Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

No fórum antigo foi debatido por muito tempo sobre a maconha. Na minha opinião é valido qualquer ato dependo da meta que se deseja alcançar. Mas também tem gente que abusa, bebe pinga como se fosse água. O problema na minha opinião de drogas ilícitas ou não é a egregora que esta ressoa. Por exemplo o Waldo Viera vez uma experiência  com bebidas alcoólicas junto com seus colegas da projenciologia, ele conseguiu anular o efeito negativo das bebidas através do controle das energias. Agora inversamente pega alguém desequilibrado bebe um dedo de cerveja e fica louco e sai por ai arrumando confusão. Espiritualmente dizendo os efeitos de substancias físicas age principalmente do corpo pranico e astral. Principalmente nas funções animais. Por isso os problemas são graves relacionados a tais substancia que desequilibram as funções vitais dessas regiões.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

O problema é que a maioria dessas drogas são ilegais no país. Isso faz com que a maconha, por exemplo, vendida por terceiros no nosso território seja misturada com drogas misteriosas ( deve ser bem comum no famoso prensado). O suposto LSD que compra em qualquer esquina com preços que variam de  aproximadamente 20-60 reais provavelmente não são genuínos e puros também, visto que é dificil produzir um LSD de boa qualidade, ( não da pra fazer em qualquer laboratório  e com pouco investimento ) e perde seus efeitos com a presença de luz etc etc etc. 

Na minha concepção, não são drogas que devem ser usadas regularmente. Se quer fazer o experimento delas de uma maneira mais espiritual, faça exames no seu corpo ( inclusive do coração ) e saiba o que está consumindo. 

link deletado.

Abs Nando

Edited by sandrofabres
drogas ilícitas
Link to comment
Share on other sites

O problema mesmo é a falta de equilíbrio. Essas várias substâncias eram usadas por civilizações antigas, como você disse, em uma intenção de se conectar com a espiritualidade. Apesar de eu pensar que é um processo limitado, eu não vejo o problema do uso se você sente bem com isso, agora o desequilíbrio pode trazer uma leva de outros "dependentes desencarnados" ao você utiliza-los. Como disseram, faça exame no seu corpo, proucure saber se pode ocorrer problemas futuros e se tudo for "saudável" e lhe trouxer paz, é o que importa.

Já fiz uso da maconha aos 15 anos de idade e como experiência própria, não senti esse sentimento de expansão, era regado de "pânico" e um certo desequilíbrio, me sentia vazio, mas cada caso é diferente.

Abraços.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

9 horas atrás, Nando disse:

Ainda segundo cientistas, a razão pela qual não se pode afirmar que a glândula pinel é a responsável por produção de DMT no corpo humano, é que em muitas pessoas essa glândula se encontra calcificada, resultado do cloreto de flúor, que o governo insiste em colocar em nossa água, e a teoria de que essa glândula apenas produz uma grande quantidade de DMT em raras ocasiões na vida de uma pessoa, no nascimento e na morte.


Segundo o Dr Sérgio Filipe a glândula não se calcifica. 
 

  • É verdade que a pineal se calcifica com a meia-idade? E essa calcificação prejudica a mediunidade?
    R.:
    Não, a pineal não se calcifica; ela forma cristais de apatita, e isso independe da idade. Estes cristais têm a ver com o perfil da função da glândula. Uma criança pode ter estes cristais na pineal em grande quantidade enquanto um adulto pode não ter nada. Percebemos, pelas pesquisas, que quando um adulto tem muito destes cristais na pineal, ele tem mais facilidade de seqüestrar o campo eletromagnético. Quando a pessoa tem muito desses cristais e seqüestra esse campo magnético, esse campo chega num cristal e ele é repelido e rebatido pelos outros cristais, e este indivíduo então apresenta mais facilidade nofenômeno_da_incorporação. Ele incorpora o campo com as informações do universo mental de outrem. É possível visualizar estes cristais na tomografia. Observamos que quando o paciente tem muita facilidade de desdobramento, ele não apresenta estes cristais.

Entrevista da revista Espiritismo & Ciência com o psiquiatra e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo, dr. Sérgio Felipe de Oliveira. Diretor-clínico do Instituto Pineal Mind, e diretor presidente da AMESP (Associação Médico-Espírita de São Paulo), Sérgio Felipe de Oliveira é um dos maiores pesquisadores na área de Psicobiofísica da USP, e vem ganhando destaque nos meios de comunicação com suas pesquisas acerca do papel da glândula pineal em fenômenos ligados à mediunidade.



Assistir do 28 mint para frente. 

 

Link to comment
Share on other sites

1 hora atrás, Henrique15 disse:

O problema é que a maioria dessas drogas são ilegais no país. Isso faz com que a maconha, por exemplo, vendida por terceiros no nosso território seja misturada com drogas misteriosas ( deve ser bem comum no famoso prensado). O suposto LSD que compra em qualquer esquina com preços que variam de  aproximadamente 20-60 reais provavelmente não são genuínos e puros também, visto que é dificil produzir um LSD de boa qualidade, ( não da pra fazer em qualquer laboratório  e com pouco investimento ) e perde seus efeitos com a presença de luz etc etc etc. 

Na minha concepção, não são drogas que devem ser usadas regularmente. Se quer fazer o experimento delas de uma maneira mais espiritual, faça exames no seu corpo ( inclusive do coração ) e saiba o que está consumindo. 

DELETADO

Abs Nando

Já sabia da existência dos Nbo, usei um na minha primeira experiência com ácido, hoje em dia só uso LSD verdadeiro, sempre costumo fazer check ups gerais em todo meu corpo, e até agora parece estar tudo bem. a maconha infelizmente ainda não posso plantar, mas procuro sempre por prensados da melhor qualidade. Realmente é um problema, muitos traficantes acabam misturando outras substâncias junto do prensado, além de armazenarem de maneira incorreta. também vejo muita gente usando NBo's achando que é LSD, inclusive pessoas que vendem.

Edited by sandrofabres
DROGAS ILICITAS
Link to comment
Share on other sites

8 minutos atrás, alcidesjr disse:


Segundo o Dr Sérgio Felipe a glândula não se calcifica. 
 

  • É verdade que a pineal se calcifica com a meia-idade? E essa calcificação prejudica a mediunidade?
    R.:
    Não, a pineal não se calcifica; ela forma cristais de apatita, e isso independe da idade. Estes cristais têm a ver com o perfil da função da glândula. Uma criança pode ter estes cristais na pineal em grande quantidade enquanto um adulto pode não ter nada. Percebemos, pelas pesquisas, que quando um adulto tem muito destes cristais na pineal, ele tem mais facilidade de seqüestrar o campo eletromagnético. Quando a pessoa tem muito desses cristais e seqüestra esse campo magnético, esse campo chega num cristal e ele é repelido e rebatido pelos outros cristais, e este indivíduo então apresenta mais facilidade nofenômeno_da_incorporação. Ele incorpora o campo com as informações do universo mental de outrem. É possível visualizar estes cristais na tomografia. Observamos que quando o paciente tem muita facilidade de desdobramento, ele não apresenta estes cristais.

Entrevista da revista Espiritismo & Ciência com o psiquiatra e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo, dr. Sérgio Felipe de Oliveira. Diretor-clínico do Instituto Pineal Mind, e diretor presidente da AMESP (Associação Médico-Espírita de São Paulo), Sérgio Felipe de Oliveira é um dos maiores pesquisadores na área de Psicobiofísica da USP, e vem ganhando destaque nos meios de comunicação com suas pesquisas acerca do papel da glândula pineal em fenômenos ligados à mediunidade.



Assistir do 28 mint para frente. 

 

Interessante essa descobertas sobre cristais, mas vi que independente de calcificação ou formação de cristais, pessoas que não possuem tem mais facilidade com o desdobramento e consequentemente acredito que com a percepção espiritual.

Link to comment
Share on other sites

41 minutos atrás, CarvalhodePedro disse:

O problema mesmo é a falta de equilíbrio. Essas várias substâncias eram usadas por civilizações antigas, como você disse, em uma intenção de se conectar com a espiritualidade. Apesar de eu pensar que é um processo limitado, eu não vejo o problema do uso se você sente bem com isso, agora o desequilíbrio pode trazer uma leva de outros "dependentes desencarnados" ao você utiliza-los. Como disseram, faça exame no seu corpo, proucure saber se pode ocorrer problemas futuros e se tudo for "saudável" e lhe trouxer paz, é o que importa.

Já fiz uso da maconha aos 15 anos de idade e como experiência própria, não senti esse sentimento de expansão, era regado de "pânico" e um certo desequilíbrio, me sentia vazio, mas cada caso é diferente.

Abraços.

Como já disse, faço exames periódicos e por enquanto não tive problema algum com o uso de alucinógenos, e realmente é algo que me traz paz, sobre a sua experiência, realmente é algo que varia a cada caso, uma das coisas que todos deveriam saber sobre alucinógenos, é que eles só devem ser usados se vc estiver bem consigo mesmo. Muitos tem essa sensação de pânico pelo medo de serem descobertos fazendo algo que é considerado errado pela sociedade.

Link to comment
Share on other sites

O problema da maconha é a corja extrafísica que anda junto com quem fuma. Existem enteógenos que não possuem esse tipo de problema. Mas a dica é sempre treinar técnicas de relaxamento para produzir naturalmente os estados alterados de consciência. No mais, qualquer opinião de alguém aqui a favor da maconha pode ser considerada apologia e a verdade é que é uma droga ilícita. 

Link to comment
Share on other sites

http://viagemastral.com/forum2/discussion/comment/1452/#Comment_1452

 

Tópico fechado. NO link acima explico porque.

Esse assunto é recorrente sempre volta. Não é o objetivo do gva. Não vou deletar os posts porque foi uma conversa equilibrada, mas a gente nunca sabe, porque onde vem um maconheiro, logo vem mais e logo estão trocando endereço de fornecedores até pelo chat. E tem menores de idade aqui cadastrados, garotos de 12 anos.

 

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Trechos do livro Mãos de Luz- Barbara Ann Brennan:

Efeito das Drogas sobre a Aura

 

Drogas como o LSD, a maconha, a cocaína e o álcool prejudicam as cores brilhantes e saudáveis da aura e criam o “muco etérico”, exatamente como faz a doença.

A Figura E mostra o efeito da inalação de cocaína sobre a aura da pessoa. Todas as vezes que ela cheirava cocaína no sábado à noite, na sessão das tardes de terça-feira apresentava uma porção de muco etérico cinzento, pegajo­so, no lado direito do rosto e da cabeça, ao passo que o lado esquerdo continua­va relativamente claro. Perguntei-lhe se usava mais uma narina do que a outra; ela achava que não. Minhas repetidas confrontações — eu poderia dizer todas as vezes que ela o fazia - e uma descrição vívida do seu “muco etérico” ajudaram-na a sus­pender o hábito.

 

A Figura  F mostra a aura de um homem que fez muitas viagens de LSD e ingeriu muito álcool. A aura é de um marrom esverdeado sujo. A mancha verde suja, que se movia lentamente para baixo e não era liberada, correlacionava-se com os seus sentimentos mistos, não-diferenciados e contidos, de raiva, inveja e dor. Se ele tivesse sido capaz de separar os sentimentos, compreender-lhes a essência, expressá-los e liberá-los, tenho a certeza de que a mancha se teria separado, em matizes mais brilhantes e mais claros, das cores correspondentes - vermelho, ver­de e cinza — e, em seguida, se afastado. Em virtude, porém, da quantidade de con­taminação escura do campo, esse homem tem de levar a efeito uma limpeza enér­gica e profunda a fim de remover o muco etérico antes de poder elevar seu nível de energia a uma altura bastante para clarear e mover seus sentimentos.

Um Peso “Aparente” na Aura

A Figura G mostra um homem que também se entregara, durante anos, ao consumo de drogas, como o LSD e a maconha, com a resultante aura verde suja. O resíduo das experiências aparece no canto superior direito. A impressão de peso provém do fato de que ele sempre mantinha a cabeça num ângulo que parecia equilibrar a forma, a qual permanecia na mesma posição semana após se­mana. Quando lha mostrei, ele pôde vê-la. (Usou um espelho.) Para afastar a for­ma, teria também (além do que já foi mencionado) de renunciar às drogas e lim­par o seu campo. Além do trabalho com o corpo, recomendei-lhe jejum e uma dieta de limpeza. Ele poderia então aumentar a força do campo de energia e dis­sipar o resíduo acumulado.

(...)

 

As drogas exercem grande influencia na aura. Tenho visto formas escuras de energia no fígado, causadas por drogas ingeridas em várias moléstias anteriores.A hepatite deixa uma cor amarelo-laranja no fígado anos depois de estar a molés­tia supostamente curada. Tenho visto o corante radiopaco, que se emprega no exa­me da espinha, injetado na coluna para diagnosticar ferimentos dez anos após a injeção, embora se suponha que ele tenha sido removido pelo corpo um ou dois meses depois. A quimioterapia atravanca todo o campo áurico, especialmente o fígado, com energia semelhante ao muco e coloração castanho-esverdeada. A te­rapêutica de radiação desgasta as camadas estruturadas do campo áurico como se fosse uma meia queimada de náilon. A cirurgia deixa cicatrizes na primeira ca­mada do campo e, às vezes, em todo o percurso até a sétima camada.

(...)

Os médicos deste país concentraram-se principalmente no corpo físico e tor­naram-se expertos nesse campo, sobretudo em moléstias específicas de órgãos e sistemas de órgãos. Os principais métodos aplicados são as ..drogas e a cirurgia. Um dos maiores problemas provocados pelo uso das drogas e da cirurgia são os tremen­dos efeitos colaterais que eles criam muito amiúde. As drogas são prescritas a par­tir do conhecimento do funcionamento do corpo físico, mas elas também contêm energias nas esferas superiores que, naturalmente, afetam os corpos, superiores. Os efeitos dessas drogas sobre os corpos superiores não têm sido estudados direta­mente quando se testam as drogas para serem usadas. Ao contrário, só se perce­bem os efeitos das energias mais elevadas quando elas são finalmente lançadas no corpo físico. Tenho visto o pós-efeito das drogas persistir na aura durante perío­dos de até dez anos após a sua ingestão. Uma droga, por exemplo, usada antiga­mente para curar hepatite, passou a causar, cinco anos mais tarde, deficiências imunológicas. Um corante vermelho, colocado na coluna espinhal com finalidades exploratórias, passou a inibir a cura de nervos espinhais dez anos depois.

(...)

No transcorrer do último mês que trabalhei com David, principiei a ver uma configuração, dentro do seu campo, que nunca vira antes. Dava a impressão de haver sido desvelada pelo trabalho que tínhamos feito. Dir-se-ia um casulo rodean­do a espinha. É difícil para mim dizer em que nível do campo se encontrava. Mas tudo fazia crer que aquele casulo encerrava muita energia adormecida à espera de ser aproveitada. Eu não disse nada a David a esse respeito, mas pus-me a obser­vá-lo em silêncio enquanto diligenciava clarear o sexto chakra. Todo o resto da aura estava claro e brilhante.

David se apresentou para a derradeira sessão parecendo muito diferente.. Sua aura estava duas vezes mais brilhante e muito maior que de costume. Abri­ra-se o casulo. Perguntei-lhe o que lhe acontecera. Ele respondeu que tomara uma droga popularmente denominada êxtase, ou MDMA, droga sintética da classe da feniletilamina, síntese de metamfetamina e do safrole, durante o fim de semana. Depois de uma inspeção mais aturada, vi que o MDMA lhe abrira o lado esquerdo da glândula pineal. O muco proveniente do terceiro olho, ali colocado parcialmen­te por ele haver bebido e tomado LSD fora removido do lado direito. Havia ain­da trabalho para se fazer, mas a mudança global registrada no campo de David era assombrosa.

Visto que os meus reparos haviam mostrado sempre que as drogas psicotrópicas exercem um efeito negativo sobre a aura, interroguei Heyoan nesse sentido. Disse ele: “Isso depende de quem a toma e da configuração do seu campo no mo­mento de tomá-la. Como o sexto chakra de David estava bloqueado, e já lhe che­gara o momento de trabalhar por abri-lo, a droga exerceu um efeito forte. Mas se a pessoa precisasse concentrar-se num chakra diferente, é muito provável que o efeito tivesse sido negativo.”

1L5TX2.jpg

Barbara Ann Brennan - Mãos de Luz.pdf

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

×
×
  • Create New...