• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Andy Santos

Ataque extrafísico (dúvidas)

Recommended Posts

São Paulo, 27 de agosto de 2012

Logo abaixo procurarei relatar minha experiência de forma mais sucinta que eu puder, apesar de que, por tão intensa que foi para mim, gostaria de relatar cada sensação, mas para não ficar cansativo, procurarei ser breve.

No último dia 27 estava de folga, então acordei 05:00 da manhã como de costume, mas por não ter de ir trabalhar resolvi trabalhar minhas energias e tentar uma projeção.

Fiz a lipeza dos chackras e exteriorização, fiquei deitado em decúbito dorsal até que o sono fosse bem forte, e por fim me deitei de lado e fui aos poucos adormecendo. Creio que não demorou muito tempo para eu despertar em forte EV, entei me dei conta de que estava em processo de projeção. Relaxei ao máximo e senti meu corpo estral aos poucos se desconectando, por fim saí.

Fiquei de pé no meu quarto, percebia uma energia meio densa por perto, mas não queria permanecer ali, então, impulsionei meu corpo astral para cime, voei até o teto mas não conseguia atravessar. Tentei atravessar as paredes para sair de casa, mas não conseguia, paracia que algo estava me impedindo. Então resolvi voltar pro corpo.

Porém eu ainda estava em fortíssimo ESTADO VIBRACIONAL, meu corpo não queria me aceitar ainda, portanto pensei em sair novamente, e quando estava saindo, vi um senhor com a pele bem clara, cabelos brancos e lisos, bigodes brancos e pele bem enrugada olhando para mim quando eu saia. Não dei importâcia, porque eu queria saiir e me afastar logo do corpo. Tentei novamente sair para fora de casa, atravessando as paredes e volitando para o teto. Nada! Quando pensava que tinha conseguido sair de casa, eu percebia que ainda estava no meu quarto. Vencido pelo cansaço, decidi explorar minha casa, já que fui "impedido" de sair.

Olhei para o meu dedo e o estiquei para me certificar de que eu estava projetado, ele esticou, então tive certeza. Atravessei a porta do meu quarto e saí no corredor que dá para o quarto de meu pai. Quando olhei para meu pai dormindo na cama, fiquei surpreso, pois ele ( que por sinal está doente) estava gemendo de dor, e no chão havia dois homens obsediando-o. Um levantava o braço e mexia no corpo do meu pai. Eu gritei! Pedi que saíssem! Falei até em Inglês(Go out!) rsrs. Mas os dois homens nem ligavam para mim. Decidi não me meter e segui para a sala.

Minha casa estava meio modificada. Móveis fora do lugar e outras a mais. Na sala, sentei-me num banco próximo a porta e fiquei meio apreensivo pensando (o que fazer agora). Eu estava totalente lúcido. Então achei que era o suficiente e resolvi voltar para o corpo. Quando pensei em voltar já estava eu no quarto me preparando para me encaixar no corpo físico.

Percebi que quando vamos voltar, nosso corpo astral toma o mesmo formato do corpo físico para depois voltar. Nesse preparo, eu olhei para perto do meu rack e vi uma mulher, sem rosto, maltrapilha, cabelos longos encaracolados, e vinha na minha direção, como que em câmera lenta e rosnando. me assustei, tentei lançar energia nela com minha mão mas não consgui. E ela cada vez mais perto.

Eu perguntei para ela se ela precisava de ajuda e o que eu poderia fazer. Ela não me respondia, só se aproximava.

E eu nada de voltar, quando ele chegou perto, ela enfiou a mão no meu estômago astral que eu senti dor, então fiquei bravo, e falei:

- Ah sua vagabunda! kkk ( desculpem-me pelo palavrão). Aí eu enfiei a mão no rosto dela e nesse momento fui puxado pelo corpo físico.

Bem, foi uma experiência estranha e inédita para mim, gostaria que vocês me ajudassem e me dissessem por que tudo isso aconteceu: o fato de eu não conseguir sair, a agressão, por que não consegui lançar energia na obssessora e a perturbação para com meu pai.

Obrigado pela paciência de todos! Paz e Luz

Share this post


Link to post
Share on other sites
me dissessem por que tudo isso aconteceu: o fato de eu não conseguir sair

As vezes a gente se enreda na saida mesmo, ,depois voce vai pegando pratica.

Da uma lida neste topico do maxleo, em que expliquei como eu faco para atravessar paredes:

viewtopic.php?f=2&t=17089&hilit=ATRAVESSAR+PAREDE

E depois aqui,quando ele relata como foi

viewtopic.php?f=2&t=17108&p=79275&hilit=CANSEI#p79211

a agressão

Tem muita gente de plantao que ve um encarnado "fresquinho" e ja aproveita para pegar uma energiazinha.

Mas geralmente eles sao mais sutis. Vai ver que essa coitada nao tinha energia nem para se disfarcar de Angela Paes e assim conquistar o que queria sem esforco, ehehhe.

Em geral eles te sugam apenas te tocando, esbarrando em voce, ou botando uma mao no seu ombro ou costas, como fazem o amigo cinico ou o chefe hipocrita. Enfiar a mao no seu plexo e' ir direto ao ponto: e' como enfiar a mao no meio do bolo da festa, ao inves de usar um pratinho e um garfo.

por que não consegui lançar energia na obssessora

As vezes no inicio isso e comum. Nas minhas primeiras projecoes eu sempre me sentia como se tivessem me roubado as pilhas, ehehehehe, mas depois a gente vai se acertando.Eu SUPONHO que os amparadores bloqueiam a gente no inicio, para evitar que a gente machuque alguem em astral, porque no inicio a gente pode se assustar com esses pobre-coitados e agir de forma mais agressiva do que a maioria das situacoes exige.

Esse pessoal maltrapilho sao uns ferrados, como os mendigos da rua. Nao sei voces, mas sempre que me pedem dinheiro na rua, se eu tiver nos bolsos, eu dou. Esse pessoal para mim esta na mesma situacao. Se eu noto antes que tem alguem precisando eu dou um pouco, so nao gosto que me "apliquem" ou que me roubem metendo a mao, porque ai eu os sugo de volta, para eles entenderem que desse jeito eles nao vao levar mesmo.

Acho que essa ai tentou usar o medo porque deve ter achado que funcionaria, tadinha. Nao tema esses, que sao previsiveis, fique atento com os de boa pinta ou simpaticos, ou aqueles que PARECEM ser sua familia, porque esses ja devem estar obtendo suprimento regular de energia, logo, sao mais bem-sucedidos nas suas taticas.

e a perturbação para com meu pai.

Coisas dele, so ele pode saber. Ele pode usar algum remedio que o deixou numa faixa de vibracao muito baixa e por isso acessivel aos atacantes, ou pode ter la seus problemas a resolver com eles.

Voce provavelmente nao foi visto nem ouvido por eles por estar em outras faixa. O astral nao e' uma coisa so, como o fisico. Quando voce sai do fisico e como se tivesse entrado numa banda de radio com varias estacoes, voce so percebe quem esta na mesma faixa que voce ou um pouco abaixo.

Eu tinha um colega que era medium num centro espirita, e ele se projetou uma vez durante uma sessao espirita e viu um obsessor se fingindo de mentor para um medium, ele subiu um pouco de faixa e deu um tapa no sujeito, que nao via ele, entao ficaram 3 andares:

- no terreo um encarnado (o medium),

- no primeio plano do astral o fantasma 1, o obsessor,

- e no segundo plano do astral o "fantasma do fantasma", meu amigo, ehehehehehehe

E se voce desce mais ou saobe mais comeca a ver outras coisas e habitante. Entao varia muito, o grande problema de entender o que se ve e' justamente saber em que faixa a gente anda.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Interessante Sandro, sempre gosto muito de seus exclarecimentos, esse ideia do Fórum é muito legal, porque, um vai ajudando e orientando o outro.

A maioria das vezes eu sempre vou para regiões densas, como estou me projetando com mais frequência agora, ainda tenho muito o que aprender.

Vou trabalhar mais minhas energias com mais cautela e precisão.

Obrigado mesmo, paz e Luz!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito legal o seu relato Andy. O amigo Sandro também esclareceu bastante.

Apesar de não me projetar conscientemente ainda, certa vez tive uma experiêcia com um sonho lúcido e bastante parecida com essa questão dos "mendigos do astral" falado por Sandro.

Tenho quase certeza que foi uma projeção porque foi muito real. Nesse sonho lúcido eu estava no meu quarto, em pé, ao lado da minha cama. Percebi na janela do meu quarto dois indivíduos querendo me alcançar( o rosto dos dois tinha algo como uma máscara preta). Eles esticavam o braço tentando chegar perto de mim e algo os impedia de me alcançar. Lembro que eu fazia um gesto com a cabeça, balaçando-a negativamente como que dizendo que eles não poderiam se aproximar de mim.

Quem sabe foram os amparadores que fizeram isso, impedindo-os de me atacar ou sugar minhas energias.

Quando perceberam que não podiam me alcançar, tentaram me dizer algo. Não entendi o que queriam e então me aproximei para escutar e eles diziam. Foi quando ouvi o pedido deles( ou teria sido o amaparador me dizendo): faça uma prece!

Após isso acordei no meu quarto e fiz uma prece para eles. Estava arrepiado. Depois voltei a dormir.

um abraço amigos!!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Após isso acordei no meu quarto e fiz uma prece para eles. Estava arrepiado. Depois voltei a dormir.

um abraço amigos!!

E' o "arrepiado" as vezes e' um EV que fica funcionando no automatico ate voce se limpar, indicando que de fato houve aogul contato real com algo ou com uma zona pesada mesmo. Uma vez voltei de um pesadelo e fiquei meia hora sentindo isso. Levantei, fui ver TV, preparei um cafe, porque nao conseguia dormir com todos aqueles arrepios fortissimos correndo pelo corpo, eles continuaram enquanto eu via TV, eheheh.E olha que nao sou de "sentir" coisas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, já vi todos tem alguma experiência!

No íntimo, nós sabemos que podemos com a situação! A questão é que, ficamos a perguntar do porque de não alcançar aquele estado espiritual maravilhoso na hora. Ou porque aquele estado espiritual não “age” a nosso favor nessa hora, ( aquele em que não é necessário questionar nada, tudo parece fluir bem)!

E a resposta é que, na verdade não sentimos esse estado espiritual no momento porque não estamos realmente bem! Ou não estamos com a sintonia necessária nessa hora!

Não tem segredo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Considerando o relato do Perinho, mais os comentários feitos pelo Sandro e Reginaldo, estive pensando sobre uma questão e gostaria de compartilhar com todos o que participarem desse fórum.

A princípio imaginei que minha experiência estivesse relacionada a alguma obssessão ou a algum espírito que me perseguisse, mas pelos esclarecimentos que tive aqui, percebi que se tratava de espíritos de baixa sintonia que na verdade precisavam de ajuda energética.

Vou relacionar, no entanto, um princípio Budista ( religião da qual faço parte) que fala sobre os DEZ ESTADOS DE VIDA. De acordo com tal princípio todo ser humano é dotado pela possessão mútua dos dez estados,partido do estado mais baixo ( ESTADO DE INFERNO) ao estado mais elevado (ESTADO DE BUDA), segundo o qual nossa vida pode manifestar qualquer um dos dez, de acordo com as circustâncias internas/externas e nosso nível de sabedoria.

Sendo assim, uma pessoa que passa sua vida majoritariamente num estado baixo, ao desencarnar continuará nele, podendo sofrer por muito tempo. Quem quiser saber mais sobre esse princípio, pode acessar o link sobre um vídeo explicativo que se segue:http://www.youtube.com/watch?v=GqWUN9PnEiw&feature=related.

Pois bem, se considerarmos que o espírito que sofre no astral já trás essa bagagem cármica do mundo físico, então se agirmos pela lógica da questão, seria muito mais viável que tais pessoas despertassem para o bem e para a sabedoria, ou seja, para os estados de vida mais elevados, ainda enquanto encarnada, para que não sofresse depois no mundo astral.

É claro que o trabalho de assistência extrafísica, tal como já foi relatado por muitos projetores, inclusive por nosso querido Saulo, é algo que não só ajuda ao espírito necessitado, mas que também, enobrece a alma de quem o faz.

E é ai que entro no mérito da LEI universal de ação e reação; causa e consequência, segundo a qual tudo o que nos acontece é uma resposta de nossas próprias ações, não há portanto uma causa EXTERNA, mas assim aquela que habita nosso próprio EGO.

Tendo em vista que somos pessoas adeptas as mais diferentes doutrinas religiosas, e até há quem não siga nenhuma religião, fica a questão: de que modo poderíamos agir na Terra de tal forma a ajudar pessoas que sofrem e se encontram em estados de vida aparentemente baixo, e na erraticidade, para que depois não seja necessário que as tenhamos de ajudar nos mundos extrfísicos mais densos?

Como universalizar os diferentes conceitos religiosos de modo a ajudá-las, de forma altruística, a despertar suas respectivas consciências para o sabedoria e para o autoaprimoramento antes que almentem suas bagagens cármicas e sejam atraídas para o Umbral? Fica a reflexão para quem quiser opinar. Obrigado, Paz e luz!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dificil...

Eu não consigo ver outra possibilidade que não seja o esclarecimento.

O sujeito precisaria entender que ele é um espírito, não um corpo. Um corpo é um objeto, uma objeto de existência finita no tempo, e por isso tem o sentido de preservação muito forte, um instinto garantido pela própria natureza.

Esse instinto de preservação se manifesta em nossas mentes e emoções como uma busca incessante por acumular, preservar, garantir coisas, situações, condições, que é o apego.

Da constante ameaça a preservação de todas as coisas, resultado da própria experiência de vida, que é fluída e mutável, sempre em incessante movimento, surge o apego, e com ele o medo da perda do objeto desse apego, e desse medo constante nascem preocupações, frustrações, vinganças, que geram esse estado miserável ao qual você se refere.

Compreender-se como espíritos traz embutida a compreensão da imortalidade, de todas as vivências como transitórias, e de todo apego como sendo inútil, pela transitoriedade inevitável de todas as coisas. Essa percepção, presente tanto no Budismo quanto no cristianismo, é libertadora, mas para isso o sujeito precisa aceitar que também sua identidade (seu ego, ou sua personalidade, dependendo como queira chamar isso) é também algo transitório, uma adaptação momentânea a situação e ao plano a que experiencia.

Muitos tem ainda o medo da perda dessa identidade, e assim lutam a vida inteira, e entre vidas, para se agarrar ao que acreditam ser seu Real Ser, e por isso sofrem todo o tipo de processo “erosivo” de seus corpo físico, corpos energéticos e psique, cujo objetivo é liberta-los dessas limitações.

Sem que entendam isso, e portanto sem que entendam que esse processo é muito mais libertador do que punitivo, acho difícil que qualquer ajuda seja algo mais do que um paliativo.

Mas a humanidade crê que sabe muito, e quanto mais a sociedade materialista aprofunda sua crença nisso, crença reforçada pela ciência que estuda apenas as formas transitórias, mais a “erosão psíquica’ se aprofunda, na forma das crises psicológicas que cada vez mais as pessoas experimentam, como depressões , ansiedades, vícios. No fundo é a crença de que o homem é senhor do seu destino que aumenta essa ilusão e assim forçam que lhe aconteçam cada vez mais eventos desastrosos na vida para que ele entenda que está errado.

Quem não busca identificar-se com o espírito acaba tendo que aprender isso pelo desgaste geral de tudo o que preza e acredita ser, até que reste apenas...espírito. Então, para essas pessoas o sofrimento será contínuo, não há o que fazer exceto tentar esclarecer a quem quer ser esclarecido. Dos demais, os processos da natureza cuidarão. Cada um amadurece a seu tempo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entendi né, sua postura! E os ensinamentos que você concebeu também! Entendi que você menciona que existem alguns degrau para a ascensão ao estado espiritual denominado Buda! “Ou corpo búdico” como é conhecido na teosofia!

Mas queria aproveitar o post para lembrar também que é muito importante não fugir muito do tema do site, pois queremos chegar a uma conclusão mútua! Assim, se você vai mesmo estudar viagem astral, volto a lembrar que, nada adianta para a pessoa que estuda viagem astral naquele momento difícil, a não ser aceitar o seu estado espiritual e de organismo quando ocorre! Quero dizer que, ela não está bem no momento! Talvez deixando o assunto para uma outra hora seria melhor que ficar se martirizando, tentando entender porque técnicas e outros não eram possíveis naquele momento!

“ Somos patos em viagem astral, e não andorinhas! Os patos conseguem levantar vôo, mas só para atingir algumas quadras em ruas! E é isso o que somos! Nunca voamos na vida e entramos em estado de euforia por projeções! E quando temos queda de consciência, imaginamos que estamos quebrando o pau por coisas imaginárias que sabemos que temos o controle na hora certa! Por isso não dá certo!”

Share this post


Link to post
Share on other sites
São Paulo, 27 de agosto de 2012

Logo abaixo procurarei relatar minha experiência de forma mais sucinta que eu puder, apesar de que, por tão intensa que foi para mim, gostaria de relatar cada sensação, mas para não ficar cansativo, procurarei ser breve.

No último dia 27 estava de folga, então acordei 05:00 da manhã como de costume, mas por não ter de ir trabalhar resolvi trabalhar minhas energias e tentar uma projeção.

Fiz a lipeza dos chackras e exteriorização, fiquei deitado em decúbito dorsal até que o sono fosse bem forte, e por fim me deitei de lado e fui aos poucos adormecendo. Creio que não demorou muito tempo para eu despertar em forte EV, entei me dei conta de que estava em processo de projeção. Relaxei ao máximo e senti meu corpo estral aos poucos se desconectando, por fim saí.

Fiquei de pé no meu quarto, percebia uma energia meio densa por perto, mas não queria permanecer ali, então, impulsionei meu corpo astral para cime, voei até o teto mas não conseguia atravessar. Tentei atravessar as paredes para sair de casa, mas não conseguia, paracia que algo estava me impedindo. Então resolvi voltar pro corpo.

Porém eu ainda estava em fortíssimo ESTADO VIBRACIONAL, meu corpo não queria me aceitar ainda, portanto pensei em sair novamente, e quando estava saindo, vi um senhor com a pele bem clara, cabelos brancos e lisos, bigodes brancos e pele bem enrugada olhando para mim quando eu saia. Não dei importâcia, porque eu queria saiir e me afastar logo do corpo. Tentei novamente sair para fora de casa, atravessando as paredes e volitando para o teto. Nada! Quando pensava que tinha conseguido sair de casa, eu percebia que ainda estava no meu quarto. Vencido pelo cansaço, decidi explorar minha casa, já que fui "impedido" de sair.

Olhei para o meu dedo e o estiquei para me certificar de que eu estava projetado, ele esticou, então tive certeza. Atravessei a porta do meu quarto e saí no corredor que dá para o quarto de meu pai. Quando olhei para meu pai dormindo na cama, fiquei surpreso, pois ele ( que por sinal está doente) estava gemendo de dor, e no chão havia dois homens obsediando-o. Um levantava o braço e mexia no corpo do meu pai. Eu gritei! Pedi que saíssem! Falei até em Inglês(Go out!) rsrs. Mas os dois homens nem ligavam para mim. Decidi não me meter e segui para a sala.

Minha casa estava meio modificada. Móveis fora do lugar e outras a mais. Na sala, sentei-me num banco próximo a porta e fiquei meio apreensivo pensando (o que fazer agora). Eu estava totalente lúcido. Então achei que era o suficiente e resolvi voltar para o corpo. Quando pensei em voltar já estava eu no quarto me preparando para me encaixar no corpo físico.

Percebi que quando vamos voltar, nosso corpo astral toma o mesmo formato do corpo físico para depois voltar. Nesse preparo, eu olhei para perto do meu rack e vi uma mulher, sem rosto, maltrapilha, cabelos longos encaracolados, e vinha na minha direção, como que em câmera lenta e rosnando. me assustei, tentei lançar energia nela com minha mão mas não consgui. E ela cada vez mais perto.

Eu perguntei para ela se ela precisava de ajuda e o que eu poderia fazer. Ela não me respondia, só se aproximava.

E eu nada de voltar, quando ele chegou perto, ela enfiou a mão no meu estômago astral que eu senti dor, então fiquei bravo, e falei:

- Ah sua vagabunda! kkk ( desculpem-me pelo palavrão). Aí eu enfiei a mão no rosto dela e nesse momento fui puxado pelo corpo físico.

Bem, foi uma experiência estranha e inédita para mim, gostaria que vocês me ajudassem e me dissessem por que tudo isso aconteceu: o fato de eu não conseguir sair, a agressão, por que não consegui lançar energia na obssessora e a perturbação para com meu pai.

Obrigado pela paciência de todos! Paz e Luz

Gostei do seu relato, Andy. Será que tem como bloquear energeticamente o acesso desses "mendigos" à nossa casa?

Nunca vi mendigos nem seres deformados, mas certa vez eu acordei de um pesadelo em que uma espécie de nuvem negra estava me atacando duranto o sono. Quando consegui acordar, tive a impressão de ainda enxergar a nuvem negra se dissipando rapidamente.

Para fins de facilitar a visualização, em um dos filmes de terror "O Grito", uma personagem está deitada em sua cama e quando ela acorda, vê uma nuvem negra assustadora no teto do quarto. Pareceu com aquilo. :o

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vale lembrar da técnica de blindagem do quarto.

Fazer uma bela prática energética e blindar o quarto com suas melhores energias, todos os cantos, paredes, teto, cama, janela. Exteriorizar o máximo possível mentalizando a blindagem.

Sempre que faço me sinto muito bem. Aliás, preciso voltar a fazer isso.

Tem gente que utiliza incensos, palo santo para benzer os cômodos, ervas, etc. Mas o mais importante é a energia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.