Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

jesus cristo


Recommended Posts

Gostaria de saber a respeito das colocações de cristo, quando ele diz: Eu sou o caminho a verdade a vida e ninguém vai ao pai a não ser por mim. Waldo 4Vieira diz que Jesus era um grande conhecedor das energias,porém se auto promovia dizendo que era filho do Pai.

Tenho oportunidade de conversar com evangélicos,eles são bem levados pela Bíblia e se mostram superiores a nós.

Gostaria da opinião de todos.

Link to comment
Share on other sites

Vamos colocar um pouco de pé no chão.

Os evangelhos, ao contrário do que muitos dizem, não são as palavras de Jesus Cristo e sim o que as pessoas ACHARAM que ele iria dizer para as comunidades cristãs de 40, 50 até 100 anos após sua morte.

Assim como Sócrates, Jesus de Nazaré não deixou 1 palavra sequer. Então, TUDO o que lermos na bíblia é no mínimo o filho do filho de um provável apóstolo ou alguém próximo a esse apóstolo.

E, para piorar, só temos a bíblia como referência de Jesus de Nazaré pois "todas" as evidências foram destruídas ao longo dos séculos pela Igreja a fim de tomar o monopólio da salvação e condenação. Criando o Cristo da fé.

Não podemos negar que Jesus de Nazaré era ectoplasta, nem que realizou algumas curas com o auxílio dos discípulos (também ectoplastas). O cara "era" bom no que fazia, isso é um fato. Mas também foi imaturo, egoísta, ciumento, impulsivo, fanático etc. São traços que evidenciamos ao analisarmos as passagens dos 4 principais evangelhos mais as cartas de "Paulo de Tarso", que também era analfabeto e que muito provavelmente foi o filho do filho que escreveu a respeito dele e da mensagem de Jesus para as comunidades.

Até hoje não sei porque divinizam ou semi-divinizam esse cara, sinceramente. Ele é só mais um na multidão de tantos que fizeram e fazem muitas coisas pela "humanidade"(No caso dele, Jesus, pequenas comunidades e só depois que a Igreja conseguiu domar o mundo).

Sobre os evangélicos, não há muito o que dizer. A grande maioria nunca leu 1 livro da bíblia sequer (ou se leu, foi leitura conduzida pelo pastor, com o apelo da exegese - suposta transposição da bíblia para os dias de hoje) e acha que "conhece a palavra".

Minha conclusão pessoal é a seguinte sobre Jesus:

Estudo ele como estudo qualquer outro, absorvo o que é cosmoético e analiso as falhas e defeitos para não cometer os mesmos erros.

Reconheço o mérito dele por trazer ideias avançadas para aquela época erma e selvagem. Pra mim, ele fez bem a parte dele. Infelizmente, a politicagem tirou vantagem dos fenômenos que o cercou e usaram isso para alavancar a maior e mais corrupta instituição de todos os tempos, construída em cima de mentiras, guerras, assassinatos e todo o tipo de miséria, a Igreja Católica.

Só que o ponto principal é, Buda, Krishna e Confúcio fizeram bastante também e numa época não tão distante, o que faz dele (Jesus) parte da multidão que está a favor de uma humanidade mais fraterna, assim como eu, você e muitos nesse fórum, nada mais.

Link to comment
Share on other sites

Não aconteceria NADA Planador, assim como não aconteceu nada.

Não há nenhum sentido em afirmar isso. A humanidade iria procriar da mesma forma, os valores morais iriam ser desenvolvidos ao longo do tempo e provavelmente estaríamos da mesma forma, quem dirá melhor se jamais tivesse existido a igreja católica e seus INÚMEROS TRAVÕES E INFLUÊNCIA POLÍTICA.

Não existe relação lógica nessa afirmação de "Jesus morreu para nos salvar". Salvar de quê? Do que adiantou? Séculos depois milhares morreram proclamando o nome dele, tanto os que matavam quanto os que morriam. Mil anos depois, torturavam em prol desse cara, obrigavam todos a se converter a causa dele, se não era morte. Que "pecado" ele tirou? Outra coisa, "Jesus" disse: "quem comigo não ajuda, espalha", logo, quem não era cristão, estava condenado. Sendo assim, como ele salvou aqueles distantes da área de influência dele, se não acreditavam nele? Ele abriu uma exceção (tipo oportunidade única) e salvou a todos? rs

Não faço a mínima ideia do que ele nos salvou.. Não digam inferno, por favor.

Na minha opinião, essa ideia sem sentido de "salvamento" é para criar um débito das pessoas com a igreja (suposta intermediária) e assim, as pessoas não tivessem alternativa a não ser quitar o débito da salvação.

:lol:

Foi sarcástico, mas não quis mostrar desrespeito, apenas questionei.

Link to comment
Share on other sites

Só vou fazer uma pergunta, pois minha tia me deixou meio confuso: Vive dizendo que se não fosse Jesus ter estado na cruz, a gente não estaria aqui.

Será? O que poderia ter acontecido se Jesus não tivesse passado por isto?

Não existe relação lógica nessa afirmação de "Jesus morreu para nos salvar". Salvar de quê? Do que adiantou?

O sentido dessa afirmação é, ao ser tomado ao pé da letra, errôneo.

Fazer a interpretação dos evangélicos de que ele "leva os nossos pecados" é um absurdo, convenhamos. Mas este está longe de ser um sentido lógico aceitável para essa assertiva.

Acredito que a questão de "morrer para nos salvar" seria justamente pelo ensinamento deixado por ele. Desde antes da sua vinda, ele já sabia que acabaria assim, portanto, "morreu para deixar o ensinamento e 'salvar' aqueles que seguissem seu ensinamento, apenas UM dos que elevam a moral e a espiritualidade.

Que "pecado" ele tirou?

Nenhum, e nem disse que tiraria. Isso é só outra interpretação errônea.

Outra coisa, "Jesus" disse: "quem comigo não ajuda, espalha", logo, quem não era cristão, estava condenado.

Moisés disse que Deus era autoritário e terrível.

Cristo disse que ele era a verdade, a vida e o caminho, e quem não estivesse junto com ele, seria certamente condenado.

Pergunto-lhe: Acha que se Jesus chegasse, há 2.000 anos atrás, dizendo para acabar com a escravidão, desigualdade social, preconceito, mentira, maus desejos, impostos, governo autoritário... ele teria cumprido 1% da sua missão? Se hoje ele falasse isso e influenciasse a todos ele poderia ser morto imagine naquela época?

Fato é que Jesus teve de falar de uma forma EXTREMAMENTE cuidadosa, do contrário teria sucumbido. O fato de seus ensinamentos gerarem todo tipo de desavença é culpa de quem realiza a desavença, e não dos ensinamentos em si.

Ademais, e isto já é consolidado: se leva séculos para um único espírito elevar-se moralmente e espiritualmente, imagine uma sociedade formada APENAS de indivíduos densos, um influenciando o outro? Dizer que, de 2000 anos pra cá, nada mudou é um absurdo, a mínima mudança já é fácil de sentir.

Não há nenhum sentido em afirmar isso. A humanidade iria procriar da mesma forma, os valores morais iriam ser desenvolvidos ao longo do tempo e provavelmente estaríamos da mesma forma, quem dirá melhor se jamais tivesse existido a igreja católica e seus INÚMEROS TRAVÕES E INFLUÊNCIA POLÍTICA.

Claro, concordo. Mas a culpa é de quem? Da Igreja Católica, claro. Nenhum amparador, nem um espírito mais elevado chega em um espírito e o obriga a ver a verdade e agir corretamente, pois que não seria cosmoético. Porque então Jesus teria que fazer isto? Ele fez a parte dele: deixou o ensinamento designado, e cumpriu sua missão. O resto está ao nosso encargo.

Vejo, neste campo, dois polos de atuação: um Evangélico-Católico, que não diviniza a Jesus, mas as suas palavras ao pé da letra (verdadeiros gramáticos-léxicos :D ) e o outro polo conscienciológico e semelhantes, que colocam a culpa das atrocidades terrenas e controle da Igreja Católica nos ensinamentos de um espírito, cometendo sempre o erro que vejo nesse segmento: a generalização tendencialista, que conduz a incorreções. Como se os dois lados fossem um extremo, ainda longe de um centro, que só uma futura razão superior poderá aduzir, livre de preconceitos (dos dois lados).

Sem provocações nem indiretas, apenas uma reles opinião. :D

Link to comment
Share on other sites

Pô, Elopes, você leu meu primeiro post? Se leu, então entendeu que eu não culpo Jesus por nada, pelo contrário, admito que ele foi O cara da época dele, com suas limitações, é claro :lol: [/alfinetada]

Eu coloco a culpa na instituição (igreja católica) que nasceu às custas dele e dos fenômenos que ele e sua galera (apóstolos) produziam. Pra você ter uma noção, antes do século 3 ou 4, o cristianismo não era a religião oficial do império, ainda continuava o panteísmo romano. Só que, segundo o que temos em artefatos históricos, o rei percebeu que ganharia mais grana e poder às custas de alguém que pregava sobre o inferno e juizo final (isso é algo que deixaria o povo amarrado à ele). Não estou falando apenas de Jesus. João Batista, mestre de Jesus, fanático, vivia pregando sobre um juízo final. Seu discípulo, Jesus, seguiu os passos do mestre e também pegou e pregou seu fanatismo.

Ao que tange aos conscienciólogos, posso falar por mim, e apenas por mim, não tenho preconceito ao que se refere ao cristianismo, pelo contrário, estudei para poder conceituar e dizer o que estou dizendo. Considero a possibilidade de estar errado? Claro! E ainda bem que existem pessoas para refutar e assim eu posso analisar o que eu falei bobagem.

Agora, sobre a hermeneutica... tem coisa bem forçada de interpretação, não tem não? Exemplo factível disso são os pastores e padres justificarem a matança e uma série de atrocidades que Moisés e Davi, segundo a bíblia, cometeram.

Outro exemplo? Esses mesmos religiosos profissionais, justificarem o conto da arca de noé.. Justificam as parábolas sangrentas do novo testamento..

Se essas coisas forem "a leitura correta", sinto muito, mas nada justifica homicídio, infanticídio, latrocínio, genocídio, assassinato e roubo. Nem mesmo o CONTEXTO da época e nem Javé (deus judaico-cristão), muito menos o contexto de hoje. Sendo um pouco mais extremista e realista, a Bíblia, assim como o Corão, deveriam ter uma classificação etária de 18 anos, ou seja, livro para ADULTO. Pensa comigo, o que uma criança de 10, 12 anos vai entender quando ler que Moisés ia matar seu filho pois "deus" pediu? E quando essa mesma criança descobre que seu pai é dessa religião? Esse é o menor e o mais clássico dos exemplos. Da mesma forma, não estou generalizando, há coisas boas.. Mas nas mesmas páginas onde há boas, há ruins. Minha crítica é baseada na ilusão que passam sobre o "amor Crístico". Igualmente, o foco não é Jesus e sim os políticos e marketeiros do pecado, inferno, juízo final e, é claro, da criação mais brilhante da igreja católica, o capeta!

Até!

Link to comment
Share on other sites

Apenas concluindo por aqui meus comentários :D .

Pô, Elopes, você leu meu primeiro post? Se leu, então entendeu que eu não culpo Jesus por nada, pelo contrário, admito que ele foi O cara da época dele, com suas limitações, é claro :lol: [/alfinetada]

Questiono-me se você leu o meu primeiro post, pois não me referi diretamente a você em nenhum momento, portanto a conclusão de que eu disse que você culpa Jesus por algo é incorreta.

Mas isso é o que menos importa, nesse tocante nossas interpretações convergem. ;)

Eu coloco a culpa na instituição (igreja católica) que nasceu às custas dele e dos fenômenos que ele e sua galera (apóstolos) produziam. Pra você ter uma noção, antes do século 3 ou 4, o cristianismo não era a religião oficial do império, ainda continuava o panteísmo romano. Só que, segundo o que temos em artefatos históricos, o rei percebeu que ganharia mais grana e poder às custas de alguém que pregava sobre o inferno e juizo final (isso é algo que deixaria o povo amarrado à ele). Não estou falando apenas de Jesus. João Batista, mestre de Jesus, fanático, vivia pregando sobre um juízo final. Seu discípulo, Jesus, seguiu os passos do mestre e também pegou e pregou seu fanatismo.

Concordo. Os apóstolos, como homens, eram falhos e imperfeitos também. Cada apóstolo tinha um defeito característico, o que influenciou nos feitos de cada um.

Ao que tange aos conscienciólogos,
posso falar por mim, e apenas por mim
, não tenho preconceito ao que se refere ao cristianismo, pelo contrário, estudei para poder conceituar e dizer o que estou dizendo. Considero a possibilidade de estar errado? Claro! E ainda bem que existem pessoas para refutar e assim eu posso analisar o que eu falei bobagem.

Como eu me referi à vertente conscienciológica, esta passagem não se aplica ao que eu falei. :D

Agora, sobre a hermeneutica... tem coisa bem forçada de interpretação, não tem não? Exemplo factível disso são os pastores e padres justificarem a matança e uma série de atrocidades que Moisés e Davi, segundo a bíblia, cometeram.

Outro exemplo? Esses mesmos religiosos profissionais, justificarem o conto da arca de noé.. Justificam as parábolas sangrentas do novo testamento..

Se essas coisas forem "a leitura correta", sinto muito, mas nada justifica homicídio, infanticídio, latrocínio, genocídio, assassinato e roubo. Nem mesmo o CONTEXTO da época e nem Javé (deus judaico-cristão), muito menos o contexto de hoje. Sendo um pouco mais extremista e realista, a Bíblia, assim como o Corão, deveriam ter uma classificação etária de 18 anos, ou seja, livro para ADULTO. Pensa comigo, o que uma criança de 10, 12 anos vai entender quando ler que Moisés ia matar seu filho pois "deus" pediu? E quando essa mesma criança descobre que seu pai é dessa religião? Esse é o menor e o mais clássico dos exemplos. Da mesma forma, não estou generalizando, há coisas boas.. Mas nas mesmas páginas onde há boas, há ruins. Minha crítica é baseada na ilusão que passam sobre o "amor Crístico". Igualmente, o foco não é Jesus e sim os políticos e marketeiros do pecado, inferno, juízo final e, é claro, da criação mais brilhante da igreja católica, o capeta!

Eu também afirmei a ironia desta "leitura correta". Ponto convergente.

Abraços! ;)

Link to comment
Share on other sites

Jesus voltára com a Cidade Santa junto a Deus.

Queimara com Fogo Lucifer e seus anjos.

Salvara os Puros e fiéis a ti.

e os que nao acreditaram em sua volta,

Sera jogado em uma especie de Purgatorio onde é certeza

que depois de sua purificaçao será salvo tambem.

E depois dizem que o "amor Crístico" é incondicional... :?

Nesse caso, não acredito que o amor crístico seja condicional, mas tão somente nossa visão egoica e ainda distorcida. :?

Fazer o quê??? :lol:

Por hora, achei o Evangelho Segundo o Espiritismo uma ótima interpretação ;)

Link to comment
Share on other sites

Elopes, incondicional seria ele, Jesus, salvar Lúcifer e todos que não acreditam nele ao invés de condenar ao fogo e purgatório, afinal, de acordo com a crença, Cristo é divino (santíssima trindade, 3 em 1), portanto, onipotente, exceto quando alguns não acreditam na "Sua" onipotência... =/ (Vide alguns trechos do velho testamento onde Javé não conseguiu fazer nada com certas populações pela falta de fé que eles tinham "Nele"). Daí certamente entraríamos na interpretação da doutrina onde Javé É Cristo em forma de homem, mas esse não é o caso.

É, minha visão egoica e distorcida com algo chamado lógica está atrapalhando a verdadeira interpretação... :lol:

Para se divertir:

Isso não vai dar em nada. Retiro-me da discussão.

Tetragrama, você é um teólogo nato! (isso foi um elogio, por mais que não pareça).

Link to comment
Share on other sites

Elopes, incondicional seria ele, Jesus, salvar Lúcifer e todos que não acreditam nele ao invés de condenar ao fogo e purgatório, afinal, de acordo com a crença, Cristo é divino (santíssima trindade, 3 em 1), portanto, onipotente, exceto quando alguns não acreditam na "Sua" onipotência... =/ (Vide alguns trechos do velho testamento onde Javé não conseguiu fazer nada com certas populações pela falta de fé que eles tinham "Nele"). Daí certamente entraríamos na interpretação da doutrina onde Javé É Cristo em forma de homem, mas esse não é o caso.

É, minha visão egoica e distorcida com algo chamado lógica está atrapalhando a verdadeira interpretação... :lol:

Engraçado Pseudo, que desta vez eu novamente eu não estava me referindo a você. Estava me referindo a estas crenças tendencialistas, especialmente a que o amigo postou.

O que é isto? Falha na interpretação de texto ou síndrome da carapulsa? :lol::lol::lol:

Brincadeirinha! :lol:

De resto eu concordo com você. :D

Link to comment
Share on other sites

Não é interpretação fraca nem carapulsa, perceba que quando você falou:

mas tão somente nossa visão egoica e ainda distorcida.

A abrangência desse NOSSA engloba todos que postaram nesse fórum (e muito mais), portanto, respondi a minha parte do nossa.

Isso é a mesma coisa falar "todos fazem isso, todos fazem aquilo", eu faço parte do todo e tenho direito de resposta, correto?

Por isso, respondi as duas vezes como se fosse direcionado à mim, afinal, direta ou indiretamente faço parte das generalizações sem necessariamente vestir a carapulsa. Aliás, acho até errado a pessoa se deixar incluir num grupo (generalização) sem manifestar sua opinião.

Quando você disse que nossa visão é distorcida, você fez exatamente isso, generalizou todos baseado num referencial de visão correta, qual seria essa visão correta? Será que eu compartilho dela e posso me incluir no grupo dos distorcidos e egóicos ou do grupo dos retos e sem ego? Foi por isso que eu respondi.

Compreendeu o porque das respostas?

Link to comment
Share on other sites

Não é interpretação fraca nem carapulsa, perceba que quando você falou:
mas tão somente nossa visão egoica e ainda distorcida.

A abrangência desse NOSSA engloba todos que postaram nesse fórum (e muito mais), portanto, respondi a minha parte do nossa.

Isso é a mesma coisa falar "todos fazem isso, todos fazem aquilo", eu faço parte do todo e tenho direito de resposta, correto?

Por isso, respondi as duas vezes como se fosse direcionado à mim, afinal, direta ou indiretamente faço parte das generalizações sem necessariamente vestir a carapulsa. Aliás, acho até errado a pessoa se deixar incluir num grupo (generalização) sem manifestar sua opinião.

Quando você disse que nossa visão é distorcida, você fez exatamente isso, generalizou todos baseado num referencial de visão correta, qual seria essa visão correta? Será que eu compartilho dela e posso me incluir no grupo dos distorcidos e egóicos ou do grupo dos retos e sem ego? Foi por isso que eu respondi.

Compreendeu o porque das respostas?

Claro que compreendi, mesmo que a análise ainda esteja em um sentido diverso do querido. Quando disse "nossa" visão, fora em um sentido muito mais histórico/epistemológico do que pessoal, referindo-me a um tipo de visão ainda embalsamado na sociedade, pois que estava analisando uma visão religiosa. Ainda sem necessidade de defesa de opinião, pois que não estava fazendo ataque a nenhum membro deste fórum, e apenas a uma ideia. O pronome "nossa" neste caso foi usado em sentido impessoal, tão generalístico que não cabe defesa.

Isso é a mesma coisa falar "todos fazem isso, todos fazem aquilo", eu faço parte do todo e tenho direito de resposta, correto?

Em todos os casos você teria direito de resposta. No entanto, por eu estar analisando uma visão histórico/religiosa, a sua resposta perde o sentido em relação ao meu comentário, pois que não me referi a nenhum momento a "sua visão egoica e distorcida". Aliás, como já disse antes, acho sua visão da "coisa" muito lógica e clara, mesmo que extremada em certos pontos (não cabe discussão aqui, apenas um comentário).

Mas, digo novamente, isso é o de menos :D . Encerro por aqui para outras discussões. ;)

Link to comment
Share on other sites

Vamos colocar um pouco de pé no chão.

Os evangelhos, ao contrário do que muitos dizem, não são as palavras de Jesus Cristo e sim o que as pessoas ACHARAM que ele iria dizer para as comunidades cristãs de 40, 50 até 100 anos após sua morte.

Assim como Sócrates, Jesus de Nazaré não deixou 1 palavra sequer. Então, TUDO o que lermos na bíblia é no mínimo o filho do filho de um provável apóstolo ou alguém próximo a esse apóstolo.

E, para piorar, só temos a bíblia como referência de Jesus de Nazaré pois "todas" as evidências foram destruídas ao longo dos séculos pela Igreja a fim de tomar o monopólio da salvação e condenação. Criando o Cristo da fé.

Não podemos negar que Jesus de Nazaré era ectoplasta, nem que realizou algumas curas com o auxílio dos discípulos (também ectoplastas). O cara "era" bom no que fazia, isso é um fato. Mas também foi imaturo, egoísta, ciumento, impulsivo, fanático etc. São traços que evidenciamos ao analisarmos as passagens dos 4 principais evangelhos mais as cartas de "Paulo de Tarso", que também era analfabeto e que muito provavelmente foi o filho do filho que escreveu a respeito dele e da mensagem de Jesus para as comunidades.

Até hoje não sei porque divinizam ou semi-divinizam esse cara, sinceramente. Ele é só mais um na multidão de tantos que fizeram e fazem muitas coisas pela "humanidade"(No caso dele, Jesus, pequenas comunidades e só depois que a Igreja conseguiu domar o mundo).

Sobre os evangélicos, não há muito o que dizer. A grande maioria nunca leu 1 livro da bíblia sequer (ou se leu, foi leitura conduzida pelo pastor, com o apelo da exegese - suposta transposição da bíblia para os dias de hoje) e acha que "conhece a palavra".

Minha conclusão pessoal é a seguinte sobre Jesus:

Estudo ele como estudo qualquer outro, absorvo o que é cosmoético e analiso as falhas e defeitos para não cometer os mesmos erros.

Reconheço o mérito dele por trazer ideias avançadas para aquela época erma e selvagem. Pra mim, ele fez bem a parte dele. Infelizmente, a politicagem tirou vantagem dos fenômenos que o cercou e usaram isso para alavancar a maior e mais corrupta instituição de todos os tempos, construída em cima de mentiras, guerras, assassinatos e todo o tipo de miséria, a Igreja Católica.

Só que o ponto principal é, Buda, Krishna e Confúcio fizeram bastante também e numa época não tão distante, o que faz dele (Jesus) parte da multidão que está a favor de uma humanidade mais fraterna, assim como eu, você e muitos nesse fórum, nada mais.

Permita-me algumas palavras amigo...

1 - Sâo bem uns 6 livros que comprovam a existência de Jesus. Livros de história de diversos lugares.

2 - Quem diviniza de forma exacerbada Jesus é(são) a(s) Igreja(s). Pois ele (a meu ver) foi e continua sendo muito incompreendido, pois o próprio disse coisas que o povo da época não compreendeu (parábolas) e infelizmente hoje poucos ainda conseguem entender. Ele de fato (como vc mesmo disse) esteve muito à frente de seu tempo.

3 - Jesus veio em carne e osso, para mostrar a vc, a mim e a todos que é possível viver uma vida aqui e sobreviver a todas as provações aqui existentes. Ele veio homem (creio eu) por esse motivo, claro que também para ser exemplo. Como você também concordou, ele é um belo exemplo, não desmerecendo todos os outros que também contribuem para a "expansão" consciencial de todos e construção de ideais mais altruístas e fraternos.

4 - Repare uma coisa... Se vc olhar da forma mais isenta possível, Jesus de muitas formas mostrou que não é diferente de nós. Vejo que a "santíssima trindade" vendida pela igreja católica, é encontrada em todos nós. Pois todos nós carregamos aquela linda centelha divina dentro de nós, temos um corpo humano (como Jesus também teve).

Parabéns pela reflexão isenta que fizestes, é sempre agradável poder ler reflexões desapegadas.

Forte abraço amigo!

Link to comment
Share on other sites

Eu já fui cristão por mais da metade de minha vida, até aqui.

hoje não mantenho mais esta fé, por que simplesmente ela é muito cheia de contradições se você a estudar cientificamente.

Um dos grandes problemas do ser humano é que ele só olha para o passado com um olhar religioso, e quase nunca científico.

Segundo "a minha" opinião, o cristianismo não é uma religião historicamente confiável, partindo do argumento que;

existem hoje poucos fragmentos dos textos originais,a maioria em posse do vaticano. E o mais intrigante é que os textos que contam a vida de Jesus, que não estão sob a guarda da igreja de roma, são tidos pela própria como não verídicos.

Existem evangelhos árabes,por exemplo, que apresenta um Jesus que prega a respeito de muitas coisas que a igreja não admitiria, entre essas coisas, a reencarnação.

Concluindo, o cristianismo, teve sua base fundamentada em mentiras , tudo em nome de poder e riquezas, isso a própria historia moderna pode nos contar.

Tanto é que ele não veio pra mudar ou revolucionar nada, uma das provas é a grande mistura de elementos de outras crenças em cerimônias cristas, como o natal por exemplo, com muito símbolos de religiões nórdicas.

Mas é claro esse é o meu ponto de vista, e temos que respeitar o de cada um.

Porém existe uma coisa que eu não entendo nas pessoas?? tudo bem se alguém quer acreditar por exemplo que 2+2 é 5 , sendo que está obvio que não é. Mas pelo menos que tenha uma teoria para sua crença, e não simplesmente falar que "é porque é, e que a fé não se explica", acho que isso é o ápice da irracionalidade.

Link to comment
Share on other sites

Pessoal,

Essa matéria intitulada "Os Anos Ocultos de Cristo! que foi capa da Superinteressante no final do ano passado, está bem instigante e eu consegui um link na Internet que possui a matéria na íntegra. Vale a pena perder ou melhor "ganhar"alguns minutos lendo...Abaixo segue o link...

http://super.abril.com.br/religiao/anos-ocultos-jesus-634671.shtml

Vale a pena até mesmo copiar e colar para guardar em arquivo word no computador, para ser consultado depois. Independente das controvérsias acerca da história de Cristo, o importante é que a Bíblia possui trechos motivacionaise determinadas lições de moral que valem para o nosso dia-a-dia. Agora quanto a radicalismos do Antigo testamento do tipo que refletem os costumes da época em que foram escritos, merecem passar pelo crivo de nossa razão.

Paz e esclarecimento para nós todos em 2012!

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Primeiro, pergunte a si mesmo por quê você acredita em Deus?

Você já o viu? Ou você apenas acredita porque está escrito em um livro? Ou talvez porque seus pais o obrigaram a ir a igreja e fazer orações? Por quê você acredita que exista um Deus que seja melhor do que todas as pessoas?

Alguns séculos passados a igreja, literalmente, obrigava as pessoas a acreditarem que existe um homem invisível nos céus que pode mandar você para o inferno. Obrigavam as pessoas, dizendo coisas como "Acreditem em Deus ou vocês irão queimar no Inferno!". Eles não deixavam as pessoas, ao menos, refletirem lógicamente sobre a possibilidade da existência de um Deus que é melhor que você!

Vamos usar um pouco do Hemisfério Direito do nosso cérebro, agora. O Hemisfério Direito é a parte Lógica do cérebro. Lógica foi e sempre será a Razão! Nós podemos pensar apenas de duas formas: Com Lógica , ou emocionalmente! Qual você Prefere? Pense assim, você está resolvendo uma equação e precisa achar o valor da incógnita x. Você pode resolver usando todo seu conhecimento em Álgebra, ou seja, utilizando a Lógica ou você pode resolver usando suas emoções, simplesmente "chutar" escolher qualquer número que veio na sua mente e escrever como resposta, usando a intuição! Qual, mesmo, você prefere?

Se pensarmos na existência de um Deus Onipotente, ele seria capaz de criar um objeto quadrado e redondo (esférico) em um só. Mas usando a Lógica (Razão), isto é totalmente impossível. O que comprovaria que Deus é "Lógicamente" inexistente!

Depois que você se questionar disto tudo e continuar acreditando, então você poderá fazer outras Perguntas!

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...