• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
andregb

Magia - o que a torna negra

Recommended Posts

Ola a todos

Estou aproveitando minhas ferias para dar uma atualizada no meu conhecimento espiritualista, e entrando em alguns topicos vi alguns links de livros de magia e aproveitei para começar a lê-los.

Pois bem comecei a ler este Modern Magick do Michael Kraig recomendado pelo sandrofabres, o link ta abaixo

http://www.4shared.com/office/LmbQ6Hux/ ... ck_by.html

É em ingles mas da pra enteder a ideia, se vc tem um ingles meia boca... Caso não tenha copie e cole no google tradutor... Não fica perfeito, mas a tradução sai até bacana.

E em uma parte entrei em alguns conflitos ideologicos.. Vou tentar explicar

Quando comecei a entrar na parte sobre tipos de magia branca, cinza e negra o Michael Kraig deu o seguinte exemplo:

Em inglês:

  • On the other hand, let us say that you did a ritual to obtain a thousand
    dollars. Unlike some philosophies, the traditions of magick hold
    that there is nothing wrong with using magickal abilities to advance yourself
    in this world. Yes,it is perfectly fine to use your magickal abilities and
    knowledge to get ahead on this physical plane, to get money, friends,
    love and fame. But. .. let us assume that after doing your ritual to
    obtain the thousand dollars your uncle dies in a car crash and leaves
    you a thousand dollars in his will. Yes,you have attained your end, but
    you have done it using BlackMagick; you have indirectly (or perhaps
    we could say directly) killed a person.

Traduação:

  • Por outro lado, vamos dizer que você fez um ritual para obter um mil
    dólares. Ao contrário de algumas filosofias, as tradições de magia segura
    que não há nada de errado em usar habilidades mágicas para avançar-se
    neste mundo. Sim, é perfeitamente possível usar suas habilidades mágicas e
    conhecimento para chegar à frente neste plano físico, para obter dinheiro, amigos,
    amor e fama. Mas. .. vamos supor que depois de fazer o seu ritual para
    obter os milhares de dólares, seu tio morre em um acidente de carro e deixa
    lhe mil dólares em seu testamento. Sim, você alcançou o seu fim, mas
    você tem feito isso usando Black Magick, você indiretamente (ou talvez
    poderíamos dizer diretamente) matou uma pessoa.

Bom diante dessa passagem eu fiquei na duvida. Sou completamente neofito em magia, e pensava que magia negra era toda magia que você faz com objetivos apenas para você de maneira egoista como por exemplo ganhar dinheiro. Porem o Michael kraig disse:

"Ao contrário de algumas filosofias, as tradições de magia segura

que não há nada de errado em usar habilidades mágicas para avançar-se

neste mundo. Sim, é perfeitamente possível usar suas habilidades mágicas e

conhecimento para chegar à frente neste plano físico, para obter dinheiro, amigos,

amor e fama. "

Então o que realmente faz uma magia ser branca ou negra????

Share this post


Link to post
Share on other sites

1º Magia não tem cor

Mas se é para fazer estereótipos, vamos lá. No caso de dinheiro:

Magia negra: Você poderia fazer uma magia para conseguir dinheiro imediatamente de qualquer maneira aí vem esse exemplo do tio que morre e tal, nesse caso o dinheiro virá da fonte mais fácil.

Magia cinza: Você abre um novo negócio e faz uma magia para alavancar as vendas da loja ou seja lá o que for, influenciando e não manipulando as pessoas a passarem na loja, ter interesse nos seus produtos ou serviços, para que seu marketing chame mais atenção, aumentando a probabilidade de alguém comprar.

Tô sem tempo agora, depois posto mais sobre isto. :hug

Share this post


Link to post
Share on other sites

Falta de conhecimento eu diria. :x

0 Caminho da mão esquerda é muito poderoso, mas alguns animais antigamente distorceram o real significado do poder das trevas.

:roll:

Vou colocar um trecho aqui de algo interessante:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na metafísica hindu, sabe-se que vivemos agora na alvorada do Kali Yuga,

termo que pode ser traduzido como “Éon da Escuridão”, “Idade das

Trevas” ou, ainda, “Era do Infortúnio”. De acordo com a tradição védica

dos Yugas, o desenvolvimento da humanidade transita frequentemente

entre ascensões e quedas através de um ciclo de quatro eras eternamente

recorrentes, começando com Krita ou Satya Yuga, a Idade de Ouro da

Verdade. Tendo passado as eras subsequentes, Treta e Dvapara Yugas,

períodos de deterioração espiritual progressiva, saindo do éon primevo de

pureza e perfeição, nós entramos agora no estágio final da dissolução,

encarnado no Kali Yuga.

É da natureza do Kali Yuga deter a maioria dos seres humanos de sua

liberação espiritual devido à gravidade da inércia, apatia e preguiça

(conhecidos como “tapas”, em sânscrito), que subjuga esta era. Apesar

desse prognóstico aparentemente sombrio, há uma saída desse infortúnio

para aqueles que têm vontade e força para despertar da letargia excessiva,

dentro e fora deles mesmos, para agir. Mesmo na Era da Escuridão, alguns

têm uma disposição heroica para romper com as ilusões em que estão

atados no espaço-tempo e presos em seu ego em condições específicas do

zeitgeist3 ao seu redor. Esses heroicos “nadadores” que nadam contra a

corrente podem despertar para uma consciência expandida, atemporal e

una, não dependendo mais do ciclo dos Yugas. Dizem que um ser assim é

chamado de jivanmurta, ou liberado nesta vida, aquele que transcendeu a

perspectiva dualista, temporal e medíocre da vida e os medos do ego para

atingir o êxtase do estado de consciência transpessoal e divino, antes

obscurecido pelo ruído branco da absorção individual.

Ao mesmo tempo em que a

cristandade

garantia

sua

posição bem estabelecida no

Ocidente, a Índia assistiu à

reemergência de uma antiga

tradição mística, com o

movimento do yoga tântrico,

que prometia ser um método

de

disciplina

espiritual

especialmente adequado às

condições de infortúnio do

Kali Yuga. Essa tradição

herética secreta era transmitida

de um guru, ou mestre

espiritual, para o chela, ou

aspirante espiritual, após um

período árduo de testes para

determinar a constituição e

qualidades

do

iniciado.

Conhecida também como

Vamachara ou Vamamarga,

essa prática se inicia, como em

muitos caminhos do yoga, com a arte de conduzir a meditação, isolando o

pensamento normal e discursivo do ser humano, assegurando-lhe uma

percepção pura e sem distorção da realidade. Somente após essa fase de

purificação difícil e necessária, o iniciado no Vamamarga pode desenvolver

práticas mais radicais, especialmente como um método extremo de

liberação mais apropriado ao radicalismo do Kali Yuga. Essas práticas de

Vamamarga incluem, entre muitas outras: a quebra dos tabus e dos

condicionamentos sociais; a exaltação do cósmico feminino; a utilização do

corpo físico e do êxtase sexual como um meio de devoção religiosa e de

alteração da consciência não-dual; e a adoção de um modo de vida

deliberadamente transgressivo, estigmatizado e autoproscrito que viola

normas sociais, religiosas, comportamentais e culturais, para libertar o

iniciado dos grilhões que apartam a maioria dos seres humanos de sua

natureza divina oculta. No século XIX, quando os primeiros europeus

começaram a ficar inquietos com os cultos secretos do êxtase do

Vamamarga, eles traduziram essa palavra (literalmente “via esquerda”)

como “caminho da mão esquerda” (LHP – Left Hand Path).

O Caminho da Mão Esquerda do tantrismo difere do tântrico Caminho da

Mão Direita, ou Dakshinamarga, devido às celebrações de práticas

transgressivas, ritos sexuais e à sua ênfase no poder feminino, conhecido

como Shakti5. Embora tenha se estabelecido que no período medieval a

prática da Via Esquerda fosse apenas um meio efetivo de liberação no Kali Yuga, evidências sugerem que as práticas que vieram a ser conhecidas

como “caminho da mão esquerda”, de fato, antecedem o tantra de “mão

direita”, que tem se desenvolvido como uma versão domesticada e “caiada”

posterior da disciplina. Alguns fizeram referência à devoção física e sexual

do Caminho da Mão Esquerda como “úmida”, em contraste com a

metodologia “seca” do Caminho da Mão Direita. Outra descrição

metafórica historicamente conhecida é a comparação entre vinho e leite, o

primeiro representando o êxtase, o abrasamento e a intoxicação do

Caminho da Mão Esquerda; o outro, a abordagem mais branda, suave e

metódica das práticas do Caminho

da Mão Direta.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por isso eu disse ao marlon que é uma coisa que você tem que decidir por si.

A definição que o Kraig esta usando está ligada ao conceito de prejudicar o outro, é um exemplo óbvio, e na verdade um risco real. As forças que você “contrata” estão ligadas as forças do universo, elas vão seguir o caminho mais fácil para tudo.

Mas só porque uma saco de dinheiro se materializa na as porta sem que você veja um cadáver ao lado não quer dizer que não exista um, em algum canto, eheheheh.

O sujeito teria que especificiar exatamente o que está procurando obter, de modo a não deixar margem para desvios “mais fáceis”. A Dolores Novicki relata um caso de uma amiga que fez um ritual para obter um lindo casaco de pele, e começou a receber, de todas as fontes possíveis e imaginais, um monte de casacos de pele, velhos, furados, estragados, completamente inutilizados. Ela alerta: quer um peixinho no aquário? Especifique: peixinho VIVO, aquário COM ÁGUA, etc...

O pessoal gosta de usar o tarô para ter uma noção do que pode ocorrer caso você faca o que planeja, e assim evitar essa “bola nas costas” carmica.

A questão é: toda ação gera resultados, boas intenções não valem nada quando o assunto é resultados concretos, por isso esse tipo de atividade é sempre arriscada. Se você vai violar a vontade de alguém, ou se vai torcer uma lei da natureza, ou deslocar as chances de competição honesta entre a pessoas a seu favor, usando meios aos quais elas não tem acesso, configurando portanto competição desleal, cabe a você arcar com os resultados depois.

A meu ver a ética é uma coisa muito simples, basta se colocar no lugar do outro. Se você tem uma empresa e seu concorrente da loja em frente usa magia para atrair mais clientes para a loja dele, e portanto tirando os clientes que poderiam entrar na sua, como você qualificaria isso? Se você está interessado numa pessoa e parece haver algum grua de reciprocidade inicial mas um desconhecido usa magia para fazer essa mesma moça se interessar por ele, o que você pensaria disso?

O que acontece é que muita gente ainda nao superou o ego de criança, aquela fase em que a crianca só pensa em si, ahcnado que os pais,s a escola, o mundo tem que lhe dar o que ela deseja, entao nunca fazem esses cálculos, chegando sempre a conclusões de crianca sobre o que pode/ deve ou não ser feito.

Agora, se você, ao se colocar nessa situação imaginaria, acha normal, acha que isso é da competição normal entre as pessoas, que isso é igual a usar mais propaganda na TV para atrair clientes, ou igual a usar charme pessoal para atrair a pessoa, bem, então sua forma de ver o mundo é totalmente compatível com esse tive de atividade, e se preocupar com os resultados da magia será o menor dos seus problemas. Tem mais é que pagar para ver mesmo.

No fundo, tudo se resume a coerência pessoal com seu Nível de Ser. Não se pode exigir que um macaco ou de um cachorro, que se preocupe com questões éticas, seria exigir demais dele, ele precisa se preocupar com suas “necessidades” . Mesmo entre humanos,todo mundo sabe que para certas pessoas, um prato de sopa quente no inverno é o maior bem que elas podem imaginar receber. Ter como prioridade suas necessidades individuais e desejos pessoais é uma marca muito nítida do nível de ser da criatura, seja comparando animais com humanos, humanos com humanos, espíritos com espíritos.

Só aqueles para quem essa preocupação é natural para TUDO NA VIDA é que se preocuparão com isso em relação a magia e outras atividades “ocultas” .

Por isso você verá diferentes respostas a essa pergunta, porque depende do nível de quem responde, e você tem que saber em que nível você está, ou para qual nível você gostaria de caminhar, e trabalhar nessa direção, é simples assim. Independente da direção que escolher, não pode avançar numa direção agindo como os que vivem na direção oposta agem, vendo o mundo como eles vêem.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Se você vai violar a vontade de alguém, ou se vai torcer uma lei da natureza, ou deslocar as chances de competição honesta entre a pessoas a seu favor, usando meios aos quais elas não tem acesso, configurando portanto competição desleal, cabe a você arcar com os resultados depois.

Bravíssimo. Isso que a maioria dos "magos negros" ignoram.

Falou tudo em um pequeno parágrafo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado pelas respostas pessoal :)

Chronlly

Eu li esse topico que me passou e aumentou ainda mais minhas duvidas rsrs

O que é bom pois dizem que a confusão é uma etapa do processo de aprendizado (Revisão dos conceitos).

Nem conhecia magia vermelha :twisted:

Deu pra ver que cada um tem a sua opiniao sobre esse assunto

O que eu retirei de conteudo das postagens foi que magia existe dois tipos de magia:

As que afetam o seu carma e as que não afetam

Eu quero passar longe destas que afetam o carma, msm se for para eu ganhar bilhoes de dolares e ter como carma nascer na proxima vida gostando de pagode. Rrsrsr "é um carma pesadinho" :lol:

A minha duvida agora mudou, pois vendo os topicos eu percebi que msm as praticas magicas com a melhor das intençoes podem gerar resultados catastroficos.

Acho que entendi o que vc quis dizer Nitrous ;)

Gostei desta historia jonathasmoraes, achei meia confusa mas bacana :D

Pois é sandrofabres esse é o problema que eu vejo na magia, sempre que eu tento iniciar acho muito complexo tudo isso e acabo desistindo por pensar que vou entrar em uma cilada

Eu não entendi muito bem o seu conceito de etica, por exemplo voce falou que é desleal usar o seu conhecimento de magia para por exemplo atrair clientes para sua loja.

Por exemplo voce parece que tem um bom conhecimento sobre magia. O que com certeza requeriu um esforço e um bom investimento de tempo de sua parte, vamos supor que todo esse esforço e tempo que vc dedicou eu dediquei em estudar por exemplo marketing.

Seria desleal da minha parte usar todo o meu conhecimento de marketing para fazer alguma empresa crescer? Se não, porque o seu conhecimento seria?

E como eu disse acima parece que msm com intençoes boas o resultado pode não ser o esperado, no livro sugeriu o uso do tarot para evitar isso.. Sandro você que usa e tem um bom conhecimento do tarot poderia me explicar se com voce a previsao é certeira e todas as magias que voce faz acontecem exatamento conforme pensado?

Se não for pedir muito poderia dar alguns exemplos de casos que de magia que ja realizou :mrgreen::mrgreen:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é amanda lovatt

Isso agora me deixou com a pulga atras da orelha sobre varias coisas, pois com certeza eu e todos nos ja usamos meios aos quais alguns não tem acesso para conseguir algo.

Por exemplo um nenem que não chorou muito e outro do lado que chorou muito. O nenem que não chorou não teve acesso ao conhecimento institivo ou não de perceber que chorar faria ele conseguir mais coisas.

E coitado do nenem que chorou ja vai carregar carma logo ao nascer por ter chorado e conseguido mais coisas que o outro :::: hehehe

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu nao faço enm nunca fiz magia. Gosto do tema, mas nunca achei nada em magia que nao fosse para obter vantagens pessoais, e nunca me interessei por isso.

Em tese voce pode fazer certos tipos de magia, como a evocaçao, para adquirir conhecimento, como o topico em que o gabriel fez uma evocaçao para conhecer uma tecnica de projeçao diferente. Isso, obviamente, nao caracteriza nenhum tipo de problmea etico, a meu ver.

O taro da sim boas respostas, mas o taro funciona anivel fisico e astral apenas, ele nao alcança a dimensao causal, que esta alem dos planos da forma e onde as verdadeiras cusas dos eventos se originam, por isso eu acho que confiar no taro para magia e ainda arriscado, esta alem do que ele pode oferecer.

Quanto ao marketing, voce aprende isso onde todos aprendem, tratalse de competiçao leal porque e uma ferramenta que se origina no mesmo plano em que ela atua. Mas calro, essas fronteiras nao sao assim tao claras, por isso ha divergencias. Considere uma cura, por exemplo.

O cara tem um tumor, que é físico,e tem como causa uma origem fisica ou carmica. Você usa amedicina fisica e entra na faca para resolver o problema. Se a causa era física, tudo resolvido, se não era, ele volta. É assim que o carma te pega, lei natural. Mas se voce usar um meio não fisico, uma cura energética por exemplo, você penetra mais fundo na causa, e por isso quem trabalha com essas coisas já vai se submeter a curar "CASO ISSO SEJA PERMITIDO PELA LEI DO CARMA". Se você se coloca nessa atitude, não está forçando uma cura, está trabalhando mais profundamente, mas SUBMETIDO A LEI DO CARMA. Mas se simplesmente resolve agir usando ferramentas acima do plano fisico, por sua livre imposiçao pessoal, corre o RISCO de fazer a cura violando uma lei carmica, o que vai intensificar o retorno do problema, e você terá ganhado um carma por atuar contra essa lei.

você não tem como impedir que o carma atue se usar recursos materiais, mas se usar recursos não materiais, há um RISCO de que possa interferir sim.

Então, marketing está dentro dos recursos lícitos, ou digamos, "sem risco", já esses outros recursos não. Isso não quer dizer que NUNCA se possa fazer uso desses outros recursos, o que estou dizendo é que é mais arriscado porque você, atuando com poderes extra, corre risco de afetar coisas que desconhece. É a ignorância humana que é o problema, não as ferramentas. Por isso o pessoal que defende a magia como ferramenta neutra não está errado, o problema reside em muitas dessas pessoas se acharem qualificadas para decidir quando e como podem atuar, até porque sua referência costuma ser apenas o desejo egóico de levar vantagem, uma base bem primitiva para decidir sobre qualquer assunto da vida.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vi agora a questão do nenê chorão. Creio que a resposta sobre marketing já esclarece isso.

Uma coisa que talvez vocês não saibam, e que eu sei por ser ser funcionário público, então vou comentar, talvez ajude a esclarecer um pouco mais.

Um funcionário público, pela natureza do seu cargo, tem acesso a informação privilegiada, ou seja, informação que é vedada ao cidadão conhecer. Exemplo: algum órgão municipal planeja instalar serviços de água e esgoto numa região em que ainda não more ninguém, mas que logo será feito um projeto de construção civil que vai construir habitaçoes naquela área. Quando as coisas forem divulgadas começará uma corrida por compra de terrenos, e os lotes serão valorizados. Quem for comprar no futuro, vai pagar mais caro.

Então o funcionário que sabe disso antes que seja publicado PARA TODOS OS CIDADÃOS, se resolver comprar um terreninho baldio a preço de banana ainda, porque ninguém mais sabe que aquela região logo será valorizada, está incorrendo EM CRIME, punível com perda de cargo e talvez cadeia, porque está se beneficiando de informação privilegiada do cargo que ocupa.

Voces podem ver esse dilema ate nos filmes, como Independence Day ou o recente 2012, em que os assessores ligados ao presidente não podem avisar as familias que moram em cidades atingidas, porque isso seria beneficiar-se de algo que não está acessível aos demais cidadãos.

Muitas notícias que vocês vêem na TV envolvendo crimes de corrupção, escandalos envolvendo empreiteras, e até amizades de ministros com grandes empresários, tem esse princípio para configurar CRIME.

Usar recursos não físicos para solucionar seus problemas ou tirar vantagens adicionais se encaixa mais ou menos na mesma categoria. Tanto isso é ilícito que há leis punindo os infratores, nessa analogia que fiz. Não há leis contra a magia porque vivemos numa sociedade cética e materialista, o que só favorece os criminosos magicos e astrais, mas o crime ainda é crime, e serão as leis naturais, ou cármicas, que serão acionadas, enquanto a sociedade civil não souber lidar com essas questoes metafísicas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Eu nao faço enm nunca fiz magia.

#chateado rsrs

Sacanagem achei que voce ia contar algumas historias que conseguiu melhorar sua defesa psiquica, sua clarividencia e diversas outras coisas, algumas até quem sabe chamaria um TRUCO mentalmente hehe

Jurava que voce praticava magia seu avatar é a Dion Fortune que era da Hermetic Order of the Golden Dawn, voce recomendou o livro Modern Magick e fala bastante de magia.

Entendi o seu exemplo, era mais ou menos o que eu sempre pensava sobre magia depois de completar um doutorado teorico em magia que pode-se pensar em começar a praticar, se quiser fazê-la sem causar carmar

Acho que vou deixar pra praticar magia para uma outra hora como sempre acontece

E uma ultima duvida mentalizaçoes apenas, como saude, paz, prosperidade, essas que normalmente fazem em fim de ano podem gerar algum efeito contrario???

Se não Feliz Ano Novo com muita paz, saude, felicidade, sucesso. viagem astral

Se sim desculpa pessoal, não aumente meus carmas :mrgreen::mrgreen:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Verdade sandrofabres

Eu não gosto de entrar nesses assuntos espirituais por isso, penso que vou elevar e ouvir coisas boas, mas é so pancada na cara. Fico pensado o tanto de atitudes que eu ja fiz as vezes as mais simples quando criança como falar q a culpa foi do outro, e etc, que quase chego a conclusao que ao inves de diminuir o carma devo estar aumentando :mrgreen::mrgreen:

É muito detalhe que se deve prestar atenção uma omissao pode ser extremamente errado, uma atitude pode ser extramente errado, quase tudo na verdade é meio certo meio errado aff.

As vezes não sei se tento melhorar a mim msm, porem estarei sendo egoista ou se tento ajudar o outro porem estarei atrapalhando o livre arbitrio. :?:?:?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sacanagem achei que voce ia contar algumas historias que conseguiu melhorar sua defesa psiquica, sua clarividencia e diversas outras coisas, algumas até quem sabe chamaria um TRUCO mentalmente hehe

Jurava que voce praticava magia seu avatar é a Dion Fortune que era da Hermetic Order of the Golden Dawn, voce recomendou o livro Modern Magick e fala bastante de magia.

Eu nao falo sobre magia, eu apenas respondo, e' diferente. Este nao e um forum de magia, e importante entender isso. Mas o pessoal insiste em trazer esse tema a baila.

E essas coisas que voce cita, defesa piquica, clarividencia, coisas mentalemtne, se consegue por trieno. Seo cara usar magia para isso, em geral estara usando uma entidade para lhe dar um bonus, e ai complica.

Veja os mediuns por exemplo. Em geral os caras mais dotadso que a gente conhece sao mediuns, oque significa que eles trabalham em conjunto com outras inteligencias, e portanto, os interesses dessas outras inteligencias precisam ser levados em consideracao. Quem ja noa ouvi estorias de mediuns que perdem os poderes porque "se desviaram"? O que voce consegue por treino e' seu, usa como bem entender, o que vier por associacoes com outros seres, so bem ou do mal, nao interessa, bom...havera regras....

Quem quer liberdade nao pode se associar, isso vale para tudo, ate casamento, filhos, eehehhhe

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, ACHO QUE CORRIGI A BAGUNCA QUE FIZ POR AQUI COM OS POSTS, EHEHHEH. Ainda me parece que tem algo fora do lugar certo, mas pelo menso nao faltam mais pedacos, eheheheh.

Agora, sobre defesa psiquica e magia, bom, ai vale a pena conhecer. Como eu trabalhei num grupo de "desobsesao", pude testemunahr muita coisa que e' descrita nos livros da Dion sobre ataques e defesas e pude aproveitar para usar os "obsessores' como cobaias para algumas coisas que li, mas so naqueles que tambem lidavam com magia claro, porque a gente nem lidava nesse grupo com obsessores leigos.

Para muitos, os seres com que lidavamos eram magos negros e demonios, para outros, seriam espiritos boboes se fazendo passar por esses. Nao ponho a mao no fogo por nenhuma dessas definicoes.

Mas eram coisinhas basicas, relacionadas aos diversos usos do pentagrama, ou a emitir determinados tipos denergias polarizadas pelos elementos.

Mas nao conto essas estorias menos que o contexto exija, e aqui no GVA nao h'a contexto para isso, ja que nao e' um forum de magia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parabéns, SandroFabres! É muito bom conhecer pessoas capazes de falar tão bem sobre ética e com palavras, muito bem escolhidas e exemplificadas, o que pode gerar para o espírito suas escolhas egóicas. Muito importante e agradável de se ler! :hug

Mas...não me entendam mal os demais. Afinal, temos o livre-arbítrio para fazermos nossas próprias escolhas e somente assim somos capazes de aprender com elas. Cada um segue o caminho que escolhe e colhe o que planta. ::R

Share this post


Link to post
Share on other sites

O cara tem um tumor, que é físico,e tem como causa uma origem fisica ou carmica. Você usa amedicina fisica e entra na faca para resolver o problema. Se a causa era física, tudo resolvido, se não era, ele volta. É assim que o carma te pega, lei natural. Mas se voce usar um meio não fisico, uma cura energética por exemplo, você penetra mais fundo na causa, e por isso quem trabalha com essas coisas já vai se submeter a curar "CASO ISSO SEJA PERMITIDO PELA LEI DO CARMA". Se você se coloca nessa atitude, não está forçando uma cura, está trabalhando mais profundamente, mas SUBMETIDO A LEI DO CARMA. Mas se simplesmente resolve agir usando ferramentas acima do plano fisico, por sua livre imposiçao pessoal, corre o RISCO de fazer a cura violando uma lei carmica, o que vai intensificar o retorno do problema, e você terá ganhado um carma por atuar contra essa lei.

Quer dizer que se eu contrair uma doença de origem do plano fisico e curar-la por meio de magia, vou ter que pagar por isso? Vai gerar um carma?

Na boa,se for isso, quem criou essas lei é bem fela da puta.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Então o que realmente faz uma magia ser branca ou negra????

Resposta pra essa pergunta é fácil...

R: Emocionalismo, Ignorância e Falta de conhecimento.

Magia Branca, Negra, Cinza, Azul ou Verde é só uma definição.

"Magia" assim como PARAnormal, EXTRAsensorial, SUPERnatural são apenas nomes que criamos ( pois somos seres emocionais) para descrever o que não entendemos.

Na verdade tudo isso descrito acima é uma capacidade natural do ser Humano que foi esquecida, só isso!

O mesmo vale para o conceito "Bom" ou "Mal"... E viajando nessa maionese, enquadramos até mesmo Deus nesses conceitos....

Exemplo: Digamos que neste momento eu decida criar um NOVO CULTO. Vou chamar de Igreja Intergalática do povo reptiliano. Nesta Igreja fazemos o ritual da MAGIA VERDE ( porque réptil lembra sapo e sapo é verde ).

Daí pra ter credibilidade eu chamo alguns amigos pelo mundo inteiro... Criamos um site, um artigo em PDF, uma bíblia da Magia Verde, criamos rituais no Youtube, envolvemos dois assuntos principais: Arrumar Marido ( rico, claro), e conseguir muito dinheiro sem trabalhar.

O número de adéptos crescerá exponiencialmente! e pronto.

Está criada a MAGIA VERDE.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Quer dizer que se eu contrair uma doença de origem do plano fisico e curar-la por meio de magia, vou ter que pagar por isso? Vai gerar um carma?

Nao.

Quer dizer que se usar os meios fisicos, pode usar o que estiver a disposicao, sem problema, mas se usar outros meios, como magia, tem que PRIMEIRO DESCOBRIR SE PODE USA-LA SEM INFRINGIR NENHUMA LEI SUPERIOR. Quem nao sabe como consultar isso, nao deveria mexer com magia, porque esta brincando de roleta russa, so isso.

Ontem a noite eu estava lendo a autobiografia do Franz Bradon, e cruzei com um texto que tem muito a ver com o que discutimos aqui.

Vou colar abaixo, porque sempre tem um pessoal que nao conhece como as coisas funcionam, e depois ficam achando que eu estou pregando minhas "crencas pessoais", e quem os ouve, se tambem nao conhece mais nada, acredita!!! ehehehhe

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

(...) Da mesma forma, Frabato revelou o futuro próximo para todos os convidados. Quando todos estavam a sua volta e um jovem estava prestes a fazer outra pergunta, Frabato colocou o dedo indicador direito em sua boca para indicar silêncio. Imediatamente, todos ficaram quietos, observando Frabato com curiosidade. O mágico foi olhando para um canto da sala como se ele percebesse algo de extraordinário lá. Por alguns segundos, seu rosto assumiu uma expressão distraída, então ele respirou profundamente e, voltando-se para K., disse:

"Meu caro amigo, não é certo para você deixar sua irmã caçula sozinha em seu quarto no andar de cima. Você foi contar a ela sobre mim hoje, e ela estava muito ansiosa para falar comigo também. Você não precisa ter vergonha de colocar sua irmã aflita entre nós, pois doença não é vergonha. Eu posso vê-la chorando amargamente”.

As palavras de Frabato tanto surpreenderam e envergonharam K. profundamente. Ele admitiu que ele não quis misturar sua irmã doente com os convidados para que a atmosfera da festa nao fosse prejudicada. Essa, segundo ele, tinha sido a única razão para sua decisão, e agora ele estava bastante abalado pelo fato que isso não tinha permanecido oculto de Frabato. Se nenhum dos presentes tinha alguma objeção, ele iria agora trazer sua irmã.

A sugestão de K. foi aprovada por unanimidade, e duas senhoras se ofereceram para ajudar a menina deficiente a se vestir. K. subiu até sua irmã com as duas senhoras, ela estavade fato deitada em sua cama, com os olhos cheios de lágrimas. Helen, a irmã de K., havia sofrido uma hemorragia cerebral seis meses antes e ficara paralisada em seu lado direito desde então. Os melhores médicos tentaram tratá-la, mas ainda não havia esperança de uma cura. Ela tinha apenas 23 anos de idade.

K. disse a sua irmã o que havia acontecido e pediu-lhe para passar o resto da noite com Frabato e os outros convidados. Por causa de seu desamparo, Helen se recusou a se juntar a eles em primeiro lugar. Mas quando as mulheres ofereceram a sua ajuda, a curiosidade e a expectativa levaram o melhor sobre ela, e por fim concordou em juntar-se a festa. K. saiu da sala, as mulheres começaram a vestir Helen, e ela foi levada para baixo em uma cadeira.

Todos os presentes lhe deram boas vindas com cordialidade e ela sorriu de prazer quando lhe foi dado o lugar de honra ao lado de Frabato. Para manter o clima da a festa, Frabato contou alguns eventos interessantes que tinha experimentado em suas viagens. Os convidados ouviam atentamente, mas secretamente esperavam mais uma prova das habilidades ocultas de Frabato , e conseqüentemente, estavam cheios de expectativa. Frabato não deixou de notar, pois todos os pensamentos deles estavam abertos a seus olhos espirituais. Sem deixar ninguém perceber, ele estava se ocupando com o destino de Helen. EM SUA MENTE, FRABATO PEDIU `A DIVINA PROVIDÊNCIA PERMISSÃO PARA CURAR ESTA MULHER E, DA PROFUNDIDADE DO SEU SER, ELE RECEBEU UMA RESPOSTA : "VOCÊ PODE AJUDÁ-LA, CURE-A"

(...)

Eles caminharam em silêncio por um tempo, envoltos em pensamentos e ouvindo as vozes da natureza. Embora o sol estivesse desaparecendo gradualmente por trás do horizonte, ainda estava bastante quente e não havia uma nuvem no céu claro."Eu sei", Frabato começou ", que você é um grande cético. Sendo um teórico, você acha difícil formar uma imagem clara dos poderes da magia. Como você pode ver por si mesmo, não há esperança de chuva no momento. Apesar disso, vou agora usar a magia cabalística da natureza, a fim de trazer alguma precipitação dentro de um tempo muito curto. Isto irá convencê-lo da eficácia desta ciência. ""Isso me parece inacreditável", G. respondeu, "mas nenhum segredo parece estar escondido de você. Eu, claro, seria muito grato se você demonstrasse um exemplo dessa magia da natureza.

"Frabato sorriu, pois sabia que o controle sobre a magia natural é uma das habilidades perfeitamente normais de um mágico."Você vê," ele disse para G., "NADA É IMPOSSÍVEL PARA UM SER HUMANO QUE ESTÁ UNIDO COM A PROVIDÊNCIA DIVINA. NO ENTANTO, O VERDADEIRO ADEPTO SEMPRE SE MOVE DENTRO DA ORDEM DIVINA, JÁ QUE ELE É TOTALMENTE RESPONSÁVEL POR TUDO O QUE ELE FAZ. QUANTO MAIS APERFEIÇOADO O DSENVOLVIMENTO DE UM INICIADO, MAIOR SERÁ O SEU RESPEITO PELA DIVINA PROVIDÊNCIA E PELOS SEGREDOS MAGNÍFICOS DO COSMOS. NÃO VOU FAZER CHOVER SIMPLESMENTE PARA CONVENCÊ-LO, MAS TAMBÉM PARA SATISFAZER A NATUREZA, QUE É O DESEJO POR ÁGUA. Por favor, observe o céu com cuidado e permaneça em silêncio até que eu fale de novo."

Os dois andarilhos sentaram-se na grama e estava olhando os vastos campos. Não havia ninguém nas proximidades.Frabato assumiu um asana da yoga, cruzando as pernas e mantendo as costas eretas. Seus olhos estavam fechados, ele parecia completamente paralisado. G. examinou atentamente a natureza, e de vez em quando lançava um olhar tímido para o rígico Frabato. Poderiam ter passado cerca de cinco minutos antes que a figura de Frabato voltasse à vida. Ele abriu os olhos, e, esticando as pernas, sentou-se ao lado de G., perguntando-lhe:

"Bem, você tem notado nada de extraordinário?" Na verdade, G. já havia notado uma tensão aumentando gradualmente no ar - a promessa de uma tempestade! O vento estava ficando cada vez mais forte. Quando Frabato começou a falar com ele, as primeiras nuvens apareceram no horizonte, e G. agora apontado para a distância, cheio de espanto:

"Basta olhar quão rapidamente as nuvens estão se aproximando! É realmente fenomenal que você deve ter poderes tão espantosos à sua disposição. A julgar por sua aparência, ninguém imaginaria suas habilidades. "

"Não é necessário para um verdadeiro mago fazer uma demonstração de seu conhecimento e habilidades. Ele pode adaptar-se discretamente a quaisquer circunstâncias e, assim, passar despercebido ao homem comum. Essa capacidade de adaptação é um aspecto de silêncio e, do ponto de vista hermético, é uma das características básicas do poder divino. Silêncio, no sentido mágico, não significa que a pessoa deve abster-se de falar, mas sim, uma é esconder suas habilidades espirituais do público. Só quando este princípio é observado a Divina Providência confiará ao humano maduro seus maiores poderes. Quando nos conhecemos, você não tinha a mínima suspeita de que eu estava envolvido nas ciências herméticas e espirituais. Mesmo se nos conhecessemos há muitos anos, você só seria capaz de perceber minhas habilidades de acordo com o seu próprio nível de desenvolvimento. Em qualquer caso, um adepto verdadeiro nunca irá andar sob uma auréola. "

Durante esta breve conversa o céu tornou-se nublado e a atmosfera ficou carregada, como se uma tempestade estivesse prestes a despencar a qualquer momento. Na verdade, raios pipocavam através das nuvens e os trovoes eram estrondosos. Professor G. olhou para o céu ansiosamente e parecia pouco à vontade de estar em campo aberto naquele momento. Para acalmá-lo, Frabato colocou a mão em seu ombro, dizendo:"Enquanto eu estou aqui com você, você não precisa ter medo. Está quente, de fato, e alguns pingos de chuva não nos farão nenhum mal.

(...)

...mas G., sendo menos resistente, começou a tremer de frio."Infelizmente, eu sou muito sensível", disse ele, tentando se desculpar. "Eu certamente vou apanhar um resfraido com essas roupas molhadas." "Não tenha medo", disse Frabato, colocando a mão direita sobre o ombro do professor. Após alguns segundos, G. olhou para Frabato sem acreditar. "Você está infetando em mim uma transferência de calor usando sua mão! Eu já estou tão quente como se eu tivesse saído de uma sauna. Agora eu entendo como você também pode curar os doentes com um poder extraordinário como esse. "Ele ficou em silêncio por um momento, e então, depois de uma respiração profunda, ele continuou: "Se eu tivesse apenas uma pequena parte de seu poder, o quão feliz eu seria"

(...)

Esses milagres estavam completamente além da capacidade de compreensão do porfessor. Para sua surpresa, ele de repente percebeu que quando Frabato e ele estava andando não estava chovendo, enquanto todos os outros lugares continuava a chover. Olhando para cima, ele notou que as nuvens estavam partindo diretamente sobre eles e iam fechando novamente atrás deles. Ele nunca havia presenciado tal fenômeno. Sem dizer uma palavra, Frabato caminhou ao lado do professor, percebendo sua surpresa com prazer. Durante todo o caminho de volta para a casa de campo, nem uma gota caiu sobre os dois homens mesmo com a tempestade continuando a assolar todo o resto. Quando eles chegaram a residência Frabato, o céu ainda estava escuro e eles tiveram que ligar as luzes. G. queria ir para casa uma vez, mas Frabato o convenceu a ficar e emprestou-lhe algumas roupas secas, dando as molhados ao seu servo, para que fossem secas e passadas.Eles, então, sentaram-se confortavelmente na sala de estar com uma xícara de chá e alguns biscoitos.

"Você é um homem peculiar! Você faz chover, você parar a chuva, você curar qualquer doença, você está familiarizado com todas as ciências do mundo - e você se comporta como se tudo isso fosse muito natural. A riqueza de conhecimento e poder, isso é algo que eu mal posso entender. "Frabato olhou sério para o professor e respondeu:

"Qualquer ser humano pode adquirir conhecimento e poder deste tipo, desde que ele possua a determinação para seguir o caminho da magia até seus mais altos níveis. Este poder não foi “dado” simplesmente para mim. A princípio, eu posso usar minha energia e poder livremente, mas devo ser capaz de justificar meus atos ante a Divina Providência. Como um alto iniciado está livre de karma, ele evita a aplicação de seus poderes mágicos para o seu próprio bem-estar.

Durante qualquer encarnação física, ele está normalmente autorizado a exercer apenas as habilidades que qualquer homem comum tem à sua disposição. Esta é uma lei de desenvolvimento que não deve ser violada sem razão especial. O verdadeiro mago sabe que ele está sempre unido com a Divina Providência de uma forma que jamais é dado a nenhum mago negro. Através de suas obras o mago negro se condena à solidão no cosmos, a menos que ele tenha prazer na companhia de seres demoníacos. A condenação final de um mago negro, neste caso, é incompreensivel a uma pessoa normal, pois o sentimento de solidão absoluta só pode ser entendido por um iniciado.

Porque nós, os iniciados, seguimos as leis espirituais positivas até suas últimas conseqüências, estamos autorizados a participar do poder da Divina Providência. Esta observância fiel das leis espirituais não surge do medo de uma possível punição pelos poderes cármicos, mas sim, é derivada da veneração absoluta e humildade para com o poder e a sabedoria da Divina Providência. Reverência e humildade são algumas das características mais importantes do caminho de magia.

O destino de um iniciado geralmente não podem ser compreendido pelos imaturos ou pelos não iniciados. Isso se deve simplesmente a uma falta de visão sobre as leis espirituais. Nem todo mundo é tão afortunado como você, pois eu estava autorizado a dar-lhe alguns exemplos de poder mágico. Na verdade, seria mais vantajoso, se alguem se convence da atividade e efeito dos seres e das leis através de auto-estudo, porque é o conhecimento que a pessoa adquiriu por conta própria que leva à crença verdadeira. Na magia, a crença é gradualmente substituída pelo conhecimento. Primeiro, o aluno tem de aceitar os ensinamentos dos iniciados usando apenas a crença, então ele vai se convencer, através de seus próprios esforços, que a sua crença era justificada. Esse tipo de crença, que é sustentada pelo conhecimento, é chamada de "crença manifesta", e sobre ela que Cristo falava quando disse que a verdadeira fé pode mover montanhas. "

Fonte: "Frabato-The magician". Franz Bardon (p.102-113)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Quer dizer que se eu contrair uma doença de origem do plano fisico e curar-la por meio de magia, vou ter que pagar por isso? Vai gerar um carma?

Nao.

Quer dizer que se usar os meios fisicos, pode usar o que estiver a disposicao, sem problema, mas se usar outros meios, como magia, tem que PRIMEIRO DESCOBRIR SE PODE USA-LA SEM INFRINGIR NENHUMA LEI SUPERIOR. Quem nao sabe como consultar isso, nao deveria mexer com magia, porque esta brincando de roleta russa, so isso.

Entendi, li seu texto e ele é bastante explicativo

Mas tipo, vendo exemplo do cara com tumor

Se não tivesse meios fisicos para a cura e uma cura mágica não fosse "autorizada", msm assim iria procurar alguem que fizesse essa cura independente deautorização :P

Share this post


Link to post
Share on other sites
Entendi, li seu texto e ele é bastante explicativo

Mas tipo, vendo exemplo do cara com tumor

Se não tivesse meios fisicos para a cura e uma cura mágica não fosse "autorizada", msm assim iria procurar alguem que fizesse essa cura independente deautorização :P

E' imdavid, cada um sabe onde aperta seu calo ne?

So' coloco essas informaceos para que as pessoas nao se iludam. As definicoes de "fazer o bem" ou "fazer o mal" sao, em geral, definidas por conveninencia pessoal e um juizo muito superficial. So trago essas coisas para que as pessoas percebam que nao e tao simples, mas cada um deve pesar as decisoes por si.

Lembro de ter lido um relato, acho que foi num livro do Duquette ou do Kraig, que uma moca foi espancada e acho que estuprada por um criminoso, que estava foragido.

Entao um amigo da moca resolveu usar magia para fazer o cara ser preso. O cara teve um acidente de carro, e quando a policia foi checar, era justamente o suspeito procurado. Quem fez esse ato magico para induzir a prisao sabia que teria um "retorno" pelo que fez, mas optou por fazer porque achou, segundo sua compreensao, que valia a pena.

Isso e' com cada um. O que nao se pode e' vender a ideia falsa de que so' porque voce tem capacidade de fazer certas coisas, que e' 100% livre para faze-las e nao vai trazer consequencias. Qualquer um de no's tem o poder de comprar uma arma e sair tirando a vida dos outros, mas isso nao significa que nao teriamos que prestar contas.

Como tudo nada vida, a gente pesa riscos e beneficios, e cada um pesa isso de acordo com seu nivel de compreensao. Estamos todos aprendendo, e nao existe aprendizado sem experiencias, sem erros.

Share this post


Link to post
Share on other sites
valew sandro pelo texto... tenho um livro dele, mas me falta disciplina pra praticar.

só pra confirmar... o livro q vc ta lendo é esse? http://pt.scribd.com/doc/65550656/Franz-Bardon-Frabato-O-Mago-Pt-br

Valew!

Que legal! Nao sabia que esse livro existia em portugues!

Voce devera notar algumas diferencas entre os texto que postei, que traduzi do ingles, e o que esta no livro, mas pode encontrar o que citei entre as paginas 109 e 120 do pdf. Evidentemnete cortei varios trechos, para encurtar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lembro de ter lido um relato, acho que foi num livro do Duquette ou do Kraig, que uma moca foi espancada e acho que estuprada por um criminoso, que estava foragido.

Entao um amigo da moca resolveu usar magia para fazer o cara ser preso. O cara teve um acidente de carro, e quando a policia foi checar, era justamente o suspeito procurado. Quem fez esse ato magico para induzir a prisao sabia que teria um "retorno" pelo que fez, mas optou por fazer porque achou, segundo sua compreensao, que valia a pena.

Isso e' com cada um. O que nao se pode e' vender a ideia falsa de que so' porque voce tem capacidade de fazer certas coisas, que e' 100% livre para faze-las e nao vai trazer consequencias. Qualquer um de no's tem o poder de comprar uma arma e sair tirando a vida dos outros, mas isso nao significa que nao teriamos que prestar contas.

Entendo seu ponto de vista Sandro

Mas no exemplo citado eu daria um premiopro cara invés do carma kkkkkkk

um cara desse merece ganhar na mega-sena

Share this post


Link to post
Share on other sites

Claro, e a menos que a pessoa seja muito “coração mole” não tem como discordar disso, mas deixa eu contar uma estorinha que aconteceu aqui na minha cidade...

Há alguns anos, uns 12 eu suponho, um professor universitário aposentado foi encontrado morto em casa, se não me engano foi encontrado amarrado na cama, degolado profundamente, quase decapitado na verdade. Ao que tudo indicava ele, a esposa e a empregada foram mantidos trancados na casa, por uns cinco dias, e por fim mortos, enquanto os ladroes faziam saques diarios com os cartões bancários.

O que chamou a atenção foi a selvageria, o excesso de violência para um caso assim, totalmente desnecessário, e no caso do professor, um idoso de talvez 68 a 70 anos, ele estava imobilizado na cama, amarrado. A polícia suspeitou do filho do casal, amizades com traficantes, essas coisas. O casal de aposentados guardava algum dinheiro em casa, e essa informação pode ter vazado e atraído os assaltantes. O grupo de criminosos foi preso cerca de uma mês depois eu creio.

Enquanto isso, no grupo de desobsessao comquem trabalhei (mas isso aconteceu meses antes de eu me unir a eles, eles apenas me relataram ocorrido), um membro do grupo, que morava no mesmo bairro em que aconteceu o assassinato, compareceu aos trabalhos com um “anexo” junto. O líder do nosso grupo detectou, por clarividência , uma figura de aparência demoníaca, com corpo de fera, chifres, pelos pelo corpo, patas de animal, aquelas coisas todas, mas a criatura estava como que sonambúlica, não reagia. Ele então destruiu o invólucro astral dela, e dentro encontrou um homem (espírito), também em estado aparentemente comatoso. Ele conseguiu acordar o sujeito, que não sabia o que estivera fazendo, só tinha lembrança dos últimos eventos de sua ultima encarnação.

Ele era um trabalhado rural nas terras de um senhor feudal, e por um erro bobo, foi torturado barbaramente pelo patrão, o que lhe gerou intenso ódio, pois a punição era totalmente exagerada em função do delito. Enquanto agonizava, ele jurava vingança, bl’abl’abl’a. Mas apagou após o desencarne, não sabia o que tinha ocorrido até ser despertado do seu coma pelo líder do nosso grupo.

Entao esse meu amigo investigou mais a fundo, capturando as memórias do espírito e seguindo o rastro astral dos eventos, e descobriu que ao gerar aquela intensa emoção no momento me que era torturado, o sujeito plasmou aquela figura monstruosa, que passou a aturar como um robô, ou seja, era um forma-pensamento criada com a única motivação de vingar-se, e essa forma vagou a procura o tal senhor feudal por séculos. O tal senhor feudal era o professor que foi assassinado, e ela grudou e influenciou os assaltantes, (que eram usuário de drogas e portanto altamente vulneráveis `a influência astral), o que gerou aquele excesso de violência.

Uma vez cumprida a missão de vingança, aquela forma-pensamento se desligou dos asslatantes, se desativou, e por isso vagava a esmo, tedno aderido ao nosso colega de grupo provavelmente por ação dos mentores, para que o sujeito pudesse ser tratado. O espírito que desejava a vingança tinha na verdade ficado alheio a tudo, nem sabia o que tinha acontecido, meu amigo foi que lhe contou, e ele foi encaminhado pelos mentores para futuro reencarne. Isso evitou que ele fosse afetado emocionalmente pelo desejo de vingança, como a maioria dos obsessores fica, porque ele esteve todo tempo inconsciente, enquanto que um obsessor comum tende a se envenenar pelo próprio ódio que nutre, gerando um círculo vicioso em que ninguém é inocente. O que geralmente acontece nesses casos é que o sujeito fica tão intoxicado pelo ódio, que ele próprio se deforma e se corrompe emocionalmente, e seu corpo astral vai assumindo essa forma demoníaca, que é uma representação simbólica do seu estado, pois nos plano astral as formas se adaptam ao conteúdo. O diferencial nesse caso foi que o sujeito foi preservado dessa deformação, que não o atingiu emocionalmente, gerando apenas aquela forma exterior e automatizada para cumprir a função. Foi isso que permiutu a ele seguir imeditamente para os procedimentos de rencarne, ao invés de ainda ter que passar um bom tempo se curando de suas paranóias doentias antes de reencarnar, como acontece, em geral, com os obsessores.

Então isso é só pra verem o quanto fica difícil julgar um caso assim, mesmo quando tudo no plano material parece indicar que não há dúvidas quanto a quem é o criminoso e quem é a vítima.

Evidentemente quem não lida com essas coisas pode achar essa estória um tanto fantástica, mas aqueles que trabalham em grupos espirituais não se espantarão, pois ela não é muito diferente de outras estórias que conhecemos nesse meio, lidando com obsessão espiritual.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.