• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

Como seria a definição do Deus da Bíblia do ponto de vista de um PROJETOR ASTRAL???

Como se enquadraria O TODO PODEROSO mencionado na Bíblia, diante as contradições verificadas pelos projetores???

:shock:

Share this post


Link to post
Share on other sites

A palavra deus tem muitos significados,eu traduzo como principio que manifesta e organiza o universo.

Pela minha experiencia,a melhor descrição que poderia dar sobre o universo é um video game 9999999x mais sofisticado,onde "almas" escolhem os "planetas" e vao jogar de acordo com as configurações estabelecidadas. Em alguns planetas voce perde a memoria,outros voce tem memoria total de quem voce é,etc

Se voce estudar astrologia vai perceber que existem bilhoes de planetas ja computados. Imagina que cada grão de areia em todas as praias do planeta serião 0,00001% ainda de todos os planetas que habitam o universo que conhecemos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem, vou dar uma resposta de acordo com minha filosofia de vida e de acordo com meus conhecimentos espirituais.Acredito nas forças naturais em influência diretamente em nossas vidas. O universo como um todos, em todas suas dimensões, é um corpo vivo, todos os fenômenos do universo, tais como lei da gravidade, lei da atração, movimentos de roto-translação da Terra, englobam uma única só força, que age em diferentes níveis. Isso seria " Deus", que não o que é defendido pela Bíblia, mas por melhor dizendo uma energia cósmica que rege todos os fenômenos. Como sou Budista, o nome dessa energia global e abrangente, ou seja, dessa lei maior é (nam myo ho renguê kyo), qe permeia tanto o microcosmo ( nossa vida) quanto o macrocosmo ( o universo em si). Concluindo, Deus, numa visão Budista, não seria um homem que decide nosso destino aleatóriamente, pois de acordo com nossoa próprias ações diante da LEI, somos nós resposáveis por tudo o que nós acontece e de tudo o que somos capazes, principalmente transformarmos nosso próprio destino. Para mais informações procure estudar no youtube e google tópicos sobre a filosofia( Budismo Nitiren Daishonin) Espero ter ajudado. Andy

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo plenamente, era o que iria dizer... Você deve estar numa boa "corrente budista", pois, aquilo que eu sei (ou ouvi) é que o Budismo não defende a existencia de Deus, o que n é verdade, resultante de más interpretações (lá porque Buda não respondia à questão "quem é deus?" não significa que não exista).

O que não existe decerto é o "Deus zangão" do antigo testamento que julga mais do que ama... e que está acima das nuvens... nem se vê o resto...

Deus é tudo o que existe, é aquilo que cada um de nós é...

Uma religiao que apenas ensina-se isto, ensinaria tudo...

Saber isto é fácil, realizar... vai lá vai... Se conseguíssemos realizar isto, tínhamos todos os problemas superados...

Compreender as implicações teórico-práticas desta afirmação não é muito fácil... até porque aqui esta a expressa a lei máxima do amor... (afinal você machucaria outra pessoa, sabendo que estava se machucando a si mesmo?) - fora o resto...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha, tenha em mente que projeção astral pouco ou nada tem a ver com as coisas “do espírito”, logo, a experiência em projeção astral não torna alguém mais qualificado para opinar sobre Deus ( o real, não o bíblico).

O plano astral ainda está no mundo DA FORMA, apenas um degrau acima do plano material. Quando de fala em Deus, a partir de seus supostos atributos “ONIconsciente, onipresente, etc”, isso envolve dimensões acima do astral. Um projetor astral que alega jamais ter encontrado Deus em suas projeções está tão por fora do assunto quanto um médico que diz que após milhares de autópsias jamais encontrou uma alma dentro de um corpo.

O conceito de Deus, por estar ligado ao conceito de ONI, contém as mesmas dificuldades do conceito de Verdade ( não sou defensor das “verdades pessoais” ou “verdades parciais”, porque se é parcial, não pode ser Verdade, trata-se apenas de opinião. Confundir as duas e chamar “luva” de “mão”). A Verdade, por ser absoluta, não pode ser compreendia nem reconhecida pela mente, que é uma restrição necessária para a existência da individualidade, motivo pelo qual, quem passou por expansões de consciência, sentindo-se fundido com o todo, não consegue descrever isso de nenhuma forma aplicável.

Mas somos seres que sentem necessidade de passar aos outros as nossas percepções, e isso nos leva a tentar traduzir esses estados para os demais, transformando a Verdade num conceito RELATIVO. Não pode haver tradução sem haver DISTORÇÃO, e a distorção será tanto maior quanto mais para o plano da forma a tradução se encaminha. É por isso que quando Jesus ensinava por parábolas ou quando Paulo fala sobre o Amor em Coríntios 13 (que todo mundo acha lindo quando é o Renato Russo quem canta e nem sabem de onde aquilo saiu, mostrando o quanto a ignorância e o preconceito religioso cega a percepção das pessoas), podemos identificar sabedoria, mas quando Moisés cria leis diretas, isso nos parece regra cega.

O que diferencia as religiões é a competência desses “tradutores”, na direção da tradução para o mundo, e a competência espiritual de seus leitores, que precisam ser capazes de enxergar a verdade por trás de todas essas distorções inevitáveis. Quem busca a Verdade, não opiniões, verá sempre as semelhanças entre as diversas traduções, porque olha para a “fonte”, mas se contenta com opiniões, ou “verdades relativas” ficará preso nas diferenças, achando esta “tradução” melhor do que aquela.

O problema é que as massas, por definição, não estão buscando nada, logo, não procuram descobrir o que há por trás dessas “traduções da verdade”, ficando portanto perdidas no meio de tantos erros e aparentes contradições. Os danos disso talvez sejam maiores para a humanidade do que se nunca tivessem sido inventadas as religiões, porque nesse caso cada um faria seus próprios contatos com a fonte, e os que não fizessem, viveriam sua vida animal sem problemas.

O meu conceito de Deus é algo que existe em todos nós, comum a tudo o que existe. Penso nisso como nos processos biológicos: no início você tem uma célula apenas, que possui seu “grau de vida” sua “individualidade”. Depois ela se divide em 2, depois em quatro...e o processo continua. Mas como fica? Uma célula agora é diferente da outra? São dois seres? Aparentemente não.

Mas em algum momento alguns grupos de células se tornarão o cérebro, enquanto outros grupos serão os rins, os ossos, o fígado. Há uma ordem que regula isso, e quando há algum problema, se instala o caos e esse grupo celular se desintegra ou segue caminhos defeituosos que impossibilitam sua função. E em algum momento futuro, esses grupos celulares darão origem a outro ser (filho), que será expelido e terá sua existência longe do grupo original de células, constituindo outro ser. Mas há uma “unidade fundamental” que quando a primeira célula se dividiu, passou a estar presente em cada uma delas...e que continuou presente no filho gerado a partir dos pais, e isso numa sucessão infinita, que envolve nossos corpos que apodrecem e viram adubo para as plantas, que são comidas pelos animais, que comemos e com suas células formamos nossos corpos e nossos filhos....

Para mim, Deus é essa unidade fundamental que está presente em todas as coisas, mesmo nas “inanimadas”, porque mesmo um cristal de sal tem uma ordem interna que orienta a forma de seus cristais, e que garante sua individualidade básica e o diferencia de outros sais.

Por isso, a meu ver, o contato com Deus só pode ser buscado pela experiência interior, nunca a exterior, como a reiligão ou mesmo a experiência astral, que é também experiência EXTERIOR. O Deus exterior será sempre o “traduzido”, a “analogia”, jamais o REAL. Mas ainda assim, ele está presente na tradução, porque está presente em tudo, e mais ainda quando o homem tenta explicar a Verdade, mesmo isso sendo impossível.

Cabe a nós encontrarmos essa agulha no meio do palheiro das idéias da mente, mas para isso seu Deus interior tem que “dar respaldo” ao que você vê na tradução. Tem que haver uma confirmação interna,o que nao e' o mesmo que julgar o que se le pelo que e' socialmente "aceitavel" ou "inaceitavel", nem fruto da "sabedoria do seculo XXI" ou "ignorancia do pessoal de mais de 2000 anos atras".

Quando uma religião diz que isto ou aquilo vai contra a vontade de deus, no fundo está dizendo que contraria aquela ordem interna fundamental, algo que não poderia nos soar estranho, pois todos nós deveríamos estar em condições de avaliar se o que foi dito está correto ou não (se a fonte disso são os preconceitos do homem ou se de fato partiu da Fonte), mas se nós também nos deixamos cegar pelos nossos desejos, nossos preconceitos, nossa ideologia de uma época, sem buscar esse contato interno, não poderemos diferenciar o que é erro de tradução e o que é semente de Verdade, e daí nasce a confusão das religiões.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não acho que exista uma visão do projetor!

Segundo os livros, quando há um relato em que o projetor “se vê” e ao olhar em direção de um rato “se sente” ele, e tem a percepção de “como ele imagina”; a coisa perde a graça!

Deixar de existir, não é aceito!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Como seria a definição do Deus da Bíblia do ponto de vista de um PROJETOR ASTRAL???

Como se enquadraria O TODO PODEROSO mencionado na Bíblia, diante as contradições verificadas pelos projetores???

:shock:

Pra mim o deus bíblico não passa de um escroto total, imoral, burro, sádico, ignorante, sanguinário e o principal, mitológico e muito mal feito, copiado de outros deuses fictícios mais antigos. O ser humano NUNCA vai saber com absoluta certeza da existência de deus, ou da sua forma, ou se é um só ou vários seres que criaram tudo, e quem os criou etc. Eu me vejo num caso complexo onde "se deus criou tudo, quem criou deus?", mas parece que para os que acreditam no deus bíblico, tudo pode ter explicação de como veio, menos o criador, o que na minha opinião só reflete a ignorância de nao termos todas as respostas, criando assim respostas fáceis como "deus criou tudo" ou "deus sempre existiu", quando pra mim isso não é nem o começo das indagações verdadeiras avançadas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo com o Sandro nesses dois pontos que ele levantou: a projeção astral não dá a ninguém a possibilidade de ver provada a existência, ou não, de Deus; e também concordo quando ele diz que a busca por Deus deve ser feita internamente, não externamente. Buscar Deus do lado de fora, no "céu", eu creio ser perda de tempo.

A "humanização" da figura divina, feita nas três grandes religiões monoteístas do planeta, acabou por criar essa imagem de Deus como um "ser". Cristãos, judeus e muçulmanos enxergam Deus como uma entidade isolada, que fica, de algum ponto do universo, "observando" tudo o que fazemos. Dessa forma, fica muito difícil encontrá-lo, na minha opinião.

Eu não tenho a pretensão de achar que entendo Deus. Acho, de verdade, que ele está acima da compreensão humana, mas até onde eu consigo imaginar, o imagino como o todo. Não imagino que haja um ser criador, o vejo como uma energia (se é que essa palavra se aplica aqui) que permeia tudo e todos, em todo o universo. Assim, é muito mais fácil e lógico buscá-lo dentro de nós mesmos, pois somos partes integrantes dele, somos frações dele.

Acho que a busca espiritual, a busca por autoconhecimento, é, consciente ou inconscientemente, uma busca por Deus.

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Reginaldo Pereira

Não acho que exista uma visão do projetor!

Segundo os livros, quando há um relato em que o projetor “se vê” e ao olhar em direção de um rato “se sente” ele, e tem a percepção de “como ele imagina”; a coisa perde a graça!

Deixar de existir, não é aceito!

Se me permite dizer essa sua visão realmente não reflete a realidade... Talvez você tenha interpretado o que você "leu" em algum lugar de uma maneira que fosse conveniente a você, só isso!

Eu concordo com os comentários da Toquinha ( embora ache os termos que ela usou muito agressivo), mas no geral ela tem razão.

O Deus Bíblico é todo esfarrapado e cheio de carências..

O DEUS não Bíblico ( A CONSCIÊNCIA UNIVERSAL QUE PERMEIA TODAS AS COISAS ) esse sim num dá pra gente discutir de forma AVANÇADA neste fórum... Pois faltariam palavras ( em qualquer língua ) e faltaria a compreensão do mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Concordo plenamente, era o que iria dizer... Você deve estar numa boa "corrente budista", pois, aquilo que eu sei (ou ouvi) é que o Budismo não defende a existencia de Deus, o que n é verdade, resultante de más interpretações (lá porque Buda não respondia à questão "quem é deus?" não significa que não exista).

O que não existe decerto é o "Deus zangão" do antigo testamento que julga mais do que ama... e que está acima das nuvens... nem se vê o resto...

Deus é tudo o que existe, é aquilo que cada um de nós é...

Uma religiao que apenas ensina-se isto, ensinaria tudo...

Saber isto é fácil, realizar... vai lá vai... Se conseguíssemos realizar isto, tínhamos todos os problemas superados...

Compreender as implicações teórico-práticas desta afirmação não é muito fácil... até porque aqui esta a expressa a lei máxima do amor... (afinal você machucaria outra pessoa, sabendo que estava se machucando a si mesmo?) - fora o resto...

...Concordo, confesso que se eu tivesse que optar por uma religião, essa seria a Budista ou Seicho-no-ie ( onde eu já pratiquei por um tempo). Mas acho pouco provável que eu siga alguma religião nessa minha encarnação...

Mas obrigado por compartilhar esse conhecimento.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Pra mim o deus bíblico não passa de um escroto total, imoral, burro, sádico, ignorante, sanguinário e o principal, mitológico e muito mal feito, copiado de outros deuses fictícios mais antigos. O ser humano NUNCA vai saber com absoluta certeza da existência de deus, ou da sua forma, ou se é um só ou vários seres que criaram tudo, e quem os criou etc. Eu me vejo num caso complexo onde "se deus criou tudo, quem criou deus?", mas parece que para os que acreditam no deus bíblico, tudo pode ter explicação de como veio, menos o criador, o que na minha opinião só reflete a ignorância de nao termos todas as respostas, criando assim respostas fáceis como "deus criou tudo" ou "deus sempre existiu", quando pra mim isso não é nem o começo das indagações verdadeiras avançadas.

Apenas complementando o que você falou, essa busca por Deus (criador) é algo inútil (mateologia), ou seja, é um assunto superior ao alcance/inteligência humano, é o tipo do assunto que não tem aplicabilidade prática, ficando apenas no campo filosófico, no campo das ideias. É claro que isso é uma verdade relativa e à partir do momento em que a "caçada" por Deus for algo útil, isto é, que tenha aplicabilidade no nosso dia-a-dia para fins cosmoéticos e evolutivos, iremos voltar as pesquisas para esse fim.

Quem quiser saber mais sobre assuntos mateológicos, recomendo a leitura de um verbete da enciclopédia da conscienciologia chamado: Assunto Mateologico, pode ser encontrado nesse link: http://www.tertuliaconscienciologia.org ... &&Itemid=3

Também recomendo esse video onde claramente é mostrado que as origens do cristianismo estão no politeísmo da suméria.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como ja disse em outro topico, concordo com a Toquinha, pelo menos quando a gente aborda a coisa de forma direta.

Nao queriam que a gente pensasse assim desse personagem? Contassem uma estorinha melhor!

Mas vocês já se perguntaram porque será que um povo cria um Deus assim?

Quero dizer: se você é uma pessoa emocionalmente equilibrada e vive feliz(estado A) ai tentam te convencer que você tem algum problema (te levar ao estado B) e que precisa aceitar que tem esse problema para poder receber a “salvação” (de volta ao estado A)...

Você fica pensando: “Essa gente realmente tem problemas! E querem passar seus problemas para os outros!”

Para mim o que faz mais sentido é o tal relato do êxodo de capela. Os caras se deram mal lá e foram despachados para cá. Aí ficaram como crianças assustadas, se sentindo sempre com uma “mancha”, um complexo de rejeição, e vendo apenas o “braço da justiça” do aspecto “divino”. Pelo que entendo ja havia humanso aqui na terra naquela epoca, entao ha grupos que foram jogados aqui e ficaram com esse complexo de rejeicao, e ha grupos daqui mesmo, que nao sentem isso. E o grupo que foi jogado aqui ainda hoje tenta convencer os do outro grupo que todos tem o memso problema.

Criaram regras rígidas para se auto-governarem (porque certamente sua índole não devia ser boa mesmo) e um fantasma de um Deus punitivo e vigilante, porque a tal “aliança” devia ser só um aviso amigável do tipo “olha, não vou jogar a chave da cela fora, mas não esqueçam: Papai Noel só dá presentes as crianças que foram boas o ano todo”, só que aí os caras ficaram paranóicos.

Então veio Jesus e disse: “Geeeente! Não é assim....Que pai daria pedras a um filho que pede pão?”, mas os caras continuavam fechadinhos no seu culto antigo de deuses destruidores, porque era isso que predominava na época: os “deuses sempre forma a imagem e semelhança dos homens. A mitologia grega parece uma novela das oito, de tanta baixaria. Os deuses romanos não pareciam melhores, e os egípcios...tinha um para cada rua, ou “encruzilhada”....O povão antigo daquela área só respeitava a espada, e um Deus sem espadas raios e trovoes, era um Deus “fraco”. A índia pode parecer melhorzinha, mas não esqueçam que Krishna explica as coisas para Arjuna durante uma guerra. “Ah era simbólico”....bom, se vamos safar para o lado do simbólico até o sanguinário Javé se safa. Acho que no fim só o confucionismo, taoísmo e budismo meio que se safam dessas barbaridades.

Para mim isso tudo era trauma que esse povo tinha, como marginais que tem medo da polícia na rua, ou aqueles “bons cidadãos” que estão sempre fazendo coisas ilegais e não podem ver um policial sem se sentirem receosos ou sem se referirem a eles por algum apelido pejorativo. Era um povo tão “eleito” quanto um presidiário é “eleito” para ficar sob a tutela do estado. Os caras se sentiam sempre em “liberdade condicional”, e talvez não estivessem errados, mas eram UM GRUPO com esse problema, não O GRUPO, UM POVO, não O POVO, e escreveram UM LIVRO, não O LIVRO, sobre SUA VISÃO de Deus, não SOBRE DEUS, porque para mim o fato de Jesus perder um baita tempo discutindo com os doutores da lei só mostra que os caras de fato já estavam bem perdidos MESMO NAQUELA EPOCA. E embora também o novo testamento seja também apenas a visão de um grupo, convenhamos, e muito mais aceitável para a visão moderna.

Isso tudo e so especulacao minha, uma tentativa de entender a mentalidade do pessoal que criou o Deus dos judeus dessa maneira, e a mentalidade de quem o aceita assim sem questionar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Pra mim o deus bíblico não passa de um escroto total, imoral, burro, sádico, ignorante, sanguinário e o principal, mitológico e muito mal feito, copiado de outros deuses fictícios mais antigos. O ser humano NUNCA vai saber com absoluta certeza da existência de deus, ou da sua forma, ou se é um só ou vários seres que criaram tudo, e quem os criou etc. Eu me vejo num caso complexo onde "se deus criou tudo, quem criou deus?", mas parece que para os que acreditam no deus bíblico, tudo pode ter explicação de como veio, menos o criador, o que na minha opinião só reflete a ignorância de nao termos todas as respostas, criando assim respostas fáceis como "deus criou tudo" ou "deus sempre existiu", quando pra mim isso não é nem o começo das indagações verdadeiras avançadas.

Apenas complementando o que você falou, essa busca por Deus (criador) é algo inútil (mateologia), ou seja, é um assunto superior ao alcance/inteligência humano, é o tipo do assunto que não tem aplicabilidade prática, ficando apenas no campo filosófico, no campo das ideias. É claro que isso é uma verdade relativa e à partir do momento em que a "caçada" por Deus for algo útil, isto é, que tenha aplicabilidade no nosso dia-a-dia para fins cosmoéticos e evolutivos, iremos voltar as pesquisas para esse fim.

Quem quiser saber mais sobre assuntos mateológicos, recomendo a leitura de um verbete da enciclopédia da conscienciologia chamado: Assunto Mateologico, pode ser encontrado nesse link: http://www.tertuliaconscienciologia.org ... &&Itemid=3

Também recomendo esse video onde claramente é mostrado que as origens do cristianismo estão no politeísmo da suméria.

Exato Olympio, já havia assistido à esse e muitos outros vídeos para ateístas, e vejo toda semana aquele show "The Atheist Experience", onde é debatido de forma muito bruta porém lógica a existência de um ou vários deuses, sempre com o argumento sendo feito por pessoas comuns que acreditam em deus e tentam provar que ele existe e na outra parte os apresentadores ateístas. É muito interessante

Share this post


Link to post
Share on other sites
Exato Olympio, já havia assistido à esse e muitos outros vídeos para ateístas

Só uma correção, os videos não são para ateus. O que acontece é que os ateus que fazem videos para o youtube promovem uma qualidade extrema de argumentação nos videos. Particularmente, sou inscrito em uns 15 canais de videos no youtube de áreas distintas, desses 15, se não me engano, a maioria absoluta é composta por vlogers ateístas. Fazer o quê? Os caras são bons mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Exato Olympio, já havia assistido à esse e muitos outros vídeos para ateístas

Só uma correção, os videos não são para ateus. O que acontece é que os ateus que fazem videos para o youtube promovem uma qualidade extrema de argumentação nos videos. Particularmente, sou inscrito em uns 15 canais de videos no youtube de áreas distintas, desses 15, se não me engano, a maioria absoluta é composta por vlogers ateístas. Fazer o quê? Os caras são bons mesmo.

Obrigado por corrigir, realmente não são para ateístas, mas sim de ateistas (embora os não-ateístas só assistem pra reclamar e fala que nós vamos para o inferno)

Share this post


Link to post
Share on other sites

junior

“Se me permite dizer essa sua visão realmente não reflete a realidade...Talvez você tenha interpretado o que você "leu" em algum lugar de uma maneira que fosse conveniente a você, só isso “

Essa visão reflete a realidade, dentro do tema! O livro era sobre projeção da consciência, e o autor exemplificou, como seria “subir um nível”, “deixar de Ser”, e assim, olhou o rato , sentiu como era “ser” aquele rato e o que ele vivia!

Isto quer dizer que estou citando um exemplo de porque não há uma visão do projetor sobre Deus!

E explico: Quero dizer que não é possível subir níveis mais altos e exemplificar!

Não tenho qualquer interesse de ser conveniente a mim mesmo! Prefiro que todos postem e participem, como em um Debate!

Daí a dificuldade de responder a essa pergunta, a pesquisa é livre!

Share this post


Link to post
Share on other sites
junior

“Se me permite dizer essa sua visão realmente não reflete a realidade...Talvez você tenha interpretado o que você "leu" em algum lugar de uma maneira que fosse conveniente a você, só isso “

Essa visão reflete a realidade, dentro do tema! O livro era sobre projeção da consciência, e o autor exemplificou, como seria “subir um nível”, “deixar de Ser”, e assim, olhou o rato , sentiu como era “ser” aquele rato e o que ele vivia!

Isto quer dizer que estou citando um exemplo de porque não há uma visão do projetor sobre Deus!

E explico: Quero dizer que não é possível subir níveis mais altos e exemplificar!

Não tenho qualquer interesse de ser conveniente a mim mesmo! Prefiro que todos postem e participem, como em um Debate!

Daí a dificuldade de responder a essa pergunta, a pesquisa é livre!

Entendi!!! acredito que esse exemplo do "rato" é realmente verdadeiro quando se faz projeção em "corpo mental" e não em corpo astral... A projeção em corpo mental você simplesmente "É".

Essa sua afirmação

E explico: Quero dizer que não é possível subir níveis mais altos e exemplificar!

Quem disse que não é possível????

Share this post


Link to post
Share on other sites

Essa sua afirmação

E explico: Quero dizer que não é possível subir níveis mais altos e exemplificar!

Quem disse que não é possível????

Segundo o Projeciologia do Vieira, o cérebro não comporta

fazendo surtir a idéia no projetor, de se criar até uma religião!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá pessoal!

Gostaria de compartilhar um aforismo paradoxal retirado do livro:

Tao-te King.

Capitulo - 14

"Quem quer ver a Divindade,

Não a verá,

Porque ela é invisível.

Quem quer ouvir a Divindade,

Não a ouvirá,

Porque ela é inaudível.

Quem quer tanger a Divindade,

Não a tangerá,

Porque ela não tem forma.

Nenhum caminho parcial

Conduz à meta total.

Só na visão do Todo se encontra a Divindade

E então a superfície parece tenebrosa escuridão,

Enquanto a profundeza parece luminosa superfície.

Nunca a Divindade é inteligível,

Ela permeia o Universo sem-fim

E gira pelo Todo como se fosse o Nada.

A Divindade é uma forma sem forma.

A Divindade é o Ser sem Existir,

É o mais insondável de todos os insondáveis.

Quem encara a Divindade não lhe vê a face.

Quem segue o Infinito o verá sempre fugitivo.

Só quem sintoniza com o Infinito,

Esse o conhece realmente,

Como os antigos o conheciam,

Eles, que sabiam que todos os visíveis

Nascem do Invisível."

"Aqui Lao-Tsé frisa, uma verdade fundamental: que a Divindade, o Infinito, o Absoluto, o Uno, não é objeto para a empiria sensorial nem para a análise intelectual; quem quer conhecer o Tao não o deve querer conquistar nem invadir, mas deve ser por ele conquistado e invadido. A ego-vacuidade atrai a cosmo-plenitude - mas nenhuma vacuidade porde criar a plenitude. O silêncio auscultativo da alma escuta o silêncio eloqüente do Espírito."

Comentario - Huberto Rohden.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Essa sua afirmação

E explico: Quero dizer que não é possível subir níveis mais altos e exemplificar!

Quem disse que não é possível????

Segundo o Projeciologia do Vieira, o cérebro não comporta

fazendo surtir a idéia no projetor, de se criar até uma religião!

Cérebro e consciência são 2 coisas totalmente diferentes...Os médicos já sabem disso, mas não possuem argumentos técnicos e físicos para colocar isso num livro... Pois a Consciência é abstrata... Parece que na USP a disciplina ( "mística/espirita/conscienciologia") já existe como matéria optativa da grade...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em resumidas palavras, peguemos a palavra dEUs e retiremos a primeira e última letras... talvez seja uma segestão viável de onde podemos encontrá-lo...

...Essa é a visão romântica que eu falo sobre 98% da raça Humana que ainda está com a cosciência nos chacras mais baixos...

O Andy Santos, praticamente disse que devemos tirar a primeira e última letra da palavra DEUS>>> EU...Ohhhhhhhh!!!

que lindo!!!

Será que a sua teroria se aplica para as outras línguas???

Share this post


Link to post
Share on other sites

Júnior escreveu:

"O Andy Santos, praticamente disse que devemos tirar a primeira e última letra da palavra DEUS>>> EU...Ohhhhhhhh!!!

que lindo!!!

Será que a sua teroria se aplica para as outras línguas???"

Amigo, a analogia feita por mim utilizando a palavra DEUS foi para que refletíssemos única e exclusivamente que o Deus preconizado pelas tradições judaico-cristã não é um ser onipotente e unipesente, do contrário, é o nosso próprio EGO; nosso próprio EU.

Não tive a intenção de falar sobre o possível Deus utilizando para isso estudos etimológicos, até porque se assim o fosse, faria uma alusão ao latim vulgar de onde a palavra se originou ( DYEUS), e é claro que não foram todas a línguas que se originaram do LATIM, quanto a isso não há o que se discutir.

POrém, considerando-se nosso contexto linguístico enquanto nativos falantes do Português, nossa cultura e tendo-se como ponto de partida a palavra DEUS, utilizada no cristianismo em NOSSO PAÍS, e no caso em todos os países que falam o Português, utilize-a como PONTO DE REFLEXÃO, e não COMO TEORIA, até porque para ser teoria é necessário o desenvolvimento de um estudo sistematizado e teoricamente embasado.

E já que tendo como base a palavra DEUS na Português para refletir sobre mesmo como um ser subjetivo que perpassa nosso próprio EGO, e tendo-se também como base que há uma interligação do meu Eu (subjetivo) ao todo universal, por que não seria possível transpassar essa ideia para outra Língua? Sim, é possível, independente da cultura ou estrutura linguística, pois o que me refiro é sobre o que a palavra nos leva a refletir, e não a uma TEORIA isolada na qual somente nativos ou conhecedores da Língua portuguesa tivessem acesso.

Boa observação a sua, mas a compreensão não foi lá essas coisas!

Paz e Luz

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por muito que se discuta o que é Deus nunca se vai chegar a um concenso por um motivo muito simples: Deus não é para ser compreendido, mas para ser sentido e vivido.

Buda nunca respondeu à pergunta: "o que é Deus?" por esse motivo...

Paz e harmonia...

"Paz. Estar tranquilo, Saber que sou Deus." de Norvell

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.