• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Salokonir

B-Membros
  • Content Count

    3
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutral

About Salokonir

  • Rank
    novo Membro (1+)

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Sensata resposta Sandro. O fato de você citar conquistas materiais consideradas fúteis por muitos espiritualistas(coisas como faculdade, perder uns kilos, "vencer na vida") me fez pensar e abrir minha visão sobre o assunto; agora a pouco eu estava pensando sobre o sentido da vida, coisas como "se eu sou deus, então porque crescer na vida, ter um emprego? Etc..." "se eu sou eterno, então qual o valor de coisas momentâneas? No fim das contas não farão diferença alguma, que diferença fará daqui 10 trilhões de anos algo que eu conquistar nessa vida curta e miserável?". Eu estava meio perdido e ler isso me trouxe de volta a realidade um pouco. Sua resposta "pé no chão" me fez pensar e ver que conquistas materiais tem sim seu valor. E realmente, olhando bem, Kumaré ajudou essas pessoas muito mais do que algum guru cheio de verdades absolutas, que só sabem falar sobre vidas passadas e mundo astral... no fim das contas somos apenas macacos, nem tem muito sentido tentar compreender verdades universais nesta situação. Da mesma forma que acharíamos cômico uma formiga parada sem fazer nada pensando no sentido da vida, sendo que sua principal missão em vida é construir formigueiros, é meio cômico nós macacos quebrando a cabeça e ficando depressivos tentando resolver tais questões. E concordo, Krishnamurti acabou se tornando algo muito melhor do que o que ele foi planejado para ser. Fico até triste imaginando Krishnamurti como um pseudo Jesus. Desculpe pela demora na resposta, por certos motivos demorei 1 mês para retornar a este tópico e ler as respostas.
  2. Realmente Sandro, boa interpretação do documentário. Fiz errado ao desconsiderar as coisas boas que tudo aquilo causou, até por serem coisas triviais(perder peso etc...). Sobre o que você falou sobre o extremismo eu concordo, não sou cético fanático, eu não creio na existência do sobrenatural, eu sei da existência dele, que pra mim não é sobrenatural, mas natural desconhecido(creio que todo mundo com um pouco de experiência na espiritualidade compartilhe essa mesma visão), pois já aconteceram coisas comigo que comprovam a existência de algo além. Porém tenho que dizer que já não levo mais a sério médiuns, psíquicos, mesmo que o poder deles seja real, com certeza é facilmente distorcido pela mente, crenças. O médium fanfarrão vai ver o céu cheio de deleites e luxúrias "divinas", o médium de origem cristã vai ver jesus, o romantico irá romantizar tudo e verá batalhas de espada, magos negros, guerras, o new age vai ver o ashtar sheran e ets, o indu verá shiva, o médium gnóstico verá o ego dos outros e "seres terrivelmente divinos". Sempre tive preconceito com cientistas céticos que sempre tentam dar uma explicação científica para fenômenos sobrenaturais, mas ultimamente o conceito deles vem subindo comigo. Creio que você saiba disso, mas até os médiuns "fodões" da teosofia erraram, disseram que o irmão de Krishnamurti ficaria bem e ele morreu, não da pra acreditar que uma instituição que possua mestres que se materializam em carne e osso do plano astral não consiga curar alguém com tuberculose, sendo que a morte desta pessoa faria o futuro jesus(krishnamurti) de acordo com eles abandonar sua missão. Estou começando a ter raiva da espiritualidade, pois ela não leva a absolutamente lugar algum. Só serve para criar a crença de haverá algo melhor no futuro, ou que sua vida continuará depois da morte, ou que quando você alcançar a iluminação tudo ficará bem. Olhando o documentário dava pra ver que aquelas eram pessoas emocionalmente fracas que estavam lá provavelmente apenas em busca de consolo emocional e alguém para dar-lhes falsas esperanças, muitos nem ligaram do cara ser um falso guru, pois aquelas pessoas não estavam realmente interessados em espiritualidade, provavelmente queriam um amigo sábio que pudesse aliviar suas dores, melhorar suas vidas, ou dar um sentido a ela. Queriam uma autoridade divina que esta sempre certa, e o fato dessa autoridade apenas falar coisas que os faziam sentir bem e felizes, já foi o suficiente para torná-lo um mestre para eles. No caso dessas pessoas, talvez um psiquiatra não tivesse tanto efeito, já que não teria a mesma autoridade que um "guru divino" teria na mente deles. O link do pdf não tava pegando mas achei em outro lugar, valeu pela recomendação Sandro.
  3. Documentário sobre um descendente de indianos que decide se tornar um falso guru e ver no que dava(não lembro o principal motivo dele ter feito isso agora, creio que a motivação dele era alertar as pessoas sobre falsos gurus e o quão fácil é conseguir discípulos e manipular massas, mesmo sendo alguém totalmente ordinário) http://online.hdmovieplay.com/play.php?movie=1865425 O que eu curti no documentário foi principalmente me mostrar o poder de auto sugestão que a mente tem, no documentário, médiuns levados pela auto indução o viam como um grande mestre, inclusive vendo "mahatmas" atrás dele. Alguns de seus discípulos inclusive conseguiam ver a "chama azul", algo completamente inventado pelo falso guru. Isso me fez pensar nos grupos new age e sua chama violeta, não digo que é algo totalmente falso, porém eu não me deixaria levar por isso. Realmente o documentário mudou minha visão sobre poderes psíquicos, pensarei muitas vezes antes de levar a sério uma projeção, visão de vidas passadas, clarividência...