• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Henrique Araújo

B-Membros
  • Content Count

    58
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

9 Neutral

About Henrique Araújo

  • Rank
    Advanced Member
  • Birthday 04/19/1999

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Bom!! Essa noite eu não estava pensando em me projetar, na verdade já faz um bom tempo que não tento técnicas e nem penso em me projetar. Foi uma noite em que acordei umas duas ou três vezes o que não é normal, geralmente eu simplesmente apago e acordo sem nem sonhar kkk. Na segunda ou terceira vez em que fui me deitar, tive um sonho, daqueles bem malucos, onde as coisas se misturam e nada faz sentido, logo eu me percebo deitado na cama com o corpo inteiro vibrando, como se fosse um choque indolor, tentei me mexer e nada, tentei abrir os olhos e nada, pareciam estar colados, e meu corpo parecia pesado. Com o pouco de consciência que eu tinha, entendi o que estava acontecendo (estava em catalepsia, mas não pensei exatamente "estou em catalepsia", simplesmente entendi o que estava acontecendo de forma natural) e sabia que possivelmente eu poderia ouvir ou sentir algo, e foi exatamente o que aconteceu, comecei a escutar uma voz, mas não lembro ou não ouvi no momento o que estava sendo dito. Então eu comecei a flutuar sem nenhuma intenção de faze-lo, fui parar no canto da parede, no teto, e continuava ouvindo a voz, então me veio na mente de sair voando, já que eu nem queria saber o que tinha no quarto, mas ao tentar voar, não consegui, foi como se algo me barrasse ou eu não soubesse voar, na verdade antes de tentar eu imaginei que não conseguiria por algum motivo, então eu pensei: "Bom! vou ter que ver o que é". Ao olhar pra baixo percebo um rapaz sentado na cama, falando com alguém, na minha cabeça era minha esposa, que estava dormindo ao meu lado, pensei que ela poderia estar projetada inconsciente mas não tenho certeza pois não cheguei a ver em momento nenhum da projeção essa outra pessoa, mas o rapaz dizia pra essa pessoa apontando para o teto: "Olha ali, bem ali em cima", eu vendo isso, olhei para minha frente e vi uma mancha escura, não parecia ser um ser, apenas uma mancha escura no teto, imediatamente eu desci com a intenção de expulsar esse rapaz da minha casa, desci e gritei: "Vai embora", mas minha voz simplesmente não saia, ele olhou pra mim e disse: "é difícil falar aqui no astral, mas com o tempo você consegue", eu tentei dar um soco nele, mas eu não tinha força, é como se nem fizesse cocegas nele kk, tentei puxar a orelha dele mas eu senti que não tinha força, senti a mesma sensação que senti ao tentar mexer o corpo em catalepsia, sensação de fraqueza. Então eu percebi ele pulando de uma parede pra outra, não lembro se dizia algo, enquanto isso eu tentava falar bem baixinho pra ver se saia algo e saiu, então eu disse a ele: "Eu consigo falar baixo", quase sussurrando, logo imaginei que eu poderia estar falando no meu corpo, subi na parede do meu quarto que fica um pouco abaixo do telhado e em seguida acordei. Bom essa foi minha "projeção semiconsciente involuntária", eu imagino que tenha sido uma projeção pois passei pelo processo de catalepsia, meu quarto estava maior e a cama estava em uma posição diferente da que fica, mas minha visão estava meio apagada e eu não tinha controle sobre tudo que fazia. Não entendi o motivo de eu não conseguir voar, falar ou bater naquele rapaz, eu não senti energia dele, me senti apenas incomodado por ele estar ali no meu quarto falando com alguém que parecia ser minha esposa. Parecia que ele sabia o que estava fazendo, eu batia nele e ele ficava apenas olhando como se já soubesse que eu não ia ter força. Aquela mancha preta em cima da cama também não sei o que é, ouvi o spooky houses dizer sobre formas de pensamento em alguns vídeos foi o que veio na minha mente no momento.
  2. Bom!! Essa experiência que venho trazer aqui não aconteceu comigo e sim com minha esposa. Ontem a tarde estávamos em uma reunião em família, onde estavamos nos divertindo, bebendo um pouco de vinho e etc. Logo após o almoço minha esposa sentiu uma dor de cabeça esquisita e uma vontade imensa de deitar e dormir, ela disse que a dor de cabeça era diferente de todas as outras que já sentiu. Ela foi dormir, disse que acordou com um homem de pequena estatura e com um chapéu ao lado da cama, ela não conseguia se mexer, porem conseguia enxergar, o homem subiu em cima dela e começou a chacoalhar ela dizendo: "BEBA! BEBA! BEBA! BEBA!" Enquanto isso vinha na memoria dela imagens da gente bebendo, logo após isso ela foi levada a uma casa que estava aos pedaços e tinha algumas pessoas tentando descobrir o que estava dentro da casa, ela disse que sabia que era um espírito, mas as pessoas que estavam lá estavam sem saber o que era, logo após isso ela foi levada a casa da minha tia, na casa da minha dia ela disse que a visão ficou embaraçada e ouviu uma voz dizer: "DIGA A MARIA(Nome fictício) que o proverbio que está na escrivaninha está trazendo maldição pra casa dela" Logo após isso ela voltou pro quarto e viu o homem pequeno no mesmo lugar, ao lado da cama, ela com medo levantou a mão pra me sacudir e viu a mão transparente, ficou me gritando e depois acordou. Ela me perguntou se eu não tinha ouvido ela chamar e eu não ouvi. Minha namorada e eu somos cristãos, ela tem certe resistência com essa ideia de projeção astral espíritos e etc, mas teve a experiência. Eu tenho algumas duvidas em relação a essa experiência. Primeiro, alguém já viu esse homem pequeno de chapéu? é um espírito conhecido ou só um obsessor mesmo? e depois, essa questão da mensagem, será que é algo que ela tem que falar? ou foi só traquinagem de algum obsessor, ela diz que na hora da mensagem era outra voz que falava com ela, não era a mesma do obsessor, o que me faz pensar que era um mentor, ja que ela estava sendo levada a lugares involuntariamente.
  3. É! Pelo jeito, eu também não tinha muito controle da coisa, certamente pela lucidez baixa e por ter ficado perto do corpo como disse. Bom, já é um avanço.
  4. Ontem tive um "sonho" em que eu estava deitado de lado, e então, com os olhos fechados comecei a movimentar meu corpo pra frente, com se fosse ficar em posição fetal mas projetando o corpo pra fora da cama, senti como se eu estivesse "descolando do corpo", esse descolamento me trouxe um sentimento de leveza, me senti menos pesado. Logo depois eu estava já com os olhos abertos, sentado no chão, virado pra minha cama, tentando ver se tinha alguém na cama, mas minha visão estava bem escura e embaçada, logo depois eu acordei. Isso pode ser considerado uma projeção ou um sonho? Nessa noite eu nem pensava em me projetar nem nada. Essa semana passada, teve dois episódios, esse que descrevi a cima, e outro em que acordei sentindo o meu braço levantar, quando "abri os olhos" ele caiu e eu voltei a dormir imediatamente.
  5. Os fones de ouvido com o áudio, não interferem de alguma forma a experiencia?
  6. Exatamente disso que estou falando! Pelo fato de ainda ter ligação com o corpo físico.
  7. Isso acontece comigo as vezes, mas sempre me forço a ficar acordado. hehehe
  8. Vi um post de um amigo no fórum, em que ele compartilha musicas que ajudaram ele a se projetar. E eu tenho duas duvidas, a primeira é relacionada aos fones e a musica, isso pode interferir a experiência de alguma forma ? No sentido de que enquanto estamos tentando apagar o nosso corpo e manter a consistência acordada a musica ficaria rolando . Não sei como funciona esse processo de transição de consciência em relação a audição, já que não experimentei ainda. A outra é em relação a aparelhos eletrônicos próximo do corpo enquanto tenta a projeção, se não me engano foi aqui no fórum mesmo que eu vi relatos de pessoas que ficaram presas por conta de aparelhos próximos, mais especificamente o celular. No caso meu celular fica na cama mesmo, próximo de mim.
  9. Motivo fisiológico. Eu tenho costume de beber água antes de dormir, sempre que termino as técnicas tenho que levantar pra usar o banheiro. hehehe Não acredito que as técnicas energéticas interfiram diretamente nos processos fisiológicos. Claro, dependendo da quantidade de água e do tipo de alimento que foi digerido(como o @sandrofabres citou acima) o desconforto pode ser maior.
  10. Li uma versão diferente. E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. João 9:1-3 https://www.bibliaonline.com.br/acf/jo/9
  11. As vezes eu to de bobeira e do nada sinto as energias nos pés, um formigamento de leve, e também as vezes sinto o meu chakra frontal, do nada, simplesmente sinto, e não faço a menor ideia do que fazer ou do que seja. Hoje mesmo estava na igreja com minha namorada e do nada comecei a sentir o meu chakra frontal, enquanto a moça pregava, logo depois senti as energias nos pés (onde eu sinto com mais facilidade) sem nenhuma intenção. Isso acontece também em casa, ou em qualquer outro lugar, sinto também algo no nariz, geralmente junto com o chakra frontal. Alguem sente isso também ou sabe me explicar o que pode ser ?
  12. Também tenho essa preocupação em relação a proteção do quarto, um dos meus maiores medos e sair e de cara ter um bixão dentro do meu quarto. kkkkkkk Aguardo respostas.
  13. Pera! Deixa eu ver se eu entendi. Se eu estiver com minha namorada do lado e começar a mover minhas energias, eu movo a dela também, ou isso deve ser feito de outra forma ? Tive essa duvida a um tempo atrás, onde eu estava deitado e comecei a mover minhas energias com minha namorada do lado, pensei: "espero que esteja ajudando ela também". É possível fazer isso ? Tipo, mexer com a energia da outra pessoa? Tipo, exteriorizar, absorver, mover, de alguma forma ?
  14. @sandrofabres! Muito boa e esclarecedora e explicação! Parabéns. Levarei essa ideia minha vida toda. kkkkk Realmente é muito difícil falar de lucidez, quando automaticamente sem querer rotulamos tudo que vemos. No final acaba se tornando uma troca de figurinhas, cego guiando cego como você citou.