• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

Há poucos dias, na madrugada do dia 18/02/2016, tive uma projeção astral com uma técnica Indireta, a de imaginar uma energia translúcida a entrar no meu chacra frontal, entre as sobrancelhas. Uma técnica quase similar à recomendada pelo Sandro Fabres no seu ebook. 

Quando fiz isso em estado de hipnagogia, aumentou o ruído intracraniano e logo comecei a ver o plano astral. Levantei o tronco, observei as minhas mãos por 4 segundos e depois levantei-me da cama. Ao fazer isso, lembrei-me de voltar para trás e ver o meu corpo físico deitado e assim o fiz. Vi-me deitado, toquei-me no braço, no nariz e no cabelo. Foi a experiência mais extraordinária e impactante que tive em toda minha vida. Pois, a Auto-Bilocação Consciencial, experiência incrível recomendada pelo Saulo no curso de viagem astral. 

Depois disso, tentei sair do quarto e encontrei uma Consciência logo na porta, um jovem. Logo puxei conversa. Não sei mas, quero sempre saber tudo sobre quem encontro na minha casa e isso custa-me a projeção. Reparo que quando projeto-me, tenho tendência em perder-me em conversas com Consciências, acabo por não fazer o que eu tinha agendado para fazer quando projetado, e a experiência fica perdida. Tenho como primeiro objetivo sair de casa e andar pelas ruas mas perco-me em diálogos e nem saio de casa.

Fi-lo muitas perguntas e ele disse-me na cara dura que queria prejudicar-me, porque no passado havia uma mulher entre nós. Ali logo percebi que talvez "ele" fosse uma Consciência feminina que eu tinha encontrado numa ocasião dentro de casa, e que pareceu-me ser muito ligada a mim no passado. 

Daquela vez, aquela Consciência feminina recriminou-me por no passado eu não a tratar como eu tratara com amor e carinho uma outra mulher. Além disso, senti energias similares nas duas Consciências. Desta vez, porventura ela plasmou uma aparência masculina.

Ficámos parados a conversar e instantes depois, o corpo físico me puxou e logo acordei. 

 

Eis as questões:

  1. Como livrar-se de Consciências obsessoras? Sei que não se sentem bem perto de pessoas com boas vibrações. Mas se a ligação for forte? 
  2. Como mentalizar tarefas de modo a não esquecer, e lembrar de fazer tudo quando estamos no astral? 

Cumprimentos a todos! 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

2- Isso é dureza mesmo. Tem que ficar bem focado antes de deitar, repetir mentalmente, várias vezes o que você quer fazer, e quando sente que vai se desgrudar, já tentar ir lembrando do que você planejou, antes ainda de descolar, para poder ir descolando do corpo com essa idéia fixa na mente durante todo o processo de separação, ou o simples ato de deixar o corpo as vezes já te faz esquercer o plano.

Se você nunca se projetou, ainda tem uma folguinha para estabelecer tarefas. Mas se já passou um tempo fazendo algo nas suas projeções, por exemplo, no meu caso, que levantou a atravesso a parece mais próxima para ir para a rua, é incrivelmente difícil quebrar esse hábito. Quando resolvi botar uma carta no topo de uma estante, para após deixar o corpo, ir lá em cima e olhar a carta....demorei meses para lembrar disso, porque o hábito de levantar e já atravessar a parede para ir para a rua estava muito arraigado. E de fato, se você parar para conversar nesses primeiros momentos em que saiu do corpo, acorda poucos segundos depois. Na verdade, acordar de parar e ficar sem meta, por qualquer motivo. Nesse primeiro momento é bom sair direto para algum lado onde não veja pessoas nem outras coisas da casa, porque até ao passar por dentro da casa pode ver alguma ilusão que tenta de manter em casa, e você acorda poucos segundos depois.

Notará que passa algum transeunte na rua e te pergunta algo bobo, como "sabe para que lado fica a padaria?", e aí você vai responder e já perde o foco e acorda. Nessa fase inicial  é bom evitar papo furado com transeuntes astrais.

 

1- Cara, esse papo de boas vibrações afastarem consciencias obsessores não é beeeem assim. Nõa considere a si mesmo como tendo boa vibração, para não ficar se iludindo. O que acontece, pelo menos quando você está projetado, é que uma entidade só ENXERGA as outras que estão na mesma faixa vibratória. Então certo tipo de entidade mais pesada pode não te enxergar, portanto, não tem como conversar com você nem te atacar. Mas basta você olhar uma mulher astral, pro exemplo, e ter algum pensamento mais "carnal", e você já cai na faixa de vibração dos obsessores, eles te enxergam na mesma hora, como se você tivesse se materializado ali na volta deles. Se você é homem, e vive aqui encarando, como todos n[os, sabe que pensamentos desse tipo não são raros na mente de um homem, logo, esse papo de boas vibrações não deixam entidades negativas se aproximarem tem pouca aplicação prática, a menos que você seja assexuado, incapaz de sentir irritação, ansiedade, impaciência, tristeza, etc....

Portanto, dentro de determinados limites de equilíbrio e bom senso, as entidades sempre podem nos acessar. Só as mais pesada é que de fato não nos percebem, porque estão bem piores do que nós. Aí só te acessam mesmo se você se desequilibra mais profundamente, andando estressado, usando drogas, com depressão etc.

Se você quer se isolar delas para fazer algo sem ser perturbado (meditação, projeção)  melhor confiar em técnicas, não em vibração.

Mas elas só criam um cúpula, uma espaço protegido para você poder ficar sozinho espiritualmente. Uma vez que você saia desse perímetro, não tem como se isolar não, aí é com sua vibração mesmo.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, sandrofabres disse:

"...E de fato, se você parar para conversar nesses primeiros momentos em que saiu do corpo, acorda poucos segundos depois. Na verdade, acordar de parar e ficar sem meta, por qualquer motivo. Nesse primeiro momento é bom sair direto para algum lado onde não veja pessoas nem outras coisas da casa, porque até ao passar por dentro da casa pode ver alguma ilusão que tenta de manter em casa, e você acorda poucos segundos depois.

Notará que passa algum transeunte na rua e te pergunta algo bobo, como "sabe para que lado fica a padaria?", e aí você vai responder e já perde o foco e acorda. Nessa fase inicial  é bom evitar papo furado com transeuntes astrais."

Muito esclarecedora a sua resposta. Obrigado desde já!

Sim, já notei que quando paro para dar atenção e conversar com essas Consciências, a lucidez vai diminuindo ao longo da conversa, como as curtinas de um palco que vão se fechando no fim duma atuação. É como você disse, vamos perdendo o foco ou a meta e o corpo puxa de volta. Sempre que isso acontece,  vem uma espécie de frustração. 

De agora em frente, tentarei fazer sem divagações o que planeio antes. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, sandrofabres disse:

"1- Cara, esse papo de boas vibrações afastarem consciencias obsessores não é beeeem assim. Nõa considere a si mesmo como tendo boa vibração, para não ficar se iludindo. O que acontece, pelo menos quando você está projetado, é que uma entidade só ENXERGA as outras que estão na mesma faixa vibratória. Então certo tipo de entidade mais pesada pode não te enxergar, portanto, não tem como conversar com você nem te atacar. Mas basta você olhar uma mulher astral, pro exemplo, e ter algum pensamento mais "carnal", e você já cai na faixa de vibração dos obsessores, eles te enxergam na mesma hora, como se você tivesse se materializado ali na volta deles. Se você é homem, e vive aqui encarando, como todos n[os, sabe que pensamentos desse tipo não são raros na mente de um homem, logo, esse papo de boas vibrações não deixam entidades negativas se aproximarem tem pouca aplicação prática, a menos que você seja assexuado, incapaz de sentir irritação, ansiedade, impaciência, tristeza, etc....

Portanto, dentro de determinados limites de equilíbrio e bom senso, as entidades sempre podem nos acessar. Só as mais pesada é que de fato não nos percebem, porque estão bem piores do que nós. Aí só te acessam mesmo se você se desequilibra mais profundamente, andando estressado, usando drogas, com depressão etc.

Se você quer se isolar delas para fazer algo sem ser perturbado (meditação, projeção)  melhor confiar em técnicas, não em vibração.

Mas elas só criam um cúpula, uma espaço protegido para você poder ficar sozinho espiritualmente. Uma vez que você saia desse perímetro, não tem como se isolar não, aí é com sua vibração mesmo."

Realmente cara, sempre achei essa coisa meio complicada. Afinal de contas somos homem e estamos sujeitos a ter pensamentos de cunho sexual e a baixar a nossa vibração instantaneamente. 

Muito obrigado! 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sandro, lembro-me de um post seu em que você fala que se por hipótese um projetor, estando na dimensão astral (já ultrapassou a dimensão em tempo real ou etérica), ele conseguir enxergar o seu corpo físico, isso seria uma espécie de clarividência, pelo simples fato da dimensão astral ser totalmente diferente da dimensão física, o que não acontece com a dimensão etérica, intermediária que ainda permite-nos ver a dimensão física.

Juntando isso a um trecho do livro de Robert Bruce, "Experiências Fora do Corpo" que diz o seguinte:    

"... Qualquer  entidade  não-física  ou  desencarnada,  incluindo  o  corpo  astral,  a  fim  de  funcionar (permanecer),  em  tempo  real,  próximo  a  dimensão  física;  deve  conter  matéria  etérea.  Sem matéria  etérea,  entidades  não  físicas  voltam  para  sua  dimensão  de  origem.  Matéria  etérea  pode ser obtida apenas de habitantes vivos do mundo físico..."

Poderei concluir que desencarnados que não tenham matéria etérea suficiente não podem nos enxergar no físico, e que o que disseste naquele post também se lhes aplica, a menos que consigam matéria etérea suficiente dos seres vivos daqui, muitas vezes decorrente de sintonias que estabelecemos com eles involuntariamente? 

Agradeço desde já! 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, creio que podemos concluir isso a partir das várias informações que temos sobre essa questão.

Mas justamente os que nos rodeiam já o fazem porque são viciados dessa energia, se não botem de você, obterão elas facilmente das churrascarias, dos motéis, dos usuários de drogas, dos shows e espetáculos de massas, etc, e vão ficando por aqui, dando trabalho para os médiuns que tentam enviar els para o local que lhes compete.

Aqui falamos um pouco disso:

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lendo esse tópico, agora entendo porque é que as doutrinas espíritas dizem que não é aconselhável confabular com espíritos, mesmo se forem entes queridos que já "partiram".

Penso que espíritos que depois do desencarne se recusam a seguir aos seus planos de origem, ficando a acompanhar os familiares a partir da dimensão etérica, são os que não possuem muito conhecimento ou entendimento. E também acho que esse processo é pernicioso para os familiares, dado ao fato do espírito que querer manter-se na dimensão real time, ter de obter matéria etérea de algum lugar e o mais provável é que seja dos familiares mesmo. Daí penso que no caso de uma pessoa querida desencarnar-se, é mais prudente não emanar muitos pensamentos de lamento, tristeza ou outros pensamentos do tipo, para que o espírito possa seguir o seu rumo.

O que também achei interessante nesse tópico foi a discussão acerca da exteriorização de energias. Também creio que exista uma lógica nesse processo. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.