• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Search the Community

Showing results for tags 'relato'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Apresentação
    • Apresentação
    • Regras do Fórum
  • Viagem Astral
    • Dúvidas sobre projeção astral
    • Dúvidas sobre informações gerais
    • Relatos Astrais
    • Chat Viagem Astral
    • Encontro Astral quinzenal dos Projetores.
    • Grupo de Estudos
    • Materiais Educativos do Saulo (em construção)
    • Materiais educativos de outros pesquisadores
    • Mensagens
  • Espiritualidade
    • Desabafos
    • Bom Humor Espiritualista
    • Espiritualismo geral
    • Vibrações e/ou Mentalizações
    • Vídeos / Dicas de Filmes / Áudios
    • Dicas de Livros
    • Bem Estar
  • Dúvidas sobre o GVA(fórum)
    • Dúvidas e Sugestões

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Found 18 results

  1. Olá galera, a algum tempo eu venho estudando (tentando) a projeção lucida. Mas de uns meses para cá eu decidi dar uma pausa por algo estranho que aconteceu comigo.. Vou ser breve. Depois de tempos tentando.. Em uma tarde deitei no chão do meu quarto para relaxar um pouco e até tentar uma projeção, mais nem dei bola, logo que eu cochilei e acordei em outro plano físico (sonho ou astral), dai não sei se foi sonho ou projeção. Levantei do chão do meu quarto e vi papeis escrito coisas da data de minha "morte" vamos dizer. Mensagens minha q eu tinha deixado, estava escrito: "Estive aqui em 2014. + MEU NOME" e eu todo consciente achando q eu tinha morrido.. algumas pessoas nao me enxergava, como minha família.. Do nada fui puxado para um local estranho com uma casinha com "brasa e fogo" numa chaminé grande e com algumas pessoas ali perto, e uma vós do nada surgiu. Você vai ser lançado ali (+ ou - assim) e eu com medo pedia ajuda a Deus, etc.. E um outro ser disse: Deixe-o passar desta vez então.. Dai nada aconteceu. Nisso tudo acontecendo eu tentei forçar para acordar como de costume e achei q tinha acordado, minha visao voltou para meu quarto e la estava eu, levantei do chão mas ainda estava no outro plano! Fiz de tudo dnv para acordar e voltei, levantei no meu quarto e ainda continuava no plano, fiz isso diversas vezes e eu voltava como tivesse acordando no físico, mais eu não estava acordando! Dai fiquei em choque e realmente achei q tinha morrido.. comecei a pensar muitas coisas de como aconteceu , eu tinha ido deitar como q morri , como isso aconteceu.. o que meus pais pensaram.. etc! Dai surgi em outro local q senti familiar, tipo uma escola, achei uma mina e gostei dela, dai minha consciência foi caindo vi ali q era um sonho (provável).. até eu acordar! eu estava correndo rapido numa rua do centro da minha cidade dai minha visao foi apagando, apagando até q acordei.. parece q fiquei sonhando a muitas horas, mas não! Quando eu levantei novamente no físico e tinha realmente acordado eu disse: Uffa, CONSEGUI!! kkss Decidi compartilhar este relato para vocês e dizer o pq de minha sumida aqui no fórum. PARECE BOBEIRINHA MAIS É DE TREMER. Vai q n acordo mais e morro ali kdkk Até hj estudando sobre isso , aprendi q não é possível morrer nestas ocasiões ( pelo menos é o q dizem), mais sei lá, vai q acontece! Mas pretendo voltar.. O que vcs acham q foi isso para vocês? Por que isso aconteceu? Seria um troll do astral comigo? Devo continuar? Valeu galera. Cuidado para não ficarem presos ein. Brincadeira.
  2. Vou relatar algo que aconteceu comigo a alguns anos. Eu sempre tive muito interesse em viagem astral, na época do ocorrido eu ainda não tinha muito esclarecimento como tenho hoje a respeito do assunto, porém eu sabia que o que eu tinha passado foi uma experiência diferente e até hoje eu não consigo entender de fato o que me ocorreu. Eu me via em um ambiente montanhoso, e no meio das rochas havia uma espécie de passagem, entrava nela e me via em um outro lugar, era uma paisagem totalmente oposta ao do que estava antes e parecia um local muito bonito, com uma vegetação vasta, grandes montanhas e o sol parecia de uma tonalidade de fim de tarde, algo meio alaranjado porém com uma luz bastante intensa como tudo que tinha lá, parecia que tudo brilhava e o mais interessante eram os "grandes cristais" enormes estruturas se assemelhando a prédios. Passando um tempo observando sentia alguém me chamar, me deparo com uma mulher alta e de cabelos longos e claros, seu rosto eu não consigo descrever pois a mesma parecia estar envolta de uma luz que não me permitia enxerga-lá de forma nitida, parecia algo tão etérico, ela não parecia palpável mas eu podia toca-lá(seria algum espírito ou guia? não tenho explicação). Acordei com uma sensação boa e me sentia tão leve como se a gravidade não me segurasse mais, seja lá o que me ocorreu foi uma experiencia marcante.
  3. Tive conhecimento deste fórum há relativamente pouco tempo, então hoje resolvi postar aqui alguns dos meus relatos iniciais das minhas experiencias do tema. Fica ai o link do texto: https://medium.com/@6RmIxDoOxd8L/sonhos-lucidos-viagens-e-outras-dimensões-58401234bc0d Depois irei partilhando aos poucos outras experiencias que tive e que vou tendo entretanto.
  4. Olá a todos.. Quando eu era criança na idade por volta de uns 05-07 anos, me lembro claramente que quando chegava a noite e eu ia dormir eu chamava meu pai por estar com medo rs, pois eu claramente enxergava uns fantasminhas meio na cor verde rodeando o teto de meu quarto.. Naquela época meus pais deviam pensar " É coisa de sua cabeça, coisa de criança, se acalme.." Mas para mim não era, lembro daquilo como se fosse hoje! Eles rodeavam o teto de meu quarto devagar , e com meu pai as vezes la junto comigo eu apontava pra cima dizendo que eles estavam lá, mas dizia q não era nada e me faziam me acalmar rs.. E também sonhava com uns treco me puxando para não andar em sonhos, ficava tipo agarrado até uma vez no sonho eu chapei e mandei me largar , mais lembro que parece que não tinha força lá pra isso.. mais isso parou depois de um tempo! (achei interessante fazer este relato para vocês e saber se é comum isso).. O mais recente que eu também lembro é alguns sons que eu ouvia durante a noite em meu ouvido, fazia um som de grilo, não de pineal e sim de grilo, igualzinho, bem lúcido no dia a dia eu ouvia isso tbm, mas parou.. E uma única vez na idade de uns 12 anos acordei numa madrugada depois de um pesadelo e passou alguns segundos e senti um tapa rápido dado em minha perna, logo chamei meu pai depois disso, gritei ele alto que nem louco, rsrsr. Fiquei com muito medo, me deram um tapa, era como se tivesse alguem em baixo da cama, mais não. Seria sensação da minha perna do astral ou física ? Tenho certeza q eu não estava sonhando, eu já havia acordado e fiquei em vigia antes disso. Depois desse ocorrido do tapa, quando tenho algum pesadelo e acabo acordando durante a noite, eu pego e se movo um pouco ou me belisco ksk. Comum isso galera ou não ? Deixe sua resposta e argumento sobre isso por favor. Depois desta fase, não tive mais essas coisas.. Decidi contar este relato, achei interessante por aqui todas coisas estranhas que eu tinha e me lembrava.. Obrigadão, é só!
  5. Bom dia, A alguns dias vinha vindo de viagem, coloquei uma música classica para relaxar e tentei conversar com meu mentor. Aos poucos começei a sentir uma sensação boa, e me vi em um gramado muito grande, grama alta, o lugar transmitia uma sensação boa, escutava uma música que se propagava por todo o ambiente, minha visão estava embaçada mas sentia mais alguem comigo, e senti que era meu mentor, ele conversou comigo. durante a experiencia, não sei se por causa do movimento do carro, ficava sentindo como se estivesse no astral e estivesse no corpo ao mesmo tempo, sentia ele me puxando aos poucos fui perdendo a lucidez e voltei para o corpo, despertei com uma leveza no coração uma paz de espirito.
  6. Quando estou trabalhando fica mais difícil me dedicar às técnicas e eu percebo que isso influencia um pouco na "qualidade" dos desdobramentos... Às vezes a capacidade de lembrar fica um pouco comprometida. Hoje eu estive em desdobramento com uns jovens que me indicavam alguns livros e então fui parar em uma biblioteca espírita no plano astral. Achei interessante porque o pouco que eu lembro dos livros que eu estava lendo, estavam em inglês... Eu lembro de um livro que falava de crianças que sofrem danos irreversíveis por conta de adultos que se passam por pessoas de confiança. Achei muito triste... Aí acordei falando com a minha esposa o nome de um livro que me foi indicado: "Young Tau", o espírito que me indicou enfatizou que eu tinha que procurar em inglês e disse também que eu iria gostar. Daí procurei na internet e achei um livro com um antigo conto de um poeta que teve o espírito levado por um ser celestial que lhe mostrou a muralha da China e lhe falou dos mistérios de uma Deusa... Ainda não li tudo, está em inglês, mas achei interessante e acredito que vou tirar algum ensinamento dali. Traduzi uma parte do prólogo e é muito poético. Parece um conto de uma era antiga, porém, curiosamente, tem muito a ver com desdobramento astral. "Eu, o poeta, estava em espírito uma vez em uma montanha remota na névoa da manhã e li em um livro antigo as seguintes linhas: "Havia um homem de Ramathaim-zofim, do monte Ephraim ..." E fui pego de uma vez na ponte flutuante e sonhei que ia para o céu. Levou-me um ser celestial na casa do sumo sacerdote, que me apareceu na forma de um homem idoso com uma longa barba branca, na cabeça dele usava uma tiara, uma touca de seda com fitas azuladas, com a mão direita ele segurou um cetro de jade, ele estava vestido majestosamente, com uma capa azul ao redor de seus ombros. Amável, ele compartilhou comigo o maná e me deu uma xícara de vinho fermentado. Ele confiou em mim um segredo: "Acima de tudo, os espíritos são uma deusa chamada Ma ..." Depois de ouvir isso, o ser celestial me conduziu em uma nuvem lentamente pelas nuvens do céu, e nós chegamos à estrela da manhã. Então ela me disse: "Você vê sua terra natal, a China, agora você receberá a graça da Deusa Altíssima, para ver a sua pátria, porque o que você percebe na Terra como mares e montanhas, esta é a China, e a única construção que é reconhecida daqui é a Grande Muralha. Então você entrará no Reino do Médio, para ver Tau Ti em sua existência. Eu estarei com você, e quando você tiver reconhecido absolutamente tudo, escreva um relatório e então deixe-o para a posteridade." Atravessamos lentamente a nuvem e nos aproximamos dos mares e das montanhas. Nós chegamos à terra perto do Mar Amarelo, perto da Grande Muralha, onde o primeiro portão estava fechado na Terra. Flutuamos como gênios através do espaço e do tempo, e escrevi a história como uma obra de amor: esta é a vida do jovem Tau Ti". Eu acabei criando um blog para registrar as minhas experiências e compartilhar algumas técnicas: https://viagemastral.weebly.com
  7. Minha rememoração está muito ruim. As lembranças estão meio nebulosas. Eu sei que estava totalmente consciente mas as lembranças estão muito ruins. Durante o dia, no trabalho, fiz a técnica compacta de 20 min e meditei mais 20 minutos na hora do almoço. Fiz OLVE umas 6 vezes de 3 a 5 minutos no banheiro e mais 1 meditação de 10 minutos também no banheiro. Fui deitar 21h30 fazendo a técnica completa 3 do Saulo. Fiquei acordado de barriga pra cima mesmo com meu cérebro falando pra eu virar pro lado pra ficar mais confortável. Entrei em estado de hipnagogia consciente. Vi uma cena de um cara em um restaurante que fazia um experimento em que ele conseguia através do ritmo de bater palmas influenciar o humor das pessoas das mesas ao redor. Ele bateu um ritmo e as pessoas ao redor ficaram felizes e descontraídas e depois outro ritmo em que uma senhora ficou com muita raiva. Geralmente eu só vejo imagens de pessoas ou lugares. Nunca aconteceu desse jeito. [Lapso de memória] Não lembro como saí do corpo. Sei que estava consciente, alegre e feliz. Aquela sensação de euforia característica das minhas projeções. [Lapso de memória] Lembro de pegar o Kindle na sala e abri-lo. Ele piscou e apareceu alguma mensagem. Não lembro o que estava escrito. Não lembro nem das letras. Mas sei que tinha algo escrito. Nesse momento senti uma presença de algo grande, bom, superior. Provavelmente meus mentores. A sensação é a de que eles estavam com as mãos na minha cabeça quase como se me guiassem e, não sei explicar como ou porque, a cor marrom. Ajoelhei na sala e comecei a rezar “Ave Maria". (Não costumo fazer essas orações prontas do tipo Pai Nosso e Ave Maria. Acho muito mecânico.) [Lapso de memória] Lembrei do meu plano de voar na projeção. Atravessei a janela da sala sem abri-la. Senti aquela sensação diferente de quando você está muito queimado de sol e tira aquele pele morta das costas quando atravessei a jenela. Comecei a voar lentamente. Lembro de estar feliz e alegre por ter conseguido voar, mesmo que lentamente, e não ter caído do 13º andar. [Lapso de memória] Acordei no plano físico. Fui ao banheiro e depois na cozinha beber água. Rezei a Ave Maria e fiquei com o corpo todo arrepiado mas MUITO arrepiado mesmo. Rezei umas 3 vezes e fui dormir. Preciso trabalhar a rememoração. Pelo visto as saídas estão acontecendo todas as noites mas eu não estou conseguindo trazer as lembranças para o corpo físico. Obs.: Em algum momento dessa projeção lembro de ter pensado: “Caramba, tem muita coisa acontecendo, como é que vou lembrar de tudo isso quando eu acordar?” Tenho a sensação de que aconteceram muitas coisas nessa projeção. A sensação geral é de que foram coisas boas. Acho que meus mentores só me deixaram lembrar dessas partes e restringiram minhas lembranças de outras partes. Ou talvez seja só uma questão de rememoração.
  8. Estou às margens de um rio canalizado e ele é tão fundo que decido me deitar para olhar para baixo. Entre eu e a água deve ter pelo menos 15 metros. O lugar é desabitado e existem algumas árvores espalhadas, deixando alguns pontos de descampado apenas com capim e outros com pequenas aglomerações de árvores, talvez uma lembrança do que antigamente era uma mata fechada. Jogo um pouco de comida na água e vejo um pato e uma tartaruga, mas principalmente os peixes aproveitam para comer. Estou ali perdido em pensamentos e apenas observo o local todo. O isolamento e a natureza que aparentemente foi poluída e destruída e depois se restabeleceu parcialmente, com aquele canal de concreto cortando a região, confere ao local um aspecto um tanto misterioso de uma mistura de natureza maltratada com técnica decadente. Já está escurecendo quando escuto um som estranho. É algo diferente dos barulhos e dos cantos dos animais. Nesse momento eu sei que se trata de algo incomum, algo inusitado que está distante e se aproxima cada vez mais. Então estreito a minha visão ao longo do canal e vejo algo que vem se aproximando e se movendo por cima d’água. Antes que eu tivesse tempo de pensar o que poderia ser aquilo, a figura passa bem diante dos meus olhos numa velocidade incrível. Parece um ser humano, quer dizer, tem apenas a forma de um ser humano, mas tem pernas e braços anormalmente longos, que ele parece usar para bater sobre a água e assim correr sobre ela. E vem “dizendo” em alto e bom tom e ritmicamente, com a sua voz única: -Bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu bilu... Em um primeiro momento, absorto na contemplação dessa imagem, não consigo pensar em nada muito diferente das nossas expressões brasileiras equivalentes ao universal “What the hell?????”, e apenas aproveito para fixar bem na minha memória o que certamente é um momento único na vida, uma imagem que só pode ser vista uma vez, e uma história que só poderá ser contada como piada ou ficção. Passado o choque é inevitável pensar “ahhh, ele existe, esse é o ET Bilu!”. E com um pouco mais de reflexão logo chego à conclusão de que esse deve se tratar de algum animal muito raro, ou no máximo, digamos, inter-dimensional, mas provavelmente, muito provavelmente... não é nada de outro planeta. Se alguém me pedisse para imaginar o ET Bilu de mil formas diferentes eu jamais o imaginaria dessa forma. Além do já descrito, ele possuía uma pele que me pareceu acinzentada e escura, e seu corpo magro e alongado parecia ter pelo menos 2 metros de altura. Porém, como todo “bom avistamento” (e talvez até para não romper com essa nossa antiga tradição), não pude ver mais detalhes, porque foi tão rápido... E se eu tivesse uma câmera ao meu alcance e tivesse tido tempo de pegar e começar a gravar quando o som se aproximava, ou se por coincidência eu já estivesse filmando tudo naquele momento, certamente não apareceria na filmagem nada mais do que um borrão, e talvez um chiado que eu juraria estar dizendo um claro “Bilu bilu bilu bilu...”, mas que só se pode ouvir “shhahshs shahhhh shaccchhh shahshshs”. E isso poderia ser facilmente explicado como um Martin pescador arrastando um peixão, ou algo assim. Obs. Este é o relato de um sonho.
  9. Esta foi uma das mais interessantes experiências que tive. Começou como um sonho comum, onde eu me via sozinha no escritório onde trabalho. Era noite, e como eu era a última a ir embora, estava fechando a casa toda. Em dado momento, vi vultos do lado de fora e fiquei em alerta. Tentei acender uma luz, mas de repente nenhuma lâmpada acendia mais. Senti medo. E foi através do medo que eu recuperei a lucidez. Creio que o medo é meu grande "gatillho", é o que me ajuda a me dar conta que estou fora do corpo. E ter consciência de estar fora do corpo mais uma vez me deu coragem. Saí da casa e uma cena estranha ocorreu: enquanto eu andava, via um rosto bem na minha frente (só o rosto, parecia o reflexo de uma imagem no espelho), que ora parecia meu, ora parecia de uma outra pessoa (a fisionomia mudava, ora parecia uma expressão de alguém com muita raiva). Nesta hora, eu disse em voz alta: "eu quero ser útil, por favor me levem a algum lugar onde eu possa ajudar!" Foi o suficiente para que eu me sentisse flutuando e iniciasse voo (não provoquei o voo, senti que estava sendo levada). Eu estava voando com certa dificuldade, mas ainda conseguia atingir uma boa altura. Eu via a cidade lá embaixo, porém ainda não me sentia segura em continuar. Neste momento, vi se aproximando de mim uma pessoa, meio que flutuando no ar. Era uma moça com um uniforme de astronauta (!), mas sem o capacete. Pensei comigo: "que absurdo é esse?". Mas a moça, ao chegar perto, olhou para mim sorrindo e falava algumas coisas que não me lembro, mas que na hora achei muito engraçadas. Gargalhei alto. Foi o suficiente para aumentar minha sintonia, e aí comecei a voar mais rápido, por entre os prédios, como um pássaro. Lembro que ouvi alguém me dizer: "aproveite este evento patrocinado!". Eu me sentia muito feliz, livre, em êxtase, e tinha consciência que aquilo tudo só podia ser patrocinado mesmo. Enquato voava, pensava comigo mesma: "acho que estou batendo meu recorde de tempo de lucidez fora do corpo". O cenário mudou, e agora eu sobrevoava montanhas. Havia trechos iluminados, outros mais escuros. Bem no alto de uma das montanhas eu vi uma casa bem grande, toda iluminada, como se fosse inteira de vidro. Senti familiaridade, e achei que era o palácio onde estive em uma projeção anterior. Parecia que eu iria parar nesta casa, mas eu mais uma vez repeti: "quero ser útil!". Aí eu desviei da casa e fui perdendo a altitude, em direção a uma montanha escura. A altitude ia diminuindo, mas a velocidade não. Eu sabia que iria me chocar na montanha, mas não sentia medo. Ao invés de me chocar, eu atravessei a montanha. Foi algo interessante, pois enquanto eu atravessava, eu escutava um barulho bem estranho, que parecia o som do meu corpo atravessando a matéria mais densa da montanha. O mais próximo que posso usar como comparação é o barulho de um papel amassando lentamente. Finalmente cheguei ao interior da montanha e lá dentro havia uma espécie de "comunidade". À minha direita havia um tipo de sala de cinema: um telão, e pessoas sentadas nas cadeiras, assistindo o que passava. Não vi o que era. À minha frente havia uma porta que dava acesso a uma escada de mármore e vi dois meninos entrando correndo. Uma voz me dizia para seguir os meninos. Fui subindo as escadas e me surpreendia como eu conseguia me deslocar sem um mínimo de cansaço. Antes de chegar ao final das escadas, vi muitas pessoas andando na mesma direção, como se aquele andar fosse um tipo de estação de trem. Os dois meninos eram mulatos, magrinhos e estavam apenas de bermuda. A idade aproximada era 11, 12 anos. Só que assim que os dois meninos chegaram no topo da escadaria, eles se viraram e me encararam. Senti maldade no olhar deles; parecia que haviam sacado por que eu estava lá. Neste momento, voltei ao corpo. Creio que nesta projeção eu deveria ter parado naquela casa grande, iluminada, de vidro. Ah, teimosia danada... Agradeço mais uma vez a oportunidade de compartilhar a experiência.
  10. Pessoal, bom dia. Escrevo para relatar uma experiência que tive há umas semanas. Primeiramente quero dizer que acompanho assiduamente o canal do Saulo (obrigado!), indicado por um amigo, quando perguntei a respeito da projeção astral. Ocorre que o canal me ajudou (muito) em outras coisas, principalmente na questão de se manter lúcido (expliquei tudo em um email de agradecimento ao próprio Salo - espero que ele tenha lido!). Assim, escutei os áudios do curso básico de viagem astral e comecei a cuidar mais das minhas atitudes, energias, comportamentos etc. Tudo visando à viagem astral. Sempre que ia dormir entrava em contato com meus guias, informando que estava à disposição para ajudar no que for preciso, em tarefas de amparo... Assim, num dia, acordei (pelo menos é o que acho) no meio da madrugada e "dei um comando" para sair do corpo (infelizmente não lembro qual). Nesse momento estava deitado e vi um véu passar rapidamente por cima de meu corpo. Assim que o véu passou por cima dos meus olhos eu me vi de pé, no meu quarto, de costas para o meu corpo físico. Nesse momento fiquei com um pouco de receio e pedi ajuda para os guias, dizendo que queria ajudar em algum amparo. Quando isso aconteceu fui "teletransportado" para a cozinha da minha casa, onde estavam sentados meu pai e minha mãe. Tentei falar com eles, mas estavam inconscientes. Minha mãe pegou uma faca e começou a me cutucar de leve (não doía)! hehe. Depois acordei. Pois bem, não sei se tive uma projeção (até acho que não tive), também não sei se eram meus pais sentados na cozinha, mas a sensação foi bem legal e gratificante. De uns tempos para cá dei uma relaxada, mas retomarei o meu projeto de viagem astral para, quem sabe, ajudar os outros! O que vocês acham que pode ter acontecido comigo? Obrigado por lerem este relato. Grande abraço e muita luz a todos!
  11. Olá queridas pessoas do GVA. Há alguns anos atrás tentei por algum tempo me projetar conscientemente mas apesar de conseguir sentir alguns sintomas que antecedem a projeção, não cheguei a completar nenhuma projeção. Ultimamente, eu, minha esposa e filha (11 meses) começamos a frequentar o Centro Espírita, estamos fazendo o Evangelho do lar em casa e estou estudando a doutrina espírita. Me indicaram um atendimento espiritual, fiz esse ontem à noite no Centro Espirita, achei bacana e me senti muito bem. Os espíritas me sugeriram que antes de dormir eu pedisse ao meu mentor que cuidasse de mim durante o sono. Voltamos para casa, rezamos (pedi ao mentor que cuidasse do meu sono) e fomos dormir. No meio da madrugada minha filha acordou para mamar e eu acordei junto. Ela mamou, dormiu e eu fiquei acordado sem sono. Comecei a fazer uma movimentação básica de energias e logo depois parei, me virei de lado/bruços e dormi. Depois de algum tempo, senti um formigamento no meu corpo e de repente comecei, aos poucos, a enxergar o quarto, mas com os olhos fechados! Eu tinha consciência que estava dormindo de lado, e ao mesmo tempo conseguia enxergar... isso é muito estranho. Logo, vi a cabeça de um ser a uns 20cm na frente do meu rosto, esse estava se deslocando lateralmente à cama, indo em direção aos meu pés. Aí, ficou claro, era a minha filha de 11 meses que estava caminhando se apoiando na cama e fazendo festa! Talvez pelo fato de eu estar de lado, quase que de bruços, não tentei sair do corpo, apenas observei. Como sentia meu corpo formigar, pensei que talvez estivesse de mau jeito e que isso fosse efeito da circulação e me virei, aí acabou a experiência. Não posso dizer que acordei, pois estava tão consciente durante a experiência que apenas abri os olhos. Toda a experiência deve ter levado 30 segundos. Olhei para o berço e vi minha filha dormindo. Aí estou com algumas dúvidas: Essa sensação de formigamento ocorre antes/durante a projeção? Vi minha filha projetada brincando, em astral ela estava com um casaco, mas quando acordei e vi ela no berço, ela estava de pijama. Pode isso? Ao final da projeção, quando volta-se ao corpo físico, ocorre algum efeito letárgico como se fosse "retomar a consciência"? No meu caso isso não aconteceu, tudo era tão real e eu estava tão lúcido que não houve "acordar". Algumas dicas para que eu tenha mais experiências??
  12. Oi pessoal, esse é o meu primeiro relato. Senti que preciso compartilhar minhas experiências, até mesmo para eu tentar entendê-las melhor, e não tem ninguém próximo que "acredite nessas coisas", então resolvi recorrer à internet e encontrei o fórum. Quem sabe alguém se identifique. Então, podem palpitar, dizer o que pensam ❤️ Vou começar falando como descobri a viagem astral e sobre um sonho que tive, e até hoje não consegui alcançar níveis significativos de lucidez. Na realidade, foi (e está sendo) um processo muito lento. Começou na minha infância. Eu tinha sonhos muito reais e desconfiava que as pessoas que eu via nesses sonhos eram reais, e nos encontrávamos quando dormíamos. Havia total controle das minhas ações. Não sabia o que era projeção astral, não fazia ideia, mas sentia que era real, de alguma forma. Um sonho perfeito para descrever o que quero dizer, foi um que tive quando eu estava com 9 anos de idade: Eu estava no quintal de casa e comigo estava uma menina que aparentava ser da mesma faixa etária que eu, um garoto que aparentava ser dois ou três anos mais velho e um menino baixinho, bem mais novo que os dois anteriores. No sonho, nós conversamos por um bom tempo e nos divertimos. Chegou um momento que eles me disseram que tinham que ir embora, e os guiei até o portão de casa. Então, não pude segurar e perguntei ao garoto mais velho: "Você existe no mundo lá fora?" (Eu acreditava que existia o "mundo dos sonhos" e o mundo "lá fora", e que o primeiro poderia ser tão real quanto o segundo)... Houve silêncio por um tempo, então exclamei: "Não adianta fingir que não está entendendo, só me responde se você é real, se existe no mundo lá fora". O garoto disse: "Não sei. Você vai descobrir". E sumiu juntamente com as duas outras crianças. Pois bem, aos 14 anos uma colega de escola me contou sobre algo chamado "viagem astral", de início achei o termo e explicação estranhos. Mas fui pesquisar, vi coisas sobre técnicas de como se projetar, mas não conseguia me concentrar o suficiente. Até que um dia, em um sonho, pensei sobre viagem astral e foi como se tivesse acordado, mas não no plano físico. Fiquei lúcida. Porém tive medo, e quis acordar. Acordei. Depois dessa experiência pesquisei mais ainda, e descobri a relação entre sonho lúcido e viagem astral, e que posso adquirir lucidez dentro do sonho, depois de dormir. Hoje, não consigo mesmo ter uma viagem astral lúcida, por um tempo parei até mesmo de lembrar dos sonhos. Só depois da morte de um ente querido, que voltei a lembrar. Não sei se esse sonho que relatei, foi mesmo um "sonho". Não sei se esse garoto existe mesmo. Mas uma coisa é certa, descobri que o "mundo" que vivemos, não é o único que existe. Talvez eu relate outras experiências da minha infância, experiências atuais, etc. Gratidão.
  13. Oi gente, vou deixar aqui um relato. A primeira parte é do sonho, então provavelmente não vai fazer sentido algum mesmo, mas vai que ali há alguma pista né? A segunda parte é a parte que interessa. -------------------------------------------------------------------------------------------- Minhas memórias desse sonho começam com a ultima escola que estudei, o Colégio Estadual aqui da cidade. Era como se a gente estivesse sobrevivendo ali, tendo que caçar comida e dividir, etc. Em um determinado momento um rapaz não sabia dividir a comida certinho (pizza, batata frita) e a gente foi atrás dele. Descemos então pelos corredores, mas quando cheguei lá embaixo estava sozinho. Ou as vozes de duas amigas: Uma loirinha do cabelo cacheado, Letícia, e a outra não lembro mas sei que conheço. Subimos pela escadaria e ao chegar lá em cima eu vi que estava nevando, coisa de nevasca mesmo. Seguindo a minha vontade, descemos até a outra escadaria que dá para o páteo, e lá pude ver umas 4 ou 5 pessoas brincando na neve. Ventava muito. Quando abri a porta, aquelas pessoas não estavam mais lá, mas havia agora umas 10 pessoas em um círculo quase que completo e esperavam por nós para fazer algum esporte com bola de futebol. Estava muito frio no local. O sonho vai seguindo seu curso (partes que eu não lembro), e quando vejo eu estou jogando vôley, só que as vezes a bola muda para um sabonetão gigante. Eu tenho ciência disso, mas era algo normal ali na hora, esse sonho não era em terceira pessoa mas em primeira, eu via meus braços/mãos e os controlava normalmente.. O ambiente vai lentamente mudando para a minha outra escola, a Municipal aqui da cidade (perto de onde eu moro). Continuo jogando vôley. Em determinado ponto, a bola sai dos limites da escola (por cima da cerca) e eu tenho que ir buscar. O local é como se fosse um penhasco, até na vida real. A cerca é alta, deve ter 5 metros, e o muro para o lado de fora, até a rua, deve ter uns 4 metros. Pego a bola e digo para a professora (qual eu interagia desde a outra escola): vou jogar ela mais pra cima já que o morro sobe. Ela grita algo como: "não jogue se for vegetariano", mas eu joguei mesmo assim. Não sei como, mas essa ação causou a prisão de um goleiro que estava no páteo jogando (tinha a ver com a Lava-Jato). Agora começa a parte interessante. Não lembro como, mas a experiência passou a ser com ET's e abdução. Não era bem sonho, eu lembro de estar lúcido/acordado dentro do sonho/projeção, lembro de ter acordado com boa lucidez mas não sabia que estava em sonho/astral, e não notei que meu quarto estava invertido 180º. Eu já estava envolvido naquilo que estava acontecendo, e uma hora eu disse (lembro de ter sido com consciência) "Se for pra ter cirurgia feita por ET's, que seja da seguinte forma: conscientemente, e eles me digam assim 'vai ser feito isso isso e isso', e eu teria que responder conscientemente se aceitava aquilo ou não". Meu estado de consciência mudou, como se eu tivesse tido um forte EV no físico (não foi como aqueles EV's no astral que parece choque, esse é mais sutil mas ainda assim bem perceptível), e tive um flash de visão com aqueles ET's que aparecem na TV, aqueles bem comunzinhos mesmo. Não sei se EU iniciei aquilo, porque foi a mesma coisa de quando me conectei com reptilianos: há uma conexão inicial feita por sei lá quem (pra mim é como um mero pensamento), mas depois me sinto conectado como um imã a esses seres, sou transportado até eles em EV e sem querer que isso aconteça. Mas dessa vez neguei, disse "AH NAO, NÃO MESMO!", senti repulsa por esse ET, e lembro de ter tido uma experiência ruim. Foi aí que eu comecei a ser transportado. Eu sentia a presença de ET's ali mas não lembro de te-los visto. Houve uma transição no ambiente, foi algo bem estranho, não sei explicar. O teto do meu quarto mudou, era como se estivesse aberto, eu conseguia ver o espaço e as estrelas. Acordo novamente, e novamente pensando que era no físico, minha consciência mudou mais uma vez (dessa vez para uma lucidez mais baixa) e com medo do que aconteceu. Fui até o banheiro me olhar no espelho (conseguia me ver normalmente) e no meu olho direito havia manchas de duas tintas, uma laranja e a outra não lembro mas creio ser um verde escuro. Essas manchas ficavam no olho mesmo, como se eu tivesse derramado umas gotas dessas tintas nele, e também na parte onde fica as olheiras. Eu estava usando luvas de motocicleta. Então finalmente acordei no físico, de bruços e com as mãos cruzadas, bem como um faraó mumificado, só que de bruços. Mas como já tinha passado por isso 2x na mesma noite, eu duvidei que tinha acordado no físico hehehe, e então fiz um teste pra ver se estava em astral/sonho, e estava mesmo no corpo físico.
  14. Bom! Esses dias minha namorada teve um sonho em que ela ia visitar uma senhora aqui da igreja em que frequentamos e então ela disse no sonho que era pra elas ungir a casa dela (Unção é uma oração com utilização de um óleo), ao descer a escada da casa dessa senhora ela viu um saco preto (Aqueles sacos de lixo) e um rapaz aqui da rua comendo tudo que tinha dentro. Pois bem, ela contou esse sonho no culto e decidiram que iriam ungir lá. Depois do culto foram lá e começaram a ungir, meu pai ele consegue ver o que acontece no plano espiritual e viu que tinha um ser lá, um ser pequeno que ficava correndo pra um lado e para o outro, pulando e etc, ele ia pra onde não tinha gente, quando alguém estava na escada do lado de fora ele ia pros fundos, mas chegou uma hora em que tinha gente nos fundos e na escada então ele não teve pra onde correr e incorporou em uma garota, ela começou a chorar, e até chegou a vomitar, até que expulsaram ele da garota, então o meu sogro perguntou se tinha alguma coisa que eles teriam ganhado de outra pessoa por lá. Tinha alguns brinquedos que as crianças tinham ganhado de uma tia que sofria de depressão, eles queimaram todos esses brinquedos e algumas outras coisas que eles ganharam de uma tia delas que é da umbanda que pelo visto estava carregado. Então voltaram pra orar e minha namorada viu um porco no rosto da mãe da garota que foi possuída, detalhe, a mãe da garota não teve reação alguma ao ver a filha daquele jeito, muito pelo contrário, ficou normal '-'. Agora minha duvida, os mentores podem fazer isso ? Dar visões sonhos e guiar essas pessoas ? Como é isso ?
  15. História. A muito tempo atrás conheci a viagem astral após ter falado com um amigo sábio e conhecedor do espiritismo, nessa época andei tentando mas só vendo videos da internet. Nada significativo pra mim aconteceu naquela época. Dai então de uns tempo pra cá tive sentido um niilismo muito forte, e já não sabia oque fazer. Mesmo sendo ateu, lembrei que eu tinha me interessado por projeção astral, pois achei algo com uma certa lógica (como acho até hoje, agora não sendo totalmente ateu.) e me intrigava, por isso comecei novamente a pesquisar.
  16. Olá pessoal do GVA, venho aqui por meio deste post para contar um pequeno relato que acabei de ter nesta sexta feira as 15:00 (moro no japão) bem, o relato começa quando, eu estava deitado em minha cama assistindo videos no youtube, quando acabei pegando em um sono, entrei em catalepsia, e ainda dava para assistir o video que eu estava assistindo, só que eu quis me projetar né é claro :P, bem ai eu comecei a fazer a tecnica do alvo mental, pois não sei porque não estou conseguindo sair do metodo tradicional. Com um pouco de esforço consegui sair, e sai correndo para minha sala, mas minha lucidez estava muito baixa, estava querendo voltar para o corpo sozinho, então comecei a gritar ''MAIS CLAREZA', como ja haviam me ensinado aqui no forum, segurava um pouquinho a lucidez mais não muito. Ccontinuei indo para minha sala, e quando cheguei lá estava tudo escuro com apenas uma vela no meio da sala iluminando tudo, não estava com medo mas achei estranho e acabei voltando pro corpo de novo em catalepsia, tentei fazer EV, mas pra falar a verdade eu NUNCA consigo fazer. Eu fiquei meio triste que não estava conseguindo sair naturalmente quando meio que fui puxado pra fora, acho que meu mentor ficou de saco cheio e me puxou de uma vez ;P, logo que sai percebi que minha lucidez estava bem mais alta, mas nada comparado a minha primeira projeção, que eu estava mais lucido que no proprio corpo, e então falei comigo mesmo '' AGORA VAI'' e fui descendo minhas escadas. Eestava bem escuro e dificil de enxergar, olhei para minhas mãos elas estavam embaçadas, e então fiquei gritando o mais alto possivel ''MAIS CLAREZA'' varias e varias vezes, minha voz até não saia as vezes, não sei porque, e então minha consciencia expandiu-se de uma vez, tudo ficou super claro e nitido, eu estava bem mais lucido. Fui até minha sacada, quando fui lá fora parecia estar numa floresta com arvores com mais de 20 metros grandes e bem verdes, e logo ao lado dessa '' floresta'' tinha um conjunto de apartamentos pequenos de 3 andares, tinham bastantes. Fiquei super feliz e pensei, vou tentar voar um pouco, tentei voar tudo ficou embaçado novamente e quase voltei para o corpo, mas consegui segurar, pensei, ''vou andando mesmo''. Ffui andando e eu via bastante senhoras andando , pensei ''vou conversar com uma'' pois até então conversei com poucos espiritos em todas minhas experiencias, ai cheguei numa senhora e disse, ''boa tarde!'' um grupinho de senhoras me olhou e acenaram sorrindo, perguntei : - Onde é que estamos?' -' estamos no Reino de deus -uma colonia espiritual?'' - Sim! colonia espiritual Reino de DEUS'', Por algum motivo estava um pouco dificil de entender oque ela estava falando, talvez baixa lucidez? ou ela estava a falar outra lingua? então, fomos andando abraçados como eu ando com a minha avo, conversamos um pouco, não lembro direito oque a gente estava conversando, mas acho que chegamos em uma parte falando sobre beleza, ai ela me disse : -' Mas eu não posso te ver! - Como assim?'' - voce é todo azul, todo de energia'', Porque será que ela não poderia me ver? pesquisei no google '' corpo espiritual'' e saiu varias imagens como esta, a maioria azul! e então logo depois deste dialogo voltei para o corpo super feliz! Muito obrigado que leu este meu relato, porfavor coloquem suas opnioes sobre meu relato! paz e MUITA luz
  17. Olá, boa noite! Comecei a alguns anos (Uns 6 anos) a tentar me projetar utilizando técnicas de concentração porém chegava a ponto de sentir levitação, coração acelerado e etc. Sem sucesso. Porém a algum tempo atrás dormi normalmente, de barriga para cima e por acaso acordei em catalepsia. Já perdi o medo destas coisas então pensei que poderia estar iniciando uma viagem astral já que a sensação foi semelhante porém muito mais forte das sensações que tive utilizando as técnicas. Pensei então em sair do corpo e de repente estava em pé ao lado da cama, más resolvi andar para fora do quarto. Tentei acender a luz, mas estava tudo muito difícil, tudo muito escuro. Fui até o quarto dos meus pais e acabei acordando. Acredito que foi minha primeira projeção. Já tive outras más não tão duradouras. Já ocorreu de eu acordar no meio da noite e estar em posição vertical, de cabeça para baixo na cama, e com as pernas lá para o alto. Sempre tento me projetar quando ocorre algum fenômeno deste tipo comigo. Queria compartilhar este relato e receber algumas dicas de como conseguir passar desta etapa que sempre fico preso ao tentar me projetar (Sentir levitação, Sensação de que tudo está tremendo e que a cabeça está tremendo, corpo todo formigando (E.V.), sensação de estar em dois lugares ao mesmo tempo, etc.). Quero conseguir realizar a projeção sem ser algo natural que ocorre raramente, se sim, com bastante esforço e dedicação. OBRIGADO QUERIDOS! Muita Luz!!
  18. Vejo muitas pessoas que encontram o fórum pois já tiveram experiências, de desdobramento consciente ou sonhos lúcidos, quando criança ou nos dias de hoje. Gostaria de saber se alguém que NUNCA teve uma experiência, e que começou a praticar do zero, já teve algum sucesso?