Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Iogui

B-Membros
  • Posts

    1,285
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    67

Everything posted by Iogui

  1. Não se esqueça que tudo é energia e, portanto, controlar as emoções também é ter controle energético. Gosto das ideias do Dalai Lama. Simpatizo com a forma como ele encara a vida.
  2. Bandeira, vou responder de acordo com a forma como eu penso, com dicas que se baseiam muito na minha experiência de vida porque isso que você pede é uma das grandes dificuldades da humanidade e você não vai encontrar num livro uma resposta pronta pra isso, até porque é um assunto complexo se você olhar com atenção tudo aquilo que está relacionado com o assunto. Então serão respostas fortemente pautadas na minha opinião e eu estou muito longe de ser detentor da verdade, verdade essa que ainda busco na tentativa de expandir a minha verdade relativa de acordo com o que consigo ir trabalhando em minhas próprias limitações: Penso eu, que o mais importante, é não se envolver emocionalmente. E isso é difícil porque, no nosso atual nível evolutivo, temos a tendência de nos perdermos facilmente em nossas emoções. Não adianta nada você estar lá calado pensando que você não está se envolvendo com o que estão falando se na sua mente você estiver em conflito, cheio de contrariedades, julgando e, de fato, se envolvendo emocionalmente. Pois nesse caso, você está participando passivamente de toda esta negatividade. Confesso pra você que eu ainda tenho dificuldades em conseguir ter o autodomínio necessário quando me encontro em situações como esta quando ela envolve pessoas muito próximas (com pessoas não tão próximas, colegas de trabalho e etc, isso é bem mais fácil). E passo por isso algumas vezes. Mas já consegui perceber uma coisa importante: essas situações são ótimas oportunidades. E por quê eu considero essas situações como ótimas oportunidades? Porque elas me colocam de frente com meus próprios demônios internos e são eles que me insuflam a me perder emocionalmente. Mas como tirar proveito de tais situações para crescer consciencialmente já que elas são uma ótima oportunidade neste sentido? Com um pouco de treino, você pode conseguir identificar os gatilhos que essas situações desencadeiam na sua própria psiquê e, durante tais situações, pode fazer auto análises rápidas observando o que está acontecendo no seu mundo emocional. Com o tempo, isso vai te permitir treinar o não julgar e vai te ajudar a se tornar uma pessoa menos agressiva, mais compreensiva e compassiva. Porque é preciso saber respeitar o momento do outro. Não dá pra exigir que todo mundo tenha o mesmo nível de consciência que você tem. Se você já é capaz de identificar que são assuntos negativos de fato, aproveite para observar o que tais assuntos negativos te trazem a tona. Eles te afetam negativamente? Mexem com suas emoções? Ao invés de se isolar, permita-se estar naquele ambiente mas seja como o óleo na água que mesmo estando em meio ao diferente, permanece coeso. Quando for possível, não fique num ambiente assim, negativo. Mas quando não for possível, aproveite o momento para crescer consciencialmente e desenvolver a equanimidade. Considero que uma das coisas mais importantes desta vida é a busca pelo equilíbrio. E essa é uma oportunidade real de se testar e de medir o seu equilíbrio porque é uma questão de saber se equilibrar como se você estivesse pulando de pedra em pedra em meio a um rio de águas revoltas para chegar na outra margem. Não é fácil e vai te exigir muito treino. Mas é possível. Com o tempo, você será capaz de estar naquele ambiente, não se envolver e, aqui e ali, sutilmente, soltar alguma coisa que ajude aquelas pessoas a se desviarem desse tipo de negatividade. Mas obviamente que se você entrar na sujeira, vai se sujar. Só que tem gente que se suja mesmo, faz aquela lambança. E tem gente que apenas sofre alguns respingos que podem ser facilmente limpos posteriormente. Mas isso exige destreza. Resumindo: aprenda a acender a luz interna que existe em você e não permita que a escuridão em volta a apague pois a luz é mais forte que as sombras. Essa situação é bem parecida com a que você descreveu anteriormente então tudo o que eu disse vale aqui também. A diferença é que essa é uma situação mais ativa e, portanto, um pouco mais difícil de lidar. Mas se você estiver preparado para a situação anterior, vai estar no caminho para lidar com esta também. Novamente aqui, o maior segredo é não se envolver emocionalmente e isso é muito mais fácil de falar do que de fazer. No começo você vai apenas começar a identificar o que está acontecendo no seu mundo interno. Muitas vezes tardiamente após já ter entrado na discussão de fato. Com o tempo e com treino você vai ser capaz de perceber que suas emoções começaram a se agitar e vai conseguir agir nelas conscientemente. Uma coisa que ajuda muito é praticar meditação, porque a habilidade que você tem que desenvolver na meditação é exatamente a mesma que você precisa para lidar adequadamente com essas situações. Você está lá parado tentando focar no objeto da meditação e, de repente, sem aviso prévio, vem aquele pensamento tentando te distrair do objeto da meditação e sua mente, não estando devidamente treinada, vai tender a responder a este estímulo e você pode facilmente se perder em devaneios. Quando você passa a ter alguma prática, começa a desenvolver uma habilidade que te permite identificar que surgiu um pensamento estranho, você o observa apenas o suficiente para identificar isso e então deixa ele passar sempre mantendo o foco no objeto da meditação. Esta mesma habilidade vai te permitir estar na situação, perceber que a outra pessoa está alterada, perceber a alteração surgindo em você também e não reagir a ela, deixar ela passar. Quando você conseguir fazer isso, vai conseguir sempre agir tranquilamente com qualquer tipo de agressão e isso vai te dar algumas vantagens. Primeiro, que se você estiver calmo, conseguirá ser mais racional e, portanto, responder de forma racional ao que lhe for dito. Isso vai lhe permitir pensar antes de falar, pesar tudo estrategicamente e só falar coisas que não coloquem mais lenha na fogueira. Quando você desenvolve esse tipo de atitude, isso é realmente muito poderoso. Você vai perceber que muitas das discussões vão cessar automaticamente só por conta da sua postura. Sim, isso que expliquei é o "como" fazer isso que você viu no vídeo. Não é algo que você vá conseguir fazer logo de cara. Não basta querer. Saber a teoria é fácil mas pra conseguir fazer, precisa primeiro entender, compreender e depois praticar. Não espere conseguir fazer isso logo na primeira tentativa. Então meu maior conselho não é na forma de uma técnica energética ou magística. Meu maior conselho é em relação a qual melhor postura adotar. Perceba que você trouxe situações que você enxerga como possivelmente problemáticas mas eu estou te dando uma visão positiva sobre estas situações: elas são oportunidades. Se você conseguir mudar o mindset, a forma como você se relaciona com tais situações talvez consiga agir de forma a trazer mais benefícios para todos os envolvidos. E talvez você consiga aproveitar tais situações para crescer como pessoa e, num futuro, até mesmo ajudar os outros a crescer como pessoas. Comece pequeno, de forma humilde. Se você conseguir trabalhar só no seu autocontrole em tais situações, já está bom. O resto é consequência. Lembre-se: você não tem controle nenhum sobre o outro, mas pode, com algum treinamento, ter controle total sobre si mesmo. Comece aos poucos, comece com aquilo que você pode ter controle. E você vai ver que você pode mudar o mundo, mudando a si mesmo. Mas isso é obra pra uma ou algumas vidas. Não espere resultados imediatos. A natureza não dá saltos.
  3. Esse negócio é terrível para a saúde. É pior que cigarro normal. E também deve ajudar a atrair companhias indesejadas do ponto de vista espiritual.
  4. @Jhana, meu amigo, se me permite uma analogia simbólica um tanto quanto grotesca: o homem comum quando se vê em frente a um monte de m******* consegue apenas sentir nojo mas um cientista (talvez um microbiologista) na mesma situação seria capaz de ponderar sobre uma série de coisas muito úteis para a humanidade. Há varias formas de olhar para as coisas. Por quê você escolhe olhar da pior forma? Por quê não ser como o homem de ciência que procura sentido mesmo nas coisas menos agradáveis? Moral da história: Não ande pelo mundo sem olhar onde pisa! Se você quiser adquirir o conhecimento verdadeiro, esteja preparado para se sujar e passar por coisas desagradáveis (isso não te impede, entretanto, de usar luvas e cobrir o nariz)! 😂😂😉
  5. Sem compreender as coisas de uma forma mais macro, podemos achar que o mundo é injusto mas a justiça não está onde nossos olhos enxergam. Ela está no mais perfeito funcionamento do todo e no todo, tudo se encaixa. Embora não seja possível enxergar isso de forma física nem provar cientificamente, é possível chegar a esta compreensão. O mundo não é um lugar "anti-espiritual", caro amigo Jhana. O mundo é totalmente espiritual. Nunca pense que o mérito maior é ser espiritualista vivendo isolado numa caverna no himalaia do que aqui neste mundo que parece ser tão injusto. Muito mais mérito tem em vivenciar a espiritualidade aqui no meio dessa coisa toda "aparentemente caótica". Nunca se esqueça que, nesta vida, a dor é uma certeza mas o sofrimento é opcional. E lembre-se que mais prospera aquele que consegue enxergar as oportunidades nas adversidades. 😉
  6. Que legal Erico! Muito bacana mesmo! Observe que em dois momentos você estava já bem desgrudado do corpo mas voltou porque se emocionou demais. Um foi quando estava flutuando acima do corpo, se emocionou, o campo energético que te liga ao corpo transmitiu isso e aí deve ter tido uma descarga de adrenalina, o coração começou a bater mais forte e o corpo instintivamente te puxou de volta. O outro foi foi quando suas pernas estavam subindo. Se você nesses dois momentos tivesse conseguido controlar as emoções e focado no processo, teria conseguido sair do corpo de fato e até poderia tentar dar uma volta pela casa no astral.
  7. Vai acontecer o que já está acontecendo com alguns ainda em vida aqui mesmo: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/bbc/2021/07/28/covid-britanico-antivacina-morre-apos-postar-foto-com-respirador-para-se-mostrar-arrependido.htm https://www.bbc.com/portuguese/brasil-56809056 https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2021/07/16/arrependido-jovem-que-nao-quis-vacina-precisou-de-transplante-de-pulmao.htm https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2021/08/nao-vacinados-sao-99-dos-mortos-por-covid-nos-eua-e-muitos-se-arrependem-tarde-demais.shtml https://saude.ig.com.br/2021-05-22/pai-de-cinco-morre-de-covid-19-nos-eua-apos-recusar-ser-vacinado.html Eles vão se arrepender certamente, ou aqui no plano físico se escaparem, ou lá no plano astral no caso dos que não sobreviverem, e vão se sentir em dívida por terem se envolvido com essas besteiras. Alguns vão adquirir consciência e vão tentar ajudar para que possamos sair bem dessa pandemia. E a vida vai seguir, com ou sem eles. O Brasil tem uma história linda com campanhas de vacinação muito bem sucedidas. Precisamos continuar esse processo, precisamos mostrar para nós mesmos que essa pandemia é superável. E a saída já comprovada inúmeras vezes por milhares de estudos científicos é a vacina. Ser pró-vacina nesse momento é uma das melhores coisas que podemos fazer pelo social e para superarmos essa pandemia o quanto antes. Ser pró-vacina é ser pró-vida. E isso é espiritualidade de verdade porque é querer bem ao próximo assim como a si mesmo. Porque é pensar no social. Pelo amor de Deus, não se percam nessas fake news. Nessas histórias infundadas de teoria da conspiração que, volta e meia, voltam a tona com roupagem nova como uma praga que não quer deixar de existir. Se tiverem dúvidas, procurem informação mas informação boa, papers científicos, informações divulgadas por órgãos sérios como a ONU, a Sociedade Brasileira de Imunologia, o Conselho Nacional de Saúde e a Associação Médica Brasileira. Não vão ficar se deixando levar por informação torta obtida no Whatsapp, Facebook, Twitter, Youtube. Na dúvida, procurem confirmação em fontes idôneas. Foi isso que fiz quando eu tive Covid e os médicos e enfermeiros do meu próprio plano de saúde quiseram me enfiar o Kit Covid Goela abaixo. Eu fui pesquisar em fontes idôneas. Eu escrevi sobre essa minha experiência. Bora vencer essa pandemia!!!... Bora se vacinar!
  8. Desconfio que isso não seja muito comum. Acredito que essas grandes almas são mais úteis vivendo no meio da população mesmo. Você pode ter um vizinho nessa condição e nem saber porque eles não vão ficar chamando atenção. Com um pouco de sensibilidade talvez se perceba que tal pessoa tem algo de especial, mas em geral, ninguém vai notar nada demais.
  9. Nunca há justificativa para menosprezar ninguém. O ser humano só por ser "humano" já possui um enorme potencial. E aquilo que vemos aqui no plano físico não está nem perto de 20% da realidade de cada espírito encarnado. Como podemos julgar alguém com base naquilo que sabemos já que o que sabemos é tão pouco? Pra isso não precisa ter um "corpo mental evoluído". Basta ter força de vontade e determinação. A maior parte das grandes almas encarnadas na terra são ilustres desconhecidos. Ficam ali praticamente anônimos realizando grandes obras sem que ninguém nem as veja. Espíritos de grande porte não se importam com a fama. Na verdade, até a evitam. Aqueles que se tornam famosos, só o fazem porque suas missões assim o exigem. Ser famoso num planeta onde a maior parte de sua população é de espíritos que ainda não dominaram seus instintos mais primitivos é antes um martírio que um beneficio. Dica: Experimente selecionar o texto que alguma outra pessoa postou aqui no fórum. Você vai ver aparecer um balãozinho com o texto: "Citar isto". Basta clicar nesse balãozinho para criar uma citação com descritivo:
  10. Isso é só uma questão evolutiva. Um espírito muito evoluído pode nascer no meio de uma família simples e ignorante. Nesta condição, talvez ele não consiga se desenvolver muito intelectualmente porque pode não ter condições financeiras de estudar e tal. Isso não faria com que tal espírito fosse menos evoluído. Talvez ele esteja querendo passar por alguma experiência onde ter muita instrução poderia atrapalhar. Ou talvez ele só esteja ali de forma abnegada para ajudar alguma outra pessoa da mesma família. Uma pessoa nesta condição, provavelmente não ficaria famosa, né? Aquilo que a gente é nessa vida, é só uma parte pequenina da nossa vida integral. Uma encarnação é como um jardim. Você cuida bem dele mas, no fundo ele é só um jardim. Tem lá sua importância mas o panorama geral é muito maior. As vezes você escolhe ser ignorante em uma de suas vidas porque você quer resolver algum tipo de problema específico mas quando você volta para o plano espiritual, lá você é reconhecido como um grande sábio e talz.
  11. Acho que você pode relaxar mais. A gente é feio mas não morde não! 😄
  12. Aqui nós chamamos isso de "viajem astral"! 😀 Tem gente que é capaz de, através da meditação, entrar em um estado alterado de consciência que lhe permita projetar seu corpo astral de forma consciente. Mas no budismo, normalmente, não se fala em "viagem astral".
  13. Concordo. E digo mais... o pessoal fica pensando em "evolução das máquinas". Mas e se a coisa for diferente no futuro e o ser humano aprender a conseguir criar corpos de verdade de matéria orgânica? Talvez no futuro as novas máquina sejam de fato estruturas orgânicas que são, de fato, muito mais complexas que coisas feitas de chips, bits e bytes. A gente fica pensando hoje num possível futuro com uma evolução que dependa de hardware e software porque é o que nossa mente limitada consegue alcançar, mas talvez a evolução seja capaz de transcender isso.
  14. Agora sim. Li os dois tópicos. Eu não compro a ideia desse tal Bruno do "Salto Quântico" pelo mesmo motivo que não votaria no Bolsonaro (como falei no outro comentário), só que esse cara, tem um agravante, ele se diz espiritualista e está tentando vender algo de cunho espiritual. Antes mesmo de questionar a coisa do "vender algo de cunho espiritual" acho que tem algo mais básico pra questionar na atitude dele. Ele é muito agressivo, belicoso. Isso é o oposto do que se pode esperar de alguém equilibrado. E, pra mim, se alguém não consegue ser equilibrado, não pode se dizer mestre e querer iniciar ninguém em qualquer coisa espiritualmente por que só o que vai fazer, é transmitir seu desequilíbrio para os outros. Basta ler o primeiro dos tópicos citados para ver que ele ficou todo o tempo agredindo verbalmente ao tal Tiago e procurando se auto afirmar ao diminuir o outro. Também exigiu a expulsão do outro membro do fórum. Mal chegou no fórum, já veio com a atitude arrogante: "Oi, tudo bem? Sou novo aqui mas eu sou O CARA. Quero que vocês expulsem este membro porque ele vai desandar o tópico!". Basta observar a reação exagerada, desproporcional e sem conteúdo. Esse tipo de atitude, na minha opinião, já é suficiente para descreditar todo o trabalho do cara. Não importa se escreveu livro, fez vídeo desfazendo nuvenzinha com poder do pensamento, tem um monte de conteúdo útil escrito em suas apostilas... enfim... todo este trabalho perde o valor aos meus olhos porque fica patente, que tudo isso é só aparência. Livros, internet, vídeos aceitam qualquer coisa. Qualquer um pode fingir ser o que não é. Mas é nas atitudes cotidianas que conseguimos enxergar o que há de mais verdadeiro em cada um. (Observação: Nem sei se tem coisas boas no material desse cara. O que falei aqui foi só força de expressão. Não li, não vi nenhum vídeo, nem nada do material dele e nem pretendo.) Pra mim, o "arroz com feijão" da espiritualidade é, no mínimo ser respeitoso com o próximo antes de se dizer um grande mestre, de se dizer com o Kundalini desperto. Porque a verdadeira espiritualidade tem que ser como o ar que você respira. Ela tem que ser praticada a todo momento e em todas as nossas ações do cotidiano. Mesmo nas coisas mais banais. A verdadeira espiritualidade tem que ser tão espontânea que tem que transpirar dos seus poros junto com seu suor. De que vale o sujeito ter um monte de capacidades psíquicas despertas, clarividência, intuição, viagem astral até acordado e andando, se esse mesmo sujeito não for capaz de controlar a própria língua se alguém fechar seu carro no trânsito? ...Se não for capaz de perdoar o esbarrão que tomou na feira daquela dona de casa apressada que carregava um monte de sacolas? ... Se não for capaz de tropeçar na perna da mesa sem gritar um palavrão? Penso que as pessoas as vezes se esquecem do básico. Espiritualidade é algo simples e ficar querendo dourar a pílula, massagear nosso ego ao cair na tentação de obtenção de poderes parapsíquicos supra normais de forma rápida é justamente aquilo que nos faz virarmos presas de predadores (que por aí existem aos montes) que se utilizam da própria ganância das pessoas para tomar vantagens indevidas, ludibriar, roubar. Porque querer despertar a kundalini assim numa suposta cerimônia de iniciação é pura ganância. É querer adquirir "poderes psíquicos especiais" ao custo de dinheiro material. Não é por sermos espiritualistas que devemos ficar acreditando em milagre. Qualquer um que já procurou minimamente entender como a coisa funciona, sabe que despertar a Kundalini não é coisa que se faz levianamente assim como quem compra uma passagem de avião. Tem gente que passa a vida inteira fazendo técnica, praticando e não consegue pelo simples motivo de ainda não estar pronto pra isso. Acho que saber dosar a nossa espiritualidade com um pouquinho de ceticismo na medida certa, pode nos livrar de cair em muita roubada. Por esse motivo, por tudo que já estudei, e por tudo que já vivenciei. Prefiro olhar para esses "Brunos" ou "Benjamins" e seus "Saltos Quânticos" com uma boa dose de ceticismo. E não me considero menos espiritualista por isso. Muito pelo contrário. Não é porque nos definimos como "espiritualistas" que temos que ser bestas, né? Pode até ser que exista mesmo algo de espiritual no trabalho dessas pessoas, mas eu não boto a mão no fogo por isso.
  15. Eu não sou nem de direita nem de esquerda. Mas uma coisa é fato: nunca tive nem sequer a mínima vontade de votar no Bolsonaro porque sempre achei toda a conversa dele muito agressiva, desrespeitosa. Penso que quem age desta forma, não pode ser um bom representante público. Agora que vejo o péssimo governo que ele está fazendo e todas as suas atitudes descabidas só fiz confirmar o que já pensava. Na verdade, acho meio perigoso se apegar a estas "classificações" (direita e esquerda) porque não tem nada de exato nisso. Prefiro mesmo é, em cada eleição, pegar todas as propostas dos candidatos, pesquisar quem são, o que já fizeram, quais suas relações e com base em todas essas informações escolher o melhor (ou o menos pior, como têm sido ultimamente...). O principal fator que levo em consideração não é a qual partido pertencem ou se possuem inclinações consideradas mais de direita ou de esquerda. E também não tenho medo de votar em um candidato que eu sei que não vai ganhar por não possuir projeção na mídia. Eu não voto na imagem dos candidatos, voto em suas idéias e propostas. De uma forma geral, acabo tendendo um pouco mais para a esquerda porque é onde costumam estar as propostas que visam romper com o status quo e penso que muita coisa na nossa sociedade não funciona bem como deveria mas não me considero de esquerda de fato. Prefiro manter a mente aberta. Só estou falando isso porque acredito que exista aí uma relação com a proposta inicial do post porque, pra mim, tudo é espiritualidade, inclusive procurar ser consciente e se esforçar por escolher bem os candidatos numa eleição. Isso é agir pelo social tanto quanto praticar uma caridade ou ajudar uma ong de ações sociais. E isso é espiritual. Mas talvez seja melhor pararmos de falar sobre política aqui porque isso é assunto quente que pode gerar controvérsias. (Tantas vezes já tomei bordoadas no Facebook por causa desses assuntos!)
  16. Eita... comecei a ler o primeiro tópico e já estava parando quando vi que o tal Bruno veio responder pessoalmente e aí o negócio ficou "sério"... hahahha... Como é um tópico extenso, vou deixar pra ler o resto depois pra ver no que vai dar essa conversa toda. Depois eu volto pra comentar!
  17. Agora que você falou eu fique aqui pensando. Costumo acessar bastante o conteúdo do Saulo e do Wagner Borges, qual será o posicionamento político dos dois?... Acho que eles evitam de falar publicamente sobre isso por causa do efeito colateral que essas coisas costumam gerar e até entendo. No lugar deles eu provavelmente agiria da mesma forma.
  18. Quando me lembro de coisas que falamos sobre médium aqui nesse fórum e que parecia pilantragem, só consigo me lembrar do Robson Pinheiro... rs... será se já criei um ranço em relação a ele?
  19. Você acha?... Eu tenho observado o oposto entre os espiritualistas que pude ter contato. Em relação aos famosos eu já não sei dizer. Bom... se for só achismo tudo bem, contanto que isso fique claro, porque qualquer um pode achar qualquer coisa, né?... Mas mesmo assim, falar isso em público acaba só servindo pra gerar polêmica. E no final das contas, mesmo que o Lula seja de fato a encarnação do D. Pedro II, o que essa informação traz de útil? Eu não consigo enxergar nada. Mais um motivo pra acreditar que isso não venha de fato de origem mediúnica... Ao menos não de origem séria.
  20. Posso estar enganado mas acho que não tem vontade e nem organização pra isso. Os caras (mesmo esses mais poderosos) mal conseguem lidar com seus próprios problemas caseiros, quanto mais sustentar qualquer coisa que seja a nível mundial.
  21. O que me chamou atenção de verdade nessa reportagem foi isso aqui: Me chamou a atenção porque parece que o tal "Salto Quantico" encabeçado pelo citado médium, parece dar a entender que concede um tipo de "proteção especial" somente a quem acompanha a todas as palestras. E se entendi direito uma parte dessas palestras é dada só pra um grupo fechado (não ficou claro o critério para fazer parte deste grupo fechado. Seria pagamento?). Eu sempre fico com um pé atrás com essas coisas. Outra coisa que me chama atenção são essas declarações polêmicas de que o tal médium produziu um fenômeno paranormal de verter sangue pela boca (o propósito alegado me parece meio inútil pelo dispêndio de energia que uma equipe espiritual teria que empregar nisso) e fazer declarações sobre a suposta reencarnação de gente famosa. Todas essas coisas me deixam com um pé atrás porque flertam com um certo tipo de sensacionalismo e não consigo ver motivos para uma equipe espiritual séria apoiar esse tipo de coisa. Na verdade, penso que o fenômeno das mesas girantes e efeitos físicos que despertou a atenção das pessoas na Europa pouco antes da popularização dos fenômenos mediúnicos e do advento do espiritismo kardecista pode até ter tido lá sua utilidade e sustentação mas são coisas que não cabem mais no mundo de hoje. A produção de tais fenômenos é custosa demais em termos energéticos e de complicada realização. As idéias espiritualistas já estão difundidas num nível que não se faz mais necessário esse tipo de coisa. Aliás... sou da opinião que a era dos grandes médiuns com projeção internacional acabou porque eles simplesmente não são mais necessários. Particularmente acredito mais na verdadeira mediunidade sendo empregada em vários pequenos centros com pouquíssima projeção midiática na periferia do que por meio de poucos grandes médiuns estrelas da mídia porque penso que o primeiro caso é muito mais útil para os propósitos dos verdadeiros mentores espirituais do que o segundo. Por todas estas razões, sempre que vejo um caso como o deste tal Benjamin. Fico um pouco cético. Não quero com isso, entretanto, descreditar tudo o que o médium fala mas, mais especificamente em relação àquilo que é atribuído à sua mediunidade, prefiro olhar com uma visão bem crítica e manter sobre um certo nível de suspeita.
  22. Esse cara é um médium conhecido?... Acho que eu nunca tinha ouvido falar dele. Até achei a fala interessante. Bem articulado e com bons argumentos... mas eu não conhecia.
  23. É... sobre corpo acordado durante a projeção tem aquele relato muito interessante do Moisés Esagui e, se não me falha a memória, tem também um relato do Waldo Viera (só não me lembro agora onde foi que vi esse relato pra poder indicar) que são dois projetores experientes e respeitados. Então acredito que seja um fenômeno que deva ser encarado com seriedade. De uma forma geral, acho que temos mesmo que tentar sermos flexíveis em relação a fenômenos associados com a projeção da consciencia pois qualquer um que se debruça sobre esses assuntos percebe que ainda sabemos muito pouco. Mesmo os projetores mais experientes de que temos informações tinham ou tem bem pouco controle dos fenômenos e costumam relatar projeções em que não são capazes de explicar com profundidade tudo o que se passa. Nessa área de estudo, ainda temos mais hipóteses e teorias do que certezas de fato.
  24. Na minha opinião, a clarividência viajora é, de fato, um tipo de projeção. Se algo está sendo "Projetado" para fora do corpo, então é uma projeção. Dizem que no caso da clarividência viajora, o que é Projetado não é o corpo astral e sim algo do corpo energético do indivíduo. Em alguns casos, é um túnel energético que se projeta até o local e, por ser um túnel, a visão resultante é cilíndrica. A consciência ainda está no corpo mas consegue perceber o local distante através deste "apêndice" energético. Entretanto, neste caso isso seria uma projeção "energética" e não "astral". Pois o que estaria sendo Projetado não é o corpo astral em si. Me parece que isso pode até ser treinado. Embora eu compreenda o que você quer dizer e, de certa forma, até concorde. Em parte, eu não concordo. Eu não acho assim tão inútil dividir os fenômenos porque ser capaz de ver as distinções pode nos dar uma melhor compreensão do fenômeno em si, mesmo que do ponto de vista de quem passa pela situação, de uma forma prática, seja difícil de distinguir. Inclusive acredito que para que se possa ter a capacidade de reproduzir o fenômeno de forma consciente, seja útil conhecer as distinções entre fenômenos distintos com efeitos semelhantes. Mas, em geral, essas pessoas que descrevem esses fenômenos mais incomuns não são capazes de os repetir pela livre vontade porque são pra eles acontecimentos espontâneos que talvez tenham ocorrido por uma série de fatores desconhecidos que coincidiram ou talvez, por um estímulo consciente de uma consciência terceira, um técnico do astral. Se você sabe distinguir um fenômeno do outro, ao tentar reproduzi-lo você pode focar mais naquilo que faz mais sentido. Focar em atuar apenas no corpo energético ao invés do astral, por exemplo. E mesmo que não se tente reproduzir o fenômeno em si, acho que o conhecimento da mecânica da coisa é sempre útil e pode ajudar de uma forma ou de outra.
×
×
  • Create New...