• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
jpmendes

Umbanda e Estado Vibracional

Recommended Posts

Vou tentar resumir ao máximo. Eu frequentava um centro umbandista, me fazia muito bem energeticamente, sentia minhas energias, o passe magnético bem na base da coluna, onde hoje descobri ser o chakra meng mein, além de fazer bem gostava muito do ambiente.


Lá no centro, confirmando algumas sensações, fui informado que era médium e convidado participar das reuniões de estudo, onde os médiuns se sentavam numa mesa. E os convidados da assistência, pessoas que receberiam assistência mediunica, após este estudo, (que consistia em discussões e leitura do evangelho segundo o espiritismo e outros textos de maioria kardecistas), ficavam aguardando ouvindo e absorvendo o que era dito na reunião. 
Num determinado momento fui convidado a me sentar na mesa onde estavam sendo realizadas as discussões. Ao me aproximar da mesa comecei a sentir alguns tremores que se tornaram espasmos incontroláveis juntamente de um suor que chegava a escorrer pelo rosto. 
Cheguei a conclusão que a energia no lugar devia estar forte, tentei me controlar sem sucesso, até quando recebi um passe através da imposição de mãos e senti a energia diminuindo e a tremura passando.

Essa reunião de estudos era dada na segunda-feira, e a reunião umbandista com toques e pontos de atabaque na sexta. Depois desta segunda feira comecei a sentir os mesmos tremores aleatoriamente durante a reunião de sexta, me disseram que deveria, se quisesse, desenvolver esta mediunidade.

Em resumo essas visitas frequentes ao centro que me faziam bem, estavam começando a me incomodar por culpa dos tremores e espasmos. Então indaguei aos senhores do centro o motivo da tremedeira, juntando o que me foi dito, o que pesquisei e o que senti cheguei na conclusão que era um espirito que queria ocupar meu corpo, não gostaria de "abrir a porta da minha casa para alguém que esta chegando sem bater, ou batendo forte de mais em minha porta" se é que me entendem. Então parei de frequentar este centro e comecei a procurar outros. Todos os que visitei, tive a mesma sensação de tremedeira involuntária e suor.

Bem como nosso assunto aqui é projeção precisei resenhar um pouco a questão anterior para chegar ao que nos interessa aqui. Sou novo no fórum e já venho pesquisando sobre vigem astral a algum tempo, quando comecei a praticar tive a mesma sensação desconfortável de tremedeira e espasmos involuntários depois de estar devidamente relaxado, com os chakras limpos e alinhados.
Isso de fato é o estado vibracional? Resolvi parar de praticar até construir essas certezas.

Sinceramente não encontrei muita literatura clara sobre o assunto, pode ser que tenha procurado nos lugares errados, mesmo assim espero que possam me ajudar.


Agradeço!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nao.Estado vibraciobal nao pode ser chamado de tremedeira porque a frequencia da vibraçao e tao alta, que só pode chamá-lo de " vibraçao", 

Um exemplo que sempre uso e o do choque de chuveiro. Muita gente ja sentiu um choquezinho medio, ao tocar na torneira do chuveiro, quando ele esta mal instalado. Mas quando voce retira a mao, nao sabe bem como é. Se voce ficar segurando a torneira vai notar que o choque é sua mao toda vibrando por dentro. Nao da para dizer que sua mao está "tremendo". O EV epraticamnete identico, porem, e no corpo todo.

 

Outra sensaçao parecida seria a se segurar uma furadeira quando ela começa a sofrer para atravessar algo mais resistente

 Aquela vibraçao que voce sente nas maos, no EV sentiria no corpo todo. 

E nai ha repercussao fisica, nao gera calor, suador, apenas gera relaxamento. 

Entao parece que seu caso e o que falaram mesmo, e o EV força o desacoplamento da entidade, ou seja, se ela estiver tentando incorporar em voce, voce forçaria ela a se afastar, ao fazer a simples movimentaçao para gerar o EV.

Portanto, ate essa sensaçao que esta sentindo, de teemediera, pode ser eliminada se voce treinar a OLVE.

Experimente fazer quando essa sensaçao de tremedeira aparecer.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hummmm, interessante isso.

Minha ex "recebe santo" e ela tbm fica nessa tremedeira antes das entidades incorporar nela. A diferença que quando ela sente que eles querem vir (ela incorpora mais de 1 entidade) ela fica totalmente passiva. Ela diz que conhece a energia deles, então não se preocupa. Mas qtbm quando ela não quer incorporar, ela consegue " se prender" (não sei como).

Como o Sandro falou, pra vc seria interessante fazer m.b.e e tentar chegar ao e.v. Quem sabe daqui a um tempo você consiga ter uma projeção na qual tu conheça essa entidade que quer te incorporar. Acho melhor tentar e se rolar, descobrir, do que ficar dependendo de terceiros pra saber quem é.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá @jpmendes, vou dar um pitaco aqui....;-)

Estado vibracional (EV) é bem diferente da vibração que vc sente antes de incorporar...no EV eu sinto exatamente como Sandro relatou acima e não arrisco  opinar muito, pq a projeção astral ainda é um assunto novo em minha vida, apesar de ter sintomas desde criança.

A vibração de incorporação é mais turbulenta digamos assim, é claro que varia de médium para médium, uns tem vários piripaques e não incorporam, outros caem e não se levantam (já vi muito disso) e outros tem uma facilidade incrível...agora, sabe lá que tipo de entidade está tentando se aproximar de vc, pq na Umbanda , assim como Kardec, podem vir espíritos em busca de ajuda..e normalmente a coisa é bem turbulenta.

Eu já senti enjoos terríveis, pensei que teria que sair correndo pro banheiro...e logo que passou aquela fase, a coisa se estabilizou.

Quem sabe não seria interessante vc buscar entender melhor o que acontece, de maneira leve...equilibrada... percebi que vc não se sente muito a vontade com a idéia de incorporar seja lá o que for, mas...penso eu,  que se você é médium de incorporação, existe uma grande probabilidade dos tremores continuarem, até que vc encontre uma maneira de lidar com isso....;-)

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 minutos atrás, MichelleA disse:

Mas qtbm quando ela não quer incorporar, ela consegue " se prender" (não sei como).

Médium competente controla tudo. Meu colegas no grupo, quando precisavam incorporar uma entidade que não queira ser incorporada, para evitar que o médium tivesse acesso ao que ele sabia,  saiam  pegavam a entidade à força, entravam de volta no corpo abraçados com ela, e aí ela só saia quando eles permitiam. Médium não precisa ser ser "boneco de ventríloquo" das entidades.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites


Tudo bem então, estamos falando aqui sobre uma vibração em alta frequência e ainda uma vibração natural. 
Podemos ter ciência que a nossa fala ou a corda de um instrumento musical são vibrações naturais da mesma forma que o choque de uma placa tectônica em outra, são exemplos naturais que tem conclusões bem diferentes. Agora pelo que entendi o efeito que mais se aproxima do Estado Vibracional seria o exemplo da vibração artificial de uma furadeira em modo "martelete", ou um rompedor.
Pesquisando a pouco vi aqui no fórum um livro da Nancy Trivellato (Estado Vibracional), onde ela se refere ao EV como tendo vários níveis, e formas diferentes de senti-lo, não li o livro, não achei versão em pdf, e estou num momento financeiramente crítico para compra-lo, mas pelo vídeo de introdução me parece bem esclarecedor.

Agora já vi o Saulo falando que podemos sentir a temperatura aumentar e sentir calor quando estamos realizando práticas energéticas, que vi também não serem tããão importantes assim para sair do corpo, mas nunca vi nada sobre suar. 

Esse desacoplamento de entidade que o EV gera, é o desacoplamento áurico? Ou seja a saída do corpo? Sei que que quando saio não deixo espaço pra ninguém entrar. 
Estando com os chackras limpos e relaxado é caminho livre pra incorporação com minha autorização. mas realizando a movimentação do EV afasto a entidade? Como assim? Vou buscar informações sobre esse OLVE e m.b.e,

Não conheço muito sobre energias especificas de entidades, só as sinto, e realmente comecei a buscar a projeção a sério para que possa conhecer meus guias, entidades, mentores ou amparadores sem levar em consideração a informação que recebo de terceiros em um centro espirita, sem querer ser egoico, mas estamos falando do meu corpo, meu templo. O problema esta justamente aí, como buscar maneira leve e equilibrada se toda vez que faço técnicas projetivas me chega esta energia? Já me disseram pra simplesmente deixar rolar, mas é como disse o colega @Igomes desconfortável e sinceramente tenho medo dessa ideia de dividir meu corpo com outro espírito por mais alto que sejam seus padrões energéticos. 

Agradeço!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A naci tem vários vídeos sobre estado vibracional, o mais retalhado é o vídeo do cruso, em 4 partes de 2h cada, se não em engano. A parte 1 botei neste topico, as outras partes você vê no youtube:

 

Também nesse link acima eu botei o link do meu googledocs, onde escaneei ALGUMAS páginas do livro dela, que já vi em oftera por 48, mas o preço normal é 64 se não me engano.

 

Sobre suas perguntas:

O Ev desacopla até VOC~E MESMO DO SEU CORPO, por isos é usado como técncia proejetiva, eheh.

Eu ja experimentei isso, acelerei o EV e comcecei a fluturar, então me fixei nas mãos e pés e acelerei o máximo que podia, e meu corpo astral virou um arco, preso apenas pelas mãos e pés, porque se voce acelera bem o EV ele vai te arrancar, literalmente, para fora. Tem que fazer muita força para ficar agarrado no corpo, praticamente o triplo da força que você precisa para ficar com seu corpo físico pendurado numa barra. Então não é de admirar que ele consiga desalojar entidades que estão meramente acopladas em você. A OLVE é a ´tecnica para acionar o EV. A OLVE é movimentação de energia, ela or is só vai desacolpar. O EV é um ESTADO que voc~e pode ou não atingir, fazendo a OLVE. Mas a metá é atingir o EV.

Você pratica a OLVE (Outros nomes: "circulação fechada de energias". "técnica do estado vibracional")  várias vezes por dia, o que ajuda a limpar seu sistema e a desacoplar. Eventualmente você poderá atingir um EV de vez em quando, quando conseguir  mover quantidade de energia suficiente, e na velocidade adequada, mas é por tentativa e erro que você faz isso, e TEMPO de treino.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu concordo com vcs. Se eu tbm sentisse isso iria querer saber quem está querendo se aproximar. No caso da minha ex, na minha opnião, ela virou um fantoche mesmo. Uma vez indaguei ela o que ela sentia, se não conseguia controlar, já que mts médiuns conseguem, daí ela disse que não, que é algo muito forte/intenso e que não acredita muito em alg que consegue controlar... :S

Dps disso nem perguntei mais nada e deixei pra lá. Tbm ela já recebe essa galera há tantos anos que se ela quissesse controlar, acho que eles nem permitiriam, já que a turminha tem muita influência sobre ela.

Mas fazer m.b.e, independente das repercuções, é algo que vc deveria tentar. E tbm tentar se sensibilizar mais (meditação é uma boa), pra tentar perceber a energia desse carinha aí. Uma coisa que atualmente acontece cmg quando mhs energias não estão mt bem e começar a sonhar que estou brigando ou discutindo com alguém, acordar várias vzs durante a noite (perdendo o sono as vzs) e me sentir sem ânimo (meio cansada), daí já sei que tem alg me "enchendo o saco". Então começo a forçar e.v durante o dia e na hr de dormir e acaba essa "palhaçada", rs.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 minutos atrás, sandrofabres disse:

Médium competente controla tudo. Meu colegas no grupo, quando precisavam incorporar uma entidade que não queira ser incorporada, para evitar que o médium tivesse acesso ao que ele sabia,  saiam  pegavam a entidade à força, entravam de volta no corpo abraçados com ela, e aí ela só saia quando eles permitiam. Médium não precisa ser ser "boneco de ventríloquo" das entidades.

Ah @sandrofabres, eu não ia te cutucar...mas eu não me aguento...eheheheh

Olhe, eu acho "competente" uma qualidade indispensável para quem se propõe a fazer trabalho mediúnico, (qualquer trabalho na verdade) mas ...as vezes, prefiro usar a palavra experiente...dedicado...pq todo mundo se lasca, quando se dispõe a fazer algo novo e só a prática vai te trazer controle e bons resultados, não é mesmo?

E médium novo se lasca muito...eheheheh pq não tem controle, trepida mais que carroça velha em estrada esburacada...ahahah

21 minutos atrás, jpmendes disse:

Estando com os chackras limpos e relaxado é caminho livre pra incorporação com minha autorização. mas realizando a movimentação do EV afasto a entidade? Como assim? Vou buscar informações sobre esse OLVE e m.b.e,

Não conheço muito sobre energias especificas de entidades, só as sinto, e realmente comecei a buscar a projeção a sério para que possa conhecer meus guias, entidades, mentores ou amparadores sem levar em consideração a informação que recebo de terceiros em um centro espirita, sem querer ser egoico, mas estamos falando do meu corpo, meu templo. O problema esta justamente aí, como buscar maneira leve e equilibrada se toda vez que faço técnicas projetivas me chega esta energia? Já me disseram pra simplesmente deixar rolar, mas é como disse o colega @Igomes desconfortável e sinceramente tenho medo dessa ideia de dividir meu corpo com outro espírito por mais alto que sejam seus padrões energéticos. 

Agradeço!

Pelo que tenho estudado e algumas situações que vivenciei, o trabalho energético (mbe) e chackras limpos facilita sim a incorporação...pq aumenta a sua sensibilidade energética e a sua percepção. Pelo que o próprio Wagner Borges diz, o EV é uma maneira extremamente eficaz de te proteger e afastar consciências que pretendem se aproximar de maneira maliciosa, seja projetado ou não...por isso fazer a mbe durante a sessão espírita não te permitiria "incorporar".

Quanto às energias específicas das entidades...só o tempo vai te permitir identificar, tem entidades que eu sinto outras não...algumas vem leve, outras não...só vou citar um exemplo rapidinho de como acontece comigo: Preto Velho, sinto pressão muito forte bem na base da coluna e as mãos tremem bastante, pq é sabido que eles incorporam de maneira inclinada, pq são velhinhos...tem entidade que eu simplesmente não incorporo...não sou do tipo que fica estrebuchando no chão...ahahah, mas vai que um dia acontece...quem tá na chuva, pode se molhar.

Estude, pesquise, eu reforço minha opinião acima...se vc for médium (pelo jeito é) essas coisas vão continuar acontecendo e vc precisa aprender a lidar com isso, gostando ou não..pense num clarividente, vai que estudar e ralar pra trabalhar com isso da melhor maneira possível...não é mesmo? se projetar para tentar identificar seus guias é uma ideia ótima, mas eu ficaria bem desconfiadas se seriam eles mesmos ou não...o medo faz parte de qualquer processo de aprendizagem. ;-)

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito bom o vídeo sobre m.b.e, vou ver se coloco em prática no dia a dia durante alguns tempo, depois volto a fazer práticas de projeção que venho fazendo diariamente a quase dois anos, realizei mudanças interiores e exteriores que todos sabemos ser necessárias ( "ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo") e só agora cheguei neste estágio, sei que venho saído e quando saio, não me recordo da saída e tenho semi-consciência quase todas as vezes que me lembro, mas ainda não tinha sentido "efeitos físicos" durante a realização das técnicas como senti nas últimas vezes e relatei aqui.
Dei uma parada e não sinto medo dos espíritos cavernosos ou inteligentes, sinto medo de ter alguém "querendo abrir a porta da minha casa e entrar sem ser convidado"  por isso parei de frequentar o centro. Vou seguir praticando este m.b.e vejo se a situação energética melhora e volto a realizar as práticas. 
Não sei se de fato é um carinha ai que quer se aproximar hahaha mas a sensibilidade energética é grande em vários momentos do dia, mas vou seguir este conselho de vocês. De fato sinto a energia muito forte na base da coluna, um médium do centro disse que era um caboclo maior do que eu, tentei imaginar a situação, tenho 1,90m porém sou franzino, imaginar um indiozão com mais de 1,90 todo parrudão querendo entrar no meu corpo me desagrada bastante haha

E se de fato for uma entidade com propósitos elevados, vai achar o caminho pra entrar em comunhão de uma forma que seja menos desconfortável e sutilmente poderia se apresentar, sei que é raro amparador se dar ao luxo de aparecer, mas não estamos falando de aparecer estamos falando de incorporar!
Espero poder encontrar esse equilíbrio. 

Agradeço

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, lgomes disse:

Ah @sandrofabres, eu não ia te cutucar...mas eu não me aguento...eheheheh

Eheheheh, as você detectou certo a questão. Na hora que escrevi aquela palavra tropecei, mas estava na correria, e pensei "ah vai essa mesmo", ninguém vai ligar...

Mas...

Eu não quis dizer experiente, porque pensamos nisso em termos de uma só vida, e eles tinham 14 anos de prática nessa época, algo que para esse grau de controle talvez fosse muito pouco né? Provavelmente é coisa de várias vidas trabalhando com isso, o que também sugere que não seria "mediunidade de prova", mas uma opção consciente deles em trabalhar nisso, e aí já temos uma combinação que pode fazer muita diferença na hora de comparar mediunidades de pessoas diferentes.

Mas o que eu quis dizer é que a pessoa não deve se conformar com  um estado passivo, achando que "mediunidade é assim mesmo". Não é um estado saudável entregar o  controle irrestrito do seu "espaço natural" a quem quer que seja.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim...sim, Sandro vc tem razão! O ideal seria que todos que trabalham com espiritualidade pudessem, além de sentir, ver as entidades com as quais está trabalhando...para não cair em furadas...concordo que as vezes dá uma sensação de trabalhar meio às cegas, eu acho que no íntimo todos fazemos esse questionamento.

Eu pelo menos, sou muito observadora, busco perceber a maneira como essas entidades se portam quando incorporadas, o que pedem, o que dizem, (se tem ou não nexo) o trabalho que realizam e tento desta maneira identificar a que vieram...se é bom, se é sério...não que eu seja uma exímia conhecedora, mas os detalhes sempre me chamam a atenção. Eu lá no terreiro, sou cambone de 06 entidades (em dias intercalados) e tenho que fazer até relatório do que rola...eheheh

Faço aqui um analogia com mentores...eles não aparecem...se aparecem, nós não conseguimos vê-los por questões de sintonia/energia e sabe lá mais o que, e a única maneira de vc identificar se são bons ou não, é tentar sentir, observar, (tá, jogar uma energiazinha pra ver se a casa cai...rsrsr), não é ser passivo, mas de dar um crédito para essas entidades...eu penso que a verdade sempre aparece mais cedo ou mais tarde.

Mas vc está certíssimo, ninguém deve dar controle irrestrito à quem quer se seja...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, ao irrestrito apenas que eu me refiro.

Um colega meu que é médium de umbanda me contou que o 'espíriot chefe", "líder" sei lá.. avisou a chefe do tereiro deles de uma irregularidade que tinha ocrrido. A chefe da  casa convocou uma reuniao com os médiuns e chamou a médium que foi dedurada, eheehh. O que aconteceu foi que uma pessao que veio para consulta veio pedir um "trabalho", daqueles de 'trago seu homem em 7 dias", e o cara era casado! A entidade topou fazer!

E foi isso que a médium alegou:

- ah foi a entidade que aceitou fazer!

 

Acabou expulsa do grupo, porque eles disseram para ela exatamente isso, que ali naquela casa todo mundo era medium CONSCIENTE, não tinha essa de "a entidade decidiu", o médium é considerado  o único responsável por qualquer ato feito e detectando algo assim, tem que bloquear a ação da entidade. Pelo menos ali no grupo deles isso era cobrado de todos, suponho que seja norma  em grupos sérios.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tópico muito interessante. Pessoal já falou bastante, e eu pouco entendo de incorporação. Mas o que gostaria de deixar de dica é: Foque mais nas práticas energéticas de autodefesa do que nas de projeção. Principalmente no trabalho energético para alcançar o EV. Você já testou mobilizar e instalar o EV bem na hora que sente essa turbulência? Um colega meu do IIPC costuma dizer que já passou da fase de receber essas consciex no corpo, que agora raramente deixa alguém entrar, é ele que manda, até por que a grande maioria está num nível muito semelhante ao nosso ou pior, o que nos faz imaginar quanta gente egoísta e egocêntrica querendo apenas resolver os problemas dela e acelerar a própria evolução usando o corpo alheio. Enfim, se não for por motivos bem profundos e verdadeiros, incorporar mesmo não compensa. Entendo que o ideal é você ter um parapsiquismo avançado (treino, treino, treino) para poder saber quando alguma consciex está rondando e pedindo alguma coisa. SE FOR O CASO, você dá passividade para ela falar ou agir através de você, porém sem a possessão completa. Na conscienciologia eles chamam de "Semi-possessão benigna".

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 29/01/2016 at 12:00, jpmendes disse:

De fato sinto a energia muito forte na base da coluna, um médium do centro disse que era um caboclo maior do que eu, tentei imaginar a situação, tenho 1,90m porém sou franzino, imaginar um indiozão com mais de 1,90 todo parrudão querendo entrar no meu corpo me desagrada bastante haha

Caro amigo, permita-me apenas uma pequena correção. Na incorporação, o espirito (ou consciex, se preferir o termo) não entra de fato no seu corpo. O que ocorre é um acoplamento através de certos chacras, mesmo porque, nenhum espirito a não ser o seu pode ocupar o seu corpo. Dizer que na incorporação o espírito entrou no corpo do médium é figurativo. O que ocorre de fato é o espírito ficar ao lado do corpo do médium e ele pecisa passar suas energias através da sua mente para utilizar o seu corpo, ou seja, com treino, o médium consegue "filtrar" o que o espírito incorporado transmite através de seu corpo, não permitindo coisas que não concorde pois toda a comunicação passa por sua mente.

Com tempo e treino, você passa a "entender" e conhecer a energia peculiar a um espírito guia (ou mentor) que lhe acompanha e é possível sentir certas coisas por meio de intuição por ter adquirido um certo nível de afinidade e então o processo de incorporação já não é mais tão incômodo.

Na verdade, o melhor conselho que te dou a este respeito é que procure manter um nível de lucidez alto sintonizando com bons pensamentos e isto lhe ajudará a equilibrar e afinar o fenômeno e, simplesmente, impedir a comunicação de espíritos menos evoluidos. Agora... supondo que você tenha mediunidade de prova, será muito difícil que você continue impedindo o processo e ainda assim mantenha sua saúde e equilíbrio. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 29/01/2016 at 02:08, jpmendes disse:

"abrir a porta da minha casa para alguém que esta chegando sem bater, ou batendo forte de mais em minha porta" 

A este respeito, gostaria ainda de propor uma reflexão:

Será mesmo que estão "chegando sem bater" ou "batendo forte demais" em sua porta ou é a sua porta que pelo desuso ou por ser muito nova ainda está meio que "pegando" um pouco no batente e com as dobradiças meio duras faltando aquele pequeno ajustesinho e um pouco de óleo para lubrificar as dobradiças? 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro @Iogui estava usando o sentido figurado sobre o espirito realmente entrar no corpo e fazendo uma piada hahaha 

Nesse sentido em que disse, sobre o tempo e o treino, qual tipo de preparação para essa situação? E qual a melhor forma para "deixar a porta nova devidamente ajustada" ou a "porta antiga devidamente reformada"? Como conhecer a energia, criar essa sintonia e deixar de ter o processo como incomodo? Sem falar em "manter um nível de lucidez alto sintonizando com bons pensamentos", por que isso é algo que procuramos fazer todos os dias e todos os momentos. 
No caso não estamos mais falando de projeção ou E.V e sim de incorporação!

Realmente é difícil manter a saúde e o equilíbrio bloqueando essa situação, tanto que abandonei os centros espiritas.
Comecei a estudar sobre projeção, levar a sério o assunto, pesquisar, treinar e dedicar e acaba que esses mesmos incômodos chegam até mim mais uma vez.

Venho treinado o m.b.e, ainda não fiz técnicas projetivas ou relaxamento para ver se a tremedeira passou..

Agradeço!

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Citar

Nesse sentido em que disse, sobre o tempo e o treino, qual tipo de preparação para essa situação?

Normalmente, aquele mesmo que você está evitando. Frequentar algum local que lhe permita "treinar" esta mediunidade.

Citar

E qual a melhor forma para "deixar a porta nova devidamente ajustada" ou a "porta antiga devidamente reformada"?

Apenas o treino. A mediunidade é uma faculdade como outra qualquer. É como uma extensão do seu corpo.

Imagine uma pessoa que está começando agora numa academia de musculação. Provavelmente esta pessoa vai ficar com o corpo meio dolorido durante uma ou duas semanas até se acostumar. E é normal, mesmo após algum tempo de prática,  sentir um pouco mais dolorido depois de um treino um pouco mais intenso.

Este "desconforto" que você sente é normal em quem está começando a trabalhar sua mediunidade. Não significa que vai ser sempre assim.

Citar

Como conhecer a energia, criar essa sintonia e deixar de ter o processo como incomodo?

Treino. É como levantar peso, no começo você ainda não sabe quanto peso aguenta direito, quantas manilhas colocar, se com aquele peso vai conseguir concluir a sequência. Mas depois você vai pegando o jeito e os macetes de como não extressar demais os músculos durante o treino.

Estudar é bom também pra você ir conhecendo as técnicas e saber relacionar o que lhe acontece com cada tipo de fenômeno. 

Citar

No caso não estamos mais falando de projeção ou E.V e sim de incorporação!

Exatamente. Não é disto que trata o seu post? Da sua dificuldade em relação aos fenômenos mediúnicos que enfrenta?

Claro, eu percebo o paralelo que você traça entre E.V. e as sensações energéticas que você tem lidando com sua mediunidade mas uma coisa é uma coisa e a outra é a outra. Embora sendo coisas distintas estão relacionadas no sentido de que são dois tipos de movimentação energética. No caso do E.V. é uma movimentação energética normalmente impulsionada por sua vontade lidando basicamente no meio energético em que você já está inserido, no caso do trabalho mediúnico, você tem sensações energéticas relacionadas mais com "intercâmbio" onde parte das energias estão sendo movimentas por outra consiência que não a sua. O desconforto mediúnico some a partir do momento em que você consegue estabelecer maior "sintonia" com o espírito comunicante e ele com você e é, portanto um trabalho em conjunto. Os dois tem que estar com relativo controle das energias para que o processo flua melhor. E é neste sentido que digo ser essencial manter bom nível de lucidez e se sintonizar com bons pensamentos pois isso vai permitir que você esteja aumentando a sintonia e afinização com espíritos que lidam com energias mais sutis facilitando o processo mediúnico de qualidade.

Citar

Realmente é difícil manter a saúde e o equilíbrio bloqueando essa situação, tanto que abandonei os centros espiritas.

Você pode deixar de frequentar os centros espíritas mas, supondo que possua mesmo essa abertura mediúnica maior, não pode abandonar a sua mediunidade pois ela é  como um órgão seu. É parte do que você é.

Agora... supondo que exista uma passagem, uma porta. Se ninguém a controla vigia ou protege , qualquer um pode passar por ela, mesmo aquele que não é convidado. Portanto é bom pensar a respeito.

Eu frequentei a Umbanda e o Candomblé por 20 anos. Trabalhei com incorporação durante este tempo e lá treinei e aprendi a ter controle. Já  não frequento mais lugar algum mas sei que médium eu não vou deixar de ser apenas por não frequentar mais um lugar em específico e vou ter que lidar com isso por toda a vida. Mas eu tive que passar por isso para aprender e saber o que hoje sei a respeito de como lidar com minha mediunidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ultimamente tenho esse estado vibratório essa vibração começou á aumentar depois que tentava conquistar uma garota na escola ,1ano depois quando ficamos longe minha vibração começou á diminuir depois que começei a vela novamente minha vibração voltou muito melhor é hj em dia sei que essa garota pode ser meu amor perfeito pois sinto algo nela que em outras meninas não sinti mas hoje em dia tenho dificuldade em conhecer o amor perfeito o mais chato de tudo é que sou tímido com meninas e não consigo falar com nenhumas delas :( qual seria sua opinião sobre isso!???? Devo ir atrás do meu amor !???

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, SteveGAMERJGP disse:

qual seria sua opinião sobre isso!???? Devo ir atrás do meu amor !???

Uma coisa é uma coisa e outra coisa é a outra coisa.

Isso que você sente não deve ter relação nem com E.V, nem com mediunidade. Ou seja, não tem relação com o que se está sendo dito nesse tópico.

De qualquer forma, mesmo sendo assuntos diferentes, minha opinião é que, se você gosta da garota, deve ir falar com ela. Vai que dá certo?

O não é garantido pois esse você já tem e vai continuar assim se você não falar com ela. Agora... Se você falar com ela, pode ser que receba um sim, né?... Você só vai saber se tentar, portanto, crie coragem e tente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.