• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Caroline Müller

B-Membros
  • Content Count

    5
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

2 Neutral

1 Follower

About Caroline Müller

  • Rank
    novo Membro (1+)

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Bom dia a todos! Gostaria de compartilhar meu relato do que ocorreu nesta última madrugada e gostaria de opiniões sobre o que vocês pensam. Tenho experiências projetivas lúcidas e semi-lúcidas desde criança, porém, quando era menor, para mim era uma experiência terrível, um "pesadelo", pois quando ficava cataléptica e não conseguia me mover, na tentativa de chamar meus pais, algumas imagens vinham à minha frente. Formas geométricas que mudavam de tamanho, cores vibrantes que oscilavam e para mim isso ainda é muito assustador. Depois que conheci o que realmente acontecia, esses episódios mais negativos se tornaram menos frequentes. Essa madrugada, após cuidar da minha filha que ainda é bebê, me deitei e tive um sonho em que eu via um peixe preto, falei para uma pessoa que estava ao meu lado (não lembro ou não conheço quem era) que aquele era um Mandí (quando era pequena pescava muito com meu pai, então conheço bastante sobre peixes e aquele na verdade não era um Mandí, não sei porque disse aquilo) e essa pessoa me disse que na verdade aquele era um "Mandivisador", essa pessoa ficou repetindo várias vezes essa palavra e eu também fiquei, num pesadelo horrível até que acordei em estado vibracional fortíssimo com essa palavra, tive que fazer muita força para parar de dizer mentalmente e com isso o EV parou. Retomei totalmente a lucidez e ao fechar os olhos sentia o EV voltar automaticamente, porém, com vários delírios, alguns deles foram: imagens de massa de cookies crua feito com uvas passas, o que me fez ter muita, muita vontade, nisso eu ainda sentia o EV e tinha total controle energético, mas muita vontade de comer essa massa crua, cheguei a cogitar a possibilidade de levantar e fazer para comer. Com muita força, consegui sessar. Eu tentava me manter acordada para não me submeter a essas experiências novamente, pois estavam me perturbando demais. Mas cada vez que eu fechava os olhos, elas continuavam. Numa delas senti uma mão pesada em meu corpo, passando por todo ele e eu tentava me desvincilhar e não conseguia. No total, foram no mínimo 20 vezes que aconteceram e na maioria, quando eu acordava em EV e cataléptica, ouvia gritos femininos e em outras alguns sons de animais grotescos, parecia de pelicanos ou algo assim e todos esses sons vinham da parece acima do berço em direção a mim, me atacando, porém não via nada, só ouvia. Num momento de pouca lucidez, cheguei a tentar imitar esses sons e eles me atacaram muito mais. Foram momentos terríveis. Numa das vezes, adormeci e sonhei que uma mulher lia algumas anotações pessoais e numa delas ela escreveu "tiroteio", mas queria escrever "fazer direito" e essas duas palavras repetiam muuito na minha cabeça. tiroteio fazer direito tiroteio fazer direito, acordei em EV novamente e tive que mentalizar muito para essas palavras pararem de ser repetidas na minha cabeça. Alguma experiência similar? Ah, outra coisa, desde pequena sempre tive muito medo de enlouquecer e sempre tive a sensação de que isso iria acontecer comigo.
  2. Olá, Aline! Muito bom seu relato, também sou nova no grupo! Quanto às criaturas, existem sim. Mas nem sempre a gente "enxerga" eles da forma como são. Consciências/espíritos pouco evoluídos, ainda arraigados em costumes instintivos, principalmente, podem apresentar formas animalescas (zoantropia/zooantropia). Inclusive, há comentários sobre a lenda do lobisomem, metade homem, metade lobo ter surgido a partir daí (licantropia). Porém, nem sempre a consciência/espírito em forma de criaturas grotescas podem ser pouco evoluídos, pois se pensarmos que no nosso Universo há vários outros tipo de corpos que nem cogitamos saber... Há a possibilidade de existirem consciências muito evoluídas, mas que se apresentam com o corpo de certa maneira que a gente "consiga" enxergar. Acho que quando você encontrar ua dessas criaturas por aí, sinta a energia dela, se for pesada ou que você sinta que suga a sua energia, ela pode ser negativa. Mas continue com essa lucidez, peça ajuda ao seu mentora ou amparador para que te esclareça mais.
  3. Oi, Welington! Na verdade tive algumas oscilações, sim. Contei aqui apenas as partes mais lúcidas possíveis, e esta foi uma das experiências mais marcantes. Neste caso só me vi saindo mas não olhei meu corpo, apenas "saltei" e senti quando atravessei a parede, mas no primeiro momento, o lugar não parecia minha casa atual, mas minha casa antiga. Logo que senti o insight do amparador, retomei a lucidez mas mesmo assim não reconheci o lugar, aí depois que cheguei no colégio... Na verdade, ainda é meio confuso quando lembro. Quanto a outras experiências, já me vi fora sim, inclusive certa vez me projetei, fiquei um tempão rodando pelo quarto, queria voltar para o meu corpo e não conseguia. Via a TV ligada na sala (inclusive lembro do que se tratava o programa que estava passando) e quando tentava voltar para o corpo batia no plexo solar e sentia um empurrão para trás. Foi burrice minha não ter aproveitado mais, mas naquela situação tinha certeza que tinha morrido. Obriga pela resposta!
  4. Olá, sou nova no grupo e gostaria de compartilhar uma projeção lúcida que tive faz alguns dias. Vou contar somente alguns pontos, pois na maior parte a experiência envolvia contextos mais pessoais. Saí do corpo e ao volitar, pedi amparo para assistir a uma aula em uma comunex (comunidade extrafísica). No caminho, encontrei um casal de jovens nus, o rapaz estava com um sorriso malicioso no rosto enquanto a moça chorava e apresentava uma expressão assustada. Nesse momento, o amparador me disse para prestar atenção no que iria acontecer, pois aquele casal é, na vida atual, um casal ressomado (reencarnado) e que esta no meu grupo de estudos da Conscienciologia aqui da minha cidade. Em seguida, visualizei em um aparelho parecido com uma TV, o rapaz que estava lá vestido com uma armadura de cavaleiro medieval e atacou a moça, matando-a. Novamente, meu amparador disse para eu prestar bem atenção no acontecimento, pois eu poderia ajudar o casal nessa atual vida, que estaria passando por dificuldades no relacionamento. Até agora não identifiquei quem é o casal. Depois, volitei até uma estrutura semelhante a um colégio da minha cidade, entrei por uma porta que dava a um refeitório e quem me recebeu foi uma amiga voluntária da Conscienciologia, presente no meu grupo de estudo. Ficou muito feliz em me ver e eu entrei na sala, onde havia várias consciências com aparência de deficientes físicos e a maioria tinha aspecto meio hindu. Sentei-me em uma cadeira, mas infelizmente não consegui rememorar a aula, somente lembro que a professora estava acalmando uma das consciências ali presente. Sempre quando tenho um contato com amparador, eu nunca o vejo, somente sinto suas palavras como insights, o que me faz pensar se não seria apenas meus pensamentos com uma lucidez maior.
  5. Olá, meu nome é Caroline. Estou aqui para aprender e trocar ideias sobre o assunto. Estudo Conscienciologia e tenho projeções lúcidas rememoradas desde os 5 anos de idade. Estou aqui para interaprender, auxiliar como posso e aprender com vocês. Abraços.