• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Jutb

B-Membros
  • Content Count

    36
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

29 Excellent

1 Follower

About Jutb

  • Rank
    Advanced Member
  • Birthday 09/04/1997

Recent Profile Visitors

804 profile views
  1. Ontem eu estava sentada, tomando café, e de repente tive a sensação de algo gelado na parte lateral do quadril, mais ou menos como mostra a imagem. A sensação começou como uma vibração leve um pouco mais abaixo dessa área da imagem, na área das coxas, e foi se alastrando mais pra cima, na parte de trás, ficando cada vez mais fria e localizada só naquela região. Essa sensação foi só na minha perna esquerda, durou uns 5 min e foi enfraquecendo até sumir. Já senti algo gelado como senti ontem também no inicío do ano, recebendo um passe que na casa espírita onde fui era feito em uma maca, individualmente, por uns 10min. Dessa vez a sensação era como se um "líquido gelado" estivesse concentrado nas minhas costas, na região do osso do cóccix, e circulasse um pouco para cima. Não é uma sensação dolorida e nem nada, é só essa sensação fria, mesmo. Então, pensei em perguntar a vocês se essa coisa de "energia fria, energia quente" tem algum significado específico ou se é apenas um sintoma comum da movimentação energética, sintomas que podem ser diferentes de pessoa pra pessoa. Pesquisando no google não encontrei muita coisa, apenas alguns sites como esse https://www.joaomagalhaes.com/o-tao-do-reiki/2014/05/reiki-e-a-energia-fria-ou-sensacao-de-frio/, que associa a sensação de frio à falta de energia em algumas regiões. Mas é um site sobre reiki e energia reiki, então não sei se a mesma coisa se aplica no meu caso. Não sou iniciada no reiki e nem recebi tratamento de reiki da outra vez que senti, era um passe normal, mesmo. Penso que possa ser uma sinalética de recebimento de energia, e daí a sensação quando tomei passe, mas se fosse, essas energias não seriam sentidas primeiro pelo coronário em direção ao resto do corpo ao invés de começarem pelas pernas?
  2. Oi Wesley, tudo bem? Então, eu acho que o primeiro passo é entender que esses ditos "demônios" nada mais são que espíritos em desequilíbrio. Depois, fazer uma análise para tentar descobrir o que você teme. Ou melhor, o que em você está gerando essa sensação, porque o que você teme você já sabe, o que você teme são os espíritos que poderiam te assustar. Mas o que você não sabe é o que te leva a isso. Então eu acho que você precisa parar e analisar com calma para tentar encontrar a raiz desse problema, o que em você está a gerar os medos. Se você sente que esse medo ainda é por razões de auto-culpa, porque você ainda se sente de certo modo errado por ser gay, por exemplo, bem, nesse caso acho que você deve apenas ter em mente que você é você e ponto, homossexual porque você é assim. Nem melhor, nem pior que ninguém. E como ser ou não ser gay não é algo que tem um botão liga e desliga, não é algo do seu controle, não tem porque você se culpar. Mas se esse medo não tiver raiz na auto-culpa, e sim no medo de espíritos de um modo geral, um medo, por exemplo, do que pode ocorrer ao se deparar com eles em desdobramento, como se defender e assim por diante, então a única coisa que vai mudar isso é o conhecimento. Ler, pesquisar. Pesquisar mais e mais, mesmo embora você tenha dito já ter pesquisado muito em tempos passados. Porque muito dos nossos medos vem da falta de conhecimento, da nossa ignorância, e digo isso por experiência própria. Eu mesma já fui meio medrosa em relação a algumas entidades da umbanda no passado, por exemplo, até que passei a me informar mais e hoje é a religião que considero como sendo a que eu mais tenho simpatia. Os passes, as orações, os encantos, as promessas... tudo isso pode ajudar, mas vão sempre só fazer isso: ajudar. E não solucionar. Ajudar, mas temporariamente, porque não vão mudar o seu íntimo. Podem dar uma suavizada botando os espíritos pra longe temporariamente, como no caso de uma oração ou um ritual de banimento, por exemplo, mas você continuará vulnerável quando não puder fazer uso deles. O que significa que de certo modo vão ser só "muletas". Isso vai de encontro a algo que o user de cima já disse, o 7crossroads: E pode até parecer clichêzão, mas é verdade. Por isso eu, na sua situação, primeiro ia tentar ver o que em mim está causando isso aí e depois me apoiar em qualquer outro meio de auxílio como tentar desviar a mente, buscar por orações ou o que quer que seja, porque na minha opinião penso que todas essas coisas só vão "forçar o medo a se aquietar" ao invés de ir na causa. Espero ter te ajudado um pouco. Pra encerrar, leia esse post aqui, tem umas ponderações que eu acho serem boas para as pessoas que tem problema com medo.
  3. Jutb

    Peça da vida, das vidas

    Muito bonita a mensagem! : )
  4. Jutb

    Homossexualidade

    Para mim isso não seria um apego do espírito, mas algo que ele mesmo escolheu antes de reencarnar. Um espírito que no passado falhou por não dar a devida atenção a suas próprias vontades, por exemplo, tendo sempre a tendência de se colocar em segundo plano, poderia escolher reencarnar como transgênero para que essa questão de dar atenção a sua própria voz fosse um dos seus maiores aprendizados nessa vida. A sensação de que o modo que a pessoa é em nada corresponde ao modo como ela enxerga a si mesma seria, nesse caso, um impulso a mais para que essa pessoa priorizasse desde muito cedo na vida a necessidade da atenção a própria realização pessoal, mesmo que para isso ela seja obrigada a enfrentar inúmeras barreiras de preconceito muitas vezes dentro de sua própria casa.
  5. Jutb

    Dimensões escuras

    Oi Laura, bem interessante essa pergunta. Nunca me projetei consciente mas sempre tive boa lembrança dos meus sonhos e a maioria deles sempre se passou à noite, como os seus, então eu também sempre tive essa dúvida. Mesmo nos sonhos normais, onde eu repito ações diárias comuns que eu faria em vigília, tipo ir pra faculdade, ir no mercado, ir comprar pão na padaria...
  6. Jutb

    O que acham ?

    Explicação ̶d̶o̶ ̶t̶i̶p̶o̶ ̶q̶u̶e̶ ̶d̶á̶ ̶v̶o̶n̶t̶a̶d̶e̶ ̶d̶e̶ ̶i̶m̶p̶r̶i̶m̶i̶r̶ ̶e̶ ̶c̶o̶l̶a̶r̶ ̶n̶a̶ ̶c̶a̶b̶e̶c̶e̶i̶r̶a̶ muito boa, Sandro! Não só para os iniciantes mas também para os mais experientes.
  7. Jutb

    Analgésicos, café e Projeção

    Como não sei te responder isso dado a minha falta de experiência, vou indicar esses dois tópicos, do Richard Mathias e do Walter. Neles você encontra umas respostas bem completas do sandrofabres e do zen. Espero que isso possa te ajudar.
  8. Jutb

    Cansado após projeção

    Provavelmente você tem ido a zonas pesadas sim, Henrique. Mas é complicado, porque pelo que eu vejo nem sempre a gente consegue identificar onde tá a raiz do problema, o que a gente pode mudar na gente para que isso não mais aconteça. E mesmo quando a gente sabe o que precisa mudar, ainda sim é difícil de manter uma estabilidade. Eu por exemplo procuro me manter ok o tanto quanto posso, mas vira e mexe eu dou uns escorregões. Só mesmo passar o dia triste demais com algo, por exemplo, com a mente focada só naquilo, já me faz acordar no outro dia "de ressaca". Acordo muitas vezes não só cansada, dolorida, mas irritada, incomodada, sem paciência. E é sem razão. Não acordei no susto, não estou irritada com ninguém, não perdi a hora, nada. Antes eu pensava que isso acontecia apenas porque o meu cérebro não relaxava nem mesmo no momento de dormir, e era uma característica minha, mas hoje acredito que tenha sim relação a queda da sintonia. Porque depois que passei a me atentar a isso, começou a acontecer mais raramente essa sensação de "acordar acabada".
  9. Jutb

    Desconforto na técnica

    Será que não seria apenas algum desconforto que você sente em seu corpo depois de passado algum tempo por não estar acostumado a ficar muito tempo imóvel em uma mesma posição?
  10. Jutb

    Minha primeira projeção

    Claro Adriano, concordo contigo, foi uma falha minha não complementar. Como ninguém tinha respondido o usuário, tentei fazer uma explicação mais direta, de modo rápido. Mas nem sempre dá de ser mais direto, realmente alguns assuntos exigem uma maior explicação. Se não for assim, o pessoal pode acabar confundindo as coisas.
  11. Jutb

    Minha primeira projeção

    Sim, movimentar energias seria "fazer o EV", que é o que chamamos às vezes de movimentação energética, outras vezes de OLVE (movimentação em circuito fechado, sem exteriorizar e absorver). : )
  12. Jutb

    Sensibilidade á mudanças energéticas

    Sim, quanto a paz não precisa se policiar para evitar, porque na verdade a meta é justamente mantê-la. O que quis dizer, Mateus, é que você precisa tentar se policiar para manter a paz dentro de você tanto quanto possível sem que sua paz precise depender da companhia de alguém ou de algo, como por exemplo uma meta que você deseja alcançar, para que assim você consiga apreciar mais a sua própria companhia e manter o teu foco no seu momento presente. Porque as vezes a gente acaba ficando tão feliz ao lado do outro, como se só aí nossa vida tivesse mais sentido, que nossa vida acaba ficando baseada só nisso, sem apreciar também nossos momentos sozinhos no nosso próprio casulo. Mas, de novo: ... É, acho que tem que tentar debater e mostrar seu posicionamento sim mas também ficar vendo o desenrolar da situação. Se vê que a discussão não tá levando a nada, não fique ali muito tempo se desgastando em fazer a outra pessoa entender. Porque se você já se posicionou, você já fez a sua parte, e agora cabe também ao outro em ter também uma postura aberta a diferentes opiniões. Mas não tem que ficar irritado, magoado, e nem pensando "nossa, mas é um b****, pldds!... " se o outro não se mostrar aberto, porque se pensar isso, você também não está sendo aberto, né? Eu acho que tem que deixar, e como eu já disse, não se deixar influenciar muito pelo sentimento que surge primeiro, que é o de revidar. Mas não revidar não é ouvir e ouvir e deixar de ter o seu ponto vista, é só saber o momento de sair da discussão quando percebe que falar e falar não está levando a nada. Dar a opinião sim, mas procurando manter a linha. Não deu certo de passar o ponto de vista? Tudo bem, silencie e procure mudar o tema ou pelo menos manter a calma dentro de você, porque ser ou não afetado depende de você. Mas realmente alguns temas são mais complicados de se debater mesmo, como esses relacionados ao espiritualismo. Eu infelizmente nem comento sobre isso com meus conhecidos porque vejo que é praticamente ficar andando em círculos. Acho uma pena, porque acho que com muita coisa seria útil. Noto que muitas vezes eles temem algumas coisas que... caramba, não é o bicho de sete cabeças. Mas sempre acabo deixando pra lá.
  13. Jutb

    Sensibilidade á mudanças energéticas

    Olha, falar na teoria é sempre mais fácil que colocar na prática, mas eu tentaria sugerir o meu objetivo no momento, que é procurar manter o seu equilíbrio interno como sua maior meta, tentando fazer o possível para manter esse padrão e tomando cuidado aos estímulos emocionais. Muito do que vou falar aqui foram coisas que o próprio Saulo aconselha nos vídeos dele, e por eu achar que são dicas boas, tento aplicar a mim. Então, tente se policiar quando se perceber excessivamente triste, excessivamente feliz, excessivamente ansioso, excessivamente afetado por algo, por alguém, e quando se perceber assim, tente se afastar disso, mesmo quando estiver excessivamente feliz. O que não significa ser indiferente, é claro, mas "emocionamente estável", fugindo sempre de qualquer excesso, porque um excesso já é de certo modo um desequilíbrio. Esteja com as pessoas, valorize o contato, valorize as conversas, mas esteja ligado no quão as pessoas causam estímulos a você, sejam esses estímulos positivos ou não. E percebendo picos, procure se controlar para voltar ao estado "neutro", de equilíbrio interno, dominando a emoção sem que o oposto ocorra e elas te dominem. Tente cuidar de você em primeiro lugar, priorizando a sua paz interna. Então se alguém disser algo que você discorda e você sentir raiva... evite que o sentimento tome conta de você. Reagir, revidar, responder, guardar respostas prontas e se deixar ser afetado é algo que só faz mal pra gente, e é a gente quem precisa cuidar da gente. A nossa evolução é algo que depende de nós, sozinhos. Procure também enxergar todos esses acontecimentos como um aprendizado, porque talvez tudo isso esteja assim, mais latente, exatamente para que você desenvolva mais esse senso de auto-controle aos estímulos.
  14. Jutb

    Projeção, ensinamento e amigo

    Olha Leadbeater, não sei se tu vai concordar mas uma possibilidade a se pensar talvez fosse que essas criaturas dos olhos brilhantes seriam entidades que ficam ali para fazer supervisão quando percebem alguém com alguma intenção de amparo ou algo como isso. Percebo que você demonstra ser voltado a isso pelos seus relatos, além de voltar a demonstrar isso nos trechos que você escreveu aqui: E essa minha dedução tiver sentido, isso coincidiria com o meu sonho (supondo que não foi uma pura criação mental) que teve um desenrolar também relacionado a uma espécie de amparo antes da cena onde vi essas criaturas. Tentando explicar de um modo resumido, o sonho começou comigo passando por uma rua, quando de repente vi a cena de um rapaz sendo morto com um tiro disparado por outro após uma discusão. Eles estavam no meio da rua, à noite, em frente ao que parecia ser uma espécie de bar. Era um lugar escuro, sem iluminação, e o "bar" parecia abandonado, como se estivesse fechado já há tempos. Mas era como se apesar do bar não funcionar mais ali (a julgar pela aparência de abandonado) o pessoal ainda continuasse se encontrando nas proximidades, porque o local parecia ser frequentado por várias pessoas. Esse sonho no geral foi meio confuso porque não tinha uma ordem cronológica, e parecia ter mudanças na ordem dos acontecimentos. Pouco tempo depois eu ter visto o rapaz sendo morto, era agora eu estivesse em outra cena, onde eu estava em frente a uma mulher de uns 60, 65 anos, que tinha um porte pequeno (ela era muito menor que eu) e chorava sem parar. Estávamos no que parecia ser dentro daquele mesmo bar, ou nos fundos talvez, em um local também escuro, vazio e deteriorado. Lá de trás a mulher ficava todo o tempo com a atenção para algum ponto lá na frente, onde dava na entrada do bar, local onde toda a cena do crime aconteceu. E era esquisito, porque quando eu olhava para o mesmo lugar que ela olhava, parece que cena do assassinato se repetia de novo e de novo. Uma, duas, três vezes. A cena se repetia idêntica ao modo que eu tinha visto antes de modo muito realista. Parecia que de novo eu tava lá na frente, passando pela rua e então via a cena se desenrolar uma outra vez. Estavam lá os dois homens discutindo, e depois, o barulho do disparo da arma. E depois de novo a cena mudou. Eu ainda estava naquele mesmo lugar em frente a mulher, mas agora a expressão dela parecia ter mudado da água para o vinho. Ao invés de chorar, sorria e dava risada, e me agradecia por eu ter feito ela rir, enquanto eu aceitava o agradecimento mas também não fazia a menor ideia do que eu tinha feito de tão especial. Não vi o que aconteceu entre a parte que ela estava triste até ela ficar feliz, mas pelo que entendi tudo o que eu fiz foi apenas conversar um pouco, provavelmente na tentativa de destrair ela. Depois dessa parte o sonho acabou com a cena rápida que comentei. Em uma cena alheia a todas as outras cenas, vejo em um flash rápido aquelas pessoas com olhos brilhantes, sérias e imóveis, que ficavam me observando. Assim como você, que diz sentir a alma lavada quando se encontra com eles, acordei me sentindo muito bem também depois que tive aquele sonho, fiquei muito alegre como se aquilo de fato tivesse ocorrido. Naquela época eu ainda não tinha me atentado a tentar mudar minha frequência/sintonia e também não sabia que nossa frequência está totalmente ligada a densidade dos locais que iremos em astral quando projetados, e aquele sonho veio em muita boa hora, uma vez que naquela semana eu estava bem desanimada, em um daqueles momentos que a gente acaba por se perguntar aquelas coisas como "o porquê da nossa existência", até mesmo desacreditada da espiritualidade como em todo. E o sonho veio de encontro com algo que muitas vezes as pessoas me diziam e nesses momentos de baixa auto-estima eu parecia esquecer, no meu caso, que muitas vezes eu consigo passar certa tranquilidade quando converso com elas, mesmo embora eu mesma nunca achasse que isso ajudasse de fato. Foi como se o sonho dizesse: "ei menina, larga mão de ser assim mimizenta. Isso ajuda sim, caramba!" kkk. Além de ter sido um sonho que me fez ir pesquisar sobre os caboclos, como eu disse, que acabou trazendo uma renovação no meu interesse pelo estudo dos temas espirituais.
  15. Jutb

    Projeção, ensinamento e amigo

    Interessante a parte em que você citou os olhos das consciências que você diz ter visto, Leadbeater. Me fez lembrar um grupo de criaturas que vi em um sonho que eu tive uma vez. Eram umas 5 pessoas, pelo menos, todas juntas, em um lugar ao ar livre. Infelizmente não lembro do rosto de cada uma das pessoas, mas lembro que eram fisicamente bem diferentes uns dos outros. Enquanto alguns eram muito loiros e claros, quase albinos, outros pareciam ser de uma diferente etnia. Tinham pele morena, cabelos bem escuros e uma aparência indígena. Dentre os indígenas, me chamou a atenção especificamente uma moça com pinturas toda a região do rosto. Achei bonito demais a variedade dos desenhos e principalmente as cores, que eram bem vívidas. E embora eles fossem bem diferentes fisicamente, era interessante porque todos tinham os mesmos olhos, um azul cor-do-céu, bem brilhante, como uma lanterna. Esses olhos eram meio sinistros, mas além desse detalhe eles não faziam nada que transmitisse medo, porque na verdade eles não faziam nada. Não falavam, não interagiam, nada, só ficavam me observando através de um vidro que me separava deles como se "me vigiassem" à distância. O que será que quer dizer esses olhos assim? Seria apenas um modo para que pudéssemos diferenciar com mais facilidade espíritos guia de outros espíritos... ? Lembro que quando acordei fui googlar, só de curiosidade, pra ver se encontrava algum relato de "entidades com olhos luminescentes", mas não achei nada. Então fui pesquisar por entidades com aparência indígena, e aí descobri o que muitos já devem saber, que na umbanda existe a falange dos caboclos, espíritos de antigos povos indígenas. Como no meu caso foi só um sonho, diferente do seu, que foi projeção, não dá pra saber se quis dizer algo, porque muito provavelmente foi uma criação mental, não dá pra saber. Mas de certo modo foi interessante porque na época eu nunca tinha ouvido falar sobre espíritos que se manifestavam com essas características.