• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Search the Community

Showing results for tags 'vitalidade'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Apresentação
    • Apresentação
    • Regras do Fórum
  • Viagem Astral
    • Dúvidas sobre projeção astral
    • Dúvidas sobre informações gerais
    • Relatos Astrais
    • Chat Viagem Astral
    • Encontro Astral quinzenal dos Projetores.
    • Grupo de Estudos
    • Materiais Educativos do Saulo (em construção)
    • Materiais educativos de outros pesquisadores
    • Mensagens
  • Espiritualidade
    • Desabafos
    • Bom Humor Espiritualista
    • Espiritualismo geral
    • Vibrações e/ou Mentalizações
    • Vídeos / Dicas de Filmes / Áudios
    • Dicas de Livros
    • Bem Estar
  • Dúvidas sobre o GVA(fórum)
    • Dúvidas e Sugestões

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Found 2 results

  1. Saudações Um fenômeno recorrente tem me acompanhado sempre que faço certos exercícios ensinados na projenciologia/conscienciologia, é uma certa tontura semelhante a labirintite. Então quando faço a ativação dos chacras que é em emitir energias e depois sugar {exteriorização/captação}, fazer várias vezes como se fosse uma musculação energética... Quando faço nos chacras superiores frontais e posteriores, depois de um tempo um dia após mais exatamente fico com tonturas. Isso me impede em prosseguir nessas praticas. Já notei mais precisamente que ocorre quando trabalho com chacra da nuca. Parece que meus veículos sutis depois desse trabalho ficam mal acoplados no corpo... Alguém já teve sintomas semelhantes?
  2. O trabalho energético vem sendo realizado pela humanidade desde épocas remotas e de diversos modos apesar do descaso ocidental. Ou seja, povos antigos já perceberam que a energia que flui por dentro de mim e de você pode ser controlada, expandida e utilizada de acordo com o nível de domínio do praticante. Segundo a Conscienciologia, isso é possível sem a necessidade de rituais, do uso da imaginação ou de qualquer outra muleta nesse processo. Você já sentiu suas energias? Mas qual a vantagem em dominar as próprias energias? Caso você tenha esse questionamento, segue uma listagem com 100 vantagens, fora muitas outras, para entender a relevância evolutiva desse tema. As vantagens aqui listadas foram divididas em 4 categorias: vantagens pessoais, assistenciais, defensivas e multidimensionais. Muita gente passa a vida tomando passes e frequentando ambientes para que possa ser energizada e equilibrada. E se você puder fazer isso sem nenhuma dependência? SEÇÃO: BENEFÍCIOS PESSOAIS 01. Aumento da flexibilidade energética. O trabalho contínuo das energias torna o corpo energético flexível e muito mais fácil de ser mobilizado. Dessa forma, tornando mais eficiente às práticas energéticas em geral. A tendência é que quanto mais flexível for suas energias, mais forte serão todas as manobras fundamentais (circulação, absorção e exteriorização). Suas energias são fáceis de manejar, ágeis e maleáveis? 02. Promove a autocompensação energética. Seja qual for a causa de uma descompensação energética é possível através das energias inverter esse processo e gerar a autocompensação. Como vivemos imersos em um universo repleto de energias, toda descompensação não deixa de ser patológica. A absorção energética intensa é capaz de promover uma rápida melhoria e o retorno da potência pessoal. 03. Redução do estresse. As bioenergias trabalhadas de modo lento e consciente auxiliam na calma e na pacificação capaz de reduzir o estresse e a agitação da vida humana. Ao centrar a atenção em si mesmo e focar na técnica, por exemplo, circulando as energias sem pressa, geralmente com sensação agradável, e até certo ponto sedativo, têm efeito terapêutico. Não existe conflito sem o autoconflito. 04. Qualificação do animismo. Pelo fato do domínio das energias ser de base anímica, isto é comandado pela própria vontade, dá ao praticante autonomia e desenvoltura sem depender de mais ninguém. Na hora dos problemas não há dependências de “muletas” externas como médiuns, amuletos, gurus e nada do gênero. A vontade e a intencionalidade são fundamentais ao domínio das energias. 05. Ativação Energética. O trabalho bioenergético atua como um organizador dos nadis e chacras, promovendo o equilíbrio de vórtices desregulados e pouco ativos. Estima-se que haja mais de 88.000 pontos de energia ao longo do corpo e que são trabalhados “simultaneamente” na aceleração máxima do corpo energético (energossoma) promovido, por exemplo, pelo Estado Vibracional. 06. Leitura das energias do ambiente. Quem não é analfabeto energético consegue interpretar as energias dos ambientes e com isso se aproveitar delas ou mesmo evitá-las. Sentir padrões e analisar os mesmos faz total diferença para uma manifestação mais lúcida e sadia. Certas percepções e informações podem mais úteis e funcionais do que se pode imaginar. A psicometria é uma habilidade multifuncional. 07. Realização da desintoxicação energética. O desenvolvimento do corpo energético (energossoma) atua como um qualificador geral “enxaguando” e limpando energias indesejáveis. Assim como a limpeza física ajuda na manutenção da saúde, a movimentação energética é o desinfetante ou solvente geral que atua desde questões mais básicas até as mais complicadas. A energia bem trabalhada é prodígio para a desintoxicação. A mobilização intensa atua como um poderoso “lava-jato” das energias pessoais gravitantes excluindo formas-pensamentos (morfopensenes) indesejáveis e pensenes (pensamentos, sentimentos e energias) desequilibrados. 08. Auxílio na autopesquisa. A partir de suas práticas energéticas é possível conhecer um pouco mais sobre si mesmo. As sutilezas percebidas podem revelar muito aos olhos de quem está atento a tudo. Exemplos: alguém com autovitimização acaba diminuindo a potência do seu EV? A desorganização o impede de trabalhar razoavelmente as energias? Sua persistência contribui para a criação do hábito bioenergético? O seu Estado Vibracional, de certa forma, mostra quem você é. 09. Incremento da positividade. A atenção diária as próprias energias consolidam e sustentam uma atmosfera pessoal, ou um holopensene, de saúde e positividade. Uma pessoa bem-intencionada e com discernimento, que tem por hábito o trabalho energético, tem mais afinidade, em tese, para levar uma vida mais ajustada e com menos percalços. Energia sadia não promove desajuste. 10. Aumento do bem-estar. As energias produzem certo bem-estar íntimo ao praticante, por vezes gerando sensações indescritíveis e pacificadoras. O equilíbrio dos múltiplos corpos (holossoma) provocam efeitos benéficos independentemente da idade, do sexo, da formação cultural e de questões gerais. Entenda que ao invés de temer a movimentação das energias ela gera saúde e vida. 11. Melhoria da imunidade. O trabalho energético contínuo acaba por melhorar o corpo físico de um modo geral e também a imunidade. Vale dizer que um corpo energético forte predispõe um corpo físico forte e todos os benefícios de ter uma saúde mais estável para a realização das tarefas e exigências da vida humana de modo mais satisfatório. Toda pequena doença desperdiça tempo, energias e o foco nas tarefas pessoais. 12. Realização de check-up. A sensibilidade energética permite a realização de autodiagnóstico que vai desde pequenos distúrbios até alterações nos próprios chacras. Dessa forma, é possível ampliar com o tempo seu nível de acuidade integral aos moldes da chamada consciência corporal. Esse conhecimento de si mesmo permite a detecção de pequenas mudanças e possíveis causas e assim promovendo um equilíbrio pessoal por maior tempo. 13. Aumento do potencial energético. Da mesma forma que a força física muda de pessoa para pessoa o potencial energético também possui variações. Mexer com a energia não a esgota, muito pelo contrário pois ocorre uma potencialização gradual e isso se reflete em outros níveis manifestação. A maioria das consciências respeitam força, incluindo assediadores conscientes. 14. Maior acesso mentalsomático. Ao mexer com as energias entramos em contato com mundo que é subjetivo e interior. Não raro pessoas que ficam mais ativas energeticamente acabam voltando a estudar ou a tomar gosto pelas práticas mentais. Esse processo ocorre em função da qualificação das energias não apenas do próprio coronochacra como de toda área encefálica. O binômio energossoma-mentalsoma amplia a produtividade pessoal. Quem expande sua mentalidade evolui no ponto mais central. Um mentalsoma mais forte predispõe a um maior controle do corpo energético. 15. Suporte para acabativas. Serve como um instrumento capaz de melhorar a acabativa de algum serviço ou atividade específica. Por exemplo, é comum os amparadores patrocinarem EVs “espontâneos” ao término de uma projeção ou de uma seção assistencial. Quase tudo começa e termina pelas energias, consciente ou inconscientemente. 16. Expansão de chacras específicos. Do mesmo modo que a musculação aumenta o tamanho do músculo e sua força, o treinamento energético faz algo semelhante aos chacras alvo. Portanto, uma pessoa pode se tornar muito desenvolvida em vórtices específicos (expert) e ainda assim ter a maioria dos outros chacras mais expansivos que a média. Para isso é preciso muita prática e esforço em favor da própria expansão até que se domine certa área e suas correlações. 17. Diminuição da Impulsividade. A ativação do energossoma permite a centragem da consciência pelo encéfalo, não pelo subcérebro instintual. Desse modo, é possível observar que a impulsividade tende a ser menor em quem consegue mexer altas cargas de energia. Você já se libertou da conduta negativa relativa ao subcérebro abdominal? 18. Menor sedução energética. Ocorre gradualmente a eliminação da necessidade doentia e primária das seduções sexochacrais desnecessárias e fora de contexto. Assim o praticante acaba tendo uma vida mais centrada em si ao invés da dependência e da aceitação alheia. O autodomínio energético elimina o Homo sapiens vulgaris. 19. Ativação da sexualidade. A tendência é que uma pessoa energeticamente “morta” seja também alguém sexualmente ausente. Muito da potência de energia está relacionada com a potência sexual, salvo algumas questões de doenças nesse ramo. É comum alguém sexualmente inexpressivo voltar a ter desejo e maior intensidade sexual após começar a mexer as energias justamente por esse trabalho de reativação. Quase ninguém ativa suas energias sem a participação do sexochacra. A kundalini está entre as energias mais fortes em nós. 20. Possibilidade de chegar ao holorgasmo. A flexibilidade energética, gerada pelo esforço contínuo do casal, predispõe as vivências do holorgasmo para os parceiros afetivo-sexuais que tem a intenção e a vontade de promovê-lo por meio de metodologia específica. O holorgasmo é um processo energético e não tem relação direta com a ejaculação física. Você conhece os procedimentos técnicos do holorgasmo? 21. Conscientização da Evoluciologia. Saída intencional da condição primária do porão consciencial que não deixa de ser um desperdício de vida. Quando damos valor as energias podemos alavancar a evolução e sair do subnível que pode existir ainda de modo inconsciente. A maturidade energética tende a vir acompanhada de auto-enfrentamentos pessoais. 22. Maior Energopresencialidade. Com o passar do tempo, a força presencial é uma das mudanças mais perceptíveis da catálise feita pela melhoria das energias. É muito comum ver uma pessoa “apagada” e inexpressiva passar a por uma metamorfose silenciosa que a torna mais notada e apresentável. Muda-se a energia, muda-se quase tudo. 23. Manifestação com mais autenticidade. O domínio energético permite o indivíduo viver menos influenciável, com maior lucidez, seja qual for a dimensão. Dessa forma, pode-se dizer que a autenticidade torna-se presente a todo instante e não apenas em algumas circunstâncias. Se for para manipular algo, que sejam energias. Sua energia mostra quem é você, sob as influências de apenas si mesmo. Ser transparente é preocupante para você? 24. Autossuperação da vida materialista. Superação da visão materialista e do condicionamento meramente intrafísico para uma vivência mais abrangente, evoluída e menos limitada. Ao admitir e vivenciar que existe muito mais do que podemos ver acaba sendo um divisor de águas existencial. Quem realmente sente suas energias prova que a existência não e somente material. A melhoria da vibração energética causa refratariedade e aversão ao nível mais troposférico. 25. Depuração da autopensenidade. Depuração gradativa das manifestações pelos autopensenes cosmoéticos (enes). Isto é, com o passar dos anos as energias vão afetando positivamente toda manifestação pensênica (pensamentos, sentimentos e energias) mais séria a ponto de em casos mais raros auxiliar na incorruptibilidade da consciência. É no momento do seu ápice energético que você pode checar o nível de sua pensenidade magna. 26. Promoção da homeostase. Gerador da condição permanente e pacificadora da homeostase energossomática. O equilíbrio ocorre como consequência da fluidez energética. Desse modo o indivíduo fica até mais fácil de ser acessado e conectado por consciências de diversas especialidades e níveis evolutivos. Ative todos os seus chacras antes de pensar em avançar significativamente na escala evolutiva das consciências. 27. Diminuição de distúrbios do sono. Quem se exercita física e energeticamente normalmente dorme melhor que a média. No entanto, é bom observar se alguma técnica o deixa muito acesso e “ligado” demais quanto a lucidez. Há pessoas que dormem facilmente com o EV enquanto outras ficam mais despertas a ponto de não conseguir relaxar. Analise o que é melhor em função da intenção ao deitar. O que o sono diz sobre você? 28. Combate a energo-inexistência. A prática regular das energias torna-se um antagonismo óbvio e preventivo contra a ausência energética e as suas consequências nocivas. Dessa forma, o indivíduo deixa de lado o apagadismo, a autodefesa ineficiente e as intoxicações ininterruptas para viver o oposto de modo equilibrado. 29. Qualificação da Inversão Existencial. Quanto mais cedo uma pessoa aprender a mexer com energia melhor serão as suas chances de se desenvolver gradualmente e com maturidade. Assim sendo, é possível ir se desassediando prematuramente e tendo razoável domínio antes mesmo da adultidade biológica com ganhos ao longo de toda vida. Um inversor sem trabalho energético é como um piloto sem cinto de segurança. 30. Qualificação da Reciclagem Existencial. O reciclante existencial também deve casar-se com o desenvolvimento energético. Mesmo que seja alguém de idade avançada, o ajudará na vida integralmente e até mesmo no processo da dessoma, bem como na preparação antecipada para a próxima vida. A reciclagem pessoal é atemporal. 31. Diminui a ansiedade e sintomas de depressão. O trabalho regular com as energias permite um ajuste maior tanto do ponto de vista orgânico quanto consciencial. Não raro se percebe que a ansiedade é amenizada assim como sintomas que evidenciam estados depressivos. Vale ressaltar que nesses casos as energias ainda são secundárias e sem ir na causa desses problemas servem apenas como paliativos de ajuda temporária. Quanto mais forte as suas energias mais profundo tende a ser as renovações pessoais. 32. Vivência de ciclos de primaveras energéticas. Tendência no aprofundamento de ciclos de primaveras energéticas (cipriene) de modo consciente, construtivo e bem utilizado. Toda primavera energética acaba sendo terapêutica e preparatória para novos e maiores desafios que virão pela frente. A prática energética lhe proporciona energias sadias ou ressacas energéticas? 33. Interação com possível macrossoma. O controle das energias provavelmente deve influir positivamente quando se nasce com um corpo adaptado para seu propósito existencial. Uma hipótese que pode ser levantada é se existe algum macrossoma específico em relação as bioenergias. Outra hipótese é se o trabalho intenso de energias em uma vida proporciona o “passaporte” para um macrossoma na próxima existência. As energias potencializam o corpo humano. CATEGORIA: DEFENSIVIDADE 74. Profilaxias diversas pelo Estado Vibracional. Frente as técnicas energéticas o Estado Vibracional (EV) é um recurso profilático, ou seja, desempenha um papel preventivo sobre as mais diversas ocorrências e situações, sempre atuando de modo pró-amparo e pró-segurança. Do ponto de vista multidimensional, o EV é capaz de prevenir assédios espúrios, descompensações súbitas e situações que possam desencadear acidentes em geral. O Estado Vibracional pode ser mais vacina do que remédio. Você ainda usa o EV somente na necessidade? Ou já vem dando menos trabalho aos amparadores? 75. identificação das sinaléticas. Auxílio na melhora da sensibilidade e consequentemente na identificação das sinaléticas personalíssimas de caráter anímico-parapsíquico. Há parapsíquicos com dezenas de sinaléticas identificadas que sinalizam e descomplicam a percepção multidimensional. O binômio sinalética-EV é um recurso magnânimo para a vigilância interdimensional e para interrupção do assédio. 76. Manutenção da alcova blindada. O domínio energético permite que a alcova, ou base física, sede do corpo humano nas projeções e nas seções afetivo-sexuais, tenha uma blindagem energética frente as energias intrusivas e assediadoras na função de defesa local. Nesse princípio de exteriorização você imprime as suas energias que mostram quem manda no ambiente. Você mantém seu ambiente limpo de energias tóxicas e consciências patológicas? 77. Realização de encapsulamento. O encapsulamento é uma técnica energética defensiva que permite pessoas e até locais ficarem blindados e selados perante uma energia externa antagônica. Desse modo, é possível se fechar as intrusões diversas e manter sua condição de acalmia. Há momentos onde é preciso se fechar energeticamente. 78. Autodefesa Mental. Promove a autodefesa frente os xenopensenes (ou cunhas mentais) geradores de ideias fixas, autovitimizações, hipnoses doentias, manipulações diversas, certos tipos de surtos e todo tipo de patologia intrusiva de base mentalsomática. Como fica você perante uma consciência mal-intencionada que domina energias em alto nível? 79. Autodefesa Extrafísica. O Estado Vibracional é uma das inúmeras técnicas utilizadas como recurso para a defesa pessoal em outras dimensões frente as consciexes doentias, agressoras, perturbadoras, entre outros, capaz de manter o projetor lúcido e hígido sem a necessidade de voltar para o corpo. O EV é, ao que tudo indica, dependendo do caso, um porto seguro frente aos desafios e as problemáticas extrafísicas. 80. Geração da sustentabilidade energética. Promove o ser autossuficiente capaz de resistir gradualmente às pressões diversas, multidimensionais, rumo a uma serenidade plena. Com isso, fica cada vez mais resistente as energias tóxicas e desequilibradas. Essa condição pode favorecer até mesmo o mitridatismo energético capaz de anular a ação de cargas densas e mal-intencionadas. Quanta energia negativa você aguenta sem se alterar? 81. Hábito da autovigilância. A prática contínua gera a manutenção do Homo sapiens energovibrator em uma condição de autovigilância energética ininterrupta naturalmente. Assim que algo no corpo energético se altera, a percepção é imediata e corrigida se necessário. Ser autovigilante sem ter uma postura de alienação é algo raro e sofisticado. Você vive mais lúcido ou mais robotizado? 82. Identificar pessoas mal-intencionadas. Com a leitura energética é possível identificar pessoas que querem prejudicá-lo ou mesmo que trarão algum tipo de problema. Assim evita-se uma série de transtornos com alguém que pode até parecer amigo e sorridente, mas que, na verdade, é um embuste assediador. Toda informação que evidencie má intenção alheia é informação valiosa do ponto de vista preventivo. Como se diz, as energias são o maior cartão de visitas que existe. 83. Rastreamento de bagulho energético. Por meio das energias é possível a pessoa sensitiva identificar se algum objeto está com acúmulo de energias pesadas e patológicas, o chamado bagulho energético. Sem essa identificação um único objeto é capaz de poluir uma casa inteira com um padrão negativo e de difícil remoção. Portanto, essa detecção e remoção posterior do objeto é uma forma de limpeza energética fundamental para quem frequenta o lugar. Você gosta de algum objeto negativo? 84. Evitação do desviacionismo. Trabalhar com energia não é garantia de completismo existencial. No entanto, pode servir como forma de não cair em desvios espúrios da proéxis como, por exemplo, assédios possessivos ou surtos de imaturidade. A tendência é que a conexão com o curso intermissivo e a paraprocedência seja mais eficiente. Quem banaliza as energias pode ter problemas dentro de uma maxiproéxis. 85. Autodesestigmatização. A evitação de estigmatizações e macro-PK destrutivas geradoras dos desvios de proéxis, notadamente patrocinado pelas próprias energias não dominadas do parapsíquico. Importante ressaltar que todo acidente de base energética ou parapsíquica pode ser evitado. O estigma é resultado de uma ação energética proveniente de um emocional ainda desestabilizado. 86. Realizar desassédio. As energias são um recurso poderoso para o afastamento e a proteção em relação a intrusões negativas por parte de assediadores intrafísicos e extrafísicos. Dessa forma, quem se habitua a ativar e movimentar as bioenergias tende a ser menos assediado em função de um campo de energia mais hígido. Entretanto, mexer muito com energia, mas ter um nível de cosmoética ruim é pior e torna o indivíduo ainda mais assediável. Mas é fato que nossas energias são capazes de afastar todo tido de consciência negativa. SEÇÃO: MULTIDIMENSIONAIS 87. Aumento do abertismo. A percepção e a vivência das energias faculta um maior abertismo do indivíduo para contatar outras dimensões (multidimensionalidade) e para descobrir seus outros corpos de manifestação (multiveicularidade), sobrepairando a maioria da população terrestre ainda imatura e ignorante quanto a própria realidade. As energias são “portas” para realidades impressionantes. 88. Mudança dimensional. Com o domínio energético é possível o livre trânsito entre as infindáveis dimensões existentes, desde as mais pesadas e doentias até as mais sutis e evoluídas como a mental. Isso é feito por seres altamente evoluídos fora do corpo ou mesmo quando acessamo algum padrão durante a vigília física ordinária dependendo da sua vontade. Toda mudança de frequência é uma mudança energética. 89. Mudança de Holopensene. O trabalho energético feito de modo regular, durante os anos, permite a melhoria das energias conscienciais e multidimensionais alterando assim positivamente o holopensene pessoal e em alguns contextos até locais. Todo refinamento contribui para um avanço mais significativo da evolução. A mobilização das energias depura o microuniverso íntimo até o macrouniverso exterior. 90. Conexão com a dimensão energética. O esforço de dominar o próprio corpo energético permite a exploração inicial da dimensão energética (dimener) e suas nuances sutis. Por exemplo, vale se perguntar: “é fácil ou difícil mexer com energia nesse lugar?”. O hábito de sentir energias o deixa sempre mais alerta. Quanto mais perturbado for o ambiente, mais difícil tende a ser qualquer manobra energética. 91. Vivência de extrapolacionismo. O desenvolvimento energético predispõe ao praticante ter extrapolações parapsíquicas diversas e marcantes que evidenciam o próximo nível que pode ser alcançado se houver investimento e dedicação. As extrapolações podem trazer enorme vislumbre sobre o que é possível sentir, vivenciar e desenvolver. Os amparadores já investiram em você? 92. Fenômenos anímicos e parapsíquicos. Há uma gama imensa de fenômenos da consciência, superiores aos sentidos humanos, tanto de base anímica como parapsíquica, que podem ocorrer espontaneamente em função das energias ou mesmo que você pode dominar com o tempo. Há diversos fenômenos sequer catalogados até hoje. Energia transcende o material. 93. Aprimoramento do Parapsiquismo. Até certo ponto, pode-se dizer que todo mundo é parapsíquico em algum nível. Com as energias é possível progredir nas diversas esferas do parapsiquismo de acordo com as predisposições pessoais ou mesmo do investimento técnico. Muita gente quer melhorar o parapsiquismo, mas não é dedicado ao aprimoramento energético. Você é uma personalidade mais anímica ou parapsíquica? Está em desenvolvimento? 94. Vivência de experiências fora do corpo. O controle energético é um recurso poderoso que predispõe a saída lúcida para fora do corpo: tanto gerando condições otimizadoras no momento anterior da saída quanto fazendo o energossoma entrar em ressonância com o psicossoma. Não é preciso dominar as energias para só depois sair do corpo, nada disso. No entanto, quanto maior o domínio energético melhor tende a ser os resultados para o projetor. Energia é chave projetiva. 95. Incremento de lucidez. Na parafisiologia, o Estado Vibracional extrafísico e as demais manobras melhoram a lucidez e o raciocínio no estado projetivo, expandindo sobretudo as parapercepções durante as experiências. Toda pessoa que tem certo domínio energético tende a desfrutar de maior lucidez em suas ações. O hábito de mexer as energias enquanto acordado se transfere para as experiências multidimensionais. 96.Diminuição do lastreamento extrafísico. Nas projeções lastreadas, que dificultam a locomoção e a desenvoltura pelo excesso de energossoma, o trabalho energético atua como um sutilizador das energias que permitem manifestações pelo psicossoma menos denso. Uma experiência fora do corpo pode ser sempre qualificada dependendo das técnicas e habilidades do praticante e o lastreamento pode ser revertido. 97. Clarividência. A soltura das energias predispõe a ativação do frontochacra e a melhoria da descoincidência para predispor as clarividências gerais e faciais em níveis mais sutis e avançados. Essa capacidade visual é habilidade fenomenológica que pode ser desenvolvida por qualquer indivíduo dedicado. Todo mundo pode ser capaz de enxergar além do mundo material. As bioenergias desmascaram o invisível aos olhos. 98. Mudança de parafisiologia. As práticas energéticas acabam gerando efeitos sadios na fisiologia dos nossos diversos corpos (holossoma). Em relação ao corpo físico pode-se citar, por exemplo, fora muitas outras ocorrências, a aceleração da digestão, reorganização cerebral, diminuição dos batimentos cardíacos, suspensão da adrenalina, eliminação de pequenos distúrbios, entre outros. Do mesmo modo, reverberam efeitos também nos outros corpos mais sutis e em toda a sua parafisiologia. 99. Minimização de assédio. O autodomínio e a qualificação energética gera a diminuição gradual dos assédios interconscienciais, notadamente os miniassédios inconscientes e eventuais. É como alguém que começa a fazer atividade física e acaba anulando certas doenças imperceptíveis que iria aflorar mais a frente. Do mesmo modo há muito miniassédio desfeito que o praticante nem fica sabendo. Você se contenta em ser assediado? 100. Alcance da Desperticidade. O domínio energético é o primeiro grande passo, multidimensionalmente falando, para a consolidação enquanto ser desperto lúcido e interassistencial nessa existência. O descontrole energético abre brechas para todos os tipos de intrusões assediadoras desde as mais brandas e breves até tipos permanentes. Afinal, nenhum desperto é desassediado na vida humana e assediado extrafisicamente. Desperticidade: refratariedade homeostática. Qual a sua desculpa para não investir no domínio energético? Este texto traz apenas informações básicas. Estude! Se aprofunde mais no assunto! E não acredite em nada. Experimente! Por Alexandre Pereira.