• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

 
  • sandrofabres
     
     
    Lucidez nada te a ver como rememoração.
    Você pode se focar me lembrar dos sonhos, suas experiências serão nítidas, realistas, coloridas, tudo perfeito, mas serão só sonhos, ou seja, lucidez zero. Vai sonhar que está com o namorado, ou trabalhando, ou fazendo provas na escola, ou pegando o ônibus etc. Tudo jurando que está no físico, por isso LUCIDEZ ZERO.
    Mas ainda assim, se treinar para lembrar bem dos sonho,s serão memórias claras, cenas vívidas.

    Por outro lado, você pode ter saído do corpo numa proejção de consciência contínua, sem blackout. Entrou em fase, sentiu as vibrações, descolou braçso e pernas astrais das contrapartes físicas, levantou da cama, sabendo que está em astral, atravessou parede,s voou, falou com "espíritos" lembrou que quando voltasse par o corpo talvez este ou aquele aspecto poderia ser difícil lembrar portante deveria prestar mais atenção aos detalhes ,apra depois poder descrever e tal....
    Mas na reentrada aconteceu algo, e a memória borrou. Sua lembrança é vaga, nebulosa, só fragmentos...parece "sonho" porque você acha que sonho é nebuloso, e projeção é nítido, o que é um erro, porque lebmranaç de soho só é nebulosa por falta de treino.
    Então você conclui:|"ah, dizem que se tem dúvida não e´projeção, e como isos parece sonoh, porque foi nebuloso..."

    Acontece que ENQUANTO voce está projetado não tem dúvida que está fora do corpo, mas quando retorna, de borrar a memória, pode esquecer utdo ou partes, e aí acha que ficou dúvida.
    Se você não teve dúvida LÁ, ENQUANTO PROJETADO, então foi projeção. Mas dúvida AQUI, APOS VOLTAR, pode acontecer pelo problema da memória, que é algo totalmente independente da lucidez.

    Ainda na sexta-feira mesmo acordei pela manhã muito sonolento, o que é raro para mim. Em geral acordo antes do rádio-relógio, já sem sono, e fico esperando ele despertar, as 5:50 , ou levanto mais cedo mesmo.
    Mas eu estava "pregado", não cansado, mas "atolado" no sono, ehehe. Então o rádio ligou, ficaram ali dando as notícias, e eu ouvindo. Lá pelas tantas o cara falou alguma palavra e aquilo ativou a memória da projeção que tive. Não lembrei dela toda, mas lembrei que estava numa sala vazia, com uns objetos e um deles começou a se mexer. Lembro de ter pensado "hum, isso deve ser algum onirismo, ou é coisa da mente ou é algum ser tentando se comunicar minha mente está distorcendo, por algum motivo. Vamos ver no que vai dar...".
    Ou seja, estava lúcido o suficiente para saber que estava fora do corpo e para detectar incongruências que poderiam ser distorções da minha mente. Mas se a memória não tivesse voltado uns 10 minutos após acordar, eu não teria lembrança alguma, nem de sonhos, nem projeção, porque esse foi o único fragmento que retornou à minha mente.

    Me parece que o que determina a lucidez em astral é sau lucidez em vigília, porque a gente define lucidez, para simplificar, como sendo apenas ser capaz de saber ONDE você está (físico ou astral?) e qual corpo está usando (físico ou astral?), mas certamente é mais complexo que isso.

    Porque uma pessoa em vigília, que atravessa a rua sem olhar para os lados não está lúcida, está sonambúlica, percebendo mais seus devaneios do que a realidade física ao redor, embora ela saiba que está no plano físico, e que está usando o corpo físico.
    Mas esse "sabe" é mais um "acredita", não é SABER mesmo.
    EXATAMENTE por causa disso que quando chegar a noite ela sonha que está andando no físico, e não percebe que não está... porque o problema da lucidez CONTINUA!

    Tanto isso é verdade, que a falta de lucidez na vigília é que cria a falta de lucidez em astral, que se você começar a se questionar, várias vezes por dia, se está de fato em astral ou no físico, QUANDO ESTÁ EM VIGÍLIA, após algumas semanas
    começara´a despertar a consciência durante os sonhos.
    Por que? Primeiro, pela repetição. Nossos sonhos são compostos pela repetição das nossas rotinas da vigília.
    E segundo porque, para fazer isso DIREITO, EM VIGÍLIA, você precisa interromper o sonambulismo que nos domina EM VIGÍLIA e de fato PRESTAR ATENÇÃO, ao que te cerca, ao seu corpo,ao que está acontecendo.

    NÓS NUNCA fazemos isso em vigília, portanto em sonhos também não faremos.
    POR ISSO A LUCIDEZ NOS SONHOS É ZERO...e isos também demonstra como a lucidez da vigília é um MITO.

    Pense no termo lucidez, na acepção simples, numa situação da vigília:

    "Fulano não está lúcido"

    O que queremos dizer com isso? Que o fulano não está PERCEBENDO A REALIDADE, está com a mente tomada por fantasias, emoções, medos, visões. Está drogado, ou apavorado, louco, amedrontado, tomado por ódio, etc.
    Nem vale a pena falar com o cara, porque como ele não está lúcido, ele não vai perceber ou conseguir analisar a verdade do que você fala, pode nem te enxergar se essa falta de lucidez for tamanha que o impeça de enxergar o ambiente ao redor e reconhecer as pessoas.

    Então ele volta ao normal após um tempo. Ah, agora sim ele está lúcido, diremos.
    Mas o que estamos dizendo? Que agora ele percebe a realidade TAL QUAL A PERCEBEMOS.
    Há um CONSENSO entre o que ele percebe e o que nós percebemos. Ele vê uma cadeira que eu também vejo, uma árvore que eu também vejo, os aspectos de um problema, que eu também vejo.

    Mas....e como é que fica se ele é o único NÃO CLARIVIDENTE NUMA SALA?
    Todos ali, exceto ele, estão vendo a sala física, mas estão também vendo os mesmos espíritos presentes ali. Só esse cara não vê.
    Poderíamos dizer que ele não está tão lúcido quanto os outros, porque ele está percebendo MENOS da realidade de CONSENSO daquele grupo.

    É por isso que um sujeito que desenvolve uma "superconsciência" é, na verdade, um cara superlúcido. Só que do ponto de vista deles, esses caras dirão que estamos dormindo, que vivemos dormindo, sem lucidez alguma, porque não percebemos tudo o que eles conseguem perceber.

    Portanto, para um ser "evoluído" de verdade, um "Mestre", digamos assim, as variáveis são outros, a análise leva em conta outros fatores, que ele percebe e nós não. E como vivemos nesse estado de "sono em vigília", ao nos projetarmos também nossa capacidade de perceber a REALIDADE sem distorções é bem limitada, e COMPLICADA pelo fato de o plano astral ser sujeito a ilusões mesmo, como já postei exemplos aqui:
    http://viagemastral.com/forum/index.php?/topic/16071-comprovação-da-projeção-astral/&do=findComment&comment=74048

    Então a primeira coisa, eu diria para buscar mais lucidez quando está projetado ou sonhando, e´buscar mais lucidez na vigília, o que é um estado que eu aprendi a chamar de "lembrança de si"
    http://advaita-nao-dualidade.blogspot.com.br/2010/04/lembranca-de-si.html
    http://advaita-nao-dualidade.blogspot.com.br/2010/04/compreensao-da-lembranca-de-si.html

    Mas me parece que um conceito próximo seria ao que deveria ser buscado com a técnica da "meditação caminhando".
    Então uma coisa é a lucidez simples, como discutimos aqui no gva. Ou seja, saber que está fora do corpo.
    Mas isso AINDA NÃO RESOLVE OS PROBLEMAS PROJETIVOS, é só o início, porque assim como acontece em vigília, podemos saber que estamos fora do corpo, mas ainda continuarmos prestando mais atenção nas nossas próprias ilusões, como as pessoas que atravessam a rua sem olhar para os lados.
    O único jeito que eu conheço de "treinar lucidez" é fazer isso em vigília, procurando manter-se num estado com menos de devaneios.
    http://www.gnose.org.br/buddhismo_gnostico/atencao_plena_e_auto-observacao_i

Share this post


Link to post
Share on other sites
  • Muito bom o texto Sandro. Digno capítulo de um livro. Abraços
     
  • Muito bom. Essa técnica da meditacao caminhando é muito boa mesmo. Uma vez apliquei ela, mas estava dirigindo numa estrada. Busquei estar atento e lúcido o máximo de tempo em que dirigia pela estrada. Observando ao máximo o que havia na beira da estrada, olhando as curvas bem à frente, estando muito atento aos carros ao meu redor....eu estava totalmente mergulhado no que estava fazendo naquele momento, que era dirigir pela estrada. Procurei nao pensar em nada mais. A viagem durou cerca de 2 horas.
    Naquela noite tive uma projecao com muita facilidade, acho que nem técnica eu fiz.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.