Mil desculpas pelo longo tópico, mas busquei, com força de vontade, interessantes fatos para quebrar paradigmas. Tenho uma posição, hoje, que não é conservadora: mais que a masturbação, a pornografia é prejudicial pelos pensamentos exteriorizados. Pelas próprias atitudes das pessoas envolvidas nesse processo (vulgaridade, completa banalização de si mesmo, palavras de baixo calão, total dissociação a qualquer objetivo da energia sexual) percebe-se que há algo errado nesse meio. Ora, acabemo