• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Joao Paulo

Prazer! Necessidade ? Hábito ou Alienação - COMER CARNE

Recommended Posts

Sim,concordo com o pesudal,aki tem bastante divergência de ideias mas não tem preconceitos.Esta conta como Zoantropo é nova,mas estive aki no fórum em meados de 2009/2010 com outra conta(na época,Adão Negro)por isso sei que o pessoal é de boua.

Acho que tem um numero bem menor de mulheres aki no fórum,pelo menos ativas nos debates,então é bem bacana isso ir se equilibrando, tecnicamente mulheres tem maior sensibilidade espiritual e mediúnica,pois são as características da energia feminina,então isso enriquece as experiencias e opiniões.

E ao invés de dificultar a aceitação de ideias,acredito que aumente consideravelmente hauuhahauha xD Brinks :lol:

Share this post


Link to post
Share on other sites
1- Não acha que afirmações extraordinárias merecem evidências extraordinárias? ?

Isso é outra forma de dizer : “dois pesos e duas medidas”. Em quase tud na vida essa atitude é considerada reprovável, mas quando se trata de ceticismo os caras acham que há alguma lógica nisso.

Mas concordo com o seguinte ponto: não há motivo algum para acreditar, é absurdo por tudo quanto a gente conhece e acho que uma pessoa acreditar nisso só porque outros estão falando é de fato ingenuidade.

E foi por isso que eu fiz, para saber se era real ou balela. Mais adiante detalharei mais.

É muito simples falar: Não precisa acreditar em mim, tenha suas experiências. Quando abordamos isso no âmbito das energias e experiências fora do corpo é uma coisa. Ninguém pode morrer, ter falhas nos órgãos, hipoglicemia aguda, parada cardíaca etc, quando realiza meros experimentos com energia. Agora essa mesma pessoa pode ter tudo isso se parar de comer e ingerir TUDO na primeira semana do "plano de 21 dias"?

Sim, e isso seria agir loucamente, e não falta gente no mundo que aja dessa maneira. Uma pessoa morreu tentando isso, porque após 5 dias ou menos sem água, tomou descontroladamente 3L em poucos minutos. Isso é si coisa muito séria, se agir levianamente você morre, ponto!

Mas não é qualquer um que tira a roupa e fala: "pode me testar da maneira que quiser, no entanto, eu quero tudo documentado e gravado". Se isso fosse tão real assim, acredite se quiser, já teria sido espalhado pela internet (meio mais democrático que existe já feito). Agora, o que temos quando colocamos "vivendo de luz" no YouTube? Temos videos esotéricos, algumas entrevistas sem seriedade, documentários direcionados. Cadê os estudos sérios e metodológicos? Cadê os laudos médicos atestando que essa cidadã australiana é capaz disso? ?

Acho que você chegou atrasado. Esse assunto foi manchete no mundo todo entre 2000 e 2002, depois caiu no esquecimento. Havia manchetes em capas de revista, o livro da Jasmuheen era vendido com uma tarja dizendo esta mulher não come há 8 anos, havia a Evelyn Levy , que vive nos EUA mas divulgava também aqui no Brasil , dando workshops, palestras entrevistas no Jô. E houve um programa, o 60 minutos, na austrália, em que resolveram fazer um desafio para a jasmuheen provar que podia passar sem água e ela “falhou”, ou seja, os sujeitos interromperam o experimento quando notaram que os batimneots cardíacos dela estavam meio altos, 120 parece, e as pupilas dilatadas, alegando que ela poderia sofrer risco de vida, e interromperam o experimento, mesmo ela querendo continuar. Isso foi manchete internacional por bastante tempo, e foi isso que me criou dificuldade quando eu fiz, pois eu decidi fazer em segredo, até porque estava vendo se funcionaria ou não, mas quando as pessoas notaram que eu estava emagrecendo, todo mendo concluiu que eu estava vivendo de luz, porque todo mundo tinha ouvido falar disso, virou febre na mídia de internet principalmente. Eu nunca admiti publicamente, exceto para família e amigos chegados, porque não acho que essas coisas devessem ser públicas. E quando em contato com os mentores que ajudam no processo perguntei se eu teria que divulgar abertamente isso, e eles disseram que não. Havia pessoa j’a fazendo isso no mundo, se dispondo a ficar na frente dos holofotes, logo, quando eles não me cobraram nada, optei por ficar na minha.

gostaria de um furo de reportagem desses? "UM CARA QUE NÃO COME E NÃO BEBE A NÃO SEI QUANTOS ANOS ESTÁ DISPOSTO A FAZER QUALQUER TESTE MÉDICO E A DIVULGAR SEU SEGREDO".. Putz, acha mesmo que essa afirmação não seria uma bomba? ?

No livro Embaixadores da Luz a jasmuheen transcreve o depoimento do cara que se voluntariou sim para um teste desses. Ele passava odia fechado numa casa, filmado o tempo inteiro por câmeras, mas depois de alguns dias os céticos, simplesmente forma embora e o deixaram ali. Como sempre acontece nesses casos, os céticos são as pessoas menos interessadas em provas, eles só se interessam por desacreditar tudo quanto é incomum. Ao serem confrontados com o fato eles geralmente “olham para o lado”, porque sua razão de vida é NEGAR tudo que desafie seu paradigma seguro. É só olhar a história da pesquisa com a paranormalidade, os caras afirmam que nda nunca foi provado porque ignoram quase tudo o que foi feito, usando como referência apenas uns poucos estudos em que identificaram alguma falha metodológica ou fraude deliberada.

O argumento de "uns podem e outros não" também não cola pois mesmo tendo diferenças biológicas, nossos corpos possuem as mesmas estruturas e glândulas, portanto, esse argumento é um "se colar colou". No entanto, se você estiver falando à respeito de parapsiquismo, posso até começar a concordar... Mas esse também é treinável. Esse negócio de "só os especiais conseguirão" tem uma conotação de seita.. não acha?

Bom, meu objetivo não era fazer propaganda do Viver de Luz, mas pelo jeito algumas questões foram levantadas, e que merecem mais explicação, então vamos lá.

O Processo do Viver de Luz se baseia , em primeiro lugar, numa atitude de libertação de crenças quanto a dependência do ser humano da matéria. A mensagem central é que o espírito se impõe sobre a matéria, e é isso que nos mantém vivos, não as condições materiais em si. A vida se instala onde o espírito se manifesta, e ela cessa quando o espírito se retira. Porém, essa atitude contrata com a visão materialista de que a matéria determina a vida, uma visão que permeia toda nossa civilização ocidental.

O objetivo de algumas pessoas fazerem isso publicamente é chamar atenção para esse paradigma, de que somos espíritos tendo uma experiência corpórea, e isso é tão verdadeiro que podemos demonstrar o domínio do espírito sobre a matéria fazendo algo tão materialmente absurdo como parar de comer e mostrar que vivemos não só não morremos, como temos mais energia e disposição para tudo.

Mas para que isso de fato se concretize você precisa estar bem alinhado com seu espírito, ele tem de fato que reger sua vida de forma muito clara. Se ele não consegue fazer isso, o processo não tem como funcionar porque você não está, de fato, em contato com a fonte que deveria mantê-lo vivo.

É por isso que não “e para todos, isso s”o pode ser feito pelas pessoas que tem essa conexão forte o suficiente, e conexão com sua parte espiritual, como todos vocês aqui deveriam saber, varia de pessoa para pessoa, e para uma mesma pessoa isso varia em diferentes momentos da vida. H”a momentos em que você “caminha nas nuvens” compreende a vida como um processo espiritual completo, a jornada da sua encarnação como um processo de aprendizado evolutivo, etc. E há momentos em que você simplesmente está estressado, cheio de problemas materiais para resolver, ou simplesmente muito “aterrado”, chafurdando nas pequenices da vida cotidiana, e tudo parece confuso. Manter a continuidade de sua vibração, digamos assim, durante toda a sua vida, ou durante logos períodos é um desafio tremendo para todos aqueles que trilham a busca espiritual. Isso não é nenhuma novidade. Então esse processo tem limitações quanto as pessoas que podem faze-lo, mas também quanto ao momento em que uma pessoa pode fazê-lo.

Como você sabe se você pode ou QUANDO PODE? A Jasmuheen explica que se você tem dúvidas, é porque não pode, simples assim. Ter dúvidas significa que ou sua conexão com seu espírito não é forte o suficiente para que você sinta a resposta interior que elimina todas as dúvidas, ou que de fato seu corpo não está em condições de fazer isso agora, em geral precisando de limpeza para diminuir o choque de abstinência por comida ( que é o que mata as pessoas rapidamente pela liberação de toxinas, que qualquer jejum provoca) ou para aumentar sua conexão com sua parte espiritual, porque você vai depender só disso para se manter. Você precisa saber quando pode voltar a tomar água, precisa saber se o processo está funcionando ou não, e se deve parar ou continuar em outra oportunidade. Essas são respostas internas que você precisa obter com certo grau de segurança, ou vai fazer bobagem. Se não estiver bem alinhando com seus espírito essa comunicação não será eficiente, e você pode tomar decisões erradas, cujo preço pode ser a morte ou alguma complicação física.

Sinceramente, esse papo de certeza interior sempre me pareceu conversa fiada. Como você pode ter uma certeza interior de algo tão esdrúxulo? Parece a típica conversinha new age. Por sorte eu só tive acesso a essa conversinha após ter sido ATROPELADO pela tal certeza interior.

Eu tinha visto a entrevista no Jô da Evelin Levy, e sinceramente não me convenceu. Até escrevi para ela perguntando se esse negócio era sobre parar de comer mesmo, ou se era uma metáfora para comer apenas frutas? Porque num fui muito fã de frutas, sempre preferi o bom e velho arroz com feijão....mas ela não me respondeu, o que me convenceu que se tratava de dieta de frutas. Mas vi que ela citava o livro da Jasmuheem , VIVER DE LUZ, então pensei: “Ta safo! Se tem livro disso eu posso analisar melhor”, e comprei.

Mas sempre li muito, de modo que quando o livro chegou eu deixei ele sob o braço do sofá, onde permaneceu por uns 2 meses sem que eu o abrisse, pois estava na fila esperando eu terminar outras leituras. As pessoas que me visitavam perguntavam do que tratava o livro, e eu respondia: “Não sei ainda, está na fila aguardando a vez”.

Então finalmente chegou a hora dele, peguei o livro e comecei a ler a introdução, escrita pela tradutora. Tudo bem...Então comecei a ler os primeiros parágrafos escritos pela Jasmuheen, nada importante, apenas dizia que quando temo uma idéia, ela não dá sossego enquanto não for posta em prática ( ou algo assim)...só tive tempo de ler as primeiras linhas e fui inundado por uma alegria interior absurda, tão forte que meus olhos encheram de lágrimas e não consegui mais enxergar as letras do livro , fiquei ofegante. Era uma alegria com tamanha carga emocional que parecia que eu estava botando um monte de emoção para fora. Algo “jorrava” do um coração, uma sensação muito forte de ter finalmente chegado numa praia após nadar por dias....eu chorava de pura felicidade sem ter a menor idéia do porque aquilo estava acontecendo. Nunca fui dado a emocionalismos, nunca senti saudades, carências, nem quando crianças, e sempre considerei a atitude de médiuns e pessoas ditas “espiritualizadas” muito piegas, mas de repente lá estava eu, ofegando de felicidade a ponto de quase passar mal. Aquilo durou cerca de uns 10 minutos. Quando me recuperei pude continuar a ler o livro, e umas 3 páginas depois li a seguinte frase: “Se você sente seu coração cantar quando pensa nisso (em fazer o processo), é sinal de que você pode fazê-lo.”

Bom, definitivamente a expressão “sentir seu coração cantar” se aplicava ao que eu senti. Se eu tivesse lido isso antes de sentir qualquer coisa teria descartado tudo como auto-sugestão, mas como senti antes, sem ter lido nada que o motivasse, e foi algo totalmente inesperado e incontrolável, entendi o recado: algo no meu interior sabia que aquele era o caminho certo a seguir, não havia o menor espaço para dúvidas, por ais absurda que fosse a proposta. Então eu fiz, mas fiz só uns 4 meses depois, para evitar empolgaçoes perigosas.

Examinei o processo e vi que de fato não havia perigo REAL:

- RECOMENDA-SE 7 dias sem água, mas ela deixa claro no livro que essa etapa em geral acaba antes. Durante esse tempo os mentores ligados a esse processo alteram seus chakras para que você possa absorver prana com mais eficiência que o normal. Isso não necessariamente dura 7 dias, e no caso de o sujeito precisar tomar água, os mentores continuarão o restante do trabalho 24h após, aumentando o tempo total para 8 dias. Logo, como o limite para o ser humano ficar sem água é estimado em 6 dias, imaginei que poderia fazer um ciclo de 4 e outro de 3, caso necessário, portanto não havia risco algum nessa parte.

- Nos restantes 14 dias é recomendado que se tome muiot líquido, para que o corpo se limpe das impurezas e permita que ele funcione numa faixa de vibração mais elevada, o que lhe permite então absorver o prana. Logo após começar a tomar água você j’a deve notar um tremendo aumento de energia, o que indica que o processo está funcionando. Ao final de 21 dias você precisa estar sentindo muito mais energia que no tempo em que comia e estar’a dormindo a metade do tempo que dormia antes, ou o processo não está funcionando

Se vocês consultarem os relatos de gente que fez isso, verão que muitos deles não sentiram esse aumento de energia ao fim da primeira semana, e se sentiam fracos mesmo após o final dos 21 dias, o que os levou a desistir. Mas em 21 dias você já sabe, e ninguém morre por causa de um jejum de 21 dias. Já vi greves de fome do pessoal do magistério estadual que foram a 54 dias!

Então era “obvio que o processo não era tão perigoso quanto parecia. A única fase realmente perigosa é o período sem água, que pode ser dividido em intervalos menores, e claro, se como o colega falou o sujeito for dominado pelo insntinto de sede ou fome, pode fazer besteira na hora de voltar a tomar água. Mas se seguir as diretrizes com sensatez não há de fato risco algum.

Eu não senti sede nem fome durante o processo, nem durante o período sem água, porém, na noite do 5 dia eu estava deitado vendo TV e percebi uma alteração no ritmo respiratório. Ele acelerou e eu comecei a ofegar, respirando de forma curta e rápida. Raciocinei e deduzi que fome não podia ser, já deveria ser alguma complicação por causa da água. Então resolvi voltar a tomar água. Decidi tomar porçoes de 500ml a cada meia hora, tomando tudo que fosse possível até a hora de ir dormir, para poder hidratar bastante para agüentar um novo ciclo , desta vez de 3 dias.

Mas quando tomei a primeira dose já me veio muito forte uma certeza interior que dizia “acabou a primeira etapa”. Se aquela certeza interior fosse real eu poderia continuar tomando água dali em diante, não precisaria permanecer sem “águam ais 3 dias, mas achei que pudesse ser auto-sugestão e continuei sem água pelos dois dias seguinte. Mandei um “recado mental” para os mentores avisando que dali a dois dias eu iria na casa de um amigo meu, que é médium, e que se eles tivessem algo a me dizer, que comparecessem lá, pois eu não sou médium, meu telefone “só toca daqui para lá”.

Então da”i a dosi dias, ainda sem tomar água, fui no meu amigo e os mentor confirmaram que de fato eu tinha terminado aquela etapa já no 5 dia, como eu havia sentido, e poderia passar agora ao processo de limpeza, ingerindo bastante água.

E foi assim. Perdi peso durante 2 meses apenas, mas sempre com bastante energia. Pelo que os mentores me falaram através desse meu colega, perdi bastante peso porque eu era vegetariano há pouco tempo, 5 meses apenas, e a jasmuheen recomenda pelo menos 1 ano de vegetarianismo antes de tentar isso, justamente para o corpo ter tempo de se limpar antes, evitando assim um processo de desintoxicação que pode ser muito agressivo. Para quem não sabe, e eu não sabia na época, a própria literatura sobre jejum já explica que quando a gente para de comer (mas segue tomando líquidos) o corpo começa e retirar dos órgãos várias toxinas acumuladas durante os anos, jogando tudo na corrente sanguínea, e isso pode literalmente te matar por envenenamento sanguineo. Por isso os jejuadores faem jejuns regulares começando com os de pequena duração, de 1 dia apenas, depois 2 ou 3, etc...fazendo lavagens intestinais, usando suco de limão para soltar mais as toxinas, etc. Convém que caso alguém resolva entrar nessa, não façam como eu fiz, convém que aprendam sobre a dinâmica do jejum antes. Eu não sabia nada disso, aprendi depois. Ali”as um livro muiot bom é o Jejum Curativo, de Mario Sanchez, que explica os processos fisiológicos envolvidos no jejum, e analisa o caso do Viver de Luz também.

Porém, isso é para entender as etapas normais do jejum, porque o Viver de Luz não é jejum. O conceito psicológico do jejum envolve privação temporária, o conceito do Viver de Luz envolve entrega espiritual. São psicologicamente e espiritualmente diferentes.

Como eu disse, fiquei 18 meses vivendo dessa maneira, mas a verdade é que eu estava em dois empregos, um como funcionário de uma universidade, outro como professor do magistério estadual, dando duas disciplinas em 6 turmas diferentes dos 3 anos do segundo grau, e tudo isso ao memso tempo em que cursava o mestrado. Como não é difícil de imaginar, o estresse foi alto e após esses 18 meses, as voltas com apresentação de trabalhos em congressos e preparação da dissetação de mestrado, notei que perdi 1kg numa semana. Eu tinha parado de perder pesos ap”os aqueles 2 primeiros meses, o que indicava que ocsistema tinha atingido um equilíbrio e eu estava absorvendo prana em quantidade suficiente para em manter vivo e bem, mas quando perdi 1kg de repente, isso indicou que perdi o equilíbrio necessário e meu corpo apelou para o catabolismo para se manter. Como ainda tinha metade do mestrado para destrinchar, o que me reservaria a maior parte do estresse para o próximo ano e já estava muito magro, ,achei perigoso insistir em manter aquele equilíbrio e as”i do processo, voltando a comer.

É isso que muito cético não entende: o Viver de Luz não envolve sacrifícios, disciplina, nada. Se você não está muito bem, não está funcionando, então caia fora, porque se não está funcionando você vai se desintegrar, literalmente. É 8 ou 80, não tem meio termo. Diferente do jejum, em que você pode se colocar uma meta de tantos dias, E AGÜENTAR ficar fraco, ou deitado, até que o prazo termine. No viver de Luz ou você está 100% ou está fazendo bobagem insistindo teimosamente numa coisa que não vai dar certo.

Um colega aqui comenta que eu fiz tudo isso as não consegui superar o complexo de magrinho? Sim, ele está certo. Mas isso é novidade? Quem quer que se dedique a busca espiritual sabe que dominar o corpo é fácil, dominar a psique é que ‘e o problema.

É por isso que a própria Jasmuheen afirma claramente nos workshops e livros que o Viver de luz é uma iniciação espiritual, que traz para cada pessoa um presente, uma revelação, uma habilidade, em cada um será diferente. Não há nada de valor em optar por não comer, e apenas poucas pessoas sentem que isso ser:a sua meta de vida. A maioria passa pelo Viver de Luz e descobre novas possibilidades, “e a entrega incondicional ao espírito num grau tão radical que abre essas portas. Não o ato de não comer em si. Ma vez feito o processo, uma vez provado para você mesmo que você de fato não depende da matéria para se manter no mundo, essa revelação se instala de uma maneira que sua vida passa a se alinhar ainda mais com o espírito, mesmo que você volte a comer. Ela mesma admite nos seus workshops que as pessoas que fazem isso publicamente estão apenas usando a isca do escandalo para chamar a atenção da população mundial para esse fato, o domínio do espírito sobre a matéria, o quanto estar alinhado com seus espírito pode mudar sua vida. Escolher comer ou não “e irrelevante.

Mas claro que para o cético isso é e sempre ser’a papo furado, desde o tempo do Cristo eles já ficavam gritando “ se “”és filho de deus porque não salvas a ti mesmo da Cruz?”. Se Viver de Luz “e um processo de entrega espiritual radical, que exige uma estréia conexão entre Eu superior e eu superior, ou seja l’a como queiram chamar isso, podem entender também porque o cético duvida tanto disso e de outras coisas espirituais. É pura falta de conexão e isso jamais fará sentido algum para eles, que só encontram segurança e confiabilidade nas autoridades socialmente reconhecidas, e na ciência, a nova Inquisição. Assim como os antigos crentes aguardavam o pronunciamento do Papa ou de seus sacerdotes sobre este ou aquele assunto, incapazes de analisar as coisas por si, os novos fanáticos religiosos tem na ciência materialista seu escudo, esperando que ela se pronuncie antes que eles se mexam na cadeira para pregar um único prego transcendente, seja em assuntos inócuos como a paranormalidade e UFOS, seja em assuntos mais pragmáticos, como vegetarianismo ou Viver de Luz.

Para responder a quem perguntou, saí do Viver de Luz em meados de 2002, e já que iria sair, resolvi resolver o problema da magreza de uma vez por todas, não ficando “mais gordinho”, mas construindo massa “útil”. Até porque uma coisa a mais me incomodava: por mais que o Viver de Lu seja ótimo para quem o faz, “e muito difícil convencer as pessoas de que você está bem, mesmo quando você tem muito mais energia que elas, se sua aparência é a mesma do Cazuza em seus últimos dias. Para mim isso afetava a própria propaganda do processo. Vivemos num mundo de aparências, gostemos ou não, e assim como um líder espiritual barrigudo não inspira respeito, um magricelo radical não passa muita confiança, embora as pessoas perdoem mais os excessos do que o ascetismo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ao que parece o site da Evelyn ainda esta ativo mas nunca mais foi atualizado, porque a onda ja passou.

http://www.vivendodaluz.com/%5bpt%5dindex.html

Aqui tem um artigo, do proprio site, e portanto suspeito do ponto de vista de um cetico, que fala sobre um sujeito sendo acompanhado por medicos:

http://www.vivendodaluz.com/PT/amboflig ... manek.html

Parece que esse cara existe, pelo menos:

http://solarhealing.com/

E em relacao ao caso de a jasmuheen ter sido testada e "falhado", os sintomas alegados foram o batimentos cardiaco, a voz fraca e as pupilas dilatadas. Isso de fato acontece na fase sem agua. Lembro que meus batimentos eram 120bpm sentado. Qualquer caminhadinha devagar e eu sentia o coracao bombear tao forte que doia na base do pescoco, porque provavelmente o sangue engrossa por falta de liquidos (eu nunca parei de urinar mesmo sem tomar agua). Por essas e outras que eu nunca arrisquei tentar ficar indefinidamente sem agua, mas a Jasmuheen anunciou isso e teve que mostrar...

Talvez ela pudesse ter conseguido, mas o fato e que demora alguns dias para o corpo voltar a fazer aquilo. Pelos sintomas dela, que sao os mesmos de quem esta iniciando o processo, ela estava obviamente bebendo agua regularmente e parou apenas para aceitar o desafio, logo, o corpo precisaria se adaptar de novo a essa necessidade especifica, mas o programa foi interrompido em pouco tempo.

Li o diario de um cara que resolveu arriscar, depois de ter feito o processo, e alega ter ficado 20 dias sem agua sem problemas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ai oh, agora sim! Era disso que eu estava falando!

Obrigado por demonstrar racionalmente seu ponto de vista. Só de dar uma lida superficial, já revi alguns conceitos que certamente não consegui encontrar lendo e/ou ouvindo relatos de adeptos.

Mas ainda achei curioso o fato de você ser tão "cabuloso" no negócio e abdicar por vaidade e imposição da sociedade. Realmente não entendi.. Foi apenas isso? Estranho. Fazendo uma analogia, seria um ex-fumante voltar a fumar pois alguns amigos falaram.. "pô, você era mais legal quando fumava".

Share this post


Link to post
Share on other sites
1- Não acha que afirmações extraordinárias merecem evidências extraordinárias? ?

Isso é outra forma de dizer : “dois pesos e duas medidas”. Em quase tud na vida essa atitude é considerada reprovável, mas quando se trata de ceticismo os caras acham que há alguma lógica nisso.

Ah, isso não é dois pesos duas medidas... É outra forma de dizer, "se você está falando que faz X, argumente X, se você está falando X², argumente X²".

A projeção da consciência nem de longe comparável com isso. São objetos completamente distintos tanto em forma, execução e objetivos. Portanto, não devem ser postos a comparação (como você fez). Ambos (Projeção e Parar de comer) envolvem o trabalho com o corpo energético, mas não significam que podem ser mensurados igualmente.

Uma comparação válida seria fazer paralelos entre uma alimentação normal, uma ovolactovegan, uma vegan e essa de prana. Ou seja, coisas que compartilham variáveis e conceitos.

Então, repetindo, se você afirma que um ser humano pode mudar sua dieta retirando a carne dela, você precisa argumentar a favor disso. Agora, se você diz que o ser humano é capaz de mudar sua dieta retirando absolutamente TUDO dela, você precisa argumentar tão extraordinariamente quanto essa sua afirmação (Extraordinária por sinal). Não são 2 pesos e 2 medidas. São 2 pesos e uma medida única, o grau de afirmação entre elas é estrondoso, não percebeu?

Se eu disser que eu posso dar um mortal pra trás e cair em pé eu terei de provar isso de uma maneira relativamente fácil, basta que eu faça o movimento aqui e agora. Agora se eu disser que consigo dar um mortal triplo eu não vou conseguir fazer aqui e agora, vou precisar de um local maior, chão de tapume, talco, ou seja, uma infraestrutura para que eu consiga provar (argumentar) minha afirmação.

Por isso o "para afirmações extraordinárias, argumentos extraordinários".

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Faz sentido a questão de se estar alinhado com o "Eu Superior"

Comumente,na tradição magika,quando você esta 100% conectado com seu Sagrado Anjo Guardião(Que seria o Atman Hindu,a parte Imortal e eterna da consciência)você estaria alinhado totalmente com sua Verdadeira Vontade(o porque de você ter encarnado)e passa a ser apto pra realizar qualquer tarefa que se propõem.

Mas conseguir isso é a Tarefa das tarefas,e não me admira que alguns consigam lampejos disso por apenas um período de tempo e "retornem" ao estado ordinário de desconexão.

Desse modo,eu entendi que,se houver quem consiga viver só de luz,seriam muito poucos(o caso dos iluminados)a maioria,como essa australiana divulgadora mais famosa do método,vão estar sempre tendo que ingerir pelo menos líquidos e fazendo a manutenção do próprio corpo pra acabar não caindo de novo.

Foi mto interessante ler sua experiencia Sandro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

@pseudo-pseudal

Fico muito feliz por ter sido o primeiro a levantar o assunto viver de Prana neste tema...

Quando eu me fiz essa analogia:

Qual a diferença em acreditar numa pessoa que vive de Prana e uma pessoa que sai do corpo toda noite????

Meu objetivo foi apenas usar de metáfora..Usei projeção astral pois esse fórum é de projeção astral.. mas poderia usar exemplos como: Big Foot, UFO, Papai-Noel,etc..

Eu poderia fazer o papel do Advogado do Diabo aqui ou mesmo os questionamentos do Astronalta... Eu poderia pedir para alguém desse Fórum se desbobrasse e viesse até a minha casa e adivinhar os números que eu escondi em cima do meu guarda-roupa,etc....

Eu poderia também te indicar inúmeros sites de "pessoas bem conceituadas" provando que se vc realizar projeção astral você vai morrer....

Como disse o sandrofabres com muita propriedade, esse assunto num é nada novo...

Olha como o ser Humano ( eu me incluo nisso) pratica a auto-sabotagem, auto-engano e cria mecanismos para preservar-se e continuar...

Quer ver outra prova??? Os pais tem um filho drogado em casa... Todo mundo vê, todo mundo sabe... os vizinhos amigos,etc.. Menos os Pais!!! ( mecanismo de defesa )

Se realmente quizesse saber mais sobre o assunto era só clicar no Google ou Youtube algumas palavras-chaves.. e você iria de esbaldar de informações...

Reflita por exemplo nessa sua afirmação:

Pois bem, amigo, não é questão de acreditar ou deixar de acreditar.

Embora eu entenda o que vc quiz dizer, no seu caso, se me permite. É UMA QUESTÃO DE ACREDITAR OU NÃO, SIM SENHOR!

Nós criamos esses mecanismos de defeza e preservação do nosso EGO a cada segundo ( Não estou falando que isso é bom ou ruim, só trago o conhecimento ). O que vc vai fazer com essa informação é um problema seu.

Quer ver um exemplo? O Oberom quando começou o processo, passou a dormir somente 2 horas por dia... Sentia-se com muita energia.. Jogava Handball...nunca se cansava...nunca parava para tomar água.. Ele começou a fazer Maratonas, e estava saindo-se muito bem... Foi quando num determinado momento ele decidiu que tudo aquilo não importava mais... Era tudo EGO.

Pesquise no youtube sobre o Jericho ele é Personal Fitness...

Eu já sabia tudo isso que o sandrofabres disse, fazendo minhas pesquisas... Demorei uma semana eu acho!!!

Já adianto que essas pessoas não são como você e eu!!! Elas são AMOR. ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mas ainda achei curioso o fato de você ser tão "cabuloso" no negócio e abdicar por vaidade e imposição da sociedade. Realmente não entendi.. Foi apenas isso?

Não, mas esse ponto está chamando atenção do pessoal né? Eheheh. Como eu disse antes: eu estava fazendo um milhão de coisas ao mesmo tempo, e não tinha como me livrar delas para reduzir o estresse. Logo, quando vi que o processo se desequilibrou, tinha que fazer uma escolha, abandonar alguns dos fatores de estresse ou abandonar o processo. Se eu estivesse pesando uns 70kg poderia ter me dado mais um tempo para tentar controlar a coisa, mas eu já tinha decidido que tinha chegado ao limite do que eu mesmo aceitaria como perda de peso, logo, quando, perdi mais, abandonei.

A magreza sempre me incomodou durante toda adolescência,eu nunca fui uma criança magra, mas quando estiquei, fiquei com 61kg e aquilo me incomodou. Eu comia feito um desesperado ( minha mãe sempre recorda que para eu ela e minha irmã ela comprava para o mês 20kg de arroz e 8kg de feijão, mas nas férias escolares, quando eu ia passar um mês na casa de um primo, 5kg de arroz e 2kg de feijão bastavam para o mês, daí vocês tem uma idéia da drga que eu era na adolescência)e não conseguia atingir um peso razoável, tinha vergonha de suar camisetas, etc... nóia de adolescente....

Muito lentamente com o avanço da idade isso foi se equilibrando e pela primeira vez em poucos anos eu voltara a me sentir confortável, mas quando perdi o peso durante o Viver de Luz a velha nóia estava de volta. Isso não me fez abandonar, eu apenas segui tocando em frente daquele jeito mesmo, mas percebi que era um ponto vulnerável no sistema. Conheci uma moça em Porto alegre, durante um workshop da Jasmuheen, que me lembrou a múmia de Ramsés de perfil, de perto dava para ver o ponto em que a cartilagem do nariz se une ao osso...As vezes eu estava num banco ou numa fila, onde haviam espelhos, e de repente eu olhava alguém que me parecia conhecido....e era eu, mas diferente o suficiente para que eu mesmo me estranhasse. Mas fui levando...

Só que quando perdi peso o negócio deixou de ser estético para ser sobrevivência, então parei e decidi voltar a comer, construir massa muscular e gordura suficiente para suportar uma perda de uns 13-15kg, e voltar ao Viver de Luz mais adiante. A estimativa para atingir esse peso (sem ser gordura claro), era de no mínimo 5 anos de musculação e alimentação balanceada, tudo funcionado direitinho. Eu tinha 32, então planejei trabalhar duro nessa parte, atingir 90-95kg com 15% de gordura e voltar ao Viver de Luz até 2008 ou 2009.

E foi isso que fiz, no final de 2008 de não me engano eu tinha atingido 91,5kg e 14,5% de gordura, estava pronto para um retorno. Mas desta vez fiz uma redução gradual das refeições, até porque quando iniciei o Viver de Luz antes eu estava apenas almoçando e jantando, e jejuando 2 dias por semana ( eu tinha tido essa idéia maluca, depois descobri que em geral todo mundo que começa o Viver de Luz em geral já tinha começado a tomar essa iniciativa meses antes de sequer saber que o Viver de Luz existia), mas durante esses anos de musculação eu comia 6 vezes por dia, então precisava reeducar o corpo. Fui cortando uma refeição por mês, começando com o café da manhã e depois o lanche das 9, de assim por diante, de modo que o corpo se habituasse a passar cada vez mais horas sem se alimentar. Foi um processo que durou uns 5 meses, perdi 9kg, de modo que quando fiquei apenas com a janta, me senti pronto para reiniciar o processo.

Só que.....outro momento de vida....outra situção.....eu comecei, mas foi diferente, não senti a alegria que senti antes, sentia meu corpo reclamando pela água, pela comida...virou uma guerra da mente contra o corpo, uma mera questão de disciplina, completamente diferente do que fiz antes. Então abandonei no terceiro dia, porque eu não estava desta vez fazendo um processo espiritual, estava CUMPRINDO AGENDA, eu tinha planejado aquilo em 2003, e 6 anos depois, na data especificada, com o peso especificado, num processo frio e planejado, eu estava cumprindo minha meta....era só isso o que eu estava fazendo, não era o mesmo de antes. Então abandonei.

Continuo desde então apenas comendo a noite, de modo que posso usufruir dos benefícios práticos do Viver de Luz de não ter que passar o dia comendo coisas e perdendo energia, e também posso me dar ao prazer de comer a noite, quando estou em casa, relaxado.

Na verdade esse sempre foi o plano inicial, pois trabalho longe da cidade, numa estação de pesquisa que fica na praia, e tinha que levar comida para requentar no serviço todos os dias, o que era um saco! Eu havia planejado ficar só com janta, mas então o Viver de Luz chegou antes e fiz....então me mantenho desde 2008 pronto para o processo, se me der a pilha espiritual de novo eu faço, se não, não há mais razão para fazer, mas me mantenho fisicamente sempre pronto. Jasmuheen comenta que a maioria das pessoas que passa pelo processo volta a comer, por variados motivos, e que caso desejem voltar ao processo basta ir reduzindo a comida gradualmente, não precisa repetir porque a adaptação dos chakras já foi feita. Mas ela salienta que quando se pensa nisso e novamente se “sente seu coração cantar” , nesse caso a pessoa precisa repetir o processo, porque h”a algo mais precisando ser feito.

Não sei qual é o meu caso, mas percebi que botei o carro na frente do bois ao determinar uma data e me trabalhar em direção a ela como se fosse um objetivo material. A disciplina é tida como algo bom, mas nesse caso acho que não fez muito sentido. O Viver de luz não se trata de disciplina em se exercitar nisto ou naquilo, muito menos de olhar para o sol, como a Evelyn prega no seu site, mas de sintonizar e manter essa sintonia.

Seja como for, hoje vivo com 1500cal, continuo me exercitando, embora não esteja mais conseguindo adicionar massa muscular. Já testei caminhar na esteira 2h por dia em jejum ( quando eu estava na fase do aumento de massa, caminhar 1h por dia 6 dias por semana me fazia perder 500g de gordura por semana) 1h pela manhã e 1h a tarde, e não perdi absolutamente nada de peso corporal (tenho 77kg desde 2008). Preciso comer menos de 800 cal/dia para perder algum peso, e mesmo assim é pouco. Talvez, como afirma a jasmuheen, o Viver de luz continue funcionando em quem já o fez, ativando mais ou menos de acordo com o que o sujeito faz em termos de alimentação. Sei lá....

Outro detalhe importante que não é muito divulgado, provavelmente por falta de compreensão, embora a Jasmuheen afirme isso claramente no livro: o processo do Viver de luz é possível porque ele desperta o Kundalini.

Quando eu li isso pensei: “Humpf! E por acaso esse pessoal New Age sabe o que é Kundalini?”....bom, mordi a língua....

Passei por certas situações e processo energéticos muito estranhos, muito intensos, durante o dia, a noite, na rua andando....e a Jasmuheen tinha uma palavra para isso: “ser eletrocutado por 10.000Watts de amor”. Acreditem, essa é uma forma bem exata de descrever o que a gente sente. O corpo parece que vai se desintegrar, sério, você sente que A ENERGIA QUE MANTEM SEUS ÁTOMOS UNIDOS se acelera, é como se os elétrons girassem mais rápido, os núcleos atômicos pulsassem, parece que tudo vai se pulverizar mesmo, mas o curioso, é que a gente sabe que isso não é eletricidade ou magnetismo, é AMOR....pode parecer estranho para quem lê, mas garanto que quem passa por isso não tem dúvidas. Dá para entender porque dizem que Deus é amor, isso é literal mesmo quando se trata da matéria. Há uma alegria intensa, uma sensação de amor incondicional brotando para a gente e da gente, é algo difícil de descrever. Eu nunca associei isso com o despertar do Kundalini, então muitos anos depois, muitas leituras depois, lendo relatos de pessoas que passaram pelo despertar do kundalini, relatos de pessoas que passaram pelo “Batismo do espírito Santo” ( sim, pasmem, quando é legítimo é a mesma coisa!) em igrejas envangélicas ou em atividades místicas solitárias, e procurando na Kabalah, concluí que sim, se tratava disso, embora o despertar do kundalini tenha várias formas. Algumas mais físicas, em que as pessoas sentem dores (geralmente ligadas a bloqueios nos chakras) ou risco de psicose, outras mais gentis, como a minha, (eram 10mil watts, mas era amor né gente?)

Eu trabalhava num grupo de desobssessão fechado, não atendíamos ao público, os mentores nos traziam os obsessores. Ns reuníamos uma vez por semana e trabalhávamos das 16h até a meia noite ou 1 e meia da madruga. O líder do nosso grupo era clarividente (e quase cego sem os óculos) e ele me examinava durante o processo todo. Ela ia ana academia de musculação comigo e ficava treinando e me observando clairvidentemente, e disse que ele notou que não era o sangue que transportava energia, no meu caso, era o músculo que estava sendo trabalhado no momento que absorvia prana diretamente do ambiente, absorção localizada de acordo com o exercício.

Ele também percebeu que todos os chakras ficam calibrados pelo coronário, fica tudo branco prateado, assim como a aura. Mas a energia que a gente gera é bem densa, de modo que cola nas coisas, nas pessoas...então as vezes eu chegava na casa dele, que já estava lotada com os obsessores, e o simples fato de ficar ali sentado já resolvia a coisa, porque a energia que a gente irradia quando está no Viver de Luz é nociva para o pessoal do lado negro.

Outro detalhe é que as pessoas com quem a gente convive mais de perto começam a comer menos mesmo sem saber de nada. Eu corrigi redação no vestibular da universidade e isso era feito em duplas, sentadas ombro a ombro lendo as redações e discutindo o texto. Minha colega não sabia que eu viva de luz e eu nunca contei nada, mas ela começou e comentar que estranhamente andava comendo muito pouco desde que começou a correção da redação, que durou um mês. Ela simplesmente não tinha fome, e antes ela vivia beliscando coisas...Então, quando a Jasmuheen contou num workshop que uma família que ela conheceu uma pessoa fez o processo, todo mundo passou a comer menos, até os animais de estimação e o peixinho do aquário, eu acreditei.

Então, vejam, comer, não comer.....isso é a ponta do Iceberg, a porta de entrada para outras coisas. As pessoas falam disso na internet, falaram muito já, mas raramente destacam quanto mais há por trás disso. A Jasmuheen fala, mas o resto do pessoal fica mais no sensacionalismo, no “truque de circo”: “ô mãe, olha só, sem as mãos/ sem comer!”

Share this post


Link to post
Share on other sites

Junior, bom dia!

Pra ser algo que dependa da nossa fé (acreditar ou não), deveria ser algo não-prático e de impossibilidade de prova.

A projeção da consciência (como você deu o exemplo), não requer acreditar ou não. Basta fazer alguns procedimentos e ser persistente que você conseguirá, não é necessário acreditar (fé).

Se viver de prana é um processo de 21 dias, organizado e replicável, por que precisamos acreditar?

Não é como ler um livro, achar um deus dentro dele, que é humanamente impossível de ser provado e falar.. hmm... "acredito nisso" ou.. "hmm.. não, não acredito nesse deus". Percebe a diferença?

Acreditar ou não-acreditar depende da capacidade de conseguir evidências à respeito. Você não precisa acreditar em Projeção, trabalho energético, chacra, veganismo ou até mesmo viver de luz. São coisas "palpáveis", treináveis e até certo modo verificáveis (até certo modo pois em alguns casos é preciso a auto-experimentação). E isso é diferente de falar, olha, temos tais deuses: Javé/Cristo, Krishna, Tor, Odin e Alá. Qual desses você acredita e qual você não acredita?

Compreende?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bacana Sandro, muito interessante mesmo. Agora algo que me fez dar umas gargalhadas foi que você queria ganhar massa muscular sem promover síntese proteica, rs. Lendo o seu e o outro relato, me da uma impressão de "olha, eu sei que você está bem de energia, mas seu corpo está sobrevivendo, não está esbanjando saúde da mesma forma do seu corpo energético".

Porque, rapaz, sendo sincero, uma coisa que eu questiono a veracidade é que numas entrevistas que eu vi, a Evelyn diz que faz exercício físico (média intensidade)...

Ok, então, seguindo as premissas dela, ela não toma água depois de perder água suando? Será mesmo que o prana vai conseguir repor todo o estoque de água rapidamente (pra não entrar em colapso)? Ela não sente sede (estímulo básico humano) ao se exercitar? E ignora essa sede?

O que me dá a entender, pela magreza mesmo, é que "viver de luz" te da uma sub-existência do corpo, onde você vive, porém não tem gás para atividades que exijam muito do corpo. Prova disso é a sua perda muscular extrema. Estou correto nesse pensamento?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Ah, isso não é dois pesos duas medidas... É outra forma de dizer, "se você está falando que faz X, argumente X, se você está falando X², argumente X²".

A projeção da consciência nem de longe comparável com isso. São objetos completamente distintos tanto em forma, execução e objetivos. Portanto, não devem ser postos a comparação (como você fez).

Se eu disser que eu posso dar um mortal pra trás e cair em pé eu terei de provar isso de uma maneira relativamente fácil, basta que eu faça o movimento aqui e agora. Agora se eu disser que consigo dar um mortal triplo eu não vou conseguir fazer aqui e agora, vou precisar de um local maior, chão de tapume, talco, ou seja, uma infraestrutura para que eu consiga provar (argumentar) minha afirmação.

Não fui em quem comparou, foi outro colega do fórum. Concordo com você sobre serem coisas diferentes, mas também compartilho do espanto do colega. Vamos admitir: fazemos parte do “grupo maluquinho que aceita coisas extraordinárias como acreditar que o cara sai do corpo”.

Para um cético não fa diferença em qual maluquice acreditamos, é apenas um detalhe no formulário de internação psiquiátrica. Um cético iria achar muito engraçado o cara achar que sair do corpo é algo razoável mas achar que ficar sem comer é absurdo. Mas é sempre assim, a gente acha que o que a gente faz até tem lá um certo sentido, mas o que os outros fazem pode soar absurdo.

O líder do nosso grupo de desobsessão viva dizendo “ainda um dia vou achar um jeito de viver só de energia, direto, sempre precisar comer, porque não compensa muito, gasta-se muita energia na digestão” . Então, quando soubemos da Evelyn, que foi no Programa do Jô dizer que Viva de Luz, ele foi o primeiro a rir e dizer que era absurdo. Então o confrontamos, dizendo: “Ué, mas tu vives falando disso cara!”. Ele levou na boa, mas nem ele podia aceitar aquilo muito bem.

O cara saia em astral desde criança, via chakras aura, encarnações passadas, saia do planeta em astral, entrava em contato com Ets....mas achou absurdo, pelo menos no início, quando alguém falou que podia viver sem comer.

Aí a gente olha e pensa: “Bom, tecnicamente falando o sujeito não é diferente de um esquizofrênico, mas quando se trata do Viver de Luz ele resolve ter bom senso e ser cético?”. Creio que é nesse sentido que o colega comparou a questão de aceitarem a projeção astral mas duvidarem do Viver de Luz. Mas somos todos assim.

Por isso certamente se vocês procurarem na internet devem achar algum líder espiritual que vocês respeitem, afirmando que o Viver de Luz é uma farsa e que só tolos acreditam nisso. O cara pode ser o iluminado que for, mas se ele não conhece a coisa, vai falar bobagem, não tem jeito, porque ele nem vai se dar ao trabalho de usar a consciência que tem para examinar um assunto APARENTEMENTE TÃO ABSURDO. Por isso que sou contra depender da opinião de alguma pretensa autoridade ou da ciência para decidir sobre as coisas. Cada um tem um caminho a trilhar, e o que é um completo absurdo para uns pode ser uma possibilidade prática para outros.

Esse líder do nosso grupo mesmo, com todas as habilidades dele e obviamente de maior desenvolvimento espiritual que eu, tentou fazer o processo e desmaiou no segundo dia....tentou varias vezes e não conseguiu. O caminho dele certamente era outro, o passado provavelmente também, porque ele lembrava de ter morrido num campo de concentração dos nazistas, por inanição. Muitas coisas estão em jogo nisso, então só porque o o Dalai-Lama, ( para citar um exemplo de líder espiritual, exceto, claro, para aqueles que acreditam que ele é agente da CIA, ehehehh), possa dizer que o Viver de Luz é absurdo, não significa que o João Padeiro não possa fazer, significa apenas que isso não está nas possibilidades evolutivas do Dalai-Lama nesta encarnação, e por isso ele sente como um absurdo.

É só um exemplo, não sei o que o Dalai-Lama pensa disso.

Agora, quando você cita o argumento de afirmações extraordinárias e provas extraordinárias, não creio que demonstrar em argumentos ou fatos, com exames clínicos seja extraordinário, isso seria apenas DEMONSTRAR.

Acontece que os céticos fundamentalistas usam esse argumento, erroneamente atribuído ao Carl Segan, para impossibilitar todo o tipo de demonstração razoável de um feito paranormal. Se você não é um cético, que não deve ser se freqüenta um fórum de projeção astral, deve saber a que tipo de raciocínio eu me refiro:

- eu me projeto

-prove!

- ok, deixe uma figura qualquer sobre seu criado mudo que eu vou lá a noite, olho, e amanhã te conto

- ok

O cara deixa a foto dele junto com a esposa e o cachorrinho

No outro dia:

- E aí? O que tinha sobre meu criado mudo?

- Tinha uma foto sua com sua esposa

- Viu? Eu disse que isso era fantasia! Você não se projeta coisa nenhuma! Você sabe que eu sou casado, logo seria muito fácil imaginar que eu colocaria uma foto minha com a minha esposa. Além disso, aquela foto estava num porta retratos na estante da sala, você certamente já a viu outras vezes quando me visitou, logo, não seria muito difícil adivinhar que eu usaria a foto como teste. Ou você pode ter passado lá em casa quando eu não estava e espiado pela janela, afinal, o criado mudo fica perto da janela. E outra: você não percebeu o cachorrinho na foto! Na sua tentativa de me enganar achou que eu deixaria passar essa né? Nada foi provado meu caro, você sabe, “afirmações extraordinárias precisam de provas extraordinárias”, o que você tem é um tumor no cérebro, opera que passa”

Os céticos usam essa afirmação para exigir provas realmente extraordinárias, impossíveis de obter, para depois dizerem que nada foi provado. É nesse sentido que digo que são dois pesos e duas medidas: afirmações que reforçam a tradição são aceitas sem demonstração, afirmações que a desafiam, são rejeitadas sucessivamente, não importa quantas demonstrações sejam dadas. Caminhamos sobre uma terra aparentemente plana, mas nos dizem em sala de aula que ela é redonda. Vemos o sol nascer no leste e morrer no oeste, mas nos dizem em sala de aula que é a terra que gira. Convenhamos, aceitamos muita coisa vinda da ciência apenas porque somos treinados para não questionar. Se o raciocínio dos céticos exigindo demonstrações absurdas para tudo fosse levado a sério por eles mesmos, não sobraria quase nada de “provado” ciência.

(Tenho uma seqüência de fotos mostrando a perda de peso, mostrando nitidamente como a região abdominal vai afinando, indicando a atrofia do sistema digestivo) mas não sei como anexar a foto na mensagem.)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sandro, extraordinário é no sentido de "fora do comum", "fora do paradigma vigente"... Não é no sentido de "ok, se você fez algo interessante, vai ter de me provar 2x mais", não, não é isso.

O que é uma afirmação extraordinária (para ilustrar)? Afirmar que podemos manipular as nossas energias a nosso favor é um exemplo claro disso. E a evidência extraordinária? Realize algumas técnicas, verifique a ressonância magnética alterada, sinta as energias do ambiente pela técnica fornecida, etc. Não é que eu preciso provar 2x mais. Talvez o termo tenha lhe confundido.

Eu sou cético. Não nego. Mas sou o tipo do cético que me permito a mudança de paradigmas e novos conhecimentos. Se alguém me mostra algo que antes eu tinha como correto e não é, eu mudo minha visão, simples assim. Mas como cético, minha premissa básica é não acreditar em nada que não tenha o mínimo de evidência e/ou que eu não tenha como experimentar para tirar conclusões (aí entra a parte da espiritualidade). Eu não trabalho com fé bem como não sou favorável a esse conceito de "acreditar sem evidência". Por evidência, entra as que eu posso verificar (auto-experimento) e que eu possa estudar de fato à respeito.

Você falou que a Terra é plana e que alguém disse que era redonda.. Pois bem, nesse link: http://www.ustream.tv/channel/live-iss-stream você poderá verificar, em tempo real, que a Terra não é plana.

Sei que você, com certeza, estava brincando... mas o link é para mostrar que sim, podemos verificar praticamente tudo o que a ciência aponta. Basta sabermos analisar os dados colhidos (estudo). A ciência como um todo é aberta a refutação, aliás, ciência é refutação. Só estamos onde estamos na física pois alguém no passado viu que o átomo era divisível e quebrou todo o paradigma. Viram que o modelo de relatividade do Einstein superava o Newtoniano onde o mundo é probabilístico (einstein) e não determinístico (newton)... Que é por causa da massa da Terra e consequente gravitação que temos a sensação de que a Terra é plana. Que sempre ficamos em pé em qualquer parte do planeta etc. Enfim!

Agora, Dalai-Lama agente da CIA foi foda! :lol:

Eu não acho que viver de luz é absurdo (e não disse que você disse que eu havia dito :lol: ), acho que é algo possível e disse em posts passados (Se levarmos em conta a parte energética/espiritual), mas biologicamente é algo impossível e extensamente provado que é impossível (as pessoas morrem de fome e de sede). E aí vem a questão novamente da evidência extraordinária, ou seja, que quebra paradigmas. Entende? Se conseguirem fazer com que esse método de 21 dias seja replicável à todos e não somente a alguns "bem-aventurados", aí sim teremos algo que é confiável e que poderá ser disseminado como uma capacidade do ser humano. Sabe o que está começando a ter esse status hoje? A projeção da consciência e o parapsiquismo. O pessoal da conscienciologia está arrumando tanta evidência, métodos e formas de replicação que, em breve, haverá uma reviravolta imensa.

Mas você não me respondeu, viver de luz faz com que você tenha um corpo mais limitado? Ou seja, que sub-existe? Ou você se alimentando de luz é tão "saudável" quanto alguém que come?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bacana Sandro, muito interessante mesmo. Agora algo que me fez dar umas gargalhadas foi que você queria ganhar massa muscular sem promover síntese proteica, rs. Lendo o seu e o outro relato, me da uma impressão de "olha, eu sei que você está bem de energia, mas seu corpo está sobrevivendo, não está esbanjando saúde da mesma forma do seu corpo energético".

Porque, rapaz, sendo sincero, uma coisa que eu questiono a veracidade é que numas entrevistas que eu vi, a Evelyn diz que faz exercício físico (média intensidade)...

Mania de mulher levar tudo para o “médio”, “suave”, “equilibrado”. Elas caminham andam d bicicleta,a fazem Tai Chi, estejam ou não vivendo de luz. Eu fazia 52 series diárias no total, 2h e meia por dia. Isso não é exercício leve. 2-3 Séries de agachamento com 20 repetições cada, junto com levantamento terra, 2x15, stiff, alem dos tradicionais supino remada alta, e mais os de isolamento. Eu queira ver se conseguir sim aumentar massa muscular mesmo sem comer. Porque NA TEORIA, não há problema algum, veja: se o peso parou de cair, você est’a sintetizando massa, porque todos os dias nossas células morrem, se não houvesse reposição de massa o peso jamais estabilizaria. Logo, aumentar massa musuclar durante o Viver de Luz não era um paradoxo, era apenas exigir mais do sistema. Mas eu pelo menos não consegui. A Jasmuheen diz que dá, mas novamente: mulheres. Elas costumam ter uma visão um pouco imprecisa dos exercícios de força, a menos que sejam praticantes sérias. Então elas confundem facilmente aquela tonificação inicial dos primeiros 3 meses com aumento de massa muscular real. Aumento de massa se evidencia na balança, não no espelho, e um pouquinho toda semana dá muitos quilos após dois anos. Como as mulheres em geral não estão procurando aumento real de massa muscular elas acabam sendo meio vagas nessas afirmações.

Ok, então, seguindo as premissas dela, ela não toma água depois de perder água suando? Será mesmo que o prana vai conseguir repor todo o estoque de água rapidamente (pra não entrar em colapso)? Ela não sente sede (estímulo básico humano) ao se exercitar? E ignora essa sede?

A gente não sente sede quando não come. Mesmo hoje em dia enfrento esse problema. Já que como apenas a noite, passo o dia sem tomar água porque esqueço, não sinto sede. Preciso me lembrar de tomar água, principalmente em dia de treino, pois se estiver desidratado o rendimento cai muito.

Mas não posso falar nada sobre “viver sem água”, não testei isso. A gente não sente sede mesmo, mas daí a afirmar que podemos viver sem água h’a uma certa distancia. A Jasmuheen falou isso, a Evelyn falou isso, elas que se virem para explicar, só possa falar do que eu mesmo fiz, eu eu nunca consegui aceitar bem essa parte, porque creio que a água é necessária PARA LIMPEZA. Pela lógica, se o cara sintetiza tudo, pode pegar umidade do ar, sei lá....mas como eu disse, eu não engoli isso, logo, nem tentei.

Uma situação em que a gente sente sim muita sede, durante o Viver de Luz, é andando numa cidade poluída. Eu visitei Porto Alegre durante o meu processo e cara, tive que comprar uma garrafa de água mineral e ficar carregando aquilo de um lado para o outro, e quando acabou comprei mais. A gente não sente essas coisas quando está todo entupido de toxinas, mas quando passa por uma limpeza dessas fica mais vulnerável por um tempo. Depois tudo se equilibra.

O que me dá a entender, pela magreza mesmo, é que "viver de luz" te da uma sub-existência do corpo, onde você vive, porém não tem gás para atividades que exijam muito do corpo. Prova disso é a sua perda muscular extrema. Estou correto nesse pensamento?

Ter energia para se exercitar durante horas, como eu fazia durante o Viver de Luz e jamais teria condição de fazer depois que voltei a comer, indica que há gás sim. Mas “gás” é energia, não massa. Como o corpo absorve prana diretamente através dos músculos, é provável que o “gás” seja ilimitado, ao contrário de quando se come, pois quando os nível de açúcar do cara baixar ele apaga. Compare o que eu digo, estar a meses sem comer, ou vamos nos restringir a uma semana apenas ( já que eu comia um pacotinho de chips por semana, ) com o que se acredita que acontece com alguém, que se exercita em jejum, hipoglicemia, desmaios, risco cerebral devido a baixa da glicose.

Então em termo de gás creio que você esteja errado, você tem mais disposição geral e mais energia para executar qualquer tarefa continuamente, mas também desconfio que há um nível-base, uma espécie de “restauração do sistema”, ou seja, ME PARECEU, comparando meu caso com o de outros, que quando o Viver de Luz chega para você, ele te sustenta naquilo que você está fazendo. Se você já se exercitava antes ele segura as pontas, se você viva numa cidade poluída ele segura as pontas....mas quando você muda as condições, um novo aprendizado precisa acontecer. Veja que tanto a Evelyn quanto a jasmuheen são casadas, e se referem a prática de magia sexual, a Evelyn fala em horas. Eu estava divorciado, então quando o Viver de Luz chegou, como eu não estava “praticando”, sabe como é, o negócio desligou....mas desligou mesmo. Não me refiro ao órgão, mas a compreensão mais geral da coisa. Lembro de um dia olhar para a TV e não entender por alguns segundos o que eu estava vendo. Você j’a viu uma cena de duas lesmas transando, em que a gente olha e fica sem entender quem é o que, onde fica a cabeça e onde fica a cola, essas coisas...?....pois a cena que eu vi na TV e não entendi foi a de um casal de beijando. Simplesmente aquilo pareceu tão estranho que eu não sabia o que eu estava vendo, só quando eles se separaram ‘e que entendi que eram duas cabeças, etc....

E foi assim durante um bom tempo. Talvez fosse resultado de estarem todos os chakras calibrados pelo coronário, talvez fosse por essa hipótese da manutenção e porque eu não estava de fato usando a energia sexual para nada, então foi redirecionada e o sistema normal desativado, sei lá. Há relatos de um cara nos anos 70, um pioneiro do respiratorianismo, como se chamava naquela época, que alegava viver de luz, mas viva nas montanhas. Quando desceu para a cidade teve problemas e passou a comer de vez em quando. Foi filmado e divulgado como fraude, mas é provável que fosse o mesmo problema que eu relato: O Viver de Luz de pega onde você está. Conheci 3 pessoas em Porto alegre que vivam de luz, e nenhuma delas me relatou nada sobre o probleam da poluição que eu senti quando fui lá.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Realize algumas técnicas, verifique a ressonância magnética alterada, sinta as energias do ambiente pela técnica fornecida, etc. Não é que eu preciso provar 2x mais. Talvez o termo tenha lhe confundido. Eu sou cético. Não nego.

Nao me confundiu nao, e que a turma da Sociedade da terra redonda e do James Randi que adoram usar isso. Vai la falar para eles se sentir as energias vai....os caras sao doidos de atar. A historia ficticia que criei sobre o porjetor e ocetico nao e nada imaginativa, e praticamente literal de como os caras raciocinam...quer dizer, so eles acham que aquilo e raciocinio.

Sei que você, com certeza, estava brincando... mas o link é para mostrar que sim, podemos verificar praticamente tudo o que a ciência aponta

Usando o mesm raciocinio dos ceticos a que me refiro:

Isso nao prova nada, o Uri Geller entortava colheres ao vivo na Tv, foi testado e filmado em laboratorios de parapsicologia, e era tudo truta! Tudo fraude ou pesquisa mal elaborada! Leiam o Livro A verdade sobre Uri geller, do james Randi Fotografias, filmagens, isso nao prova nada, nenhuma das milhares de fotografias de materializacoes de espeiritos que existem no mundo todo desde o fim do seculo XIX foi provada ser real, porque sao provas fabricadas por pessoas que querem ludibriar os outros. Mesmo as milhares de pessoa no mundo todo que pareciam ser sugestionadas ao vivo pelo Uri Gellera ponto de serem elas mesmas capazes de entortar talheres nas suas casas, tudo isso "e mera evidencia anedotal, nao comprovada. Veja, quando um paranormal alega que adivinha o que voce esta pensando, isso e leitura fria, e se adivinhar muiot ele ontratou detetives para investigar detalhes da sua vida e depois apresentou para voce. Imagina se um link mostrando a terra vista de fora serve para mostrar algo que nada!

..............................

E com esse tipo de raciocinio que voce esta se alinhando quando se identifca como cetico. Eu posso ter me confundido achando que voce era um deles, ao usar o jargao que eles adoram, sobre as evidencias extraordinarias, mas pode ter certeza de que quando me refiro a ciencia nao poder porvar nada, e PROVAR ENFRENTANDO ESSE TIPO DE RACIOCINIO exemplifcado acima, que os ceticos so usam quando se trata de paranormalidade e afins.E impossivel provar qualquer coisa para esse tipo de mentalidade estreita e paranoica.Se duvidam, visitem o site do James Randi e divirtam-se

Agora, Dalai-Lama agente da CIA foi foda! :lol:

A criatividade nao e minha, e de um velho senhor de barbas brancas e longas que fala essas coisas no youtube.

Share this post


Link to post
Share on other sites

esse negocio de viver de luz me parece bem interessante. Ah um tempo astras vi uma reportagem sobre uma atriz do SBT que vivia de luz. Ela ficou em um tipo de BBB durante 20 dias. Ela realmente nao comeu nada durante esses dias mais ela bebia liquido como suco e agua... entao ai ja nao sei se eh viver de luz...

Share this post


Link to post
Share on other sites
tecnicamente mulheres tem maior sensibilidade espiritual e mediúnica,pois são as características da energia feminina,então isso enriquece as experiencias e opiniões.

Essa eu nao sabia! Que somos mais sensiveis emocionalmente eu sabia, mas agora sensivel mediunicamente essa eh nova pra mim...

Mas porque sera que a maioria dos mediuns pelo menos os famosos sao homens? :S

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas Sandro, estabilizar o peso significa que você está tendo alguma absorção. De prana, pelo visto. Em aspectos técnicos seria como você absorver 1500 calorias (geradas à partir do prana) e gastar essas mesmas 1500 ao longo de um dia. Isso é tranquilo de entender...

O que eu acho complicado, falando de parapsiquismo mesmo, é transformar essa energia em nutriente para o corpo. Esse é o tcham, o pulo do gato. Sobre a água, vamos deixar pra lá ela né.. afinal, você também não se habilita a deixa-la.

É questão de ceticismo mesmo, eu acho muito improvável que sem "nenhum" conhecimento de parapsiquismo e em 21 dias você vai aprender a fazer isso. Pois bem, deve ser mesmo. Se olhar para a guru, Jasmuheen e comparar a estrutura física dela com a da Evelyn, verá que uma deve saber fazer mais que a outra.. pois a Evelyn parece que literalmente passa fome, rs.

Outro dado interessante que você me passou e eu preciso pensar à respeito é sobre o fato de você dizer que teria energia ilimitada para fazer exercícios físicos, já que se alimenta do prana e o prana está em "todo lugar". O mesmo não acontece com alimento sólido, onde precisamos ter reposição de nutrientes, período de absorção e digestão. De fato, eu já fazia isso há alguns anos como forma de complementar um exercício, ou seja, durante uma corrida eu forçava uma absorção de energias como fim de dar um "gás" extra no treino. Não posso dizer se funcionava ou não, se era placebo ou não pois não dei a devida importância e nem rigor de experimento. Mas funciona de alguma forma e eu ainda não consigo identificar o que é. Se é o processo da absorção de energias ou se é auto-motivação (placebo).

No mais é isso, obrigado pelas contribuições. Vou dar uma pesquisada à respeito.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Usando o mesm raciocinio dos ceticos a que me refiro:

Isso nao prova nada, o Uri Geller entortava colheres ao vivo na Tv, foi testado e filmado em laboratorios de parapsicologia, e era tudo truta! Tudo fraude ou pesquisa mal elaborada! Leiam o Livro A verdade sobre Uri geller, do james Randi Fotografias, filmagens, isso nao prova nada, nenhuma das milhares de fotografias de materializacoes de espeiritos que existem no mundo todo desde o fim do seculo XIX foi provada ser real, porque sao provas fabricadas por pessoas que querem ludibriar os outros. Mesmo as milhares de pessoa no mundo todo que pareciam ser sugestionadas ao vivo pelo Uri Gellera ponto de serem elas mesmas capazes de entortar talheres nas suas casas, tudo isso "e mera evidencia anedotal, nao comprovada. Veja, quando um paranormal alega que adivinha o que voce esta pensando, isso e leitura fria, e se adivinhar muiot ele ontratou detetives para investigar detalhes da sua vida e depois apresentou para voce. Imagina se um link mostrando a terra vista de fora serve para mostrar algo que nada!

..............................

Taí um ponto em que eu acho que a ciência convencional deveria mudar a forma de abordagem.

Convenhamos que evidência anedótica é um problemão! Mas à partir do momento que em que haja uma quantidade considerável delas direcionadas ao mesmo evento a história começa a mudar. Inclusive, esse é um pilar pelo qual a conscienciologia aposta para o reconhecimento "oficial pela ciência" da capacidade parapsiquica do ser humano, ou seja, estão organizando e estruturando décadas de evidências anedóticas para chegar a um denominador em comum e poder falar.. Olha, baseado em não sei quantas mil pessoas num ambiente controlado, esse, esse e esse evento existem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O que eu acho complicado, falando de parapsiquismo mesmo, é transformar essa energia em nutriente para o corpo. Esse é o tcham, o pulo do gato.

É questão de ceticismo mesmo, eu acho muito improvável que sem "nenhum" conhecimento de parapsiquismo e em 21 dias você vai aprender a fazer isso.

Bom, mas leigo nao sou. Quando crianca eu fabricava meus sonhos todas as noites, era 100% de sonhos lucidos e criados por mim, ate um dia....mas fica pra outro dia isso...

Aos doze tie minha primeria proejcao consciente, mas rudimentar. Li sem parar sobe esoterismo, magia ocultimso e parapsicoogia durante toda vida, fui instrutor numa escola esoterica por 3 anos, e trabalhei 2 anos num grupo de desobsessao, ah sim, e reiki nivel 3b. Para leigo eu nao sirvo, e nao tem nada que o Waldo Vieira por exemplo tenha escrito que eu ja nao soubesse, ha pelo menso 20 anos. Como tenho 42 agora, voce pode imaginar.....apenas os detalhes mais praticos do projeciologia de fato eu nao conhecia.O que eu nunca tive foi paranormalidade assim aberta espontanea. Conseguia atraves de relxamento e cocentracao ter calrividencia, ate porque no grupo de apometris a gente acaba vendo muita coisa mesmo. Mas fora da sala de trabalho sou hermeticamente fechado. mas nada disso importa porqeu o viver de luz nao precisa que voce faca nada, voce nao absrove energia porque quer, e tudo automatico.

Repito minha dica do livro do Mario Sanchez, ele tem um capitulo no qual tenta justifcar a possiblidade de o corpo humano viver QUASE em moto-continuo usando o tal ciclo das heoxes se nao me engano. Ele pega um capitulo deo Guyton, de Fisiologia humana, e tenta demonstrar que ali esta a chave do processo. Discordo por achar que isso limita o processo a materialidade biolgocica, mas e uma explicacao valida para quem quer buscar algo mais racional.

Share this post


Link to post
Share on other sites

05 de março de 1876

Machado de Assis

Quando os jornais anunciaram para o dia 10 deste mês uma parede de açougueiros, a sensação que tive foi mui diversa da de todos os meus concidadãos. Vós ficastes aterrados; eu agradeci o acontecimento ao céu. Boa ocasião para converter esta cidade ao vegetarismo.

Não sei se sabem que eu era carnívoro por educação e vegetariano por princípio. Criaram-me a carne, mais carne, ainda carne, sempre carne. Quando cheguei ao uso da razão e organizei o meu código de princípios, incluí nele o vegetarismo; mas era tarde para a execução. Fiquei carnívoro. Era a sorte humana; foi a minha. Certo, a arte disfarça a hediondez da matéria. O cozinheiro corrige o talho. Pelo que respeita ao boi, a ausência do vulto inteiro faz esquecer que a gente come um pedaço de animal. Não importa, o homem é carnívoro.

Deus, ao contrário, é vegetariano. Para mim, a questão do paraíso terrestre explica-se clara e singelamente pelo vegetarismo. Deus criou o homem para os vegetais, e os vegetais para o homem; fez o paraíso cheio de amores e frutos, e pôs o homem nele. Comei de tudo, disse-lhe, menos do fruto desta árvore. Ora, essa chamada árvore era simplesmente carne, um pedaço de boi, talvez um boi inteiro. Se eu soubesse hebraico, explicaria isto muito melhor.

Vede o nobre cavalo! O paciente burro! O incomparável jumento! Vede o próprio boi! Contentam-se todos com a erva e o milho. A carne, tão saborosa à onça, — e ao gato, seu parente pobre, — não diz cousa nenhuma aos animais amigos do homem, salvo o cão, exceção misteriosa, que não chego a entender. Talvez, por mais amigo que todos, come-se o resto do primeiro almoço de Adão, de onde lhe veio igual castigo.

Enfim, chegou o dia 10 de março; quase todos os açougues amanheceram sem carne. Chamei a família; com um discurso mostrei-lhe que a superioridade do vegetal sobre o animal era tão grande, que devíamos aproveitar a ocasião e adotar o são e fecundo princípio vegetariano. Nada de ovos, nem leite, que fediam a carne. Ervas, ervas santas, puras, em que não há sangue, todas as variedades das plantas, que não berram nem esperneiam, quando lhes tiram a vida. Convenci a todos; não tivemos almoço nem jantar, mas dous banquetes. Nos outros dias a mesma cousa.

Não desmaies, retalhistas, nesta forte empresa. Dizia um grande filósofo que era preciso recomeçar o entendimento humano. Eu creio que o estômago também, porque não há bom raciocínio sem boa digestão, e não há boa digestão com a maldição da carne. Morre-se de porco. Quem já morreu de alface? Retalhistas, meus amigos, por amor daquele filósofo, por amor de mim, continuei a resistência. Os vegetarianos vos serão gratos. Tereis morte gloriosa e sepultura honrada, com ervas e arbustos. Não é preciso pedir, como o poeta, que vos plantem um salgueiro no cemitério; plantar é conosco; nós cercaremos as vossas campas de salgueiros tristes e saudosos. Que é nossa vida? Nada. A vossa morte, porém, será a grande reconstituição da humanidade. Que o Senhor vo-la dê suave e pronta.

Compreende-se que, ocupado com esta passagem de doutrina à prática, pouco haja atendido aos sucessos de outra espécie, que, aliás, são filhos da carne. Sim, o vegetarismo é pai dos simples. Os vegetarianos não se batem; têm horror ao sangue. Gostei, por exemplo, de saber que a multidão, na noite do desastre do Liceu de Artes e Ofícios, atirou-se ao interior do edifício para salvar o que pudesse; é ação própria da carne, que avigora o ânimo e a cega diante dos grandes perigos. Mas, quando li que, de envolta com ela, entraram alguns homens, não para despejar a casa, mas para despejar as algibeiras dos que despejavam a casa, reconheci também aí o sinal do carnívoro. Porque o vegetariano não cobiça as causas alheias; mal chega a amar as próprias. Reconstituindo segundo o plano divino, anterior à desobediência, ele torna às idéias simples e desambiciosas que o Criador incutiu no primeiro homem.

Se não pratica o furto, é claro que o vegetariano detesta a fraude e não conhece a vaidade. Daí um elogio a mim mesmo. Eu não me dou por apóstolo único desta grande doutrina. Creio até que os temos aqui, anteriores a mim, e, — singular aproximação! — no próprio conselho municipal. Só assim explico a nota jovial que entra em alguns debates sobre assuntos graves e gravíssimos.

Suponhamos a instrução pública. Aqui está um discurso, saído esta semana, mas proferido muito antes do dia 11 de março; discurso meditado, estudado, cheio de circunspeção (que o vegetariano não repele, ao contrário) e de muitas pontuações alegres, que são da essência da nossa doutrina. Tratava-se dos jardins da infância. O Sr. Capelli notava que tais e tantos são os dotes exigidos nas jardineiras, beleza, carinho, idade inferior a trinta anos, boa voz, canto, que dificilmente se poderão achar neste país moças em quantidade precisa

Não conheço o Sr. Maia Lacerda, mas conheço o mundo e os seus sentimentos de justiça, para me não admirar do cordial não apoiado com que ele repeliu a asseveração do Sr. Capelli. Não contava com o orador, que aparou o golpe galhardamente: "Vou responder ao se não apoiado, disse ele. As que encontramos, remetendo-as para lá, receio, que, bonitas como soem ser as brasileiras, corram o risco de não voltar mais, e sejam apreendidas como belos espécimes do tipo americano”.

Outro ponto alegre do discurso é o que trata da necessidade de ensinar a língua italiana, fundando-se em que a colônia italiana aqui é numerosa e crescente, e espalha-se por todo o interior. Parece que a conclusão devia ser o contrário; não ensinar italiano ao povo, ante ensinar a nossa língua aos italianos. Mas, posto que isto não tenha nada com o vegetarismo, desde que faz com que o povo possa ouvir as óperas sem libreto na mão, é um progresso.

Crônica originalmente publicada em ''A Semana''.

Ênfase em: ''Eu era carnívoro por educação; Criaram-me a carne, mais carne, ainda carne, sempre carne '' Hábito, alienação! : )

Share this post


Link to post
Share on other sites
Essa eu nao sabia! Que somos mais sensiveis emocionalmente eu sabia, mas agora sensivel mediunicamente essa eh nova pra mim...

Mas porque sera que a maioria dos mediuns pelo menos os famosos sao homens? :S

Concordo com o que o colega disse antes: na verdade o mediunismo sempre foi uma tradicao feminina, e por isso mesmo desprestigiada por seculos, enquanto a magia, uma tradicao masculina, isso falando historicamente.As antigas religioes, em geral de caracteritica lunar, tinham como sacerdotes em geral ( ou apenas, nao sei dizer) as mulheres, enquanto nas religioes solares os sacerdotes eram em geral, homens (seria por isso que o cristianismo, uma religiao solar, sempre excluiu as mulheres do ramo sacerdotal?)

No passado as culturas dependiam dos oraculos, que via de regra eram mulheres, criadas meio que reclusas, para servir exclusivamente a essa funcao, mas quem registrou o nome real da Pitonisa de Delfos, o mais famoso oraculo da antiguidade?

Sempre existiram as curandeiras, tidas como bruxas, e que a igreja de origem judaico-crista sempre viu com desconfianca e atribuia seus poderes a pactos demoniacos. Ou seja, o sacerdote, homem, e' o intermediario entre Deus e a humanidade, mas se for mulher, e' coisa do diabo....e um padrao de misoginia facil de indentificar.

Isso criou duas tradicoes diferentes, em que os homens tentavam controlar e dominar as outras inteligencias atraves da magia, enquanto as mulheres serviam como intermediarias, mediuns....

Devem existir estudo antropologicos explicando isso melhor, com os devidos exemplos. Talvez seja ate uma questao do tipo de corpo fisico usado, pois por simoblogia o homem e' ativo, positivo, solar (luz propria)uma forca,fogo,origem da acao, logo, comanda (magia), ja a mulher, POR SIMBOLOGIA, e passiva, negativa,lunar (luz refletida), agua, d'a origem a forma, um receptaculo (medium).

O Eliphas Levy,muito conhecido no campo da magia, mas tambem um dos primeiros feministas da historia, dizia que as mulheres eram melhores mediuns devido a possuirem um temperamento "histerico"...

..................................

- o comportamento rotulado histerico estava ligado as mocas que rotineiramente gritavam e desmaivam durante sessoes de "mesmerismo" ainda no seculo XVIII (crises supostamente orginadas pela energia sexual reprimida que era liberada pelo tratamento do Mesmer),gerando "curas" dos problemas delas, que pareciam ser "estagnacao energetica -

.......................

.... mas ressaltava que eram histericas (lembre que isso foi escrito na metade do seculo XIX!) devido a forma com que eram criadas e educadas, onde nao se lhes dava uma profissao ou educacao, e sua vida se limitava a esperar por um casamento e apos ele, ficar em casa, confinada.

Obviamente com a mudanca cultural, tudo isso caiu por terra.A Blavastsky por exemplo nada tinha de mocinha recatada ou histerica, e muito menos a Dion Fortune, a Moina Mathers e provavelmente nem a Eusapia Palladino...

Entao na segunda metade do seculo XIX surge a onda do espiritualismo, e sao as mulheres as principais mediuns, embora alguns homens tenham se destacado. Com toda a divulgacao do espiritualimso logo os homens comecam tambem a dominar o campinho, ou a destacar mais seus expoentes masculinos. Quem nao ouviu falar de Daniel Dunglas Hume (o ou Home?).

E ai sabe como e: numa sociedade machista, sao os homens que contam as estorias, destacam os homens como realizadores dos feitos. Se voce olhar a historia, em quaquer area do conhecimento, trata-se da HISTORIA DOS HOMENS, BRANCOS, EUROPEUS, mas nessa area creio term sido excecoes, enquanto as mulheres sempre foram a regra.

E prestando atencao em certos mediuns famosos aqui do Brasil pelo menos, ha sempre algo meio "hibrido" neles.

Pode haver algo na disposicao bioenergetica do corpo feminino que facilite isso.

Podem existir incorrecoes historicas no que escrevi acima, ou generalizacoes excessivas, mas creio que lhe serve como guia geral de alguns pontos, para que voce saiba mais ou menso o que procurar caso resolva pesquisar melhor esse assunto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha, eu vi aquele documentário Glass Wall sobre os matadouros e parei de comer carne.

Depois disso perdi 4 kg, me alimento muito melhor comendo mais frutas, verduras e vegetais.

Não existe um certo ou errado , mas sim o momento de cada um. Pra mim, neste momento, bastou eu saber que animais morrem para eu comer. Para outros isso n vai importar e isso é natural. Tem que tocar o coração ou então n vale de nada.

Eu parei e me sinto melhor e perdi peso, eeee

Tudo no seu momento evolutivo...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo com o que o colega disse antes: na verdade o mediunismo sempre foi uma tradicao feminina, e por isso mesmo desprestigiada por seculos, enquanto a magia, uma tradicao masculina, isso falando historicamente.As antigas religioes, em geral de caracteritica lunar, tinham como sacerdotes em geral ( ou apenas, nao sei dizer) as mulheres, enquanto nas religioes solares os sacerdotes eram em geral, homens (seria por isso que o cristianismo, uma religiao solar, sempre excluiu as mulheres do ramo sacerdotal?)

Sim,o Cristianismo foi moldado ao exemplo dos cultos solares(Tendo sido construído em cima da versão Jesus-Apolo do Homem que deu origem as varias interpretações de Jesus)

O simbolismo do Masculino/Feminino de Ativo/Passivo é percebido no modo como os dois gêneros interagem com os planos espirituais,tecnicamente falando.

A energia masculina(Solar) se impõem sobre as energias,na forma da magia,e do controle.

A energia feminina(lunar) é receptora,por isso a facilidade em receber as mensagens através de intuição e outros canais de comunicação,alem da sensibilidade e percepção.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Junior, bom dia!

Pra ser algo que dependa da nossa fé (acreditar ou não), deveria ser algo não-prático e de impossibilidade de prova.

A projeção da consciência (como você deu o exemplo), não requer acreditar ou não. Basta fazer alguns procedimentos e ser persistente que você conseguirá, não é necessário acreditar (fé).

Se viver de prana é um processo de 21 dias, organizado e replicável, por que precisamos acreditar?

Não é como ler um livro, achar um deus dentro dele, que é humanamente impossível de ser provado e falar.. hmm... "acredito nisso" ou.. "hmm.. não, não acredito nesse deus". Percebe a diferença?

Acreditar ou não-acreditar depende da capacidade de conseguir evidências à respeito. Você não precisa acreditar em Projeção, trabalho energético, chacra, veganismo ou até mesmo viver de luz. São coisas "palpáveis", treináveis e até certo modo verificáveis (até certo modo pois em alguns casos é preciso a auto-experimentação). E isso é diferente de falar, olha, temos tais deuses: Javé/Cristo, Krishna, Tor, Odin e Alá. Qual desses você acredita e qual você não acredita?

Compreende?

Olá pseudo como vai? só pegando um gancho no que você afirmou:

A projeção da consciência (como você deu o exemplo), não requer acreditar ou não. Basta fazer alguns procedimentos e ser persistente que você conseguirá, não é necessário acreditar (fé).

Se me permite eu realmente discordo! Acho que para realizar projeções astrais com 100% de lucidez você precisa sim ter uma vontade inquebrantável... Algo assim: "-Se isso é possível eu vou realizar de qualquer jeito"

Mas não era isso que eu queria falar. Vamos voltar para o "VIVER DE LUZ" e o processo de 21 dias.

Nós seres humanos temos mania de Privatizar aquilo que nos foi dado de graça, e que por ignorância e incompetência esquecemos pelos processos reencarnatórios..

"VIVER DE LUZ e processo de 21 dias" são só nomes, só isso!! É como o Sandro disse, basta você apenas se programar e iniciar o processo!!! se vai levar 20,21 ou 5 anos não importa. Eu já indiquei esse cara antes, dá uma olhada...

Ele é bem coerente e resolveu testar o processo do jeito dele...

Outras pessoas já viajam na maionese ( privatizam ) e se auto denominam Xamans e dizem que a pessoa tem que realizar o processo de 21 dias na fazenda dele, e comer as ervas e sais que só ele sabe a receita,etc... Entendeu??? Levam para o Misticismo.

Quanto vc em algum momento comentou que essa "extraordinária" informação deveria estar na mídia se fosse verdade,etc.

Eu afirmo que que aí no Brasil o assunto no mínimo foi comentado no Programa do Jô e no Fantástico.

A Discovery Channel fez um documentário sobre o assunto e o fantástico deturpou tudo. Chamaram uma nutricionista para opininar em cima do documentário,etc.

Aliás esse da Discovery foi interessante pois os cientistas não conseguiam explicar o processo e resolveram interromper o documentário e concluíram que o tempo gasto na observação foi insuficiente.

Quando a Jasnuheen fala da mudança de DNA eu acredito que ela nem tenha idéia de como essa molécula funcione... Eu realmente gosto mais da explicação do Sandro, pois ele se refere aos chacras e isso vem casando com o que eu estou estudando no momento.

Pseudo, olha meu caso! eu sou engenheiro químico com ênfase em bioquímica de uma faculdade de primeira linha aí do Brasil, minha esposa é médica. Discutimos esses assuntos em alto nível e com a mente muito aberta. Se eu for tentar preservar o meu EGO terei que ter opiniões céticas. Se eu for honesto comigo mesmo, tenho que jogar no lixo muitas das crenças e mentiras que acredito. NÃO É FÁCIL MEU AMIGO!

Legal você ter mencionado os "SANTOS". Eu pessoalmente não acredito que o Criso tenha existido... Talvez Jesus tenha existido.. Mas que ele foi o Cristo é um outro assunto...

Mesmo porque não há evidências arqueológicas que provem sua existência.... Mas eu não ficaria surpreso se um dia no desespero da Igreja ( perdendo fiéis e dinheiro ) eles forjarem uma evidência arqueológica para o Cristo.

Abraço! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.