• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
AlissonFreitas

Caminho único X Universalismo

Recommended Posts

Acompanhando o fórum, percebo uma gama bem grande de "opções doutrinárias" entre os membros. Aqui há espíritas, rosacruzes, ocultistas, tem o pessoal do IIPC, tem seguidores do Moisés Esagui, do Wagner Borges, do Saulo, entre vários outros, além dos ateus e até mesmo céticos que nem acreditam em projeção astral.

Enfim, muitas vezes vejo que os debates acabam chegando em um ponto onde não podem mais avançar, pois esbarram em discordâncias doutrinárias, mesmo. Recentemente, um participante me sugeriu que eu lesse as obras do Moisés Esagui para debater com ele, pois, segundo suas palavras, é preciso "conhecer o assunto" para se debater, e ele acreditava que a única forma de "conhecer o assunto" era através do Moisés Esagui. Daí eu fico me perguntando: até que ponto a opção por uma doutrina, ou visão, específica é produtiva e até que ponto é limitante? Wagner Borges e Saulo Calderón, por exemplo, são entusiastas do universalismo doutrinário. Segundo o Wagner, ele não fica "preso" a nenhuma visão fechada e, portanto, é livre para conhecer, estudar e aprender com todas.

Por outro lado, indubitavelmente nos identificaremos mais com essa ou aquela visão e aos nos sentir confortáveis ali, tenderemos a nos aprofundar nela. E esse "se sentir confortável" pode nos ajudar a nos aprofundar nos assuntos, enquanto que o universalismo poderia ser visto como uma "falta de foco", onde se vê várias doutrinas, mas apenas superficialmente.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

[...]

"Cada um diz que a sua própria seita é o Caminho Verdadeiro, contudo quanto mais se evolui mais confuso fica, quanto mais se evolui mais dor de cabeça surge, quanto mais se evolui mais comentários desagradáveis aparecem. Às vezes, o primeiro caminho que se conhece é o verdadeiro, no entanto muitas vezes ela desiste diante das pequenas dificuldades, preferindo seguir os caminhos pequenos ou laterais, aparentemene mais fáceis, não conseguindo ficar de coração aberto, deixando a conciência enferrujar, não havendo possibilidade de ABRIR A MENTE para enxergar a MONTANHA, e sim, apenas a gravura dela pendurada na parede, APRECIANDO UMA FALSA MONTANHA e uma falsa paisagem para se consolar."

" É dificil encontrar o VERDADEIRO CAMINHO. O verdadeiro Caminho não se encontra em nenhuma escritura sagrada, embora estes possam trazer alguns indícios que levam as pessoas a sua procura. O verdadeiro Caminho é trasmitido de coração a coração. E após obtido, se seguir sinceramente poderá escapar do ciclo de reecarnação e dos caminhos falsos "

[...]

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom eu estudei bastante psicologia e neurologia para tentar entender essa tendencia humana de sempre arrumar um meio de limitar e classificar conhecimento e poder dizer "Isso é melhor" e o meu é melhor.

Pelos meus estudos,o ser humano tem um forte instinto animal de sobrevivencia,e um desses instintos basicos é o de que para ser importante é preciso se destacar,e esse instinto basico faz com que instintivamente peguemos conhecimento e tentamos limitar e criar nomes e vinculos que possam de alguma forma estar presos a nós,e do qual podemos usar aquilo para nos destacar.

Obviamente sem organização e classificação é impossivel criar regras,parametros e conceitos porem o problema não é a criação de sistemas e organizações é o instinto humano de sobrevivencia,que faz com que a pessoa queira ser "Mais certa", "Mais importante" pra sobreviver.

Por isso qualquer conhecimento acaba caindo no mesmo ciclo de "vamos criar uma ordem" colocar um nome,e dizer que é melhor que alguma coisa,e assim garantir nossa importancia e sobrevivencia.

Quando voce entende esse instinto humano de sobrevivencia dentro de voce,que faz voce sempre querer ser o melhor,ter mais destaque,ter inveja,etc voce percebe que é algo imaturo e primitivo. Não existe conhecimento melhor ou pior,existem sistemas,conceitos que precisam ser testados,analisados,comparados de forma racional para que possamos um dia criar um sistema unificado para todas as coisas descobertas pela capacidade humana.

A maioria das pessoas estuda com um motivo positivo de querer se aprimorar e superar problemas,mas no fim a maioria delas acaba caindo no instinto animal de querer ser mais superior e mais importante do que outro alguem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Me vem a mente um pensamento de Bruce Lee:

.............................

Antes que eu estudesse o Kung Fu, um soco para mim era apenas um soco, e um chute, apenas um chute;

Quando aprendi Kung Fu, um soco tornou-se mais do que um soco, e um chute, mais do que um chute;

Mas quando eu compreendi o Kung Fu, um soco tornou-se apenas um soco, e um chute, apenas um chute.

.........................

Acho que isso resume muito bem as etapas pelas quais passamos em muitas áreas do aprendizado.

Quando eu era mais jovem eu acreditava que o melhor era aprender um pouco de cada coisa, formando minha própria síntese pessoal. Mas depois que eu aprendi um sistema a fundo, vi o quanto eu e muita gente perde tempo com essa atitude, porque o que fazemos, nesse caso, a rejeitar tudo o que nos leva a mudar. Acabamos filtrando de todos os sistemas apenas aquilo com o que concordamos, ou seja, aceitamos apenas aquilo de fato não nos fará mudar. Quando você se decide por um sistema, você TERÁ que mudar, ou jamais aprenderá o sistema, e esse é sempre um processo doloroso, que muitos evitarão.

Mas chega um momento em que aquele sistema não poderá mais te produzir mudanças, logo, não tem como continuar crescendo se ficar atrelado a ele. A meta é o crescimento constante, e um sistema ao qual você se agarra depois de ele ter te proporcionado as mudanças possíveis, se tornará um abrigo contra a mudança, um porto seguro no qual você vai estagnar.

Para que haja crescimento constante você precisar se libertar dessas “tábuas de salvação” e nadar a esmo, ou corre o risco dela virar um ancora. Mas cada um tem que decidir por si quando um sistema já não lhe fornece nada além de segurança. O fato de alguém abandonar seu sistema não implica que ele fosse um caminho errado, mas apenas que esse alguém não consegue mais tirar algo útil dele. Acho que muita gente fica preso a vida inteira num único caminho porque supõe que abandoná-lo significa rejeitar tudo o que um dia abraçou, mas não há porque pensar assim. Tudo na vida tem utilidade apenas limitada, se estamos crescendo, mas a utilidade de um sistema só pode ser avaliada por quem se dedicar a estudá-lo e vive-lo, aceitando os desafios que cada sistema lhe impõe. Sem esse engajamento não acredito que possa haver compreensão real, mas todo sistema é apenas uma ferramenta auxiliar na construção do caminho individual, não é o caminho em si.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá Alisson!

Minha opinão diante de sua pergunta.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

BUDA dizia: " Existe 84.000 Caminhos"

e LAO-TSE dizia:" Existe 3.600 caminhos",

[...]

com tantos caminhos, é realmente dificil avaliar qual o VERDADEIRO CAMINHO. [...]

Reflexão:

"Vemos o Caminho como nós somos, e não como ele é."

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por exemplo!

Existe o caminho (correto), porém nem sempre sabemos se estamos agindo do modo certo!

Não importa o assunto! Sendo o site sobre viagem astral, acho que seria interessante sempre haver a liberdade de se expressar, gerando debates! Não sabemos quando o que está escrito, deve ser seguido pois não conhecemos a experiência!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Acompanhando o fórum, percebo uma gama bem grande de "opções doutrinárias" entre os membros. Aqui há espíritas, rosacruzes, ocultistas, tem o pessoal do IIPC, tem seguidores do Moisés Esagui, do Wagner Borges, do Saulo, entre vários outros, além dos ateus e até mesmo céticos que nem acreditam em projeção astral.

Enfim, muitas vezes vejo que os debates acabam chegando em um ponto onde não podem mais avançar, pois esbarram em discordâncias doutrinárias, mesmo. Recentemente, um participante me sugeriu que eu lesse as obras do Moisés Esagui para debater com ele, pois, segundo suas palavras, é preciso "conhecer o assunto" para se debater, e ele acreditava que a única forma de "conhecer o assunto" era através do Moisés Esagui. Daí eu fico me perguntando: até que ponto a opção por uma doutrina, ou visão, específica é produtiva e até que ponto é limitante? Wagner Borges e Saulo Calderón, por exemplo, são entusiastas do universalismo doutrinário. Segundo o Wagner, ele não fica "preso" a nenhuma visão fechada e, portanto, é livre para conhecer, estudar e aprender com todas.

Por outro lado, indubitavelmente nos identificaremos mais com essa ou aquela visão e aos nos sentir confortáveis ali, tenderemos a nos aprofundar nela. E esse "se sentir confortável" pode nos ajudar a nos aprofundar nos assuntos, enquanto que o universalismo poderia ser visto como uma "falta de foco", onde se vê várias doutrinas, mas apenas superficialmente.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

Olá Alisson confesso que eu me aprofundei todos os Autores que você mencionou acima ( e muitos outros que você não mencionou).

Eu por exemplo não sigo ninguém, eu sigo a mim mesmo dentro de um contexto que eu validei, pesando e comparando os vários autores citados acima.

O caminho que eu escolhi para Evoluir foi sim apresentado pelo Moisés Esagui, confesso que é o caminho mais difícil de se seguir e me parece ser muito coerente também, pelo simples fato do cara verificar em corpo Astral e Mental ( centenas de vezes ) um assunto/tópico antes de publicá-las, só isso. Suas verdades são verificadas...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Acompanhando o fórum, percebo uma gama bem grande de "opções doutrinárias" entre os membros. Aqui há espíritas, rosacruzes, ocultistas, tem o pessoal do IIPC, tem seguidores do Moisés Esagui, do Wagner Borges, do Saulo, entre vários outros, além dos ateus e até mesmo céticos que nem acreditam em projeção astral.

Enfim, muitas vezes vejo que os debates acabam chegando em um ponto onde não podem mais avançar, pois esbarram em discordâncias doutrinárias, mesmo. Recentemente, um participante me sugeriu que eu lesse as obras do Moisés Esagui para debater com ele, pois, segundo suas palavras, é preciso "conhecer o assunto" para se debater, e ele acreditava que a única forma de "conhecer o assunto" era através do Moisés Esagui. Daí eu fico me perguntando: até que ponto a opção por uma doutrina, ou visão, específica é produtiva e até que ponto é limitante? Wagner Borges e Saulo Calderón, por exemplo, são entusiastas do universalismo doutrinário. Segundo o Wagner, ele não fica "preso" a nenhuma visão fechada e, portanto, é livre para conhecer, estudar e aprender com todas.

Por outro lado, indubitavelmente nos identificaremos mais com essa ou aquela visão e aos nos sentir confortáveis ali, tenderemos a nos aprofundar nela. E esse "se sentir confortável" pode nos ajudar a nos aprofundar nos assuntos, enquanto que o universalismo poderia ser visto como uma "falta de foco", onde se vê várias doutrinas, mas apenas superficialmente.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

Dados estatísticos recentes sobre religião, nos mostram que temos mais de 33mil vertentes cristãs. O que isso nos diz na prática? Que são mais de 33mil verdades absolutas diferentes no que tangem o cristianismo. Estima-se que há mais de 70mil religiões/seitas atualmente no mundo ("Onde a religião termina - Marcelo da Luz").

Com tantas verdades, tantos tudo, como realmente sabemos? Na minha opinião, é simples. Experimentando, testando, falseando teorias, hipóteses e principalmente, não acreditando em coisas só porque fulano que tem 8492892 anos de experiência disse, as seitas e religiões surgem daí, da falta de debate, experimentação e discernimento.

E antes que digam que estou puxando sardinha pro meu lado (conscienciologia), ponderem que devemos ter segurança e seremos racionais naquilo que colocamos nossas fichas. Como vocês fazem isso num local onde a garantia é um livro blindado e um intermediário que interpreta esse livro? Vejam que essa é uma crítica generalizada e cabe a todos os locais, sem exceção. A área da espiritualidade, apesar de ser uma área qualquer, é mais sensível quando tratamos de "confiabilidade", afinal, não é o tipo da área que é tudo de fácil verificação, mas é o tipo da área que se não tiver discernimento, acontece o que vemos diariamente nas ruas, pessoas reproduzindo conceitos não verificados (por elas, principalmente). São esses tipos de coisa que descreditam mais e mais a área.

O caminho que eu escolhi para Evoluir foi sim apresentado pelo Moisés Esagui, confesso que é o caminho mais difícil de se seguir e me parece ser muito coerente também, pelo simples fato do cara verificar em corpo Astral e Mental ( centenas de vezes ) um assunto/tópico antes de publicá-las, só isso. Suas verdades são verificadas...

Junior, putz, ultimamente eu tenho pegado muito no seu pé né?

Pergunto sem conhecimento de causa mesmo, não é por desonestidade intelectual. Como você consegue afirmar que as verdades dele são verificadas? Devido os livros que ele escreve? Os relatos que ele conta? Mesmo que seja verdade, foi ele e apenas ele o autor disso tudo, quem garante que ele está sendo fidedigno com aquilo que ele se propôs a estudar? Papel, microfone e Word aceitam tudo. Entende meu questionamento? Realmente pergunto pois não conheço a fundo sobre o Moisés e você, quem "segue", deve conhecer melhor.

Como funciona para você essa questão da verificabilidade e da falseabilidade das teorias e hipóteses formuladas por ele? Ele mostra como podemos fazer para verificar tudo o que ele diz ser verdade?

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites
E antes que digam que estou puxando sardinha pro meu lado (conscienciologia), ponderem que devemos ter segurança e seremos racionais naquilo que colocamos nossas fichas.

So' nao esqueca Olympio, que tomar a racionalidade como referencia e tambem apenas uma crenca: acreditar que uma determinada faculdade tem capacidade de julgar atos ou fenomenos de varias classes diferentes.

Embora eu tambem adote essa postura como padrao, sei que julgar coisas espirituais pela racionalidade nao e exatamente uma forma muito confiavel, pelo simples fato de que a racionalidade fica limitada sempre ao que ja foi estabelecido pela crenca comum considerada razoavel, enquanto que a espiritualidade e' um campo que AINDA foge muito aos conhecimentos que temos ate agora. Descartar tudo o que nao se comprende racionalmente como sendo farsa ou mistificacao e' o que os ceticos materialistas fazem, e as vezes parece que tem muita gente da area "espiritualista", digamos assim, que se orgulha de cometer esse MESMO ERRO.

Por exemplo: antes de inventarem o conceito de ectoplasma, qualquer referencia a certos fenomenos fisicos seria visto como ilusao ou crendice, mas depois que vieram com a explicacao (teoria) de que certos sujeitos produzem e exudam mais ectoplasma, ai o pessoal passou a achar muito logico e racional certas coisas, DESDE QUE TENHA UM SUJEITO DESSES NA SALA. Mas se o mesmo acontecer numa sala vazia, "ah nao! nao pode, nao tem logica". Esse mesmo pessoal que aceita coisas que um materialista acharia hilario, porque a racionalidade do materialista esta baseada em outros principios (outras crenc,as), acham que fenomenos "magicos" ou "religiosos" descritos na antiguidade eram mera "mistificacao"...porque sua racionalidade ( sua crenca que aceita certas teorias como sendo logicas) nao incluiu uma explicacao para eles.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não vale a pena escrever muito...

Isto é tudo um belo paradoxo:

Cada um tem o seu próprio caminho, sinta-o e siga-o.

Todos os caminhos o levam só até um: o caminho até à sua realização ou o caminho até "Deus".

Simples, não e? Não à X ou VS, mas sim uma conciliação :D

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aí que é está. Eu não acredito que todos os caminhos levam à verdade, não mesmo. Muita gente "sente" o caminho escolhido, se identifica, está convicta de estar no caminho certo, mas está cheia de condicionamentos e limitações.

Eu acho que essas duas possibilidades, de alguma forma, se opõem, sim.

Particularmente, acredito mais no universalismo, até porque eu não acredito que haja um caminho 100% certo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Acompanhando o fórum, percebo uma gama bem grande de "opções doutrinárias" entre os membros. Aqui há espíritas, rosacruzes, ocultistas, tem o pessoal do IIPC, tem seguidores do Moisés Esagui, do Wagner Borges, do Saulo, entre vários outros, além dos ateus e até mesmo céticos que nem acreditam em projeção astral.

Enfim, muitas vezes vejo que os debates acabam chegando em um ponto onde não podem mais avançar, pois esbarram em discordâncias doutrinárias, mesmo. Recentemente, um participante me sugeriu que eu lesse as obras do Moisés Esagui para debater com ele, pois, segundo suas palavras, é preciso "conhecer o assunto" para se debater, e ele acreditava que a única forma de "conhecer o assunto" era através do Moisés Esagui. Daí eu fico me perguntando: até que ponto a opção por uma doutrina, ou visão, específica é produtiva e até que ponto é limitante? Wagner Borges e Saulo Calderón, por exemplo, são entusiastas do universalismo doutrinário. Segundo o Wagner, ele não fica "preso" a nenhuma visão fechada e, portanto, é livre para conhecer, estudar e aprender com todas.

Por outro lado, indubitavelmente nos identificaremos mais com essa ou aquela visão e aos nos sentir confortáveis ali, tenderemos a nos aprofundar nela. E esse "se sentir confortável" pode nos ajudar a nos aprofundar nos assuntos, enquanto que o universalismo poderia ser visto como uma "falta de foco", onde se vê várias doutrinas, mas apenas superficialmente.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

Dados estatísticos recentes sobre religião, nos mostram que temos mais de 33mil vertentes cristãs. O que isso nos diz na prática? Que são mais de 33mil verdades absolutas diferentes no que tangem o cristianismo. Estima-se que há mais de 70mil religiões/seitas atualmente no mundo ("Onde a religião termina - Marcelo da Luz").

Com tantas verdades, tantos tudo, como realmente sabemos? Na minha opinião, é simples. Experimentando, testando, falseando teorias, hipóteses e principalmente, não acreditando em coisas só porque fulano que tem 8492892 anos de experiência disse, as seitas e religiões surgem daí, da falta de debate, experimentação e discernimento.

E antes que digam que estou puxando sardinha pro meu lado (conscienciologia), ponderem que devemos ter segurança e seremos racionais naquilo que colocamos nossas fichas. Como vocês fazem isso num local onde a garantia é um livro blindado e um intermediário que interpreta esse livro? Vejam que essa é uma crítica generalizada e cabe a todos os locais, sem exceção. A área da espiritualidade, apesar de ser uma área qualquer, é mais sensível quando tratamos de "confiabilidade", afinal, não é o tipo da área que é tudo de fácil verificação, mas é o tipo da área que se não tiver discernimento, acontece o que vemos diariamente nas ruas, pessoas reproduzindo conceitos não verificados (por elas, principalmente). São esses tipos de coisa que descreditam mais e mais a área.

O caminho que eu escolhi para Evoluir foi sim apresentado pelo Moisés Esagui, confesso que é o caminho mais difícil de se seguir e me parece ser muito coerente também, pelo simples fato do cara verificar em corpo Astral e Mental ( centenas de vezes ) um assunto/tópico antes de publicá-las, só isso. Suas verdades são verificadas...

Junior, putz, ultimamente eu tenho pegado muito no seu pé né?

Pergunto sem conhecimento de causa mesmo, não é por desonestidade intelectual. Como você consegue afirmar que as verdades dele são verificadas? Devido os livros que ele escreve? Os relatos que ele conta? Mesmo que seja verdade, foi ele e apenas ele o autor disso tudo, quem garante que ele está sendo fidedigno com aquilo que ele se propôs a estudar? Papel, microfone e Word aceitam tudo. Entende meu questionamento? Realmente pergunto pois não conheço a fundo sobre o Moisés e você, quem "segue", deve conhecer melhor.

Como funciona para você essa questão da verificabilidade e da falseabilidade das teorias e hipóteses formuladas por ele? Ele mostra como podemos fazer para verificar tudo o que ele diz ser verdade?

Abraço

Pode pegar no meu pé não tem problema....vou repetir novamente (pois já disso aqui antes).

Em várias das minhas buscas quando morava no Brasil eu tive o privilégio de conhece-lo, no curso de Projeção Astral. Depois dei continuidade e participava dos grupos de estudos, num nível que não dá pra discutir aqui..

Eu tive que parar de acompanhá-lo pois as coisas que ele apresentava eram todas verdades e achei mais fácil parar de acompanhá-lo do que, admitir que ele tava certo.

Evitei por cerca de 4 anos, continuando minhas pesquisas e num teve jeito... Os conceitos eram difíceis de argumentar...

Eu possuo cerca de 100 áudios dele, e todos os livros...Conheceço o cara pessoalmente...

É fácil falar " Papel aceita tudo" , pois é conveniente, não requer esforço...

Você só vai saber o que eu tô falando quando você souber a diferença entre EMOÇÃO E SENTIMENTO ( falando nisso vc já baixou os áudios que te mandei?)

Diferença entre ESCLARECIMENTO E CONSOLAÇÃO.

Eu decidi sair desse fórum, vou postar mais uns 2 tópicos e depois eu saio, refleti muito à respeito ( e olha que eu sou véio aqui...rsrsr).

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Acompanhando o fórum, percebo uma gama bem grande de "opções doutrinárias" entre os membros. Aqui há espíritas, rosacruzes, ocultistas, tem o pessoal do IIPC, tem seguidores do Moisés Esagui, do Wagner Borges, do Saulo, entre vários outros, além dos ateus e até mesmo céticos que nem acreditam em projeção astral.

Enfim, muitas vezes vejo que os debates acabam chegando em um ponto onde não podem mais avançar, pois esbarram em discordâncias doutrinárias, mesmo. Recentemente, um participante me sugeriu que eu lesse as obras do Moisés Esagui para debater com ele, pois, segundo suas palavras, é preciso "conhecer o assunto" para se debater, e ele acreditava que a única forma de "conhecer o assunto" era através do Moisés Esagui. Daí eu fico me perguntando: até que ponto a opção por uma doutrina, ou visão, específica é produtiva e até que ponto é limitante? Wagner Borges e Saulo Calderón, por exemplo, são entusiastas do universalismo

doutrinário. Segundo o Wagner, ele não fica "preso" a nenhuma visão fechada e, portanto, é livre para conhecer, estudar e aprender com todas.

Por outro lado, indubitavelmente nos identificaremos mais com essa ou aquela visão e aos nos sentir confortáveis ali, tenderemos a nos aprofundar nela. E esse "se sentir confortável" pode nos ajudar a nos aprofundar nos assuntos, enquanto que o universalismo poderia ser visto como uma "falta de foco", onde se vê várias doutrinas, mas apenas superficialmente.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

Dados estatísticos recentes sobre religião, nos mostram que temos mais de 33mil vertentes cristãs. O que isso nos diz na prática? Que são mais de 33mil verdades absolutas diferentes no que tangem o cristianismo. Estima-se que há mais de 70mil religiões/seitas atualmente no mundo ("Onde a religião termina - Marcelo da Luz").

Com tantas verdades, tantos tudo, como realmente sabemos? Na minha opinião, é simples. Experimentando, testando, falseando teorias, hipóteses e principalmente, não acreditando em coisas só porque fulano que tem 8492892 anos de experiência disse, as seitas e religiões surgem daí, da falta de debate, experimentação e discernimento.

E antes que digam que estou puxando sardinha pro meu lado (conscienciologia), ponderem que devemos ter segurança e seremos racionais naquilo que colocamos nossas fichas. Como vocês fazem isso num local onde a garantia é um livro blindado e um intermediário que interpreta esse livro? Vejam que essa é uma crítica generalizada e cabe a todos os locais, sem exceção. A área da espiritualidade, apesar de ser uma área qualquer, é mais sensível quando tratamos de "confiabilidade", afinal, não é o tipo da área que é tudo de fácil verificação, mas é o tipo da área que se não tiver discernimento, acontece o que vemos diariamente nas ruas, pessoas reproduzindo conceitos não verificados (por elas, principalmente). São esses tipos de coisa que descreditam mais e mais a área.

O caminho que eu escolhi para Evoluir foi sim apresentado pelo Moisés Esagui, confesso que é o caminho mais difícil de se seguir e me parece ser muito coerente também, pelo simples fato do cara verificar em corpo Astral e Mental ( centenas de vezes ) um assunto/tópico antes de publicá-las, só isso. Suas verdades são verificadas...

Junior, putz, ultimamente eu tenho pegado muito no seu pé né?

Pergunto sem conhecimento de causa mesmo, não é por desonestidade intelectual. Como você consegue afirmar que as verdades dele são verificadas? Devido os livros que ele escreve? Os relatos que ele conta? Mesmo que seja verdade, foi ele e apenas ele o autor disso tudo, quem garante que ele está sendo fidedigno com aquilo que ele se propôs a estudar? Papel, microfone e Word aceitam tudo. Entende meu questionamento? Realmente pergunto pois não conheço a fundo sobre o Moisés e você, quem "segue", deve conhecer melhor.

Como funciona para você essa questão da verificabilidade e da falseabilidade das teorias e hipóteses formuladas por ele? Ele mostra como podemos fazer para verificar tudo o que ele diz ser verdade?

Abraço

Esqueci de comentar um simples exemplo sobre o Moisés. Antes de publicar seu livro sobre Francisco de Assis, ele teve a manha de ir lá pra Itália para comprovar os locais, árvores, cavernas, etc. Enfim, tudo que ele pesquisou e, corpo astral e mental ele precisava comprovar fisicamente,etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas a pergunta do Olympio é muito boa, Junior. A gente vê que você acredita piamente no Moisés, como um guru. Isso deve ser ótimo, encontrar alguém em que se confia tanto!

De que forma VOCÊ comprovou as coisas que ele diz? Ou então, com exceção de conhecê-lo pessoalmente, o que te fez chegar à conclusão de que ele está certo em tudo o que diz e de que possui O CAMINHO CORRETO à evolução?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mas a pergunta do Olympio é muito boa, Junior. A gente vê que você acredita piamente no Moisés, como um guru. Isso deve ser ótimo, encontrar alguém em que se confia tanto!

De que forma VOCÊ comprovou as coisas que ele diz? Ou então, com exceção de conhecê-lo pessoalmente, o que te fez chegar à conclusão de que ele está certo em tudo o que diz e de que possui O CAMINHO CORRETO à evolução?

A minha forma foi questionando e duvidando... só isso!!!

(acretido ter te mandado alguns áudios do Moisés pra vc).

O Cara coloca os argumentos dele de uma forma inquestionável... Sem religião, crença ou rituais... Fala da importância do Esclarescimento e muito mais...

Por ser piscicanalista ele relaciona o Comportamento Humano e como isso altera suas energias e chakras...

...Não o considero como "guru". Aliás ele deixa isso bem claro!!! ELE diz: Não sou Guru de ninguém, só to cuidando da minha evolução. Eu Passo o conhecimento que tenho, cabem às pessoas pelo menos avaliarem meus argumentos,etc.

Já adianto que se você tiver coragem e competência de se alto enxergar de forma honesta (É FODA FAZER ISSO) você não sofre mais e será feliz em todos os campos da sua vida...

O Problema é que a mudança é lenta e gradativa ( Normal ). Mas nó queremos ler um livro de alto-ajuda ou escutar um áudio e resolver nossos problemas em uma semana. NÃO FUNCIONA ASSIM.

De que forma VOCÊ comprovou as coisas que ele diz?

Para comprovar o que ele diz eu tenho que melhorar muito... to caminhando! A ferramenta principal é a projeção astral. Aliás eu não estou mais no âmbito de "dar cheque-mate nele", não importa mais pra mim...

Mas a maioria das coisas que ele fala eu comprovei por reflexão mesmo ( sem a necessidade de Projeção Astral).

Existe um áudio de número 52 e 53... ( vou dar um jeito de disponibiliza-los para algumas pessoas deste Forum ).

T+

Share this post


Link to post
Share on other sites
A minha forma foi questionando e duvidando... só isso!!!

(acretido ter te mandado alguns áudios do Moisés pra vc).

O Cara coloca os argumentos dele de uma forma inquestionável... Sem religião, crença ou rituais... Fala da importância do Esclarescimento e muito mais...

[...]

Para comprovar o que ele diz eu tenho que melhorar muito... to caminhando! A ferramenta principal é a projeção astral. Aliás eu não estou mais no âmbito de "dar cheque-mate nele", não importa mais pra mim...

[...]

Mas a maioria das coisas que ele fala eu comprovei por reflexão mesmo ( sem a necessidade de Projeção Astral).

Entendi o que você quis dizer, mas, como você diz que questiona e duvida se em outro parágrafo você diz que "não importa mais" e comprova verdades apenas por "reflexão"? Isso pra mim é tomar algo/alguém como guru. "O cara é tão bom que eu não questiono mais", foi essa a ideia principal do seu post. De forma alguma estou jogando lama nem fazendo uma crítica destrutiva, estou apenas tentando clarear para entender sua confiança inabalável e até mesmo cega nesse cara. Digo cega pois você nem se preocupa mais em verificar saindo do corpo, uma reflexão já dá?

Se puder enviar esses áudios, não os encontro. (de preferência todos) Afinal, se você tem essa certeza toda, também quero ter, oras! Pois minhas certezas são suadas e elas demoram pacas para aparecer, afinal, eu tenho uma lista de coisas e essa lista eu vou verificando 1 a 1. Há coisas como a Ressoma (reencarnação), por exemplo, que eu não vi um processo de perto, portanto ainda não admiti como verdade, ainda estou no "é muito provável que exista, porém, continuarei atrás de provas cabais". Entende meu ponto e motivo de encher seu saco? rs

Share this post


Link to post
Share on other sites

e, seria uma boa Junior, se voce pudesse classificar os audios para a gente, por tema. Eu mesmo tenho interesse em adquirir mais audios dele mas fica difil escolher, os temas sao muito genericos. Ja que voce tem todos poderia deixar aqui uma lista para nos dizendo, por exemplo, quais audios tratam mais de psicologia, quais tratam de projecao & evoluçao, por exemplo, quais tratam mais de ...para a gente escolher o que buscar primeiro de acordo com o inmteresse de cada um.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou sem privilégio de administração. O Saulo retirou na época em que eu fiquei inativo, só estou com o nome vermelho pois está bugado. =/

Share this post


Link to post
Share on other sites
A minha forma foi questionando e duvidando... só isso!!!

(acretido ter te mandado alguns áudios do Moisés pra vc).

O Cara coloca os argumentos dele de uma forma inquestionável... Sem religião, crença ou rituais... Fala da importância do Esclarescimento e muito mais...

[...]

Para comprovar o que ele diz eu tenho que melhorar muito... to caminhando! A ferramenta principal é a projeção astral. Aliás eu não estou mais no âmbito de "dar cheque-mate nele", não importa mais pra mim...

[...]

Mas a maioria das coisas que ele fala eu comprovei por reflexão mesmo ( sem a necessidade de Projeção Astral).

Entendi o que você quis dizer, mas, como você diz que questiona e duvida se em outro parágrafo você diz que "não importa mais" e comprova verdades apenas por "reflexão"? Isso pra mim é tomar algo/alguém como guru.

Entenda como você quizer, é um direito seu

"O cara é tão bom que eu não questiono mais", foi essa a ideia principal do seu post.

...referenciado nos meus argumentos. Que tal você se abrir para conhecer os trabalhos dele e argumentá-lo? Me parece uma boa idéia não acha?

De forma alguma estou jogando lama nem fazendo uma crítica destrutiva, estou apenas tentando clarear para entender sua confiança inabalável e até mesmo cega nesse cara. Digo cega pois você nem se preocupa mais em verificar saindo do corpo, uma reflexão já dá?

...me refiro aqui nos conceitos emocionais, comportamentais...coisas que dá pra fazer em corpo físico e com a lucidez no corpo físico, talvez me expressei mal

Se puder enviar esses áudios, não os encontro. (de preferência todos) Afinal, se você tem essa certeza toda, também quero ter, oras!

Acredito já ter te mandado o caminho no seu privado! Confirma pra mim por favor

Pois minhas certezas são suadas e elas demoram pacas para aparecer, afinal, eu tenho uma lista de coisas e essa lista eu vou verificando 1 a 1. Há coisas como a Ressoma (reencarnação), por exemplo, que eu não vi um processo de perto, portanto ainda não admiti como verdade, ainda estou no "é muito provável que exista, porém, continuarei atrás de provas cabais". Entende meu ponto e motivo de encher seu saco? rs

.
Acho que suas questões são muito coerentes e não sinto nenhuma carga emocional nelas... Parece que vc quer entender mesmo....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vou dar aqui o meu pitaco...

Por outro lado, indubitavelmente nos identificaremos mais com essa ou aquela visão e aos nos sentir confortáveis ali, tenderemos a nos aprofundar nela. E esse "se sentir confortável" pode nos ajudar a nos aprofundar nos assuntos, enquanto que o universalismo poderia ser visto como uma "falta de foco", onde se vê várias doutrinas, mas apenas superficialmente.

Será que existe UM caminho certo? Será que existe O caminho certo?

Ser universalista não implica em não se aprofundar em um caminho específico ou mesmo em mais do que um. Eu, pelo menos, olho pro Wagner Borges, que segundo ele, foi yogue na última encarnação, o Enki que também é do IPPB, que também teria sido yogue e nesta vida é novamente, e não enxergo falta de profundidade.

Eu me considero universalista, e não é por isso que não vou me aprofundar num sistema, porque é assim que os maiores resultados são alcançados.

Veja bem, eu disse resultado. Experiência direta, seja do psiquismo ou realização espiritual. Não é crença, porque não importa no que você acredite, qual religião você "segue", o que importa é o que você faz.

De um tempo pra cá comecei a enxergar as coisas de uma forma diferente. A melhor forma de representar a minha forma de ver isso agora é imaginando uma montanha enorme. Várias pessoas tentam escalar essa montanha, só que pra fazer isso, ela precisa escolher uma das suas faces para poder subir. Acontece que quando se chega no topo da montanha e olha-se pra baixo, vemos que não existe só uma face que tá acesso ao topo. E o que eu quero dizer com isso? Que não existe verdade absoluta. Existe sim uma realidade objetiva, só que nós SEMPRE vamos observá-la de um ponto de vista limitado, baseado de onde nós estamos olhando e (no caso das coisas espirituais) de quem somos. É natural que todos olhem pra mesma coisa e vejam coisas diferentes.

E é nisso que implica o Universalismo. Vivekananda disse que um dia haveria tantas religiões no mundo quanto há pessoas no mundo, e eu concordo com ele. E isso implica que alguém está mais certo do que o outro? Que alguém está errado? Não. Implica que se a realidade é uma só e todos observam essa mesma realidade, não há ninguém errado. O que existe é uma "verdade" mais ampla que a outra, e isso vai depender da percepção de cada um, até que ponto a sua percepção vai abranger a realidade, e o quanto dessa realidade vai escapar nossa percepção.

E também há a questão da funcionalidade... O que você quer? Qual seu objetivo quanto à espiritualidade? Se o objetivo é alcançar um estado de consciência mais alto, comprovar empiricamente o parapsiquismo, dentre outros, pode ter certeza que só frequentar uma igreja ou templo (ou centro...) qualquer, muito provavelmente, não vai te auxiliar com isso. Se o seu objetivo é ter respostas pra suas perguntas, a fim de que você não precise se incomodar tanto pensando em questões filosóficas, a religião pode te satisfazer. E se o objetivo é compreensão, entendimento de si mesmo e da natureza, só a religião também não vai bastar.

E aqui eu usei a palavra "religião" pra me referir a uma postura. Porque há aqueles que usam do catolicismo como um sistema místico, e tem suas experiências, da mesma forma que há aqueles que transformam o ocultismo ou a yoga numa crença e deixam de ter a experiência pessoal. Aí é hora de se perguntar. O que você quer? Experiência pessoal ou crença? O que determina mais é o caminhante, e não o caminho. O caminho de um monge cristão que tem suas práticas constantes, visões beatíficas, é o mesmo caminho do cristão de fim de semana? Da mesma forma, o caminho percorrido por um ocultista que tem suas práticas constantes e busca entender a realidade a partir das suas experiências é o mesmo caminho daquele que usa a literatura ocultista como uma forma de alimentar crenças (e inércia espiritual) ? Creio que não...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.