• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

zen

B-Membros
  • Content Count

    145
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    5

zen last won the day on May 13

zen had the most liked content!

Community Reputation

85 Excellent

2 Followers

About zen

  • Rank
    Membro Iniciando (100+)

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Eu me baseio na minha propria experiencia, em meus acessos a vidas passadas, e no trabalho que faço com clientes. O planeta me que vivemos, em função do baixo nível de consciência, vive dentro do espectro "vítima x agressor". Ou seja, quando estamos envolvidos em qualquer situação de baixa frequência, ou vivemos em um papel, ou no outro. Quando digo que não existem vítimas, é porque temos que abandonar estes papéis e entender o seguinte principio: nós atraímos situações para nossa vida em função de nosso nivel de ser, nivel de consciencia, ou de frequencia. Não importa o que aconteça, ele se deve a minha própria frequência vibratória. Apenas isso. Por este motivo, se fui atingido por uma bala perdida, por exemplo, existe algo dentro de minha energia que me colocou no "lugar errado" e na "hora errada". Mas se isso aconteceu comigo, e não com meu vizinho, é porque algo em mim ressoava com o evento. Por isso, aos olhos do mundo, isso é um "acidente" ou "fatalidade", mas no nível da consciência, é apenas consequência de quem eu sou. Fui a vítima. Se em determinada ocasião eu fui o atirador, então a morte fica impressa em meu sistema energético. Fui o agressor e, por lei de ação e consequência (não por castigo, mas por magnetismo), vou trocar os papéis e sentir a dor do outro. E isso vale pra tudo. Reparar é equilibrar a balança. Vc deve, vc paga - não é assim em nosso sistema bancário? No campo da consciência, as coisas são muito semelhante: crédito e débito. E isso pode ser feito "pela dor" - ou seja, trocar de papel - ou por amor - através do crescimento da consciencia.
  2. Sou conector de vidas passadas, vou dar um panorama prático do processo: Personalidade é algo que se relaciona ao tempo, ao momento e a cultura em que se vive. Por exemplo, um espartano sem luta (algo que, em teoria, tentamos fazer nos dias de hoje 😆) não veria motivos pra viver aqui! Era cultural. Era da época. Era algo da sociedade em que ele vivia. Quando ele morre, esta personalidade formada pelos condicionamentos sociais da época, se desintegra. Mas é claro, se alguma destas almas retorna, ela ainda tem a luta e a guerra impregnandos em sua mente - é o que chamamos SAMSKARAS - são nossas cicatrizes espirituais. Elas naturalmente retornam, e este antigo guerreiro vai agora entrar em luta, por outros motivos, em outros contextos, porque a guerra ainda está dentro dele. Conforme ele se aprimora, e vai lapidando sua essencia, esta alma vai buscando se afastar da luta propriamente dita. Mas a raiva - parte da energia que forma a guerra - continua lá. Então talvez ele "vá a luta" por direitos civis, por liberdade de expressão, por acreditar nos seus governantes, vire um militar ou policial... ou simplesmente seja um brigão, ou até mesmo alguem que tem altos níveis de agressividade em coisas bobas do dia a dia. Ele não luta mais por "Esparta", mas continua em guerra com o mundo... ... Recuperar memórias de vidas passadas envolve, entre outras coisas, encontrar os traumas do passado. Se vc me pergunta porque, a resposta é simples: eles estão gritando dentro da consciencia da pessoa - embora ela esteja convivendo com isso a tanto tempo que simplesmente se acostumou. Portanto, prestar atenção a estes "ruídos" é um modo seguro de ter uma regressão confiável.
  3. Há uma combinação de muitos fatores. Carma é quando vc não tem escolha - por exemplo, sua família. Mas o que te colocou em contato com este grupo de pessoas? Aí tem outro fator que muitas vezes passa despercebido: os traumas e bloqueios que todo mundo carrega. Estes bloqueios são o impulso inconsciente que motiva nossas escolhas. O tema é extenso, mas não é uma questão de autopunição, mas de aprendizado e ajustes. Mas o principal é: não existem vítimas, todos estamos constantemente criando nossa realidade conforme aquilo que nos parece mais importante. E o trabalho de autoconhecimento é justamente você saber a origem de seus próprios impulsos, desejos e aversões, e desconstruir aquilo que age contra você.
  4. Aqui tem um excelente livro pra isso (no meu estudo, o melhor dos que já tive acesso): O despertar da visão interior - de Samuel Sagan O Despertar da Visão Interior (rev 2016).pdf
  5. Amigo, começa melhorando o titulo da sua postagem. Poderia ser algo do tipo "duvida sobre como abrir o chacra coronário" - note que isso tem muito mais significado (e por isso, vai atrair mais pessoas e respostas) do que o titulo que vc usou, que simplesmente não diz nada! Não tem "mais difícil" - tem a bola da vez. Correr, por exemplo, é a sequencia natural da caminhada. Exige mais esforço, mais preparo, mas é apenas a consequência de ter construido bem a fase anterior. Vc não vai despertar nenhum centro imaginando nada. Precisa trabalhar pra isso, se aprimorar constantemente. Talvez sua imaginação tenha apenas gerado uma faísca no seu chacra, mas quando ele abre, vc não tem dúvida nenhuma!
  6. Também depende da técnica que vc está usando, do seu nível de abertura, dos seus próprios bloqueios e resistencias interiores (meditação também faz isso: revela o que está errado). Se precisar de ajuda, manda uma PM
  7. Eu conheço o tema. A tradução do livro da Clairvision para o português foi minha. Atuo com regressão a vidas passadas, exploração energética e implantes e parasitas, e seus sintomas são compatíveis - mas todos os métodos mencionados acima são completamente inúteis pra uma extração. Não é uma coisa simples, e precisa de um especialista - e até onde sei, não temos nenhum aqui no Brasil.
  8. Quando falamos "eu superior", já percebo um erro de nomenclatura que nos conduz a muitos erros. Em geral, o termo "eu" se refere a "meu jeito", "meus comportamentos", "minha identidade", ou seja, é vinculado ou ego/mente condicionada. Tem gente ainda que fala que o "eu superior" é uma versão muito poderosa de quem você é (ouvi isso num dos canais citados acima), mas esse pensamento é uma tolice. Se usarmos o termo "ser" ou "ser superior" muda totalmente de figura, porque SER nos leva a algo mais sutil e indefinível, além de referir-se a um "estado interior". Partindo deste esclarecimento, atingir o SER é o objetivo de todas as escolas de autoconhecimento. É uma jornada, uma escada sem fim, que depende de inúmeras estruturas energéticas funcionando adequadamente na pessoa, não apenas "esse" ou "aquele" chacra. Você se conecta a seu SER de muitas formas: enquanto medita, ora, contempla, cuida dos seus filhos, olha pra sua esposa com amor, dedica-se a se aprimorar... enfim, tudo na vida são oportunidades pra provocar a entrada do SER em nossa vida.
  9. Ajuda. O terceiro olho está relacionado também a sensibilidade e intuição, além de memórias atrais. Mas ele, por si só, não vai resolver seu problema.
  10. A imersao do Jung no ocultismo o transformou em alguem muito a frente do tempo que a sociedade comum vivia - e até hoje as universidades de psicologia, por exemplo, abordam sua obra apenas em cursos de extensão!
  11. Essa é uma ótima forma de dizer que a responsabilidade pela minha crise é de qualquer um, menos minha! Qualquer trabalho de transformação pessoal, de mudança frequencial, mesmo que seja tomar um floralzinho básico, vai provocar catarse. Isso ocorre quando "aquilo" que estava sob a superfície começa a vir a luz da consciência. É neste momento que começamos a ver nossa própria sombra - e a única " entidade negativa" envolvida no processo é apenas a própria mente/ego se sacudindo pra não aprender. Outra questão importante: quanto tempo isso leva, e quanto "sofrimento" a pessoa vai viver nesse período, dependem de quanta entrega e aceitação existe no processo, e de quanto lixo a pessoa carrega (a maioria das pessoas não sabe, mas carrega muito, muuuito lixo, e tirar isso dói sim!). Por isso Carl Jung sabiamente descreveu: "As pessoas vão fazer qualquer coisa, não importa o quão absurdo, para evitar olharem para suas próprias almas."
  12. Ninguém passa por algo que não é seu. Tudo que vivemos, vibra em nós de alguma maneira, mesmo que inconsciente no principio. A ideia sobre privação parece bem precisa, mas não se agarre muito nela porque nem sempre é como parece.
  13. O que vc fez, recebe novamente + consequências. Imagine o seguinte: alguém roubou o carro de um médico. O médico deixou de atender um paciente em emergência. O paciente morreu. Além do débito material gerado pelo carro, existe o débito pela vida perdida porque o medico nao conseguiu se deslocar por culpa do furto. Como sabemos, isso nao significa que o ladrao vá infartar imediatamente, mas seu campo eletro-magnetico fica impregnado por atomos (ou energias) de escassez material e de saude e, com o tempo, o inevitável acontece - seja nesta vida, seja na proxima... Mas o que vc quer dizer com "deixa-se receber o impacto"? Se vc devolve na mesma moeda ("olho por olho"), acumulou débito. A não-reação consciente é devolver o mal que recebeu com bem - "ame teu inimigo" disse o Mestre.
  14. Vou completar a resposta acima (sei lá por que, ela foi incompleta): Se voce está fazendo uma coisa pensando em outra, então está adormecido (espiritualmente falando). Isso é basico pra entender. Se está lavando a louca e - ao inves de estar atento ao momento, ao toque da espuma, ao som da torneira com agua - vc está ouvindo uma musica em sua cabeça, entao está adormecido. Isso significa que nao está presente, atento, consciente ao que está fazendo. Está no piloto automatico, está inconsciente - este termo, inclusive, que teve origem na espiritualidade, hoje é muito abordado por técnicas de venda e PNL, porque o pressuposto básico por traz deles é que "todo mundo vive meio inconsciente, então usando o método correto, empurramos o que queremos". Porque a musica que fica some na meditação (assim como todo o lado de fora)? Porque vc está ATENTO, CONSCIENTE. Simples. A mágica do despertar é trazer estes estados de meditação para o dia a dia (nao precisa nem dizer que nao é algo que acontece da noite para o dia). E com base nisto, Krishnamurti dizia: "a meditação é o fim do ego"!