudo é um mistério...
  13. Sabe, eu acredito que todos nós temos um pouquinho de TOC. Normalmente pessoas ansiosas, perfeccionistas e que não se permitem errar são as mais acometidas. Eu tive TOC na infância, meus pais iam trabalhar e eu ficava sozinha em casa até a hora de ir pro colégio, daí minha mãe dizia pra fechar bem a casa antes de sair...pra que né? Eu verificava mil vezes antes de sair. Minha mãe só descobriu quando eu comecei a chegar atrasada na escola e a Diretora entrou em contato com ela. Concordo com vc, a sociedade realmente não sabe compreender e nem ajudar o obsessivo-compulsivo, eu acredito que terapia cognitiva seja mais eficaz do que tratamento medicamentoso, mas enfim, cada um busca a ajuda de uma maneira. Tem um livro muito bacana a respeito: http://draanabeatriz.com.br/portfolio/transtorno-obsessivo-compulsivo-toc/
  14. Nossa que absudo isso!!! Eu sei que tenho muito que evoluir, principalmente quanto ao gênio forte, mas fico horrorizada com essa violência e com a falta de educação de certos tipos humanos. Me policio ao máximo para não prejudicar ninguém e para não revidar (oque às vezes não consigo evitar). Agora a abusividade deste senhor que se diz juiz foi demais...é umbral na veia mesmo, credo! Merecia tomar uma surra de Bíblia, com todo respeito ao livro...eheheh
  15. Obrigada por compartilhar! Quanto à Umbanda pelo jeito não muda muito de um terreiro para outro, se tiver algo diferente desconheço. No IIPC existem alguns cursos para desenvolver o parapsiquismo que devem ser bem interessantes, ( que nada mais é do que desenvolver a mediunidade) o complicado é dar cabo do que vem com esse desenvolvimento né... Lembro que foi bem na época que estava fazendo um curso no IIPC que durou meses, foi nesse período que comecei a ter episódios de pré cognição e muitas projeções...as projeções fazem parte, visto que lia muito a respeito e fazia técnicas, mas a pré cognição pode estar relacionada com a prática da OLVE...
  16. Aproveitando a conversa, fico pensando aqui...se formos pensar, a própria OLVE pode acelerar alguns processos mediúnicos, pois trabalhar chackras, pode promover descoloqueios e interferir nesses processos mediúnicos né?! O próprio Laercio Fonseca ensina nos seus cursos como desenvolver mediunidade e explica umas técnicas bem interessantes para a clarividência. Tenho curiosidade para saber que técnicas são utilizadas para desenvolver, pois na Umbanda é tudo muito na prática...concentra, toca o atabaque e a entidade vem ou não vem, não tem teoria ou técnica. Como era feito no terreiro que você frequentava Iogui? desculpe a pergunta, é curiosidade mesmo.
  17. Nossa, deve ser uma delícia participar de um curso desses!!! Você não vai Sandro? Ela bem que podia vir até Curitiba...eheheh. Eu até encararia ir até São Paulo, mas meu bebê ainda é muito novinho e depende muito de mim...quem sabe em um outro momento eu consiga ir.
  18. Eita! Comecei a ler o Livro do Rodrigo Medeiros ontem. Faz um tempinho que comprei, mas somente agora me animei. Confesso que também tenho receio...mas vou ler o livro até o final e ver se me animo a tentar alguma técnica. Lembro que quando "descobri" os vídeos do Saulo, também não botei muita fé...daí um belo dia tentei um EV...e para meu pavor deu certo e me projetei na primeira tentativa...ehehehe, (quase tive um treco), mas clarividência deve ser meio tenso.
  19. Hoje, tentando acalmar minhas inquietações, me deparei com esse texto. Boa leitura... e que possamos nos tornar pessoas melhores a cada dia que passa. Saravá! AS LIÇÕES DA ÁGUA ...ela nunca discute com os obstáculos, ela simplesmente desvia... Por isso, não gaste energia brigando porque fecharam uma porta pra você, procure as janelas! A água nunca discute com seus obstáculos, apenas os contorna. Mostrava-se várias paisagens com cachoeiras e se dizia q mesmo tendo muitas pedras entre elas, a água tão forte e tão delicada desviava de todas e abria um novo caminho para passar. “A ÁGUA VAI PELO CAMINHO MAIS FÁCIL” – Não pelo caminho mais curto, complicamos tudo, teorizamos, complexamos, valorizamos o trabalho árduo, o sofrimento. Para os sábios orientais, qualquer coisa que exija esforço demais não é natural. Ou as coisas acontecem naturalmente, sem desgastes, ou estamos atrás de alguma coisa que não corresponde às possibilidades do momento. O ego e a ansiedade é que criam o desejo de que os caminhos mais fáceis sejam também os mais curtos. “A ÁGUA FLUI POR ONDE É POSSÍVEL” – O rio não reclama, não pensa na distância a ser vencida, ele apenas flui, não tem ego, não se aborrece. Isso é sabedoria, deixar a vida fluir, sem se aborrecer, tendo confiança no Pai. “A AFINIDADE DISPENSA O ESFORÇO” – A água procura o úmido e o fogo procura o seco. Na natureza as coisas acontecem por afinidades, a água corre com mais facilidade numa superfície úmida, se estivesse seca seria sugada antes de fluir, o fogo se propaga melhor num material seco. Nas relações afetivas, nas amizades, nas parcerias de trabalho, as coisas também funcionam dessa forma. Não há esforço, tudo é gratificante. A afinidade une os corações de forma espontânea, não gera conflitos nem discórdias pelo poder. “A ÁGUA NÃO BRIGA COM OS OBSTÁCULOS” – Quando a água encontra uma pedra pelo caminho, ela não fica histérica, nem parada. Ela não perde energia e tempo por causa de um incidente tão sem importância. A água se desvia da pedra e segue tranquilamente. Em qualquer guerra, briga ou desavenças, os dois lados se machucam! Os desafios surgem para que possamos ultrapassá-los, sem raiva ou desespero. O ser humano é muito maior do que os obstáculos. Se alguém ofendeu, brigou, faça como a água, desvie-se desta energia densa, tenha compaixão e continue sua caminhada. “A ÁGUA TEM UMA MISSÃO A CUMPRIR” – Assim como o rio que tem o propósito de levar suas águas para o mar, nós também temos uma missão de vida a cumprir. O rio ao fluir, irriga as margens, deixa matéria orgânica, multiplica a vida por onde passa – humildemente, incondicionalmente. Qual a sua missão? Na nossa caminhada multiplicamos vida, irrigamos de amor as margens, somos solidários? “A ÁGUA SE ACUMULA ATÉ ENCONTRAR A BORDA MAIS BAIXA” – Diante de um buraco, a água vai para o fundo, se não encontrar saída, ela se acumula e preenche o fosso. O nível da água se eleva até encontrar uma borda mais baixa e assim ela sai do buraco e continua seu fluxo. Numa situação de dificuldade, deveríamos ir para o fundo, interiorizarmos até naturalmente encontramos a saída mais fácil (borda mais baixa). A água não vacila, não tem medo, não retrocede ante nenhuma queda e nada a faz perder sua natureza essencial. Ela permanece fiel a si mesma em todas as circunstâncias. É a lição da calma e da confiança na vida. “A ÁGUA AGITADA FICA TURVA” – Num lago ou rio, quando as águas estão muito agitadas elas ficam turvas. Quando nossa mente está muito agitada, com excesso de pensar, não é possível “ver o fundo”, interiorizar. Quando a água entra em repouso, novamente ela fica cristalina. Quando aquietamos nossa mente encontramos as respostas para todas as nossas questões. “O QUE MANTÉM A VIDA DA ÁGUA É O FLUXO” – Os grandes mestres perceberam que tudo na vida é fluxo, tal qual a água. A vida é mutação, ciclo, impermanência. A vida só se mantém por causa do fluxo. Fluxo não é “se deixar levar”, correr. Fluxo é entrar e sair, circular, é aproveitar o que é necessário e eliminar o que não serve mais. O acúmulo de todas as coisas, incluindo ressentimentos e bens materiais, não faz o homem mais feliz. “O OCEANO É GRANDE PORQUE FICA NO LUGAR MAIS BAIXO” – O oceano fica onde ninguém quer ficar, no lugar mais baixo. Todos nós queremos o pódio, estar “por cima”. Nossa sociedade é competitiva. Só é grande aquele que é humilde. A água não se esforça para ficar nos lugares mais altos, não tem intenção de ir para o topo das montanhas. Ela é o melhor exemplo do que significa servir. A missão da água é servir. Servir significa beneficiar, usar nosso talento e conhecimentos para colaborar com o desenvolvimento da sociedade. Quando descobrimos, que com qualquer trabalho, por mais humilde que ele possa ser, podemos servir a humanidade, percebemos que somo instrumentos de algo que ultrapassa o ego. O oceano é a receptividade. O oceano não tem preconceitos. “EXISTE UMA ÚNICA ÁGUA NO MUNDO” – A água que hoje existe na Terra é a mesma desde a sua formação. Ao beber um copo de água, não se bebe apenas água. Bebe-se a memória da água e toda a história do planeta. A água que bebemos hoje, já foi chuva, rio, gelo, já foi vapor, já foi lágrima, urina, orvalho. Esta percepção levou os sábios chineses a idéia de Unicidade. Para eles a água não é só sábia, mas, especialmente sagrada. Como a água é uma só, tudo no mundo é uma coisa só e se tudo é uma coisa só, quando se toca uma parte, toca-se o todo. E TUDO É SAGRADO. Baseado no livro “A Sabedoria da Natureza”- Roberto Otsu