Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

sábado 26/02/2012


kiranoshi
 Share

Recommended Posts

26/02/2012

domingo, 26 de fevereiro de 2012

20:57

Hoje por volta das 13:00h fui praticar,

Bem acredito que pelo menos por enquanto minhas melhores experiências tem sido aos fins de semana a tarde (talvez por eu não estar na correria da semana e muito mais descansado)

Durante a pratica percebi aumento na concentração e nas repercurções energéticas elas ficaram muito mais intensas a ponte de que nem o barulho da construção ao lado da minha casa consiga me atrapalhar pelo contrario até me ajudam (~~°).

Na parte final da técnica comecei a escutar um som de vibração não sei o que era mas quando me concentrava nele sentia-me deslocando apesar de não estar dormindo ainda nem muito sonolento era um som que ia e voltava como uma onda fazendo zuuuumm zuuuuum zuuuuum....

Quando finalmente dormi tive sonhos estranhos o primeiro de que me lembro

Eu voltava de algum lugar carregando uma mala estava carregando muitas coisas entre elas sapatos e blusas (CARREGAVA NA MÃO) e por vezes elas caiam pelo caminho. Eu já estava no meio da quarteirão da minha casa quando cheguei no não estava mais no meio estava no começo no bar da esquina o beto (dono do bar me chamou) me disse que era pra eu pedir pro meu pai devolver uma garrafa de uma bebida que ele pegou de uma pessoa (ele tinha me falado o nome da bebida e da pessoa mas eu não me lembro) então voltei a caminhar vi meu pai passar em um carro e acenar (curioso que ele não tem carro ¬¬°). Então percebi que estava sendo seguido por três rapazes que não aparentavam ser mais velhos que eu mas estavam sujos e cheirando a álcool, senti que eles iam me fazer algum mal eu captava as intenções deles eles estavam com raiva de mim e queriam que eu lhe devolvesse alguma coisa mas eu não sei do que eles falavam.

Cheguei em casa tinha muitas pessoas no quintal acho que parente e amigos mas eu não via o rosto deles nem sabia quem eram mas eles não me causaram estranheza por isso acho que eram conhecidos os únicos que eu via eram aqueles três que agora eu já sabia que eram irmãos eu entrei em casa encontrei um amigo que ultimamente não sei se considero um amigo ainda. O Júnior ele estava alegre e estava me esperando então fomos para o meu dojô (que fica na sala) e começamos a treinar um pouco aí ele foi até meu quarto e disse que tinha feito alguma coisa lá. Lembro-me de ter entrado pela janela do quarto quando olhei todos os móveis estavam quebrados e amontoados na porta interrompendo a passagem e ele estava rindo mas com inocência como se fosse uma brincadeirinha qualquer eu não fiquei bravo com ele nem me lembro de ter tido qualquer reação era como se eu achasse normal aquilo.

Saí do quarto e me encontrei com os três irmãos de novo eles pareciam estar mais calmos lembro de os que mais me chamaram a atenção foram o caçula (por que ele não parava quieto) e o mais velho que parecia ter a mesma idade que eu (me chamou a atenção por ele ser muito sério e quieto o oposto do caçula).

Chamei os três para meu quarto mas não consegui abrir a porta por causa dos móveis que estava atras da porta então fomos para meu estúdio eles sentaram no sofá e eu na cadeira da mesa do computador e começamos a conversar não me lembro da conversa mas eles estavam desabafando comigo era como se de alguma forma eu estivesse ajudando eles.

Então o cenário mudou eu não sei como entrei para um colégio particular e também tinha conseguido uma vaga para o mais velho estudar lá também nós éramos colegas de sala, não me lembro o que estudávamos lá nem dos outros alunos nem da professora mas eu estava feliz por ele estar lá, mas ele ainda demonstrava preocupação.

Tudo rodou novamente agora eu estava em uma balada em um clube da cidade era de noite eu não sei em que clube era, e nem estava lá me divertindo eu estava trabalhando de garçom acho que por um momento quando fui pegar um pedido no balcão tenho a impressão de ter visto a Geralda (ela foi minha chefe no hotel quando eu trabalhei lá).

Então levei três doses numa mesa não vi as pessoas nem ninguém não só lembro me de comentar "esses copinhos são CDBs o do bar que eu trabalho são muito melhores" agora não tenho certeza mas tenho a sensação de que aquele rapaz (o irmão mas velho) estava lá comigo.

Acordei e pensei nossa tenho três sonhos pra gravar mas não peguei o celular pra gravar e adormeci de novo não me lembro de ter sonhado mais nada depois que acordei de novo estava chovendo então abri um pouco a janela para o ar entrar no quanto (gosto muito de chuva)

Levantei num pulo porque me lembrei que tinha deixado a janela do estúdio aberta e podia estar molhando minhas impressora e meu computador depois que fechei a janela fui tomar banho sabia que tinha sonhado mas não me lembrava o que era então sentei um pouco no banheiro mexendo no celular e aos poucos fui me lembrando e tentando por o sonhos em ordem então me veio um flash na cabeça uma cena em que eu estava chorando desesperadamente tanto que no momento cheguei a sentir um aperto no peito de me ver naquele choro mas não tenho certeza se sonhei isso ou não fiquei com aquela vaga impressão.

Terminei o banho e sentei aqui para escrever tudo isso.

:D

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Dojo é um termo japones para o lugar onde se treina artes marciais. tipo uma academia.

Pesquei da Wipédia:

Dojo (道場 sítio do caminho?, Dōjō) é o local onde se treinam artes marciais japonesas. Muito mais do que uma simples área, o dojo deve ser respeitado como se fosse a casa dos praticantes. Por isso, é comum ver o praticante fazendo uma reverência antes de adentrar, tal como se faz nos lares japoneses.

O termo foi emprestado do Zen Budismo, significando lugar de iluminação, onde os monges praticavam a meditação, a concentração, a respiração, os exercícios físicos e outros mais. Decompondo-se a nos kanjis, ver-se-á que «dō» quer dizer «caminho», «estrada» ou «trilha» (sentido espiritual), e «jō», «lugar», «espaço físico», «sítio».

Costuma-se referir a um academia de judô, aiquidô, caratê etc. como um dojô, mas se trata de coisas distintas. A palavra «dojô» somente se refere ao espaço físico onde se desenvolve o treino de uma arte marcial japonesa, enquanto academia se refere ao sítio onde se pratica alguma modalidade esportiva, ou não. Logo, «dojô» é o lugar onde se pratica o «caminho de uma arte marcial»[1].

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...