• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Flávio Henrique

Amparadores podem ser primitivos?Cada um tem o que merece?'

Recommended Posts

Bom Dia,Boa Tarde,Boa Noite.

Direto ao ponto.

Sempre pensei que TODOS os amparadores fossem Seres Evoluídos.

Assisti um vídeo do Moisés Esagui,no qual ele diz que os amparadores são parecidos conosco.

Se a pessoa for evoluída,o amparador será.

Se o individuo for primitivo,a mesma situação.

Então como a grande massa da população mundial é involuída(existe essa palavra?),ai já viu,né!!!......Os Ampara são tudo fusco fusco,leco leco.

Seguindo esse raciocinio,cheguei a conclusão que o meu amparador deve ser um Australopitecus.

Bom,aqui está o vídeo do Moisés.

Quem estiver no cúmulo da preguiça,pode adiantar para o minuto 8:30

https://www.youtube.com/watch?v=PrW4mszS7MU

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lembro que quando eu cursava engenharia quimica, no final dos anos 80, poucos porfessores da universidade tinham mais do que apenas graduacao. Nos, os alunos, ja tinhamso uma regra ma hora da matricula para as disciplinas:

"Nunca pegue disciplinas dadas por professores que tem doutorado, eles nao sabem ensinar"

O problema e' que ha uma distancia intelectual gigantesca entre um aluno que entrou ha pouco na faculdade, e um cara que ja fez doutorado ou pos doutorado.

Um orientador de mestrado ou doutorado 'e certamente o melhor tipo de professor que ha, quando gosta do que faz, mas seria inutil atuando como professor de criancas, que ficam melhor atenddidas com as antigas professores que cursaram apenas o magisterio.

Eu acho otimo que os amapradores sejam mais ou menos do nosso nivel. Quem quer amapardores melhores, tem que se esfrocar por melhorar, para despertar o interesse daquele que tem tem um trabalho mais legal a fazer pela humanidade, e podem se interessar em te usar como auxiliar.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fantástico sandro, muito bom.

A pergunta também é ótima. A bem da verdade, os chamados guias são aqueles que guiam os outros na escala da evolução, sendo perfeitamente aceitável que haja uma hierarquia, de modo que o guia que ajuda aquele de certo nível também evolua. Os amparadores não podem, claro, ser do mesmo nível daqueles que ajudam, pois daí seria difícil um guiar o outro, mas há amparadores mais e menos evoluídos.

No entanto, amparadores primitivos eu já acho um tanto estranho. Não podemos duvidar que há primitivos mais evoluídos do que outros, mas, para assumir a feição do amparo, há de ter o indivíduo consciência do livre arbítrio e de suas ações. Assim, desde que ele o tenha, acredito que isso se faz possível, sendo esse amparador um intermediário entre os menos evoluídos e os mais evoluídos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu nem vou assistir esse vídeo do Youtube... Simplesmente porque eu possuo os mais de 100 áudios do Moisés, possuo praticamente todos os vídeos e palestras dele.... Conheço ele pessoalmente e blá,blá,blá...

Eu posso fazer metáforas e analogias como já foi feito aqui, e eu garanto que eu seria muito convincente...

Mas vou direto ao ponto... Achar que vc tem uma consciência muito evoluída ao seu como Amparador é realmente muita INGENUIDADE e principalmente um mecanismo de defesa que desenvolvemos para porder continuar, só isso!

Achar que vc pode falar com Jesus é totalmente Irreal... Consciências muito evoluídas não são emocionais e não estão nem aí para os nossos problemas pré-colombianos e românticos.... Pra eles chegarem até nós eles teriam que piorar muito...

Uma vez eu usei aqui as palavras do Moisés sobre esse assunto, ele disse:

"O seu Amparador pode ser o seu assediador"

Lembro-me que eu fui muito criticado, por escrever isso ( mesmo que isso fosse palavras do Moisés). Porque na verdade é difícil DESCONSTRUIR tudo aquilo que conhecemos e aceitar a possibilidade de uma teoria nova sobre o assunto.

Comparar com professores e universidades é totalmente equivocado.... Mas é válido mencionar por exemplo:

"-Nossa eu realmente gosto daquele professor"

ou

" - Eu não me possuo afinidade com essa professora"

O conhecimento de livros não significa NADA quando se tem uma visão do TODO como Universo, Multiverso ou o TODO.

É como comparar um Médico Cirurgião com um clínico geral e ainda com um Pedreiro... ( Essa não é a frequência que o Moises se refere)

Eu quero dizer que nós já existíamos antes de tudo Isso.

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mas vou direto ao ponto... Achar que vc tem uma consciência muito evoluída ao seu como Amparador é realmente muita INGENUIDADE e principalmente um mecanismo de defesa que desenvolvemos para porder continuar, só isso!

Concordo plenamente junior, achar que um jesus está guiando cada um de nós é meio confuso, a não ser que o espírito encarnado seja muito evoluído, aí sim ele vai ter consciências mais evoluídas com ele. Cada um tem o mentor que merece.

Mentores ao meu ver não podem ser menos evoluídos, muito menos nos atrapalhar, sendo nosso obssessor. Seria como comparar um pedreiro tentando ensinar um engenheiro, não faz sentido, guias devem ser no mínimo um pouco mais elevados em consciência do que nós, pois se não geraria uma confusão, imagina a pessoa vir pra Terra pra aprender e é encomodada por um obsessor! :lol:

Claro, não estou dizendo que é impossível, mas obviamente não deve ser regra geral, não duvido que tenha gente que precise passar por isso, mas deve ser raro.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Achar que vc pode falar com Jesus é totalmente irreal... Consciências muito evoluídas não são emocionais e não estão nem aí para os nossos problemas pré-colombianos e românticos...

Ainda sim há de considerar o sentido metafórico do "falar com Jesus". Não percebem vocês o sentido real?

Muitos sim, empregam em sentido literal, e não é assim, nesse ponto eu realmente concordo com vocês, mas em um plano prático isso perde a importância.

No entanto, resta-se, hoje, na humanidade, o Evangelho como o documento mais importante da Terra. Que é isso? Exclusivismo? Proselitismo? De modo algum.

Atualmente, abarca o Cristianismo, mais ou menos, três bilhões de habitantes terrestres.

No entanto, sendo mais ou sendo menos, a regra áurea, máxima, do Evangelho é "Amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.". Pois bem meus queridos, a mesma regra foi dita pelos gregos, pelos persas, pelos chineses, pelos egípcios, pelos hebreus, pelos romanos... regra essa que é, inclusive, retirada do Antigo Testamento, evidenciando que é antiquíssima e evidencia um modo sólido de relacionamento com as forças superiores, desde tempos imemoriais.

Assim, o Evangelho, como documento de postura moral, e seu exemplificador, têm grande importância. Mas Jesus e partiu da Terra (sem deixar de amparar, é claro) e seus enviados se compõem em uma hierarquia, chegando até nós (depois de passar por uns 10000 graus dela :D ).

Pois bem. Realizando uma prece, requestando auxílio dos espíritos amigos, não é falar com Jesus propriamente dito, mas é como se falássemos com ele, pois, trazendo ele a lição do bem, toda vez que buscamos uma melhora em nós, é como se estivéssemos falando com ele, quando na verdade conectaremo-nos com amigos espirituais (ou o nome que preferirem chamar) que, desde que tenhamos sincera vontade, nos auxiliarão.

A partir daí, quando uma pessoa diz que "conversa com Jesus", estando ela falando metaforicamente ou não, ela quer dizer que está buscando melhorar, estando o Espírito, nesse caso, em franca elevação. Assim, embora a terminologia de "falar ou não com Jesus" seja literal ou não, isso, no plano prático, não ganha importância, restando afirmada a importância de elevação, que abrange quaisquer religião inclinada para o bem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

...Quando eu mencionei Jesus, foi só um exemplo de consciência evoluída... Existem ou existiram inúmeras consciências como Jesus.... Ao referir-se à consciências evoluídas, possue o mesmo PESO de referir-se a mim e a vocês, só isso!!!! O problema é que não conseguimos enxergar the whole picture.

Falar que os evangelhos é o único documento deixado e devem servir de base o entendimento de consciências como "Jesus" é totalmente limitado do meu ponto de vista.

Acredito que para Igreja poder continuar ela deverá rever suas crenças e oficializá-las... Daí a humanidade que segue os evangelhos acreditará, pois o Papa têm credibilidade, consciências como Chico Xavier, Moises Esaguii não tem...

Acredito que eles vão inventar um novo Evangelho que estava enterrado há sei lá quantos anos....

Quer saber sobre a consciência Jesus Cristo??? leia o PDF chamado The Law of One... Psicografado pela consciência Extraterrestre chamada Ra ou Ra-ta.

Agora eu pergunto: Quando um livro é escrito ou psicografado por outra consciência ou espírito, não teria o mesmo peso da Bíblia????

Resumindo, tudo que estamos comentando aqui é puramente ACHISMO e conveniente ( INCLUINDO MEUS PRÓPRIOS COMENTÁRIOS).

Ainda sim há de considerar o sentido metafórico do "falar com Jesus". Não percebem vocês o sentido real?

Esse comentário é interessante mas não faz mas sentido para o Nível desse Fórum... Além de totalmente contraditório.

Eu realmente gostaria muito que partíssimos para o Nível do Esclarecimento e não para a consolação. Esclarecimento traz evolução, consolação nos deixa na Repetição ( lembrando que reencarnação é repetição).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Falar que os evangelhos é o único documento deixado e devem servir de base o entendimento de consciências como "Jesus" é totalmente limitado do meu ponto de vista.

Em nenhum momento disse que os Evangelhos eram o único documento.

...Quando eu mencionei Jesus, foi só um exemplo de consciência evoluída... Existem ou existiram inúmeras consciências como Jesus.... Ao referir-se à consciências evoluídas, possue o mesmo PESO de referir-se a mim e a vocês, só isso!!!! O problema é que não conseguimos enxergar the whole picture.

Se falei de Jesus, foi porque você falou de Jesus. Não poderia eu falar de algo totalmente diferente quando o cerne da conversa era ele.

Acredito que para Igreja poder continuar ela deverá rever suas crenças e oficializá-las... Daí a humanidade que segue os evangelhos acreditará, pois o Papa têm credibilidade, consciências como Chico Xavier, Moises Esaguii não tem...

Concordo.

Agora eu pergunto: Quando um livro é escrito ou psicografado por outra consciência ou espírito, não teria o mesmo peso da Bíblia????

Depende. Há de analisar as intenções e, principalmente, o peso moral do que o Espírito fala. Não há que negar que notadamente o Novo Testamento, em o recebimento da moral de Jesus, tem muita profundidade moral, o que ratifica a validade da obra, o que eu já não tenho capacidade de dizer sobre a obra que você me recomendou.

Esse comentário é interessante mas não faz mas sentido para o Nível desse Fórum... Além de totalmente contraditório.

Você não percebeu que eu fiz uma pergunta aberta. Se uma pergunta aberta não está no "Nível" deste fórum (o qual eu não consigo ver uma nivelação de separação) então o que seria esse "nível elevado"? Argumentos fechados?

Eu realmente gostaria muito que partíssimos para o Nível do Esclarecimento e não para a consolação.

Não me lembro, meu amigo, de estar aqui consolando ninguém. Estamos apenas conversando amigavelmente. Muito se fala em Esclarecimento, mas só de discutirmos os ensinos de Jesus ou seja de quem for já dizem que é consolação, que religião tem que ser esquecida.

A bem da verdade, temos um triângulo de forças espirituais. A filosofia e a ciência formam a base, com toda a sua importância. No entanto, a religião (no seu sentido original, de religar o homem ao superior) é ainda guia de uso da moralidade do homem. Muito a Terra passou sem conhecimentos espirituais mais claros, mas livros como a Bíblia dentre outros tantos conhecimentos ainda elevaram muitas criaturas que, depois de passados o seu orgulho e egoísmo, partiram para a evolução espiritual. Tudo se trata de fases de conhecimento.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Muito se fala em Esclarecimento, mas só de discutirmos os ensinos de Jesus ou seja de quem for já dizem que é consolação, que religião tem que ser esquecida.

Exato elopes. Tem muita gente que parece adolescente, adotando uma atitude padrao de rejeitar tudo o que os pais dizem, porque estao em busca de identidade propria, e enquanto nao a constroem, se definem para diferenca, pelo rejeitar o que e' ja velho e consagrado.

Nem estou me referindo a ninguem em especial aqui, essa 'e uma atitude MUITO COMUM.

Credibilidade se conquista, e o personagem Jesus tem 3mil anos de influencia em nossa cultura, tendo inspirado talvez bilhoes de pessoas durante todo esse tempo, numa epoca em que na havia internet, radio, TV. Boa parte dos criticos atuais estao apenas refinando o trabalho feito por ele e seus representantes, mesmo que acreditem estar trazendo algo novo. Vira e mexe, a u'nica coisa que eles conseguem fazer e' atacar as formas distorcidas de cristianismo,portanto apenas reforcam a forma pura.

Agora, o tempo FUTURO vai dizer quem conquistara credibilidade semelhante, porque por enquanto, nao da nem para pensar em comparacao. Os novos garotos do bloco deveriam ter o minimo de clareza para perceber seu papel nesse quadro geral, e se nao percebem, e' por cegueira espiritual, nao tem outro termo. Mas ate os cegos sao uteis sem o saber, podemso aprender com todos eles, dando oa cada um, claro, a credibilidade que lhes e' devida, considerando o contexto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acredito que o amparador seja sim superior a nós, tanto em conhecimento quanto em evolução. Também já li que o guia espiritual nem sempre é o mesmo. Durante a nossa "estada" por aqui, pode haver troca do guia, de acordo com nossa evolução. Como nos "aperfeiçoamos" em conhecimentos e atitudes, há uma troca desse benfeitor.

Eu não concordo que o amparador possa se tornar o nosso obsessor. Acho que há o auto-assédio....principalmente, quando vc. necessita do amparador como muleta, porque vc. não consegue sair do lugar, evoluir. Mas, eles são sábios para não interferir naquilo que devemos passar e há uma hierarquia superior por trás disso tudo. Acredito que haja interferência de outros planos quando este "amparo" deixa de ser positivo para nossa evolução, mesmo que a culpa nessa "relação" seja nossa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E para aqueles que acreditam que Jesus ou o Cristianismo se limitam a "consolacao", deixo aqui uma apanhado instrutivo. E' sempre bom conhecer como as coisas realmente eram na origem, antes de generalizar conclusoes superficiais a partir de alteracoes posteriores, que geraram as tendencias populares dominaram a historia:

....................

.....................

“Quando Jesus ressuscitou de entre os mortos, passou onze anos falando com seus discípulos e lhes ensinando nos lugares não somente dos primeiros preceitos mas até os lugares do primeiro mistério, daquele que está no interior dos véus, no interior do primeiro preceito, que é ele próprio o vigésimo quarto mistério, e também das coisas que estão além, que estão no segundo lugar do segundo mistério, que está na frente de todos os mistérios; pai da similitude da pomba, Jesus diz a seus discípulos: "Eu vim desse primeiro mistério, que é a mesma coisa que o último mistério, que o vigésimo quarto.” Seus discípulos não conheciam nem compreendiam essas coisas, porque nenhum deles tinha penetrado nesse mistério.”

Pistis Sophia- (Texto gnostico datado de 250-300 d.C) Ed Francisco Alves

......................................

......................................

Abaixo, trechos selecionados do livro Cristianismo esotérico, da Annie Besant, que faz referências ao textos de Clemente de Alxandria e Origenes, filósofos cristãos dos séculos II e III.

(...)

Inácio, bispo de Antioquia e discípulo de S. João, diz de si mesmo: “Eu não sou ainda perfeito em Jesus Cristo, pois co¬meço agora a ser discípulo e vos falo como a meus condiscípulos” . E êle fala dos seus correspondentes como tendo sido “iniciados nos mistérios do Evangelho com Paulo, o santo e mártir”.

Adiante, diz ainda:

“Sinto não poder vos escrever das coisas que tratam dos mistérios; mas temo de o fazer, com mêdo de vos causar mal, a vós que sois crianças de pouca idade. Incapazes de receber comunicações desta importância, elas poderiam vos esmagar”

S. Clemente de Alexandria e seu discípulo Orígenes, os dois autores dos séculos II e III que mais informes nos dão sôbre os Mistérios da Igreja Primitiva. O ambiente da época está cheio de alusões místicas, mas êstes dois Padres nos declaram, de maneira clara e categórica, que os Mistérios eram uma instituição reconhecida:

“O Senhor permitiu comunicarmos êstes Mistérios divinos e esta santa luz aos capazes de os receber. Certamente Êle não revelou à massa o que não pertence à massa. Mas revelou os Mistérios a uma minoria capaz de os receber e concordar com êles.As coisas secretas confiam-se oralmente e nunca por escrito, e o mesmo se faz com Deus. E se me vierem dizer: Não há nada de secreto que não deva ser revelado, nem nada oculto que não deva ser desvendado, eu responderei que àquele que escuta em segrêdo as coisas secretas, estas mesmas lhe serão manifestadas. Eis o que predizia este oráculo. Ao homem capaz de observar secretamente o que lhe é confiado, o que está velado lhe será mostrado como verdade; o que é oculto à multidão, será manifesto à minoria. Os Mistérios são divulgados sob uma forma mística, a fim de que a transmissão oral seja possível; mas esta transmissão será feita menos por palavras do que pelo seu sentido oculto. As notas aqui dadas são bem fracas, eu o sei, comparadas a êste espírito cheio de graça que eu tive o privilégio de receber. Pelo menos, servirão de imagem para lembrarem, ao homem tocado pelo Tirso, o arquétipo divino”.

O Tirso, diga-se de passagem, era a varinha trazida pelos Iniciados e com a qual tocavam os candidatos durante a cerimônia da Iniciação. Ela oferecia um sentido místico e simbólico, nos Mistérios Menores, da medula espinal e da glândula pineal e, nos Grandes Mistérios, de uma Vara conhecida dos Ocultistas. “Aquêle a quem Tirso tocou” significa o homem iniciado nos Mistérios.

“Não temos a pretensão, continua Clemente, de explicar suficientemente as coisas secretas, mas unicamente recordá-las para que algumas não nos escapem, ou para não perdê-las de todo. Muitas delas, eu o sei muito bem, desapareceram há muito tempo, sem terem sido referidas por escrito. Há, portanto, coisas das quais não conservamos a lembrança, pois o poder dos bem-aventurados era grande.”

“Certos pontos que ficaram muito tempo sem serem notados por escrito foram esquecidos por completo; outros desapareceram, porque a inteligência lhes perdeu os traços, pois as pessoas sem experiência não os podem fàcilmente reter; estes pontos eu os ponho em foco nos meus comentários. Eu omito certas coisas propositalmente, exercendo assim uma prudente seleção, temendo confiar à escritura o que receio exprimir de viva voz. Não faço isto por ciúme, pois seria um sentimento mau, mas por temer ver meus leitores interpretá-los de uma forma inexata e claudicar; segundo o provérbio, seria dar uma espada a uma criança. Porque seria impossível que as matérias tratadas por escrito não se divulgassem. Mas embora caíssem no domínio público (a escritura sendo sempre o modo de transmissão) elas dão ao investigador respostas mais profundas que as palavras escritas. Elas exigem, com efeito, o auxílio de alguém, seja o autor, seja uma pessoa que tenha seguido seus passos. Mostrarei certos pontos de uma maneira velada; insistirei sobre outros, e muitos não serão mencionados. Eu me esforçarei por falar imperceptivelmente, mostrando secretamente e procedendo por DEMONSTRAÇÃO SILENCIOSA”

INTERESSANTE NOTAR A EXPRESSAO "DEMONSTRACAO". SOMENTE O QUE E' PRATICO, TECNICO, PODE SER DEMONSTRADO. LOGO, NAO SE TRATAVA APENAS DE DISCURSO, FILOSOFIA, CRENCAS, MAS METODOS....METODOS ESSES QUE PODERIAM ESCNADALIZAR AQUELES QUE NAO ERAM PREPARADOS PARA CONHECE-LOS, A JULGAR PELO QUE DIZ O AUTOR DO TEXTO. DA' O QUE PENSAR NAO?

Êste trecho bastaria, só êle, para provar a existência, na Igreja Primitiva, de um ensinamento secreto. Mas ainda há outros. No capítulo XII do mesmo livro, intitulado “Os Mistérios da Fé que não devem ser comunicados a todos”, Clemente declara que “é necessário lançar o véu do Mistério sobre os ensinos orais dados pelo Filho de Deus”, porque seu trabalho poderia cair sob os olhos de pessoas destituídas de sabedoria.Quem fala deve ter os lábios puros, e quem escuta, um coração atento e puro.

“Eis porque me seria difícil escrever. Ainda hoje, eu receio, como foi dito, lançar pérolas aos porcos, com medo que eles pisem com os pés e que, voltando-se, nos despedacem. Porque é difícil falar da verdadeira luz, em termos absolutamente claros, a ouvintes de natureza suína e indisciplinada. Nada, no mundo, pareceria mais ridículo à multidão, mas, ao mesmo tempo, nada mais admirável nem mais inspirado para as almas nobres.”

Considerando a Escritura como composta de alegorias e sím¬bolos onde se dissimula o sentido, a fim de encorajar o espírito de exame, e preservar os ignorantes de certos perigos 22, S. Clemente reserva naturalmente às pessoas instruídas as lições superiores.

“Nosso gnóstico, diz êle, será profundamente instruído”23; e adiante; “Ora, o gnóstico deve ser erudito”.

“As disposições adquiridas por um treinamento preparatório permitem assimilar os conhecimentos mais adiantados”. “Um homem pode, certamente, possuir a fé, sem ter nada aprendido; mas, nós o afirmamos, é impossível para um homem sem instrução compreender as coisas declaradas na fé”.

“Certas pessoas, julgando-se dotadas das condições especiais, não querem se ocupar nem de filosofia, nem de lógica. Que digo? Elas não querem aprender as ciências naturais. Apenas pedem fé e nada mais. . . Eu chamo verdadeiramente instruído ao homem que descobre em tôdas as coisas a verdade, e tão bem que pedindo à geometria, à música, à gramática e à filosofia os elementos que lhe convêm, sabe proteger a fé contra os ataques. . . Quanto é necessário ao homem que deve participar do poder divino e tratar assuntos intelectuais pelo método filosófico!” . “O gnóstico emprega os diferentes ramos da ciência como exercícios preparatórios auxiliares”.

Vemos quanto S. Clemente estava afastado de pensar que a ignorância dos iletrados devia dar a medida dos ensinamentos cristãos!

“O homem familiarizado com todos os gêneros de sabedoria será o gnóstico por excelência” .

Seu discípulo Orígenes vem, por sua vez, nos trazer seu testemunho.

Na sua famosa disputa “Contra Celso”- o Cristianismo sofreu ataques que provocaram, da parte de Orígenes, uma defesa dos princípios cristãos; faz aí, muitas vêzes, menção dos ensinos secretos.

Celso, tendo atacado o Cristianismo, alegando que era um sistema secreto, Orígenes levanta-se contra essa opinião e declara que, se certas doutrinas eram secretas, muito outras eram públicas; e que êste sistema de ensinos exotéricos e esotéricos, adotado pelos cristãos, era usado igualmente pelos filósofos.

Nota-se, na passagem que se segue, a distinção estabelecida entre a ressurreição de Jesus, encarada sob o ponto de vista histórico e o “mistério da ressurreição”.

“Ainda mais Celso, chamando, muitas vêzes, a doutrina cristã um sistema secreto, nos obriga a refutá-lo; porque, enfim, o mundo inteiro, ou quase todo, está mais ao corrente das dou¬trinas pregadas pelos cristãos do que das opiniões favoritas dos filósofos! Quem não sabe que Jesus nasceu de uma virgem; que foi crucificado; que sua ressurreição é um artigo de fé para muitas pessoas e que um juízo geral e final está anunciado, no qual serão punidos os maus como merecem ser recompensados os justos? E, entretanto, o Mistério da ressurreição, sendo mal compreendido, é levado ao ridículo pelos que não acreditam em nada. Nestas condições, é completamente absurdo chamar a doutrina cristã um sistema secreto. Se, por outro lado, certas doutrinas ocultas à massa são reveladas após o ensino das doutrinas exotéricas, não devemos considerar este fato como peculiar ao Cristianismo, porque o encontramos em todos os sistemas filosóficos, nos quais certas verdades são exotéricas e outras esotéricas. Entre os ouvintes de Pitágoras, uns contentavam-se com suas afirmações, enquanto outros eram secretamente instruídos nas doutrinas que não deviam ser comunicadas aos profanos e insuficientemente preparados. Demais, se os numerosos Mistérios, celebrados por tôda a parte, na Grécia e nos países bárbaros, são conservados secretos, daí se conclui o seu descrédito. Celso esforça-se, portanto, inutilmente em caluniar as doutrinas secretas do Cristianismo, por não fazer êle uma idéia exata de sua natureza”.

Nesta passagem-, é impossível negá-lo, Orígenes coloca nitidamente os mistérios cristãos na mesma categoria que os do mundo pagão e suplica que não se tome em motivo de agressões uma tal maneira de agir, não condenada em outras religiões, pelo fato de existir o mesmo no Cristianismo.

Orígenes declara, opondo-se sempre às idéias de Celso, que a Igreja conserva os ensinamentos secretos de Jesus; invoca em termos precisos as explicações dadas por Jesus a Seus discípulos, em Suas parábolas, para responder à comparação estabelecida por Celso entre os Mistérios interiores da Igreja de Deus e o culto dos animais praticado no Egito.

“Eu ainda não falei da observância de tudo o que está escrito nos Evangelhos, porque cada um dêles contém numerosas doutrinas de compreensão difícil, não só para a massa, mas também para certos espíritos mais inteligentes, verbi gratia, uma explicação mais profunda das parábolas dirigidas por Jesus aos de fora, parábolas das quais reservava a interpretação completa aos homens que tinham transposto o estágio do ensino exotérico e que vinham para êle em para ajudar “os que não O podiam seguir lá onde O acompanhavam Seus discípulos”

Celso tendo achado mau que a Igreja recebesse pecadores, Orígenes respondê-lhe:

“que a Igreja tem remédios para todos os doentes, como também para as almas cheias de saúde, tem o estudo e o conhecimento das coisas divinas. Ensina-se aos pecadores a não mais pecar; e quando eles fizeram progressos e foram “purificados pela Palavra, só então nós os convidamos a participar dos nossos Mistérios.

Porque nós falamos da sabedoria entre os que são perfeitos” .

Assim começava “a Iniciação aos Mistérios sagrados, dos homens já purificados”. Só êstes podiam conhecer as realidades dos mundos invisíveis, só êles podiam penetrar no recinto sagrado, onde, como outrora, os anjos vinham ensinar e onde as lições eram dadas pela visão direta e não apenas pela palavra.

É impossível deixar de notar a diferença entre o tom dêstes cristãos antigos e os seus sucessores modernos.

Para os primeiros, uma vida perfeitamente pura, a prática das virtudes, o cumprimento da Lei Divina em todos os detalhes da conduta exterior, a justiça irrepreensível não eram, como para os pagãos de então, senão o comêço do caminho, em vez de assinalar o seu têrmo.

Hoje, a religião é considerada como tendo atingido gloriosamente a sua finalidade, quando faz um Santo; outrora ela sub¬metia os Santos a esforços supremos, e tomando pela mão os homens de coração puro, conduzia-os até à visão beatífica.

(...)

Mais longe, Orígenes observa que “o objeto do Cristianismo é nos fazer adquirir a sabedoria”, e acrescenta: “Se agora tomardes os livros escritos depois da época de Jesus Cristo, vós vereis que estas multidões de crentes que escutam as parábolas, estão, por assim dizer, do lado de fora; não são senão dignos das doutrinas exotéricas; os discípulos, ao contrário, recebem em particular a explicação das parábolas. Com efeito, Jesus desvendou tudo, em segrêdo, aos Seus próprios discípulos, pondo acima do vulgo os que desejavam conhecer Sua sabedoria.

(...)

Certamente, o Evangelho é um auxílio para os ignorantes, “contudo, a educação, o estudo dos melhores autores e a sabedoria são, não um obstáculo, mas um socorro para o homem que deseja conhecer Deus” . Quanto aos pouco inteligentes, “eu me esforço em formá-los e instruí-los, apesar do meu desejo de não fazer entrar na comunidade cristã semelhantes elementos. Porque procuro, de referência, os espíritos mais cultivados e capazes, pois êstes estão em condições de perceber o sentido das palavras obscuras”

Encontramos aqui, claramente enunciadas, as antigas idéias cristãs; elas são idênticas às considerações apresentadas no primeiro capítulo desta obra. O Cristianismo está aberto aos ignorantes, mas não lhe é exclusivamente reservado; para os espíritos “cultivados e capazes”, ensinamentos profundos.

É para êles que Orígenes se esforça em demonstrar que as Escrituras judaicas e cristãs apresentam um sentido oculto sob o véu de narração cujo sentido exterior é chocante e absurdo.

Numerosos capítulos são consagrados às significações alegóricas e místicas, ocultas nas palavras do Antigo e Nôvo Testamento; Orígenes alega que Moisés, conforme o hábito dos egípcios, dava às suas histórias um sentido oculto .

“O leitor deve encarar estas narrativas sem paixão nem preconceito”, tal é, em resumo, o método de interpretação adotado por Orígenes: “Esforça-se, a não ser induzido em êrro, exercendo seu julgamento para descobrir, nas narrações, as de sentido figurado, procurando perceber o que os autores quiseram dizer com semelhantes invenções, recusando crédito a outras, porque apenas foram escritas para satisfazer a certas pessoas. Ora, nós dizemos isto por antecipação, de todos os escritos que formam os Evangelhos referentes a Jesus”.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Falar que os evangelhos é o único documento deixado e devem servir de base o entendimento de consciências como "Jesus" é totalmente limitado do meu ponto de vista.

Em nenhum momento disse que os Evangelhos eram o único documento.

...Quando eu mencionei Jesus, foi só um exemplo de consciência evoluída... Existem ou existiram inúmeras consciências como Jesus.... Ao referir-se à consciências evoluídas, possue o mesmo PESO de referir-se a mim e a vocês, só isso!!!! O problema é que não conseguimos enxergar the whole picture.

Se falei de Jesus, foi porque você falou de Jesus. Não poderia eu falar de algo totalmente diferente quando o cerne da conversa era ele.

Acredito que para Igreja poder continuar ela deverá rever suas crenças e oficializá-las... Daí a humanidade que segue os evangelhos acreditará, pois o Papa têm credibilidade, consciências como Chico Xavier, Moises Esaguii não tem...

Concordo.

Agora eu pergunto: Quando um livro é escrito ou psicografado por outra consciência ou espírito, não teria o mesmo peso da Bíblia????

Depende. Há de analisar as intenções e, principalmente, o peso moral do que o Espírito fala. Não há que negar que notadamente o Novo Testamento, em o recebimento da moral de Jesus, tem muita profundidade moral, o que ratifica a validade da obra, o que eu já não tenho capacidade de dizer sobre a obra que você me recomendou.

Esse comentário é interessante mas não faz mas sentido para o Nível desse Fórum... Além de totalmente contraditório.

Você não percebeu que eu fiz uma pergunta aberta. Se uma pergunta aberta não está no "Nível" deste fórum (o qual eu não consigo ver uma nivelação de separação) então o que seria esse "nível elevado"? Argumentos fechados?

Eu realmente gostaria muito que partíssimos para o Nível do Esclarecimento e não para a consolação.

Não me lembro, meu amigo, de estar aqui consolando ninguém. Estamos apenas conversando amigavelmente. Muito se fala em Esclarecimento, mas só de discutirmos os ensinos de Jesus ou seja de quem for já dizem que é consolação, que religião tem que ser esquecida.

A bem da verdade, temos um triângulo de forças espirituais. A filosofia e a ciência formam a base, com toda a sua importância. No entanto, a religião (no seu sentido original, de religar o homem ao superior) é ainda guia de uso da moralidade do homem. Muito a Terra passou sem conhecimentos espirituais mais claros, mas livros como a Bíblia dentre outros tantos conhecimentos ainda elevaram muitas criaturas que, depois de passados o seu orgulho e egoísmo, partiram para a evolução espiritual. Tudo se trata de fases de conhecimento.

Ok, tá certo! Desde que você considere que suas observações são todas INVERIFICÁVEIS

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em terça-feira, 25 de dezembro de 2012 at 20:53, sandrofabres disse:

E para aqueles que acreditam que Jesus ou o Cristianismo se limitam a "consolacao", deixo aqui uma apanhado instrutivo. E' sempre bom conhecer como as coisas realmente eram na origem, antes de generalizar conclusoes superficiais a partir de alteracoes posteriores, que geraram as tendencias populares dominaram a historia:

....................

.....................

“Quando Jesus ressuscitou de entre os mortos, passou onze anos falando com seus discípulos e lhes ensinando nos lugares não somente dos primeiros preceitos mas até os lugares do primeiro mistério...

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre isso e muitas outras coisas, acho que olhar para a vida sempre ajuda a esclarecer as coisas:

Em qualquer área do conhecimento, aquilo que é ensinado para as massas é sempre o que está mais cheio de distorções, porque por definição as massas estão no nível mais baixo de compreensão, então você precisa reduzir muito a qualidade do ensino para que todos entendam. Basta comparar a ciência que aparece nas publicações cientificas, que só tem acesso quem está no meio acadêmico e acessa pelos portais das universidades (ou paga para assinar esses veículos ) com a "ciência" de revistas das bancas, como "superinteressante", depois com "ciência de TV" e por fim,com os "opinadores de youtube".

É um caminho descendente em termos de qualidade da informação. Por isso nenhuma religião de massas será jamais A FONTE ORIGINAL dela própria. Dentre esse público simples, aqueles que gostam da versão popular e querem um pouco mais, acabam virando profissionais, padres, monges, teólogos. Mas exatamente porque a versão para as massas é "simplóide", vira e mexe um ou outro descobre certas inconsistências NA VERSÃO QUE LHES É VENDIDA, e abandona:

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

@sandrofabres

Nesse caso, não se trata de um mero opinador de youtube, "canalizando" mensagem de suas paixões mentais. Pelo crontrário Sandro. Trata-se de um Padre, formado, transmitindo conhecimento com base em conhecimento histórico e literário (semelhante ao que você fez ao indicar o texto dessa autora Annie).

 

Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior:

É licenciado em Filosofia pelas Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso – FUCMAT, Campo Grande, MS (1987);

Bacharel em Teologia (1991)

E mestre em Direito Canônico (1993) pela Pontifícia Universidade Gregoriana (Roma).

https://padrepauloricardo.org/padre-paulo-ricardo

Annie Besante:

Was a prominent  British socialist

 Theosophist, 

Women's rights activist,

Writer

And orator 

And supporter of Irish and Indian self-rule.

https://en.wikipedia.org/wiki/Annie_Besant

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu sei cyber, não estava me referindo a ele, estava traçando o perfil da queda de qualidade de qualquer assunto. Conheço o Paulo Ricardo, é um dos cabeças da extrema direita, vi até o vídeo dele todo, com 4 ou 6 h, nem lembro agora,  em que ele torce cuidadosamente  tudo do pensamento marxista, acho que o nome do curso é "Marxismo cultural" .  Mas memso distorcndo tudo, ele o faz  com qualidade intelectual. Já o coleguinha dele, o Olavo de Carvalho, esse sim um mero opinador que se intitula filósofo sem sequer ter concluído o primeiro grau,  tem um montão de seguidores que decidiram nunca aprender filosofia, apenas, preferindo aprender jogos de palavras com o Olavão, porque é   mais fácil do que estudar o tema.

E você? reparou que aqueles textos que a Annie besant cita não foram canalizados, são textos de conhecidos padres do cristianismo primitivo, da mesma época em que os evangelhos foram escritos, porem, que representavam vertentes diferentes daquela que o Império Romano escolheria quase 200 anos mais tarde,  para "vestir a camiseta" ?

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

  Sandro, se ele (Olavo de Carvalho) estudou da maneira "correta" as obras que os estudantes de filosofia estudam na Universidade ou não, isso não pode tirar o direito racional de ele ser um filósofo, Pois os filósofos da antiguidade não estão vinculados as mesmas estruturas de ensino e aprendizado das universidades de hoje em dia e nem por isso deixam de ser filósofos, portanto que o que eles falarem tenham validade lógica cientifica.

Se ele faz jogos de palavras nos videos aleatorios no youtube pode ser, mas em seus videos ele não está exercendo necessariamente o ato de filosofar, isso, provavelmente ele faz nos debates e nos cursos dele.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Você também pode atribuir a si mesmo o título de cientista só porque fica fazendo coisinhas amadoras em casa para obter respostas sobre enigmas da natureza. Afinal a ciência antigamente teve que se virar assim. Porém, é o que estou falando: estão optando por QUALIDADE INFERIOR. Não é muito sensato  comparar a preparação de um profissional treinado por outros profissionais experientes, com um amador, que aprende as coisas como se aprendia na idade média. Acaba se formando um sujeito que durante seu aprendizado nega a si mesmo a oportunidade de SER CORRIGIDO NOS SEUS ERROS, o que é ótimo para alimentar a ilusão pessoal de que conseguiu sozinho saber mais que aqueles devidamente preparados. Uma vez ainda me dei ao trabalho de ver um vídeo dele, algo o estilo de "como derrotar um marxista". Ok, vi o vídeos, ele só falou bobagem, mas ele dizia que no site dele tinha escrito muito sobre isso..ok, fui lá no site dele, pesquisei com a palavra Marx, e li os textos. Só tinham opiniões vagas, citações fora de contexto, mal referenciadas, de modo que o leitor não tenha como saber exatamente de onde ele tirou, e quando você acha a citação, ela foi mal interpretada por ele, porque ele recortou só aquele pedacinho como se o texto do marx quisesse dizer tal coisa, quando na verdade diz o contrário. É o que acontece quando a pessoa não foi treinada devidamente a raciocinar sobre o que lê. Mas tem coisa muito pior no youtube, é disso que falo, o nível vai caindo, caindo quanto mais a mensagem é para as massas. E porque estou dizendo isso?

Porque essa é a essência da diferença entre a religião formal e as versões esotéricas. Por isso chega uma hora que já estão tão distante, que a religião formal olha para aquela mesma filosofia, porém esotérica, e a estranha, considera "pagã" ou "heresia". Afinal, cada linha dessas cresceu por 300 anos até que a linha para as massas, que por definição sempre será conservadora, não reconheceram mais a as linhas irmãs, que seguiram evoluindo. Com o tempo elas pareceram "deformadas demais" quando comparadas com a "forma das massas", que ficou congelada lá no momento que surgiu. Ora, uma doutrina para as massas não pode requerer muita  compreensão, então ela logo se torna  apenas repetição cega, um tipo de folclore, século após século....daí o "conservadorismo" como princípio fundamental que irá também se expressar na política e visões sobre sociedade.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.